Digital Drops Blog de Brinquedo

Atualização do Mac OS X

Por em 28 de junho de 2006

A Apple lançou ontem uma atualização do OS X (10.4.7), segundo eles com atualizações no iCal, iPhoto, iTunes, Qucktime, Mail, ou seja, quase tudo que é programa da Apple. Então abra logo seu Software Update ;)

Image Hosted by ImageShack.us

emApple e Mac

Meetro, o ‘messenger social’

Por em 27 de junho de 2006

Apesar de não possuir nenhum recurso lá muito sofisticado (pelo menos até onde pude ver), o Meetro traz um conceito bacana: você se inscreve no site, baixa o programinha (disponível para Mac e Windows) e você pode adicionar contatos por nome como qualquer messenger e também ver quem está próximo de você a 1 milha, 5 milhas, você escolhe – o Meetro vem com um sistema de você digitar seu endereço (até descobriu a rua minúscula que moro aqui em São Paulo). Ah, se você quiser ele também preenche seu perfil segundo o que você colocou no seu perfil do MySpace, caso você tenha um. Só não serve cafezinho ;)

Se o negócio pegar aqui no Brasil, pode ser uma forma BEM legal de você achar gente que você não conhece e mora ao seu lado, literalmente ;)

Meetro

emApple e Mac Internet Software

Mais sobre a BRPay

Por em 22 de junho de 2006

Pessoal, só para avisar, quem quiser fazer alguma pergunta para a BRPay é só me mandar um mail, eles se propuseram a responder qualquer coisa.

Vendo os comentários, acho que é melhor não levar em frente a idéia do teste, porque além de eu ter achado que eles me parecem confiáveis pela entrevista, eu não quero fazer nada que possa parecer polêmico ou que estou me aproveitando do fato de que o meiobit tem tantos mil visitantes diários para ganhar dinheiro, apesar de quase todos os comentários terem sido de apoio à idéia.

De qualquer forma, quando eu tiver umas 10 perguntas ou mais eu publico uma parte 2 da entrevista, ok? Quem perguntar me mande link do site, se tiver ;)

Atualização: recebi 1 real pelo BRPay. Vejam o desconto:

Valor da Transação: 1,00
Taxa: 0,43
Total: 0,57

É 43% de taxa. Para transações de 1 real, não vale a pena, tinha visto que é cobrada uma taxa de R$ 0,40 no recebimento nas contas ‘vendedor’ e ‘empresarial’, que são as que aceitam cartões de crédito, mas achava que estas não se aplicavam a links de doação como no Paypal. Mandei um mail para quem mandou o real dizendo que devolvo ele ‘inteiro’, mas aí vemos que para uma campanha de doação em seu site, etc, pode não valer a pena. Então pode ser útil ter uma conta pessoal para pagamentos de valores bem reduzidos.

emInternet

Entrevista com a BRPay

Por em 21 de junho de 2006

Aqui vai a entrevista com os responsáveis pela BRPay, pessoal. Qualquer pergunta a mais, entrem na página de contato que eu mando para eles (a não ser coisas esdrúxulas né, senão os caras não me levam a sério ;) :

Olá Mauro,

Mais uma vez, obrigado pela atenção.

OBS: 1- Contas Pessoais não geram bônus por indicação, o pagamento de 1% é uma fatia da taxa cobrada pela BRpay de 1,9 a 2,9% (que é cobrada somente das contas Vendedor e Empresarial. 2- Em caso de devolução de pagamento, a taxa cobrada pela BRpay também é devolvida (ou seja, a pessoa que lhe pagou recebe o dinheiro integralmente) mesmo para pagamentos de R$ 1,00.

1) Por que a demora em instituir um sistema simples e eficiente de
cobrança no Brasil como o Paypal americano? Quais as principais
dificuldades que vocês enfrentaram para implementar o sistema no
Brasil?

