Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Resident Evil 5 será vendido pela PS Store

Por em 30 de setembro de 2011

dori_re5_29.09.11

Dando continuidade às comemorações do aniversário de 15 anos da sua principal série, a Capcom avisou que a partir do dia 4 de outubro quem possui um Playstation 3 poderá adquirir através da PSN o Resident Evil 5: Gold Edition, edição que além de adicionar suporte ao Playstation Move, também traz dois pacotes de roupas, o modo The Mercenaries Reunion e os conteúdos adicionais Lost In Nightmares e Desperate Escape.

Se isso já não fosse uma boa notícia para quem ainda não possui o jogo, saiba que o valor cobrado por ele será US$ 29.99, dez dólares a menos do que custa a versão física do game nos Estados Unidos e sem termos que pagar frete, esperar uma bom tempo até que ele chegue aqui e sem corrermos o riscos do jogo ser taxado pela Receita Federal.

Confesso que nunca me interessei muito pelo jogo, acho que porque ainda não terminei o Resident Evil 4, ou porque a demo não me passou uma boa impressão, com a sua estranha jogabilidade onde não podemos andar e atirar ao mesmo tempo, mas depois dessa notícia acho que até vou investir no jogo e ver se jogando cooperativamente ele se torna mesmo tão divertido.

[via Eurogamer]

emSony

EA inspira-se no Fifa para colocar o Battlefield no topo

Por em 29 de setembro de 2011

dori_bat_27.09.11

Muitos podem achar que o pessoal da Electronic Arts está blefando quando diz que conseguirá roubar do Call of Duty o posto de maior FPS do mercado, o que é realmente algo difícil, mas Jens Uwe Intat, porta-voz da companhia deu uma boa explicação em uma entrevista para mostrar que essa não é uma tarefa impossível de ser alcançada.

Daremos à Activision momentos difíceis e fizemos isso quando ganhamos de volta os jogos de futebol do Pro Evolution Soccer. É o que faremos com os shooters.

Um dos meus ditados favoritos é ‘Roma não foi construída em um dia.’ Talvez não façamos isso no dia do lançamento, mas iremos tirar da Activision uma quantidade razoável do mercado. Em termos gerais, eles possuem 90% do mercado dos jogos de tiro e queremos ver isso cair para 70. Ficaria ainda mais feliz se ficassem com 60%.

O garoto propaganda é mesmo o Fifa. O Ultimate Team provou que podemos entregar uma experiência envolvente todos os dias e também lucrar com isso.

Realmente, se pensarmos que antes desta geração ninguém seria capaz de apostar que a série da Konami poderia perder a liderança, fica fácil aceitar que o Battlefield 3 pode mesmo incomodar seriamente o CoD: Modern Warfare 3 e antes que alguém diga que são gêneros muitos diferentes, saiba que jogadores de games de futebol estão certamente entre os mais fanáticos da indústria, na maioria das vezes fechando completamente os olhos para a qualidade da concorrência.

[via MCV]

emIndústria

Tizen: YAY! Tudo que o mundo precisava, outro sistema operacional baseado em Linux pra celulares

Por em 29 de setembro de 2011

SisyphusUma coisa eu tenho que admitir: Se há algo que a comunidade open-source é boa é reinventar a roda. Não importa que já exista uma solução excelente, é sempre mais fácil (na visão deles) criar um fork, ou mesmo um projeto inteiramente novo do que participar do projeto principal e corrigir os eventuais problemas.

Isso gera situações cômicas como a quantidade de distros Linux existentes, mas gera um problema muito sério: Desperdício de recursos. Quanto há uma concentração de talento o resultado em geral é ótimo, vide o kernel do Linux, Chrome, Apache, MySQL.

O problema é que isso mexe com vaidade, um projeto bem-sucedido gera inveja, todo mundo quer os holofotes, e que melhor forma de chamar atenção do que criar um produto concorrente com promessas mirabolantes?

É o caso do Tizen, que se propõe a ser um sistema operacional mobile para smartphones, tablets, smart TVs, netbooks, etc. Será baseado no kernel Linux (pareço o Stallman falando isso mas no caso é correto) e trabalhará com HTML5, web standards, bla bla bla.

Prometem um release no primeiro trimestre de 2012, o que dá entre três e seis meses para fazerem um SO mobile do zero. OK. Tá bom.

O Android já se tornou um sistema viável, já caiu no gosto do público e já é até chamado pelo nome por leigos que nem sabem o que é um startX. Seu maior problema é a falta de aplicativos, comparado com o iOS. Isso é resolvido com desenvolvedores, que deveriam investir na plataforma e não perder tempo e dinheiro tentando criar MAIS UM concorrente em um mercado tão saturado que sequer a Microsoft com o excelente Windows Phone consegue espaço.

