Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

Steve Jobs decreta o fim do Flash

Por em 29 de abril de 2010

Ok, é apenas um exagero de redação, você pode dizer e provavelmente com razão. Mas a polêmica não é vazia e ainda tem muita água para rolar por baixo dessa ponte.

Jobs, a face pública e ditador magnânimo de tudo o que envolve os produtos da Apple, publicou uma carta aberta no site da empresa, explicando muito claramente todos os motivos que levaram a grande maçã à banir o Flash de seus dispositivos móveis. O texto, em minha opinião irretocável, consegue sintetizar em tópicos, fatos que são de conhecimento público e hoje estão espalhados na Internet.

A tecnologia do Flash teve seu momento. Quando a web finalmente começou a crescer no Brasil, lá nos idos de 1998, eu conheci o ShockWave. Fiquei surpreso com o que podia ser feito com esforço mínimo e um pouco de criatividade (quem se lembra de Gabocorp, Eye4U e NRG.BE?). Com a evolução da plataforma, adicionando um ambiente de programação avançado e integração com plataformas externas (programação server-side, servidor de mídia, etc), o Flash parecia ter vindo mesmo para virar um padrão na Internet.

Aí veio o Google e criou-se todo um ecossistema baseado em posicionamento nos resultados de busca, um retorno às origens da Internet com os padrões web, acessibilidade, diversidade de dispositivos de acesso à web entre outras coisas, que acabou por colocar o Flash em nichos bem específicos: distribuição de áudio e vídeo, aplicativos web simulando aplicações desktop e os famigerados banners.

Com o advento do HTML5, praticamente tudo do que se faz em Flash pode ser migrado para uma plataforma aberta, livre e que tende a se tornar um padrão web, comercialmente adotado tanto em computadores desktop como dispositivos portáteis. O que sobra para o Flash? Banners? continue lendo

emApple e Mac Computação móvel Indústria Internet Opinião

Activision, debandada, processos e parceria com a Bungie

Por em 29 de abril de 2010

dori_act_29.04.10

Quando a Activision demitiu duas das principais figuras da Infinity Ward, Vince Zampella e Jason West, talvez não esperasse que as consequências fossem tão grandes quanto tem se mostrado. Depois de fundarem a Respawn Entertainment, que prontamente fez uma parceria com a EA, uma das principais concorrentes da Act, eles contrataram várias pessoas que trabalhavam com eles na criadora da série Call of Duty, 38 para ser mais exato.

E o simples fato de ver o surgimento de uma concorrente de peso já não fosse o suficiente para causar preocupação à Activision, os ex-funcionários entraram com uma ação na justiça que poderá tirar de seus cofres até 500 milhões de dólares. A situação por lá anda tão complicada que alguns analistas acreditam que o fim da Infinity Ward está muito próximo de ser decretado, o que faria com que os futuros jogos da franquia Modern Warfare sejam desenvolvidos por outros estúdios.

Mas como estamos falando de uma mega companhia onde o dinheiro está mais perto de ser uma solução do que um problema, a Activision não tardou em realizar seu contra-ataque e revelou há pouco uma parceria de 10 anos com a Bungie. Dessa forma a empresa que iniciou suas atividades na era do Atari ficará encarregada pela distribuição, enquanto que a criadora da série Halo será a dona da propriedade intelectual dos jogos que vier a produzir.

Embora o próximo episódio da série Halo, o Reach continuará exclusivo do Xbox 360, já que a marca pertence à Microsoft, tudo leva a crer que o próximo projeto da empresa realmente será lançado para várias plataformas.

[via G4tv, GamerCenterOnline e Joystiq]

emIndústria

Você sabe que tipo de monitor comprar ?

Por em 29 de abril de 2010

Há mais de 2 anos, quando eu comprei um iMac 20″, o primeiro da versão com acabamento em alumínio, tive uma decepção logo ao chegar em casa (e não, não foi devido àquele lixo que eles chamavam de mouse). A imagem do monitor era péssima. O ângulo de visão era ruim, as cores desbotavam e não teve jeito de ajustar. Quando resolvi procurar saber mais a respeito, acabei conhecendo várias tecnologias que fugiam do que o marketing passa para o consumidor. Para o consumidor comum, a propaganda foca quase sempre em contraste e tempo de resposta. O que eles deixam de mencionar é algo tão importante quanto: a tecnologia  usada no painel do monitor.

Existem essencialmente 4 tecnologias que são usadas com maior frequencia nos monitores atuais (TN, S-IPS, MVA e PVA), e de longe a mais comum é a TN (Twisted Nematic + Film). Estes monitores são os mais comuns pelos seguintes motivos:

  • custo: é sem duvida a tecnologia mais barata para se produzir
  • tempo de latência baixo, entre 2-5 ms: principalmente para gamers, esta característica é bastante atraente e um ponto forte de marketing

continue lendo

emHardware

10 8 motivos para empolgar-se com o Nokia N8

Por em 29 de abril de 2010

Dia desses a Nokia anunciou seu próximo top de linha, ou quase isso, o Nokia N8. Lá se vão alguns anos desde que a fabricante finlandesa emplacou seu último hit, o N95. Desde então, entre erros e acertos, tivemos algumas aberrações como o N97 e nenhum tão impactante e adorado como o hoje veterano N95.

Calejados e desconfiados, é difícil ver alguém totalmente empolgado com o N8. O smartphone tem especificações legais, mas ante as decepções recentes, é difícil não ficar com um pé atrás. Joe Wilcox, redator do BetaNews, é um desses poucos que contam os dias para pôr as mãos no N8. Ele listou, num artigo, dez motivos para empolgar-se com o Nokia N8, e à parte alguns exageros, como dizer que o aparelho “pode mudar tudo”, e algumas justificativas específicas para o mercado americano, como as frequências/operadoras suportadas, vale a pena conferir as ideias do cara – algumas fazem sentido e passaram batidas por todos nós.

