Digital Drops Blog de Brinquedo

Cientistas Chineses medem velocidade do Fantasma de Einstein

Por em 23 de abril de 2014
santanaquantum

Se há uma imagem mais adequada para um artigo sobre mecânica quântica, eu gostaria de saber.

A Mecânica Quântica é uma coisa que nunca desceu pela garganta de Albert Einstein. Toda sua incerteza não ressoava na mente ordenada que sonhava com um Universo sistêmico e ordenado. Só que Einstein era mais inteligente do que o pessoal que utiliza a sério o termo “heresia”, e Mesmo vendo seus dogmas ameaçados, percebeu elegância no modelo quântico.

Einstein terminou sendo um dos maiores críticos E um dos maiores colaboradores da teoria quântica. Um dos pontos de crítica é algo chamado pelo próprio Einstein de spukhafte Fernwirkung, ou “Efeito fantasmagórico à distância”. Descrito em um trabalho de 1935, o chamado Entrelaçamento Quântico é algo que Einstein considerava impossível.

Aí vieram os físicos experimentalistas, testaram em laboratório e descobriram que o efeito existe. Einstein estava errado. Não que muita gente tenha comemorado, o spukhafte Fernwirkung é uma enorme fonte de dor de cabeça.

O conceito é enganosamente simples. Funciona com partículas, e até objetos microscópicos, que são “entrelaçados” em suas características atômicas. Vejamos uma analogia, que lembra um pouco o Gato de Schrödinger, o que é justo, visto que ele foi um dos pioneiros (e autor do) conceito de Entrelaçamento Quântico.

Imagine que eu tenha uma máquina que produza moedas. Sem que ninguém veja, dentro da máquina ela cunha uma moeda. Um laser a divide ao meio. Metade cara, metade coroa. Cada metade é embalada e enviada para um laboratório do outro lado do país.

Nenhum dos dois cientistas sabe se a moeda é cara ou coroa. Quando um abre a caixa esses estados superpostos deixam de existir, a função de onda que define a moeda deixa de variar aleatoriamente e a probabilidade de ser cara ou coroa chega a 100%. Da mesma forma o cientista SABE qual o estado da moeda do outro lado.
continue lendo

emEnergia Hardware Produtividade

Lytro Illum – uma evolução bem vinda

Por em 22 de abril de 2014

Vocês se lembram do lançamento da Lytro? Isso aconteceu há dois anos atrás, mas a promessa era interessante. A câmera (em formato caixote) apostava em algo inovador e inusitado: a possibilidade de mudar a zona de foco na imagem mesmo depois da foto ter sido feita. A câmera se utiliza de uma nova tecnologia que captura vários raios luminosos (em torno de 11 milhões) gravando em seu sensor informações sobre todos os planos da imagem. Por isso que ela também é chamada de Câmera de Campo Luminoso. Como todos os planos são capturados, é possível escolher, após a captura, onde determinar o foco da imagem. A primeira Lytro foi uma grande novidade, mas o design era muito feio. Agora as coisas mudaram com o lançamento da Lytro Illum.

A primeira mudança que notamos no novo equipamento é o design. Ela deixou de ser uma câmera em formato de caixote para se tornar algo que encontraríamos em um filme de ficção científica. Embora possa causar estranhamento no começo, a câmera ficou bonita (bem melhor que o modelo anterior). A segunda mudança foi no sensor. Enquanto a Lytro original possuía um sensor de 11 Megarays (captura de 11 milhões de raios de luz) a Lytro Illum está equipada com um sensor de 40 Megarays (captura de 40 milhões de raios de luz). Isso torna a possibilidade de escolha de plano onde será fico o foco muito maior. A brincadeira de escolha do ponto de foco na imagem pode ser feita no LCD da câmera ou no aplicativo para computador fornecido juntamente com ela. Convertendo os Megarays para algo mais conhecido do mundo da fotografia, a saída final do sensor vai oferecer uma imagem com 5 megapixels de resolução máxima.

A Illum está equipada com uma lente com distância focal equivalente a uma 30-250mm e com abertura constante de f/2. A grande abertura é fundamental para a captação dos diferentes raios de luz que vão fazer a mágica no processamento final.  A câmera possui modo manual de captura, além de prioridade de abertura e velocidade. A interface gráfica foi aprimorada e agora roda com Android. Também foi melhorada a tecnologia de sobreposição de imagens no visor LCD de 4 polegadas que ajuda a reproduzir o efeito de tridimensionalidade na visualização da foto.

A câmera vai chegar ao mercado em julho ao preço de US$ 1.599,00 (bem mais cara do que os US$ 399,00 da primeira Lytro), mas você pode fazer uma pré-compra por US$ 1.499,00. Se você já tem uma das primeiras Lytro então ainda pode ganhar um desconto de US$ 200,00 na nova câmera.

