Digital Drops Blog de Brinquedo

Guitar Hero III. Divirta-se mas compre minha música

Por em 22 de novembro de 2007 - 8 Comentários

Se você tem uma banda e está começando a divulgar seu trabalho, fique de olho no Guitar Hero III. Especialistas analisaram o fluxo de vendas das músicas que fazem parte da nova edição do game e concluiram: entrar para o setlist da brincadeira faz bem para seu negócio. The Stroke, Slipknot e outras bandas viram a venda de faixas de títulos seus aumentarem em faixas superiores a 120% nas semanas após o lançamento.

vendas_GHIII_22112007.jpg

Vale dizer que o aumento nas vendas refere-se à copias digitais e não nos álbuns físicos. É uma tendência tão forte que ouso dizer que estamos diante de uma plataforma…um market place para bandas divulgarem seus trabalhos. Muito diferente da época do lançamento da primeira versão, quando a Activision bateu na porta de vários selos para pedir permissão para incluir as faixas na game.

ghiii_22112007.jpgAgora, ela pode escolher e, até mesmo, capitalizar ao redor de seu set list. Um modelo de negócio interessante poderia ser transformar, por exemplo, o Guitar Hero numa plataforma aberta, para mercados regionais. Guitar Hero – Versão Axé Music…já pensou? Então nem pense.

Saindo um pouco da brincadeira e pensando novamente em tendências de mercado é interessante notar como estamos na era das plataformas. Quer serviço de celular? Aguarde o Android. Propaganda online: vá de Facebook. Divulgação de seu novo Álbum? Guitar Hero.

Até o presente momento não captei nenhuma manifestação das…como chamam mesmo? Ah, Gravadoras.

Fonte: Ars Technica

emFotografia Games Indústria

Firefox com Alzheimer?

Por em 22 de novembro de 2007 - 37 Comentários

Mea culpa. Eu jurava que era “coisa do Windows” e deixava pra lá, mas reparando no comportamento do Firefox 2.0.2 no OSX, percebi o MESMO problema:

Ele esquece os cookies.

Alguns sites, como o do Twitter nunca retém a autenticação, mesmo que eu marque a caixa que deveria habilitar o recurso. Outros como os sites WordPress funcionam tão perfeitamente que eu esqueço das minhas senhas.

Isso é bem irritante, já que há cookies de autenticação, eles deveriam funcionar, mas a impressão que dá é que a gravação dos cookies não é mantida quando se sai da página, funcionando apenas como sessão.

É um caso de BIOS, perseguição, praga do Stallman ou isso acontece com outras pessoas também?

PS: Culpar o Windows E o OSX já é forçar a amizade.

emInternet Software

Você já foi à Bahia? Stallman já.

Por em 22 de novembro de 2007 - 66 Comentários

O santo-padroeiro do Software Livre esteve na Bahia, fez duas palestras em Salvador, no Goethe Institut e no Hotel Fiesta. (isso tem nome de estabelecimento suspeito. Baianos do site, por favor esclareçam)

O Jornal A Tarde fez uma entrevista com o cidadão, e ficou bem legal. Apesar do título “Não é fácil entrevistar Richard Stallman” e de começar com:

A dificuldade de entrevista-lo não vem (apenas) do nervosismo de falar com alguém tão importante, mas do fato de ele interromper quase todas as perguntas para discordar do uso dessa ou daquela palavra, desse ou daquele conceito.

O texto ficou legal, com boas perguntas. Pela introdução imaginava algo digno de um fanboy, mas o repórter lembrou-se que na terra de ACM figuras messiânicas não são novidade, e partiu para um questionário pesquisado (coisa rara) feito para leitores leigos.

Infelizmente o jornal não é lá muito progressista, e o discurso de liberdade do Stallman está protegido pela área de assinantes. Esperemos que algum blogueiro “liberte” o texto e publique-o na íntegra. Como gostinho, uma das perguntas:

AT – No Brasil é muito comum o uso de software piratas…

RS – Não acho que exista pirataria no Brasil nos dias de hoje, a pirataria era encontrada no Caribe, mais perto da América. E os piratas não usavam computadores, eles usavam metralhadoras. O ponto é que usar a palavra “pirataria” para falar de “troca de arquivos entre as pessoas” é fruto de um tipo de propaganda ideológica. Piratear é ruim e compartilhar com outras pessoas é algo bom, então não devíamos usar a palavra pirataria para falar disso.

Piratas? Metralhadoras? Acho que ele  se libertou do History Channel faz tempo… sem contar que  piratas clássicos também existiram no Brasil…

Fonte: Leo Baiano

ATUALIZAÇÃO
O Danilo, autor da entrevista, avisa que o texto completo está disponível no blog da editoria juvenil do jornal.

emOpen-Source

Agora vai: Japão usa filmes pornô para vender PS3

Por em 21 de novembro de 2007 - 41 Comentários
[bb]

O Playstation 3 é aquele console da Sony que fez tanto sucesso que conseguiu vender menos que o XBox 360[bb], no Japão, mês passado.

A Sony ter resolvido pagar uma de Betamax (de novo) e empurrar o BlueRay, ao invés do mais popular formato de DVD em alta definição HD-DVD também contribuiu para as vendas pífias do console, que em termos de especificações é excelente, e se o termo fosse aplicável, diria eu está sendo injustiçado na briga com o Nintendo Wii[bb], e mesmo o XBox 360.

