Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Gearbox: As editoras são uma benção

Por em 26 de fevereiro de 2010

Muitos de nós tem a ideia de que as empresas responsáveis por trazer os filmes/livros/games até os consumidores são verdadeiras chupadoras de sangue, lucrando as custas dos autores e apenas lhes repassando um pequena parcela dos lucros. Talvez isso não deixe de ser verdade, mas de acordo com Randy Pitchford, chefão da Gearbox, elas são, digamos, algo mais do que um mal necessário.

As editora são uma benção para mim. A última coisa no mundo que eu quero é passar meu tempo pensando sobre como colocar as caixas nos caminhões e envia-las às lojas.

Eu não quero lidar com o processo de fabricação, eu não quero lidar com as vendas, eu não quis entrar para o ramo para fazer este tipo de coisa. Eu quero criar e sou muito grato por existirem editoras que gostam de fazer isso e onde são eficientes. Sou grato por existirem pessoas que se inspiram por essas coisas. Eu me enforcaria se tivesse que fazer este trabalho.

E acho que faz mesmo sentido. Embora essas megacorporações muitas vezes acabem até influenciando no processo criativo de alguns jogos, fazendo com que grandes e ousadas ideias se transformem em produtos requentados, é melhor que os criadores de jogos tenham sua atenção voltada apenas para isso. Mas que é engraçado ver tal declaração vindo justamente de alguém que já reclamou das editoras, isso é.

dori_ran_26.02.10

[via VG247]

emIndústria

Jogo do iPhone viaja pelas antigas gerações

Por em 26 de fevereiro de 2010

Tendo nascido apenas como mais um clone dos antigos jogos do Mario, Mimeo and the Kleptopus King, que deve ser lançado até o final de 2010, tinha tudo para ser esquecido e acabar se tornando apenas mais um entre a infinidade de jogos lançados para o iPhone.

Contudo, o autor teve a brilhante ideia de fazer com que uns cartuchos espalhados pela fase fizessem com que todo o mundo do game mudasse, ou seja, ao começar a partida, seremos apresentado a gráficos preto e branco e cenários e personagens mais simples. Ao pegar o ítem, pulamos da geração 2-bits para a 4-bits e a imagem lembra as dos games do Game Boy. Pegando mais um cartucho, vamos para a geração 8-bits, a do Nintendinho. Por último veremos o jogo ficar com uma cara de Super Nintendo, garças aos quatro itens coletados.

Todo desenvolvido por uma única pessoa, incluindo a trilha sonora que também acompanha a evolução, a mudança não será apenas estética, já que certas lugares só poderão ser ultrapassados em determinadas gerações, o que o transforma em um jogo de plataformas com quebra-cabeça e o transforma num título bastante promissor.

dori_mim_25.02.10

[via Joystiq]

emCelulares

Videofone: agora vai?

Por em 26 de fevereiro de 2010

Ainda sobre “televisores e suas múltiplas funções na vida moderna”. Desenterrando um artigo de 2007, do Cardoso:

Em quase todo desenho animado e filme de ficção científica dos anos 80 pra trás as telas são multifunção, também são câmeras. Você faz uma ligação, vê a pessoa e ela vê você. A idéia é ótima, é uma evolução natural do telefone. Só que nunca deu certo.

Avançamos rapidamente. Estamos em 2010 e há várias TVs enormes que, procurando um diferencial, têm câmera, microfone e o Skype pré-instalado. Vejamos… ligações telefônicas com vídeo… VIDEOFONES!

Se a teoria do Cardoso está certa (e, cá entre nós, faz muito sentido) e os videofones fracarassaram em todas as suas “encarnações”, tanto analógicas quanto digitais, com telas P&B ou coloridas, pequenas e, agora…

Nesses tempos em que “Big Brother Brazil” alcança recordes de audiência, não duvido de que as empresas consigam empurrar qualquer nova “funcionalidade” como “diferencial competitivo” de seus produtos. Samsung, LG e Philips estão apostando firme na parceria com o pessoal do Skype. Vai dar certo? Talvez. Com o custo da tecnologia (qualquer uma) em queda livre, vai ser tão barato ter uma câmera na TV que, simplesmente, não compensará para o fabricante retirá-la dos ítens de série. Daí ao povo realmente usar no cotidiano, são outros quinhentos. Quem sabe as meninas as usem como “espelho da sala”?

