Fotografia
Fotografia
Digital Drops Blog de Brinquedo

DVD Sensualidade da Luz

Por em 28 de julho de 2011

Tenho em minhas mãos um dos melhores lançamentos em vídeo aulas que já tive acesso. Essa onda de lançar palestras e DVDs sobre técnica fotográfica é muito recente e alguns desses DVDs são verdadeiras penúrias de serem assistidos. Parece àquelas antigas aulas do Telecurso 2º Grau (antes da reestruturação). É penoso assistir a aula do começo ao fim sem uma pausa. Por isso é que pensei bastante antes de comprar esse Sensualidade da Luz de Leonardo Luz e Kauê Luz. Tive a oportunidade de assistir a uma palestra deles em Bauru no ano passado e gostei muito da dinâmica da dupla, mas em DVD a coisa pode ficar um pouco mais complicada. Porém, tomei coragem e coloquei a mão no bolso. E não me arrependi.

O DVD trata de um assunto que todo fotógrafo se interessa, porém existe pouco material didático e oportunidades de capacitação: a fotografia sensual. O DVD é dividido em duas partes. Na primeira, comandada pelo fotógrafo Leonardo Luz, temos uma grande prática de estúdio desenvolvida. Leonardo começa falando um pouco sobre seu trabalho em fotografia sensual e a necessidade da sensibilidade e seriedade do fotógrafo para desenvolver o trabalho. Como preparação também temos uma pequena introdução sobre os equipamentos e lentes mais adequadas, assim como os acessórios que vão ser utilizados. Fiquei muito feliz ao encontrar também capítulos dedicados à questão da produção e da maquiagem. No caso do Leonardo ele trabalha com uma produtora de moda e uma maquiadora com experiência, mas os fotógrafos iniciantes não possuem essa estrutura, então é legal entender um pouco de moda e de maquiagem também, para orientar com segurança a profissional que vai trabalhar com você nos primeiros ensaios.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Resenhas

MS-DOS completa 30 anos

Por em 28 de julho de 2011

Xtree

 

Houve uma época em que um micreiro só era chique se tivesse dois drivers, um  para o Sistema Operacional, outro para os programas.  Era uma época em que as aplicações aproveitavam 100% dos recursos da máquina, e qualquer PC rodava satisfatoriamente o equivalente então de Crysis.

Essa época era o Inferno.

Imagine por um momento que cada programa que você rodasse em seu computador precisasse ser configurado para placa de som, placa de vídeo, acentuação e até mesmo mouse. Programa, não digo jogo.

Agora imagine que toda vez que fosse rodar seus games preferidos, tivesse que dar um boot, alterando as configurações de inicialização.

Comprou uma impressora nova? Reze pra ela ser compatível com alguma antiga, pois provavelmente ela não virá com um disquete, e mesmo que venha só há drivers para os principais programas. Seu Carta Certa não funcionará direito, ou então imprimirá mas usando somente 10% dos recursos da sua linda Epson.

Rede? Claro. Com cabo coaxial, mas cuidado, dependendo do tipo de rede, se você desligar sem dar logout TODOS os computadores travarão. Melhor usar uma Novell, basta um servidor caríssimo (afinal tem um HD) rodando Netware.

Vamos programar? Tem Turbo Pascal, Forth, GWBasic e, se você estiver com coragem, assembler, direto no terminal. Isso antes de algum MALA aparecer dizendo “o certo é assembly”. Volte pros seus livros, Nerd!

Está sem espaço e disquete custa caro? Não tem problema, rode FDREAD e FDFORMAT e force mais trilhas em cada face. Mais chance de dar erro? Sim, mas ganhamos mais espaço. Você lembrou de recortar a lateral do disco de 5 1/4, transformando o Face Simples em Face Dupla, e pulando de 250KB para incríveis 500KB, né?

Memória está apertada? Claro, custa uma fortuna. Mal posso esperar a metade os anos 90, quando todo mundo terá computador em casa e 1MB de memória custará apenas US$60,00. Por enquanto vamos usar Memmaker e jogar pra Memória Estendida (ou Expandida, nunca lembro) drivers e outras coisas.

