Digital Drops Blog de Brinquedo

Eterno Insatisfeito agora quer que o RadioHead distribua músicas em Ogg Vorbis

Por em 14 de outubro de 2007

stallman.jpgOgg Vorbis é um excelente CODEC que ninguém usa, está para o MP3 como o Esperanto está para as línguas de verdade. Talvez por isso, tenha atraído a atenção de outra criatura esquisita, nosso eterno amigo Richard Stallman, santo padroeiro do software livre.

Enquanto o mundo inteiro está batendo palmas para o RadioHead por ter abandonado a gravadora e praticado venda direta, enquanto todo mundo se surpreendeu positivamento ao ver que as músicas estão em MP3 de alta qualidade E sem nenhum tipo de DRM, o Eterno Insatisfeito declarou em seu site/blog/santuário:


Radiohead, uma banda proeminente, disponibilizou um album na Internet, convidando as pessoas a pagarem o que acham que vale.

Eu ficaria feliz em pagar para baixar músicas que gosto, ou pagar aos músicos apenas para apoiá-los, depois de ter obtido uma cópia por outro meio, mas eu só faria isso se fosse anonimamente. Em geral eu me recuso a comprar qualquer coisa com um cartão de crédito, simplesmente para evitar alimentar o Big Brother.

Se você é fã do Radiohead, por favor tente contactá-los e peça para que disponibilizem as mesmas músicas no formato Ogg Vorbis.

Céus, que cara CHATO.

Querido Stallman: iPods não tocam Ogg Vorbis. Menos 71% do mercado. Zunes não tocam Ogg. Menos 3% do mercado. A maioria dos SANSA não tocam Ogg. Menos uns 5% do mercado. Creatives não tocam Ogg. Preciso continuar?

Linux toca MP3, Mac toca MP3, Windows toca MP3, até Symbian toca MP3.

Será que dá para ser positivo ao menos UMA VEZ NA VIDA? Custava um único elogio ao RadioHead pela iniciativa?

Fonte: Digg

emFotografia Internet Open-Source

Expulsando visitantes indesejáveis

Por em 14 de outubro de 2007

Tim Higgins tinha um problema. Por morar nos EUA, onde não são comuns casas com muros, e terem aberto uma piscina comunitária na vizinhança, seu gramado virou passagem para a criançada da região, que não quer se dar ao trabalho de usar a calçada.

Como se livrar desse problema sem comprar um Velociraptor?

Sorte que Tim é um geek, então se saiu com uma alternativa tecnologicamente interessante.

Montou uma câmera infravermelha, um computador, um esguicho de água, um servo, uma placa controladora, escreveu um software de controle, utilizando uma biblioteca Open Source excelente, a Aforge, associando portanto, mesmo que indiretamente, Richard Stallman e água. Quem diria.

Entre os requisitos do sistema está a detecção de alvos de dia e de noite, controle manual, capacidade de gravação de vídeos, 10 metros de alcance e habilidade de simular “regar o jardim” caso algum vizinho reclame da armadilha.

O protótipo ficou assim:

meiobit-aguastallman2.jpg

Claro, o ideal seria utilizar um sistema PHALANX como o abaixo, que foi claramente a inspiração.

meiobit-r2d2.jpg

Infelizmente alguma legislação paternalista criada por algum político frutinha impede que você tenha uma dessas no seu quintal, então o pobre Tim teve que se virar com sua invenção. Vejam no vídeo abaixo como os visitantes indesejados são surpreendidos pelo igualmente indesejado jato de água, provavelmente fria.


Para detalhes sobre a construção, visite o site oficial do projeto.

Fonte: BoingBoing

emHardware

Positivo Futura: vale a pena?

Por em 14 de outubro de 2007

A Positivo fabrica um micro chamado Futura B17. Por R$ 900,00, você leva para casa um Celeron 1.20GHz, 256MB de RAM, 40GB de HD e o Windows XP Starter Edition, além de um monitor CRT de 15”.

Mau negócio? Talvez não… comprei um desses e posso afirmar que há um bom público para ele. Acompanhem a dissecação e tirem suas próprias conclusões.

DSC03387

 

Pois bem, a primeira coisa que chama atenção no "Futura B17" é o tamanho: o gabinete estilo "desktop" tem apenas 39cm x 30cm x 17cm. É realmente pequeno e cabe em qualquer canto, especialmente se usado na vertical. O teclado é bonito e as teclas, macias. O mouse não é optico e é pequeno, quem não tem mãos pequenas vai reclamar. É meio desconfortável, mas tem boa resolução.

