Digital Drops Blog de Brinquedo

Homer Simpson desenhado via CSS

Por em 1 de maio de 2008

A diferença entre hackers e gente comum é que hackers apreciam quando alguém faz algo "apenas para ver se era possível ser feito", como em uma cena do Big Bang Theory onde os desocupados rotearam um sinal dando a volta ao mundo para fazer piscar a luz do abajur. Portanto idéias como a de Javier Román Cortés (o nome espanhol mais cool depois de Juan Sanchez Vila Lobos Ramirez) – desenhar utilizando somente CSS têm o mérito de empurrar uma tecnologia além de seu uso planejado.

Ele utilizou apenas CSS para criar a imagem abaixo (que está em JPG, d’oh!)



No blog de Javier é possível ver a imagem em toda a sua glória, em puro CSS. É útil? Não. Vai substituir os PNGs e JPGs? Não. Mas é algo danado de legal. Eu chamaria de versão Século XXI da ASCII-ART.

=

/#@, M#

emInternet

Google quer mapear o solo dos oceanos da Terra

Por em 1 de maio de 2008

Não bastasse investir pesado em sequenciamento de DNA, o Google agora está colocando dinheiro em outra atividade a princípio não-lucrativa, mas que abre as portas para o futuro, atiçando o lado geek de todo mundo: Em dezembro reuniu, na sede da empresa, um time de oceanógrafos e especialistas, para delinear um projeto semelhante ao Google Earth, mas mapeando a topografia submarina dos oceanos da Terra.

A comunidade científica adorou, pois surpreendentemente, há muito pouco material em alta resolução do fundo dos oceanos. Conhecemos muito mais sobre o resto do Sistema Solar do que sobre nossos próprios mares. O próprio Espaço é um ambiente mais benigno do que as profundezas oceânicas. No espaço sua nave precisa resistir a uma pressão de 1 Atmosfera, de dentro pra fora. No fundo da Fossa das Marianas, seu submarino precisa resistir a 1000 Atmosferas, de fora para dentro. Mais gente esteve na Lua do que no fundo dos 11Km da Fossa. Na verdade só dois homens mergulharam lá até hoje.

Especialistas estimam que um navio oceanográfico levaria 100 anos para mapear os oceanos em alta resolução. Mas isso pode ser transformado em 50 navios levando dois anos, o único fator aqui é dinheiro, e isso o Google tem de sobra.

As aventuras do Google podem parecer temerárias de um ponto de vista empresarial tradicional, mas por outro lado eles estão fazendo um trabalho magnífico em colocar dinheiro nos projetos grandiosos, necessários mas que ninguém quer bancar, empurrando o avanço tecnológico com isso. Vide o prêmio de US$30 milhões para a primeira empresa privada que pousar um robô na Lua e transmitir um Mooncast de lá.

Fonte: CNet

emIndústria Internet

Pidgin é dividido. O que isso mostra do open-source?

Por em 1 de maio de 2008

Com o lançamento da versão 2.4 do Pidgin os desenvolvedores resolveram tirar a opção de redimensionar a caixa de texto onde se digitam as mensagens. Alguns usuários não gostaram e pediram para voltar o modo anterior ou que esse novo comportamento se tornasse opcional.

Os desenvolvedores do Pidgin não quiseram mudar. Alguns usuários fizeram um fork do código.

Isso mostra que o movimento/pensamento/whatever de código-livre é maduro e imaturo. Ao mesmo tempo!

Veja só, ele é maduro porque assim que os desevolvedores se recusaram a acatar as decisões por motivos pessoais – até um certo ponto aceitáveis – os usuários fizeram um fork e foram trabalhar nele. Muito bom!

É imaturo porque o fork só aconteceu porque os desenvolvedors do Pidgin disseram com todas as letras que eles fazem o software para eles próprios e que se mais gente consegue usar muito legal. E o fork é imaturo porque agora terão duas versões de software basicamente iguais mas que seguirão rumos diferentes. Muito ruim!

É por essas e outras que algumas pessoas não levam a sério uma comunidade dessas, e gerentes de empresas de verdade dão risadas de propostas envolvendo soluções código-aberto como essas. Aonde já se viu não atender um pedido do usuário porque você não quer?

Esse pessoal precisava de algumas aulas de administração. E convívio em sociedade.

Fontes: Slashdot

emOpen-Source