Digital Drops Blog de Brinquedo

Pra quem achava que a Microsoft ia de Mao a pior…

Por em 10 de abril de 2007

 

Dependendo das notícias filtradas que chegam até nossos olhos, a situação da Microsoft na China pode ser periclitante, com o tal alardeado lançamento do Red-Red Linux, o Linux chinês. O tal processador totalmente desenvolvido no país seria a sentença de morte da Intel, e por aí vai. Felizmente para os acionistas, é preciso mais que press releases para se ganhar mercado.

E o que a China mais quer é ganhar mercado. Tanto que atendendo a uma demanda do Ocidente, está pegando pesado contra a pirataria. Ano passado mais de 90% dos computadores da Lenovo acabavam rodando Windows pirata, a projeção para 2007 é que o número não passe de 30%.

Isso vai significar um aumento de vendas da Microsoft na China de 20%.

O Mercado Chinês vendeu ano passado 20 milhões de PCs, e atrái além da Microsoft firmas como HP e Dell. Esperemos que não atraiam demais, ou então corremos o risco de ficar pra trás. (por “nós” entendam o Ocidente, a América Latina e nada é a mesma coisa pra esses Mercados) Já basta o Japão lançar equipamentos maravilhosos somente para o Mercado Interno.

Fonte: ZDNet

emIndústria

Nota de Falecimento: Dell Axim 2002-2007

Por em 10 de abril de 2007

Com profundo pesar comunicamos o falecimento do Dell Axim, talvez a melhor linha de PDAs já lançada por uma grande empresa. Mesmo lançado em 2005, o X51V, com sua tela VGA, Bluetooth, Wi-Fi e chip de aceleração 3D ainda reinava seguro, mas o próprio reino acabou.

A Dell avisou que não mais venderá o AXIM, ou tem planos de investir neles no futuro.

Os PDAs são os Neandertais, os Smartphones são os homo sapiens. Conviveram por algum tempo mas as vantagens dos últimos são inegáveis. Com o barateamento dos notebooks (é possível comprar um decente por menos de US$ 500,00 na civilização, e nem estou falando do OLPC do Negroponte) fica fora da realidade dar quase isso por um PDA, que por mais que resolva muitos problemas, continua sendo “apertado” para uso real. Talvez eles tenham morrido justamente porque cresceram demais. Ao se afastarem da função original, e partindo para competir com os notebooks, compraram uma briga maior do que eram capazes de vencer.

Isso explica a sobrevivência das agendinhas da linha Palm, ainda razoavelmente vendidas, principalmente no Brasil. Quem precisa de um gerenciador de contatos e compromissos simples, sem firulas, é bem-servido com um Z22, ou T3 ou mesmo um Palm Vx.

Mas mesmo a Palm já percebeu que o presente são os Smartphones. Mesmo os fanáticos por PDAs como eu já perceberam que é um caminho sem volta. Hoje em dia o meu obsoleto Nokia 6600 é muito mais requisitado do que o Dell X51V, embora este seja “muito mais máquina”. O destino dele será a gaveta, onde ocupará uma cripta, ao lado do Palm Professional. Não deixa de ser poético, ter meu primeiro e meu último PDA, lado-a-lado. É quase como um armário com jarras contendo cabeças de ex-namoradas, mas eu jamais faria isso. Clarice…

Fonte: ZDNet.

emComputação móvel Mercado

Vamos usar o fórum?

Por em 10 de abril de 2007

Pessoal, diariamente sou obrigado a eliminar conteúdo que vocês enviam para ser publicado no Meio Bit. Algumas vezes, por erros grotescos de concordância, outras por que o assunto não se adequa à nossa “linha editorial”.

No entanto, em 60% dos casos, o material daria uma ótima discussão no nosso fórum. Por que não utilizá-lo, então?

