Digital Drops Blog de Brinquedo

Missile Commander no XBox360

Por em 6 de julho de 2007

meiobit-missile.png

A estratégia de lançar jogos clássicos remasterizados no XBox Live vai de vento em popa. Agora está disponível o bom e velho Missile Commander, em toda a glória de sua versão widescreen mega high definition Dolby 5.1. No pacote você também baixa a versão clássica do Atari, em toda sua ausência de glória e gráficos quadradões com resolução pífia mas igualmente bom de jogar até hoje.

Quanto custa? US$5,00. Nada mau por um jogo que tem até mudanças de tempo, com fases noturnas, crepusculares, etc.

Via UneasySilence

emGames

Controle de X360 no PC

Por em 6 de julho de 2007

Quem gosta de jogar no computador sabe que um bom controle faz falta. Com exceção dos FPS e jogos de estratégia, todos os outros gêneros ficam um pouco sem graça se jogados na dupla teclado + mouse. Recentemente adquiri um controle de Xbox 360 para ligar no PC e neste post vou dar minha opnião de como o acessório se comporta no computador, além de dicas de como melhorar seu desempenho. 

 

O Controle

Considero o controle do X360 como um dos melhores já criados, se não o melhor. Com um bom tamanho, leve, material resistente e design bonito, é um controle que encaixa bem na mão da maioria das pessoas e acredito que o seu principal destaque seja os gatilhos analógicos localizados no “ombro” do controle. Esses botões funcionam como um gatilho de revólver e em jogos de corrida por exemplo, ao apertar levemente os botões, o carro acelerará só um pouco.

Ao desenvolver o controle a Microsoft decidiu permitir que  os jogadores pudessem usá-lo no pc. Isso foi possível devido a sua conexão USB. Portanto, desde que seu pc possua essas entradas, você já pode ter um controle desses instalado.

Modelos

Pode-se dizer que existem dois modelos de controle para o Xbox 360. Um sem fio e um com fio. Ambos funcionam no pc, porém a versão sem fio precisa de um receptor que é vendido separadamente, por cerca de US$ 19,00. Particularmente, acho que a versão wireless só vale a pena para quem já possui o videogame, pois daí é necessário comprar apenas o receptor.

A versão com fio possui a vantagem de aceitar drivers feitos por terceiros, o que explicarei mais pra frente além de possuir um fio com 3m de comprimentos.

A instalação

Na loja em que comprei o controle, eles não tinham a versão específica para pc (que também funciona no x360) e comprei a versão para o console. Para minha surpresa, a embalagem não possuía um cd de instalação. Não entendo porque a Microsoft não coloca um cd junto com todos os controles, o que ocorre apenas na versão específica para pc. Os controles são os mesmos, mudando apenas a embalagem e a falta do cd com drivers.

De qualquer forma, corri para a internet e fiz o download do driver na página da Microsoft. O arquivo de instalação está disponível em português e apenas para Windows XP e Windows Vista. Conectei o acessório na porta USB e já foi pedido o driver, segui os passos e após reiniciar o pc o controle já estava funcionando.  

Para começar os testes, fui direto para o jogo Tomb Raider: Anniversary, já que o game recomendao uso deste controle. Felizmente o joypad não precisou nem ser configurado e funcionou perfeitamente no game. Saí e instalei o Need for Speed: Carbon e aí começaram meus problemas. A princípio tudo estava certinho, com os gatilhos funcionando perfeitamente, porém, o controle não apresentava a função rumble, característica que funcionava no Tomb Raider.

Fiz uma pesquisa na web e descobri que na maioria dos jogos o controle não consegue “vibrar” e isto seria uma falha nos drivers desenvolvidos pela Microsoft. Descobri também que em vários jogos antigos os gatilhos não funcionam corretamente. Não desisti e após uma longa busca consegui achar um programador que desenvolveu um driver mais completo. Com esta versão você poderá inclusive instalar o controle no Windows 2000 e no Windows 2003. O único porém é que esta driver não funciona na versão sem fio.

Fiz o dowbnload, segui os passos da instalação e após tudo concluído voltei ao NFS: Carbon. Pronto, agora o controle estava vibrando e tudo funcionando corretamente. Por curiosidade, iniciei o Tomb Raider novamente para ver se tudo continuava nos seus devidos lugares e para minha e decepção o controle não vibrava mais. Tentei de tudo e só consegui fazer o rumble voltar a funcionar realizando a restauração do sistema e voltando para o driver original.

