Digital Drops Blog de Brinquedo

Tradutor Universal no Twitter quase tão bom quanto a Uhura

Por em 20 de agosto de 2009

A maioria dos programas de tradução automática gera resultados pouco melhores que o clássico quadro do Monty Python sobre o dicionário de húngaro, coisas de traduzir “the book is on the table” para “o livro está sobre a tabela”. Por isso este post foi pensado como algo ridicularizando o Twinslator, um tradutor para o Twitter.

Infelizmente o site não colaborou com a avacalhação. Vejam a sutileza da frase e como ele lidou brilhantemente com ela:

Posso estar me adiantando mas a maldição de Babel está prestes a cair por terra. Com um tradutor funcionando bem assim nunca mais precisaremos pedir em inglês tarzânico para o Ashton Kutcher ajudar a derrubar o Sarney.

Via Download Squad

emInternet

É que Narciso acha feio tudo que não é espelho ou a Samsung TL225

Por em 20 de agosto de 2009

Amiga! Você é uma cam whore desesperada por atenção? Tem que tirar suas fotos no quarto com parede de reboco caindo, espremida entre a cama e o guarda-roupa que sua mãe ainda está pagando nas Casas Bahia? Não sabe usar o Timer então ainda tem que ficar segurando sua TekPix, enquanto ajeita a pose olhando-se no espelho do supracitado guarda-roupa de compensado?

Seus problemas acabaram!

A Samsung TL225 á uma point-and-shoot mais carinha, e a primeira a vir com o diferencia de ter um display LCD de 1,5 polegadas na frente da máquina. Com isso, calega, suas fotos pra Comunidade “Eu si acho” ficarão dez, pois você poderá ser muito mais criativa nos enquadramentos.

Fora isso ela também vem com saída HDMI, filma em HD 720p e um display touchscreen de 3,5 polegadas. Olhe:


Isso mesmo, nenhum botão.

A resolução é de 12,2 Megapixels, o Zoom Óptico é de 4,6x e o amor da Samsung por números quebrados é evidente. Custará US$350,00 quando chegar ao mercado em Setembro.

Fonte: Dvice

emÁudio Vídeo Fotografia Equipamentos

QR Code a milanesa

Por em 20 de agosto de 2009

Para descobrir se era viável utilizar areia para criar uma peça de marketing não-convencional o pessoal da SINAP, uma agência japonesa tão hype que nem usam mais os termos “especialistas em mídias sociais” decidiu pelo método Mythbuster: Na dúvida, vamos fazer.

O resultado foi uma peça no mínimo interessante, veja:

Sim, eu também gostei muito. Sim, o código de barras QR também é interessante.

A quantidade de gente que conseguiu ler o código com seus celulares tem sido boa, mas fica longe de ser 100%. No meu Nokia E71 por exemplo não funcionou.

Aqui um making-of do código:

Para mais explicações do projeto, há este link.

Embora tenha achado muito legal, não acho que vá virar moda. Exige iniciativa demais por parte do público. Uma maioria impiedosa não tem nem idéia de que seu celular vem com leitor de código de barras. Procurar, rodar, escanear, entrar na Internet, ler site é uma sequência irreal. Não se cria público dificultando, e sim facilitando a vida do consumidor.

Vale a curiosidade mas não a implementação.

A menos que a japa venha no pacote.

Fonte: CScout Japan

emCelular Mobile

Windows 7 – último dia para baixar

Por em 20 de agosto de 2009

Tá pra acabar, freguesa. Windows 7 mega-ultimate Release Candidate Final Version, virtualmente idêntica a que vai para a China ser gravada nos DVDs. Termina HOJE dia 20/8 a moleza. Quem baixou baixou, quem não baixou não baixa mais. (assumindo que não existe Bit Torrent, Rapidshare, eMule, etc)


A versão Release Candidate funcionará até 1o de Junho de 2010, sendo que precisa ser instalada antes de 1o de Março do Ano do Linux. Nesta mesma data o Windows começará a rebootar a cada duas horas, lembrando que uma hora você terá que se coçar e comprar a versão final.

O Reboot a cada 2h também o relembrará do delicioso gostinho de trabalhar com Windows 95.

