Digital Drops Blog de Brinquedo

Mais um consumidor irritado com a Microsoft

Por em 25 de junho de 2008 - 66 Comentários

Baixar o Windows Moviemaker e o pacote Digital Plus do site da Microsoft. Simples, não? Então veja o email que um consumidor mandou, relatando sua experiência:

Eu estou bem desapontado em como a Usabilidade do Windows tem andado pra trás e os grupos de gerenciamento não cuidam de problemas de usabilidade.

Vou contar minha experiência de ontem.

Eu decidi baixar (Moviemaker) e comprar o pacote Digital Plus, então fui para Microsoft.com. Eles tem um local de download, então fui para lá.

As primeiras 5 vezes que usei o site ele deu timeout tentando abrir a página de download. Então depois de um atraso de 8 segundos, consegui abrir.

O site é tão lento que é impossível de usar.

[o programa] não estava nos Top 5 então expandi para Top 45.

Os Top 45 nomes são totalmente confusos. Fazem coisas como C:\Documents and Settings\billg\My Documents\My Pictures parecerem claras.

Não são filtrados or sistema… e muitas das coisas são estranhas.

Eu tentei pesquisar na área de mídia. Nada do Moviemaker. Digitei movie. Nada. Digitei Movie maker. Nada.

Então desisti e mandei um email para o Amir dizendo: Onde está o download do Moviemaker? Ele existe?

Eles me disseram que usar a página de downloads para fazer download de alguma coisa não foi algo que eles anteciparam.

Me disseram para ir para a página principal e no campo de busca colocar movie maker (não moviemaker!).

Eu tentei. O site estava pateticamente lento mas após 6 segundos de espera, apareceu.

Eu pensei agora com certeza vou ver um botão de download.

De fato é mais um quebra-cabeças apra resolver. Me foi dito para rodar o Windows Update e fazer alguns encantamentos.

Isso me pareceu completamente esquisito. Por quê eu tenho que ir para outro lugar e rodar um scan para baixar o moviemaker?

Então fui para o Windows Update. Ele decidiu que eu precisava baixar um punhado de controles (não) uma só vez mas múltiplas vezes, me mostrando caixas de diálogo esquisitas.

O Windows Update sabe falar com o Windows?

Então rodei o scan. Isso levou algum tempo e me foi dito que era crítico que eu baixasse 17 megas de alguma coisa.

Isso depois que me disseram que estaríamos fazendo patches diferenciais, mas ao invés disso para baixar 6 coias marcadas da forma MAIS ASSUSTADORA possivel eu tinha que baixar 17MB.

Eu fiz o download. Essa parte foi rápida. Então ele queria se instalar. Levou seis minutos e a máquina estava tão lenda que não pude usá-la para mais nada durante esse tempo.

Que diabos aconteceu durante esses seis minutos? Isso é loucura. Isso foi depois do download ter acabado.

Então ele quis reiniciar minha máquina? Por quê eu deveria fazer isso? Eu reinicio toda noite. Por que eu deveria reiniciar naquela hora?

Então eu reiniciei porque ele INSISTIU nisso. Claro que isso significou perder todo o estado atual do meu Outlook.

Voltei ao ar e ele rodei o Windows Update novamente. Eu esqueci porquê estava no Windows Update, afinal tudo que eu queria era o Moviemaker.

Então voltei para Microsoft.com e li as instruções. Eu tinha que clicar em um folder chamado WindowsXP. Por quê eu teria que fazer isso? Windows Update sabe que eu estou no Windows XP. Pra quê tenho que clicar naquele folder? Então eu vejo um monte de coisas confusas mas com certeza uma delas é o Moviemaker.

Então eu faço o download. É rápido mas o install leva muitos minutos. Incrivel como essa coisa é lenta.

Uma hora ele me diz que preciso baixar o Windows Media Series 9 .

Eu concordo. Dessa vez recebo diálogos dizendo coisas como "Open" ou "Save". Nenhuma instrução sobre o que fazer. Eu não tenho idéia.

O download é rápido e o install leva 7 minutos.

Então agora eu acho que tenho o Moviemaker. Vou para o Add/Remove Programs para conferir.

Não está lá.

O quê está lá? O seguinte lixo está lá. Microsoft Autoupdate Exclusive test package, Microsoft Autoupdate Reboot test package, Microsoft Autoupdate testpackage1. Microsoft AUtoupdate testpackage2, Microsoft Autoupdate Test package3.

Alguém resolveu estragar a única parte do Windows que é usavel? O sistema de arquivos não é mais usável. O registro não é mais usável. A listagem de programas era o único lugar são mas agora está todo cagado.

