Digital Drops Blog de Brinquedo

iPods ficarão cada vez mais cheios de recursos

Por em 17 de abril de 2007

A Cnet tem uma matéria sobre a próxima geração de iPods. Entre as funcionalidades esperadas estão HDs de 100GB, telas widescreen (para melhorar a visualização de filmes) e conexões wi-fi para executar conteúdo sob demanda quando uma conexão à web estiver disponível.

Lembro que muitos analistas afirmavam que a grande vantagem do iPod sobre os outros players do mercado (e uma das razões para seu sucesso) era ser um dispositivo específico. Que fazia apenas uma coisa (tocar música) muito bem. Entretanto, para muitos, o iTunes é um dos programas mais lentos e pentelhos já criado pela mente humana, e estou incluso nesse bloco. Some isso ao fato dos pequenos aparelhos ficarem recheados de recursos que consomem bateria e que escapam da idéia original do aparelho. Qual o resultado dessa equação? O iPod vai tornar-se um player que tenta fazer de tudo e não faz nada certo, como muitos de seus concorrentes ou continuará a ser a solução preferida do mercado, mesmo abandonando sua simplicidade?

Via Slashdot

emApple e Mac

Dell respeita a escolha do consumidor

Por em 26 de março de 2007

Hoje em dia é difícil ver casos de empresas que respeitam realmente seu consumidor. Quando isso acontece merece virar notícia. André Noel relata em seu blog que, após efetuar a compra de um notebook Dell que veio com o Windows instalado, pediu para devolver a licença do Windows e foi reembolsado.

Após meia hora de conversa com os atendentes da Dell e alguma relutância ele recebeu de volta R$167,89 e comprometeu-se a devolver o CD que acompanha o produto junto com a licença numérica. Parabéns para a Dell por atender simplesmente ao anseio de seu consumidor.

E parece não ser apenas a Dell do Brasil que tem concedido reembolso à seus clientes que não desejam adquirir licenças do Windows ao comprar suas máquinas. Há relatos de usuários na Europa que conseguiram reembolso da Dell Alemanha de €77,54 pela cópia de Windows Vista Home Basic e do MS Works 8.0. Se as outras montadoras de PCs seguirem o exemplo logo os usuários de Linux e outros sistemas poderão comprar máquinas com mais tranqüilidade. Nada mais justo que o produto sair ao gosto do freguês.

Via BR-Linux e Slashdot

emIndústria

KDE 4 tem agenda oficial

Por em 22 de março de 2007

O projeto KDE agora tem uma agenda oficial para a versão 4 de um dos ambientes gráficos livres de maior abrangência do mundo. Segundo o cronograma liberado no dia 21 de Março de 2007 a data alvo para o lançamento da versão final é 23 de Outubro deste ano. Até lá o KDE 4 terá uma versão Beta (25 de Junho) e uma versão RC (25 de Setembro).

O KDE 4 pretende implementar um redesenho completo de seus subsistemas que permitirá, entre outras coisas, que aplicações escritas para sua API rodem em diversos sistemas operacionais distintos com pouca ou nenhuma modificação. Na lista de intenções também constam uma nova interface gráfica, novas máquinas de multimídia e extenso suporte à comunicação e rede que devem permitir ao Linux comportar-se de forma mais adequada para os padrões de um sistema desktop de uso pessoal.

Os desenvolvedores do projeto esperam, com seus esforços, que o KDE 4 torne-se um novo marco na forma como aplicações são pensadas e escritas e que ele redesenhe a forma como os usuários interagem com a interface dos sistemas operacionais. Para tanto, além das alterações visuais e estruturais, um modelo baseado em applets Javascript foi criado que permitirá, entre outras coisas, que as funcionalidades da interface possam ser modificadas ou melhoradas com a adição de pequenos blocos.