Veja aqui uma galeria oficial de imagens feitas com a nova Lytro Illum.

lytro_illum

Fonte: Dpreview.

emÁudio Vídeo Fotografia Equipamentos

Mensalidade do Netflix vai mesmo aumentar e não é só no Brasil

Por em 22 de abril de 2014

Laguna_Netflix_logo

Quando o Netflix chegou ao Brasil, cobrava uma mensalidade de R$ 14,99. Na época, era um valor pouco abaixo dos US$ 7,99 mensais cobrados lá na civilização. Excelente e justo negócio, algo que os brasileiros não estamos acostumados dado o Lucro Brasil da maioria das filiais de empresas estrangeiras por aqui. “Por que cobrar menos se os brasileiros continuam pagando?

Uma primeira ameaça à tal pechincha veio da ANCINE, que queria cobrar R$ 3 mil por cada vídeo do Netflix no Brasil. O impacto de algo assim poderia ter elevado a mensalidade de 15 para uns 99 reais ou qualquer outro valor próximo dos medíocres serviços de TV por assinatura que temos. Desculpe não lembrar que fim teve tal confusão e nem sei se teve algo relacionado ao Marco Civil da Internet, mas como os quinze reais mensais continuaram e ninguém reclamou da aparição de mais conteúdo nacional no Netflix Brasil, simplesmente achei melhor deixar quieto.

Enfim… No começo do ano passado, os assinantes do Netflix Brasil recebemos um e-mail avisando sobre o aumento imediato da cobrança para R$ 16,90 mensais. O novo valor seria cobrado dos novos assinantes, enquanto usuários mais antigos como o tio Laguna continuaríamos a pagar os R$ 14,99 por mais alguns meses. Do jeito que o Netflix administrou tal aumento, caso o serviço de streaming aumentasse a mensalidade para 20 reais, eu não reclamaria e é exatamente isso que realmente vai acontecer logo mais.
continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Entretenimento Indústria Internet

Nintendo: 3DS não receberá NES Remix 1 e 2 por “limitações técnicas”

Por em 22 de abril de 2014

nes-remix-2

Tem certas horas que não dá para entender a Nintendo. Na situação complicada em que ela se encontra a empresa deveria concentrar todos os seus esforços em ganhar bastante dinheiro de forma  rápida, e no momento boa parte de seu lucro stá vindo do 3DS. Como sabemos, a Nintendo criou o mercado da jogatina portátil e se mantém como líder há 25 anos, desde o Game Boy. Por um lado temos sim bons jogos sendo lançados para o portátil, mas isso não evita que certas decisões pareçam erradas. Houve o caso recente de portar games do Game Boy Advance para o Wii U, e agora a empresa repete a dose com NES Remix 1 e 2, duas coletâneas de minigames baseadas em clássicos da Nintendo para seu saudoso console de 8 bits.

continue lendo

emGames Nintendo Portáteis

7 Exercícios diários que farão de você um Fotógrafo melhor

Por em 22 de abril de 2014

melhore_sua_fotografia

Parece que a internet atual está passando pelo fenômeno das listas. Algumas são muito bacanas, outras nem tanto. Na fotografia isso também está acontecendo e encontramos muita coisa legal e útil acontecendo pelos sites e blogs. Hoje o Petapixel publicou uma lista de 7 exercícios que prometem melhorar a sua fotografia e transformar você em um fotógrafo melhor. Todos eles são válidos, pois nos levam a pensar para fotografar. Aliás, esse é o grande segredo da fotografia. Pensar e fotografar sempre. Lembrando que não existe dom, apenas muita dedicação. Vamos dar uma olhada na lista? Não podemos esquecer que cada um tem suas receitinhas de bolo. Muitos vão concordar com essas dicas e outros vão discordar, mas essa é a vida.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Tutoriais

Wii U receberá novo Fatal Frame

Por em 22 de abril de 2014

fatal-frame

A minha experiência com a série Fatal Frame é pequena, resumindo-se a um par de horas no primeiro jogo, mas aquilo foi suficiente para perceber o potencial da franquia e entender o porque de tanta gente o classificar como um dos jogos mais assustadores já criados.

Caso você seja fã dos jogos criados pela Tecmo Koei, a boa notícia é que a desenvolvedora fechou uma parceria com a Nintendo para a criação de um novo capítulo, o que deverá garantir ao Wii U a exclusividade sobre o lançamento, que por enquanto não tem data para acontecer.

continue lendo

emGames Nintendo

Assassin’s Creed se torna franquia mais bem sucedida da Ubisoft

Por em 22 de abril de 2014

Assassins-Creed

É bastante comum vermos pessoas reclamando de empresas como a Activision e a Ubisoft por anualizarem algumas de suas franquias, mas o que elas costumam esquecer é que isso só acontece porque esses jogos são comprados. Um ótimo exemplo disso foi dado pela editora francesa, que divulgou suas séries mais vendidas e sem muita surpresa, a que aparece no topo da lista é a Assassin’s Creed.

O que impressiona no anúncio da Ubi no entanto é a constatação de que a marca, nascida em 2007, chegou a 73 milhões de cópias vendidas e embora isso leve em considerações os 15 jogos lançados para ela, não deixa de ser um número invejável.

continue lendo

emGames Indústria