Digital Drops Blog de Brinquedo

Corrida gratuita de qualidade

Por em 30 de outubro de 2007 - 19 Comentários

Não é nenhuma novidade que os jogos online estão se tornando cada vez mais comuns. Vários gêneros estão ganhando títulos que permitem ao jogador competir contra outra jogadores reais e com os jogos de corrida isso não poderia ser diferente.

Um empresa que vem ganhando reconhecimento neste segmento é a Aeria Games, graças ao jogo Last Chaos. Como jogos de corrida online são raros, eles decidiram então criar o Project Torque, um MMORG (Massively Multiplayer Online Racing Game) e o melhor de tudo, o jogo é gratuito.

O game é uma espécie de Need for Speed Underground com uma jogabilidade que mistura arcade e simulação. Ao me conectar pela primeira vez, fiquei surpreso ao conseguir configurar meu controle do Xbox 360 com facilidade. O controle do carro ficou muito bom com o joystick, principalmente na câmera interna, funcionando inclusive os gatilhos esquerdo e direito. A câmera interna é algo que sinto muita falta nos jogos de corrida e neste game ela foi bem implementada.

Visualmente o jogo é muito bonito, ainda mais se levarmos em conta que se trata de um jogo gratuito. Contudo, para usufruir de toda qualidade gráfica do game é necessário um pc robusto. O game exige no mínimo um processador de 2000 mhz e 512 de ram, além de uma placa de vídeo compatível com Directx 8. Mas tenha em mente que com esta configuração o jogo não impressiona. Você pode até dizer que para os dias de hoje não chega a ser um absurdo de configuração, mas repito que se trata de um jogo gratuito e normalmente games com esta característica são leves.

Você terá à sua disposição uma loja, onde poderá comprar peças para os carros, fazer tunnings e garotas !?! Dentro do game, os jogadores poderão se comunicar através de chat ou emails, além de poder enviar presentes para outras pessoas. Há ainda um ranking e a possibilidade de se disputar uma corrida contra até 31 pilotos.

Os carros do jogo são genéricos, porém, a empresa realiza eventos onde presenteia os vencedores com versões licenciadas de alguns veículos. Segundo a produtora, em breve serão disponibilizadas novas pistas e carros, além dos jogadores terem a possibilidade de criar clubes e times de corrida.

Por se tratar de um jogo gratuito, muitos pensarão que não passa de mais uma porcaria e este raciocínio é errado. O game possui gráficos fantásticos, jogabilidade muito boa, possibilidade de personalização de carros e por se tratar de um jogo online, com certeza muitas melhorias serão feitas. Se você gosta de jogos de corrida, dê uma chance para Project Torque, valerá o download.

emGames

Nova versão de linux para roteadores Linksys

Por em 30 de outubro de 2007 - 8 Comentários

Para quem instalou o dd-wrt em um roteador Linksys WRT54G, uma boa notícia: a versão v24 já está na RC4. Entre as novidades: suporte aos roteadores WRT54Gv7 e WRT54Gv8, além do monitor de banda em tempo real!

Eu usei e não tive nenhum problema, mas é sempre bom lembrar que esta ainda não é a versão "estável". Como precisava muito verificar a banda utilizada, os benefícios superaram as preocupações…

Para usá-la num WRT54Gv5, basta baixar esta imagem, acessar a página do seu roteador e clicar em "firmware update". Mas não o faça através de um cliente wireless ou você corre o sério risco de perder seu roteador. 

emAndroid e Linux Hardware Wireless e Redes

Samsung inventa memória flash de 128 GB

Por em 29 de outubro de 2007 - 21 Comentários

Na semana passada, a gigante Samsung anunciou nada mais da menos que a sua nova memória flash com capacidade de 128 GB, o que é muita coisa mesmo.