Fica a sugestão: se não for um artigo mais elaborado, nós adoraríamos lê-lo, mas no fórum.

emDestaque

Out of this World

Por em 10 de abril de 2007

Existem alguns jogos que ficam na memória das pessoas. Normalmente esses games são conhecidos como clássicos e jogos assim continuam sendo ótimos mesmo com o passar do tempo. Com certeza Out of this World é um desses casos. Saiba como ficou a versão para GBA lendo a análise.

 

Conheça um outro mundo

Em 1991 o designer de jogos Eric Chahi desenvolveu um jogo para o computador Amiga 500. Nascia ali um dos maiores clássicos da indústria. Out of this World, também conhecido na Europa como Another World contava a história de Lester Knight Chaykin, um jovem físico que ao realizar uma experiência com um acelerador de partículas acaba sendo teletransportado para um planeta alienígena. A partir daí você assume o controle do cientista e terá que descobrir uma maneira de voltar para casa. Com o desenrolar do game, Lester conhecerá um alienígena que o ajudará a fugir do planeta. E essa “amizade” é interessante pois um não fala a lingua do outro e apesar das limitações técnicas, Eric Chahi conseguiu demonstrar muito bem as expressões dos personagens através de várias Cut Scenes. Outro fato interessante sobre a história é que você passará todo o jogo sem ver uma linha de texto, com exceção da abertura do jogo e mesmo assim entenderá toda a história. Isso possibilita que mesmo as pessoas que não entendem inglês consigam aproveitar plenamente o jogo.

Um botão para ações, outro para correr

A jogabilidade do game é um tanto controversa. Enquanto ela é simples por ela utilizar apenas dois botões, se torna uma verdadeira inimiga por não possuir uma resposta rápida. Principalmente em partes onde você terá que agir rápido, como dar pulos enquanto corre. Mas no geral não chega a incomodar muito, ao contrário dos desafios do jogo. Essa é outra área polêmica. Os puzzles do game são geniais, fazendo com que você pense muito e interaga durante todo o game com os cenários. Porém, muitos deles são muito difícies de serem realizados, o que fará com que muito desistam logo no início. Mas se você gosta de desafios altos e tem paciência, o game o recompensará com algumas passagens memoráveis.

Mais de 15 anos depois…

O trabalho realizado por Chahi na parte visual deve ser muito elogiado. Mesmo já tendo se passado mais de 15 anos, o game ainda surpreende graficamente, principalmente por sua direção artística. Apesar de sua jogabilidade 2D, os cenários do game são feitos em uma espécie de 3D e a movimentação dos personagens são impressionantes. Simulando quase que com perfeição os movimentos de um ser humano, o protagonista nos passa muito carisma e faz com que nos sintamos em seu lugar durante toda a aventura. A versão para GBA é graficamente idêntica a versão para pcs, portanto você terá um port muito bom para seu portátil.

E ainda por cima gratuito

A versão de Out of this World para GBA possui uma curiosidade. Oficialmente ela nunca foi lançada e no ano de 2004, Cyril Cogordan através de engenharia reversa lançou uma versão do game para o portátil da Nintendo. A princípio, Chahi foi contra o lançamento da versão, mas em 2005 resolveu liberar a distribuição do game. Portanto, para jogar o game você precisará de um Flash Card ou um emulador de Game Boy Advance.

Silêncio bem vindo

Como era costume nos jogos, Out of this World quase não possui sons. Isso acontece provavelmente devido a baixa qualidade das caixas de som dos computadores da época. Mas o que poderia ser um defeito, acaba se mostrando mais uma sacada. O silêncio presente em quase todo o jogo acaba criando um clima de suspense e as músicas e sons aparecem apenas quando necessário. E mesmo com essa deficiência da época, o trabalho realizado por Jean-François Freitas, responsável pelas músicas acaba deixando uma ótima impressão.