Mas esse é só o começo da cagada. Depois achei coisas como Windows XP Hotfix veja Q329048 para mais informação. O que é Q329048? por quê essa série de patches está listada aqui? Alguns dos patches [dizem] apenas Q810655 ao invés de "veha Q810655 para mais informação".

Que senhora bagunça!

O Moviemaker não estava lá.

Então desisti do Moviemaker e fui baixar o pacote Digital Plus

Foi-me dito que precisava entrar com algumas informações pessoais.

Eu entrei com os dados, e como achei que pudesse ter digitado algo errado, voltei para tentar de novo. Claro que ele apagou a maior parte do que eu tinha digitado.

Eu tentei digitar as informações corretas 5 vezes e ele insistia em me pedir para digitar novamente.

Após uma hora de loucura e de transformar minha listagem de programas em lixo e me asustar e ver que Microsoft.com é um site horrível eu não havia rodado o Moviemaker nem havia conseguido o pacote Plus.

A falta de atenção à usabilidade representada por essas experiências é demais pra minha cabeça. E Pensei que tivéssemos atingido o fundo do poço com o Windows Network Places ou as mensagens que recebo quando tenho usar WIFI. (vocês não adoram aquelas mensagens sobre certificados-raiz?)

Quando eu me acostumar com essas coisas tenho certeza de que terei mais feedback.

O consumidor? Aqui está o cabeçalho do email:

From: Bill Gates
Sent: Wednesday, January 15, 2003 10:05 AM
To: Jim Allchin
Cc: Chris Jones (WINDOWS); Bharat Shah (NT); Joe Peterson; Will Poole; Brian Valentine; Anoop Gupta (RESEARCH)
Subject: Windows Usability Systematic degradation flame

 

Fonte: SeattlePI 

Tradução: (c) 2008 by MeioBit

emIndústria

Quanto custa mesmo o iPhone?

Por em 25 de junho de 2008 - 6 Comentários

Não, não estou falando de quanto vai custar aqui no Brasil, nem para os “sortudos” que poderão adquirí-lo dia 11. Estou falando de quanto custa para a Apple.

Um estudo preliminar, conduzido pela iSuppli (belo iNome, não?) mostra que o custo de produção, considerando os componentes e montagem, é de US$ 173,00. Isso é significativamente menos que os US$ 226,00 do iPhone original.

Considerando que o valor subsidiado é de U$199,00 e o subsídio gira em torno dos US$300,00, a Apple fez seu dever de casa e está ganhando muito mais dinheiro com esta nova versão.

Façamos as contas: o iPhone original era vendido por US$499,00 e custava, para Cupertino, US$226,00. Lucro (numa conta rápida, sem considerar o investimento em projeto, software embarcado, distribuição etc…):  US$ 273,00. Já o iPhone 3G sai por US$ 199,00, mas a operadora paga à Apple mais US$300,00. Seu custo é de US$173,00. Lucro: US$326,00.

E, como o valor dos componentes tende a diminuir, em 2009 o custo de cada aparelho deverá cair para US$148,00.

Alguém aí tem dúvidas de que Jobs encontrou outro pote de ouro?

emApple e Mac Indústria

Realmente o dos chineses é menor

Por em 25 de junho de 2008 - 27 Comentários

Quem anda nos Stand Centers, Santa Ifigênias e Camelódromos da vida sabe que o mercado está atolado de porcaria chinesas falsificadas. Nada contra porcarias chinesas legítimas, sou fiel comprador da Deal Extreme e da Brando, mas quando veja uma pilha "FONY", um POLYSTATION ou um iFone, a coisa muda de figura. De alternativa barata o produto se torna criminoso, feito para enganar o consumidor que acha que está comprando um produto de melhor qualidade.

faken95

fanen95-1

Como esse Nokia N95 miniatura absoluta e completamente descaradamente miniaturizado e copiado.O nome? MM995.

Depois a China fica fazendo mimimi por não ser aceita na Organização Internacional do Comércio…

Fonte: CellPhone Beat

emCelular

Ajude a sustentar a Wikipedia e outros projetos, sem colocar a mão no bolso e concorra a um Eee PC!

Por em 25 de junho de 2008 - 15 Comentários

brindes0708

…e também a pen drives, card drives, camisetas geeks, livros e mais! O BR-Linux e o Efetividade lançaram uma campanha para ajudar a Wikimedia Foundation e outros mantenedores de projetos que usamos no dia-a-dia on-line. Se você puder doar diretamente, ou contribuir de outra forma, são sempre melhores opções. Mas se não puder, veja as regras da promoção e participe – quanto mais divulgação, maior será a doação do BR-Linux e do Efetividade, e você ainda concorre a diversos brindes!

