Digital Drops Blog de Brinquedo

Sinal dos tempos na telefonia pública

Por em 24 de julho de 2007

meiobit-orelhao.jpg

O Steven Levitt fez uma observação interessante em seu blog; ele viu um sujeito no aeroporto O’Hare usando um… telefone público. Isolado, sozinho, quase um leproso tecnológico, em tempos onde o celular domina completamente a paisagem. Nos EUA os telefones públicos estão desaparecendo com uma velocidade muito grande, sumindo junto com outro equipamento já sem utilidade: A secretária eletrônica.

Claro que num país como o nosso, onde ainda há cidades com os pitorescos “postos telefônicos”, não podemos esperar um sumiço tão radical dos telefones públicos. Por mais que a telefonia celular seja usada hoje por todas as camadas das população economicamente ativa ou até economicamente “que se vira”, não é o bastante para aposentar o orelhão.

Mas se você tem mais de 25 anos, e mora em um grande centro, pode reparar:

Ninguém nunca mais enfrentou fila para falar em orelhão.

emCelular

TV Digital em teste

Por em 24 de julho de 2007

Os aparelhos para recepção digital já estão sendo testados por fabricantes, o que nos aproxima do lançamento, ainda esse ano, como prometido pela indústria.

O problema é que os conversores custarão mais de R$ 100,00, estimados pelo governo, por culpa do próprio: impostos. Como disse um jornalista do Financial Times, nunca precisamos tanto de um governo mais eficiente.

Os pedidos para diminuição de impostos ou isenção fiscal foram pedidos, mas não houve qualquer retorno. Uma pena, pois com aparelhos mais caros, menos gente terá acesso. Será tão difícil assim fazer a conta, prezadas autoridades?

Fonte: Folha Online

emMiscelâneas

Embarcando o Linux

Por em 24 de julho de 2007

embedded.jpgNão é de hoje que vocês sabem que ando “flertando” com dispositivos embarcados rodando Linux. Este é um dos principais motivos do meu relativo desaparecimento.

Hoje, felizmente, minha própria placa ganhou vida ( It’s alive… it’s alive! ) e é bem possível que o volume de trabalho diminua… se bem que, levando em consideração que a curva de aprendizado para se programar o Linux é muito alta… não sei, não. Aliás, antes que começem a dizer que sou preguiçoso/burro/vendido, vou logo avisando: além do software, também faço o hardware. Uma documentação fácil de se entender viria bem a calhar ( e observem que volume nem sempre se traduz em qualidade ).

O ponto é o seguinte: é preciso tanto trabalho, mas tanto trabalho para se embarcar o pinguim, que, sinceramente, estou reconsiderando a opção pelo Sistema Operacional. Além das incertezas do licenciamento, é muito difícil achar informação. Pelo menos, a informação certa. Há milhares de “Howtos” espalhados pela internet, mas a maioria ou é superficial ou obsoleta. Vou dar um exemplo prático: o processador que escolhi tem três linhas de interrupção externa. Como saber se o kernel as configurou para serem ativadas por nível ou transição? Em qual arquivo está isso? Não é importante? Apenas se eu quiser ficar com o hardware de referência, fornecido pelo fabricante.

Não é o tipo de coisa que o programador comum saiba ( até porque, o programador comum faz coisas mais… comuns, certo? ) e mesmo programadores experientes se enrolam. Mas é o tipo de coisa que o sujeito que “embarca” o Linux precisa saber. Ao menos, precisa saber onde está, pois sempre há um chip novo que não tem driver ou é preciso otimizar algum já existente.

Se o sistema fosse vendido por alguns dólares e esse dinheiro fosse usado única e exclusivamente em documentação ( não me xinguem, mas vejam a diferença entre o que a Microsoft oferece e o que a comunidade oferece ), seria a opção de nove em cada dez projetos. Sem isso, é bom provável que o Windows CE continue sua expansão.

Aliás, o que é bem comum acontecer é que, em vez da empresa licenciar o Windows CE, por exemplo, acreditando na “redução de custos” que o software livre trará para o projeto, acaba virando refém de outras distribuidoras de software. Seis mil dólares por uma licença do ambiente gráfico, quatro mil pelo ambiente de desenvolvimento, o dobro do salário para o engenheiro que entende de Linux ( se comparado com aquele que programa para a “plataforma-proprietária-do-demo” ) e por aí vai. É claro que sempre vai aparecer alguém e dizer que somos todos estúpidos, que poderíamos fazer tudo sem pagar nada, já que temos alguns fontes… mas, convenhamos: projeto atrasado, sua equipe trabalhando no meio da madrugada e aparece uma dúvida. Você escolheria um bom suporte ou um fórum qualquer?

emAndroid e Linux Hardware

Como ter um PSP sem gastar nada

Por em 23 de julho de 2007

Sintam inveja desocupados de plantão. As pessoas ocupam seus tempos da forma que acham mais adequada e aqui temos dois exemplos que merecem reflexão. Em ambos os casos, os artistas resolveram desenhar um PSP usando softwares de edição de imagem. No primeiro caso há um tutorial ensinando a desenhar o portátil usando o Photoshop. No segundo, pasmem, usando o limitado Paint do Windows, com direito a dashboard e tudo. O pior é que a versão do Paint ficou melhor :s

Ok, você nunca quis aprender a desenhar um PSP? Então veja como se faz um Ipod ou um Subaru Impreza, ambos no Paint.

