Fotografia
Fotografia
Digital Drops Blog de Brinquedo

Elcomsoft encontra falha em sistema de autenticação de imagens da Nikon e põe a fabricante japonesa contra a parede

Por em 2 de maio de 2011

first.jpg

Pesquisadores de segurança identificaram uma falha no sistema de autenticação criptografada de imagens da Nikon. A russa Elcomsoft informou que é possível extrair a chave de verificação original da imagem dos modelos D3X, D3, D700, D300S, D300, D2Xs, D2X, D2Hs, e D200 da marca.

Wuuf! quer dizer que a minha D90 está safa? Não, seu Bit. Todas as SLRs high-end da Nikon estão vulneráveis ao tal exploit, isso porque praticamente toda a linha utiliza o mesmo sistema proprietário de segurança.

A Elcomsoft ainda não explicou claramente como conseguiu descobrir o tal glitch, mas procurou dar provas visuais publicadas na mídia, onde uma capa do álbum Abbey Road, dos Beatles, é sobreposta ao cenário de uma paisagem russa.

continue lendo

emNotícias

4º Concurso Universitário de Fotografia Canon-Fotografe

Por em 7 de abril de 2011

Acho que podemos dizer que a revista Fotografe Melhor possui os dois concursos fotográficos de maior apelo popular do Brasil. Sempre são milhares de fotos inscritas e prêmios interessantes. O primeiro, e mais tradicional concurso da revista, é apoiado pela Leica e já teve os vencedores desse ano divulgados. Agora chega a vez de abrir as inscrições para o concurso universitário. Porém, é óbvio que notamos uma grande diferença. Até o ano passado quem patrocinava o concurso universitário era a Sony. Agora é divulgado que o novo parceiro dessa empreitada é a Canon. A mudança não acarreta nenhum problema para a competição que mantém quase o mesmo regulamento do ano passado e prêmios que vão fazer a alegria dos vencedores.

O 4º Concurso Universitário de Fotografia Canon-Fotografe está aberto a todos os estudantes universitários do Brasil, independente da área que esteja cursando. Para participar, o universitário deve comprovar sua condição de estudante com um atestado da instituição de ensino que está matriculado. O tema geral do concurso é “Meu Olhar sobre o Brasil” (o que libera o fotógrafo para registrar quase tudo em seu cotidiano) onde só serão aceitas fotografias feitas em território nacional. Cada participante pode mandar no máximo três fotos que devem ser impressas em papel fotográfico com tamanho máximo de 20x30cm. As fotos podem ser coloridas ou preto e branco. Menores de 18 anos só podem participar com autorização dos pais.

O primeiro colocado na competição vai levar para casa uma câmera Canon EOS 60D com lente EF-S 18-55mm IS e uma assinatura de Fotografe Melhor pelo período de um ano. O segundo colocado vai ter direito a uma câmera Canon EOS T3i com lente EF-S 18-55mm e uma assinatura da Revista Fotografe Melhor por 6 meses. E por fim, mas não menos importante, o terceiro lugar vai receber uma câmera Canon Powershot SX30 IS e uma assinatura da revista Fotografe Melhor por 6 meses. Do quarto ao décimo colocado serão oferecidos certificados de menção honrosa.

Quem quiser participar deve enviar suas fotos com a ficha de inscrição preenchida para a redação da Revista Fotografe Melhor entre os dias 30 de junho de 2011 e 30 de agosto de 2011. O regulamento completo, bem como a ficha de inscrição, podem ser encontrados na Revista Fotografe Melhor ou no site da Editora Europa.

canon-fotografe

emÁudio Vídeo Fotografia Concursos

Arquivos RAW – Segurança do Passado?

