Digital Drops Blog de Brinquedo

Micro-Notebook de 7 polegadas rodando Linux

Por em 21 de maio de 2008 - 32 Comentários

Custa US$219,00, se chama Alpha-400, tem um processador XBurst (ahn?) de 400Mhz, 128MB de RAM, 1GB de memória flash, 3 USBs, slot para cartão SD, 7 polegadas de tela, resolução 800×480, WIFI, Ethernet, 21.2 X 14.2 X 3.3cm e pesa 700 gramas.

pobrebook

Não falam qual o sabor de Linux que vem nele, mas dificilmente é Ubuntu rodando Compyz. A customização foi feita pela Xiptech, se é que isso ajuda.

Se isso está parecendo um Asus Eee de pobre, acertou em cheio.

128 de RAM e 1GB de armazenamento é pouco demais, mesmo para um subnotebook portátil barato. Eu vejo esse bicho mais como aquela cópia pirata do Asus Eee que os pais vão comprar, achando que fizeram um negocião, e darão de presente para os fihos geek, "exatamente o que eles pediram".

Fonte: Desktop Linux

emAndroid e Linux Hardware

Boeing aperfeiçoa armas “LASER”

Por em 21 de maio de 2008 - 34 Comentários

Não são tubarões, eles não se dão bem no deserto, mas sim o AC-130H Spectre, aquele Hercules com toneladas de canhões e metralhadoras que quase acabou com a raça do Skorponok em Transformers.

Embora para guerra convencional o AC-130 seja excelente, no campo de batalha de hoje, recheados de civis inocentes, ele não tem precisão para garantir que não aconteçam danos colaterais. A evolução natural será equipar esses aviões com lasers.

As armas de energia, como lasers apresentam precisão total. A menos que esteja tudo muito descalibrado, onde você aponta, ela acerta. Não há arco balístico, não há estilhaços de bombas, não há vento alterando trajetórias. É pa/pum.

laserhercules

Dando prosseguimento ao programa Advanced Tactical Laser, a Boeing concluiu os testes de disparo do laser com o avião no solo, ainda em 2008 irá conduzir testes em vôo. O laser fez mais de 50 disparos bem-sucedidos, provando que não vai explodir o Hercules em pedacinhos. Os pilotos agradecem.

Com mais de 1 Megawatt e alcance de 20Km, esses lasers podem acabar com seu dia, infelizmente não veremos armas manuais tão cedo. O conjunto é um laser químico, pesa mais de 7 toneladas. É o preço que se paga por um laser capaz de derreter um tanque em três segundos. Imagine o que faria na cabeça do Osama…

Só não sei se ele faz "pew pew pew" quando dispara.

Fonte: Defense Tech

emHardware

A Vida imita The Big Bang Theory

Por em 21 de maio de 2008 - 26 Comentários

No episódio "The Cooper-Hofstadter Polarization", da impagável sitcom "The Big Bang Theory" os geeks estão reunidos, agitados, testando um experimento, onde roteiam um sinal TCP/IP em volta da Terra, passando por um monte de países até um computador comandando um relé, que acende e apaga um abajur na sala onde estão.

Penny, a vizinha "normal" não entende o motivo. Essa é a grande diferença entre geeks e gente normal. Geeks fazem as coisas para ver se é possível, e com isso acabam avançando o conhecimento, a tecnologia ou pelo menos se divertindo.

big-bang-theory

Agora um sujeito chamado Justin Wickett chegou quase lá.

Usando um programa no notebook para monitorar sua conta no Twitter, mais um sistema de automação doméstica, mais um celular montou uma gambiarra onde envia um SMS para o Twitter, reconhece o comando "bedroom light on" (ou off) e acende ou apaga a luz do quarto.

Sério, tem até um vídeo:



Control Lights with Twitter from Justin Wickett on Vimeo.

Inútil? Sim. Trabalhoso? Sim. Digno de vários pontos na escala geek? Com certeza.

Fonte: Crunchgear

emCelular Computação móvel Hardware Internet

A Evolução dos Celulares

Por em 21 de maio de 2008 - 19 Comentários

O vídeo abaixo mostra a evolução dos celulares, desde 1985, com o primeiro tijolão, e vai até o iPhone. Seria normal acabar ali, afinal não há nada além da perfeição, mas incluíram alguns modelos-conceito totalmente impraticáveis, só para não reconhecer a supremacia da Apple 😉

Recomendo abaixar (ou zerar) o volume.

Também não é bom ficar contando quantos telefones você já teve e que aparecem no vídeo, é saudosismo demais.



Fonte: Crunchgear

emCelular

Vem aí o OLPC 2 – A Missão

Por em 21 de maio de 2008 - 38 Comentários

Existe uma diferença entre ser visionário e perder o contato com a Realidade. Nicholas Negroponte já está em um ponto onde não é mais possível ajudá-lo sem medicação psiquiátrica.

