Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

CG – Borderlands

Por em 28 de fevereiro de 2010

Mesmo tendo jogado pouco do Borderlands, achei a ideia do game bastante interessante. Com um imenso mundo aberto para ser explorado, o jogo é um FPS com elementos de RPGs, como evolução dos personagens, coleta de itens e uma grande quantidade de missões.

Pude notar também que o foco do game recai sobre dois pontos: as armas, que segundo os produtores possuem mais de meio milhão de variações e as partidas cooperativas. Embora o game tenha suas vantagens se jogado sozinho, todo o seu potencial só é revelado quando percorremos as terras de Pandora acompanhados por um, ou até mesmo três amigos.

O vídeo de hoje é uma homenagem ao meu camarada Gustavo “Tango” Vasconcelos, um verdadeiro fã da tarantinesca sequência de abertura do jogo.

emVídeos

Promoção Netgear: agora o WNR3500

Por em 28 de fevereiro de 2010

O WNR3500 da Netgear é um roteador Wi-Fi (802.11n), com um switch Gigabit Ethernet embutido, voltado para o mercado doméstico. Apesar de parecer enorme na foto, ele tem, na verdade, 175 x 130 x 35mm.

É um equipamento bonito, disso ninguém pode duvidar. Aliás, o desenho parece mesmo ser um ponto forte da marca. Apesar disso, os oito leds azuis no topo do equipamento, que ficam piscando (indicando a antena usada) ou fazendo um efeito “Cylon” incomodam bastante, especialmente à noite. Felizmente há um botão para desligar o efeito.

WG602v3_Hero 001 Este é o primeiro modelo (v1), já que o segundo (v2) tem apenas 3 antenas e não vem com os leds azuis.

O destaque da parte frontal é o botão “WPS”. Ele ativa o protocolo “Wi-Fi Protected Setup”, que permite a um micro ser registrado na rede sem fios sem configurar protocolo, chave criptográfica, nome da rede… tudo o que o usuário precisa, é digitar o “PIN” do equipamento. Bastante útil para o usuário sem muitos conhecimentos técnicos.

Já a parte traseira tem os quatro conectores Gigabit Ethernet, outro RJ-45 para a WAN (onde se deve ligar, claro, o modem ADSL), o botão para se desligar os leds azuis do topo, a entrada de alimentação e um botão de reset. Nada muito fora do comum, para equipamentos dessa faixa.

Para testá-lo, usei como base de comparação um Linksys WRT54G (duas antenas) e um TPLINK TL-WA501G (uma única antena), ambos certificados para 802.11g. Parece desleal comparar um roteador com velocidade máxima (teórica) de 600Mbps com outros dois de apenas 54Mbps? Pois, qual não foi minha surpresa ao tentar transferir um arquivo entre dois computadores da rede interna, ambos com placas compatíveis com 802.11n e obter, no máximo, uma taxa de 1,61MBps. Se considerarmos que o mesmo arquivo é transferido a 1,12MBps com o TL-WA501G, podemos notar que há algo estranho. Muito estranho.

Talvez o problema seja que o padrão 802.11n ainda é muito novo: foi publicado, em sua forma definitiva, apenas em outubro de 2009. Os fabricantes estavam se adiantando e lançando equipamentos baseados no “draft”, no que poderia vir a ser, de fato, o padrão final. Infelizmente, não tive tempo hábil de verificar se há uma atualização de firmware, o que poderia resolver.

De qualquer forma, se o ganho de velocidade não foi estupendo, a estabilidade da rede melhorou muito. Protocolos baseados em UDP e P2P, que travavam constantemente com o TPLINK e faziam o Linksys “suar” não parecem ter dado trabalho ao produto da Netgear. O alcance da rede também foi um ponto positivo. Apesar do prédio ter paredes grossas, o sinal foi recebido em todos os cômodos do apartamento e do lado de fora do prédio.

A interface web para configuração não foge do padrão da empresa, é fácil e bem completa, podendo filtrar conteúdo de páginas web e uma boa página de controle de QoS. Entretanto, a cada modifição o roteador precisa reiniciar e isso é um pouco irritante.

De modo geral, é um bom equipamento para se ter em casa, no máximo em um pequeno escritório.

LEIAM COM ATENÇÃO A SEGUINTE PARTE!

Agora, vamos à parte mais esperada. Como vocês já sabem, eu, infelizmente, não poderei ficar com ele. Mas, em vez de simplesmente sorteá-lo, como fiz com os WRG614, vou fazer um leilão. Para quem não acompanhou o último, a ideia é a seguinte: cada tib corresponde a um Real. Cada leitor pode ofertar até o número de tibs que tiver. Vamos supor que o sujeito tenha 200 tibs. Se ele der um lance de 190 tibs e ninguém der um lance maior, ganha o leilão, perde 190 tibs e recebe o roteador depois de depositar a mesma quantia (em Reais) na conta da APAE de Santa Rita do Sapucaí.