Por em 25 de março de 2011

Aposto que muitos leitores do Meio Bit nunca utilizaram um arquivo RAW em sua vida, mesmo que tenham em mãos uma câmera reflex ou compacta avançada. As desculpas para isso são muitas, entre elas podemos encontrar a dificuldade de editar o arquivo posteriormente ou o fato de caber uma quantidade menor de imagens no cartão de memória. Um amigo que trabalha em um grande estúdio aqui da região apontou que a empresa não possui computadores potentes para abrir uma grande quantidade de arquivos RAW ao mesmo tempo, ao tentar justificar o fato de ainda usarem arquivos JPEG. Mas, você que nunca teve a curiosidade de usar o formato pode me perguntar a vantagem de se utilizar esses arquivos. Vou lhe dar apenas duas razões. A primeira é a qualidade da imagem que é muito maior ao se processar um arquivo RAW em vez de um JPEG. O segundo é o fato da segurança em se ter um negativo digital e provar a autenticidade de sua foto. Pelo menos isso era verdade até a semana passada.

Ao que parece, a empresa russa ElcomSoft afirma ter descoberto uma forma de quebrar o arquivo de proteção das imagens em RAW produzidas pelas câmeras da Canon. Dessa forma, eles podem produzir imagens em formato RAW que não são detectadas como sendo falsas. Para provar a sua afirmação, eles fizeram várias montagens (algumas até bacanas) e salvaram em formato RAW. Em uma delas a Estátua da Liberdade está segurando a foice do símbolo comunista. Até agora, todo mundo está falando sobre a questão de concursos fotográficos, onde o arquivo é exigido pelas comissões julgadoras para comprovar a propriedade da foto. Porém, existem outras implicações mais profundas. Fico extremamente preocupado com a contestação de fotos em casos de perícias judiciais ou quando temos que processar alguém por uso indevido da imagem. Creio que a Canon vai tomar medidas para modificar o sistema de suas câmeras, mas o estrago já está feito. Se uma empresa consegue decodificar o sistema de proteção das imagens, outras também vão conseguir.

Até hoje, a Canon vende o seu Canon Original Data Security Kit como o mais confiável sistema de validação de imagens em RAW. Agora tudo parece ter ido por água a baixo. A ElcomSoft é uma empresa que tem por especialidade quebrar sistemas, decodificar passwords, chaves criptografadas e anunciou suas descobertas em relação à autenticidade de imagens em uma conferência para a imprensa. Se eu fosse da cúpula gerencial da Canon, trataria rapidamente de modificar todo o sistema, ao mesmo tempo em que mandaria um grupo de ninjas assassinos para a Rússia.

crack_canonFonte: Foto Digital

emÁudio Vídeo Fotografia Notícias

Bastidores do comercial “Igrejas” da Canon

Por em 11 de março de 2011

O comercial não é novo, chegou ao Youtube em novembro, mas não deixa de ser interessante por ser o primeiro comercial da Canon produzido no Brasil. Obvio que se trata de uma boa estratégia de marketing já que a primeira loja oficial da empresa também chegou ao Brasil por esses tempos. O comercial, intitulado de Igrejas, é muito bacana, tem uma trilha sonora matadora e pode vir a emocionar quem consegue enxergar a arte por trás das imagens, mas o que gostaria de chamar a atenção é que o vídeo foi inteiramente gravado utilizando câmeras EOS 5D Mark II e EOS 7D.

Mais uma peça do marketing? Talvez, mas o vídeo abaixo, que mostra os bastidores da produção, nos revela algumas informações interessantes sobre o mercado publicitário Brasileiro. Mais da metade do que é produzido atualmente no Brasil dentro da área de vídeo publicitário, é feito com uma EOS 5D Mark II. A câmera chegou para revolucionar, pois oferece qualidade e preço baixo (pelo menos se comparado com as filmadoras digitais de alta definição). Essa mudança eu já havia constatado durante a Photo Image Brazil 2010, onde um grande número de publicitários se apertou junto a fotógrafos para ver as demonstrações da câmera e pela mudança no próprio mercado local de produção de vídeos. Também me impressionou o cineasta mineiro que veio até uma cidade vizinha filmar um documentário apenas com uma Rebel T2i (aguardem uma entrevista muito bacana).

