Digital Drops Blog de Brinquedo

Adobe libera PDF para se tornar um padrão ISO

Por em 29 de janeiro de 2007

A Adobe acaba de divulgar um press release anunciando a liberação do formato Adobe PDF 1.7 para avaliação e publicação pela International Organization for Standardization – ISO. A atitude foi excelente. O PDF já é um formato mais que divulgado, e para todos os fins práticos, aberto, mas os Governos estão adotando padrões abertos. Um padrão não está sob controle de uma única empresa, e isso faz toda a diferença. Com a transformação do PDF em um formato padronizado ISO, quem tinha dúvidas sobre o PDF se sentirá confortável em adotá-lo.

Fonte: Scobleizer


emSoftware

Aplicação web2.0 para Mapas Mentais

Por em 29 de janeiro de 2007

mapacc.jpg


Mapa Mental é uma técnica de organização de informações bem interessante, embora seus adeptos muitas vezes se comportem como se o negócio fosse uma espécie de seita. Para nós, de forma, basta saber que a coisa é útil, e fica melhor ainda com o Bubbl.us, um site simples e simpático, que usa Flash para criar e gerenciar seus mapas mentais. É um site que vale o bookmark, se você for desorganizado como eu e, ao contrário de mim, não usar somente 1024×768.


Via Cybernet

emSoftware

Alou Brasília, enquanto vocês debatem, a TV Interativa já chegou, chama-se Wii

Por em 29 de janeiro de 2007

wiinews.jpg

Durante anos a Microsoft ameaçou entrar no mercado de TV interativa, criando uma Set Top Box, que conectaria sua TV à Internet, possibilitando programas interativos, compras, filmes com finais variáveis e todas aquelas coisas de ficção científica que os futurólogos prometiam. Só que a própria Microsoft nunca levou a sério essas promessas, não existia banda suficiente para isso, e o preço previsto dos equipamentos era baixo demais. Uma experiência agradável por menos de US$100 é inviável, mesmo a Bruna Surfistinha cobrava mais que isso.

O mercado meio que esqueceu o conceito, que acabou como tema de longas e infrutíferas discussões em países do Terceiro Mundo, quando decidiram ingressar no mundo da TV Digital. Enquanto isso um outro grupo trabalhava para tornar realidade algumas dessas promessas. A idéia era genialmente simples: Já temos um excelente equipamento, com boa performance, integrado à Internet, banda larga, com uma interface que o usuário já está acostumado. Chama-se videogame. Que, aliás, foi feito para ser ligado à televisão, o Pong foi a primeira Set Top Box.

Hoje tanto o Wii quanto o XBOX360 oferecem serviços online. No XBOX temos downloads de filmes e seriados, e o Wii agora tem um canal de notícias, cortesia da Associated Press, sendo que já contava com um Canal do Tempo e um Canal Internet (via Opera).

Imagino que quando (e se) chegarmos a um consenso sobre TV Digital por aqui, os usuários dos videogames de última geração cairão na gargalhada, pois já dispõe desses recursos faz tempo.

via Technablog


emGames Internet

Experiência com a instalação do Windows Vista

Por em 29 de janeiro de 2007

Semana passada recebi minha cópia do Windows Vista Business, brinde da Microsoft por participar da promoção “Power Together“. Resolvi instalá-lo neste final de semana, em meu modesto PC, montado em 2004.

A máquina em questão é um AMD Athlon 2000+, com 1Gb de RAM, 2 HDs de 80 Gb e uma placa de vídeo com chipset Nvidia GeForce4 MX440, com apenas 64 Mb. Antes de instalar, rodei o utilitário que mede quão pronta a máquina está para o Vista, e a minha máquina recebeu um glorioso 1.0 (acho que é a pior nota possível).

Pois bem, sem baixar a cabeça comecei a instalação do dito cujo. Fiz o boot pelo DVD, e o único problema na instalação foi que ele não avisou para retirar o DVD após o primeiro reboot. Quando feito isto, ele continuou de onde deveria. A instalação demorou menos de 30 minutos, e detectou os dispositivos corretamente, com exceção de uma placa controladora de HD SATA, cujos drivers eu tive que instalar manualmente.

Até agora tudo que precisei instalar funcionou bem. Não estou usando a interface Aero, pois minha placa de vídeo não suporta, mas não me faz falta. Não uso minha máquina para jogos, portanto uma placa de vídeo mais avançada virá somente no futuro.

Algo que me impressionou foi que mesmo sendo uma máquina de mais de 2 anos desde que foi montada, roda o novo sistema numa boa, na realidade na mesma velocidade que o Windows XP que rodava antes.