Aproveitei para testar o controle com o driver original nos jogos GTR2, rFactorColin McRae Rally 04. Nos dois primeiros o controle funcionou bem já no terceiro os gatilhos perderam a função de analógico. Em nenhum deles o rumble funcionou. 

Outro detalhe é o botão guia. Aquele que possui um X verde e fica no meio do controle. No Xbox 360 ele serve para chamar a dashboard do console, já no pc ele não possui utilidade. Apenas na versão sem fio do controle, que ao ser pressionado mostra quanto resta de bateria.

Conclusão

Após alguns testes posso dizer que vale a pena comprar o controle para jogar no pc. Mesmo com alguns problemas devido aos drivers, a qualidade do controle e a possibilidade de usá-lo no Xbox 360 fazem com que seja uma ótima opção. Só pense duas vezes caso queira jogar games muito antigos ou sinta muito a falta da função rumble.

Links Úteis

- Driver original da Microsoft

- Driver alternativo Xbdc

- Como instalar o controle com o driver Xbdc

- Fazer qualquer jogo aceitar um controle

emDestaque Games

Resenha: Mini-caixa amplificada para iPod

Por em 6 de julho de 2007

meiobit-caixaipod.jpg

Este é o primeiro de uma série de posts sobre acessórios para iPods e outros players, fugindo da linha de acessórios da própria Apple, já que os custos dos mesmos são inviáveis para o usuário brasileiro.

Uma necessidade comum ao dono de iPods e similares é poder abrir mão dos fones, de vez em quando. Se você tem um sistema de som completo pode simplesmente puxar um cabo RCA/P2 e aproveitar, mas perde-se portabilidade. Há docks amplificados mais leves, mesmo assim são mais uma tralha para carregar. Sem falar na fonte para o dock.

O modelo de mini-caixas de som da Brando é, talvez, o menor já feito para iPods. Mas não faz feio.

meiobit-caixaipod2.jpg

Com um alto-falante de cada lado, é superior ao Nokia N80, que embora tenha um som de respeito, sua saída é mono (exceto quando usado fone externo). O plug é o bom e velho P2, o que significa que essa caixinha da Brando pode ser usada em quase qualquer player. Nada de plugs proprietários. Aprendeu, Nokia?

Com um botão liga-desliga e mais nada, o aparelho é a marca da simplicidade. Alimentado por duas pilhas-palito, faz parte da linha de acessórios passivos, dos que não são reconhecidos pelo iPod. Tudo bem, não há vantagem nenhuma em surgir um novo menu na tela dizendo “ei, caixas de som conectadas”.

Apesar de minúsculo, um problema: O equipamento é pesado. Não recomendo usar com o iPod suspenso, melhor encostá-lo em algum suporte, para que o conector não force o jack interno do player.

Agora a melhor parte: O preço: Somente US$12,00

Aliás, a melhor parte é o frete. O equipamento acima foi comprado no site da Brando para acessórios de iPod, enviado de Hong Kong para o Brasil em menos de 2 semanas, com o frete custando US$3,00. Isso mesmo. Três dolares americanos.

Conclusão:

Pontos Positivos:

- Preço
- Facilidade de uso
- Portabilidade
- Qualidade de áudio

Pontos Negativos:

- Pino exposto (no bom sentido)
- Ausência de um LED indicador de power
- Peso comparado ao iPod

emApple e Mac Áudio Vídeo Fotografia Google

Fiz.TV estréia na internet

Por em 6 de julho de 2007

Ontem estreou o site de vídeos
Fiz.TV, do grupo
Abril. A proposta do Fiz é o usuário enviar conteúdo que pode parar na telinha
da TV. Inicialmente há um blog
e o site de vídeos propriamente dito. Já é possível navegar pelas categorias,
votar, comentar e mandar vídeos. O site é todo feito em flash e tem a opção de
vídeos embed como no YouTube. Ou seja, você pode colocar o player em um post
do seu blog se o vídeo for interessante.

Há pouca variedade de conteúdo por enquanto, algo comum em um serviço novo em folha. Há
muitos vídeos bem produzidos por alunos de universidades que possuem cursos de
cinema e tv. A proposta é ser diferente do YouTube e não um concorrente
direto. A idéia do Fiz é promover quem produz conteúdo de qualidade e levar a
escolha da audiência para a TV. Essa interação que é interessante. Ao passar o
mouse sobre o vídeo que está sendo exibido você pode votar para que ele vá
para a TV. O canal deve estrear no final deste mês na TVA, inicialmente.

