Digital Drops Blog de Brinquedo

Meebo rooms: salas de chat com vídeo

Por em 16 de maio de 2007

O meebo, aquele sistema de
mensageiro instantâneo na web, acaba de lançar o
meebo rooms, salas de
chat com conteúdo multimídia (imagem abaixo). É possível criar salas com
vídeos do YouTube ou fotos, ou outra coisa, e entrar em bate-papo com as
pessoas que se interessem por aquilo. Há algumas salas prontas, de parceiros
de conteúdo do meebo como a MTV e a CNET.

A exemplo do widget meebo
me
, que permite às pessoas colocar um chat do meebo em seus blogs, o meebo
rooms também terá essa funcionalidade. Também é possível convidar outras
pessoas a se juntar ao papo, apenas enviando um link via e-mail.

Atualmente o meebo possui 2 milhões de cadastrados e 100 milhões de mensagens
por dia. Essa nova funcionalidade lembra os chats internos do Joost. Nada mais
natural do que, ao invés de assistir a um vídeo sozinho, chamar os amigos pra
comentar os detalhes em tempo real.

[via
ArsTechnica
e
Techcrunch]

emInternet

Não tente isso no Brasil

Por em 15 de maio de 2007

 

Só porque em Seattle você pode andar no ônibus e usar uma conexão WIFI com seu PDA, telefone ou Macbook não quer dizer que seja uma boa idéia para outros lugares do mundo.

Já lá, a maior reclamação do usuário é que a conexão é via EVDO, o que deixa o acesso muito lento quando bastante gente usa.

Aqui acho que seria criado até um esquema paralelo de apostas, pros passageiros botarem uma grana em qual notebook seria roubado primeiro.

Nossa sorte é que a bandidagem não preza pela inteligência, senão o FRAN’s seria um lugar pra lá de visado.

emComputação móvel

Malware pelo Windows Update

Por em 15 de maio de 2007

Todos sabemos que andar pela web com o Internet Explorer não é lá muito
seguro. Sempre há algum buraco no navegador que pode permitir a invasão de
spyware. A novidade agora é que o malware pode chegar via Windows Update,
aquele mecanismo que existe exatamente para corrigir os problemas de segurança
e atualizações do nosso Windows.

A Symantec estudou o funcionamento do BITS (Background Intelligent Transfer
Service), sistema do Windows Update que roda em background, controlando o uso
de banda e de recursos do sistema durante uma atualização. Por fazer parte do
sistema operacional, o BITS pode atuar sem ativar alertas de segurança do
Windows. Na verdade o que acontece é que existe um trojan chamado Win32/
Jowspry, que usa o BITS para instalar malware.

A Microsoft sabe desse problema mas diz que não é uma falha do seu sistema
operacional e sim um ataque causado pelo referido trojan. Não há previsão de
que vá fazer algo em relação a este problema. Portanto fique atento e tenha
sempre um anti-spyware às mãos.

[via
ArsTechnica]

emSegurança

F.E.A.R.

Por em 15 de maio de 2007

Após um longo tempo, finalmente consegui jogar o game F.E.A.R. Estava muito ansioso para jogá-lo já que a crítica havia feito bons comentários sobre o jogo. Confira minha análise e saiba se vale a pena adquirir este game.

 

O ataque dos clones

No ano de 2002, o governo dos Estados Unidos criou um grupo de elite para combater ameaças paranormais chamado First Encounter Assault Recon, ou simplesmente F.E.A.R. No jogo você assume o papel de um soldado integrante deste grupo e que tem como primeira missão invadir um complexo militar dominado por Paxton Fettel, um comandante militar que “enloqueceu” e assumiu o controle de um batalhão de clones. Ao chegar no local as coisas se complicam e você terá que descobrir o porque dos soldados estarem agindo daquela maneira. A partir daí, você levará um susto atrás do outro e viverá num constante clima de suspense.

Misture a isso visões de fantasmas, sussurros, menininhas mortas e coisas se mexendo sozinhas e você terá o clima perfeito para um jogo de terror.

Cultura do medo

Um dos destaques do game se deve a sua ambientação assustadora. Tudo em F.E.A.R. foi feito pra te amedrontar, mas uma coisa tem que ser dita: esqueça os sustos de Doom 3, onde seres saltavam das sombras. Aqui, nada é gratuito, parece que cada aparição foi colocada em locais estratégicos.

Na verdade o terror em F.E.A.R. é muito mais psicológico. Para se entender melhor, o terror do game se parece mais com Silent Hill, assim como o de Doom está mais para Resident Evil.

E como dito anteriormente, nesta área o game se destaca. Jogue com as luzes apagadas e usando fones de ouvido que você entenderá melhor o que digo.

Q.I. 150

O jogo foi implementado com o que podemos considerar o melhor sistema de inteligência artificial já feito. É simplesmente impressionante vermos as atitudes dos soldados inimigos. Eles fazem rondas, conversam entre si, criam planos para te matar, viram mesas pra se esconder. Enfim, parece que você está combatendo contra pessoas reais.