No melhor caso, teremos cenas hilárias, como já previu o genial Woody Allen em seu filme “Sleeper”, de 1973.

emMiscelâneas

TVs 3D: Em Uma Loja Próxima De Você!

Por em 26 de fevereiro de 2010

Talvez não de você ou de mim… mas considerando que a Internet não tem fronteiras…

A Samsung lançou hoje duas TVs LCD (com “backlight” de LEDs, que os marketeiros de plantão gostam de chamar de “LED TV”), na Coréia: uma de 46’’ e outra de 55’’.

lancamento_samsung_3d

O modelo de 55’’ (UN55C7000) está saindo por US$ 3.300,00! A Amazon parece ter conseguido algumas peças que, diga-se de passagem, já estão quase esgotadas no momento em que escrevo este artigo.

A TV é bem completa, seguindo as capacidades da “Série 7” da Samsung: tela com taxa de atualização de 240Hz, FullHD (claro), 4 entradas HDMI, 1 entrada VGA,1 entrada vídeo componente e 2 entradas USB, além de compatibilidade DLNA.

Ok, tudo bom, tudo bem… mas tem um problema. E o conteúdo? Ainda não há discos Blu-ray com imagens tridimensionais. Nem mesmo canais a cabo, que anunciaram programação 3D durante a última CES, já disponibilizaram alguma coisa. Então, compensa se adiantar e comprá-la? Analiticamente falando, claro que não. Mas vocês sabem como são os “early adopters”…

[via Akihabaranews]

emIndústria

Sega e os três jogos pelo preço de um

Por em 25 de fevereiro de 2010

Torça caro dono de um Nintendo Wii, torça bastante, porque se a Sega of America for tão boazinha quanto a divisão australiana da empresa, algum dia chegará as prateleiras norte-americanas esse pacote da foto aí em baixo.

Batizada de Welcome to Violence, a criadora do Sonic aproveitou para incluir na coletânea os seus três jogos adultos lançado há não muito tempo para o console e o mais inacreditável é o preço. Por um valor igual ao cobrado por um lançamento do Xbox 360/PS3, você levaria para casa o The Conduit, Madworld e House of the Dead: Overkill. Na Austrália eles custarão cerca de US$ 97, mas como por lá os impostos também tornam os games mais caros, o mesmo pacote seria vendido nos EUA por algo em torno de US$ 60.

Depois de dizer que não deixaria de lançar títulos hardcore para o Wii e aparentemente mudar de ideia, essa me parece uma ótima iniciativa para aumentar o número de cópias vendidas dos supracitados games. Não sei quanto a vocês, mas como eu não joguei nenhum deles, se o bundle for lançado nos Estados Unidos, minha compra já está garantida.

dori_seg_25.02.10

[via VG247]

emNintendo

Pentax Optio W90 – iluminação para fotos macro

Por em 25 de fevereiro de 2010

A Pentax divulgou no dia de ontem informações sobre dois lançamentos muito bacanas. O primeiro foi da nova ultrazoom, a Pentax X90, que chega ao mercado para concorrer com as outras fabricantes, mas que não apresenta muita coisa nova. O segundo lançamento é essa W90, que vai ser a companheira ideal para quem gosta de um esporte radical, como alpinismo ou caiaque. Esse é mais um equipamento que entra no time das câmeras resistentes a ambientes extremos.

A Pentax W90 possui 12 megapixels de resolução máxima, 5x de zoom ótico (equivalente a uma 28-140mm no formato 35mm), monitor LCD de 2,7 polegadas e gravação em alta definição com 1280 x 720 pixels com 30 fotogramas por segundo. Do ponto de vista da resistência, ela pode suportar quedas de até 1,2 metros, pode ser submergida a até 6 metros e continua funcionando perfeitamente em ambientes com temperaturas de até 10ºC negativos, além de ser vedada contra poeira. Seu corpo todo emborrachado também permite estabilidade no uso mesmo debaixo da água ou usando luvas.

