Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Anúncio de Resistance 2 cobre toda a primeira página de jornal irlandês

Por em 28 de novembro de 2008

Resistance 2 é um shooter em primeira pessoa, seqüência de Resistance: Fall of Man, onde o personagem deve voltar aos EUA para combater uma invasão de monstros. O game, exclusivo para Playstation 3, foi lançado nos EUA dia 4 de Novembro e hoje, dia 28, na Europa. Parece que a Sony resolveu investir fortemente em publicidade, pois hoje os leitores Irlandeses do jornal Metro se surpreenderam com uma gigante manchete com os dizeres “AMERICA UNDER ATTACK” na primeira página.

A propaganda cobre totalmente a primeira página – exatamente como vemos em alguns jornais como a Folha e o Estadão – e também está em outras três páginas do jornal, onde é possível ver um comunicado do “presidente” à todos os americanos, a anatomia de um monstro, avaliações de cientistas e finalmente a identificação do game.

Certamente, uma das melhores propagandas envolvendo games que já vi, uma pena que não temos isso aqui no Brasil. Confira as scans do jornal logo abaixo.

lemos_res2_28_11_2008_1 lemos_res2_28_11_2008_2
lemos_res2_28_11_2008_3 lemos_res2_28_11_2008_4

[via Kotaku]

emCultura Gamer Sony

Cloud vs Sephiroth

Por em 28 de novembro de 2008

Prepare-se! Dentro de menos de um mês você deverá ver um súbito aumento nas vendas do PSP em terras nipônicas. O motivo é um jogo que a Square-Enix lançará e o nome dele é Dissidia: Final Fantasy.

Dissidia será um jogo de luta 3D onde diversos personagens da série se enfrentarão. Entre os que poderão ser escolhidos estão Cecil, Kefka, Squall, Tidus, Cloud e Sephiroth. No vídeo abaixo é possível ver o embate entre esses dois últimos. Só a música de fundo já vale assistí-lo.

O jogo faz parte das comemorações de 20 anos da franquia e o responsável pelo design dos personagens é ninguém menos do que Tetsuya Nomura, o mesmo do aclamado Final fantasy VII.

Só tenho um pouco de medo pois quando a Square tenta fazer jogos que não sejam RPGs, na maioria das vezes o resultado não é dos melhores.

emPortáteis Preview

The Legend of Zelda – O filme

Por em 28 de novembro de 2008

Imagine a seguinte situação: Você vai até o cinema mais próximo da sua casa, compra a pipoca, assiste os trailers e ao iniciar o filme, um moleque com cara de maluco e vestido com uma roupipnha verde no melhor estilo anão de jardim aparece correndo por um grande descampado enquanto é perseguido por um grupo de monstros-geléia de cores variadas. Lhe pareceu ridículo? Pois é assim que ficaria um filme baseado na série The Legend of Zelda.

Mesmo assim, um grupo de fãs está decidido a concluir esta pérola e o andamento do trabalho pode ser visto no trailer logo abaixo. O pior de tudo acho que nem é a produção e sim a atuação medíocre dos “atores”.

[via Go Nintendo]

emCultura Gamer Vídeos

Descolagem #3 – o Filé

Por em 28 de novembro de 2008

A Descolagem #3 teve altos e baixos, com gente que tinha conteúdo mas não sabia apresentar e gente com conteúdo chato fazendo apresentações chatas. O tema foi A Escola no Século XXI, mas o zumbi Paulo Freire e a postura de Professor Mestre Absoluto Calaboca e Aprende ainda é dominante na mente do magistério.

Por isso causou polêmica entre as cabeças coroadas a palestra do Luli Radfahrer (não vou conferir se acertei), que tirou o professor do pedestal e mostrou que não interessa pra ninguém saber o que é uma monocotiledônea, e que se o aluno quiser saber os afluentes da margem esquerda do Amazonas, ele vai no Google e pesquisa.

O que a escola tem que ser é um lugar onde o aluno aprende a gostar de aprender. Onde ele desenvolve não o conhecimento, mas a curiosidade. Como em Big Bang Theory. Quando os personagens roteiam um sinal dando a volta ao globo para acender a luz da sala, o mundo se divide em dois grupos: Os que perguntam “por quê?” e os que respondem “porque podemos!”