PS: O Rafaelle Picca (video do carro) é um artista e velho conhecido do pessoal que gosta de design. Ou seja, ele não é um desocupado.

emGames Miscelâneas

Segurança Máxima na Fox New, CNN e arredores

Por em 23 de julho de 2007

Existe uma regra em Inteligência que diz: Nenhuma informação é inócua. Se um soldado capturado comenta que na base dele gastaram XX quilos de sabão em pó em uma semana, um grupo de analistas pode deduzir quantos soldados há na unidade. Da mesma forma quanto mais informação você revela online, pior. Se um hacker não sabe nem o sistema operacional de um servidor, não sabe por onde começar a atacar. Já se tiver acesso a detalhes de versões, softwares, etc, fica tudo mais simples.

Por isso é ruim você deixar aberto certas páginas-default de seu servidor web, como por exemplo:

http://www.cnn.com/server-status
http://www.webshots.com/server-status
http://www.download.com/server-status
http://slashdot.org/server-status


Dá para dizer que é inócua a informação de que a CNN recebeu 5.196.459 de requests em seu Apache, nos últimos dez minutos? Não creio, ainda mais se eu for concorrente. E por falar em concorrente, outra situação muito comum são os sites que não bloqueiam o direito de listagem de diretórios. Assim temos acesso ao diretório de imagens da FoxNews!

Acha pouco? Que tal então acessar a árvore de diretórios de administração deles? é só clicar: http://www.foxnews.com/admin/

meiobit-foxnews.jpg

Descobrimos, com isso, que uma das redes mais conservadoras e defensora dos ideais republicanos nos EUA usa Apache e Ubuntu. O Linux já teve amigos melhores 😉

Fonte: Digg e Fulldisclosure

emInternet Segurança

Arábia Saudita lança campanha contra videogames violentos

Por em 23 de julho de 2007

meiobit-911.jpgAquela pérola do oriente, exemplo de paz, boa-vizinhança e democracia, a Arábia Saudita, voltou suas armas (com flores nos canos) contra os videogames, incluindo os que mostram combates entre forças dos Estados Unidos e a Al Qaeda. Elementos de segurança e da mídia irão alertar contra esses terríveis jogos violentos.

Tendo jogado Desert Combat, um excelente mod do Battlefield 1942 situado nos dias de hoje, reconheço o quanto é prejudicial esse tipo de jogo. Afinal, se as crianças sauditas começarem a se viciar nesse tipo de diversão, qualquer dia estarão explodindo embaixadas e jogando aviões em prédios, e ninguém quer que esse cenário improvável vire realidade.

Eu farei minha parte, nunca darei uma cópia de um jogo violento para uma criança saudita. Mas e o Irã? Recentemente anunciou com estardalhaço uma série de jogos anti-americanos, incluindo o popular “Resgate o cientista nuclear”. (ok, eles não são muito bons com nomes)

Eu acho justo. Há tantos jogos do lado “de cá”, vamos dar espaço pros “deles” também. Sem contar que o efeito-propaganda de qualquer jogo é nulo, se o jogador tem um mínimo de cérebro. Tenho um amigo que no Medal of Honor só joga como alemão e nem por isso é militante nazista, e no Desert Combat em prefiro os aviões iraquianos. O que não faz de mim um membro do partido Ba’ath.

Se o sujeito já é doido o bastante para vestir um casaco de C4 e explodir um mercado, com certeza não é por influência de um game.

Aqui uma ceninha de um jogo iraniano. Não se influencie 😉

Fonte: Game Politics

emGames

Lançada TV Digital via celular

Por em 23 de julho de 2007

Uma parceria com a Onetouch e a Black Star TV trouxeram para o país o serviço, que disponibilizará inicialmente 6 canais de TV, 4 de rádio e dois de dados, para celulares GSM compatíveis com a tecnologia T-DBM (Terrestrial Digital Multimedia Broadcasting). A disponibilização do serviço para o público em geral está prevista para Outubro / 2007.

Como? Não viu nada disso na Folha, no Globo, em outros sites?

É que o país em questão é Gana. Isso mesmo. A Ghana Telecom está implantando o serviço. Na África. Uma operadora que tem 19% do mercado, pouco mais de um milhão de clientes.

Enquanto isso, em um certo país da América Latina com um dos maiores mercados de telefonia celular do mundo, de um lado temos intermináveis empecilhos burocráticos governamentais, e do outro empresas que -é capaz- preferem gastar dinheiro até comprando bilhete de loteria, antes de investir em novas tecnologias e satisfação de seus clientes.

De que adianta toda essa propaganda das operadoras, se vivemos -em termos tecnológicos- pior que a África?


Via Cellular News

emCelular Indústria