Fotógrafos podem estar um pouco desligados  do processo (pelo menos alguns que conheço), mas estamos vivendo uma mudança de hábitos no que diz respeito a produção de vídeos. E tudo isso causado por uma câmera fotográfica.

Via: @VernagliaJr

emÁudio Vídeo Fotografia Equipamentos

Maradona e a lente Canon

Por em 23 de fevereiro de 2011

Sou brasileiro e sou homem (por favor, sem piadinhas sobre essa afirmação) o que são duas condicionalidades básicas para o indivíduo gostar de futebol. Mas, felizmente, não dou a mínima para esse esporte onde 24 indivíduos ficam correndo atrás de uma bola. Porém, não é dessa maneira que pensam os outros 98% de brasileiros do sexo masculino. Por isso que a eficácia da associação feita nesse anúncio me escapa por completo.

A loja Kamera Express, sediada na Holanda, está vendendo exemplares da Canon EF 600mm f/4 IS USM juntamente com um autógrafo de Diego Armando Maradona. Alguém mais achou isso esquisito? Maradona alguma vez demonstrou interesse pela fotografia? Será ele um famoso fotógrafo artístico? Ou é apenas uma pegadinha para seduzir quem gosta de futebol? Não seria melhor um autógrafo de Sebastião Salgado? O que importa é que a belezinha se encontra a disposição na loja pela singela quantia de €4999,00. É possível achar a  mesma lente na Amazon (sem o autógrafo do Maradona) por US$ 8.739,00. Acho que vou encomendar duas.

Fora o preço que fica um pouco acima do orçamento de quase todos os fotógrafos brasileiros, a lente deve ser uma maravilha, sem falar que em um sensor cropado ela chega fácil aos 900mm, distância que permite fotografar folgadamente as crateras da lua, ou aquele jogo de futebol (lembrando aqui do Maradona), ou simplesmente aquela sua vizinha que nunca pensou em colocar uma cortina na janela do quarto.

emLentes

Canon Speedlite 320EX e 270EX II

Por em 9 de fevereiro de 2011

Junto com o lançamento de suas duas novas câmeras de entrada, a Canon também está colocando no mercado duas novas opções de iluminação. Estamos falando de dois novos flashes que chegam com a missão se serem alternativas mais baratas aos modelos já existentes. Embora câmeras reflex tenham se tornado um elemento comum no mundo da fotografia amadora (por conta dos preços mais baixos) não podemos falar a mesma coisa do flash externo. Como a maioria dos iniciantes está acostumada com o flash incorporado à câmera nem notam como é importante esse acessório para poder executar uma fotografia de qualidade.

O Canon Speedlite 270EX II chega para substituir o antigo 270EX. O flash é pequeno e possuí uma pequena cabeça articulada que faz movimento apenas para cima, possibilitando o rebatimento da luz no teto. O número guia do equipamento garante alcance da iluminação para até 27 metros (utilizando velocidade ISO 100) e possui tempo de reciclagem de 3,9 segundos. O flash é alimentado por apenas duas pilhas AA e pesa 155 gramas. Embora seja um acessório muito simples, ele está preparado para operar remotamente com o sistema wireless da Canon, podendo responder em TTL em modo slave em um dos 4 canais disponíveis nas câmeras. Vai estar disponível em abril ao preço de US$ 169,00.

