Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Carta do Mario à Nintendo

Por em 31 de março de 2008

doriprata6_30.03.08 Todos que trabalham já viram alguém ou já estiveram insatisfeitos com sua profissão, isso é normal. mas o que aconteceria se um personagem de videogame chegasse a conclusão que não quer mais fazer o que sempre fez? Pois é, se isso viesse de um dos maiores ídolos da indústria, o seu pedido  de demissão seria mais ou menos de acordo com a carta publicada pelo site Sea.man.ticks e traduzida pelo Guilherme do inGame ad.DICTION.

A julgar pela foto ao lado, parece que o encanador mais famoso do mundo já conseguiu outra profissão. Pelo jeito, mesmo com as vendas astronômicas do Wii, nem todos estão felizes dentro da BigN.

Querida Nintendo,
Nós estamos em uma relação de negócios, já há algum tempo e para ser honesto, eu nunca tive nenhuma reclamação quanto ao meu trabalho. É certo que a minha linha de trabalho nunca foi considerada fácil em todos os sentidos, mas outrora, ela simplesmente pareceu mais… recompensante.
Vocês entendem o que eu estou dizendo? Eu nunca estive numas de perseguir um macaco gigantesco por uma série de escadas, mas com aquela gostosona da Pauline esperando por mim, eu não ligava. Mesma coisa em correr por todo o Mushroom Kingdom, eu não ligo de detonar alguns Koopas, desde que eu saiba que a Princesa Peach estará me esperando. (”Em um outro castelo”…Céus essa piada está ficando velha).
Mas recentemente, vocês estão me forçando a fazer merdas que simplesmente não estão no meu "job description". Lembro-me da primeira vez que Shigeru me ligou. “Ei Mario, quer ir à uma festa? Que tal 8 delas?” E é claro que eu disse sim. Isso porque a minha idéia de festa é virar algumas cervas geladas com alguns amigos, alguns jogos de vira-vira com as donzelas e talvez Superbad. Mas não, seus desgraçados perturbados, idéia de uma festa é fazer com que eu e todos os outros bundões corram em círculos por 20 minutos. Isso não é uma festa, é um encontro para fazer trilha. O que me leva a outro ponto.
Vocês já viram a minha cintura nos últimos anos? Acredito que não, porque vocês tem me feito fazer esportes mais do que o Michael Jordan. O que, em nome de Deus Todo Poderoso, deram a vocês a mínima idéia de que eu daria um bom jogador de futebol? Vocês já viram o quanto é longo a merda de um campo de futebol? É ridículo. E já que estamos falando de coisas ridículas, de quem foi a idéia brilhante de me fazer competir nos jogos Olímpicos contra o Sonic, de todas as pessoas? Ele já estava para se aposentar, mas não Nintendo, vocês tiveram que trazê-lo de volta e fazê-lo competir contra mim em eventos de corrida. O que estavam pensando? Ele corre tão rápido que você não consegue nem ver as merdas dos pés dele.
Finalmente, como eu tenho certeza que vocês devem saber, por toda a minha vida, os inimigos que enfrentei foram relativamente fáceis, sendo destruídos com um simples pulo ou três no máximo. Agora vocês querem me pegar e me fazer batalhar contra a morte, contra um homem com uma arma??? Eu posso socar ele e ele pode atirar umas merdas de umas balas em mim! Vocês são uns cuzões, eu odeio vocês.
Morram no Fogo,
Mario

emCultura Gamer Nintendo

Onde estão os fliperamas?

Por em 31 de março de 2008


Ê, domingão! Dia meio nublado em Floripa, começo do outono, não muito quente, perfeito para passear de mãos dadas com a patroa pelo shopping. E entre uma loja e outra, passando por livrarias e cafés, eis que deparo com ele: o Fliperama. Sim, com maiúsculo mesmo, afinal ele merece, porque até onde sei talvez seja o último da cidade.