RESPOSTA:
Por mais simples que pareça ao usuário (e assim deve ser), internamente o sistema é bem complexo. Os serviços de pagamentos internacionais são 100% baseados no cartão de crédito o que ainda não é uma realidade para o Brasileiro, sem falar na barreira do cambio e no diferente funcionamento de nosso sistema bancário. Seria necessário criar uma variável exclusiva para o Brasil e acredito serem estes alguns doa motivos de não terem entrado no Brasil ainda.

Nosso cronograma foi quebrado diversas vezes, pois nosso projeto inicial era bem mais modesto. Com o desenrolar do projeto novas idéias foram surgindo e muitas vezes pequenas mudanças disparavam uma seqüência de alterações. A BRpay hoje opera com apenas 75% das ferramentas e funcionalidades inicialmente idealizadas, mas que serão incluídas em breve. 2) Como vocês pretendem concorrer com a facilidade de fazer DOCs e
outros tipos de transferência bancária que são facilmente realizadas
no Brasil?

RESPOSTA:
A BRpay não cobra taxas dos compradores, o que já é uma economia em relação ao preço do DOC. E dos vendedores não é cobrado taxas para transferir fundos para os principais bancos. Para os demais bancos as taxas serão progressivamente reduzidas tornando-se menores que as cobradas pelos próprios bancos, isto graças aos descontos obtidos com o volume de negócios e que o pequeno negociante não tem acesso. Porém, este não é nosso objetivo.
A missão da BRpay é prover um ambiente seguro de negociações onde a preocupação do comprador será somente o preço e as características do produto e não o temor de efetuar um pagamento diretamente na conta de um desconhecido. Fato que tem freado o crescimento do comércio eletrônico no Brasil. Proporcionando um ambiente mais seguro ao comprador estaremos contribuindo diretamente para o aumento do volume de negócios de nossos vendedores. Fazemos isto investindo em nosso melhor time de monitores e ferramentas que detectam e inibem atividades e situações de risco inaceitáveis.

3) Eu, particularmente, tenho uma campanha de doação em meu blog por
estar doente e sem poder trabalhar e recebi uma doação de R$50,00 via
BRPay paga por cartão, da qual foi descontada uma taxa já prevista em
seu web site, algo próximo de R$2,00. Porém, no caso do tipo de conta
mais simples, na qual até onde vi não são cobradas taxas para o
usuário, o que vocês têm a ganhar?

RESPOSTA:
Em se tratando de custo/benefício, o tipo de conta mais simples (Conta Pessoal) é o que atualmente nos dá o melhor retorno de mídia na rede. Elas são usadas principalmente por quem recebe doações e direcionam um enorme tráfego e novos clientes potenciais à BRpay a um custo mínimo. Contas Pessoais (como o nome indica) são para pequenos volumes de negócios e possuem uma série de restrições como limites de saques mensais e número de transações, não fazer integração para pagamentos de mercadorias ou serviços em Website, não podem receber cartão, não geram bônus por indicação, e outras.

4) Por que alguém que quer transferir dinheiro para outra pessoa sem
se cadastrar na BRPay precisa preencher os dados pessoais de qualquer
forma?

RESPOSTA:
Além de ser um requerimento das administradoras e bancos para se preencher os dados do cedente no boleto, fazer a verificação de titularidade de cartão para proteger vendedores contra pagamentos fraudulentos, etc., é também um recibo eletrônico (ou físico no caso de boleto) caso uma transação se torne insatisfatória para os usuários que optaram por não abrir conta.

5) Quais as garantias da BRPay? Os usuários estão desconfiados por não
saberem como verificar a autenticidade do site – afinal, para o
usuário comum, o anúncio que a BRpay é conveniada ao Banco do Brasil
sob o convênio de n° 300217 não significa nada, já que a maioria não
saberá como verificar algo do tipo. Os internautas mais ‘técnicos’ se
preocupam com a segurança do site devido à tecnologia do sites (ASP),
na qual muitos não confiam enquanto outros dizem que tudo depende
apenas da eficiência do programador. O que você tem a dizer para os
usuários internautas, tanto os casuais quanto os mais técnicos, sobre
a confiabilidade e a segurança da BRPay?

