Digital Drops Blog de Brinquedo

Apple resolve problema de autonomia no iPhone

Por em 18 de junho de 2007

meiobit-iphonebateria.jpg

Assim que as primeiras especificações do iPhone foram divulgadas, choveram críticas, a autonomia era pífia. Algo em torno de 2, 3 horas de conversação. Sabendo que assim o iPhone seria um telefone maravilhoso por 1h e um tijolo inútil o resto das 23 do dia, a Apple correu atrás.

Agora divulgaram novos valores. Impressionantes, diga-se de passagem. São o equivalente a oito horas de conversação, ou 6 horas de Internet, 24 horas de reprodução de áudio ou 7 horas de reprodução de vídeo. Quisera eu que meu iPod tocasse vídeo 7 horas seguidas. Ah, 250 horas de stand by.

Se você acha esses números exagerados, dê um passo à frente, você está na borda do Campo de Distorção de Realidade do Steve Jobs, que aliás deve ter anotado esses números como ideais e dito para os engenheiros: “se virem”.

Caso esses valores se mostrem verdadeiros, o iPhone começa a se mostrar atraente SÓ pelo quesito autonomia. No Início Dos Tempos os celulares eram patéticos. meu Nokia 232 tinha pouco mais de 4 horas de stand by, eu andava com três baterias na mochila. Depois veio a época das grandes autonomias, já tive celulares que praticamente violavam as Leis da Termodinâmica, só precisando de carga, sei lá, uma vez por ano. Com os smartphones, voltamos aos tempos ruins. Nada mais de viajar no final de semana sem levar carregador.

Será que El Jobso trará de volta os bons tempos?

Fontes: Engadget e Apple

emApple e Mac

Marketing de Rede (sem-fio)

Por em 18 de junho de 2007

meiobit-bluetooth.jpg

A Tellvox está com uma campanha muito interessante, disponibilizando em diversos pontos de venda, como os cafés Suplicy e o Fran’s Café terminais Bluetooth, divulgando uma campanha do novo Fiat Palio. O cliente passa perto do cartaz, onde é convidado a habilitar o Bluetooth em seu celular. Feito isso ele recebe um conteúdo promocional, multimídia. É a primeira campanha usando essa tecnologia no Brasil.

Isso vem sendo prometido desde antes da homologação do Bluetooth, mas é uma estratégia com data certa para acabar. Hoje isso “vende” por ser legal, ser novidade. É o Marketing de Curiosidade. Quando deixar de ser raro e curioso, vai se tornar um incômodo. Simmm, amigos marketeiros. Embora um leitor tenha comentado, no blog do Michel Lent que é legal pois não é SPAM, o leitor aceita se quiser, lembro que esse É o argumento de todo spammer. Você só abre o email se quiser.

No momento em que se tornar hábito andar com o Bluetooth habilitado o tempo todo, receber mensagens toda hora que você passa por uma loja pode não ser tão legal assim. Sem contar a parte da segurança. O Mundo Nokia já tem seus vírus soltos por aí.

Qual a saída quando a novidade acabar? Simples, incentivos. Como o pessoa do DeGustibus costuma lembrar, incentivos funcionem. “Assista nosso mini-comercial e ganhe 5 torpedos para seu celular”. Aí sim estamos conversando.

Mesmo assim a idéia como existe já é muito boa, vai render bastante dinheiro para os envolvidos, e muito assunto em mesa de bar para o público. Só discordo do Leonardo Xavier, do Mobilizado, ao dizer que esse tipo de ação respeita mais a privacidade do consumidor do que a ação tradicional, com promotoras distribuindo panfletos. Essas promotoras invariavelmente são gatinhas, escolhidas a dedo, cheirosas e formosas, eu quero mais é que NÃO respeitem minha privacidade ;)

Fontes: ViuIsso? e Mobilizado Blog

emPropaganda & Marketing Web 2.0 Wireless e Redes

Jogue Mario no PS2

Por em 18 de junho de 2007

Calma, calma. Esse texto não fala sobre pirataria e muito menos sobre uma notícia bombástica relacionada a compra da Nintendo pela Sony. O que você verá no video no final do post se trata de cenas do jogo Graffiti Kingdom, onde o jogador tem a possibilidade de criar seu próprio personagem. O game fabricado pela japonesa Taito é um RPG de ação e acabou chamando a atenção devido a essa característica.

Com um pouco de criatividade e muita paciência, o jogador pode jogar com o Mario ou com quem desejar. Só é uma pena o resto do jogo não estar a altura desta inovação.

[via Siliconera]

emGames

Blockbuster escolhe o Blu-Ray

Por em 18 de junho de 2007

A Blockbuster americana escolheu o Blu-Ray para fazer parte do seu catálogo
nas lojas físicas da rede. Isso é um grande golpe no consórcio do HD-DVD que
briga com o Blu-Ray pela supremacia do último formato de mídias físicas da
história. A loja virtual continua a oferecer ambos os formatos para
locação, bem como algumas lojas que já faziam o teste com ambos os formatos.

A tradicional videolocadora está em crise. Nos EUA a Blockbuster sucumbiu à
Netflix e aboliu os atrasos. A
teoria
da cauda longa
mostra que o espaço físico limitado de uma loja tradicional
não consegue concorrer com a grande variedade que uma loja virtual pode
oferecer. A Blockbuster tinha que escolher um formato apenas, não há espaço
físico para manter ambas as tecnologias.

