Ciência
Ciência
Digital Drops Blog de Brinquedo

Só o que faltava: Porta Serial pra iPhone. (pior: é útil)

Por em 28 de dezembro de 2010

SkyWirePrev

Em tempos de WIFI, Bluetooth, USB e protocolos de comunicação sofisticados uma porta serial parece algo anacrônico, mas uma Regra se sobrepõe: É básico em engenharia mas vale pra tudo: Se está funcionando, não conserte.

Por isso a boa e velha Suzana Vi-digo, RS-232 ainda vai firme e forte como barramento.  Agora, no iOS.

O SkyWire ainda está na pré-venda, custando US$79,00. Meio puxado, mas vale, até por não existir alternativa, para o que ele se destina. Sim, é uma interface dedicada, embora seja totalmente padronizada e você possa desenvolver pra ela, foi criada com o objetivo específico de fazer seu iPhone controlar… isto:

LX200_acf_header2

Não só os Meade, mas telescópios de outras marcas também, todos com conexão serial, o padrão nesse tipo de equipamento. Através do SkySafari, um programa bem completo em segundos o telescópio está apontando e rastreando o objeto que você quiser, do catálogo de 2,5 milhões de estrelas disponível no software.

É tentador, ainda mais para quem já bateu cabeça alinhando telescópios convencionais usando bússola e transferidor.

Caso alguém fique curioso, o modelo mais simpleszinho de 8 polegadas custa 2.599,00 obaminhas.

Fonte: SlashGear

emApple e Mac Ciência

Armazenador Offline de Passwords–para gente não muito inteligente

Por em 28 de dezembro de 2010

Existem coisas que em teoria funcionam muito bem, como comunismo, Kama Sutra e receita de profiterole, mas na hora de implementar é uma melecagem só. O Password Vault segue a mesma linha.

A idéia é muito boa, manter suas senhas offline, longe do alcance dos hackers malvados papões que chuparão seus cookies, invadirão seu computador e copiarão as senhas que você guarda no navegador ou mesmo em programas como o KeepPass ou 1Password.

passwordvault

Legal, não? Problemas:

1 – A absoluta maioria das invasões não passa nem perto do seu computador. É muito mais prático atacar direto o servidor, testando as senhas mais comuns.

2 – Se o seu computador estiver comprometido por um cavalo de tróia, OU se você entrar em um site falso disfarçado de algo legítimo, não importa onde a password esteja. Você a digitará, ela será interceptada, perdeu playboy.

3 – A melhor forma de fugir de engenharia social e geradores de senhas é usar longas sequências de caracteres aleatórios. Este gerador da PC Tools é ótimo, gera senhas como:

cr0u4IUYoa5r!eMOuSpi4d_#eB8edrledr?u#-udia+-lawr#-#luw-e3ou#labr

Problema: Somente um sujeito com muitos problemas seria capaz de digitar uma sequência dessas toda vez que entrar em um site, acessar email ou abrir o messenê. Assim naturalmente você irá utilizar senhas menores e mais simples, se tiver que digitá-las toda hora. Acabará usando a mesma senha em mais e mais sites, no final das contas o aparelho, que comporta 400 senhas só guardará uma que você usará em tudo: 12345, a mesma que uso nas minhas malas.

Pelo privilégio de baixar a segurança de suas senhas e tornar seu acesso lento e complicado você paga US$49,95. Não é maravilhoso?

Dica: Continue usando o Post-It™ no monitor, é mais barato e dá menos problema.

Fonte: TechFresh

emHardware Segurança

Isenção Fiscal de Câmeras – experiências práticas

Por em 28 de dezembro de 2010

Em agosto o mundo da fotografia no Brasil foi tomado de assalto. Uma loucura coletiva patrocinada pelos meios de comunicação deram conta de que estava liberada a entrada de câmeras fotográficas trazidas do exterior para o Brasil. A Portaria MF nº 440 de 30 de julho de 2010 era muito complicada e até mesmo depois da publicação de uma instrução normativa, que tinha por objetivo explicar o que ninguém estava entendendo, a coisa ainda estava envolta em mistérios. Porém, duas coisas estavam certas. A primeira é que a mídia fez mais um serviço errôneo ao informar de maneira irresponsável uma situação que ainda não estava muito clara. E a segunda é que só saberíamos realmente o que iria acontecer quando os primeiros equipamentos começassem a entrar no Brasil.

