Digital Drops Blog de Brinquedo

BlogCampPR – supra sumo

Por em 2 de dezembro de 2007


Imagem retirada do Flickr do Jonny Ken, do “blog de tecnologia que não falou do iPhone”

Como o Luiz havia postado, o Brasil inteiro pôde acompanhar as discussões que ocorreram hoje no BlogCamp PR, através do Web Alive – ao que parece, os vídeos serão disponibilizados depois.

Juntando as transmissões mais o Twitter, até quem estava do outro lado do país conseguiu participar e interagir. O Marcellus marcou presença sem literalmente fazê-lo, conversando com o Manoel Netto por IM, dando uma idéia interessante e a ser seriamente considerada pelos blogueiros que desejam “seguir carreira”, durante um dos debates no evento paralelo, o Encontro Novas Mídias Brasil: registrar a marca do seu blog.

A grande vedete, ou melhor, as grande vedetes do encontro foram as blogueiras que posaram para as fotos sensuais do calendário da Axe, que vai sair na Playboy da Juliana Knust: Mirian Bottan, Dani Koetz e Marina Santa Helena atraíram as atenções da platéia quando subiram no tablado. Afinal, praticamente três quartos do BlogCamp PR eram formados por homens, de um total de aproximadamente 140 participantes.

A Bia Kunze, o Fugita, o Luiz, o Jonny, o Nick (responsável por trazer novos Coolnex Cards e ampliar a coleção), o Marmota (que, gentilmente, me emprestou sua blusa por causa do vento gelado), o Kanarski (responsável pelo Twitter oficial) e mais uma penca de blogueiros gente fina estiveram por lá. Valeu a pena conhecer todo esse povo que só se vê por avatar – ou “meio” avatar, como disse o Fugita sobre mim. :)

No mais, o Ricardo Cabianca está de parabéns, tanto em organização quanto em planejamento. Eu acompanhei razoavelmente de perto como tudo andou nos bastidores e foi muito tranqüilo. Esperamos mais eventos assim!

emBlog Internet

Top 10 – Personagens dos games

Por em 2 de dezembro de 2007

Novamente, o site Grand Theft Auto 4 fez uma lista Top 10 bem interessante, mas bastante previsível: os 10 personagens preferidos dos jogos, segundo os gamers. Como é de praxe em listas desse tipo, o Mario está em primeiro:

01 – Mario
02 – Link
03 – Solid Snake
04 – Samus Aran
05 – Sonic the Hedgehog
06 – Pac-Man
07 – Cloud Strife
08 – Master Chief
09 – Pikachu
10 – Lara Croft

Como eu todas as listas, ninguém vai concordar 100% com ela. Na minha opinião quem deveria estar em segundo é o Sonic, que é um dos personagens mais cool dos games, e depois poderia vir o Link, apesar de que, para mim, não acredito que o personagem seja tão importante assim, mesmo protagonizando alguns dos melhores games do planeta, como o Ocarina of Time, talvez o melhor game do Nintendo 64.

E você? Quais são os personagens que vocês mais curtem dos games?

emCultura Gamer

Desenhando o Master Chief no Photoshop

Por em 1 de dezembro de 2007

Algum tempo atrás o Dori Prata postou em Como ter um PSP sem gastar nada um vídeo mostrando um usuário desenhando, no Paint, um PSP. Hoje, com o Youtube (e similares) muitos artistas fazem vídeos mostrando eles desenhando (obviamente com a velocidade maior no vídeo). Um usuário que ficou famoso é o artista Nico di Mattia, que já fez desenhos impressionantes como o do John Locke.

Seu último vídeo foi o desenho do Master Chief. Para quem não sabe, é o protagonista da série Halo:

Impressionante!

Aproveitando o post, tem outro vídeo de um outro usuário que também desenha um dos principais personagens da Microsoft.

Alguém se habilita a fazer no Paint?

