Digital Drops Blog de Brinquedo

Primeira aplicação do GoogleGear

Por em 31 de maio de 2007

Nem demorou. Mal foi lançado, o revolucionário framework de aplicações web offline do Google já tem um bom exemplo de uso. Aliás, ótimo:

Já está disponível o Google Reader Offline. Isso mesmo. Agora você pode baixar seus feeds, incluir, apagar, ler, tudo offline.

É muito simples. Ao entrar no site do Google Reader (tendo previamente instalado o Google Reader) você receberá um alerta de segurança:

Confirmando, somos levados à página inicial do Google Reader, perfeitamente normal mas com uma pequena adição: Um ícone “offline” ao lado de seu email. Clique nele e os 2000 feeds mais recentes serão baixados, a aplicação será colocada em modo offline e você poderá trabalhar normalmente, independente de ter ou não conexão.

Os Laboratórios do MeioBit já testaram e aprovaram a aplicação. Aguardamos ansiosos as novas e emocionantes criações que virão.

Fonte: DownloadSquad

emGoogle

Duelo de Titãs – Gates vs Jobs

Por em 31 de maio de 2007

O encontro de Bill Gates e Steve Jobs, na conferência D: All Things Digital promovida pelo Wall Street Journal foi histórico. Ambos foram aplaudidos de pé várias vezes, contaram várias histórias do passado e demonstraram o porquê de continuarem líderes de um mercado extremamente jovem.

O nível do encontro foi tão alto que na platéia estava o Mitch Kapor. Entre outros.

Perguntados sobre o que aprenderam ou poderiam aprender um com o outro, Gates, disse que daria muito para ter o bom-gosto do Steve Jobs. O Bom-gosto e os produtos. Jobs por sua vez admirava a capacidade da Microsoft em fazer parcerias, coisa que a Apple não é boa.

Segundo o Engadget, que tem uma excelente cobertura do encontro, “Esses dois caras são um em um milhão, e é totalmente óbvio que eles nunca respeitaram alguém tanto quanto respeitam um ao outro”.

Quem acompanha essa indústria desde seu nascimento com certeza está, como eu, roendo-se de inveja de quem acompanhou ao vivo esse encontro.

emApple e Mac Indústria

Microsoft Avisa: Acabou a moleza

Por em 31 de maio de 2007

Tenho uma confissão a fazer: Estava usando Windows de graça. freeloader, como dizem os gringos. Na aba. Desde que meu notebook morreu, e montei uma máquina bem rasteira, que foi ficando.

O PC é um AMD Sempron 2800+, rodando a 1.6GHz, com 1.5GB de memória. A placa de vídeo é uma GeForce 6500, rodando meus jogos e o Aero de forma bem satisfatória.

O Sistema Operacional é o Vista Ultimate, RC2 Build 5744, trial baixado do site da Microsoft, que tem se comportado admiravelmente bem. Quando instalei não tinha muitas esperanças, pois era conhecimento comum que o Vista exigia máquinas topo de linha. Quem diria que ele rodou, bem, na máquina mais barata que consegui montar. Sério, esse processador é o mais rasteiro possível, custa R$62,00 aqui no Rio. Sem pechinchar. A placa 3D realmente ajuda a tirar peso do sistema.

Infelizmente todas as coisas boas um dia chegam ao fim, e o ano de avaliação está acabando. Por mais de 30 dias as mensagens vinham pipocando na tela, hoje corri para fazer o backup, e me preparar para uma reinstalação. Achei o Vista Home Premium OEM à venda por R$320,00, o que signifca R$64/ano, assumindo uma vida útil de 5 anos. R$5,30 / mês por suporte, upgrades e programas exclusivos como o Windows Live Writer? Gasto mais que isso por dia em Chopp.

[atualizando] Pelo visto o “irá parar de funcionar” da Microsoft é meio exagerado. Na verdade o que vai acontecer depois que o prazo expirar é que o Vista irá bootar a cada 2 horas, o que não deixa de ser irônico, terem escolhido incluir essa “funcionalidade” tão familiar aos usuários do Windows 95…

emSoftware

Google Gears – A Web vira Desktop

Por em 31 de maio de 2007

Um lançamento que muitos consideram um ataque direto ao domínio da Microsoft, o Google está disponibilizando um projeto open source que permite o uso de programas de uso exclusivo online, possam também ser usados offline.