Se a idéia de adicionar pequenos aplicativos ao desktop parece velha conhecida saiba que no KDE 4 este recurso poderá ser usado para mais do que apenas adicionar relógios bonitinhos ao desktop. Até os menus de contexto dos objetos do desktop mudarão e se adaptarão às atividades que o usuário executa. O objetivo é ter um desktop dinâmico e fluído que deixe de ser o painel estático que conhecemos hoje. É esperar para ver se todas as expectativas serão atendidas.

Via OSNews

emAndroid e Linux Open-Source

Desembargador determina liberação do Youtube (Atualizado)

Por em 9 de janeiro de 2007

O desembargador do estado de SP Enio Santarelli que expedira a liminar obrigando os provedores de internet com links internacionais a bloquear o Youtube determinou, agora à pouco, que o site seja liberado para os usuários de internet no Brasil. Vamos ver se a Brasil Telecom vai acatar essa nova liminar tão rápido quanto o fez com a anterior, que obrigava o bloqueio. E um pedido de desculpas aos seus clientes, por ter agido contra seus direitos sem sequer uma nota de esclarecimento, também cairia bem.

Segundo o desembargador as acusações de censura por parte da justiça são infundadas. “Impedir divulgação de notícias falsas, injuriosas ou difamatórias, não constitui censura judicial. Porém, a interdição de um site pode estimular especulações nesse sentido, diante do princípio da proporcionalidade, ou seja, a razoabilidade de interditar um site, com milhares de utilidades e de acesso de milhões de pessoas, em virtude de um vídeo de um casal.”, declarou Santarelli em comunicado oficial.

Sob minha limitada ótica legal, visto que não sou advogado apenas um cidadão que busca manter-se ciente de seus direitos e deveres, a expectativa de privacidade do casal é infundada. Quem pratica ato sexual em local público não poderia afirmar que desejava privacidade. É algo para ser resolvido na justiça entre as partes envolvidas. Entretanto, como o próprio Desembargador reconhece “A determinação deve ser cumprida desde que seja possível, na área técnica, sem que ocorra interdição do site completo”.

Link de referência enviado por Adriano Cesar: Uol

Saiba mais sobre Calúnia, Difamação e Injúria: Artigos Jurídicos, Wikipedia e DireitoNet

emInternet Telecom

Restrições usando DRM no Windows Vista

Por em 9 de janeiro de 2007

A Microsoft tornou público que a maioria dos computadores que usem conexões digitais de vídeo serão incapazes de reproduzir discos Blu-Ray ou HD-DVD quando operados pelo novo Windows Vista. Não é um bug, não é um problema, é opção da Microsoft para garantir que os direitos da indústria cinematográfica sejam respeitados. Como não conseguem identificar os criminosos ou coibir sua ação a dobradinha formada por Hollywood e Microsoft transformará todos os usuários de Windows Vista em criminosos.

O bloqueio (parece que entrou na moda bloquear as coisas) é executado quando um disco com um filme em alta definição é reproduzido e sua visualização é feita por um dispositivo que usa conexão digital de dados. Ao ler o disco o Windows Vista verifica se o computador e seu monitor digital são compatíveis com o padrao High-Definition Content Protection (HDCP). Se não forem o sinal de vídeo é degradado para diminuir sua qualidade ao padrão do DVD atual. Aqui surgem dois problemas. O primeiro é que menos de 5% dos PCs produzidos no mundo em 2006 possuíam HDCP. O segundo é que se o seu PC estiver no bloco dos sem-HDCP ele só será capaz de diminuir a qualidade do vídeo em conexões digitais se possuir hardware apropriado para isso. Entretanto poucos fabricantes de placa-mãe e vídeo preocuparam-se em incluir dispositivos para diminuir a qualidade de seus produtos digitais (algo que não me espanta em nada). O resultado é que provavelmente depois de gastar centenas de dólares em monitores LCD, placas de vídeo poderosas para o Aero e em drives de alta definição você verá apenas uma tela preta, mesmo que sua mídia seja original.

