Digital Drops Blog de Brinquedo

Bye bye Jaffe!

Por em 25 de junho de 2007

David Jaffe foi a mente responsável pela franquia inédita que mais fez sucesso no PS2. O americano criou o elogiado God of War e ajudou o aparelho a se consolidar como o vencedor da geração passada. Agora, após alguns rumores está confirmado: Jaffe está saindo da Sony.

Ele juntou-se a Scott Campbell, um dos chefões da Incognito Entertainment e irá fundar sua própria empresa. A Sony ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas Jaffe já está dando algumas pistas em seu blog pessoal.

Isso pode ser um duro golpe na gigante japonesa, já que mesmo o designer dizendo que pretende manter relações com a Sony, a menos que a empresa assine um contrato de exclusividade com o estúdio de Jaffe e Campbell, nada impede que vejamos jogos da dupla em outros consoles.

Não espere por um God of War para Xbox 360, já que os direitos da série devem pertencer a Sony, mas com a criatividade que David Jaffe já mostrou, bons títulos podem aparecer em qualquer plataforma.

Em abril o sujeito afirmou que se pudesse, tiraria o blu-ray do PS3 e o venderia mais barato e já flertava com a possibilidade de abrir um estúdio próprio. A Sony disse que Jaffe podia dizer o que quisesse, mas dúvido que não tenha levado um puxão de orelha por baixo dos panos.

[via 1Up]

emGames

Powerballs

Por em 25 de junho de 2007

powerball1.jpg

Devo confessar: sempre tive muita curiosidade sobre essas “Powerballs“. Pareciam o brinquedinho geek mais… geek… sobre o qual eu já tinha lido a respeito: um giroscópio no tamanho certo para ser pego em uma mão, com um pequeno contador que registrava a velocidade máxima.

Parecia irresistível, mas como era complicado importar uma dessas, acabei deixando pra lá.

Qual não foi minha supresa, quando há alguns dias, chegou um email da representante nacional das bolinhas, perguntando se não queríamos uma para testes! É claro que sim e fiquei incumbido da árdua tarefa… porque, afinal de contas, a coisa exige esforço! No primeiro dia, fiquei com o braço doendo de tanto brincar… mas vamos por partes.

O que é

A Powerball é um giroscópio desenvolvido, segundo o fabricante, pela NASA, para exercitar os astronautas em microgravidade. Particularmente, a vejo como um dos brinquedos mais viciantes que já conheci.

Na caixa, há um DVD com filmes explicativos, um encarte de ótima qualidade mostrando os modelos e como iniciar, o cordão usado para colocá-la em rotação, além da pulseira, para prevenir uma queda. No entanto, verifique se ela está corretamente fixada: a minha veio solta.

A idéia é colocar o giroscópio em funcionamento, usando o cordão e, então, adicionar energia ao conjunto, fazendo-o girar cada vez mais rápido com o movimento do punho. Meu recorde é 11000 rpm, mas há relatos de incríveis 16000 rpm!

O contador, além de mostrar a máxima rpm conseguida, também pode mostrar a rotação instantânea, a acumulada e a acumulada a um determinado intervalo de tempo.

Um único cuidado: não a deixe cair ou o mecanismo nunca mais será o mesmo.

Imag017.jpg

Bola4.jpg

A bolinha foi um sucesso imediato em todas as rodas de amigos e garantiu horas de boas risadas, além de muito suor do pessoal mais afoito. Quem já teve um ioiô da Coca-cola ( em 82 ) sabe do que estou falando. Aliás, o único empecilho a uma “febre de Powerballs”, é o custo.

Modelos e preços

O modelo recebido para testes foi o “Signature Edição Limitada” ( o da primeira foto ). Muito bonita, branca e translúcida, com leds também brancos que geram um efeito luminoso muito interessante. Detalhe: sem usar baterias! A eletricidade é gerada a partir da energia cinética da bolinha. Essa custa R$ 295,00.