[Via Joystiq]

emVídeos

Blogcamp PR 10

Por em 1 de dezembro de 2007

Para quem não pode ir ao BlogCamp PR e ficou em casa para escrever em seus blogs, pode acompanhar via streaming por aqui. Acabei de chegar de lá, quando cheguei já havia começado as apresentação individuais e acabei escutando menos da metade da história do pessoal. Pelo menos conheci pessoalmente o Fugita (ex-Meio Bit) e a Fabiane (SIm! até então, só conhecia o Leo de toda a blogosfera brasileira:).

A tarde voltarei para lá para assistir mais um pouco das desconferências do BlogCamp PR. Até breve.

emInternet

Os 100 melhores jogos já criados

Por em 1 de dezembro de 2007

O portal sobre games IGN criou um site onde enumera os 100 melhores jogos da história. Para a tarefa, mais de 30 editores localizados em diversas partes do mundo e com idades diferentes participaram da votação. Para entrar na lista o requisito básico era de que o game tivesse sido lançado até 31 de dezmbro de 2006 e entraria na lista apenas a versão original do jogo, sem as expansões.

Para realizar a votações, vários fatores foram levados em consideração como o quanto o jogo era bom em relação a outras da mesma época, o quanto este jogo modificou a indústria e quanta diversão tal game proporcionou, além de como o jogo suportou o passar do tempo.

O legal da lista é que os editores colocaram uma explicação para cada jogo estar ocupando determinada posição e só isso já garante horas e mais horas de bom entretenimento. Há ainda algumas curiosidades relacionada aos games e você poderá dar sua nota para todos os jogos citados.

Concorde ou não com a posição dos jogos, é uma leitura essencial para aqueles que querem conhecer um pouco mais da história dos jogos eletrônicos e deveria servir de exemplo para outros rankings, principalemnte para a produção impecável realizada. Chega a ser um valioso registro histórico o trabalho realizado pela IGN.

emCultura Gamer Museu

Por que os games no exterior são tão caros?

Por em 1 de dezembro de 2007

Não, este post não é para falar dos impostos dos games aqui no Brasil ou porquê um game original custa uma fortuna aqui. Estou falando dos games lá nos EUA. Há cerca de 2 meses, o site GamePro fez uma reportagem que tenta responder o título deste post:

Are $60 games here to stay?

E como os games são caros lá fora, acabam caros aqui também. Mas estamos falando dos lançamentos, já que depois de algum tempo os games ficam mais baratos.

Sobre a reportagem, um ponto me chamou a atenção: porquê os games para PC são mais baratos do que os games para consoles? Lá a diferença de preço de um mesmo game (que saiu para PC e para consoles) é de 20 dólares, e eles perguntam: o custo de desenvolvimento do game pra console (PS3 e Xbox 360) é maior? Acredito que não tenha tanta diferença… Taí algo que eles nunca explicaram!

Pelo que eu sei os games são caros para desenvolver, e parte dos custos acaba sendo refletido no produto final. Gears of War, por exemplo, custou cerca de 10 milhões de dólares. Já Halo 3 custou 60 milhões de dólares (mas faturou mais de 170 milhões no primeiro dia. Com certeza a Microsoft já recuperou o investimento do game). Ryan Payton, produtor-assistente de Metal Gear Solid 4, disse que o console precisa vender 1 milhão de unidades logo no primeiro dia para cobrir os gastos de desenvolvimento.

O mais interessante é o gráfico que eles colocaram (que é na verdade da revista Forbes, e você pode ver abaixo), onde mostra cada tipo de gasto que o game tem ao ser desenvolvido. Por exemplo, num game que custe 60 dólares, 32 são gastos com o desenvolvimento, 12 com o varejo e 7 com marketing. Tem outros gastos também:

Agora fico pensando: esse modelo tradicional está tendo problemas. O primeiro deles é a pirataria desenfreada. Mesmo com toda tecnologia existente, alguém conseguirá burlar o mais sofisticado sistema de travas de um game para PC. Em consoles, é mais fácil copiar um jogo, e mesmo com iniciativas da Microsoft de banir quem usa console destravado não diminui a pirataria. E dificilmente vai diminuir.