Nokia N8.

Nokia N8.

Symbian^3

É, o Symbian velho de guerra. Um dos mais antigos sistemas móveis do mercado, agora em nova versão, mais adequada às necessidades atuais – leia-se suporte a redes sociais. Mas, além de Facebook e Twitter, a nova encarnação do Symbian trará novidades no gerenciamento de redes e memória, recursos como saída HDMI e uma interface remodelada. continue lendo

emArtigo Celular Meio Bit Mobile

Nokia N8 – primeiros samples de imagem e vídeo

Por em 29 de abril de 2010

nokia n8_2

Dois dias atrás, fiz uma apequena análise do Nokia N8 no que se referia às suas qualidades fotográficas. A Nokia prometia um equipamento revolucionário no que se referia para vídeo e fotografia, mas não tínhamos nenhum exemplo do material produzido para analisar. Agora isso mudou, pois o Nokia Conversation nos mostra os primeiros exemplos de fotos feitas com a máxima resolução do equipamento. Lendo o texto e os comentários que acompanham as fotos, uma de minhas dúvidas principais foi respondida. A lente do celular tem uma distância focal de 28mm (equivalente no formato 35mm). Ótima para baladas e grandes grupos de pessoas, mas um pouco limitada para fotos de retrato, principalmente por conta da distorção.

Mas, vamos ser justos. Pensar que as fotos abaixo foram feitas com um celular é uma grande surpresa. Agora é possível andar com um pequeno aparelho e capturar imagens com qualidade razoável para o seu dia a dia. Vejam abaixo algumas imagens e um breve comentário. Lembrando que as fotos em tamanho normal podem ser vistas no Nokia Conversation.

continue lendo

emEquipamentos Meio Bit

AOL vende ICQ à DST

Por em 29 de abril de 2010
ICQ encontra um novo lar.

ICQ encontra um novo lar.

Sopa de letrinhas para dizer que, após anos sob as garras da AOL, o lendário ICQ foi vendido. A DST (não, não é doença sexualmente transmissível) desembolsou US$ 187,5 milhões para levar o pioneiro programa de bate-papo.

Criado em 1996 pela israelense Mirabilis, o ICQ rapidamente ganhou popularidade, tanta que, em 1998, foi vendido, junto com as propriedades da empresa, para a AOL. Hoje, disponível em 16 idiomas e com 32 milhões de usuários, segundo dados da comScore, o ICQ, embora coadjuvante na maior parte do mundo, ainda tem boa representatividade em alguns países, como Rússia, Alemanha, República Tcheca e Israel.

A DST (Digital Sky Technologies) é uma firma de investimentos sediada na Rússia, talvez o maior mercado do ICQ atualmente. Com investimentos em grandes sites, especialmente o Facebook, a aquisição do ICQ por ela já era esperada desde dezembro de 2009.

Resta saber se isso representará uma possível volta por cima do ICQ, ou ao menos um pouquinho mais de dedicação ao programa, que há anos patina em versões pouco inovadoras e carregadas. Nem mesmo a sétima versão, anunciada pelos defensores do programa como uma revolução, empolgou. Com a concorrência batendo forte nas inovações, o ICQ vê um difícil caminho pela frente, independente de quem estiver em seu controle.

emIndústria Internet Meio Bit

Fãs mantêm Halo 2 “ligado por aparelhos”

Por em 29 de abril de 2010

dori_halo_29.04.10

Como vocês devem saber, há alguns dias a Microsoft interrompeu o funcionamento da rede online do primeiro Xbox. O motivo para tal decisão estaria na tentativa de melhorar o serviço no 360, já que a Live original teria algumas limitações técnicas, mas os milhares de jogadores que ainda possuem o console e ficaram impossibilitados de jogar online não vem ao caso neste post.

O que tem chamado a atenção e muita gente é a tentativa de um pequeno grupo de tentar manter as partidas de Halo 2 acontecendo. Eles descobriram que se não desligarem seus videogames e/ou a conexão com a internet não for perdida, o jogo continua funcionando, permitindo que o multiplayer online aconteça. No fórum da Bungie é possível acompanhar a agonizante despedida e depois de manterem seus consoles ligados durante 14 dias, até o momento em que este post foi ao ar, restavam apenas 12 jogadores conectados.

Ao longo da última semana, um pequeno grupo de dedicados jogadores de Halo 2 mantiveram seus Xbox’s ligados para que pudessem aproveitar o jogo por um pouco mais de tempo. (desde que não desliguemos nossos Xbox’s ou não percamos a conexão, poderemos nos manter online. Nossos videogames já estão ligados a 12 dias seguidos). Há cada dia a quantidade de pessoas cai drasticamente,” disse Joe Campbell no melancólico tópico onde também afirma que muitos deles se tornaram grandes amigos, quase como que se fossem uma família.

Na minha opinião, acho que mais importante do que mostrar a dedicação de alguns fãs, esse episódio mostra a capacidade que os games possuem de unir as pessoas e assim como aconteça com os MMOs, como deve ser triste saber que o fim de um jogo que você gosta está se aproximando. É provável que você não tenha se sensibilizado com a história, que considero servir para nos orgulharmos de dizer que somos gamers, mas tenho certeza de que para aqueles que participaram, ela ficará marcada para sempre em suas vidas.

[via GossipGamers]

emMicrosoft