Verdadeiro herói da resistência, último representante de uma época em que o primeiro contato dos gamemaníacos com lançamentos acontecia ali, naquele espaço considerado quase sagrado. Algazarra geral. Entre dezenas de máquinas barulhentas a molecada se reunia para decidir quem era o melhor, em diversas categorias – tiro, luta, corrida, ação. Mediante um punhado de fichas no bolso a diversão era garantida por horas e horas.

O curioso, e esse é o principal fato que me leva a escrever essas linhas, foi perceber que a sensação de viagem no tempo é perfeita, afinal naquele espaço ainda é possível encontrar as mesmas máquinas de anos atrás: Aero Fighters, X-Men: Children of the Atom, The House of the Dead 2, Cruis’n USA e, pasmem, Street Fighter 2, só pra citar algumas das relíquias dos anos 90. Pelo que pude observar, não havia nada de mais recente, pelo menos nada lançado neste século.

Não é preciso dizer que o lugar estava praticamente abandonado. É preciso sim levar em consideração a época em que vivemos, afinal, qualquer pessoa que possua um computador e alguma noção de emulação pode reviver esses e muitos outros clássicos sem sair de casa. Porém, a pergunta que ficou foi: onde estão as novidades? Tudo bem que vivo literalmente numa ilha, mas ainda assim geralmente as notícias de games que leio se referem à consoles ou PCs. Quem sabe o prazer de jogar em grupo agora se restrinja mesmo ao multiplayer. Seria isso o reflexo do individualismo que faz parte de nossa era?

Fiquei especialmente curioso em saber como é o panorama de outras cidades. Compartilhe conosco sua opinião. Quando foi sua última visita à um fliperama e o que você jogou?

emCultura Gamer Miscelâneas

Sorteio: Gears of War

Por em 31 de março de 2008

Estamos de volta com mais uma promoção para os leitores do MB Games. Dessa vez o jogo sorteado será o Gears of War para Xbox 360. O sistema será o mesmo da promoção do Halo 3. Comentou, já está concorrendo, só que dessa vez iremos deixar a promoção durar por uma semana. Então, que deixar um comentário neste post até o dia 7 de abril estará participando.

Só quero reforçar o que disse na outra promoção. Quem deixar mais de um comentário será eliminado. Queremos que todos tenham condições iguais de ser o vencedor, portanto, peço que colaborem.

Então, boa sorte e que comece o jogo.

doriprata20_31.03.08

emAnúncios

A reinvenção de Sam Fisher

Por em 31 de março de 2008

Como vocês devem ter percebido no preview de The Bourne Conspiracy, curto games de espionagem. Metal Gear Solid, Syphon Filter e Splinter Cell fazem parte do meus Top 10 de melhores jogos que joguei por serem realmente games bons, com alguma ação (não tanta em Splinter Cell) e com tramas elaboradas, conspirações governamentais, etc etc, etc!

Splinter Cell – Conviction é o quinto game de uma das melhores séries de games da atualidade. O primeiro game revolucionou com gráficos incríveis e um ambiente praticamente perfeito: a noite. Parece que tenho uma certa queda por ambientes noturnos e ver paredes realistas e construções estrangeiras me fascinaram na época. Quando instalei o primeiro game no PC (alugando numa locadora), dois meses depois de ter adquirido o meu computador atual com muito sacrifício, eu gelei: fiquei minutos reparando o cenário e a cara perfeita (na época) do personagem. Minha referência anterior eram games do Playstation e vendo o Splinter Cell presenciei a evolução gritante nos gráficos. Hoje pode parecer gráficos medianos, mas na época não era. Para mim não eram!

Chegou Chaos Theory (o terceiro game da série e segundo que joguei, mas no Playstation 2), outra evolução: o jogo ficou mais fácil, com várias rotas. Os gráficos deram uma ligeira melhorada, mas a jogabilidade (na verdade, a mira!) ficou mais difícil, já que mirar no controle analógico de qualquer console é um parto. O mapa 3D é um show à parte, apesar da sua interface pouco amigável.

Aí chegou as primeiras informações de Conviction: o quinto game da série. Esqueça tudo que você sabia sobre Sam Fisher: aqui as coisas mudaram radicalmente. Para melhor!