Obviamente, o mesmo leitor não poderá ofertar mais que 200 tibs, claro. No entanto, se tiver um blog (não, não vale Orkut/Twitter/afins) e fizer um artigo com um link para a promoção, ganha mais 50 tibs que não precisarão ser convertidos em dinheiro. Então, seguindo o exemplo dos 190 tibs e considerando que fez o artigo, ele vai concorrer com 240 tibs, mas, se ganhar, depositará apenas R$ 190,00. Além desse valor, o ganhador também precisará cobrir o custo do frete (que poderá ser via Correios ou transportadora).

Nos comentários, por favor, coloquem apenas o valor do lance e, se houver, o link para o artigo no blog pessoal. Nada de esticar o assunto, reclamações, choro, vela ou vaca amarela. Qualquer outro tipo de comentário será apagado e o salsa leitor ainda terá os tibs zerados.

O leilão se encerra à 0:00h do dia 02/03.

Se houver alguma dúvida, leiam as regras e comentários do último leilão. Se, ainda assim, restarem questionamentos, usem este post do fórum.

Um último lembrete: a idéia é ajudar a APAE, que faz um ótimo trabalho. Tenhamos espírito esportivo, pessoal. É isso aí. Boa sorte a todos!

emAnálise Destaque Hardware Wireless e Redes

Resultado da promoção Netgear

Por em 27 de fevereiro de 2010

A imaginação dos leitores sempre me deixa fascinado. A cada promoção surgem “motivos” hilários na tentativa de ganhar o brinde.

Infelizmente, sempre há aqueles que não lêem todo o texto e se apressam em escrever qualquer coisa. Isso complica a vida deste pobre escriba, que tem que filtrar os comentários pertinentes e, em caso de sorteio, eliminar aqueles que postam várias vezes. Pode parecer simples, mas vocês devem imaginar que, convenhamos, é um trabalho que poderia ser evitado com um pouco de boa vontade…

Enfim. Vamos conhecer os felizardos que receberão os WRG614.

Desta vez, um dos roteadores foi sorteado (usando o site Random.org), enquanto o outro foi merecidamente ganho pelo nosso querido Alex Popst. Afinal, ele prometeu pagar o frete… já o sorteado foi para o Rodrigo Neves, que poderá voltar a “compartilhar” com a comunidade…

Parabéns, pessoal! Lembrem-se de me enviar, via MP, seus dados completos (Nome, endereço, CEP…) em até uma semana.

Para quem não ganhou, fica o consolo de que a próxima promoção, do roteador WNR3500 vai ao ar ainda hoje. Fiquem de olho!

emAnúncios Destaque

Curiosidade mórbida e falta de bom senso

Por em 27 de fevereiro de 2010

Quinta-feira, SeaWorld, nos Estados Unidos. Uma baleia orca matou sua treinadora, Dawn Brancheau, durante uma apresentação. A notícia correu o mundo, e refletiu-se na Internet: em pouco tempo, o assunto já era o mais buscado no Google. E em igual velocidade, as páginas de phishing e rickroll apareceram.

Esse cenário demonstra duas coisas: 1) as pessoas em geral adoram ver catástrofes, sofrimento alheio, coisas ruins; e 2) essas mesmas pessoas, na ânsia de satisfazer esse sentimento macabro, acabam se tornando iscas fáceis para crackers e estelionatários. É assim que golpes são feitos, redes de PCs zumbis são criadas, e todo tipo de malware se dissemina pela Internet. Esse tipo de cracker age mais ou menos como blogger caçaparaquedista: escreve o que o povo quer, e espera as vítimas pegarem sua isca através de motores de busca. Isso funciona. PCs infectados e contas bancárias generosas de caçaparaquedistas são a prova cabal.

morbid-person

Graham Cluley, da Sophos, disse o seguinte:

“É difícil acreditar que alguém queira ver um vídeo de uma terrível morte, mas no momento esse é um dos termos em buscadores mais quentes na Internet. Páginas contaminadas podem aparecer mesmo nas primeiras posições dos resultados de buscadores. Ao acessá-las, avisos saltarão na tela, falando sobre problemas de segurança em seu PC. Esses avisos são falsos, e feitos para enganar usuários no sentido de fazê-los baixar programas peritosos ou mesmo ceder informações do cartão de crédito.”

Em tom de crítica, o vídeo abaixo já foi visto mais de 1 milhão de vezes. Um rickroll bem sucedido:

E se não bastassem o caso acima, um jovem alemão criou um experimento com resultado parecido. Ele criou e começou a distribuir uma ferramenta chamada Gull1hack, que supostamente serviria para fazer jailbreak no iPhone. Uma pá de gente baixou-a sem sequer saber se a dita funcionava, e a executou. Resultado? Nada muito alarmante, apenas uma mensagem do jovem alemão dizendo que queria ver como tanta gente ainda é infectada por malware na Internet. A mensagem dele diz o seguinte (algumas partes foram meio complicadas de traduzir :p ):

Oi… Sou um garoto de 18 anos da Alemanha. Há 4 dias, eu li sobre “broken Apple” e pensei “hey, você pode fazer isso também?”. Eu nunca imaginei que alguém fosse dar bola para minha ferramenta, mas alguém o fez. Milhares…

E agora, eu quero lhe dizer uma coisa: eu sempre me perguntei como os criadores de trojans conseguiam obter controle sobre milhões de computadores-zumbis, trabalhando para eles. E agora eu sei como. Você abriu esse programa sem saber nada a respeito das suas funções ou de quem o produziu. Por quê?

