Digital Drops Blog de Brinquedo

Projeto Galileo contará com sistema avançado para emergências

Por em 10 de agosto de 2007

O projeto europeu Galileo, que promete melhorar as funções de posicionamento global (com o sistema GPS), demonstrará em breve um sistema que promete cobertura completa do planeta com capacidade para receber sinais de emergência e re-enviar estes sinais para equipes de resgate. Para quem está pedindo socorro, o sistema poderá inclusive responder com um sinal de “pedido de ajuda recebido”. O sistema de emergência em uso atualmente, chamado COSPAS-Sarsat, sofre de várias deficiências e não tem cobertura global contínua (um dos satelites deve passar sobre o sinal emitindo pedido de socorro para ser captado).

emMiscelâneas

Computerworld entrevista Linus Torvalds

Por em 10 de agosto de 2007

A Computerworld fez uma entrevista com Linus Torvalds, o criador do sistema operacional kernel livre Linux. O finlandês falou sobre interesses comerciais, acordos da Microsoft com pobres empresas indefesas, GPL v3 e também comenta brevemente dos fanáticos open-xiitas. Pra quem conhece o livro Só por prazer: Linux, os bastidores da sua criação, vai ver que o programador praticamente repete o que escreveu seis anos atrás.

Ele fala que a liberação do código fonte foi essencial para o crescimento e desenvolvimento do Linux, sem o que, ele diz, teria se tornado apenas mais um projeto pessoal engavetado. Para ele, o desenvolvimento open source é superior ao proprietário e “O código livre vai tomar conta do mercado não por causa de nenhuma ‘batalha’, mas simplesmente porque jeitos melhores de fazer as coisas eventualmente tomam o lugar de métodos inferiores.”

Linus se mostra muito coerente e equilibrado em suas opiniões. Defende o modelo open source sem pender para o extremismo, e não vê na Microsoft um inimigo a ser caçado e destruído. Segundo ele, a Microsoft é irrelevante, não representa perigo para o Linux e a comunidade open source em geral. Coisas como acusar o Linux e outros projetos livres de violar 235 patentes são apenas FUD para tentar correr atrás do prejuízo que o OS livre vem lhe causando. Os acordos que a empresa de Bill Gates vem fazendo com empresas como a Novell, para ele, não são tudo aquilo que vem sendo discutido e noticiado – não passam de tempestade em copo d’água.

A respeito da popularização crescente do OS, ele acha que vai até mais rápido que o esperado. Não adianta ficar falando que “este é o ano do Linux”, pois a adoção do sistema até ele se tornar dominante pode demorar em torno de 20 anos. Um dos motivos para a aparente lentidão na opção pelo Linux é o que ele chama de “base histórica instalada” da Microsoft, e conquistar esse mercado ainda demora um pouco.

Linus também deixa evidente sua rejeição pela GPL v3, quando diz que a licença anterior era superior a esta, principalmente por assegurar os interesses comerciais de quem pretende fazer uma distribuição comercial. Inicialmente, Linus não usava a GPL, mas uma licença própria com os mesmos princípios de contribuição entre os desenvolvedores, obrigando-os a devolverem as possíveis melhorias para a comunidade, mas não deixava claro o uso comercial do software. “Existe um monte de fanáticos por software livre achando que tudo se resume nos desenvolvedores, e que interesses comerciais são ‘do mal’. Isso é estúpido. Não se trata apenas dos desenvolvedores individuais, mas de todos os diversos interesses sendo trabalhados em conjunto”, diz ele.

Em seu livro, escrito em 2001, Linus fala que não tinha noção do que Richard Stallman representava e nem o quanto suas idéias estavam ligadas a questões sócio-econômicas (páginas 83 e 84), mas que a licença criada por ele simplesmente era apropriada para o projeto que ele vinha desenvolvendo. Na entrevista, ele praticamente repete isso, dizendo que “escolhe-se a [licença] que melhor lhe convém”.

Pode-se ver claramente ao longo da entrevista que o programador finlandês desenvolve o OS open source mais famoso do mundo porque gosta e nada mais. Interesses e ideologias não fazem parte da lista de coisas que ele pretende ao fazer o Linux, porque tudo isso, da parte dele, é irrelevante. É um modelo de desenvolvimento que ele achou apropriado, e que daria muito mais certo se as opiniões, por mais divergentes entre si que possam ser, se focassem na tecnologia e nas necessidades das pessoas. Não é falando mal da grama do vizinho que vai fazer com que a sua grama fique mais verde.

Veja na íntegra: Computerworld

emLinux

10 coisas odiosas na hora de arrumar hardware

Por em 10 de agosto de 2007

O Jonny Ken é autor do Infoblog, onde fez um excelente post sobre 10 coisas que mais odeia na hora de arrumar hardware.