O vídeo é o novo hype da internet. Só na semana passada tivemos a estréia do
WeShow e do
Eonde. O primeiro é um
agregador de vídeos e o segundo vende filmes por download. Agora vem o Fiz.
Quem vai fazer melhor?

emÁudio Vídeo Fotografia

Sony baixa o preço do PS3?

Por em 6 de julho de 2007

Boatos estão correndo pela internet que a Sony está para baixar o preço do PlayStation 3. Segundo fontes de sites como o Game Daily, o corte pode ocorrer até dia 15 de julho e há chances do preço cair para até 499 dólares, o que significa 100 dólares a menos que o preço atualmente praticado (lá fora, é claro).

Infelizmente, aqui no Brasil consoles como o PS3 ou o XboX 360, por exemplo, chegam a preços muito absurdos. Pesquisando no Mercado Livre não se acha PS3 por menos de 2000 reais. Se for apelar para a fronteira com o Paraguai paga-se 775 dólares, porém para trazê-lo legalmente é preciso pagar mais impostos pois, a cota é de 300 dólares. Então fica esse impasse de preços exorbitantes para poder jogar em um console de última geração. Esperamos que de cortes em cortes o preço vá, aos poucos, baixando cada vez mais até chegar a um preço mais decente.

Fonte: Adrenaline

emGames Internet

Extorsão à Vista: Creative cobrando por drivers

Por em 6 de julho de 2007

A história é mais ou menos assim: A Microsoft mudou o modelo de interface dos drivers do Vista, removendo algumas interfaces. A Creative usava uma dessas interfaces para ativar recursos em suas placas, como EAX e outras funções avançadas de processamento de áudio. Ao invés de fazer como um bom fornecedor e criar drivers compatíveis com o novo sistema operacional, a Creative resolveu que não basta você COMPRAR o hardware, você tem que pagar pelos upgrades dos drivers.

Isso mesmo. Passaram a distribuir os drivers básicos, compatíveis com o Vista, mas cobrar US$10,00 por uma versão que ativa as funções avançadas da fucking placa de som que você comprou e pagou um bom dinheiro.

Isso é atitude de moleque. Parece uma antiga produtora de softwares para Palm que dava Upgrades Eternos, mas meses depois lançou uma versão 2.0 do programa e disse que os upgrades não valiam, pois era uma mudança muito grande em relação à 1.x. Pelo visto a Creative está com o bolso cheio, depois da ação que ganhou da Apple, e não precisa mais de dinheiro ou simpatia dos consumidores.

Fonte: Gizmodo, ZDNet

emÁudio Vídeo Fotografia Indústria

iPhones, iTardados e suas histórias

Por em 6 de julho de 2007

meiobit-iphone3.jpg

O Fake Steve Jobs está fazendo um excelente trabalho listando as histórias de um monte de “iSpertos” que resolveram faturar um troco em cima do iPhone.

Para começar, os patetas que ficaram nas lojas, acampados. não há filas, a Apple tem toneladas de iPhones, você (quer dizer, você não) entra na Apple Store e compra. É rápido, nem ativar você ativa, ao contrário da burocracia que temos aqui, você contrata o serviço com a AT&T de casa. Os iTardados que ficaram perderam dias de suas vidas à toa. Se bem que se você tem tempo de ficar dias na porta de uma loja atrás de um telefone, você não tem vida.

Outra: Uma iSpertona resolveu faturar com o iPhone, do mesmo jeito que fizeram com o PS3 e o Wii. O bom e velho ágio. Compro barato, revendo caro. Easy money, certo? Chegou com uma bolsa de dinheiro, pagou US$800 pra ficar com o primeiro lugar da fila, no dia do lançamento. Quando entrou descobriu que: 1 – havia iPhones para todos, a demanda estava sendo suprida e 2 – só estavam vendendo um aparelho por pessoa.

Um outro iSperto conseguiu comprar dois, anunciou no eBay e vários sites, por US$1200, sendo que alguns outros ofereciam o aparelho até por $2000. Ofereciam, se alguém comprou é outra história. No máximo, o campeão da noite, um iGênio que conseguiu comprar a sacola do iPhone por US$305.

O velho ditado continua valendo. Todo golpe bem-sucedido precisa de pelo menos dois achando que vão se dar bem.

Fonte: Fake Steve Jobs

emApple e Mac