Só que os comerciantes não têm nada a ver com isso, e acabam sofrendo com as vendas inexistentes, os estoques cheios e as prateleiras enchendo de poeira.

Não mais! Para promover o PS3 com HD de 40GB, uma loja no Japão está divulgando a compatibilidade com seu estoque de filmes adultos, em formato Blueray

A idéia é excelente. Se o consumidor mais velho, que não busca sua dose de filmes educativos via Internet tomar conhecimento das características técnicas do formato com certeza vai ficar interessado.

Lembrem-se, a sacanagem foi a GRANDE responsável pelo sucesso dos videocassetes, muito ex-dono de locadora só ficou rico graças aos filmes “educativos”. Com o advento da Internet a nova geração não tem mais problemas de encontrar material, mas o pessoal que nasceu antes do VHS (e o Japão tem muita gente nessa faixa etária) ainda se sente mais confortável alugando ou comprando um DVD, do que procurando coisas no eMule.

Curioso é que algum tempo atrás a Sony botou literalmente o tentáculo na mesa e disse que o Blueray não seria usado para sacanagem. Acho que as vendas pífias fizeram com que eles mudassem de idéia.

Fonte: Fleshbot (sem link, pra metade dos leitores não ganhar uma justa-causa)

emGames

30 dias adiante da concorrência. Nada mal, MeioBit

Por em 21 de novembro de 2007 - 36 Comentários

Não somos muito de fazer posts auto-congratulatórios aqui no MeioBit, mas de vez em quando é impossível evitar.

Lendo hoje o BlueBus, vi a manchete: Apple stores no Brasil segundo anuncia o último Relatório Reservado. Hum. vejamos… dia 21 de Outubro, exatamente um mês atrás, noticiamos: Exclusivo: Apple planeja loja em shopping de São Paulo.

Alguns dias de atraso em entendo, mas sair no MeioBit e dar só um mês depois na concorrência? Das duas uma, ou estamos muito bem, ou a concorrência vai muito mal.

Como não temos a pretensão de achar que o BlueBus e/ou o Relatório Reservado vão mal (muito pelo contrário) a conclusão é que mandamos muito bem, e a concorrência (e todo mundo) só tem a ganhar, lendo o MeioBit, o Maior Portal Independente de Tecnologia da Internet Brasileira.

emApple e Mac

Google quer vender anúncios também na TV

Por em 21 de novembro de 2007 - 15 Comentários

Google na TV também! A Google, que já tem um projeto para explorar publicidade em revistas e jornais impressos, agora quer vender anúncios na TV. A iniciativa está sendo desenvolvida nos porões do Googleplex e vai além do modelo que está sendo testado atualmente no programa AdWords. O projeto iniciou há dois anos quando a Google contratou Vincent Dureau, CTO da OpenTV, para chefiar a equipe de tecnologia para TV. Os rumores apontam para o desenvolvimento de uma plataforma para aplicações que execute nos dispositivos que recebem sinais televisivos das empresas de TV a cabo e satélite. As possibilidades para uma solução desse tipo são ilimitadas: publicidade contextual, sobre-camadas interativas, links patrocinados, etc.

O objetivo da Google é ganhar mais dinheiro revitalizar a publicidade na TV, como já fez com a Internet, levando anúncios mais relevantes para a audiência e popularizando o acesso à midia. Hoje, no Brasil, anunciar na TV é um privilégio inacessível para pequenas e médias empresas. Caso o programa AdWords seja ampliado para a TV, o preço para anunciar nas grandes redes de TV deve cair significativamente. Esse modelo trará benefícios para os anunciantes, os espectadores, para os geradores de conteúdo (emissoras) e, claro, para a própria Google. A Google sabe ganhar dinheiro! Quanto não sabe, compra alguém que sabe!

emGoogle Indústria Internet Propaganda & Marketing Publicidade

Quer surpreender o mercado? Peça para seu filho desenhar o próximo laptop.

Por em 21 de novembro de 2007 - 20 Comentários

minilaptop3_21112007.jpg

Outro dia meu filho de 8 anos me pediu um laptop de presente. E eu, achando que tinha entendido, retruquei: “Poxa, cara, você já está crescidinho para um laptop do Batman, não acha?”. Recebi como resposta uma cara de espanto…que logo se desfez, quando o garoto entendeu que o pai estava ficando meio caduco…

“Pai…um laptop de verdade, caramba. O que eu vou fazer com um laptop de criança?”

Deve ter sido que o pensou a molecada que criou o Mini Laptop Club, numa escola americana. Fato curioso: não existem laptops reais neste clube, apenas modelos feitos por elas mesmas usando papel, cola, tesoura e sua imaginação. Os resultados, como os da foto que abre este post, nos fazem pensar.

O que é mais interessante aqui é que, até numa brincadeira com papel e caneta, percebemos que os produtos que criamos nem sempre vão ao encontro de um nicho de mercado potencial, como é o da novíssima geração. Porque não uma tecla direto para o site do Harry Potter? Ou uma que acione os Games instalados? Para que tantas teclas se quero apenas navegar?

É óbvio que não podemos chegar ao extremo da customização comercialmente inviável. Mas boas lições vêm dos lugares mais insuspeitos, não?

Ouvir um mercado que teve como primeiro registro fotográfico uma foto no site de sua maternidade é fundamental. E vai separar os empreendedores de tecnologia em dois times: os que chegaram lá. E os que ficaram no século XX.

Fonte: Tech Digest

emHardware