RESPOSTA:
Para verificar a legitimidade de nossos convênios basta conversar com o gerente de seu banco (BB) ou ligar para o 0800 do Banco do Brasil. A intenção ao citar alguns convênios foi apenas mostrar que para se conseguir todos estes convênios os bancos e instituições fazem um completo raio-x do histórico financeiro da empresa e seus integrantes.
A confiança é algo que não pode ser argumentada ou imposta, ela deve ser conquistada e esta conquista demanda tempo. Como na vida real, existe um tempo para namorar, noivar e casar, este é o tempo necessário para se conhecer quem será seu parceiro, este é o tempo que a Brpay está disposta a investir para se consolidar no mercado.
Nosso conselho aos mais desconfiados é que comece aos poucos, pegue na mão, dê tempo ao tempo, nós vamos estar aqui.
Quanto a segurança, seria irresponsável se não nos preocupássemos com ela 24 horas por dia desde o primeiro dia do projeto, pois nosso objetivo principal é exatamente criar um ambiente seguro de negociações. Por outro lado, seria também irresponsável de nossa parte expor aqui as medidas adotadas.
Porém, alguns procedimentos podem ser citados:
1- A BRpay não tem acesso nem arquiva dados financeiros dos clientes como números de cartões, senhas de bancos, etc. (as transações são finalizadas diretamente nos sites dos bancos e administradoras).
2- Back-ups de todas as atividades são realizados em tempo real em servidores que não tem acesso a internet e manualmente transferidas a uma segunda máquina fora do ambiente do servidor.
3- Dados sensitivos de nossos clientes como senhas, são criptografados (one-way) e não há como reverter a criptografia (e não podem ser recuperados nem mesmo pelos funcionários da BRpay). Embora, mesmo que alguém tenha acesso à sua conta só poderia efetuar saques para sua própria conta bancária.
A linguagem usada é a ASP.NET que é bem mais segura que ASP (simples), porém como você mesmo mencionou, tudo depende de como o código é elaborado e segurança tem sido a primeira palavra incluída em cada linha de nosso código. Mesmo com 90% dos processos automatizados, conferências e totalizações manuais são realizadas diariamente (como num caixa bancário) e o processo só termina com o devido fechamento.

6) Quais os planos futuros da BRPay em termos de alcance (uso para
lojas, sites de leilão, etc) e novos recursos para o usuário?

RESPOSTA:
O foco principal da BRpay é a integração dos meios de pagamentos para pequenos e médios websites, e uma de nossas metas é oferecer uma integração mais rápida e simples (o que já é uma realidade) do que as oferecidas pelas próprias instituições e com toda a segurança oferecidas por elas somadas à nossa. A BRpay pretende também oferecer taxas de serviços mais baratas do que as próprias instituições oferecem (por descontos em volumes de negociações). Chegando ao ponto de não ser viável uma outra integração senão pela BRpay.
Atualmente a BRpay não pretende se envolver diretamente com leilões, mas já estão disponíveis algumas ferramentas neste sentido e outras serão desenvolvidas.
Os próximos lançamentos da BRpay serão as cobranças recorrentes para pagamentos de assinaturas e serviços como mensalidades (totalmente configurável como freqüência, opção de entrada, duração e cancelamento) e em seguida os pagamentos em massa onde o cliente fará um UpLoad de uma lista de beneficiários (informando apenas os e-mails e o valores a serem pagos, etc.) e a BRpay efetuará o pagamento.

Perguntas de outros usuários:

Tupi:

1) Vocês intermediam pagtos internacionais, em outras moedas? Existem
planos sobre isso?

RESPOSTA:
A BRpay ainda não efetua transações internacionais. Tínhamos como primeiro item em nosso cronograma a intenção de disponibilizar os pagamentos e transferências entre contas BRpay e Paypal. Mas, para que isto acontecesse de uma forma segura, deveria existir uma parceria real com o Paypal e não apenas abrir uma conta com eles e fazer a integração. E existe ainda o problema do câmbio com o qual a Brpay não pretende se envolver.