 

Fonte: Cellular News

emLinux Open-Source Software

As coletâneas que eu gostaria de ver por aí

Por em 29 de setembro de 2011

Apesar de a ideia de relançar jogos antigos seja usada há bastante tempo, foi na geração passada que as produtoras começaram a investir mais pesadamente na criação de coletâneas que ressuscitavam suas criações, provavelmente por que foi provavelmente nesta época que os jogadores começaram a criar uma consciência de que não vivemos só de gráficos ultrarrealistas e que além de mantermos viva a história dos jogos eletrônicos, é possível encontrar muita diversão naquilo que outrora foi considerado o ápice da indústria.

Saudosista convicto, vez ou outra invisto meu dinheiro em alguns daqueles títulos que me deram tanta alegria quando era mais novo e uma boa maneira de economizar nessas horas é adquirindo essas coleções e foi pensando na dificuldade em se obter alguns games que eu resolvi fazer uma lista com algumas coletâneas que eu gostaria que fossem produzidas. Veja só:

continue lendo

emDestaque Miscelâneas Museu

BigDog–o bisavô dos AT-ATs

Por em 29 de setembro de 2011

troopers

OK, a rigor Star Wars se passa muito, muito tempo atrás, mas pra todos os efeitos é o futuro. A questão é que entre as incontáveis soluções encontradas pela Evolução, tirando aquelas plantas que crescem em filmes de faroeste nunca são usadas rodas.

A explicação é que naturalmente existem poucas áreas planas adequadas para veículos com rodas, as chances de um mamute ficar atolado aumentam muito se ele trocar pernas por pneus, mesmo sendo 4×4. Pernas são muito melhores para dominar terrenos acidentados, e 4 é o número ideal para balancear equilíbrio (pun intended), velocidade, tração e economia de energia.

O problema é que enquanto a natureza teve 6.000 4,2 bilhões de anos para aprender a controlar um conjunto de membros motores, fazer isso do zero em algumas décadas se torna uma tarefa ingrata, mas não impossível. 

continue lendo

emHardware

Review Samsung Galaxy Tab 10.1

Por em 29 de setembro de 2011

Galaxy Tab 10.1

O Galaxy Tab 10.1 é o primeiro tablet da Samsung com o Android Honeycomb, a versão do SO do Google feita sob medida para tablets.
Além disso, é um tablet tão parecido com o iPad que despertou a fúria de Cupertino. Será ele uma real ameaça ao iPad?
continue lendo

emComputação móvel Meio Bit Mobile Resenha

Kodak – Será o fim do Gigante?

Por em 29 de setembro de 2011

Problemas na casa de uma das mais tradicionais companhias americanas de fotografia. A Kodak está passando por sérios problemas financeiros e, recentemente, não conseguiu explicar para seus acionistas uma retirada de 160 milhões de dólares de sua linha de crédito. É certo que o destino do dinheiro foi para amenizar os problemas de fluidez do caixa da empresa. O resultado disto foi desconfiança e queda no valor das ações que chegaram a US$ 1,74, o menor valor desde 1973. Só lembrando que em 1997 a mesma ação estava valendo US$ 90,00. Até o final do ano a empresa já terá perdido 70% de seu valor. É neste cenário que entram os boatos de venda da empresa. Os possíveis compradores são Apple, Google e Microsoft. Embora a Kodak esteja desacreditada, a quantidade de patentes que ela possui dentro da fotografia pode impulsionar qualquer um que queira entrar neste mercado.

Desde 2007 a Kodak não consegue ter lucro. Entre vários motivos para isso estão o fato de terem perdido o bonde da fotografia digital. Eles, com sua história inovadora, deveriam ser os primeiros a apostar no novo formato, mas acharam que o filme fotográfico nunca iria morrer. Tentaram correr atrás do prejuízo depois, mas já era tarde e o mercado estava bem dividido entre quem primeiro entrou na nova onda. Só lembrando que a Eastman Kodak Company foi a primeira a apostar nos consumidores comuns para vender fotografia. Foram os primeiros a lançar câmeras com filmes de rolo para uso de amadores e transformaram praticamente todos em fotógrafos. Uma grande contribuição para a história da arte. Por isso que se torna ainda mais triste o estado em que a empresa se encontra atualmente.

Fonte: Reuters

emÁudio Vídeo Fotografia Fotografia Notícias