Ao que parece, segundo a interpretação dos fiscais alfandegários, câmeras fotográficas estão realmente liberadas. Tenho a informação de amigos que entraram com câmeras compactas, câmeras reflex de entrada e até mesmo câmeras profissionais e nem foram indagados sobre o equipamento. Porém, fiquem espertos. Lentes adicionais, flash e qualquer outro acessório são taxados na entrada e não existe nenhuma desculpa que faça os mesmos serem considerados como partes do equipamento fotográfico. Porém, já se mostra uma grande ajuda para quem está procurando comprar um novo equipamento fotográfico. Dessa forma compensa muito mais trazer uma câmera mais avançada do que ficar nas câmeras de entrada.

Porém, existe um lado negativo em tudo isso. A Receita Federal, junto com essa nova portaria, eliminou de vez a declaração de saída provisória de bens. Ou seja, se você viajar com suas lentes, seu notebook ou qualquer outro equipamento, não existe mais a possibilidade de registrar que você está saindo com eles. Na entrada o fiscal vai exigir a nota fiscal e se você não tiver os seus bens serão taxados novamente. Isso é que eu chamo de pegadinha do malandro. Olhando do ponto de vista legal, a Receita está fazendo certo. Já que 90% dos equipamentos fotográficos que estão no Brasil (pelo menos os mais caros) foram comprados via importabando, não tem nem como reclamar na alfândega que você não tem nota fiscal da câmera. Afinal de contas você está de posse de contrabando que não foi taxado e por isso vai sofrer a taxação agora. Mas, do ponto de vista do nosso bolso, é complicado ter que pagar o dobro do valor de uma câmera por conta dos impostos.

Como diria um velho professor que tive, “a vida é difícil”. A situação só será mudada quando começarmos a mostrar nossa insatisfação aos governantes. Infelizmente, não vai ser elegendo o Tiririca que vamos conseguir isso.

emÁudio Vídeo Fotografia Notícias

Veja o sistema de batalhas do The Last Story

Por em 28 de dezembro de 2010

Fundada em 2004, a Mistwalker nasceu como uma das mais respeitadas produtoras de RPGs do mundo pelo simples motivo de pertencer a Hironobu Sakaguchi, o criador da série Final Fantasy, mas os seus dois primeiros grandes projetos, os jogos Blue DragonLost Odyssey, não chegaram a ser um grande sucesso, vendendo 502 mil e 842 mil unidades respectivamente. Na minha opinião o grande erro do estúdio nesses casos foi terem feito games tipicamente japoneses para um console cuja força está no ocidente, mas como teve a criação da empresa recebeu investimento da Microsoft, é fácil entender a escolha.

De qualquer forma, em 2011 Sakaguchi e seus comandados terão uma grande chance de se recuperarem e mostrar que podem vender muitas cópias, independente da plataforma escolhida, pois no dia 27 de janeiro chegará ao Japão o promissor The Last Story, título exclusivo para o Wii.

Para mostrar como está a produção do game, a Mistwalker realizou uma conferência há alguns dias e nela foi exibido um vídeo com vários minutos dos combates que encontraremos no The Last Story e embora possa não significar muito dizer que ele tem tudo para ser o melhor RPG para o console, me sinto na obrigação de afirmar que o que o jogo tem me agradado muito, com gráficos espetaculares e agora com um sistema de batalha bastante dinâmico.

Como ele também terá multiplayer online, só resta saber se o enredo estará acima da média e quando eles pretendem lançar o The Last Story por aqui, mas por enquanto ele já entrou na minha lista de aquisições.

continue lendo

emNintendo

Capa da Revista Pix feita com um Nokia N8

Por em 28 de dezembro de 2010

Antes de falar do tema, algumas considerações. Algum tempo atrás, o Presidente de vendas da Nokia, Anssi Vanjoki, afirmou nessa terça-feira (20 de abril) que “A crescente tecnologia de câmeras em celulares deve transformar o sistema SLR de equipamentos convencionais, e até mesmo os profissionais, em obsoletos“. Na ocasião eu expressei todo o meu ceticismo em relação a isso e considerei o indivíduo apenas maluco. Depois disso saíram o iphone 4 e o Nokia N8 que são celulares equipados com câmeras fotográficas muito boas. Alguns leitores me chamaram a atenção dizendo que eu deveria me retratar em relação ao que tinha afirmado, mas depois de analisar bem esses novos equipamentos, continuo dizendo que eles ainda precisam de muita estrada para pelo menos chegar perto das câmeras compactas mais modernas. Se comparar a uma DSLR ainda é uma grande heresia.