E disco? AH, a gente roda o Doublespace, ele zipa em tempo real os arquivos, faz mágica e ganhamos espaço. Ops, não funciona com fotos.

Ainda bem que com modem de 14.400Bauds, não dá para baixar muita coisa. Céus, como demora pra vir um PCX, espero que o tal GIF seja muito melhor, mas ainda não tenho nenhum programa que abra esse formato. E falam de vídeo, no futuro. Só rindo.

continue lendo

emSoftware

Olympus SP810UZ – para você poder ver longe

Por em 28 de julho de 2011

Existem certas disputas no mundo da fotografia que eu não entendo. Sempre achei que o melhor negócio era brigar por oferecer uma melhor qualidade de imagem, mas vemos que isso não é uma preocupação constante dos fabricantes. Eles preferem brigar pelo que costumo chamar de perfumarias. Enfeites e recursos que não são voltados para a qualidade de imagem. No caso das ultrazoom é saber quem consegue enxergar mais longe. Quem oferece a maior distância focal. Se lente com muito zoom fosse boa não existiriam até hoje as lentes fixas, mas isso é uma outra conversa.

A Olympus está colocando no mercado a nova versão de sua câmera super zoom. A SP810UZ chega com um sensor CCD de 14 megapixels e uma lente com 36x de zoom ótico. A distância focal dessa lente é equivalente a uma lente de 24-864mm no formato 35mm. É possível achar várias utilidades para esse tipo de poder de aproximação, principalmente se você gosta de fotografar a natureza, as crateras da Lua ou simplesmente olhar pela janela da sua vizinha. Infelizmente o design da linha UZ ainda não melhorou em nada. A câmera continua muito feia.

A câmera oferece ao consumidor um modo supermacro de 5cm, possui sensibilidade ISO que pode chegar a 3200 (provavelmente não usável), visor LCD de 3 polegadas, suporta cartões SDXC e pode gravar vídeos em alta definição com 730 pixels. Para agradar ao público foram adicionados à câmera alguns dos filtros artísticos da Olympus que já fazem parte das câmeras micro quatro terços. A Olympus SP810UZ deve chegar ao mercado em setembro custando US$ 330,00.

Outra câmera que a Olympus anunciou essa semana é a pequena SZ11 que chega com o mesmo sensor de 14 megapixels da irmã maior e 20x de zoom ótico (25-500mm). Boa pedida para quem não quer um equipamento muito grande, mas não abre mão de um bom poder de aproximação. A câmera tem um modo super macro de 3cm, faz vídeos em alta definição com 720 pixels, possui visor LCD de 3 polegadas e é compatível com cartões SDXC. Deve chegar em agosto ao mercado, mas ainda não existe um preço estimado.

emÁudio Vídeo Fotografia Equipamentos

Suda 51 quer fazer o jogo social mais sangrento

Por em 28 de julho de 2011

dori_nmh_27.07.11

Se eu lhe pedir para criar na sua mente a imagem de um jogo social, muito provavelmente você se pegará pensando em um FarmVille ou algo do gênero, mas uma pessoa que está disposta a mudar esse conceito de que jogos assim são bobinhos e sem objetivos definidos é Goichi “Suda 51”.

Famoso por dar vida a títulos que fogem do lugar comum, como o recente Shadows of the Damned, Killer 7 e o No More Heroes, o game designer revelou em uma conferência que está trabalhando justamente numa versão social do jogo lançado originalmente para o Wii e que recebeu uma repaginada chamada Heroes’ Paradise, com previsão de chegará em agosto ao Playstation 3 norte-americano. De acordo com Suda 51, ele espera que o NMH seja o mais sangrento jogo social já criado.

Outro detalhe interessante é que o japonês afirmou já ter o conceito de cerca de 100 games sociais e que espera que o tal jogo baseado na franquia No More Heroes faça sucesso suficiente para ser lançado no ocidente.

Como os jogadores mais experientes costumam ter uma certa resistência a jogos sociais, talvez seja justamente a investida de grandes nomes da indústria que falte para que o estilo desperte o interesse dessas pessoas, mas será que “apenas” um enredo recheado de situações e personagens bizarros, além de uma boa dose de violência serão o suficiente para acabar com esse preconceito?