A BRpay buscou alternativas mais rápidas e seguras e está em fase final de negociação com uma empresa Americana que tem a solução que permitirá nossos clientes receberem fundos do Paypal, Google Adsense, Stormpay, Moneybookers, etc. permitindo ainda transferências E-gold e recebimentos via SwiftPay Cash Western Union. Gostaria muito de poder me aprofundar nos detalhes desta solução, mas o contrário é a garantia do pioneirismo.

2) Vc conhece as experiências do F2B e do Mercado Pago? Considera concorrentes?

RESPOSTA:
Embora ambas atuem no mesmo segmento, os serviços oferecidos são bem distintos.
A F2b, uma idônea, séria e já consolidada no mercado, oferece aos seus clientes uma série excelente de serviços que a BRpay não oferece e não pretende oferecer, como carteiras de cobranças simples e com registro por correio ou on-line totalmente personalizáveis, e muitos outros serviços de utilidade ao comerciante on-line ou com loja física.

O serviço prestado pelo Mercado Pago (conhecido internacionalmente como Escrow) é um arranjo legal onde o recurso financeiro é mantido em custódia até que o bem seja entregue à parte contratante que então faz a liberação dos fundos.
Já a BRpay oferece um serviço de integração de pagamentos on-line e em tempo real para websites. No inicio é de se esperar uma pequena migração de clientes em ambas as direções, mas que tende a se acomodar com o passar do tempo, pois não existe uma concorrência real, e sim um novo serviço que vem preencher uma lacuna.

3) Existe algum plano de integrar com celulares, usando wap ou sms?

RESPOSTA:
Ainda não existe propriamente um plano, mas como uma tendência mundial, eventualmente a Brpay acabará por incluir esta integração, não antes do término de nosso cronograma.

4) Existem planos de novos servicos financeiros. Seguro, crédito, capitalização, etc?

RESPOSTA:
Existe a intenção de oferecer serviços como financiamento próprio com aprovação on-line, seguro de garantia de recebimento de mercadoria, capitalização e outros. Porém, para que isto ocorra de forma legal será necessário uma parceria com uma instituição financeira, o que eventualmente acabará por acontecer.

5) Existem planos de parcerias com sites de comercio eletrônico, provedores, etc?

RESPOSTA:
A BRpay já recebeu algumas propostas. Inclusive de um grupo com intenção de fazer investimento pesado em mídia. Porém, não é a vontade da Brpay um crescimento muito rápido que acabe por se tornar desordenado (o popular estouro da boiada), onde ocorreriam contratações rápidas sem tempo para o devido treinamento, consequentemente queda na qualidade e falta de tempo de se adaptar às verdadeiras necessidades de nossos clientes. O crescimento tem sido acentuado e consistente, mas a um nível administrável e tem nos dado condições de prestar o serviço inicialmente idealizado.

Marcelus:

1) Em termos de regulação econômica o Brasil definitivamente não é os EUA ou a Europa Ocidental — os regulamentos e burocracia são imensos, os impostos altíssimos e aqui e ali sempre aparece alguém do poder em busca de um novo regulamento ou taxa. Serviços como o PayPal deram certo em grande parte por causa da dinâmica das economias abertas, coisa que a do Brasil ainda não é. A pergunta é: como você pretende fazer o BRPay sobreviver aos ‘custos do Brasil’? Você teme que algum dia alguma entidade queira ‘cortar as asas’ da facilidade do seu serviço?

RESPOSTA:
A BRpay é uma prestadora de serviços e como tal deve recolher e recolhe aos cofres públicos o ISS (Imposto Sobre Serviços) que relativamente não é um imposto pesado. O valor é de 6% do faturamento que significa em média algo em torno de 0,12% de cada transação, que se compara aos impostos cobrados nos países de primeiro mundo. Mesmo sabendo que alguns de nossos governantes não são lá exemplos de honestidade, a BRpay entende que para se edificar uma obra (um país) deve-se começar pela base, que somos nós. Notas fiscais de nossos serviços podem ser obtidas diretamente em nossa sede sem custos adicionais ou solicitadas em nosso Atendimento a serem entregues por correio por uma pequena taxa de manuseio e postagem.