As vantagens da memória flash quando comparado aos discos rígidos, são mais baratas, mais leves, menores e gastam menos energia. Esse tipo de memória já vem sendo usado em aparelhos portáteis como o Zune de 4 e 8 GB e alguns dos iPods – o iPod de 160 GB usa discos rígido e não esse tipo de memória.

Além dos aparelhos portáveis, como câmeras, pen drives, MP3 players, PDAs, celulares, essa tecnologia também vem sendo empregada em alguns notebooks que serão lançados mais para o final do ano que vem. Eles contam com o que chamaram de disco híbrido, que é um drive de memória flash associado, que atua como um cache de dados. Com isso prometem mais confiabilidade, menor consumo de energia e melhor desempenho do HD.

Com certeza, essa tecnologia tende a ser cada vez mais usada e tem uma excelente perspectiva, visto a quantidade de aplicações em que ela pode ser útil. Os primeiros chips de 128 GB deve ser produzidos somente em 2009. Imagine a quantidade de coisa de se tem com um pen-drive com um chip desses…

Fonte: NewsMax, Globo.com

emIndústria Internet

Melhores do ano segundo o CVG

Por em 29 de outubro de 2007 - 8 Comentários

Fim do ano chegando e começam a aparecer as lista com os melhores jogos de 2007. Depois do evento realizado pela BAFTA, agora é a vez do 25º Golden Joystick Awards, promovido pelo site britânico Computer and Videogames (CVG).

Dividido em 18 categorias, o maior vencedor foi o jogo Gears of War para Xbox 360 e que sairá em breve para pcs. O game ficou com os prêmios de Jogo do ano, Escolha do editor, Melhor jogo para Xbox e o Prêmio All-Nighter, dado pela revista Nuts.

Os vencedores foram escolhido pelo público através de votação.

Confira os premiados de cada categoria:

Jogo do Ano: Gears of War

Jogo de Xbox do Ano: Gears of War

Jogo do Ano para PC: The Lord of the Rings: Shadows of Angmar

Jogo do Ano Para Playstation: God of War II

Jogo do Ano para Nintendo: The Legend of Zelda: Twilight Princess

Escolha do Editor: Gears of War

Distribuidora do Ano: Nintendo

Revenda Vivendi do Ano: Game (prêmio dado para a melhor loja de games da rede Vivendi)

Jogo a Ser Observado: Assassin´s Creed

Desenvolvedora do Ano: Codemaster

Prêmio “All-Nighter”: Gears of War

Jogo online do ano: World of Warcraft: The Burning Crusade

Melhor Trilha Sonora: Guitar Hero II

Inovação do Ano: Nintendo Wii

Melhor Jogo para Celular: Final Fantasy

Melhor Jogo para Portátil: GTA Vice City Stories

Jogo do Ano para Família: Wii Sports

Jogo do Ano para Garotas: Guitar Hero II

[via CVG]

emGames

Berlim projeta acesso à internet sem fio gratuito

Por em 29 de outubro de 2007 - 31 Comentários

Gosto cada vez mais desse tipo de notícia que determinada cidade está projetando rede sem fio para os seus moradores. Vejo que várias outras cidades do mundo, nos países desenvolvidos é claro, tendem para disponibilizarem acesso aos habitantes e turistas da cidade de forma livre.

Claro que aqui no Brasil as redes sem fio de acesso gratuito à internet ainda apenas engatinham. Há pouco tempo eram raros os lugares que tinham um acess point de graça. Hoje percebo a cada dia que passa que há um novo lugar com um acess point. Shoppings, cafés, restaurantes, hotéis, centro de convenções e universidades são lugares onde já podemos ir esperando encontrar sinal de internet sem fio aberto.

