Digital Drops Blog de Brinquedo

Estudo revela que jogos de corrida provocam direção perigosa

Por em 21 de março de 2007

Toda vez que leio uma notícia de algum estudo comportamental, fazendo alguma associação entre games e a vida real, fico com o pé atrás.

É muito fácil transferir a culpa para jogos quando são cometidos crimes. Nunca são os pais ausentes, a escola omissa, as autoridades incompetentes ou a exclusão social por causa de falência de medidas governamentais. Aqui no Brasil há um enorme zêlo, com a proibição ocasional de alguns títulos, como Carmageddon.

Mas há de convir que após jogar por algumas horas um jogo como Need For Speed, com aquela música fenomenal, muita gente fica mais valente ao volante e passa a assumir mais riscos. É aí que mora o perigo, segundo o estudo.

Quem possui o costume de jogar um único jogo que envolva carros e alta velocidade – todos – está mais propenso a ser influenciado e dirigir mais ousadamente. E o público masculino parece ser mais suscetível do que o feminino. Deve haver algum estudo em algum lugar que explique a relação homem + carro = homem/mulher.

Fonte: CNN

emGames

SkypeIn: compre seu número. Seja esquecido

Por em 21 de março de 2007

Hoje fui procurar entender o porque do meu número do SkypeIn não funcionar há quase 1 mês. O SkypeIn é um número local que qualquer um pode comprar, assim pode ter vários números “virtuais” que acabam direcionando para o Skype.

Pois bem, fiquei batendo cabeça até decidir entrar na minha conta no site do Skype. Eis que meu número de telefone não estava mais ativado, havia sido simplesmente desativado. Sabe porque ? Simplesmente porque o sistema deles não envia emails perguntando se quer renovar. Ao contar o fato para o Cardoso, ele mencionou “já perdi dois assim”…. o que ?!

Então, se alguma alma que trabalhe no Skype/eBay ler isto… por favor conserte, ok ?

emInternet Telecom

Adobe Apollo: aplicativos web no desktop

Por em 20 de março de 2007

Parece que a Adobe está entrando pra valer no mercado de aplicações web. Há três semanas anunciaram planos para uma versão on-line do Photoshop. Ontem lançaram o Adobe Apollo, um SDK para criar softwares de desktop com cara, funcionalidades e interação com a internet típico de aplicativos on-line.

Aparentemente esta é a tendência. Aplicações exclusivamente on-line como as chamadas de web 2.0 ou exclusivamente off-line como os softwares que rodamos em nossas máquinas se fundirão em algo único. O fundação Mozilla havia anunciado há alguns meses que o Firefox 3 terá suporte a aplicações web rodando off-line.

É um conceito interessante e um novo segmento de startups pode surgir a partir daqui. A Microsoft terá que adaptar seus tradicionais softwares desktop para uma realidade mais conectada (Windows Live?) e o Google terá que adaptar seus aplicativos on-line para o modo desktop. A junção de ambos os mundos pode ser o que faltava para aplicações web deslancharem e o SaaS (Software as a Service) transformar-se na realidade das empresas.

[via Arstechnica]

emInternet Software

O Dia-D para a Microsoft?

Por em 20 de março de 2007

No meu primeiro post no Meio Bit, gostaria de comentar um pouco sobre a guerra na nova geração de consoles e sobre este dia que pode ser um dia chave para os planos da Microsoft.

Desde o lançamento do Playstation 3 o mundo aguarda algo que realmente chame a atenção dos jogadores. A Sony ainda não conseguiu convencer os consumidores de que o aparelho seja uma estação de jogo. Lá se vai meio ano desde o início das vendas e até agora nenhum jogo de grande expressão surgiu. É verdade que o anúncio do serviço Playstation Home chamou muito a atenção e é muito promissor, mas na verdade ainda é muito pouco.

Jogos! As pessoas querem jogos. E se puderem ter jogos de qualidade a um preço razoável, melhor. A própria Sony admitiu isso hoje dizendo que caso o PS3 fracasse, isso irá acontecer devido ao alto preço do console. Já circulam notícias na internet de que o aparelho terá seu preço reduzido em US$ 100 até outubro desse ano.

Agora some à isso as notícias bombásticas de hoje que revelam a perda de exclusividade da Sony para as franquias Devil May Cry e Ace Combat, além dos rumores que apontam Monster Hunter e Katamari Damacy no X360. Além disso, edição de abril da revista Game Informer confirma o boato de que a Microsoft irá lançar um X360 com HD de 120GB por US$ 479 (US$ 80 mais caro que a versão atual).

A sensação é de que a Sony do alto de sua arrogância pensou que o PS3 venderia devido ao nome, jogou o preço lá no alto, o que é até aceitável devido aos componentes usados na máquina, mas esqueceu que o principal concorrentes tinha uma base instalada forte.

Porém, a situação é simples de ser resolvida. Basta laçarem jogos de qualidade, só que isso não pode demorar mais dois anos para acontecer. Basta lembrarmos de algumas franquias poderosas que a empresa tem, como God of War, Gran Turismo e Metal Gear (este último, pelo menos por enquanto).