A Brpay não é banco e nem financeira e não se envolve com atividades específicas destes ramos, a BRpay é uma empresa de serviços de cobranças on-line. As leis mudam o tempo todo, mas empresas de cobranças sempre existiram e continuarão existindo.

emArtigo Destaque

Cooliris, agora também para Macintosh

Por em 20 de junho de 2006

Um plug-in que você TEM que ter em seu Firefox, Internet Explorer ou Safari é o Cooliris, disponível no site cooliris.com. O que ele faz? Em determinados sites (Google, Google Images, Del.icio.us, etc), é só passar seu mouse por cima do link e você vê uma prévia bem bacana do site em questão. Vejam como fica bacana, só passei o mouse por cima de um link de uma página de resultados de uma busca no Goooooogle:

Cooliris plugin

Legal, né? E nem deixou meu Safari lerdo.

emInternet Software

Testando o BRPay – Parte 1

Por em 20 de junho de 2006

Bom, eu ia testar o BRPay pedindo para um amigo me dar um real por lá e ver se eu conseguiria transferir direitinho até minha conta bancária. Não precisei. Uma amiga minha foi ‘corajosa’ e, através da campanha que tenho em meu blog, me doou 50 reais, perguntei e ela disse que usou cartão de crédito.

O resultado veio 4 dias depois (2 a 3 dias úteis, como eles haviam dito):

Recibo do BRPay

Quem usa Banco Real vai reconhecer que essa é uma tela de extrato do Internet Banking deles.

A doação foi de R$50,00, e foi descontada uma taxa de R$1,85 (3,7%) porque eu quis dar um upgrade em minha conta para aceitar cartões de crédito. O BRPay não cobra taxas para conta pessoal (porém o limite de retirada é de R$500,00).

Porém, um teste é pouco e minha mente científica (afinal já participei de estudos médicos com 500, mil pacientes) não está satisfeita. É por isso que eu queria conduzir um estudo em ‘larga escala’. A idéia que tive foi a seguinte:

1) Pessoas me mandam R$ 1.

2) Cada pessoa que mandar, me diz que mandou e qual o nome que colocou (seria para eu saber se todas as transferências caem em minha conta no BRPay).

3) Eu devolvo o R$ 1. O ideal é que quem contribuir com o estudo tenha conta no BRPay ou em um dos bancos que eles não cobram taxa. Os bancos são: Banco do Brasil, Unibanco, Itaú, Banco Real ABN AMRO, Bradesco e Caixa Econômica Federal. O único porém é que seu R$1 pode ter um desconto de 3 a 5% devido às taxas do BRPay.

4) Quem mandou o R$1, me avisa se houve o retorno direitinho da quantia e qual a taxa descontada.

5) Faço estatísticas dos resultados (claro que depende da amostragem) e posto aqui quando achar um número considerável. O número considerável seria algo que vocês poderiam me ajudar a definir. 100 pessoas? 1000 pessoas? Obviamente o resultado ideal é 95%, dando uma margem de erro de 5%, que aí pode ser atribuída a falha de comunicação minha com usuários e vice-versa.

PS: É uma idéia, e desejo saber a opinião dos leitores sobre isto. E não encontrei nada sobre valor mínimo a ser transferido no site, por isso ainda chamei este post de ‘parte 1′ e não vou começar nada nem dar dados de contato até obter uma opinião do pessoal aqui. Se a maioria achar que minha idéia é estúpida, eu não faço, simples assim.

O motivo disso, ou seja, de meu interesse em saber se o negócio é ‘firmeza’? É que acho que um sistema como o Paypal no Brasil é uma ótima alternativa para micropagamentos. O que quero dizer com isso?

1) Campanhas de doação, seja em meu blog ou qualquer outro lugar. Às vezes alguém quer doar R$5 ou R$10 para alguma causa via internet e não o faz porque teria de fazê-lo via DOC, aí gastaria mais 5 a 10 reais. Quando eu pude, eu já doei algo como 5 dólares para freewares daqueles que ‘mudaram minha vida’ usando o Paypal, mas não o faria para um freeware nacional que me fosse útil sem uma alternativa como esta.

