Digital Drops Blog de Brinquedo

Logo do Firefox para maiores de 18 anos

Por em 16 de dezembro de 2006

É genial. É ótimo. A melhor do ano. Infelizmente não podemos mostrar aqui, este é um site de família. Jovem, se você tem mais de 18 anos, não está no trabalho, e pode ver imagens de conteúdo eroto-libidinoso nerdísticas, clique neste link e seja feliz. Depois volte e agradeça. Eu espero.

emInternet Open-Source

MeioBit entre os 9 blogs mais cotados da Performancing

Por em 16 de dezembro de 2006

Pesquisando na rede de blogs disponíveis para veiculação de publicidade da Performancing Network, descobri que o 9o blog mais cotado é… o MeioBit! Dá gosto ver um trabalho ser reconhecido assim de forma tão inequívoca, pela visitação em massa.

Esperemos que a mídia e os anunciantes acordem para esse mercado, e que em 2007 mais sites sigam o exemplo e profissionalizem-se. O retorno é líquido e certo, o único detalhe que falta é o dinheiro ;)

PS: Quem ficar curioso sobre outros blogs nacionais, 14 posições atrás do MeioBit aparece outro, mas a minha imensa modéstia me impede de revelar qual é ;)

emInternet

Política antipirataria da Microsoft pode levar usuários ao Linux. Mas o Linux quer isso?

Por em 16 de dezembro de 2006

Neste artigo o HTML Staff discute sobre o WGA e outras iniciativas da Microsoft, que visam dificultar a vida de quem usa software pirata. A idéia é que com o aumento da dificuldade em manter um Windows ilegal funcionando, atualizado e com as novidades recém-lançadas, os usuários irão migrar para o Linux, que oferece os mesmos recursos que 90% dos usuários querem (exceto jogos e softwares especializados) e não tem restrições quanto a cópias.

Perfeito, mas é esse o tipo de usuário que o Linux quer?

Muitas empresas usam (e bem) Linux tanto nos servidores quanto em desktops, mas o mercado doméstico ainda é problemático. Todo mundo, TODO MUNDO está no mercado para ganhar dinheiro. O pessoal do Debian, da Red Hat, o Mark Shuttleworth, do Ubuntu, até Miguel, faxineiro do escritório do Firefox. O discurso “comunista” acaba no dia em que o sujeito pára de receber mesada, mas esses são justamente os usuários que uma ação da Microsoft empurrará para o Linux.

O grosso do usuário de pirataria é o “esperto”, o sujeito que do alto de sua MegaGame Machine de R$6000 capaz de humilhar a do Moardib, reclama que o Windows pirata não está atualizando e que o CD do jogo que ele comprou no camelô não funciona. Quando questionado, solta a clássica “como podem cobrar R$100 por um jogo com o salário mínimo do jeito que está?”

Esse usuário não consome. Ele está à margem do processo produtivo, ele irá parasitar o Linux como parasita o Windows, só que este pode arcar com vários milhões de usuários alienados ao processo, o Linux não pode.

Vejam as iniciativas de jogos comerciais. Seriam perfeitamente viáveis no Linux, se houvesse massa crítica, mas a cultura do “de graça” impera, principalmente no Brasil. De que adianta ter um usuário que não consome, não compra, não gira a economia?

Um bom exemplo é o Mac. Existe uma enorme comunidade de empresas produzindo hardware e software para Mac, mesmo com números de mercado pífios (comparados ao Windows). Chegam ao luxo de concorrer entre si, há vários editores de texto, vários clientes de email, etc.

O perfil do usuário Linux hoje já não é bom, como consumidor. Se essa leva de piratas/boa-vida/espertos vier, será muito pior. Mil vezes um sistema para hackers (no sentido original do termo) do que um oba-oba de gente que nada agrega.

Um velho ditado dizia que não é que o Linux não seja amigável, ele seleciona suas amizades. Esperemos que continue assim, e que o Linux aprenda com o MacOS e o Windows: Dominação de mercado não é sinônimo de qualidade.


emAndroid e Linux

Shopping X Lojas online no Natal?