A idéia é poder escrever e ler e-mails, por exemplo, do GMail offline, dentro de um avião. Assim que uma conexão com a Internet for encontrada, as mensagens serão disparadas e o aplicativo sincronizado.

Essa Application Programming Interface (API) poderá ser usada por qualquer um que tiver interesse em usá-la e ainda criar extensões que atendam suas necessidades. Até mesmo os concorrentes como Yahoo e MSN podem fazer uso das extensões.

A idéia é passar a oferecer ferramentas como o Google Docs e Spreadsheets, Calendar e outros em modo offline, usando o próprio browser e as extensões.

Google Gears
Google Gears (BETA) é uma extensão open source para navegadores que permite aplicativos web prover funcionalidades quando desconectados.

Ele usa uma série de APIs em JavaScript para prover serviços locais para o aplicativo:

- LocalServer Module API: Servidor HTTP local, para que a aplicação comunique-se de forma idêntica, como se estivesse conectada.
- Database Module API: É uma série de chamadas prontas em Javascript para acessar uma base de dados SQLite. Ela é pequena, com tudo funcionando em apenas 250 KB.
- WorkerPool Module API: é a metodologia de trabalho assíncrona, usando factory pattern. É um AJAX da vida, capaz de usar JSON, um formato melhor que o XML para transporte de dados.

Conversando com o Cardoso, a minha vontade foi desenvolver ou adaptar um aplicativo qualquer na mesma hora. Sério gente, como desenvolvedor, isso é absolutamente fantástico, pois existem MUITAS possibilidades. Esse é o calcanhar de aquiles de aplicativos web removido.

Como usuário, isso vai abrir as portas para uma utilização melhor dos vários aplicativos já disponíveis e gratuitos, mas que ainda possuem essa enorme limitação que é disponibilidade apenas com a conexão. Isso significa que poderemos continuar trabalhando mesmo que seu provedor de internet esteja indisponível e tudo volte em sincronia, sem afetar o desempenho da aplicação.

Clap, clap, clap, touché, Google.

Fontes: NYTimes, Google Gears

emGoogle Open-Source Software

MeioBit completa 3 anos

Por em 31 de maio de 2007

Estamos completando hoje 3 anos de existência, na cobertura diária e com opinião de assuntos relacionados a tecnologia.

Estamos atentos ao feedback dos leitores e saibam que estamos trabalhando para amadurecer ainda mais o blog.

Não posso revelar tudo o que estamos planejando, é claro, mas saibam que as mudanças serão feitas ao longo desse ano para continuar crescendo e trazer de volta alguns estilos de post que os leitores têm demandado.

Contamos agora com um novo chefe executivo, um novo editor de conteúdo e um responsável exclusivo para a nossa infraestrutura. Estamos passando também por mudanças internas em breve teremos novidades. Aguardem!

Continuem opinando, entrando em contato conosco, criticando e participando. Nós lemos literalmente TUDO que nos é enviado, mas nem sempre podemos responder individualmente.

Obrigado a todos,
Equipe MeioBit

emMiscelâneas

Windows Live Messenger 8.5 beta 1

Por em 31 de maio de 2007

Uma nova versão (beta) do Windows Live Messenger (antigo MSN Messenger, ou Windows Messenger) foi liberada para download. Entre as novidades:
- Mudanças na instalação (e requer no mínimo Windows XP SP2)
- Mudanças na tela de login, menus, janela de contatos e janela de bate-papo.

Essencialmente mudanças cosméticas. Mas quem quiser, já está lá.

Hoje também sairam novas versões do Windows Live Mail e Windows Live Writer.

emInternet Software

Apple anuncia YouTube direto via AppleTV

Por em 30 de maio de 2007

Em uma demonstração na D Conference hoje, Steve Jobs anunciou que a AppleTV, que conecta-se diretamente a TV, vai poder tocar vídeos streaming do YouTube. Pontos importantes para as duas empresas: A Apple, obviamente, e o Google, dona do YouTube.

Certamente as duas empresas estão atrás da onda atual de distribuição de conteúdo: tudo online, preferencialmente streaming. E na sala de estar. O que eu quero saber é como fica um vídeo do YouTube, naturalmente em uma resolução razoavelmente baixa, em uma TV grande. Não há banda larga suficiente em larga escala para aguentar a adoção em massa deste tipo de tecnologia, se for para ter boas resoluções. Trazer para o grande público banda larga (2+ mbps) continua um grande problema.

emIndústria