Para baixar o Windows 7 E pegar seu serial, visite este link. Rápido.

emSoftware

Para a Dell a alta taxa de retorno de netbooks Linux non ecziste!

Por em 17 de agosto de 2009

Todd Finch, Gerente de Marketing Senior de Produtos da Dell deu declarações que contrariaram totalmente as afirmações da MSI de que netbooks Linux tinham até 4x mais devoluções do que os Windows.

Segundo ele a taxa de devolução das máquinas Linux era virtualmente idêntica as Windows.

Caso encerrado, FUD da Microsoft, morra Balmer, etc, certo?

Não necessariamente. Eu acredito em ambas. Não são excludentes. Já vi um netbook desses (não lembro se um Acer ou um MSI) onde uma mesa inteira de geeks não conseguiu fazer o bicho… acentuar. A Interface era horrenda, imagine uma agenda eletrônica dos anos 80. Era algo assim.

Uma experiência de usuário RUIM é o principal motivo para devolução.

Já a Dell investiu em marketing, conscientizando o consumidor sobre o quê ele está comprando. Também investiu em tecnologia: Os netbooks estão saindo com Ubuntu devidamente configurado. Todo o hardware funcionando, aplicativos devidamente identificados. Há uma preocupação com a experiência do usuário.

Em casos assim as devolução serão realmente pequenas.

Não dá é enfiar na má-vontade o NasCoxasLinux 2.3.5 e querer que o cliente saia satisfeito.

Fonte: Desktop Linux

emAndroid e Linux

A Guerra dos Smartphones acabou e não me avisaram?

Por em 17 de agosto de 2009

Quando o iPhone surgiu o mundo mobile tomou uma sacudida que não via em anos. Até então smartphones eram brinquedos de nerds e Blackberries de executivos. Gente normal não tinha tais equipamentos. Com a Apple demonstrando que o mercado existia, só dependia de facilidade de uso (estou falando com você, OVI Store) a tendência seria a todo mundo ir atrás, lançando suas próprias lojas e aparelhos igualmente poderosos e simples.

Nisso vieram duas grandes promessas: Android e Palm. Android por ter o Google por trás. (sorry, freetards, no mundo real “Linux” é só um sistema operacional) Palm por ter um nome que era sinônimo de gadgets mobile.

Infelizmente o G1 vive uma situação de OLPC, é um projeto em andamento, e consumidores não querem isso. Eles querem algo que funcione e pronto. Mesmo a marca Google não convenceu, diante da experiência de uso do iPhone.

A Palm por sua vez com o Pre prometeu mundos e fundos, inclusive o que a Apple já havia tentado e desistido: Aplicações baseadas em web.

Os relatos de uso são unânimes: O Pre é excelente mas mais do mesmo.

O Windows Mobile não se fala. Um kernel excelente com uma interface horrenda. Fosse 5 anos atrás diria até que era o Linux. Imagino que a Microsoft vá mudar isso em algum tempo. Vendo como o Zune, desde o antigo tem uma interface decente, dá pra imaginar se não pensam em algo para o HD.

Nokias sofrem do Symbian, o Tiozão que paga as contas mas não vai muito longe no futuro. O Symbian é MUITO limitado em termos de interface e até mesmo termos de gerenciar uma interface decente em 1o plano. Eu Amo Symbian, mas suas limitações são claras

Para piorar lançam o N97, um hardware de sonho com um processador fraquíssimo, incapaz de lidar com ele. Hello? O Zune HD vai tocar filmes… HD, coisa que nem meu Mac consegue,  e a Nokia enfia um processador de 434MHz e 128MB de RAM no seu modelo topo de linha?

a impressão que dá é que desistiram. A Apple lança seus modelos novos, a Research In Motion lança cada Blackberry lindo e poderoso que faz balançar até o corações dos Applemaníacos e e concorrência… finge.

Aparentemente ninguém quer disputar esse nicho dos smartphones top, e quem quer não tem competência, vide Palm. É uma pena, acabamos se não estagnados, em um ciclo lento. Ficou no mínimo vergonhoso aos outros fabricantes o primeiro aparelho a efetivamente desbancar o iPhone 3G ter sido o 3GS. E não, não acho que 2010 venha a ser o ano do Openmoko também.

emArtigo Computação móvel Mobile

Netbooks – Melhor Made in China do que Comprado na China

Por em 15 de agosto de 2009

A gente imagina que o oriente é formado por milhares de lojinhas de StandCenter com a logo do DealExtreme, onde todos compram produtos a preços irrisórios, entram em seus carros voadores e vão para casa, desviando apenas de monges voadores, adagas dançarinas e Gojira.