Está dado o recado. Já que é para mobilizar a blogosfera com algo que tem tudo a ver com o Meio Bit, vamos todos clicar aqui e participar!

emAnúncios Blog Destaque Internet Miscelâneas

Ricoh Caplio GX-200

Por em 25 de junho de 2008 - Nenhum Comentário

ricoh GX200

 

A Ricoh acaba de colocar mais uma câmera compacta digital no mercado. Embora seja um modelo atrativo e com recursos avançados, o que chama a atenção na Caplio GX-200 é sua resolução máxima de 12 megapixels em um sensor de 1/1,7 polegadas. Embora não seja a primeira compacta a atingir essa resolução máxima, ela pode ser mais um ponto de partida para a próxima briga pelos megapixels. A maioria das compactas tem patinado na resolução de 7 ou 8 megapixels. Claro que a qualidade das imagens geradas é um fator a ser levado em conta. Para chegar a patamares maiores, sem degradar em demasia a imagem, seria necessário aumentar o tamanho do sensor, fato esse que encareceria o equipamento. Porém, a muito tempo que desconfio que a Ricoh não faz câmeras para o usuário das massas.

A Caplio GX-200 é a sucessora da GX-100 de 10 megapixels. Particularidades interessantes do equipamento são sua grande angular que começa com a distância focal de 24 mm (ela é equipada com uma lente 24-72mm) e a possibilidade de fazer fotos em seqüência no formato RAW até o número máximo de 5 fotogramas. Segundo a empresa, isso é possível graças à última versão do processador de imagens da Ricoh, o Smooth Imaging Engine III. Fora isso, temos o grande visor de LCD de 2,7 polegadas com 460 mil pontos e a possibilidade de varias edições da imagem (cor, contraste, balanço de branco e brilho) ainda na câmera. De resto, temos as mesmas perfumarias que encontramos em outros equipamentos.

Um ponto que deve ser citado é o número de acessórios opcionais que estão a disposição para o modelo. Entre eles, os mais interessantes são o Viewfinder eletrônico que, embora deixe a câmera com um aspecto esquisito, deve ser uma mão na roda para economia de bateria, e os conversores óticos que elevam a potência da teleobjetiva para 135mm (o teleconversor TC-1) ou da grande angular para 19mm (o Wide DW-6).

A Ricoh Caplio GX-200 vai estar disponível ao consumidor no começo do mês de julho e o preço inicial de lançamento está colocado em $ 349,99 euros, ou $ 399,99 euros com o viewfinder eletrônico.

 

Fonte: Dpreview

emFotografia

A TIM anuncia que quer vender o iPhone. Qual a novidade?

Por em 24 de junho de 2008 - 35 Comentários

Mario Cesar de Araujo, o presidente da TIM, em entrevista a revista Época, disse que quer vender o iPhone no Brasil e que ele não será exclusividade de nenhuma operadora.

As duas coisas são bem óbvias. Qualquer operadora quer ter os direitos de vender um telefone tão desejado como o iPhone – como o iPhone não será exclusivo, ele não atrairá novos clientes, mas vai manter os atuais na operadora. E depois do anúncio de que a Vivo venderá o iPhone, é claro que o iPhone não terá exclusividade no Brasil.

O presidente da TIM ainda afirma que quer ser a primeira operadora a vender o iPhone por aqui, mas ainda não fechou um contrato com a Apple para distribuir o telefone aqui, apenas afirma que o fato da TIM italiana ter fechado contrato com a Apple pode ajudar nas negociações para a filial brasileira.

Mas a Claro já tem um contrato assinado com a Apple e ainda é a única operadora que aparece no site da Apple Brasil como autorizada a vender o iPhone.

A única boa notícia do "anúncio" é que já podemos ter uma idéia de quando o iPhone começará a ser vendido por aqui: A partir de Outubro, que é quando a Anatel deve homologar o iPhone.

[via futuro.vc]

 

emApple e Mac Celular

Celular à prova d’água made in… Japan

Por em 24 de junho de 2008 - 21 Comentários

Em minha ingenuidade quando penso em celular à prova d’água imagino o desastre clássico do celular caindo na piscina, na privada, ou quando uma ex assassinou meu Sony Clié com um chopp por ciúmes de uma colunista eventual do MeioBit. É preciso um grau especial de perversão para imaginar japinhas na piscina, como o pessoal da Docomo.

japinhascelular

Com 16,9mm de espessura o Fujitsu F706i é o menor celular impermeável do mundo. São cinco modelos na linha, e esse vem com câmera de 3,2MP, 2,7 polegadas, 240×432 pixels, 256K cores, 4 horas e meia de conversação, receptor de TV digital 1seg, cartão, microSD/MicroSDHC, certificado para sobreviver a cloro, água quente e mergulhos de até 3 metros.

Para mais fotos de "divulgação" do aparelho com as respectivas japinhas, visite aqui e aqui.

Fonte: KiraiNet

emCelular