Veredicto

Out of this World é com certeza um dos maiores jogos da história e ajudou a criar um estilo que inspirou vários outros games como Flashback, Fade to Black, Heart of Darkness e Heart of the Alien. Recentemente o também designer de jogos Fumito Ueda, responsável pela criação de ICO e Shadow of the Colossus disse que se inspirou em Out of this World para criar a aventura do menino chifrudo. Portanto se você quer relembrar o épico do cientista Lester ou ainda não jogou esta maravilha e possui um flash card para GBA, não perca tempo e pegue logo este game.

Prós:

- A amizade entre Lester e o alienígina realmente comove;

- Ideal para quem gosta de desafios altos;

 – Relembrar os velhos tempos de Snes e Mega Drive;

- Poder salvar o game a qualquer momento.

Contras:

- Tempo de resposta dos controles às vezes atrapalha;

- Várias vezes você sentirá vontade de destruir o GBA;

- Muito curto.

  

- Conheça o site do jogo!

emGames

Novidades no Xbox 360

Por em 10 de abril de 2007

Enquanto todos ficam discutindo os motivos do sucesso do Wii e das vendas fracas do PS3, o console da Microsoft corre por fora e prepara um update do seu software. Com mais tempo de estrada que os concorrentes o Xbox possui uma base sólida de usuários demandando novidades.

A nova característica do XBox é o suporte ao mensageiro instantâneo Windows Live Messenger ou MSN para os mais chegados. Estará disponível a partir de 7 de Maio e permitirá chats durante os jogos. Um controle-teclado (foto) deve chegar às lojas nesta data.

Outra novidade é a inclusão de suporte aos padrões de vídeo Xvid e h.264. Com isso o Xbox 360 fica cada vez mais completo dentro do conceito de ser a central de diversão da família.

[via Slashdot e Xbox ]

emGames

Alguém viu um Wii por aí ?

Por em 10 de abril de 2007

O novo console da Nintendo, o Wii, foi lançado no dia 8 de dezembro de 2006. Com seu preço atraente (US$250) e jogabilidade radicalmente diferente do convencional, foi um sucesso de vendas. Aliás, continua sendo. Mais de 4 meses depois de lançado, é impossível encontrar um console disponível no varejo, e o único jeito continua sendo comprar no eBay ou outros sites similares, mas claro que pagando um preço consideravelmente maior. As poucas ofertas online que encontro são de “kits”, que contem o console e mais N jogos que eu não quero. Eu estou ainda procurando um Wii para acalmar meu filho de 1 ano :-), e não estou disposto a pagar quase US$150 de ágio.

Íncrivel como o tal Wii faz sucesso, e ainda não estamos vendo jogos que realmente desfrutem do que o console pode oferecer. Isto geralmente demora um tempo, mas acho que vale a pena esperar; o exemplo atual é o PS2, com jogos excepcionais para uma plataforma considerada obsoleta.

emGames Indústria

Sandisk e Yahoo: Wi-fi no mp3 com alguma utilidade

Por em 9 de abril de 2007

Quando a Microsoft resolveu lançar seu concorrente ao iPod, causou rebuliço pois o Zune vinha com wi-fi. Só que o wi-fi do Zune não tinha utilidade alguma pois só servia para transferir músicas com DRM de um Zune para outro. Outro problema era achar outro Zune por perto – será que alguém já encontrou?

Agora a Sandisk lançou o Sansa Connect (foto deste post via Engadget), com wi-fi e uma utilidade maior para essa tecnologia: compra de músicas on-line do Yahoo Music Unlimited e streaming de audio do LAUNCHcast. O fato de existir wi-fi para streaming de música transforma a pouca capacidade de armazenamento (4GB + miniSD) em um problema menor. O preço do gadget é 250 dólares e a assinatura do Yahoo Music custa a partir de 6 dólares mensais.

Vamos esperar agora a reação da concorrência. A Apple do alto dos seus 100 milhões de iPods vendidos poderia criar uma integração parecida com sua loja iTunes. E a Microsoft poderia fazer o mesmo pra ver se o Zune finalmente deslancha.

[via Engadget e ArsTechnica]

emAnúncios