Digital Drops Blog de Brinquedo

Visual Studio 2005: a ferramenta de desenvolvimento da Microsoft

Por em 21 de maio de 2007

Já ouvi muita gente dizer, mesmo em faculdades de tecnologia, que ODEIA programação com todas as forças. O problema pode estar justamente na apresentação.

Ferramentas que usam compiladores apenas em console de comando, dezenas de configurações, pacotes e mais pacotes de instalação. Acredite, eu já passei por isso e tenho pena dos mestrandos e doutorandos usando o DevC++ quando estariam melhor servidos pelo Visual C++ 2005 Express. Sim, é uma IDE completa e gratuita. ;-)

Há alguns anos atrás, resolvi estudar desenvolvimento para dispositivos móveis. O Palm era o forte da época e o mundo de Pocket PCs ainda erá risível em todos os aspectos: caro demais, documentação pobre, ferramentas difusas, etc. Fui atrás do PalmOS, BREW e Symbian e de
todos, achei o Symbian o mais completo em termos de documentos e exemplos. A Palm tinha várias opções também, mas sempre achei tudo muito confuso, mesmo usando o Codewarrior, uma IDE que mais tarde foi comprada pela Motorola, mas continuo detestando ela até hoje. Tenho pena do Marcellus por ser obrigado a usá-la.

Depois de alguns meses, tendo criado uns programas bobos, estudado código, achei o Symbian um lixo. Perde-se muito tempo em coisas absolutamente improdutivas e inúteis e é muito chato ver pouca coisa realmente feita, justamente o combustível de quem desenvolve sozinho. E ele sofria do mesmo problema que todas as outras: configuração de qualquer coisa parecia programar Assembly em RISC usando binário nativo.

Resolvi voltar os olhos para o “mundo Microsoft Mobile”. E foi uma surpresa enorme quando constatei: a Palm vai pro saco. E não apenas por causa de marketing agressivo, mas o foco em desenvolvedores. A Microsoft pegou o Visual Studio 6, tirou todas as gorduras, configurou-o
para PocketPC, despejou milhares de páginas de documentação, tutoriais, games, vídeos, tudo com código-fonte. E ainda abriu a licença do SQL Server Compact Edition para ser usada comercialmente. E não cobrou nada, até hoje. Está tudo disponível de forma gratuita.

Resultado? Milhares de desenvolvedores, como eu, deixamos a bagunça da Palm e o carro-de-boi da Symbian para dar uma espiada e testar o desenvolvimento e nunca mais instalei o SDK na máquina. Para saber mais, recomendo esse artigo do MSDN.

Outro ponto a favor do Visual Studio é que o mercado de games cresce no mundo inteiro. É a nova onda, o novo “mobile” dos próximos anos. A tecnologia usada no desenvolvimento de jogos de entretenimento começou a chamar a atenção do mercado “sério”, corporativo. O uso de imagens, interação, vídeo e som está cada vez mais sendo usado em treinamentos à distância, reforçar regras de segurança e simular funcionamento de equipamentos. Os consoles de última geração chegaram e estão mudando a sala de estar. É questão de tempo para os preços caírem e essa realidade chegar ao Brasil.

E como alguém começa a estudar, do zero, tecnologia para desenvolvimento de jogos? Fui atrás de ferramentas para PS3, Wii, XBox 360 e Windows. O mais rápido, fácil e com documentação gratuita e ampla é novamente a plataforma da Microsoft: Visual Studio, de novo, despontando, junto com o kit de desenvolvimento do DirectX para código nativo em C++ ou usando bibliotecas da .Net Framework, com o XNA Studio.

Essa é a dica para quem quer investir em um diferencial para os próximos 2-3 anos e aproveitar as oportunidades e cursos que estão surgindo. Se você fizer um jogo, mande o demo para nós e ficaremos felizes em ajudar na divulgação. ;-)

emSoftware

Nintendo Wii, 6 meses depois e ganhando

Por em 21 de maio de 2007

Um artigo interessante sobre o cenário de consoles nos EUA mostra números que estão consolidando o Wii como o console de escolha da nova geração (ou seria injusto incluí-lo no conceito?).