Acompanham o micro três CDs: um com o Windows XP Starter Edition, outro com o Nero e o último com os drivers da placa-mãe.

Na parte frontal, há um enorme botão liga-desliga, mas que não destoa do conjunto. O leitor de CD também é gravador e aqui bem poderia ter vindo um ;quot;combo" DVD R/W. Na direita, há duas portas USB 2.0 e as entradas para microfone e fones-de-ouvido. Curiosamente, não há um led indicando o funcionamento do HD.

DSC03383

Na traseira, há mais duas portas USB, uma porta Ethernet 10/100, uma saída para impressora, outra para linha telefônica ( o modem é do tipo WinModem V92 ). Há ainda três conectores de áudio ( microfone, alto-falantes e entrada auxiliar ), uma saída VGA e entradas PS-2 para teclado e mouse. Neste ponto, senti falta de teclado e mouse USB, mas levando em consideração o preço ( e as entradas USB traseiras ), está de bom tamanho.

A ventoinha realmente me impressionou: é muito silenciosa e mantém o conjunto numa temperatura bastante aceitável. Infelizmente a distribuição de calor dentro do gabinete não é das melhores ( e nem poderia, dado o tamanho ), como veremos mais adiante.

A fonte de alimentação é externa e o conector está mal-colocado, ficando muito próximo da entrada para teclado. Se o ele fosse paralelo ao cabo ( e não perpendicular ), não haveria problema.

 

As Entranhas

 

Curioso para ver o que há dentro de tão pequeno mimo? Eu também… foi irresistível abrir, antes mesmo de ligar.

DSC03371

Reparem no cabo multi-vias amarelo. É um cabo IDE, onde o conector central vai ligado à placa-mãe, o esquerdo ao drive de CD e o direito ao HD. Muito bem bolado, assim como os cabos de alimentação: curtos e com bons conectores na ponta. Na parte superior, à esquerda, pode-se ver o cabo da impressora, também no comprimento exato.

A mecânica do gabinete foi muito bem resolvida e não há "pontos vivos".

Na placa-mãe, no canto inferior esquerdo, pode-se ver que um conector não foi montado. É o do drive de disquete. Quem tiver habilidade com o ferro de solda e quiser ( por algum obscuro motivo ) adicioná-lo, certamente conseguirá. É claro que será preciso outro gabinete.

Na direita, em cima, está o dissipador de calor do processador ( logo do lado do chipset SIS ) e é justamente aí que está o maior problema. Apesar do Celeron ter se comportado bem e permanecido numa temperatura razoável ( 57 graus Celcius ), adivinhe o que fica exatamente acima dele? Ganhou um Toblerone quem disse "o HD".

Num gabinete tão apertado é difícil achar uma solução para esse problema, mas fiquei preocupado com a vida útil do Maxtor STM3402111A.

Mais algumas fotos:

DSC03373

DSC03377

DSC03378

DSC03374

Chama a atenção a bateria da CMOS ficar na vertical e o silk "OT360".

Vasculhando um pouco por aí, não foi difícil descobrir que a placa-mãe e o gabinete são fabricados pela Lite-On. Na verdade, é um "pacote fechado", vendido em OEM, onde o fabricante local revende com seu próprio nome. Prática comum, utilizada pela Apple, por exemplo.

Repararam na falta de slots PCI? E de conectores de memória? Pois é, nada de expansão. Nada. Se houvesse ao menos um conector para memória e um slot Express Card, seria um hardware "matador". E isso não me parece impossível, fisicamente falando, mas talvez fique fora do "target" de preço.

 

Ligando…

 

Na verdade, tomei um susto ao ligar: apareceu a tela do Grub! Estava instalado o Kurumin 7!

Não entendi nada… o micro era anunciado com o XP Starter, havia inclusive um adesivo no gabinete… e o Kurumin estava instalado? Como seria possível? Bem… já havia alguns dias que o Futura estava na empresa e, certamente, eu não era o primeiro a usá-lo. Dito e feito: já haviam apagado o XP Starter e colocado o Kurumin.

Para fazer uma análise mais crítica, enfiei o CD de instalação do XP e voltei a máquina ao estado original.

Para quem não está acostumado, o Starter Edition é um martírio: ele só permite três programas abertos e três janelas de cada programa. Ou seja: a toda hora aparece um aviso de que você precisa fechar alguma coisa se quiser abrir outra janela… realmente incomoda. Sem contar o logo "Windows XP Starter Edition" no canto inferior direito da tela… como nas transmissões de TV.