Por em 15 de dezembro de 2006

Com a chegada do Natal as ruas de comércio e shoppings se tornam simplesmente entupido de gente procurando presentes. Os shoppings ficam abertos até mais tarde e as pessoas vão em busca dos melhores preços. A maioria das pessoas esquece completamente da possibilidade de comprar pela internet. Não sou adepto totalmente de compras online, acho que quando você precisa dar um presente para uma pessoa e não tem idéia de que dar, numa volta num shopping você acaba encontrando um presente que possa agradar, nessa situação não gosto de procurar presentes na internet, vasculhando sites e cada categoria da loja eletrônica.

Por outro lado, existem aqueles presentes que já estão definidos e as pessoas vão ao shopping, compram e voltam. Isso acho desnecessário muitas vezes. Talvez com uma simples consulta a um desses sites que faz procura em várias lojas online (BuscaPé, BondFaro, entre outros), é possível encontrar o mesmo produto por um preço muito melhor. Os prazos para entrega são geralmente rápido, uns dias e o produto chega em sua casa. E, o que acho fantástico, o tempo que se economiza. Não precisa enfrentar toda aquela confusão de fim de ano que todos conhecem:

-pegar o carro;

-enfrentar congestionamento nas ruas;

-filas irritantes (na chegada ao shopping, no estacionamento para achar uma vaga, no elevador, na loja para pagar, para pagar o estacionamento e para sair dele);

-aquela multidão no shopping se dando ombradas para andar

-e o que odeio, aquelas pessoas que, no meio da multidão do shopping, resolvem parar de repente de preferência na sua frente (vai dizer que nunca aconteceu com você? :)

Então, por estes e por outros motivos as pessoas estão se tornando cada vez mais e-consumidores, é muito mais fácil e cômodo e sempre economizando um bom tempo. Não é a toa que nestes últimos 12 meses as transações das lojas online aumentaram 400%!!!

emInternet Produtividade

Pump & Dump – como funciona esse modelo de spam

Por em 15 de dezembro de 2006

nyse.jpg

Você já deve ter recebido um email mais ou menos assim:

Stable Company!

Fueled by the possibility of an upcoming merger, Wild Brush Energy (WBRS) is gearing up for an explosion. Tension is building and soon the scramble to take a position will push this one off the charts.(…)

Sem link, sem V!agr@ Natural ou outros lixos. O que é isso afinal?

O nome disso é Pump & Dump, uma técnica de faturar no mercado de ações que antecede a Internet mas se tornou muito, muito mais fácil com ela. Como funciona:

Um Picareta filho-de-uma-dama-que-troca-favores-por-dinheiro compra uma bolada em ações de alguma empresa pequena, de preferência fora das Bolsas de Valores grandes. Essas empresas em geral são pequenos projetos de tecnologia ou da área biomédica, onde fica mais fácil o passo 2:

De posse das ações o Picareta entra em fóruns, listas de discussão e principalmente envia emails. Alguns utilizam um mailing de revistas e sites especializados. Outros apelam pra grosseria e enviam milhões de mensagens, às cegas, alertando para uma iminente valorização dessas ações, no estilo “compre agora, você vai ficar rico, vai furar o teto”.

O pobre internauta inexperiente e prestes a ser enganado (leia-se otário) lê o email, assume que alguém na Internet que ele nunca viu na vida está passando a dica do ano. Corre pro home broker, procura até achar a tal empresa, vê que o preço dela está realmente baixo. “uau, vou me dar bem”. Despeja o dinheiro que pode e não pode comprando as ações.

Com isso o título se valoriza. No dia seguinte já há um princípio de alta, os outros otários começam a comprar pra aproveitar a onda, até o Picareta achar que atingiram o pico. Nesse momento ele vende todas as ações que comprou, com um lucro fantástico. Os outros investidores tomam na cabeça, pois a simples oferta de um monte de ações joga o preço pra baixo. Na dúvida eles começam a ofertar as suas também. Em algumas horas, em geral as ações estão valendo menos do que antes do processo começar, e todo mundo (menos o picareta) perdeu dinheiro.

Isso, claro, é proibido em todos os mercados possíveis e imagináveis, mas a facilidade e o anonimato da Internet facilitam esse tipo de atividade. O que mais assusta é que gente incapaz de perceber o mais descarado email com intenções fraudulentas tem dinheiro para investir no mercado de capitais.


emInternet

Venda casada de hardware e software na mira dos franceses

Por em 15 de dezembro de 2006

Assim como no Brasil, é proibída a venda casada de produtos e/ou serviços na França, mas ao contrário do Brasil, alguém quer dar um basta nesse problema por lá.