Já o Canon Speedlite 320EX é uma conversa diferente. O flash já tem o formato dos irmãos mais velhos e possui cabeça articulada e zoom da luz do flash entre 24 e 50mm (controle manual de zoom). O número guia do equipamento garante alcance da iluminação em até 32 metros (com velocidade ISO 100) e possui velocidade de reciclagem em 2,3 segundos. O flash pesa 275 gramas, é alimentado por 4 pilhas AA e vai poder ser controlado remotamente pelo sistema wireless da Canon em modo slave. A grande sacada da Canon para esse flash é a inédita existência de uma luz Led para filmagem. Ele vai ser compatível com todas as câmeras da empresa que filmam em alta definição e a luz vai se acender automaticamente quando o equipamento determinar a necessidade de iluminação. Já estava na hora de pensar em soluções de luz para as filmagens. As câmeras já estão sendo utilizadas no mercado de vídeo profissional e outras empresas estão correndo para lançarem acessórios compatíveis com esses equipamentos. O Speedlite 320EX vai estar disponível em abril ao preço de US$ 249,00.

canon speedlite 320ex

emAcessórios Áudio Vídeo Fotografia

Novas Canon EOS 600D e EOS 1100D

Por em 8 de fevereiro de 2011

Os rumores já estavam correndo desde o começo de janeiro sobre essas duas novas câmeras e agora elas estão chegando de forma oficial ao mercado consumidor. Muito legal quando os grandes fabricantes nos mostram seus novos equipamentos, porém faz tempo que não vemos um lançamento tão morno quanto esse. Antes que me joguem pedras (os fãs da Canon, é claro) deixem-me explicar. Essas duas câmeras são o que chamo de equipamentos “nhé”. Não trazem nada de empolgante que me faça querer brincar com uma o mais rápido possível. Se compararmos com suas antecessoras pouca coisa, ou quase nenhuma, mudou. Estão ai apenas para cumprir a tabela do mercado de consumo.

A nova Canon EOS Rebel 600D (Rebel T3i/Kiss X5) chega com o mesmo sensor de 18 megapixels que equipava a versão anterior (e também está na EOS 60D e na EOS 7D). O processador interno é o Digic IV e a câmera vai poder trabalhar com até 3,7 fotos por segundo no modo contínuo e também podemos destacar os 9 pontos de autofocus (63 zonas). O design da câmera não sofreu muitas alterações. Na parte de fora do equipamento, os controles estão na mesma posição (desde a Rebel XSi), mas podemos notar o monitor articulado de 3 polegadas e 1.04 megapixels de resolução. Uma coisa que achei bacana é a possibilidade de trabalhar com várias proporções nas imagens, sendo que a foto 16:9 é apropriada para panorâmicas e a 4:3 chega mais perto de uma revelação de 20x25cm. Fechando o pacote temos a gravação de vídeos em alta definição Full HD com 1080 pixels e com a possibilidade de trabalhar com 24, 25 ou 30 fotogramas por segundo.

Já a EOS Rebel 1100D (Rebel T3 / Kiss X50) é uma câmera extremamente simples. Vai ser o equipamento de entrada mais barato da Canon e será indicada para quem vai comprar sua primeira câmera reflex. O equipamento vai contar com um sensor CMOS de 12 megapixels, processador DIGIC IV  e monitor LCD de 2,7 polegadas com 230 mil pixels de resolução. A boa notícia é que a câmera vai gravar vídeos em alta definição com 720 pixels de resolução com 30 fotogramas por segundo. Câmera pequena e simples e que deve ser uma das mais baratas da categoria.

As duas câmeras trazem no kit a nova lente EF-S 18-55mm F3.5-5.6 IS II. Alias, uma das coisas que fazem as câmeras de entrada da Canon serem mais atrativas do que as da Nikon é  a compatibilidade com toda linha de lentes EF desde as mais simples até os canhões profissionais, tendo como limitação apenas a potência da bateria para rodar o motor das lentes gigantes.

A nova Canon EOS 600D deve chegar ao mercado em Março em três versões. Somente o corpo (US$ 799,00), com a lente do kit 18-55mm (US$ 899,00) e com a lente 18-135mm IS (US$ 1099,00). Já a Canon EOS 1100D também chega em março com a lente do kit 18-55mm com o preço de US$ 599,00.

canon eos rebel t3i

emÁudio Vídeo Fotografia Equipamentos