A palestra do Luli, na íntegra, pode ser vista aqui. E se você adorou a apresentação dele no MeioBit Camp, acredite: Esta é melhor ainda.



emMiscelâneas

A falta de criatividade na indústria

Por em 28 de novembro de 2008

Vocês conhecem um desenho chamado Ben 10? Me perdoem a ignorância, mas embora eu já tenho ouvido falar na animação, tenho que admitir que não faço a menor idéia do que se trata. Mesmo adorando desenhos, este é um dos que nunca me atiçou a curiosidade.

Bom, hoje vi uma notícia a cerca do primeiro jogo baseado na franquia que me deixou atônito. Imagine você que somada todas as versões disponíveis (Wii, PSP, PS2 e DS), Protector of Earth já vendeu mais de 2 milhões e meio  de unidades (!?!).

Pois bem, mesmo entendendo que se trata de uma moda entre as crianças e que o jogo pode fazer a alegria da molecada, acho impressionante como o simples ato de criar um jogo usando como plano de fundo uma marca de sucesso seja suficiente para arrecadar alguns milhões de dólares. Não cheguei a ver o jogo, mas a julgar pela média do Metacritics, não se trata de uma pérola.

dori_BEN_28.11.08 Veja bem, não estou dizendo que as pessoas que compraram o game estejam errada. O que questiono aqui é porque certos jogos fabulosos não venderam bem. Vamos pegar alguns exemplos recentes. Embora não esteja no mercado a tanto tempo, de acordo com o site  VG Chartz, o tão elogiado Mirror´s Edge vendeu apenas 200 mil cópias (aqui e aqui). Peguemos então um jogo mais antigo, o excelente Super Paper Mario. Você sabe quantas unidades ele já vendeu? Apenas 20 mil jogos a mais do que o “fenômeno” Ben 10: Protector of Earth. Quer outro exemplo? Saiba que o segundo God of War teria vendido pouco mais de 2.3 milhões de unidades.

Portanto caros amigos, se você é um dos que reclama da falta de criatividade e inovação por parte da indústria de games, é bom se preparar. A tendência é que a situação não mude e ainda teremos que ver muitos “Ben 10” por aí…

[via GamesIndustry]

emIndústria

PSP ajudando deficientes auditivos

Por em 28 de novembro de 2008

Um escola da cidade de Birmingham na Inglaterra está usando um método interessante para ensinar a linguagem dos sinais para crianças surdas ou com sérios problemas de audição.

Valendo-se da câmera do PSP, os professores filmam algumas palavras usando sinais e os alunos podem assistir depois, quantas vezes quiserem, além de poderem gravar suas próprias palavras.

De acordo com os responsáveis pela escola, como algumas crianças não conseguem escrever muito bem, o método está servindo para que elas aperfeiçoem esta segunda língua e que os resultados são bastante gratificante. Outro ponto legal do projeto é que a escola está criando uma biblioteca com histórias infantis para serem vistas na hora de dormir.

Está aí mais um exemplo de como os videogames podem ajudar na vida de uma pessoa. Belíssima iniciativa.

dori_psp_28.11.08

[via Kotaku]

emCultura Gamer Portáteis

µTorrent – Agora também no Mac

Por em 27 de novembro de 2008

O mais objetivo, compacto e bem-programado cliente BitTorrent do mundo Windows agora vem em sabor maçã. A versão para Mac foi liberada. Em beta ainda -mas isso não afeta o Google- não tem todos os recursos da versão Windows, como a interface web, mas traz as principais vantagens – tamanho reduzido e pouco consumo de sistema.

Claro, não chega aos pés dos pífios 500KB de sua contraparte Windows, mas a versão Mac OSX, com 3,9MB bate de longe o Transmission, o outro grande cliente torrent da plataforma, que ocupa 8MB de disco.


A versão beta pode ser encontrada neste link. A versão Windows/Wine, no site oficial.

Nos testes informais o µTorrent se mostrou mais rápido que o transmission, o que já é um bom sinal. Quando o µTorrent foi comprado pelo bittorrent.com muita gente (eu inclusive) ficou com medo do programa ser descontinuado, mas pelo visto não era essa a idéia. Que bom.

Nota: Como não quero ser acusado injustamente de pirataria, escolhi no mininova.org um torrent que ninguém em sã consciência acusaria outro vivente de baixar por livre e espontânea vontade: Hancock, com Will Smith.

Fonte:Tech Crunch

emSoftware