A guerra está definida? Pouco provável. A cada mês uma das tecnologias
apresenta um trunfo. Não faz muito tempo que o
HD-DVD
foi declarado vencedor pois é o formato de escolha da indústria de filmes
adultos
, mas a bola da vez é o Blu-Ray. A grande verdade é que foi um
grande erro das fabricantes não terem entrado em um acordo por uma única
tecnologia. Só estamos aguardando para descobrir quem é o
Betamax
2
.

[via
Engadget]

emIndústria

Gamers e Avatares femininos: Isso é esquisito?

Por em 17 de junho de 2007

meiobit-avatares.jpg

Não é o Fugita. É o Choi Seang Rak, um Coreano. Seu avatar se chama Uroo Ahs, é uma Anã-Ferreira, no Lineage II. E o fato do Fugita Choi Seang usar um avatar feminino quer dizer muito pouco sobre ele. Mesmo assim é um mistério como os “especialistas” e “psicólogos” não apareceram em hordas, ainda, denunciando essa perigosa tendência que está desvirtuando a orientação sexual da juventude.

Na verdade escolher um avatar pode ser muito simples ou muito complicado. Já vi skins completos para o Medal of Honor, recriando um pracinha da FEB. Trabalho cuidadoso e de qualidade. Exceto em jogos de extrema interação social, como um Second Life da vida, o gênero do avatar não é lá tão importante. Muitos jogadores escolhem seu personagem mais por seus poderes e características do que por gênero.

Mesmo assim, se você acha que seu filho está correndo o risco de escorregar no quiabo por causa de um videogame, preocupe-se mais com o quê ele joga do que como joga. Se seu garoto gosta de Tomb Raider, estar “jogando com uma garota” não é exatamente um problema. Já se ele pediu uma cópia de Hello Kitty Island Adventure de aniversário, é hora de tirar o Júnior da aula de Biodança e colocar no Judô.

Para outras imagens de gamers e seus avatares, visite este slideshow do New York Times.

emGames

YouTube para dispositivos móveis

Por em 16 de junho de 2007

meiobit-youtubemovel.jpg

O YouTube pode ser unanimidade no mundo dos PCs, mas estava longe de ter uma presença no mundo dos PDAs e smartphones, pois embora esses dispositivos tenham algum suporte a Flash, o mesmo é -sejamos sinceros- capenga. Mas mesmo que o suporte fosse completo, os vídeos em Flash como os do YouTube são aplicações que consomem MUITA CPU, fora da capacidade de um reles telefone.

Para não perder esse mercado, entretando, o YouTube se adaptou. Criou uma versão bem leve de seu site, acessível através da URL http://m.youtube.com e nela disponibilizou seus vídeos. Em formato reduzido e codificados em formato H.264. A aplicação ainda consome muita banda, em se tratando de celulares, onde geralmente pagamos por byte baixado, mas esquecendo o lado financeiro, o YouTube Mobile funciona muito bem. Exceto quando não funciona.

Explico: Em dispositivos móveis não temos uma integração entre componentes e plugins como no PC. Ao selecionar o link de um vídeo no celular, o mesmo não é executado dentro do navegador, mas repassado para a aplicação responsável por executar aquele tipo de arquivo. Como uma instância do MediaPlayer aparecendo quando um vídeo streaming é selecionado.

Isso significa que uma outra aplicação será iniciada, esta terá que verificar condições de rede, algumas vezes solicitar uma conexão (que já está estabelecida) e (muito frequentemente) perderá sincronismo com o navegador.

No caso do N80, é aberto o RealPlayer, que nos sistemas Symbian funciona muito bem, obrigado. Nada daquele bloatware/spyware/chatoware da versão do PC.

Ou melhor: Funciona depois de uma ligeira gambiarra. O link é repassado pelo navegador, mas não abre em 75% das vezes. “Invalid URL”. Na 4a tentativa, tudo abre.

O teste foi feito em um Nokia N80 acessando via WIFI, e folgo em dizer que quando funciona essa versão mobile do YouTube é excelente. Não há qualquer atraso, buffering (e isso no RealPlayer, o programa que inventou o buffering) nem aquelas paradas típicas do YouTube “de verdade”.

Se você tem acesso a uma rede WIFI e um PDA/Smartphone, vai se divertir muito com essa versão do YouTube. Do contrário, recomendo um plano de dados ilimitado, antes de começar a brincar.

Quanto aos vídeos, ainda estão convertendo o acervo, a versão mobile é muito limitada, sequer tem vídeos da Luciana Vendramini, e isso é inadmissível.

emCelular Computação móvel

Yahoo! Fotos vai fechar em 3 meses

Por em 16 de junho de 2007

O Yahoo! andou comprando muitos serviços web nos últimos tempos. Tanto que
produtos similares estão em sua propriedade como o Flickr e o Yahoo! Fotos.
Para finalizar a transição total para o
Flickr – muito melhor, diga-se
de passagem e
agora
em português
– o
Yahoo! Fotos
encerrará suas operações em 20 de Setembro de 2007. Até lá os usuários poderão
optar por transferir-se para o Flickr ou para serviços concorrentes como o
Photobucket.

No final de 2006 um memorando interno do Yahoo,
chamado
de “Peanut Butter”
, vazou na web. Dizia que o Y! estava perdendo o foco ao
comprar mais e mais serviços, ao invés de melhorar os já existentes e também
demonstrava preocupação quanto a sobreposição de sites como o Yahoo Fotos e
Flickr. Essa transição para o Flickr é resultado daquela visão.

Em outras notícias o My Web, serviço de página inicial do Yahoo!,
agora
permite colocar um widget do Gmail e outros emails POP
. Sinal de abertura
da plataforma e de que o Gmail faz sucesso entre os usuários do Yahoo!.

[via
Mashable]

emInternet