O usuário mais avançado também sofre com outros pequenos detalhes, mas que irritam muito: não se pode clicar com o botão direito sobre o botão "Iniciar", por exemplo. Digo… até é possível, mas nada acontece. Outro aborrecimento: não é possível abrir o "Task Manager", nem pela linha de comando! Acessar a rede interna da empresa também foi impossível…

Mas o que mais me preocupava era a escassez de RAM. Como ficaria o sistema com meros 256MB de RAM? Claramente, um pente adicional seria muito bem-vindo mas com alguma paciência, tudo roda a contento. Para navegar na internet, redigir textos e controlar pequenas planilhas, é mais que suficiente, mas não tente jogar "Command & Conquer: Generals" nele.

O problema do acesso à rede da empresa inviabilizou o uso que tinha em mente: máquinas para secretárias e departamento pessoal. Talvez haja alguma configuração no Starter Edition, mas me desanimei.

Começei um pequeno teste de performance e o HDTach acusou o seguinte:

hdatch2

Comparando com os micros "desktop" da Mirax, nota-se que o desempenho do HD foi muito baixo para leituras tipo "burst", possivelmente devido ao tempo de posicionamento das cabeças: 18ms. Mas, para leituras sequenciais, foi aceitável. No entanto, não espere uma velocidade impressionante.

Quando estava iniciando o teste com o Sisoft Sandra, me dei conta de que o comprador deste tipo de micro não está interessado em um desempenho fantástico. Ele quer apenas o básico: o uso doméstico de internet e Office. Para isso ( e apenas para isso ), é bem possível que fique satisfeito.

Como o limite das janelas do XP Starter estava realmente irritante, reinstalei o Kurumin e, para minha surpresa, o micro parecia outro: inicializando rapidamente, respondendo muito bem e abrindo vários aplicativos de forma bem rápida. Se a Positivo entrasse em contato com o Morimoto ou com o pessoal da Linspire e deixasse o XP Starter como opcional, talvez tivesse mais clientes.

 

Considerações Finais

 

O objetivo principal da compra, que era ter um micro barato e enxuto para ser usado nos departamentos da empresa foi por água abaixo com o XP Starter Edition. Mas como ele funcionou muito bem com o Linux, ainda há esperança. Definitivamente, a Positivo deveria considerar a possibilidade de oferecer uma distribuição Linux pré-instalada.

O monitor também deixou a desejar: apesar das 15”, os tubos já deveriam estar extintos. Um LCD de 14” seria mais vantajoso.

O mouse, mesmo não sendo óptico, poderia ser maior. E a falta da expansão de memória é um ponto extremamente negativo.

Agora, como tudo tem seu lado bom, o tamanho e o desenho me agradaram muito. O nível de ruído também é um ponto de destaque, sendo quase imperceptível no dia-a-dia. Daria para usar o micro no quarto tranquilamente.

Entre mortos e feridos, eu diria que salvaram-se todos. O Futura B17 tem sim sua posição no mercado: pode ser o primeiro micro para crianças, micro para usuários domésticos e, se o departamento de TI tiver duas horas para gastar, também pode ser aproveitado nas empresas, desde que haja um Linux customizado.

emArtigo Destaque Hardware

Google, onde está o GDrive? A Microsoft saiu na frente…

Por em 14 de outubro de 2007

A Microsoft anunciou a duplicação do espaço para armazenamento de arquivos de todos os usuários do Windows Live SkyDrive (somente disponível para EUA, Reino Unido e Índia). Agora o serviço oferece 1GB gratuitamente. Ao mesmo tempo, a Google informa que o GMail deve alcançar os 4GB até o final do mês e as estimativas apontam para 6GB em 04/01/2008. Esses números mostram que a Google tem capacidade operacional de liberar o acesso público ao GDrive (codinome Platypus) que já está (quase) pronto!

Se o GDrive já está pronto, por que a Google não libera logo o acesso e acaba com os rumores? Porque a ampliação do uso do GMail é prioritária. O GMail já possui um modelo de negócio bem definido, baseado na publicidade contextual. Além disso, possui planos pagos para ampliação do espaço até 400GB, ou seja, dá dinheiro!

É provável que essa demora para operacionalizar alguns projetos incomode algumas mentes inquietas dentro da própria Google. Justin Rosenstein, membro da equipe responsável pelo GDrive, trocou o conforto do Googleplex por um cubículo na Facebook. E está muito feliz, tanto que chegou a dizer que a Facebook é a Google de ontem. Será que o Facebook vai entrar no ramo do discos virtuais?

