Digital Drops Blog de Brinquedo

Programa WSYP – A Microsoft compartilha de seu sofrimento

Por em 31 de outubro de 2006



Neste vídeo, produzido pela Microsoft Technet é apresentada a ferramenta definitiva de CRM, do programa WSYP – We Share your Pain. No escritório da Microsoft na Inglaterra está sendo testado um mecanismo de feedback onde ao invés de apenas reportar um erro, a ferramenta identifica o programador responsável pela parte do código que causou o problema, e dá ao usuário a possibilidade de escolher entre três tipos de punição, um choque elétrico, uma espetada no traseiro ou um safanão bem-aplicado.

Um monte de gente insuspeita aparece no vídeo, conseguindo o feito de manter expressões sérias, elogiando o equipamento.

Não deixe de assistir até o fim, quando é mostrada a nova versão, que funciona como assento ejetor, lançando o programador para fora do prédio.

emIndústria

Microsoft e Firefox destruindo nichos de mercado

Por em 31 de outubro de 2006

No auge do Windows95 um programinha muito requisitado era o Norton Crashguard, que evitava que o sistema inteiro fosse pro beleléu quando aparecia uma inevitável tela azul. Com o 98 o Crashguard já se tornou obsoleto. Com o 2000 então, nem sequer funcionava.

Existem categorias inteiras de softwares que são atropeladas por melhorias nos sistemas operacionais ou em outros programas. Se por algum milagre o Opera se tornasse popular milhares de programadores de extensões do Firefox ficariam desempregados (metaforicamente falando) pois muitas das funções delas são nativas no Opera.

Agora é a vez dos leitores RSS se preocuparem. O Pluck, um dos leitores mais populares anunciou que suas edições para Explorer, Firefox e online serão descontinuadas dia 5/1/2007. De quem é a culpa?

Primeiro, a concorrência é predatória. Google Reader, Bloglines e vários outros competem acirradamente, sempre lançando novidades. Agora, com o Internet Explorer 7 trazendo um excelente gerenciador, e o Firefox 2.0 também vindo com mais facilidades, de acirrada a briga se torna desleal.

Como usuário de leitores RSS instalados, acho uma pena, mas é um fato da vida. O leitor isolado irá se tornar peça de museu, como o Trumpet/Winsock.

A alternativa seria, para proteger esse mercado, Explorer/Firefox não oferecerem integração RSS em seus navegadores, mas sinceramente “deixa quebrar”, embora soe cruel, é pensar no lado do usuário final.

emInternet

Google adquire JotSpot

Por em 31 de outubro de 2006

O Google continua sua escalada para dominar o mercado de aplicações via web. Seu mais recente movimento é a aquisição do JotSpot. Criado em 2004 o JotSpot foi a primeira grande aplicação web comercial a usar o wiki para permitir a colaboração de grupos de trabalho. Inicialmente pago agora nas mãos do Google o JotSpot será gratuito e buscará proximidade com o uso pessoal. Mesmo antes da aquisição o JotSpot já disponibilizava um produto para reuniões de classes acadêmicas e escolares.

Entretanto é hora de nos perguntarmos: como o Google vai viabilizar financeiramente sua escalada nas aplicações web? Os usuários certamente não irão sentir-se confortáveis com publicidade em suas aplicações de dia-a-dia, como editor de texto, planilhas, editores de diagramas e outros. Então de que forma o Google irá manter sua rentabilidade ao mesmo tempo em que presta outros serviços além de buscas para seus usuários? Dê sua opinião.

Via Micropersuasion

emInternet

Visual Studio – Documentação em Português do Brasil

Por em 31 de outubro de 2006

Boa notícia para os desenvolvedores de língua portuguesa. Para quem usa Visual Studio como ferramenta de trabalho, aprendizado ou hobby*: a documentação em pt-br.

O trabalho é resultado de uma parceria da Microsoft com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Foi utilizado um algoritmo de tradução e em princípio, 10% da documentação mais lida foi revisada.

Com o sistema feito em wiki, é apenas questão de tempo até todo o material estar revisado e melhorado pela própria comunidade de desenvolvedores.

* Para quem não sabe, existem versões Express do Visual Studio completamente gratuitas e que não ficam a dever à ferramenta principal.

emMiscelâneas

PDAs, Celulares, GPSs e dependência tecnológica

Por em 31 de outubro de 2006


gps

Não deixe os luditas te enganarem. As pessoas sempre tiveram caderninhos de telefone. Se uma pessoa sabia todos os telefones de amigos e conhecidos de memória, ela não conhecia lá muita gente.

O que acontece hoje, entretanto, é que estamos esquecendo até o mínimo. A agenda do celular é desculpa para não lembrarmos de nada. Corre o risco de ter “polícia: 190″ na agenda de muita gente. Eu mesmo não lembro do telefone de ninguém. Desde meu primeiro celular parei de me preocupar em lembrar.

Compromissos também passaram a depender do Outlook, agendas de profissionais liberais vivem no computador ou no PDA. Isso é uma evolução, comparado ao caderno sebento das recepcionistas de dentistas. Só que a comodidade logo dá lugar ao exagero. Conheço gente que não sabe o que vai fazer no dia seguinte sem consultar a agenda. A memória de curto prazo não é mais usada.

A febre do momento são os navegadores embarcados, maravilhosos se comparados aos antigos GPSs de 1a geração, esses brinquedos ajudam você a chegar em qualquer lugar, com indicações precisas, mapas de fácil leitura e em alguns casos atualizações em tempo real, desviando de acidentes e engarrafamentos.

Só que a maioria absoluta de quem compra um equipamento desses não desvia de sua rota habitual. Raramente viaja, e quando o faz vai para lugares conhecidos e sinalizados. Qual a vantagem de um equipamento que mostra como navegar na sua própria cidade?

Refazendo a pergunta: Quantas vezes o Guia Rex saiu do porta-luvas no último ano?

Gadgets são muito legais, mas eles devem acrescentar. No momento em que atividades simples são sumariamente substituídas, nos tornamos dependentes. Isso pode ser ruim como a criança que aprende a usar calculadoras antes de aprender a fazer contas, ou trágico, como o comandante da Varig que confiou no piloto automático ao invés de se lembrar das aulas de escotismo, onde aprendemos que o Sol de põe no Oeste, então seria impossível um avião indo para o NORTE no final do dia voar em direção ao por-do-sol.

emComputação móvel

Ninguém quer o inferno

Por em 31 de outubro de 2006

Notícia enviada pelo nosso sinistro leitor Danskk:

O inferno é tema e inspiração para muitos, mas parece que em se tratando de internet, ele não está com essa bola toda.

Na útima sexta-feira 27/10 em Hollywood, foi a leilão o domínio Hell.com por US$ 1 milhão, mas não houve interessados. Só para lembrar, “sex.com” foi vendido por US$ 12 milhões…

O endereço “sui generis” estava sendo vendido em nome do grupo chamado BAT Flli, cujo fundador, Kenneth Aronson, registrou o nome em 1995.

Não é a primeira vez que o proprietário tenta se livrar do “point infernal” que já foi a leilão em abril de 2000, com lance inicial de US$ 8 milhões. Mas ninguém deu muita atenção para o endereço do inferno, pois, nenhum lance atingiu o preço de reserva.

[via Portal Terra]

emInternet

VideoJug: vídeos instrutivos

Por em 31 de outubro de 2006

Vi no jornal hoje e achei interessante divulgar. O VideoJug é um site com vídeos instrutivos, desde como dobrar uma camiseta em 2 segundos até como dar um nó de gravata. Vale conferir.

emInternet