Uma das maiores reclamações dos jogadores é que em algumas séries de games a fórmula começa a desgastar. A originalidade do primeiro game começa a ser a repetição do segundo, com diferenças de enredo e cenários, mas matendo a jogabilidade (dependendo, pode ser um ponto positivo), se mantendo inalterado. Mas chega uma hora que a produtora tem de radicalizar para fugir da mesmice. Acredito que o próprio Jason Bourne contribuiu para isso, mostrando um agente com cenas de ação incríveis e uma trama elaborada. No ponto enredo, Metal Gear Solid sempre foi melhor.

Falando em Jason Bourne, é o personagem que será usado para comparações com o game: aqui Sam Fisher virou um fugitivo e ajudará seus amigos. Outra referência que vem à mente é a série Prison Break, mas a diferença é que o Sam não vai ser preso (Ou vai? Não sei o enredo todo do jogo!) e não vai precisar escapar da cadeia usando a inteligência de um Michael Scofield.

Vamos agora falar da parte técnica: ela será um show à parte e fiquei abismado na época: ele andando numa praça enorme, interagindo com outras pessoas, causando pânico numa hora e assustando os transeuntes. Neste ponto os videogames estão dando um salto, mostrando o que realmente deveria acontecer na vida real. Ver todo mundo correndo impressiona. Na hora que vi os trailers, o meu cérebro de desenvolvedor entra em ação, pensando nos cálculos de física pra Ubisoft ter conseguido colocar com tamanha fluência tudo aquilo que a gente consegue ver. isso é fruto da evolução dos PCs e dos novos consoles. Aqui o salto está sendo muito, muito, muito alto!

Prepare-se também para usar o cenário como arma. Você tem um inimigo na tua frente e entre vocês dois uma cadeira. Pegue-a e use! Pegue uma impressora laser e arremesse e o estrago será arrasador! Aqui o Sam lutará do jeito que sempre sonhei: lutando de verdade, apesar de usar os mesmos movimentos. Quero ver ele lutando, dando algumas voadoras, lutando parecido com o Jason Bourne.

Sam pegando uma impressora e uma cadeira. Fonte: IGN 1 e 2.

Fora a própria aparência do cara. Bigodudo, um transeunte qualquer. Pense comigo: você está numa multidão e tem várias pessoas. Quem delas você saberia dizer que já matou e que sabe matar alguém silenciosamente? Aqui o cara vai usar roupas comuns. Aqui ele não terá os apetrechos tecnológicos, já que é um fugitivo. Aqui é na raça, usando o treinamento que ele teve: mãos, pés e a sua inteligência (na verdade, a do jogador, mas é a mesma coisa!).

Este game me forçará a fazer um upgrade no meu computador. Eu não vou perder de jeito nenhum a oportunidade de jogá-lo, mesmo com requerimentos mínimos! Splinter Cell ficou, por mais de 3 anos, como o melhor game que joguei em toda a minha vida, até um certo espartano com duas lâminas e sede de vingança chegar no pedaço e querer matar o deus da guerra. Admito: sou um fanboy descarado e fanático por Spinter Cell. Queria adquirir o primeiro game para PC (que tem legendas em português!), mas o mesmo foi descontinuado pela distribuidora nacional. Uma pena.

Splinter Cell sofre do mesmo problema do Final Fantasy XIII: poucas informações e a produtora não mostra quase nada. Mas diferente do game da Square os jogadores não estão tão ansiosos por este game (exceto os fãs mais fervorosos, como eu!). Em breve a Ubisoft vai ter o novo Ubidays (28 e 29 de maio) e espero que nela a produtora mostre mais informações sobre o game e seu enredo, que promete ser o melhor jogo da série.

Para quem não tem dificuldades com o inglês, a IGN publicou ano passado um super-especial com muitos detalhes técnicos do jogo. Vale a pena conferir!