Parece que o céu resolveu cair na cabeça da gigante japonesa hoje e sinceramente, não consigo enxergar uma solução a curto prazo para o problema. E enquanto isso o tempo continua passando, a Microsoft vai se distânciando e a Nintendo segue comendo por fora com seu conceito de jogos causuais.

PS.: Ok! É óbvio que o futuro dos videogames não será resolvido por causa dos acontecimentos de hoje, mas temos que concordar que foi um dia atípico para a Sony.

emGames

Wii Sport Packs, parafernalhas para ferrar seu Wii

Por em 20 de março de 2007

Não demorou muito para acontecer o que qualquer com um pouco de imaginação maligna podia jurar que aconteceria com o Wii.

Algum vagabundo (no bom sentido da palavra, se é que isso existe) que não tinha dinheiro para comprar um wiiiii :) resolveu que iria parar de passar o dia inteiro coçando o saco (será que eu posso dizer “coçando o saco” aqui?) e conseguir um jeito de ganhar uma graninha extra para comprar seu Wii.

Este ser de inteligência duvidosa, se aproveitando de técnicas Jedi, e da burrice / falta de imaginação / dinheiro sobrando da maioria da população Americana que possui verba para comprar um Wii, desenvolveu uma das piores invenções no mundo videogameco dos dias atuais, a pior é o sega-saturn.

O infeliz criou, nada mais, nada menos, que acessórios de plástico ao estilo “Made in China” para serem fixados no joystick T-U-D-O D-E B-O-M do Wii no formato dos acessórios específicos dos jogos do Wii Sports

Link para a página do produto aqui.

Eu fico me perguntando que tipo de pessoa possui tão pouca imaginação para precisar de um troço desses, o que faz uma pessoa com tão pouca imaginação comprar um Wii, e por último, o que faz uma pessoa com tão pouca imaginação, que comprou um Wii, gastar 22 dólares com essa porcaria!

OBS: Se você gostou da idéia e está pensando em comprar um, esqueça as críticas feitas aqui, e lembre-se de mim como a pessoa que te recomendou este “maravilhoso” produto quando for fazer sua lista de natal :)

emGames Periféricos

Mouse: 45 anos

Por em 20 de março de 2007

Este ano o mouse completa 45 anos.

O dispositivo desengonçado, na foto ao lado, é o primeiro protótipo do dispositivo que nasceu para tentar melhorar nossa interação com os computadores.

A idéia inicial era de criar um dispositivo que simulasse uma caneta, para que a experiência fosse mais próxima aos nossos costumes.

Foi patenteado em 1970, como um indicador de posicionamento x e y para monitores, esse posicionamento era gerado através da leitura do movimento da “rodinhas” presentes.

O mouse não evoluiu muito, em seu princípio básico, desde então, sofreu alguns aperfeiçoamentos, mas nada que realmente transformasse seu uso.

Ficou mais ergonômico, ganhou mais precisão nos mouses óticos e algumas funcionalidades extras em modelos mais extravagantes.

É difícil imaginar o uso dos computadores atuais sem um mouse, um periférico simples, que chega a custar R$ 5,00, pode ser um fator de problemas, se estiver ausente ou com problemas.

Via: G1

emHardware

Você sabe que está ficando velho quando…

Por em 20 de março de 2007

… lê um termo técnico ou, pior, uma unidade de medida e não tem a menor idéia do que seja aquilo. Aconteceu comigo: no meio de um artigo estava escrito: KiB. Da primeira vez, imaginei que fosse um erro de impressão ou grafia. Mas como aparecia várias vezes, descartei essa hipótese.

Vasculhando pela net, não foi difícil achar a resposta: KiB é Kibibyte. Parece estranho, mas está tudo devidamente formalizado pelo IEC. Basicamente, 1 KiB = 1024 bytes. Antigamente, 1 kB = 1024 bytes. Mas 1 kV, por exemplo, era ( e continua sendo ) 1000 V. Confuso?

Acontece que o prefixo “k” equivale a 10^3. Como os computadores usam a base 2, subentendia-se que, falando de bytes, “k” equivalia a 2^10 ( 1024 ). Infelizmente, metade da população mundial tem inteligência abaixo da média e muita gente usava “k” igual a 1000 para tudo.

Isso gerava uma certa insatisfação entre engenheiros, técnicos e analistas. Afinal, com o volume de informações crescendo exponencialmente, o erro devido à diferença entre as duas “interpretações” também cresce. E muito. Compare: de 2^10 ( 1 quilobyte, digo, Kibibyte ) para 10^3 ( 1 quilobyte ), a diferença é de apenas 24 bytes. Mas, de 2^30 ( 1 terabyte, digo, Tibibyte ) para 10^9 ( 1 terabyte ), o erro é de 73.741.824 bytes. Muita coisa.

Os leitores que me perdoem, mas vai ser difícil me acostumar a Kibi, Mibi e Gibibytes…


emIndústria Miscelâneas