Porém, o que chamou a minha atenção de verdade, foi o sistema de iluminação para fotografias macro. Modo Macro quase toda câmera possui, mas todos sabemos que a iluminação nesse tipo de fotografia tende a ser muito complicada. Câmeras DSLR podem usar flash específico para esse tipo de fotografia acoplado à sapata hot shoe. Mas, os flash das compactas se mostram totalmente despreparados para essa categoria de foto. A Pentax W90 trouxe uma pequena solução para o problema. Existem três pequenas fontes de luz em volta da objetiva que visam propiciar iluminação para fotografias macro. Idéia simples e muito útil. Estou louco para ver um teste prático dessa funcionalidade.

A Pentax W90 vai chegar ao mercado em abril de 2010 e vai ter um preço inicial de US$ 329,95.

pentax W90

 

 

Fonte: Photography Bay

emNotícias

PMA 2010 – Duas novas lentes para a Ricoh GXR

Por em 25 de fevereiro de 2010

Vocês se lembram da Ricoh GXR? A câmera chegou ao mercado ano passado trazendo um conceito no mínimo inovador. A Ricoh GXR é pequena, bem menor que as câmeras do sistema micro-quatro-terços, e oferece a possibilidade de trocar as lentes para poder usar a mais adequada para suas necessidades. Porém, não é só isso. Junto com a lente, a câmera permite que você troque também o sensor. Esquisito? Nem tanto. A lente é montada em um suporte em que o sensor e o processador de imagem também se encontram. Dessa maneira, você compra o equipamento e pode escolher se vai usar um sensor de câmera compacta com uma lente zoom mais poderosa ou se prefere um sensor APC-C com uma lente mais robusta. Vai depender do seu poder aquisitivo.

Porém, até o momento, apenas duas lentes estavam disponíveis para o equipamento, a GR A12 50mm f2.5 Macro (com sensor APS-C) e a 24-72mm f2.5-4.4 VC (com sensor 1/1,7 polegadas). Mas, isso está mudando. Na PMA 2010 a Ricoh anunciou que estão entrando em produção mais duas lentes para o equipamento. A primeira é a RICOH P10 28-300 mm F3.5-5.6 VC, que vai ser muito útil para quem está procurando uma distância focal maior. Por mais estranho que pareça, não encontrei em local algum do press release oficial a resolução máxima do sensor, mas o que sabemos é que ele será de tamanho pequeno e será um CMOS retroiluminado. Essa tecnologia está tomando conta de todos os fabricantes de câmeras digitais e é a concretização do antigo sonho de ter um sensor CMOS em câmeras compactas demonstrando a mesma qualidade de um sensor CCD. Só lembrando que além do sensor e da lente, o conjunto também é formado pelo processador de imagem. Dessa forma, a P10 28-300mm é capaz de fazer fotos em RAW e apresenta a incrível velocidade de 120 fotos por segundo no modo contínuo (essa eu quero ver). A lente deve chegar ao consumidor no inverno de 2010 (Hemisfério Norte).

Já a outra lente que foi anunciada é muito mais interessante, do ponto de vista tecnológico. A GR A12 28mm F/2.5 é construída sobre um sensor CMOS APS-C com 12 megapixels de resolução máxima. O que temos aqui é uma grande angular prime (lente fixa) com uma grande abertura de diafragma. Auxiliada pelo fator de corte, o ângulo é perfeito para fotografar interiores ou cenas mais amplas. Junto com a lente e o sensor, ainda temos o processador GR Engine III que, segundo a empresa, oferece grande qualidade de imagem, gradação suave de cores e baixo ruído. Deve chegar ao consumidor apenas no inverno de 2010 (Hemisfério Norte).

Quando tivemos a divulgação do lançamento dessa câmera eu fiquei muito animado. Era uma idéia muito interessante. A oportunidade de escolher o sensor e a lente abre um leque de possibilidades gigantescas para o consumidor. Eu posso ter uma ultrazoom pequena e leve por conta do sensor pequeno e, ao mesmo tempo, posso ter uma lente prime com ótima qualidade de imagem e com um sensor APS-C. Mas, assim como toda grande mudança, o sistema tem que conquistar o consumidor pela qualidade e pelo preço também.

ricoh gxr

Fonte: Dpreview

emNotícias