O mercado está precisando de outros modelos de vendas de jogos. Eu mesmo já decidi que os meus games, se forem comerciais, serão bem baratos, custando no máximo uns 30 reais (ou mesmo free, mas com propaganda na página de download ou dentro do jogo, o que é mais provável), mas ainda assim é muito para a parcela mais pobre da população, que mesmo tendo um computador em casa não teria dinheiro para comprar um jogo (acredite. Existem pessoas assim). Outro problema é cultural: o brasileiro quer as coisas de graça e de mão beijada, e se for pagando, que seja pagando pouco.

Mas ainda assim a maioria dos gamers não lê revista, não acessa a internet para ver notícias relacionadas e na maioria das vezes compra game pirata. Bom, eu também compro, mas eu acesso a net, pago pra ter conexão e pago pra comprar alguma revista que me interesse. E só não pago games originais por causa dos impostos, mas já comprei games originais (é aqueles que vem em revistas, mas…).

Mas não posso me considerar uma pessoa elitista, mesmo tendo acesso a mais informações que um gamer da esquina que acha que o Playstation 2 é o videogame mais avançado que tem e que só o Wining Eleven presta. Eu também passo dificuldades financeiras, ralo pra pagar as contas com o meu salário, e tento, algumas vezes por mês, jogar de vez em quando.

Só não sou um consumidor voraz de games já que:

  1. Eu não tenho tanto tempo pra jogar.
  2. Os games que comprei ainda não terminei, só terminei os dois primeiros God of War.
  3. Ainda não tenho um console desta geração.
  4. Eu gasto o meu pouco dinheiro com outras coisas.

Felizmente, estão surgindo outros modelos diferentes de rentabilidade em jogos eletrônicos, como por exemplo o Steam (que ainda tem de pagar, mas elimina o meio físico e o jogador pode conseguir o game mais rapidamente) ou mesmo os anúncios dentro de jogos eletrônicos, mas que devem ser feitos de forma correta (como colar a logo da empresa num outdoor numa das fases do jogo), o que pode eliminar o preço de um jogo. Sei que muitos não gostariam de ver anúncios dentro dos jogos, mas o que vocês preferem? Gastar 150 reais num jogo ou adquirir de graça, com download legalizado, mas com anúncios? Eu ficaria com a segunda opção, desde que o jogo não tivesse nenhum extra que justifique a compra da caixinha, do manual e da mídia (como um livro de artworks, por exemplo).

Fora isso, tem as redes normais dos consoles, como a Xbox Live, que oferecem games antigos a preços atrativos, para que jogadores saudosistas possam voltar a jogar aquele clássico no seu console atual.

Acredito que a indústria deve mudar um pouco os modelos de comercialização de jogos e de desenvolvimento (considerando os games hardcore). Hoje os games são muito caros e a pirataria acaba atrapalhando as produtoras, e com o passar do tempo os games vão ficar cada vez mais caros para se desenvolver. Por isso que o chefão da EA quer uma plataforma comum aberta. Só o futuro dirá.

emDestaque Indústria

Isso sim é realismo!

Por em 1 de dezembro de 2007

Está aí uma coisa que não se vê todos os dias. O sujeito do vídeo abaixo conseguiu adaptar o painel de um carro no pc e fazer ele funcionar com o simulador de corrida Live for Speed. O trabalho foi tão bem feito e está tão bem adaptado ao jogo que até as setas e o pisca-alerta funcionam.

Infelizmente o vídeo não é da melhor qualidade, mas dá pra ver que com um bom conhecimento de eletrônica e vontade pode-se criar alguns brinquedos interessantes. Neste link você confere o mesmo painel em um estágio mais primitivo de desenvolvimento.

Agora, imagine a criação dele com esta cadeira e um volante igual a este.

emAcessórios Computadores Vídeos