O fato que mais comprova são as projeções dos grandes desenvolvedores de games, que estão investindo pesado em novos jogos, comprando empresas, alocando equipes exclusivas para o Wii. Essa tendência, segundo o artigo, acontece sempre a cada novo ciclo de renovação. O
ganhador passado foi sem dúvida alguma o PS2, já que sua base instalada superior ao 100 milhões de unidades justificava o investimento.

O Wii já vendeu, nos EUA, 2,5 milhões de unidades e as fábricas da Nintendo ainda não conseguem dar conta da demanda. O PS3 vendeu até o momento 1,3 milhões de unidades. Maior base instalada significa mercado maior, justamente a idéia da Nintendo: incluir novos jogadores, ao invés de invadir o mercado de Sony e Microsoft.

E por possuir gráficos e tecnologia mais simples, o Wii é mais barato para desenvolver títulos. Um game top de linha custa em média 5 milhões de dólares para ser produzido. Já XBox 360 e PS3, o custo salta para estratosféricos 20 milhões de dólares para produzir um
Gears of War ou Metal Gear Solid da vida.

E mais um dado, se ainda resta alguma dúvida: o Wii, em Abril, foi o console campeão de vendas com 360 mil unidades, mais do que o XBox 360 e PS3 somados. Já o PS3 vendeu 50 mil unidades menos, caindo de 130 mil para 82 mil consoles vendidos. O XBox 360 vendeu 174 mil unidades, mais do que o dobro de PS3. E para selar o mês, os 4 jogos mais vendidos foram da Nintendo. Nem tudo são más notícias para a Sony, já que God of War II vendeu em março desse ano mais de 830 mil unidades e o PS2 vendeu 194 mil unidades.

O ranking ficou assim:

1. Nintendo DS: 471.000
2. Wii: 360.000
3. PlayStation 2: 194.000
4. PSP: 183.000
5. Xbox 360: 174.000
6. PlayStation 3: 82.000

Fontes: SFGate, Gamasutra, 1up

emIndústria

Escreve que eu te leio ( III )

Por em 21 de maio de 2007

Olá, pessoal.

Repararam que estou quase acertando a coluna para que saia novamente aos sábados? Pois é… ainda chego lá.

Hoje vamos falar de dyndns, Mercado Livre, IPs e Symbian.

Vamos ao que interessa.



Dyndns

Pierre: “Oi, será que vc poderia me ajudar? Tenho um dlink di524 e li seu relato sobre o mesmo em relação ao dyndns, vc sabe se existe algum firmware que
atualize o di 524, pois li que depois que o dyndns mudou o logon a maioria dos roteadores não consegue atualizar o dns. Ou vc conhece algum roteador que funcione com o dyndns???”

Oi, Pierre. Se você leu meu primeiro artigo aqui no Meio Bit, já sabe que me decepcionei com a marca e migrei para a Linksys. Desde então, com o linux instalado no WRT54G tudo corre ( quase ) às mil maravilhas. Inclusive, a autenticação no dyndns é feita pelo roteador e tem funcionado bem nos últimos meses, sem nenhuma modificação.

Mas se você quiser insistir no D-Link, esta página tem as possíveis atualizações de firmware. Verifique a versão do seu modelo, mas todas as disponíveis são antigas, duvido que seu problema seja esse. O mais provável é que seu modem esteja configurado como “router”, de forma que ele envia um IP inválido ( 10.0.0.alguma_coisa ou 192.168.alguma_coisa.alguma_coisa ). Dessa forma, o DI-524 tenta atualizar o dyndns com esse IP inválido e, claro, ninguém de fora da sua rede vai conseguir acesso.

Se nada der certo, “Don’t Panic”. Pegue sua toalha, baixe o cliente dyndns para Windows e desligue a atualização do seu roteador.

Mercado Livre

Claudio Ramos: “Anunciei um produto no ML mas não sei como entrar em contato para reclamar um erro que esta acontecendo no anúncio !! Vcs tem algum mail para este tipo de problema ?”

Rapaz… você está mesmo com um problema… o pessoal do Mercado Livre não deixa um telefone para contato. Quando precisei falar com eles, tive que usar o formulário de contato. Boa sorte.


