Digital Drops Blog de Brinquedo

Leopard daqui a 10 dias

Por em 16 de outubro de 2007

A nova versão do sistema operacional da frutinha está alive and kicking, e disponível para pré-venda, com preços que variam entre 129 e 199 dólares para Single User e Family Pack, respectivamente. O lançamento oficial será dia 26, e na página da Apple estão listados os 316 novos features do Leopard.

Graças a Jobs, saiu de cena aquele papel de parede Vista-like da keynote de apresentação do Leo – não este Leo. Depois de alguns anos, os “grafismos-azuis-felizes” e os efeitos aqua que dão “vontade de lamber” foram substituídos por um visual mais sério, remetendo ao alumínio, e com mais transparências, com uma imagem da aurora boreal/espaço sideral.

Esse visual pretão e cinza vai combinar perfeitamente com os novos iMacs, que ficavam meio perdidos com aquela aparência branquinha e azul clarinha do Tiger.

Fonte: DailyTech

emApple e Mac

Incrível: Robô japonês não-relacionado com sacanagem

Por em 16 de outubro de 2007

meiobit-robohonda.jpg

Pois é, acontece. Mas não é uma surpresa realmente para quem conhece o Japão. Eles nutrem um profundo respeito pelos mais velhos, e por isso enquanto seu objetivo final é construir Mechas indestrutíveis e dominar o mundo, aproveitam a tecnologia desenvolvida para criar robôs que auxiliam idosos.

O protótipo acima é uma criação da Honda, usando tecnologia do ASIMO, que pretende auxiliar pessoas com dificuldade de locomoção. Motores abaixo da cintura atuarão, diminuindo a força necessária para mover as pernas, enquanto sensores aprenderão seus padrões de caminhar e correr.

A idéia é excelente, embora eu ache que não vá permitir que você salte entre prédios, empurre carros com as pernas ou corra em câmera lenta, como uma verdadeira perna biônica.

De resto, não vai dar certo por culpa única e exclusiva das mulheres. Elas andam com suas bolsas com toneladas de acessórios, agendas, telefones, escovas, etc, mas abominam homens que usam uma simples pochete.

Fonte: Robonable.

emHardware

A triste realidade das baterias

Por em 15 de outubro de 2007

Se as baterias tivessem evoluído como o resto da tecnologia, hoje teríamos máquinas com 1.21GWatts de energia disponível na ponta dos dedos, saindo de fábricas carregadas e sem necessidade de recarga durante toda sua vida útil.

Na prática temos baterias pesadas, com vida limitada, desgaste acentuado e com uma durabilidade inaceitável em qualquer outro campo da indústria. Há alimentos que duram mais que certas baterias.

Por tudo que se fala dos carros elétricos, o Al Gore e o Michael Moore nunca responderam o que fazer com 700Kg de baterias, POR CARRO, que terão que ser substituídas a cada 3 anos, sendo que no final do primeiro ano elas já não vão “pegar carga” tão bem.

No campo dos dispositivos portáteis, por mais que os fanboys da Apple finjamos que não importa, a verdade é que se não trocarmos logo de iPods, ficamos com um aparelho aleijado. Em uns dois anos, a bateria já vai pro saco.

Vejam por exemplo meu Macbook. Usando um programinha excelente chamado CoconutBattery, disponível aqui, fui ver o estado da bateria do bichinho.

Isso mesmo. De uma capacidade original de 5200mAh, hoje, depois de 17 meses de vida, ela tem menos da metade dessa capacidade. Significa que sua antes excelente autonomia o coloca no mesmo nível de notebooks mundanos, e o afasta do nirvana dos Sony Vaio com 6h de autonomia.

Uma bateria nova na AppleStore custa, nos EUA, US$129,00. No Brasil, com o agravante de ser “pra mac”, não sairá por menos de R$500,00. Será que a culpa é da Apple que cobra caro, ou da tecnologia em geral, visto que TODA bateria tem uma expectativa de vida digna de uma maternidade etíope?

É hora das células de combustível saírem dos laboratórios e dos usos específicos. Pombas, as naves do Projeto Apollo JÁ USAVAM células de combustível, será que não podiam inventar algo que funcionasse da mesma forma, mas com substâncias menos venenosas que metanol, e mais fáceis de manusear que hidrogênio?

A comunidade que fica mais de 2h na rua com seus gadgets agradece.

emApple e Mac Hardware

IG se bate com plataforma do Google em webmail

Por em 15 de outubro de 2007

Antes de usar o serviço de e-mails do Gmail, usei o serviço do IG por um bom tempo. Claro que eram dezenas de spams em minha caixa de entrada todos os dias e isso foi um dos grandes motivos que me fez migrar definitivamente para outro serviço.

Há cerca de um mês tentei entrar novamente através do webmail do IG para ver como estava aquela minha velha conta e, para minha surpresa tinham zerado as mensagens e o layout estava praticamente igual ao Gmail.

Aquilo me chamou a atenção, queria saber se o IG tinha um serviço tão bom quanto é o do Gmail, pois várias mudanças tinham ocorrido. Eis que lendo o blog UnderGoogle tive a resposta.