Analistas que estavam cientes dessas características do Vista ainda durante o programa Beta achavam-na tão restritiva que dificilmente chegaria à versão final. Peter Gutman, pesquisador de segurança digital na University of Auckland procurado pela versão on-line do jornal The Times analisou:
“Quando isto apareceu em conferências sobre Windows em 2006 eu pensei: Isto é tão ruim que vai morrer logo. Não morreu. Para baixar a qualidade do sinal que o HD-DVD vai enviar você precisa de uma espécie de constritor, mas ele não está presente na maioria dos computadores em fabricação hoje. Considerando que é algo que diminui a qualidade do sinal muitos fabricantes estão relutantes em implementá-lo [em seus equipamentos]. Qualquer computador que tenha um monitor LCD [com conexão de dados digital] está em risco potencial de ser incapaz de reproduzir este tipo de conteúdo [usando o Vista como SO]”

Até quando a indústria vai empurrar o DRM no mercado, tratar indiscriminadamente todos como criminosos e achar-se no direito de escolher o que podemos ou não fazer com os discos que compramos em lojas? Se a Microsoft continuar ajudando, ainda por muito tempo, infelizmente.

emIndústria Software

Contornando o bloqueio do Youtube

Por em 7 de janeiro de 2007

Alguns usuários reportam que seus provedores de internet efetuaram o bloqueio do site Youtube. Isso é ridículo. Mais ridículo ainda é refletir sobre como a nossa justiça é… injusta. Uma pessoa que comete um crime (sim, transar em locais públicos é tão crime aqui quando na Espanha, chama-se Atentado ao Pudor) consegue uma liminar na justiça que põe em xeque a liberdade de expressão de 20 milhões de usuários da internet brasileira. O absurdo é tão grande e a decisão tão arbitrária que o juiz que assinou a liminar veio a público fazer um mea culpa e empurrar o brasileiríssimo “não foi bem isso que eu quis dizer”. Novamente ridículo.

A liminar não obriga a censura (sim, o termo é censura) do Youtube, apenas obriga que o vídeo não seja mais exibido. E ainda que censurar o Youtube para os usuários brasileiros seja completamente exeqüível impedir que mais alguém assista o vídeo não é. Então, além de um juiz brasileiro estar arbitrando utopias, como se não tivesse nada melhor para fazer, empresas de internet que deram férias ou demitiram seus profissionais jurídicos adiantaram-se e estão afrontando o direito de seus clientes de terem livre acesso à informação. Devo repetir que isso é ridículo?

Felizmente contornar o problema é fácil sim, se você consegue instalar uma impressora, pode configurar seu navegador para acessar o Youtube, mesmo que seu provedor tenha voltado à época da ditadura militar. Um artigo simples, com screenshots, publicado no BR-Linux ensina o necessário para que você recupere seu direito de ver o que quiser com seu computador usando a banda larga que você, e não a Cicarelli, paga.

emDestaque Internet

Power6 e Cell devem ultrapassar os 5GHz

Por em 4 de janeiro de 2007

Mal o Cell chegou ao mercado e a IBM já fala a respeito da segunda geração do processador. E pelo jeito não deve estar longe, já que a Big Blue afirma que ele será primo do Power6, processador da empresa para grandes servidores, que será lançado oficialmente em Fevereiro. O Power6 deve conter 700 milhões de transistores e operar abaixo dos 100W para ser uma boa alternativa ao Opteron (95W) e Xeon (80W). Fabricado com tecnologia de 65 nanômetros o Power6 será o carro chefe da empresa para computadores de grande capacidade.

A segunda geração do Cell, que analistas esperam que seja anunciada ainda no primeiro trimestre de 2007, deve compartilhar as tecnologias construtivas do Power6 e usar uma versão “leve” desse núcleo como seu core principal. Ambos os processadores devem ser capazes de atingir clocks superiores a 5GHz com o Cell chegando a 6GHz em sua versão high-end, afirmaram os representantes da IBM.

Via Slashdot

emHardware Indústria