O grupo Que Choisir, um dos mais importantes grupos de defesa do consumidor francês, resolveu levar aos tribunais o fabricante de computadores HP e as redes de varejo Darty e Auchan, por oferecerem a venda casada de hardware e software.

Segundo o grupo, não é possível comprar computadores na França sem sistema operacional e isso fere a liberdade de escolha dos consumidores.

Aqui a situação não é diferente, quando comprei meu notebook, tive que suar a camisa atrás de um que não viesse com o Windows já instalado.

Existe uma linha de pensamento que defende o computador como o conjunto de hardware e software que faria com que a comprovação de venda casada não fosse possível.

Discordo completamente desta afirmação, por inúmeros motivos, entre eles:

  • Existem várias opções de combinações.
  • Praticamente só uma das opções está disponível para o comprador.
  • São produtos de empresas diferentes.
  • Se o comprador pedir para não vir uma das partes, não terá desconto ou terá um desconto simbólico.
  • Quem precisa de outras opções fica a mercê da boa vontade dos fornecedores.

Considerando esses pontos, o argumento de que o computador é um conjunto de hardware e software fica insustentável, comprovando, assim a venda casada.

Via: [Br-Linux e Folha Informática]

emIndústria

A Nintendo está de volta: Wii, DS e GameBoy são sucesso de vendas no mundo.

Por em 15 de dezembro de 2006

A Big N está de volta. Se algum de vocês ainda duvidava, os recordes de vendas de jogos e consoles, nos EUA, Europa, Japão e Austrália confirmaram o que alguns analistas de mercado estavam prevendo.

Em apenas dois dias, foram vendidos 325 mil unidades do Wii na Europa, um recorde. Junto com essas vendas, foram vendidas 240 mil cópias do The Legend of Zelda: Twilight Princess, já que, como prometido, o jogo foi lançado juntamente com o console.

Algo que não fora previsto é que os consumidores não apenas estão comprando o Wii, como também estão levando para casa os consoles portáteis da empresa: Nintendo DS e GameBoy Advance. Em apenas uma semana, foram vendidas 515 mil unidades do DS na Europa.

Com o fracasso de manufatura da Sony dos diodos de Blu-Ray, simplesmente não há unidades suficientes no mercado e os números iniciais de vendas foram ainda mais pífios que o previsto: nos EUA, foram vendidos 197 mil PS3 no lançamento. Isso representa menos da metade do prometido, de 400 mil unidades. E já surgiram rumores de que o lançamento na Europa será atrasado. Eu ainda acho que o problema também está no fornecimento de processadores Cell, dado o baixo aproveitamento dos waffers, mas isso é outro papo.

O consumidor americano comprou em Novembro 511 mil XBox 360 e 600 mil Wii, esse último em 8 dias. Mas a grande surpresa foi realmente o salto em vendas dos portáteis. Apenas o Nintendo DS, nos EUA, fechou novembro com mais de 900 mil unidades vendidas. Quem acreditava que o novo console da Big N iria vampirizar as vendas errou feio: estão na verdade comprando o Wii e levando também um Nintendo DS ou GameBoy Advance. Outra explicação possível é que na falta do console de primeira escolha, o PS3, o consumidor leva o portátil da Nintendo.

Na Austrália, o Wii vendeu 32.901 unidades em apenas dois dias, superando o recorde anterior, do XBox 360.

Parece que o consumidor está sintonia fina com as idéias da empresa, de interação, para todas as idades, simplicidade e preços baixos. A Sony está falhando tanto porque o PS3 foi lançado antes do tempo e quem ganha com a frustração é justamente a concorrência. Deve-se lembrar também que o PS3 foi criado para o mercado de entusiastas: é o consumidor que paga 600 dólares numa GeForce 8800, mas decide comprar um console, por exemplo.

Já o produto da Nintendo possui apelo para todos, o que pode ter sido o maior acerto de estratégia desde o SNES.

Fontes: MSNBC, GameSpot, CNN Money, GWN

emGames