Existem ainda: Powerball 250Hz, que não vem com o contador digital, ao preço de R$ 125,00; 250Hz PRO, com o contador digital, custando R$ 210,00; 250Hz NEON, que vem com leds coloridos, sem o contador digital, custando R$ 150,00; 250Hz NEON PRO, com o contador digital e os leds coloridos, custando R$ 240,00; Techno, acompanhada de uma bolsa de couro, por R$ 285,00; 350Hz METAL, que pesa o dobro das outras, é feita de metal e custa a bagatela de R$ 595,00.

Palavras finais

Esse é um brinquedo fantástico, com o qual fiquei entretido por dias. A qualidade do material é muito boa e fica realmente difícil não se empolgar. Aliás, só vou me desfazer dele porque, no sorteio da semana que vem, em vez de darmos uma camiseta, enviaremos essa Powerball Signature Edição Limitada. Portanto, se você ainda não está cadastrado, assine nossa newsletter e cruze os dedos!

emAnúncios Artigo Miscelâneas

Microsoft e o consumo indiscriminado de drogas pesadas

Por em 24 de junho de 2007

Eu não acredito que o comercial acima tenha sido feito sem que no processo quantidades industriais de drogas estupefaciantes tenham sido consumidas por quem criou, produziu, dirigiu e aprovou o filme.

Infelizmente não há uma estrutura para distribuição de entorpecentes para quem assiste, assim não dá para entender exatamente o que se passava pela cabeça dos envolvidos.

Achado no Fake Steve Jobs

PS: É, eu pensei que o primeiro bicho fosse exatamente o que passou pela sua cabeça.

emÁudio Vídeo Fotografia

iPhone pode não ser tão grande assim

Por em 24 de junho de 2007

meiobit-iphone2.jpg

A impressão que estamos tendo é que o iPhone é um monstro, mas uma pesquisa mais aprofundada mostra que ele não é tão grande assim.

Para ter uma idéia, compilei o tamanho de vários gadgets populares, como um iPod, um Sony-Ericssson T610 e um PSP e coloquei-os na mesma escala que o iPhone. O resultado foi surpreendente. Vejam só:

meiobit_comparacao.jpg

Da esquerda para a direita: Um Palm Treo 680, Um Qtek S200, um Palm T|X, um Sony-Ericsson T610, um iPod, um iPhone e um PSP. É, o diabo não é tão feio assim.



emApple e Mac

Escreve que eu te leio ( VI )

Por em 24 de junho de 2007

Olá, pessoal.

Não vou comentar com vocês que perdi todos os meus dados, de novo! Também não vou comentar que foi por pura preguiça de instalar um anti-vírus… claro, essa é mais uma justificativa esfarrapada pelo atraso da coluna ( sem contar a Powerball que recebi para análise e acabou com meu tempo livre ).

Enfim, vamos lá. Desta vez vamos falar sobre a política de conteúdo do Meio Bit ( além de algumas dicas sobre como ter seu artigo aprovado ) e extensões para o Firefox.


Cafeomancia

Victor Raul:”Ola, meu nome é Victor Raul, sou unversitario, faço o curso de Sistemas de Informação, leio o blog Meiobit, a cerca de 1 ano, a alguns dias conversando com alguns amigos decidimos abrir um blog e gostaria de saber se posso utilizar o site Meiobit.com, como fonte de pesquisa para utilizar no blog.”

Olá, Victor! É sempre bom ver o pessoal escrevendo novos blogs e sites. Quando citam o Meio Bit, então, nossos egos quase estouram. No entanto, para usar qualquer fonte de informação, é preciso observar a política de conteúdo do autor. A nossa está disponível aqui. Infelizmente, pouca gente segue essa regra, mas acredite: todo blog conceituado tem essa ética como norteadora.

No mais, sucesso para vocês aí!