Para terminar, algumas imagens e um vídeo do gameplay que é comentado por um dos desenvolvedores:

Imagens (do site oficial):

Vídeo:

O jogo é exclusivo para PC e Xbox 360 e ainda não tem data de lançamento definida.

emComputadores Microsoft Preview

Jogando Winning Eleven: técnicas secretas

Por em 31 de março de 2008

playing

Jogar o melhor jogo de simulação de futebol (lembre-se que isso é pessoal) do mundo dos games é uma arte que poucos dominam bem. Mas por trás de saber fazer jogadas, combinações de botões para dar dribles, passes ou cruzamentos existe uma arte que está fora do alcançe eletrônico. A arte de irritar seu adversário. Se você dominar essa arte saiba que 20% da vitória é sua antes mesmo do jogo começar.

Lembrem-se que eu usei o Winning Eleven simplesmente por experiência própria, mas em todos os jogos temos os meios de tirar a concentração do inimigo. Confira todos os segredos após o break.

Geralmente brincamos de vídeogame com os amigos ou os familiares em nossas casas. Existem os jogadores online que conseguem usar esta técnica através do Team Speak e derivados. Geralmente conhecemos muito bem contra quem jogamos, sabemos se ele tem ou não "pavil curto" e também sabemos quais são as coisas que ele não gosta.

 

#1 Técnica de irritação na tela de edição dos times:

mudar_time

Quando entrar nessa tela, faça tudo o que precisar para o seu time o mais rápido possível e após isso começe a utilização da técnica.

Aperte os botões "x, bolinha, R1, R2, L1 e L2" o mais rápido possível aleatóriamente e faça um barulho chatíssimo enquanto seu adversário mexe no time dele. Acreditem. Funciona!

#2 Comemore seus gols:

comemore

Quando você fizer aquele lançamento, deixa seu atacante na cara do gol, chuta e a bola estufa as redes… GOOOOOOLLL!!!! Fique de pé, comemore, grite "GOOOOOL!", faça o que for, dê uma volta olímpica na mesa da sala ou pule feito doido na cama do seu quarto.

Tenha certeza que isso irrita seu adversário, mas muito cuidado ao usar essa técnica, se ele conseguir empatar ou virar a partida a pressão será maior ainda contra você.

#3 Narre o jogo:

Essa eu não faço pois até eu mesmo fico nervoso comigo mesmo! Narrar o jogo a todo momento é uma coisa chatíssima, já joguei contra várias pessoas que fazem isso e funciona muito bem :). Use os jargões do futebol: "pelas barbas do profeta", "pelo amor dos meus filhinhos" ou algum absurdo falado pelo Galvão. Quanto mais chato e batida for a frase, melhor será o efeito.

#4 Converse com o Juíz:

cartao-kaka 
"Pô professor! Fui na bola, não foi nada!"

Essa técnica é fantástica. Porque é algo que não é tão chato como a técnica anterior mas tira a concentração do adversário.

#5 Achou seu gol bonito? Exagere no replay

Fez um golaço! Veja o replay, veja denovo e veja mais uma vez. Utilize essa técnica junto com a técnica #3 para ter um efeito melhor. Se na jogada do gol houver algo que possa irritar seu adversário como um drible sensacional, um erro da zaga ou do goleiro dele ou um bug do jogo. Fique indo e voltando o replay naquele instante e fale coisas como: "nooooooossa!" ou "oléééééé!"

#6 Não encoste no seu adversário

Isso é muito usado por irmãos mais velhos como uma técnica de intimidação. Dar tapinhas na cabeça e derivados não é recomendado. Falo pelo irmão caçula "esquentado" que sou. Já apelei para reset’s e puxões da tomada algumas vezes quando era menor e sofria esse tipo de intimidação dos meus irmãos.

Lembre-se que tudo não passa de uma brincadeira

Jogar vídeogame é para se divertir e não para brigar e causar discórdia. Winning Eleven é um jogo que lida muito com a emoção (principalmente quando estamos perdendo). E saber se divertir usando essas técnicas é muito legal! Seria um porre se eu jogasse esse jogo quieto contra meus irmãos.

Esqueci de alguma "técnica secreta"? Existe alguma técnica usada para jogos online? Vamos lá! Comente!

emMiscelâneas

Mini Tutorial de Overclock de VGA com o Riva Tunner

Por em 31 de março de 2008

image Se você acha que sua placa de vídeo não está mais dando conta do recado você pode tentar fazer uma "overzinho básico" pra ver se a coisa melhora.