Serão inúmeras às vezes onde você contrarará soldados numa sala e caso saia do local para ficar ficar esperando eles virem te atacar, pode ser que eles dêem a volta e te encurralem. Ou então cheguem à porta e coloquem só a arma pra fora para atirar em você.

Neo encontra Sadaku

No que se refere a parte técnica, F.E.A.R. também faz bonito. Os efeitos sonoros garantem sua parte com ótimos sons das armas, música de suspense e sons que as aparições fazem. Os gráficos também estão acima da média, mas aqui temos um problema, é preciso ter uma máquina muito boa para poder aproveitar plenamente o game, mesmo hoje em dia.

Mas ao participarmos de um tiroteio, onde pedaços do cenário voam para todos os lados junto com milhares de partículas e poeira pelo ambiente, sabemos que o trabalho foi muito bem feito pela equipe que desenvolveu o game. Como dito anteriormente a ambientação é muito boa, criando sempre um clima de suspense, só é uma pena os cenários não variarem muito.

A jogabilidade de games deste estilo não costuma variar muito, mas para dar um toque de “originalidade” a Monolith, empresa responsável pelo game inseriu um efeito de bullet time, aquele estilo Matrix, sabe?

Confesso que não vi grande utilidade para a novidade. Não que ele não tenha sido bem feito, até porque em muitas partes ele será de grande ajuda, mas não chega a ser tão importante como no game Max Payne, por exemplo.

Veredicto

Se você não tem problemas do coração e está afim de um game com boa história e muito suspense, não pense duas vezes, F.E.A.R. é altamente recomendado. Só confira se seu pc vai agüentar o tranco e aproveite para testar aquela sua placa de vídeo de última geração.

:: Prós

- Ótimos gráficos

- Clima de filme de terror japonês;

- Inteligência Artificial incomparável;

- Alma, a versão digital de Samara (Sadako).

:: Contras

- Precisa de um pc potente para aproveitar plenamente os gráficos do jogo;

- Não jogue se tiver problemas no coração;

- Cenário sem muita variação.

emGames

O PS2 da Maldade contra o Usuário Guerreiro (e ingrato)

Por em 15 de maio de 2007

 

Gary Wells comprou um PS3. Deu uma festa, com 20 amigos para comemorar a chegada do novo game. Só que Gary era um ingrato. Depois de anos de bons serviços prestados, ele não aposentou com honras seu PS2, ou doou-o para um pobre membro do MSC – Movimento dos Sem-Console, como eu.

Gary resolveu ser espertão. Para mostrar o quanto o o PS2 não significava mais nada para ele, fez um sorteio. O vencedor teria a honra de… urinar no console.

Cachaça vai, cachaça vem, quando já nem se aguentava em pé é sorteado o vencedor, Mike Post. Sem pensar duas vezes, mike botou seu Wii pra fora (linguagem figurada, claro) e mandou ver. No meio da sala.

Com o PS2 ligado na tomada e na TV.

Mike foi deixado inconsciente com o choque, foi levado para o hospital e liberado na manhã seguinte.

Bem Feito.

Fonte: Fun Tech Talk

PS: Se você acha essa história legal, não deixem de ler este clássico dos clássicos, a história do guri que, digamos assim… estava praticando a boa e velha covardia do 5×1 quando sofreu um acidente de trabalho (ou de lazer) e (digamos assim de novo) conseguiu respingar… DNA na lente do leitor de CDs do Dreamcast. É maravilhoso.

emGames

O Bill fumou o cigarrinho do Stallman

Por em 14 de maio de 2007

Que o Stallman vive fora da realidade não é novidade, com sua cara de quem espera que lancem um GPS open source pra ele poder chegar em Woodstock, mas pelo visto ele anda dividindo seu cigarrinho do mal com o Bill Gates.

Segundo o Engadget, a Microsoft está abrindo uma fábrica na China, exclusivamente dedicada ao Zune.

Sim, o Zune. Force a memória. Aquele iPod killer que seria o Media Player definitivo, com WIFI, laser, gerador antigravidade, etc, etc.

Aquele mesmo que só existe hoje como brinde, que embora tivesse um hardware excelente o software (principalmente no PC) deixava muito a desejar.

Eu acho válido que você acredite e defenda seus produtos, mas quando ele se torna motivo de chacota, fica complicado. Vide aquele Oracle com uma interface em java que era, literalmente, um câncer, e quase afundou o produto. Ou o Microsoft Bob.

Fazer uma fábrica e dizer que ela é voltada para um produto cuja percepção popular é que ninguém compra é pedir para ser sacaneado.

E aqui no MeioBit, pediu a gente atende ;)

emIndústria

Joguinho do dia: Vamos todos brincar de médico

Por em 14 de maio de 2007

Calma, não é brincar de médico do jeito que você está pensando. Dada a baixa frequência de entidades mulheres do sexo feminino no MeioBit não seria prudente. É com um coelhinho, chamado Fred. Ele tem um piripaque. Você deve seguir as instruções e operá-lo, antes que seja tarde demais. Será que consegue? Tem um minuto.

 

Via: www.boingboing.net

emGames