Como um sujeito que sempre montou seus desktops, concordo plenamente. Um exemplo:

meiobit-metron.jpg

5º- Botões & Conectores USB frontais
Praticamente toda placa mãe tem a mesma ordem dos conectores frontais do USB, luz do HD, caixa de som, power, reset e leds. Por que raios não fazem um conector universal já todo agrupado? Ficar rodando o manual para colocar um por um e na ordem certa beira o ridículo! (Obviamente, no micro da Metron os conectores estão cheio de cola quente, como na foto acima)

Leia o resto da lista do Jonny aqui.

emHardware

Novos iMacs desmontados

Por em 10 de agosto de 2007

Dica rápida para quem gosta de ver uma boa engenharia de hardware: o site Kodawarisan desmantelou um dos novos iMacs e publicou todas as fotos.

A qualidade de projeto é mesmo impressionante, especialmente levando em consideração que há três ventoinhas e ninguém tem reclamado do ruído.

emApple e Mac Hardware

Bateria de PSP explode

Por em 10 de agosto de 2007

Agora a turma do Osama tem uma nova arma. Após os Ipods explosivos, parece que dessa vez a sensação é equipar homens-bomba com PSPs.

Bob Nixon, um sujeito nascido na Florida foi até uma loja da Radio Shack e comprou um carregador de bateria genérico para seu portátil. Após uma carga de aproximadamente uma hora ele começou a sentir um cheiro de queimado na casa e foi averiguar de onde vinha o odor.

Enquanto andava pela casa ele escutou a explosão e correu para o quarto, ao chegar lá presenciou a cena dantesca: A bateria de seu PSP estava destruída. Ele disse que pedaços da finada bateria estavam por todo o quarto e a explosão deixou uma mancha preta na cabeceira. Para Nixon, a bateria explodiu porque ele deve ter comprado o carregador errado e que devia ter perguntado ao atendente da loja se a versão escolhida funcionava no PSP. Pois é, as vezes o barato sai caro.

Dica do Cobalto

[via Fun Tech Talk

emGames

Personalização, a palavra da vez

Por em 10 de agosto de 2007

Parece que os executivos da EA ouviram minhas preces. Na conferência realizada pela SIGGRAPH (espécie de grupo formado para desenvolver tecnologias gráficas), Glenn Entis, chefe da equipe de tecnologias visuais da Electronic Arts disse que cedo ou tarde os gráficos chegarão ao ápice e aí é que começarão os problemas para os desenvolvedores.

Segundo ele, quando isso acontecer, não será mais preciso nos preocuparmos com a fidelidade das imagens ou pensarmos em tornar os gráficos mais bonitos. A solução será então permitir que o usuário possa criar a forma como quer ver seus personagens/objetos no jogo. Ele cita como exemplo o sucesso que comunidades estilo MySpace, Youtube e Facebook fazem e diz que estamos vivendo o renascimento da criatividade.

Acho muito interessante o ponto de vista dele e concordo que esta talvez seja a saída. Muitos jogadores gostam de personalizar seus jogos, isso faz parte do ser humano. Tornar-se diferente. Veja os editores de pistas em jogos de corrida, editores de uniformes nos jogos de futebol. Até o LittleBigPlanet, futuro jogo para PS3 onde o jogador poderá criar suas aventuras quase do zero. O fato é que muitas pessoas gostam de modificar seus jogos e oferecer isso ao consumidor agrega valor aos jogos, além de aumentar a vida útil do título. 

[via Kotaku]

emGames

Wii firmware 3.0

Por em 10 de agosto de 2007

Está semana a Big N pegou muitos (felizes) donos de Wii de surpresa. Foi disponibilizada a versão 3.0 do seu firmware com várias modificações e inclui muitas novas funções.

Dentre as novidades, as mais comentadas são: o novo relógio digital que é exibido na seção Channels ( que não foi bem recebido pelos usuários, talvez por lembrar-lhes da quantidade de horas que gastas em frente à TV ) e a possibilidade de se utilizar teclados USB com o console. Apesar do teclado ainda não poder ser usado com o navegador Opera, acredita-se que essa função esteja disponível nas próximas versões do browser.


Mas o que mais chamou a atenção do usuários foi o banho de água fria em alguns usuários de modchips e outros programas do tipo, como o caso do “Free Loader”, programa que permite jogar títulos de regiões diferentes daquela que seu console suporta, que depois da atualização só exibe mensagens de erro.

Nem todos os ModChips foram bloqueados com essa atualização, mas isso mostra, que a Nintendo está disposta a combater a pirataria como suas concorrentes.

Fonte: Nintendista

emHardware Indústria