Complementando o assunto, alguns leitores têm reclamado de estarem sendo “excluídos” no processo de seleção de artigos. Para deixar claro: aqui no Meio Bit, não discriminamos ninguém. Os motivos pelos quais os artigos não são liberados, podem ser vários: baixa relevância, notícia antiga, “reblog” ( ou seja: o autor escreve o mesmo artigo aqui e em outro site ). Pode até mesmo acontecer do moderador ter uma semana infernal e ficar sem tempo para verificar cada uma das entradas.

Ah! É claro: também é possível que o artigo tenha muitos erros. Nestes casos ( que, infelizmente, não são raros ), ele é sumariamente deletado.

Temos um prazer enorme em contar com a participação de vocês. Por favor, continuem mandando artigos. Observando os pontos acima, as chances deles serem publicados são muito maiores.



Busca nos favoritos

João Olavo: “Eu estou insatisfeito com os sistemas de armazenamento de favoritos. Talvez o novo Firefox resolva meus problemas, mas eu gostaria de algo que vá além de tags.

O meu desejo é que eu faça uma busca por algum termo, como faço normalmente no Google, e em vez da busca ser feito em todos os sites do mundo, ela é feita nos sites que estão nos meus favoritos!

Isso existe no Google Bookmarks (GB), mas ele é meio precário, não permitindo importar os favoritos que tenho no Firefox.

Olá, João. Já experimentou a extensão GMarks? Aqui, eu consegui importar todos os favoritos do Firefox e eles agora aparecem numa barra lateral, permitindo a mesma busca que seria feita no GB. Vale o download.


Email nonsense da semana

Leitora: “BOM DIA, EM PRIMEIRO LUGAR ESTOU MUITO SATISFEITA COM A MINHA CONTA DO GMAIL. ONTEM (21/06/00) RECEBI UM EMAIL NO MSN QUE EU SERIA EXCLUÍDA DO ORKUT, SE NÃO CLICASSE NO SITE, QUE ELES PEDIAM,SOU UMA PESSOA DE BOA INDOLI. GOSTARIA DE SABER SE FOI EMAIL FALSO SE É VERDADE OU É VÍRUS. UM GRANDE ABRAÇO [nome da leitora editado]


É isso aí, pessoal. Até a próxima.

emIndústria Internet Miscelâneas

Safari 3.0.2

Por em 24 de junho de 2007

Tudo bem, tudo bem, eu confesso: baixei a atualização 3.0.2 do Safari para Windows. Mas juro que foi apenas para informar aos leitores como anda o desenvolvimento do navegador…

O programa parece mais estável e rápido. Num teste simples, o site da Nasa demorou 25s para ser completamente “baixado”. No Firefox, foram 29s. Mas a impressão é de que o Safari é mais lento, possivelmente por causa da barra de progresso azul, que mostra o carregamento na caixa de entrada da URL.

Os sites agora “se apresentam melhor”, com poucos, porém irritantes, erros de renderização:

safari-update.jpg

No final das contas, ainda fico com meu Firefox, que já está configurado com as extensões que uso e funciona muito bem com a maioria dos sites ( para tudo na vida existe IE Tab ). Mas a Apple tem corrigido rápido os problemas e talvez uma versão num futuro não muito, muito distante me faça usá-lo no dia-a-dia.

emApple e Mac Internet

Longhorn reloaded?

Por em 23 de junho de 2007

Uma equipe de um site chamado Joejoe.org, pegou um build antigo do Vista, da época em que ele ainda era conhecido pelo codinome Longhorn (que, a propósito, proporciona alguns trocadilhos infames, porém engraçados) e, sabe-se lá como, criou uma versão otimizada do sistema do Bill Gates.

Screenshot do Longhorn Reloaded.

Estava tudo indo muito bem, até que a Microsoft ficou sabendo e os caras, depois de meses de trabalho duro – afinal, melhorar o Windows não deve ser uma das tarefas mais fáceis, e não é porque ele não é open source, não -, tiveram que cancelar o projeto.

Agradecimentos ao Paulo, da comunidade, que postou o link.

Fonte: Winajuda

emSoftware