Digital Drops Blog de Brinquedo

TIM ganha licença na telefonia fixa

Por em 3 de junho de 2007

A TIM foi à Anatel e pediu uma licença de telefonia fixa. A Anatel analisou o
caso e aprovou operação nacional para a TIM em telefonia fixa. Tudo aconteceu
na surdina, sem estardalhaço. A TIM possuía participação na Brasil Telecom o
que a impediria de atuar na região desta operadora. Mas repassou suas ações
para um fundo da Credit Suisse. Também retirou seus dois conselheiros na
operadora. Desta forma ficou desimpedida, na visão da Anatel, de obter uma
licença nacional para operar telefonia fixa.

Pra falar a verdade não entendo, nos dias de hoje, os motivos de interesse de
uma empresa em telefonia fixa. Há telefones sobrando e uma segunda ou terceira
operadora em uma dada região sofre para conseguir clientes. Só se for para se
fortalecer frente aos outros players do mercado que possuem todos uma operação
celular e outra fixa.

Em outras notícias na área de telecom, a Portugal Telecom tem interesse em
comprar participação no grupo Oi, antiga Telemar. Como a situação da PT na
Vivo não se resolve e o grupo português tem muito interesse no Brasil, entrar
em outra operadora pode ser a solução.

[via
Computer
World
e
IDGNow!
]

emIndústria

Mídia Dupla-Camada – Você já viu?

Por em 2 de junho de 2007

meiobit-pegrande.jpgÉ muito, muito difícil de encontrar, seja nos sites, seja nas lojas, mídia dupla-camada para DVD.

Assim que os padrões se estabeleceram, e os fabricantes definiram que era mais fácil criar gravadores que lesse/gravassem todos os formatos ao invés de esperar o fim da guerra, foi decidido que haveria um modelo gravável/regravável de DVD em dupla-camada, possibilitando algo em torno de 8.5GB em um único disco.

Virtualmente TODOS os gravadores modernos suportam o padrão, mas alguém já viu essa mídia para vender?

Confesso que já achei, depois de muito procurar, mas enquanto um disco custava R$2,00, o dupla-camada custava R$17,00.

Procurando no Submarino, não achei nenhuma oferta de mídia dupla-camada. Na Amazon, achei um pacote de DVD+R Memorex, dupla-camada pino de 50 unidades. Preço? US$56,99 já com aquele desconto camarada. Como comparação, um pino de DVD+R Memorex, camada simples, custa US$17,98.

Ou seja: A mídia DVD de camada dupla nunca vai existir realmente. Ela é cara, difícil de achar e os DVDs HD e Bluray já estão por aí. É uma pena.

emMiscelâneas

Indio quer apito e royalties das operadoras de celular

Por em 2 de junho de 2007

meiobit-manitoba.jpg

As nações indígenas da província de Manitoba, no Canadá entraram com um pedido no mínimo curioso. Querem que as operadoras de telefonia celular da região paguem royalties, pois seus sinais atravessam o espaço aéreo da Reserva.

Veja bem, não estamos falando de torres. Falamos de ondas de rádio.

Segundo o Chefe Ovide Mercredi a solicitação é baseada no entendimento de que as tribos têm alguns direitos fundamentais, enquanto nativos, à terra, água e espaço aéreo. “Em se tratando de espaço aéreo, é como usar a nossa água, e porque não há precedente não quer dizer que não seja a coisa certa a fazer.”

Sinceramente esses índios canadenses estão me saindo gananciosos demais. Façam como os americanos, abram um casino, mas não venham com essa idéia idiota. No mínimo vão ter que cobrar royalties de tudo que é sinal eletromagnético que passa por suas terras, incluindo ondas curtas, televisão, radares militares, o forno de microondas do Guarda Belo, e raios cósmicos da supernova 1984A. Vão mandar a conta pro Galactus?

O que é pior é que em tempos politicamente corretos, muito provavelmente um juiz paternalista com o dinheiro alheio irá dar ganho de causa para eles, ao invés da corporação maligna que explora os índios passando suas cancerígenas ondas de rádio pelas terras silvícolas, sem compensação alguma.

Ruim mesmo é que a moda vai pegar. Não duvidem isso aparecer por aqui em no máximo seis meses.