Imagino o dia em que não será necessário preocupar-se com acesso a internet fora de casa, e que o acesso doméstico (pago) funcione principalmente como um “plus” para aqueles que querem algo exclusivo ou mais rápido que a média. Dê idéia para o seu prefeito :)

Fonte: Folha

emInternet Wireless e Redes

Botando a mão no Leopardo

Por em 27 de outubro de 2007 - 26 Comentários

O mais recente sistema operacional da Apple, o MacOS X 10.5 Leopard, foi lançado oficialmente ontem, dia 26/10. Recebi minha cópia e instalei nos dois Macs que possuo, um Macbok Core 2 Duo (1 Gb RAM) e um iMac 20 Gb Core 2 Duo (2 Gb RAM). Oferecido por US$129 para uma máquina ou US$199 para 5 máquinas de uma mesma família (family pack), encomendei o family pack pelo site da Apple, que foi entregue exatamente no dia 26 (como prometido).

Apesar das poucas horas de uso neste novo sistema operacional, vou relatar minhas experiências iniciais.

Instalação

Supreendentemente, a instalação foi bastante simples. Simplesmente inseri o DVD, ele pediu para reiniciar a maquina, e após 2 cliques a instalação prosseguiu por aproximadamente 1 hora, sem nenhuma intervenção. Como as duas instalações foram upgrade sobre o MacOS 10.4, uma preocupação é manter todos os dados e configurações pré-existentes. Felizmente tudo funcionou como esperado, e tudo foi preservado adequadamente.

Novo visual

Talvez o diferencial mais evidente do novo sistema seja um visual um pouco mais refinado, com a barra de menus no topo da tela tendo um pouco de transparência, e com o Dock com um novo fundo, em 3D. Pessoalmente, não sou um grande fã deste novo visual do Dock, porém não é nada que incomode demasiadamente. Além disto, as janelas agora ganharam um acabamento em cinza degradê, fugindo do visual “aço escovado” das versões anteriores, parecendo mais “clean”. Independente das críticas, o sistema parece um pouco mais moderno, mas realmente nada que faça muita diferença. O Dock ainda ganha a capacidade de mostrar stacks, que são “pilhas” de arquivos que podem ser abertos com um clique. Novamente, pode ser que isto seja útil em algumas situações, mas claramente não é uma funcionalidade necessária, e sim meramente incremental.

Novo Finder, Quicklook

Para quem lida constantemente com uma quantidade razoável de arquivos, o Leopard realmente traz um diferencial importante. O Finder, o equivalente ao Windows Explorer, vem com uma nova opção para visualizar os arquivos, com o chamado modo Cover Flow, introduzido no iTunes. Pode-se “folhear” por uma quantidade enorme de arquivos, com uma prévia do conteúdo do arquivo em tempo real, o que pode ser bastante útil. Talvez mais importante seja o QuickLook, que permite que se veja uma prévia do arquivo selecionado no Finder instantaneamente, sem a necessidade de abrir por exemplo o Preview ou o Microsoft Word para visualizar o arquivo com rapidez. Com certeza esta é uma funcionalidade muito bem-vinda. Além disto, a barra lateral tem um novo visual, com uma organização melhor de itens e outros dispositivos na rede local.

Spaces

A idéia de se ter múltiplos desktops virtuais é antiga, o Linux faz há muito tempo. Mas agora a Apple resolveu trazer esta funcionalidade para o sistema operacional, e para quem precisa de mais espaço ou múltiplos ambientes, por exemplo, um desktop com o Word, outro para Internet, outro para o sistema (Finder, etc), o Spaces vem a calhar. O usuário pode definir quantos desktops são desejados, máximo de 16 (4 colunas, 4 linhas), e existem atalhos de teclado par air de um para outro com rapidez.

Time Machine

Várias resenhas que li consideram o Time Machine a funcionalidade mais importante do novo sistema. Eu concordo com esta afirmação, pelo fato de automatizar o backup (e prover um controle de versões robusto) para usuários convencionais, sem a necessidade configurações complexas. Uma vez ativado, o Time Machine funciona sem intervenções do usuário, e traz uma interface pouco convencional porém intuitiva, permitindo que se “passeie” pelo passado de pastas e aplicativos. Da mesma maneira, é possivel usar o Spotlght para buscar arquivos, mesmo dentro do Time Machine. Até agora ainda não testei o Time Machine, pois ainda não comprei um HD respeitavel para utilizá-lo. Pretendo comprar um HD com conexões USB e Firewire, de pelo menos 500 Gb. Pelo que li, a primeira rodada de backup, naturalmente, demora várias horas, porém após isto, o backup é incremental e transparente para o usuário.