URLs e números IP

Há um tópico bem interessante no fórum, relatando uma experiência “estranha” com um email fraudulento. O Renato ficou encucado com um endereço do tipo http://1074657919 ( não era exatamente esse, claro ) . Por mais estranho que pareça, esse é um endereço perfeitamente válido e, vejam só, do Meio Bit!

O que acontece é o seguinte: o número 1074657919 também pode ser escrito como 64.13.250.127, que é o mesmo que 64*256^3 + 13*256^2 + 250*256^1 + 127*256^0. Não entenderam? Façamos assim: convertam 1074657919 para a base binária. Vocês verão que o número resultante é 1000000000011011111101001111111. Os endereços IP que se vêem por aí, são quatro números separados por pontos, certo? E esses números têm 8 bits ( vão até 255 ), certo? Vamos separar esse número binários em várias “partes”, com 8 bits cada uma: 01000000.00001101.11111010.01111111.

Agora, ficou mas fácil que tirar doce da boca de criança… basta converter cada número entre os pontos para a base decimal: 64.13.250.127.

Particularmente, ainda acho que os navegadores deveriam ter a opção ( habilitada por “default” ) de não aceitar endereços numéricos, apenas URLs que pudessem ser convertidas por DNS. No caso de intranets, os administradores poderiam ( deveriam ) modificar o instalador e todo mundo viveria feliz.


Symbian

Marcos: “Acabei de ler uma notícia do Carlos Cardoso sobre Ubuntu em celulares do dia 8 Maio, 2007 mas não entendi a frase: “a Nokia não aguenta mais o
Symbian, só não o mata por ser suicídio” pois tudo o que li até o momento foram a favor do symbian. Gostaria, se possível de uma melhor explicação da frase.

Olá, Marcos. Você poderia ter perguntado diretamente no artigo do Cardoso. Mas aí vai a resposta dele:

“Direto do Slashdot:

Inside Symbian: the Platform Nokia Secretly Hates
http://developers.slashdot.org/article.pl?sid=07/02/05/139207&from=rss

E o artigo principal aqui:
http://www.roughlydrafted.com/RD/RDM.Tech.Q1.07/6856C375-FE4E-4BC8-B753-B48AF3BD8B30.html



Ghost in the Shell


Para compensar o atraso, uma pequena nota cômica. Vejam o tipo de coisa que costuma chegar na nossa caixa postal:

a vida vive de empresamento as dividas enprensa o patrão Que enprensa o adiministrado que massacra os operarios;Avida emprensa os a fome que
emprensa os tomago que fas o ladrão o ladrão massacra o povo que recrama com o estado que criou o batalhão o batalhão que emprensa o ladrão que
revida com balas perdidas que espalha sangue no chão A fome emprensa a criança que emprensa a mãe que emprensa o marido que emprensa o
patrão;claudio marcio

Seria cômico mesmo, não fosse trágico…

Até a próxima, pessoal!

emComputação móvel Hardware Linux Miscelâneas Wireless e Redes

Economizando bateria no Vista

Por em 20 de maio de 2007

aero.jpgCom o Vista sendo adotado nos novos “notebooks”, a preocupação com o consumo das baterias tem crescido muito. O vilão das história é o ambiente gráfico Aero que, por conta das novas funcionalidades e firulas, faz o processador gráfico trabalhar bem mais que nas antigas versões do sistema operacional.

Nas configurações de energia do Vista, não existe a possibilidade de desligar completamente o Aero, o que deveria prolongar de 4 a 20% o tempo de uso com baterias, segundo analistas. Felizmente, para tudo na vida existem programadores 10 ( ok, ok… foi uma péssima piada, mas hoje é domingo, dêem um desconto ).

Um programa, desenvolvido por Clint Rutkas, vai se encarregar de desligar completamente o Aero no caso de você tirar seu micro da tomada. Como nada é perfeito, ele vai ocupar 3MB da sua preciosa RAM. A questão que fica é a seguinte: por que a Microsoft não fornece essa “feature”? Talvez no primeiro “Service Pack”…

Outra grande pergunta: existe mesmo uma diferença perceptível na vida da bateria, sem o Aero? Particularmente, ainda não consegui medir, mas falarei mais sobre isso em breve. Se até lá algum leitor quiser testar, por favor, coloque os resultados nos comentários.

emComputação móvel Hardware

A maior TV de plasma do mundo

Por em 20 de maio de 2007

Plasma103

Na sexta-feira a Panasonic demonstrou em São Paulo a maior TV de plasma do mundo, com 103 polegadas (foto acima, com o presidente da Panasonic do Brasil, Masanobu Matsuda). O Meio Bit esteve lá e mostra o que aconteceu.