Tenho minhas opiniões pessoais quanto a algumas novidades na interface, mas são apenas opiniões sobre badulaques que podem agradar uns e irritar outros. Eu preferiria se houvesse opções para desabilitar boa parte dos enfeites gráficos, dos quais não faço questão.

Em suma, eu tinha a impressão que o Vista foi terminado às pressas, e que haveria muitos problemas ainda a ser resolvidos antes de ser estável. Ainda acho que tem várias coisas que a Microsoft vai corrigir em um Service Pack, porém que até agora não me afetaram. De qualquer maneira o desktop é a máquina que raramente uso, e por isso limita minha exposição ao novo sistema.

emSoftware

EV:N um ótimo RPG espacial

Por em 29 de janeiro de 2007

Alguém aí se lembra de um jogo chamado Starflight? Certamente foi um marco na história de RPGs baseados em aventuras espaciais. Nele, o jogador comandava uma nave bem ao estilo “Enterprise” e saia pelo universo desvendando mistérios, encontrando alienígenas, negociando bens etc…

Nunca mais encontrei um tão interessante. Pelo menos, para PCs. Quando tinha um velho Macintosh Performa 6300, jogava uma produção da Ambrosia Software, chamado Escape Velocity. Com a mesma “alma” de Starflight, me deu dias e dias de ótima diversão.

battle2.jpg

Navegando aleatoriamente, reencontrei o site da Ambrosia e qual não foi minha surpresa ao ver uma reencarnação do jogo, agora Escape Velocity NOVA e com uma versão para Windows! O final-de-semana passou muito rapidamente… só consegui escrever este artigo porque fiquei sem combustível num sistema estelar desabitado…

Você começa com uma pequena nave e um rápido tutorial ( disfarçado como um “amigo” solicitando uma carona ). Há várias missões e histórias paralelas e não existe algo realmente obrigatório a fazer. Você tem a chance de recusar as missões e, se quiser, pode simplesmente passear pelo Universo, ou se tornar um pirata ou se juntar à Federação e por aí vai.


Existem centenas de planetas, estações espaciais, naves, “wormholes” e personagens diversos. Seria impossível falar do jogo inteiro… por isso, se você gosta desse tipo de “adventure”, baixe sua cópia e não esqueça: é um “shareware”. Se gostar, pague.

emGames

Techsmith concede licenças de software ao MeioBit

Por em 27 de janeiro de 2007

A Techsmith, empresa responsável por softwares como SnagIt, Camtasia Studio e Morae, gentilmente cedeu licenças para que possamos criar screencasts e tutoriais para os nossos leitores.

Há muito tempo discutimos internamente sobre a criação de tutoriais curtos, demonstrações e um conteúdo diferenciado ao escrever sobre software.

Por que screencasts?

Para quem não sabe, screencast é uma captura de tela, um vídeo do desktop do computador. É muito usado para demonstrações de programas, análises/reviews e obviamente, treinamento.

Com CDs e DVDs de treinamento, houve um grande salto no uso dessas capturas de tela. Com a banda larga cada vez mais comum, empresas, blogueiros e instituições governamentais e de ensino adotaram a Internet como plataforma de distribuição.

Um exemplo de bom conteúdo sendo criado é o Channel9 Screencasts, com uma biblioteca de 227 vídeos até o momento.

Ferramentas

Existem dezenas de softwares para realizar essas tarefas, que variam de soluções open source, freeware até comerciais com variação de preço entre 20 e 1000 dólares.

Vamos usar duas delas:

O Camtasia Studio é usado para criar as capturas de tela e exportação em FLV, SWF, Windows Media e Quicktime:

O SnagIt faz capturas estáticas de áreas, sem necessidade de usar um editor de imagens:

emDestaque Software

Nova forma de cobrança telefônica = Exclusão digital?

Por em 27 de janeiro de 2007

O blog do Erik Marques fez uma crítica interessante a respeito do novo estilo de cobrança de telefônia que entrará em vigor no mês de março deste ano de 2007. Para quem não sabe, a partir de março acaba a história de pagar por pulsos e passa a valer o tempo em minutos. Ou seja, aquelas pessoas usavam internet de madrugada e nos finais de semana para não pagar tão caro se deram muito mal.

A verdade é que banda larga aqui no Brasil não é para pobre, a maioria das pessoas mais humildes sequer têm a possibilidade de comprar um computador quanto mais pagar 50, 70, 100 reais para ter uma conexão banda larga. Enquanto isso as telefônicas com tarifas altíssimas, enchendo os cofres de dinheiro e dando esse tipo de retorno para os burros clientes. “Inclusão digital” já ouviram este termo? Acho que deveria ser chamado de EXCLUSÃO DIGITAL.

emInternet