Ninguém comprou o OLPC, o Computador de US$100 custa na verdade US$188, os fóruns estão cheios de gente reclamando dos teclados que não funcionam direito e estragam na mão das crianças, todo mundo menos o faxineiro (e o Negroponte) pulou fora do projeto.

O quê ele faz?

 

xo2

Isso mesmo. Anuncia uma nova versão do laptop educacional que ninguém quer.

Calma que piora.

Ele fez uma apresentação de um laptop com metade do tamanho do OLPC atual, duas telas LCD touchscreen, no formato de um livro, teclado virtual, etc, etc.

Preço? US$75,00 – em 2010.

xo1

Vamos recapitular: Ele não consegue entregar no prazo o Laptop de US$100 (que custa US$188), o time foi todo embora, fechou parceria com a Microsoft, irritanto toda a comunidade Open Source que estava apoiando o projeto. Agora se sai com um modelo que só existe em mockups, mas que fará com que TODO MUNDO que ainda tinha interesse em comprar um OLPC cancele os pedidos e espere pelo novo (afinal cai de US$188,00 para US$75,00)? Sem contar o detalhe de que é horrível digitar em uma superfície sólida.

O projeto está tão mal-feito que a argumentação para as telas baratas é que vão usar telas formato 16×9 de DVD Players portáteis, produzidas em larga escala.

Ninguém falou para ele que essas telas de US$20,00 são de baixíssima resolução, não chegam nem perto dos 1200×900/200dpi do OLPC atual. Simplesmente não é viável usar essas telas em um laptop. Já tentou ligar um PC na televisão?

Muito bom, Nicholas. Se o OLPC não tinha morrido (tinha sim) agora você acabou de matá-lo.

Fonte: Ars Technica

emHardware Open-Source

Sigma DP1 – Agora vai

Por em 20 de maio de 2008 - 6 Comentários

sigma DP1

 

A Sigma finalmente colocou a venda a sua tão aguardada DP1. A câmera é uma compacta de alto desempenho que vem para brigar no mercado de câmeras de grande qualidade. Não é segredo para ninguém que a Sigma sempre quis brigar com as pequenas rangefinders da Leica. Depois de atrasar o lançamento várias vezes por conta de problemas que custavam a ser resolvidos, agora a pequena gigante se encontra a venda no Amazon por “apenas” U$ 799,00.

Pode parecer um absurdo esse preço, mas temos que ter em mente que o objetivo da Sigma é atingir o consumidor com grande poder aquisitivo e que exige qualidade na confecção de suas fotos. Esse mesmo consumidor pode ter a DP1 como segunda ou terceira câmera. Para quem não ouviu falar ainda desse equipamento, a DP1 é uma compacta com sensor Foveon com 14 megapixels de resolução máxima e tamanho de 20,7×13,8mm. O sensor usa a tecnologia CMOS, mas capta as cores primárias em camadas independentes. Outras especificações interessantes são a lente fixa com 24mm (equivalente no formato 35mm), o controle manual total e a capacidade de fazer fotos em RAW.

Essa semana, o site Dpreview, publicou um teste prático com a Sigma DP1. Foram analisados vários aspectos voltados para a qualidade da imagem e desempenho do hardware e software. Segundo a avaliação do site, existem mais pontos negativos do que positivos na câmera, mas sempre houve muitas críticas quanto às metodologias de testes do Dpreview. Uma coisa interessante são os testes comparativos, onde são analisadas fotos feitas pela DP1 e pela Eos 450D da Canon.

Independente das opiniões contrárias, o que vai fazer a tecnologia vingar ou não é o impacto com os consumidores. Isso só o tempo vai mostrar.

emFotografia

Apple ganha o “Oscar” do design

Por em 20 de maio de 2008 - 17 Comentários

A D&AD uma entidade educacional no ramo de Design e Publicidade divulgou seus prêmios de design para 2008. Esta premiação é considerado o Oscar do design e existe desde 1963.

Existem 3 prêmios para cada categoria:

Black Pencil – Concedido para o design considerado inovador que estabelece um novo padrão. Por esse motivo não é concedido em toda a edição do prêmio e estava sem premiados desde 2003.

Yellow Pencil – Os melhores do ano.

Nomination Pencil – Indicados.

A Apple ganho este ano dois Black Pencil na categoria Product Design, um para o iMac e outro para o iPhone. Na mesma categoria foram dado um Yellow Pencil ao iPod Touch, e foram indicados o iPod Nano e o Apple Wireless Keyboard. Ao todo a Apple nomeou 5 dos 9 concorrentes da categoria.

No passado a Apple também ganhou em 1999 um Black Pencil pelo iMac original e em 2001 outro pelo iPod.

Nos 45 anos do prêmio a Apple ganhou 6 Black Pencil o que a torna sua maior ganhadora.

O curioso desta história toda é que na internet frequentemente acusam a Apple de copiar o design da Braun, principalmente o iMac e ao iPod. Como esses dois produtos ganharam o prêmio máximo da D&AD isso me faz pensar, que esse pessoal do D&AD não entende nada de design.

Fontes: Macworld UK

emApple e Mac