No Japão pode ser assim, mas na China, de onde vem 99% de tudo de suculento do mundo da tecnologia (é, seu lindo iPhone também) o bulaco é mais embaixo. O relato a seguir foi feito por minha amiga Paula Coruja, brasileira descendente de chineses que mora em Beijing, e queria comprar um netbook.

O preço não foi lá essas coisas, e todo o trabalho de negociação lembra muito o Brasil do que gostaríamos. Acompanhe A experiência:


imagem meramente ilustrativa

❝Decidi que eu queria comprar um netbook. As vantagens com relação à mobilidade são muito atrativas e para alguém que, como eu, gosta muito de viajar sem se desconectar do mundo, de repente o computadorzinho começou a parecer uma necessidade.

Como moro na China, comecei a pesquisar o que havia disponível por aqui e que poderia se encaixar no valor que eu queria pagar. Fui para a internet, pedi a opinião de alguns amigos e selecionei três modelos de três marcas diferentes: um dell, um asus e um Lenovo. Conversei com um amigo chinês e ele se disponibilizou a ir comigo no “mercadão” para comprar a máquina.

Fomos ao Buy Now (百脑汇- bainaohui), aqui em Beijing, uma espécie de shopping multimarcas onde tudo é na base da barganha. Lá as lojas são revendedoras das grandes marcas e das chinesas originais. Claro, se você perguntar discretamente por um produto, digamos, genérico eles até conseguem para você. Se pedir sem nota fiscal, até o produto original fica mais barato. Mas em geral, tudo é legalmente original.

Qualquer compra que você queira realizar nos mercados de barganha, é necessário ir com uma dose cavalar de paciência. Se não dominar o mandarim, mais ainda, pois você pode ser passado para trás, bem na boa.

Eu e meu amigo chegamos lá com a listinha das máquinas, com as devidas configurações e preço da internet. Pode ser simples, mas é importante para não pagar mais caro, ou pedir um valor tão baixo que o máximo que você consegue comprar é o fake do fake. Rodamos horas lá dentro, olhando, perguntando, tentando encaixar valor-configuração-benefícios. Quase fechei negócio três vezes. Sorte que não. Aí tá a importância de ter alguém que entenda chinês.

Numa das lojas eu estava negociando sozinha e o que eu não sabia, apontava no papel e perguntava se estava incluído. O vendedor sempre disse que estava. Quando meu amigo chegou e foi checar tudo, claro que não tinha e a má-fé do vendedor ficou por conta da barreira da língua. Ahan, sei. Numa das vezes amarelei por causa do preço. Tem isso, barganhar cansa, os vendedores sabem e sentem quando você vai aceitar um preço um pouco mais alto que seja, em comparação ao que tinha na internet. Desisti porque a máquina era a minha terceira opção e num momento de lucidez, decidi que não ia pagar mais caro. De volta à estaca zero. A terceira desistência foi pelo motivo mais bobinho e mulherzinha do mundo: eles não tinham ali, em estoque, o netbook da cor que eu queria. O preço estava ótimo, mas não dava.

No fim das contas, acabei levando esta máquina aqui:

 Consegui por 3.100 yuans, 100 yuans a menos do que o valor do site com mouse e uma capa para proteger quando carregar na bolsa incluídos, dois itens que não fazem parte do pacote no site da Dell. Em dólares, pela cotação de hoje, o valor fica em US$ 460,00, o que não parece lá um grande negócio da China, se pensar que nos Estados Unidos essa mesma maquininha poderia custar até US$ 100 a menos. Mas, fazer o quê?Aqui até que foi um bom negócio.❞

A Paula pode ser acompanhada no Twitter ou em seu blog. Agradecemos o relato, é interessante descobrir que tem StandCenter na China também. Onde o MeioBit não está censurado, mas o YouTube sim.

emArtigo Hardware Meio Bit