[Via TechCrunch, ZDNet]

emGoogle Indústria Internet Web 2.0

Tropa de Elite não sobe só favela

Por em 13 de outubro de 2007

bope.jpgNuma notícia passada aqui mesmo no Meio Bit o Marcellus fechou perguntando “Será que por aqui o ECAD não vai fazer nada? Nem a MPLC Brasil? Nem o Renan? Vão deixar ‘Tropa de Elite’ correndo solto por aí?”. Minha resposta no momento foi a de que “O vazamento de Tropa de Elite foi o maior marketing que o filme poderia receber (…)”.

Tropa de Elite é um sucesso de audiência, isso é fato. No dia do lançamento o filme já tinha sido assistido por mais de 5 milhões de pessoas, 1 milhão a mais que todos os espectadores de “A Grande Família – o Filme” em todo o tempo em que a comédia permaneceu nas salas de exibição (fonte: IMDb).

Já roda na Internet os novíssimos “Capitão Nascimento Facts”, alguns dos quais deixam o velho Chuck no chinelo (“Capitão Nascimento não sai de lugar nenhum devendo a ninguém, sempre põe na conta do Papa.”).

Assisti o filme hoje nos cinemas. Impressionante a qualidade da produção. Após chegar em casa, fiz o que sempre faço quando um filme me marca: consultei o Internet Movie Database e a Wikipedia para saber mais detalhes da produção.

Só que também fiz outra consulta que trouxe resultados bem interessantes: “BOPE” no Google Trends. Pelo que se observa lá, o BOPE está subindo no Google tão rápido quanto sobe a favela. Nunca se quis saber tanto sobre a tropa de elite do Rio de Janeiro.

Mas ainda encontrei outro resultado ainda mais interessante: o BOPE ultrapassou a SWAT em volume de buscas, sendo agora a mais pesquisada polícia do mundo.

Claro que pirataria é crime e tem que ser combatido (enquanto as leis não mudarem), mas não há como negar que o cinema nacional nunca esteve tão em voga no Brasil e no mundo inteiro hoje. E isso graças a pirataria.

De uma forma ou de outra, isso deve entrar como um tapa na cara da Indústria Cinematográfica. Okay, talvez na cara não, pra não estragar o velório.

emIndústria

iPod Touch: até um cachorro sabe usar

Por em 13 de outubro de 2007

Uma vez disseram aqui no fórum que o Windows Movie Maker (aquele programinha fuleiro caseiro de edição de vídeos) era tão fácil que “até a Fabiane sabe usar”, apesar de eu preferir o iMovie.

Já o iPod Touch é tão fácil que até um cachorro sabe usar.

É claro que usuários iluminados não vão querer algo usável (seja ele um iPod, ou software ou o que for). Afinal de contas, eles estarão sendo insultados pelos engenheiros que tornam nossas vidas mais fáceis, já que quem sabe operar essas coisas podem ser comparados a cachorros. Ou à Fabiane, e nesse caso não dá pra saber o que é pior.

Fonte: Fake Steve Jobs

emApple e Mac

Linspire 6.0

Por em 13 de outubro de 2007

A Linspire, cujo slogan é “o desktop Linux mais fácil do mundo” (afinal de contas, baseia seu sistema no Ubuntu), e que em junho deste ano fechou acordo com o demo, lançou a versão 6.0 de sua distribuição Linux.

Aparentemente, o acordo com a Microsoft está dando frutos. O Linspire 6.0 inclui drives de vídeo, suporte a WiFi, e outros como Real Media, Flash e Java, tudo out-of-the-box, além de Windows Media e Open XML (sim, aquele padrão que não foi aceito), que permite ao Open Office abrir documentos do Office 2007 com plena compatibilidade.

Com estes acordos, por mais que os Stallmans da vida sapateiem e rodem a baiana, as distros “influenciadas” por eles terão mais compatibilidade com a plataforma mais utilizada no mercado, e mais migrações podem acontecer. E não é só a Novell quem estará sorrindo de orelha a orelha com o lucro que vem obtendo, mas os consumidores também.

E veja bem, o Linspire custa pouco menos de 50 doletas e ainda vem com o CNR, que permite instalar uma vasta gama de aplicativos com apenas um clique.

Fonte: TG Daily

emAndroid e Linux Indústria Open-Source