[via Andriasang]

emMiscelâneas

Chineses vendem filhos para jogar videogame

Por em 28 de julho de 2011

dori_chi_28.07.11

O mundo está cheio de histórias lamentáveis envolvendo os jogos eletrônicos e de vez em quando ficamos sabendo de pais desnaturados que deixam seus bebês morrerem – literalmente – de fome ou de crianças que são assassinadas porque estavam atrapalhando a jogatina de seus responsáveis e agora mais um caso bizarro surge.

De acordo com o jornal Sanxiang City News, o casal Li Lin e Li Juan vendeu três filhos para utilizarem o dinheiro em cyber cafés da cidade. A notícia informa que embora eles tenham obtido US$ 500 pela filha, cada um dos meninos foram vendidos por US$ 4600 e  após terem sido denunciados pela mãe do rapaz, afirmaram que não tinham intenção de criar as crianças, que só planejam ganhar um pouco de dinheiro com elas e que não sabiam estar fazendo algo ilegal.

A matéria não revela qual o jogo a dupla costuma jogar, mas como no país os MMOs são extremamente populares, há uma grande chance de que se trate de jogo do gênero e a história é mais um capítulo da complicada relação da China com os jogos eletrônicos.

No ano passado o ministro da cultura local impôs uma série de regras ao mercado de games, como proibir que crianças gastem dinheiro real comprando itens em jogos ou obrigando as desenvolvedoras a implementarem controle de tempo em seus jogos, visando impedir que os jovens fiquem viciados.

Embora o problema na maioria desses casos esteja mesmo nas pessoas, já que um casal desses se não gostasse de jogos talvez vendesse as crianças para comprar drogas ou apostar em jogos de azar, a história provavelmente servirá como exemplo para algumas pessoas que desaprovam os videogames.

[via Eurogamer]

emMiscelâneas

Nintendo reduz em US$ 80 o valor do 3DS

Por em 28 de julho de 2011

dori_3ds_28.07.11

Há alguns dias ficamos sabendo que a Sega havia decidido atrasar dois de seus próximos jogos para o 3DS, o Crush 3D e o Shinobi e que até mesmo a Konami optou por deixar o lançamento do Metal Gear Solid: Snake Eater 3D para o próximo ano, embora um motivo para isso não tenha sido dado, embora a decisão poderia ser interpretada também como uma precaução por causa das vendas do portátil, que estão muito aquém do esperado e agora acho que podemos dizer que a coisa não anda nada bem para o 3DS.

A Nintendo confirmou que, por mais difícil que seja de acreditar, fará já no dia 12 do próximo mês um duro corte no preço do aparelho, diminuindo o seu valor de US$ 250 para US$ 170 e a intenção, é claro, é torná-lo mais atrativo, já que só conseguiu vender nos Estados Unidos 830 mil unidades do videogame desde o seu lançamento, que aconteceu em março. O interessante é que o presidente Satoru Iwata  não teve vergonha de admitir o motivo para a redução, tendo afirmado que “apesar de já ter acontecido no passado, quando um videogame teve o preço reduzido para aumentar as vendas, nunca aconteceu na história da Nintendo de um console passar a custar tão menos antes de completar seis meses de vida.

Eu disse por diversas vezes aqui no MBG que não tinha intenção de comprar um 3DS e depois de jogar em um por cerca de 15 minutos, minha vontade só diminuiu. Não porque o videogame seja horrível, gostei do seu analógico que funciona com uma precisão assustadora no Pilotwings Resort, mas como eu tenho a visão de um olho bastante comprometida, o 3D estereoscópico para mim ficou simplesmente horrível nesse jogo e nos outros mal consegui notar.

Talvez eu seja um caso isolado, mas de qualquer forma, será que poderíamos dizer que o 3DS já é um fracasso? Bom, talvez ainda seja cedo e a história da BigN está cheia de casos de reviravoltas, mas não há como negar que o portátil não poderia ter começado pior e fica a dúvida se a chegada de grandes títulos do Mario, que agora se chamarão Super Mario 3D Land e Mario Kart 7, e serão lançados respectivamente em novembro e dezembro, será o suficiente para mudar a situação.