O Riva Tunner é um programa especializado em tunar várias características de placas de vídeo e modos de exibição do computador, como resoluções e taxas de atualização customizadas. A principal função dele é sem dúvida fazer overclock em placas de vídeo via driver e monitorar a temperatura da mesma. Baixem e instale o programa, vocês não vão ter nenhuma dificuldade.

Overclock via driver quer dizer que os clocks da placa de vídeo serão ajustados depois que o driver da VGA for carregado pelo Windows. Existe também Over pela BIOS, overclock de baixo nível, mas esse eu só me arrisco a fazer quando achar que minha 8600GT não segura mais nada.

Ok, primeiro de tudo vejam a quantas anda a temperatura de sua VGA sem overclock.

temp

2

Um valor ótimo fica mais ou menos entre 45º e 60º Celsius, até 80º ainda é aceitável. A minha VGA costumava ficar quase em 100º SEM OVERCLOCK. Nas minhas pesquisadas em fóruns eu descobri que o valor LIMITE aceitável de temperatura dela era de 120º. Não quis me arriscar e comprei o cooler Zalman VF900-CU. Uma queda de 50% na temperatura valeu o investimento.

A temperatura da VGA varia de acordo com sua carga, enquanto você está jogando a temperatua aumenta. Para ver a temperatura enquanto joga clique em setup e ira aparece a janela abaixo…

6

Clique em Core Temperature e depois em Setup …

7

Habilite a opção Show core temperaure in on-creen dsiplay e depois clique em Run Server. Um novo ícone do Riva Tuner irá aparecer no system tray e nele você pode configurar mais algumas opções.

8

9
10

Finalmente, se você achar que sua VGA aguenta mais um pouco de trabalho pesado é hora de aumentar seus clocks.

3

5

Cliquem em Enable driver-level hardware overclocking e irá aparecer a janela ao lado, apenas marque a opção Allow Separate 2D/3D clock frequency e clique em Detect Now para não precisar reiniciar o computador. Se a opção detect now já estiver disponível apenas clique nela.

 

Agora não existe formula mágica para saber quais os clocks máximos que sua VGA agüenta, aqui é tentativa e erro mesmo. Eu recomendo que vá aumentando os clocks aos poucos, nunca esquecendo de verificar a temperatura, quando seu sistema literalmente travar enquanto você está jogando é pra mostrar que a VGA chegou no limite de Over, reset no computador. Não se preocupe uma travada não quer dizer que você danificou sua VGA. Quer dizer basicamente que ela se recusou a trabalhar nos clocks que você mandou, normalmente porque as voltagens do Core e das memórias não permitiram. Para aumentar as voltagens só com BIOS mod, over pela BIOS, isso eu já disse que não me arrisco a fazer agora.

4

Não esqueçam de marcar a opção Apply Overclock at Windows Startup.

Por ultimo verifiquem a temperatura novamente. Nunca deixem passar de 80º, se passar disso diminuam ou desfaçam o over (Recomendação pessoal).

O Riva tunner tem muito mais opções, eu não conheço todas e se conhecesse precisaria escrever um verdadeiro manual de instruções pra ele. Se vocês quiserem se aventurar mais com esse programa, fiquem a vontade e me contem a novidades.

OBS: Tudo escrito nesse tutorial de baseia em experiência própria, façam overclock por sua conta e risco.

emComputadores Tutorial

Bate-papo no Meio Bit

Por em 30 de março de 2008

Acabamos de implementar um sistema de bate-papo no Meio Bit. Para usar, basta ser um usuário registrado no site. Não há necessidade de instalar nenhum aplicativo especial, qualquer browser moderno funciona.

Por enquanto temos 2 salas: Geral e Games. Estamos abertos à sugestões de novas salas !

O endereço é este. Lembrando que para entrar nas salas, o usuário deve estar logado no sistema.

Nota: o sistema está em fase de testes. Estamos ainda acertando alguns detalhes.

emAnúncios