Via Textually.org

emCelular

O Homem confirmou: Jogo de Star Wars para Wii

Por em 2 de junho de 2007

meiobit-lightsaber

Acredite se puder. Este site da Nova Zelândia traz uma longa, completa, detalhada e chatíssima matéria sobre as realizações econômicas do Wii, seu impacto no mercado, bla bla bla, tudo que estamos acostumados a ouvir. Só que o melhor de tudo, é que no meio dessa falação toda, um parágrafo se destaca:

 

The head of the LucasArts, the game division for “Star Wars” series creator George Lucas, told AFP a Wii game that lets players wield virtual light sabers is on the horizon.

 

As palavras importantes estão em destaque. Isso mesmo. Há um jogo planejado para Wii envolvendo sabres de luz. E tenho a impressão que não estão falando do Lego Star Wars.

Como poderia ser um jogo desses? Vejam esta montagem feita por um fã:

 

emGames

Oficial: FeedBurner agora é do Google

Por em 1 de junho de 2007

Um dos serviços mais usados por quem tem blogs é o FeedBurner, que otimiza os feeds RSS e permite controle excelente sobre o feed. Depois de vários rumores, foi confirmada hoje a venda do FeedBurner para o Google.

O Google anteriormente não tinha uma ferramenta como esta, e seu programa de anúncios Adsense permanece bastante restrito por muito tempo. Creio que com o Feedburner agora seja possível que o Google entre com mais intensidade na área de anúncios via RSS.

Mais um passo em direção à dominação mundial.

emIndústria

iTunes sem DRM mas com seu nome no arquivo

Por em 1 de junho de 2007

O pessoal do ArsTechnica analisou músicas compradas do
iTunes
sem DRM
e descobriu que
algumas
informações dos usuários estão “encodadas” junto ao arquivo
. O nome e o
email aparecem em uma análise dos bytes. O TUAW, blog especializado em Apple,
confirma
o achado
. Na verdade a Apple sempre colocou esse tipo de informação nas
músicas que vende, mas em um arquivo criptografado protegido por DRM não é tão
simples encontrá-los.

A polêmica começa quando se confunde “sem-DRM” com pirataria. Não é porque
agora existe música sem proteção que você pode distribuir arquivos a torto e
direito. Continua ilegal do mesmo jeito. O que você está comprando é a
possibilidade de ouvir sua música da forma que bem entender, nada mais do que
isso. Como seu nome e e-mail estão lá, se você distribuir tais arquivos por
meios ilegais será possível rastrear a fonte.

Teoricamente não há o que temer em termos de privacidade. A música foi
comprada para você usar, e ninguém mais. Mas ter seu nome e email armazenados
nesses arquivos digitais desprotegidos dá um frio na espinha. Imaginem se seu
iPod cheio de músicas sem DRM legalmente adquiridas for roubado e seu conteúdo
parar nas redes P2P. Vão achar que você é a fonte do vazamento. Mas isso não
difere muito de quando sua carteira é roubada com todos aqueles documentos e
cartões em seu nome. Podem ser usados de forma errada.

Acho que o melhor seria a Apple colocar uma marca d’água com um código anônimo
que só ela saberia relacionar a um usuário. Isso não tiraria deles o poder de
descobrir as fontes de vazamento, se é essa a função desta identificação.

[via
Linha
Defensiva
,
ArsTechnica,
TUAW
e
EFF]

emÁudio Vídeo Fotografia Segurança

YouTube assina acordo com EMI

Por em 1 de junho de 2007

O YouTube e a EMI assinaram um acordo para que clipes da gravadora possam
ser exibidos legalmente no serviço de vídeo. Usuários também poderão usar
trechos em suas edições e tudo mais. Na verdade isso acaba sendo apenas uma
formalização do que já acontecia em um mundo regido pelo mantra “usuário gera
conteúdo” através de uso de trechos de vídeos de terceiros.

Procurar no Google – note bem, no Google e não diretamente no YouTube – por
músicas conhecidas, invariavelmente aparece nas primeiras posições algum
material do YouTube. Não há razão para as gravadoras irem contra essa maré e
por isso faz todo o sentido o acordo assinado com a EMI. Anteriormente o
YouTube já havia assinado com a Universal, Sony BMG e Warner Music.

Não tem jeito. O YouTube é a central de vídeos da internet, queira ou não. O
Joost, o Fiz, ou qualquer outro que tente entrar neste mercado por enquanto
serão apenas sistemas periféricos.

[via
Google
Operating System
e
Bloomberg]

emIndústria