Claro que muitos usuários gostaram da migração para um e-mail muito mais prático e de simples manuseio. Por outro lado, o IG assumiu publicamente que muitas contas estão enfrentando graves problemas e que o atendimento está recebendo uma enxurrada de reclamações, inclusive com falhas gravíssimas que acabam apagando todas as mensagens ou mesmo a conta inteira. Em resumo, está um caos.

Por último, devo confessar que não me arrependo uma gota de ter migrado totalmente para o Gmail. Sou meio puxa-saco do Gmail, continuo achando o melhor serviço gerenciamento de e-mails até o momento.

Fonte: UnderGoogle

emInternet

Will Wright homenageado

Por em 15 de outubro de 2007

Mais uma das grandes mentes dos videogames será premiada. Dessa vez a honra será dada a Will Wright. O designer americano irá fazer parte de uma lista da BAFTA (British Academy of Film and Television Arts), lista esta que se assemelha a dos imortais da Academia Brasileira de Letras. É importante ressaltar que esta é a primeira vez que alguém da indústria passará a ter seu nome vinculado a irmandade e que Wright estará ao lado de gênios como Alfred Hitchcock, Stanley Kubrick e Charles Chaplin.

Caso não tenha ligado a pessoa à sua obra, Will Wright criou as séries SimCityThe Sims, além de ter fundado a Maxis. Atualmente ele está trabalhando no promissor Spore que promete ser o melhor “simulador de vida” já criado e para muitos o game poderá revolucionar o mercado.

O homenagem será feita durante o British Academy Video Game Awards, no dia 23 de outubro e é mais uma demonstração de que os games estão se consolidando como uma das mais importantes formas de entretenimento do mundo.

Que Will Wright seja o primeiro de muitos.

[via Develope Magazine]

emGames

O próximo dinossauro a cair: FIFA

Por em 15 de outubro de 2007

meiobit-paparazzi.jpg

É bem pior pra quem acompanha de perto toda a revolução digital que surgiu dos anos 70 pra cá. Ver grupos que poderiam se beneficiar enormemente agindo de forma teimosa, se recusando a ver o que acontece à sua volta, é quase doloroso.

Está sendo assim com as gravadoras, está sendo assim com Hollywood, está sendo assim com parte das produtoras de TV, nesse caso ao menos uma boa parte está abraçando a nova era de forma bem convincente.

Já a FIFA… bem, segundo esta matéria na Folha de S. Paulo, a entidade declarou guerra ao YouTube, no jogo do Brasil contra a Colômbia, em Bogotá, havia vários pontos de revista, câmeras estavam, segundo os policiais, no mesmo nível de álcool e armas de fogo.

Não dá pra esquecer do papelão do Comitê Olímpico e sua atitude, digamos assim, em um termo apaziguador, NAZISTA ao proibir que os atletas atualizassem blogs durante o panamericano. A FIA também anda atrás de filmagens “ilegais”, mas querem saber? O Gênio saiu da garrafa. Hoje em dia qualquer celular vagabundo faz filmes (o iPhone poderia, mas não quer). Qualquer câmera de US$100,00 também.

Está na hora dos dirigentes dessas entidades entenderem que não há mais volta. Vocês podem ter ilusões de poder, como os membros da Junta Militar na Birmânia, moralmente podem estar no mesmo balaio, e terão o mesmo destino, a irrelevância. Seus esportes existem por causa de nós, torcedores. Se vocês se mostrarem TÃO antipáticos a nós, ou vamos para outro esporte mais amigável, ou acontecerá algo ainda pior: Surgirão ligas independentes, primeiro com atletas individuais, posso prever. Querem um gostinho de seu futuro? Vejam o que acontece com a indústria fonográfica.

É isso que querem? Tudo bem. Mal posso esperar para ver sua cara no YouTube. Porque, com certeza alguém estará filmando.

emMiscelâneas

Japas tarados e o desenvolvimento da robótica

Por em 15 de outubro de 2007

Quando um ocidental pensa em robôs, a primeira imagem quase sempre é do C3PO ou do R2D2, já um japonês mesmo usando referências ocidentais vai se lembrar da Pris, em Blade Runner, ou da Número 6, em Galactica. TODAS as pesquisas robóticas no Japão invariavelmente trazem um componente que varia entre o descaradamente erótico e a discreta safardanagem.

Eu nem procuro por Tentáculos Robôs, por medo de achar.

Agora, nem mais disfarçar eles conseguem. Vejam a U-Tsu-Shi-O-Mi, um robô integrado a um ambiente de realidade virtual, que interage fisicamente com humanos. Você pode tocar, na roboa, e ver a reação. Entendeu? Hum? Tocar, apertar, bolinar, BANZAI!

japatarado1.jpg

Neste vídeo, uma demonstração das partes internas do robô. Mas calma, é SFW, não é como nos hentai. Ainda.

E se alguém ainda duvida das segundas (ok, primeiras) intenções do grupo da NTT DoCoMo, que criou o bicho, responda: Por que motivo ela está usando um vestidinho?

Fonte: Robot Watch

PS: Quando sair a versão 2.0 eu compro!

emHardware