revista pix nokia n8

Fazendo essa pequena ressalva, agora podemos entrar no tema. Acho que todos se lembram quando Lee Morris realizou um ensaio fotográfico de moda usando o iPhone 3Gs como única câmera fotográfica. O resultado ficou muito bom, embora eu não tenha concordado em nada com a pós-edição das imagens. Muita gente aplaudiu e muita gente reclamou, dizendo que a produção se torna inviável por conta dos diversos ajustes e gambiarras necessárias na iluminação. Mas, é o tipo de coisa que não podemos levar ao pé da letra. Foi apenas uma experiência.

Agora temos outro ensaio feito com câmera de celular, e esse virou capa de revista. A capa da revista Pix desse mês foi feita utilizando um Nokia N8. Olhando a imagem, podemos constatar uma grande qualidade e o vídeo abaixo mostra um pouco do processo produtivo envolvido em sua criação. Mas, crianças, aqui não tem segredo. Qualquer compacta com o mínimo de qualidade vai se dar bem em estúdio com a quantidade de luz que eles jogaram na modelo. Se não precisa forçar o ISO da câmera o resto é tranqüilo. Junto a isso temos a pós-produção e a maquiagem profissional que são onde a mágica realmente acontece. Porém, temos que admitir. É impressionante por se tratar de um telefone celular.

emNotícias

Cybercorno 2.0? BUSTED!

Por em 28 de dezembro de 2010

chapeudetouro

Sabem a velha piada com o desfecho “bonito, heim? Além de corno é fofoqueiro”? Acrescente hacker e burro no pacote.

Na nossa interminável série “A Vida Imita e Supera Ary Toledo e Costinha”, um sujeito de Michigan conseguiu demonstrar que não existe um limite para o grau de BUCHA que um cerumano consegue atingir. Sempre dá pra piorar.

O cidadão que teve sua carteirinha de homem, humano e hacker revogada se chama Leon Walker. Ele era casado com Clara, uma pistoleira que já vinha de dois casamentos (calma, o motivo da pistolagem não era a quilometragem, mas o trajeto). Um belo dia uma certa dificuldade para passar por portas mais baixas, uma coceira na testa e estranha compulsão de comer grama, fizeram Leon desconfiar da fidelidade da criatura.

Histórico de se meter em encrenca a pistoleira tinha, escolhia tão bem que o segundo marido foi preso depois de espancá-la na frente do filho. Filho do primeiro marido, afinal temos que complicar, né?

Leon fez o que todo mundo faria: Hackeou a conta de Gmail da mulher e foi fuçar pra ver se encontrava algo. Bem, quem procura acha.  Adivinhem com quem a safada estava transando escondido:

  1. Tom Cruise
  2. George Clooney
  3. Papa Bento XVI
  4. O segundo marido, o canalha espancador

Até aqui todo mundo solidário. Realmente, safadeza. Só que como todo bom corno de raiz, Leon fez “A” caca final: Encaminhou os emails comprometedores para o primeiro marido da futura exposa (esse termo deveria existir, é muito prático). Diz ele que estava preocupado com a segurança do filho dele (do primeiro marido). Acho que Ary Toledo classifica como “corno solidário”. O pai pediu a custódia do filho.

A biscate não pensou duas vezes: Deu queixa na polícia.

continue lendo

emInternet

Novas opções para compartilhar arquivos na Internet

Por em 28 de dezembro de 2010

Ainda existe muita gente que compartilha arquivos diversos, de imagens a documentos, pelo email. Não há mal algum nisso, eu também faço vez ou outra. Mas, venhamos e convenhamos, em diversas situações é mais conveniente, para não dizer melhor, hospedar o arquivo nalgum servidor virtual e mandar só o link, certo? Múltiplos destinatários, arquivos muito grandes… São vários os casos onde essa segunda abordagem se faz válida.

Temos boas opções conhecidas, do Dropbox ao Windows Live SkyDrive, passando por MegaUpload, RapidShare e outros do tipo. Mas não só. Uma nova leva de sites para compartilhar arquivos, mais “light” e amigável, está surgindo. Separamos três opções dessa safra fresquinha para apresentar a vocês.

Droplr (Mac OS X) ou windropplr (Windows)

continue lendo

emDicas Internet Meio Bit Web 2.0