2) Produtos ‘baratos’. Quantas vezes já não vi no Mercadolivre produtos de R$15,00 por exemplo e não o adquiri simplesmente pelo fato de eu não querer gastar a mais com o DOC e não querer ir ao banco? Tá, hoje em dia o ML tem o Mercadopago, mas ainda assim é algo restrito a um só site.

3) Liberdade de vender o que quiser, onde quiser. Uma amiga minha, por exemplo, tem uma banda que acho ótima e vende o CD da banda por R$19 no site deles, o que não é caro. Só que pode ficar caro com o lance do DOC e tudo o mais, a não ser que você vá até o banco, o que, se você for como eu, acha um saco. Seria uma ótima aplicação do sistema sem ter que se sujeitar a Mercadolivre e afins.

Por isso, em minha opinião, acho que seria uma boa testar o sistema com um monte de microtransações de R$1,00, com vinda do dinheiro para minha conta e depois a volta dele para sua conta bancária (se forem dos bancos acima citados, porque não poderei devolver R$1,00 quando eles cobram R$5,00 para transferir para bancos que não sejam os que listei acima) ou conta do BRPay.

E tem um material bacana que estou preparando sobre o dito-cujo, basicamente um bombardeio de perguntas ao pessoal de lá ;)

emInternet

Magnolia: um delicious mais bonito e com mais funcionalidade (atualizado)

Por em 15 de junho de 2006

Ando indeciso entre usar o del.icio.us e o Ma.gnolia.

O Ma.gnolia tem o mesmo objetivo, de guardar seus favoritos, mas, além do lance de colocar ‘amigos’ e a interface ser muito mais bonita, tem algo que eu gosto muito: grupos.

Por exemplo, você pode ir ao grupo ‘Web 2.0′, ‘Flash’, ‘Photoshop’ ou ‘Games’ no Ma.gnolia e achar um montão de links bacanas relacionados ao assunto, sem depender apenas dos tags, ou seja, é uma classificação mais organizada (claro que também tem tags).

E o Ma.gnolia também importa seus favoritos do del.icio.us ou do seu browser e mostra uma pequena tela do seu link como pode ser visto aqui, além de, como no furl, ele faz uma cópia local da sua página.

Nova atualização: em resposta a um comentário do leo, eu acabei adicionando um monte de conteúdo útil para quem quer usar o mag.nolia:

1) O ma.gnolia tem RSS e Atom, versões full e lite (o full traz thumbnails dos sites):

http://ma.gnolia.com/atom/full/people/kioshi
http://ma.gnolia.com/atom/lite/people/kioshi
http://ma.gnolia.com/atom/lite/people/kioshi
http://ma.gnolia.com/atom/lite/people/kioshi

2) Dá pra adicionar amigos e compartilhar / mandar links para eles – veja por exemplo todos os que salvaram o meiobit:

http://ma.gnolia.com/people/kioshi/bookmarks/wigescef

Além disso dá para mandar links para grupos, por exemplo, posso mandar um bookmark para o grupo de macintosh:

http://ma.gnolia.com/pages/addons (que também tem seu RSS)

Não há extensão ainda, mas até aí a do del.icio.us é praticamente igual aos bookmarklets do próprio delicious, que são o que o povo que não utiliza o Firefox (ou a extensão) usa. E o mag.nolia tem scripts para greasemonkey, add-on para toolbars do Google e Search do Firefox, bookmarklets para tudo o que você quiser, integração com o pageflakes.com, feedflare para o feedburner, etc, e já liberou a API, imagino que a extensão seja questão de tempo, veja a enorme quantidade de ferramentas:

http://ma.gnolia.com/pages/addons
http://ma.gnolia.com/pages/addons

Além de copiar o conteúdo inteiro da página – se um artigo interessante sai do ar, você não o perde.

Criei um grupo de usuários brasileiros no Ma.gnolia.

emInternet