Fiquei impressionado ao entrar na sala que demonstrava a gigante TV de plasma. Juro, soltei um UAU! Tem um metro e meio de altura, dois metros e meio de largura e 13 centímetros de profundidade em 220 kg. Na demostração um filme Blu-ray de A Era do Gelo 2 estava tocando. A qualidade da imagem 1080p (full HD) é impressionante. Parecia que estava no cinema assistindo um filme em película. Vai custar só 300 mil reais e vendida sob encomenda.

A Panasonic também mostrou sua estratégia no mercado de máquinas fotográficas digitais. Apresentou vários modelos da linha Lumix que possuem mecanismos que evitam a foto sair borrada. A demonstração foi interessante. Há um sensor que capta o movimento das imagens e outro que é capaz de sentir se o equipamento está em movimento. A mistura de ambas as informações dispara um algoritmo que aumenta a ISO (sensibilidade do “filme”) e a velocidade do obturador automaticamente. Toda a linha, do equipamento básico ao mais avançado, conta com essa tecnologia.

A empresa também deve começar a vender no Brasil um player Blu-ray (foto após o break). Não há ainda estratégia de preços e quantidade de equipamentos disponível. O presidente da Panasonic no Brasil, Masanobu, deu a entender que estão esperando o sistema se popularizar e a entrada de outros fabricantes no mercado para definir a estratégia. Mas informa que está preparada para suprir a demanda pelo aparelho. Perguntei se esse conservadorismo tinha a ver com o avanço do mercado legal de vídeos on-line, mas não obtive uma resposta conclusiva. Outros equipamentos lançados incluem telas LCD finas e câmeras de vídeo.

A seguir, após o break, fotos do lançamento:
continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Hardware

Chaoscope – Gerador de fractais 3D

Por em 20 de maio de 2007

O Chaoscope permite criar fractais 3D, mas 3D de verdade. Você pode rotacionar e inclinar sua fractal para todos os lados. É possível definir o tamanho da imagem (a aí de cima tem 1600×1200) de forma livre, além de determinar fatores como material (gás, plasma, líquido, luz ou sólido) e até usar funções polinomiais complexas.

É no mínimo um excelente gerador de fundos de tela, mas dá pra perder horas brincando com ele. Melhor, é di grátis. Download neste link aqui. (Win32, 2.5MB, OpenGL)

Via Neatorama

emSoftware

Lula vai facilitar importação de produtos eletrônicos paraguaios

Por em 20 de maio de 2007

O título é esse mesmo. Juro. Aparentemente o Governo resolveu diminuir o déficit do Paraguai facilitando a entrada de aparelhos eletrônicos importados daquele país.

A idéia do governo brasileiro é oferecer ao Paraguai uma lista de produtos eletrônicos que poderiam ser importados pelo Brasil, através de empresas importadoras. Na contraparte paraguaia, esses produtos somente seriam vendidos por empresas legalmente constituídas.

Uau, que coisa hein? Então o Paraguai teria que exportar usando empresas legítimas e o Brasil por sua vez faria a compra através de importadoras? Que avanço. Poucos lugares no mundo conseguem acordos tão arrojados.

Senhor Presidente;

O Paraguai não produz nada. A “indústria eletrônica” dele é basicamente atravessadora, em geral de contrabando em larga escala. Ao privilegiar o país com a queda de barreiras alfandegárias, o Governo estaria prejudicando as empresas brasileiras que importam, de forma legítima, direto dos países que efetivamente PRODUZEM os produtos. Acho que como operário, V.Exa deveria entender que comprando de quem produz estaria privilegiando a quem de direito, não um “cambista” qualquer.

Fonte: Convergência Digital

emIndústria