Só sei que por mais estranho que isso possa parecer, quem deve estar morrendo de medo ao acompanhar tudo isso é a Sony com o seu PS Vita

[via Game | Life]

emGames Games Meio Bit Nintendo Portáteis

Microsoft Camera Codec Pack – visualize RAW no Windows 7

Por em 27 de julho de 2011

Você é um fotógrafo avançado que só fotografa em RAW e fica frustrado de não conseguir visualizar as imagens sem um programa específico de conversão? Bem, esse era um problema do Windows Vista e Windows 7. As imagens, depois de importadas para uma pasta especifica no seu computador, se tornavam arquivos não reconhecidos pelo Windows. Só era possível ver as imagens no Lightroom, no Adobe Camera Raw ou em outro programa específico para conversão dessas imagens.

Agora a Microsoft colocou a disposição para download gratuito o Microsoft Camera Codec Pack que nos trás a possibilidade de visualizar arquivos RAW de uma série de equipamentos (veja lista abaixo) sem a necessidade de conversão para JPEG. Como não gosto de acreditar no me dizem resolvi fazer o teste. Baixei o Codec da página da Microsoft e instalei aqui na máquina. O arquivo possui apenas 4MB e ao baixar é só instalar com dois cliques. Operação completa e fui até a galeria. A visualização acontece sem problema para arquivos Canon e Nikon (mais comuns), mas a Fuji está fora da lista e não rolou nada com os arquivos RAF.

Ao clicar na imagem ela é aberta no Windows Live Galeria e uma mensagem é mostrada “para editar a foto crie uma cópia em JPEG“. Se quiser fazer essa cópia em JPEG é só ir até o menu Arquivo e clicar em criar uma cópia e escolher o local do JPEG. A conversão é automática, mas pode quebrar um galho em uma emergência. Vejam abaixo a lista de câmeras que são suportadas pelo novo Codec.

  • Canon: EOS 1000D (EOS Kiss F in Japan and the EOS Rebel XS in North America), EOS 10D, EOS 1D Mk2, EOS 1D Mk3, EOS 1D Mk4, EOS 1D Mk2 N, EOS 1Ds Mk2, EOS 1Ds Mk3, EOS 20D, EOS 300D (the Kiss Digital in Japan and the Digital Rebel in North America) , EOS 30D, EOS 350D (the Canon EOS Kiss Digital N in Japan and EOS Digital Rebel XT in North America), EOS 400D (the Kiss Digital X in Japan and the Digital Rebel XTi in North America), EOS 40D, EOS 450D (EOS Kiss X2 in Japan and the EOS Rebel XSi in North America), EOS 500D (EOS Kiss X3 in Japan and the EOS Rebel T1i in North America), EOS 550D (EOS Kiss X4 in Japan, and as the EOS Rebel T2i in North America), EOS 50D, EOS 5D, EOS 5D Mk2, EOS 7D, EOS D30, EOS D60, G2, G3, G5, G6, G9, G10, G11, Pro1, S90
  • Nikon: D100, D1H, D200, D2H, D2Hs, D2X, D2Xs, D3, D3s, D300, D3000, D300s, D3X, D40, D40x, D50, D5000, D60, D70, D700, D70s, D80, D90, P6000
  • Sony: A100, A200, A230, A300, A330, A350, A380, A700, A850, A900, DSC-R1
  • Olympus: C7070, C8080, E1, E10, E20, E3, E30, E300, E330, E400, E410, E420, E450, E500, E510, E520, E620, EP1
  • Pentax (PEF formats only): K100D, K100D Super, K10D, K110D, K200D, K20D, K7, K-x, *ist D, *ist DL, *ist DS
  • Leica: Digilux 3, D-LUX4, M8, M9
  • Minolta: DiMage A1, DiMage A2, Maxxum 7D (Dynax 7D in Europe, α-7 Digital in Japan)
  • Epson: RD1
  • Panasonic: G1, GH1, GF1, LX3

Fonte: WinAjuda

emÁudio Vídeo Fotografia Meio Bit Notícias