Por favor, pare com isso. Execute apenas programas que você conheça! Eu poderia travar seu Windows, roubar seus arquivos ou apagar completamente seu HD. Para sua sorte, eu apenas abri o Google…

Por uma Internet mais segura!

PS: Você poderá mover seu mouse após 30 segundos!

Em tempo de orkut Ouro causando dor de cabeça e chamandao a atenção, esses dois casos mostram que tal problema não é exclusividade do Brasil. Existe essa mistura de inocência com malvadeza em todo lugar, classe social e país. O caso do iPhone é bem peculiar, pois presume-se que quem tem o aparelho e tenciosa fazer jailbreak nele, deva ter alguma noção básica de utilização de computadores.

Todo cuidado é pouco, então, abra o olho e sempre recorra a amigos e sites confiáveis antes de instalar/usar qualquer coisa em seu PC.

Fontes: Mashable, Tecnoblog.

emInternet Segurança

Shank, um indie com visual de jogo grande

Por em 27 de fevereiro de 2010

Quem teve um console da geração 16-bits ou entrou pelo menos uma vez num fliperama lá pelo início da década de 90 certamente jogou algum beatn up. Embora os Hack and slash atuais como o God of War possam ser considerados uma evolução natural do antigo gênero briga de rua, muitos dos antigos jogadores (sentem falta) sentem falta de um game no estilo que use apenas dimensões e para eles eu recomendo de olho num game chamado Shank.

Figurando na lista de finalista do Independent Games Festival 2010, o game permite que seus inimigos sejam massacrados com o uso facas, armas de fogo e até mesmo uma motosserra, mas o que mais me chamou a atenção foi sua ambientação meio no estilo velho oeste e principalmente, a direção artística no estilo revista em quadrinho e a exuberante animação.

Segundo os criadores o jogo recebeu inspiração de diversos meios, como os filmes do Tarantino, os clássicos Prince of Persia e Double Dragon, as animações da Pixar e a HQ Preacher, sem dúvida ótimas referências.

Eu não consegui descobrir quando Shank será lançado, porém, acho que a espera valerá a pena e é importante dizer que a Klei Entertainment, produtora do jogo, foi a responsável pela versão do N+ lançado no Xbox 360.

emComputadores

Bungie não descarta jogos para o PS3

Por em 26 de fevereiro de 2010

A Bungie, assim como a Infinity Ward, é uma produtora que tem seu nome intimamente ligado a uma série. Tendo trabalhado como subsidiária da Microsoft durante muitos anos, a primeira pergunta que os jogadores fizeram quando ela se separou da fabricante do Xbox em 2007 foi: Será que eles farão jogos para o PS3?

Os anos passaram, a empresa continuou desenvolvendo jogos para a série Halo e ao ser questionado sobre o assunto, o funcionário Brian Jarrard não descartou nem confirmou a possibilidade. Segundo ele, essa situação ainda está indefinida e revelou que o estúdio já possui uma equipe trabalhando no embrião do que será o próximo grande jogo da Bungie.

Vale lembrar que rumores circulam pela web já há um bom tempo sugerindo que eles estariam trabalhando junto com a Activision, mas pelo jeito teremos que esperar até o lançamento do Halo Reach para sabermos o que as mentes da Bungie estão tramando.

dori_bung_26.02.10

[via CVG]

emIndústria Microsoft Sony

Não gostou do Sonic 4? Compre o primeiro

Por em 26 de fevereiro de 2010

Você é uma daquelas pessoas que sempre se perguntou porque a Sega não acertou a mão nos jogos do Sonic desde o fim do Mega Drive? Pois um abaixo assinado criado na internet pode conter a resposta.

Após ver cerca de um minuto do recém anunciado Sonic the Hedgehog 4: Episode 1 em ação graças ao vídeo abaixo, algumas pessoas não gostaram do que viram e resolveram protestar propondo algo inusitado.

A ideia é boicotar o novo jogo e usar o dinheiro para adquirir digitalmente o primeiro game do porco-espinho. Não, eu não me enganei, eles querem se vingar da Sega comprando um jogo dela mesma e a justificativa é que o game não será tão bom quanto os jogos originais do mascote, por isso não poderia ser considerado uma verdadeira sequência.

Eu nem vou entrar no mérito do Sonic 4 ser tão bom quanto os anteriores ou não, simplesmente porque não jogamos ele ainda e os dois primeiros são realmente fantásticos, mas será que essas fãs realmente acham que mudarão algo com tal atitude? Aí não querem que eu venha aqui e diga que certas atitudes são estúpidas.

[via 1UP]

emMiscelâneas