Back to My Mac

Esta opcão possibilita que o usuário tenha um controle muito melhor sobre suas outras máquinas na rede. Por exemplo, é possível agora conectar-se ao computador do trabalho através do Finder, explorar arquivos compartilhados, ou diretamente controlar a máquina remota através de compartilhamento de tela.

Minúcias, minúcias

O que comentei acima são realmente as novidades mais evidentes e mais comentadas do novo sistema. Mas o que não se nota são as pequenas melhorias em inúmeros aspectos do Mac OS. Por exemplo, o Spotlight (sistema de busca de arquivos e aplicativos) agora seleciona automaticamente o primeiro resultado da busca, o mais relevante, assim com um simples “enter” o usuário aciona o resultado mais relevante. São estes pequenas, porém importantes refinamentos que proporcionam uma experiência superior.

Performance

Talvez o que mais me preocupe sempre que faço um upgrade de sistema operacional (em qualquer plataforma) é se o desempenho da minha máquina vai ser comprometido, pois naturalmente, com novos sistemas, mais recursos de máquina serão necessários. Não posso comentar sobre números específicos sobre performance no novo sistema versus o anterior, porém minha impressão inicial é uma equivalência no uso.

Decepções

Uma das pequenas decepções é o fato da Apple ter decidido, na última hora, retirar a possibilidade do Time Machine utilizar um disco rígido conectado ao roteador da Apple (Airport Expresss), muito menos outros volumes na rede. O único jeito atualmente do Time Machine funcionar com backup na rede é conectar a outro computador rodando Leopard com um HD externo ligado diretamente via USB ou Firewire. Isto provavelmente foi resultado de problemas técnicos que não puderam ser consertados a tempo para o lançamento, e talvez isto seja resolvido com futuros patches no sistema.

Adendo: ( contribuição do leitor Diego Souto )

soholine01

Eu fui um dos "fanboys" a enfrentar a chuva, para pegar o OS  e levar uma camiseta de brinde. O mau tempo desanimou muitos de irem buscar na loja, mesmo assim havia umas 350 pessoas e um fila que se estendeu por um bloco.

A lojo do Soho contou com um palestra de um dos programdores do Leopard em seu auditorio.

emApple e Mac Artigo Software

PES 2008 tropeçando no PS3

Por em 26 de outubro de 2007 - 53 Comentários

Pelo jeito não é só a EA que está tendo problemas com jogos de esportes no PS3. Quem tem que se explicar agora é a Konami e seu recém lançado Pro Evolution Soccer 2008. Além do jogo possuir um framerate inferior a versão do Xbox 360, o problema maior está acontecendo quando se tenta jogar uma partida online. Relatos dão conta de que é praticamente impossível jogar devido ao lag, fazendo com que a bola fique incontrolável e os jogadores sumam e reapareçam aleatóriamente.

Ao conectar o jogo na web, uma mensagem aparece dizendo que problemas na rede poderão afetar a jogabilidade e que a empresa está fazendo o possível para sanar o problema. Os jogadores também estão reclamando de muito slowdown, mesmo nas partidas offline.

É! Parece que o console da Sony não está se dando muito bem com os jogos de esporte e mesmo que você pense que é “apenas um gênero”, jogos esportivos estão sempre encabeçando as listas de vendas nos Estados Unidos e conheço muita gente que comprou um PS2 apenas para jogar Winning Eleven, ou seja, pelo menos aqui no Brasil isso pode influenciar na hora de investir em um console da nova geração.

[via Pro-G]

emGames