Digital Drops Blog de Brinquedo

Windows 7: From Redmond With Love

Por em 29 de outubro de 2009

Uma das coisas que mais nos orgulhamos no MeioBit é do relacionamento que temos com nossos parceiros. Em nenhum momento sofremos qualquer tipo de interferência editorial, mas nem por isso mantemos uma postura fria e distante. Não é nosso estilo.

As empresas mais próximas criaram uma relação de confiança onde se sentem a vontade para chamar o MeioBit para eventos onde até então só ia a Grande Imprensa. Em todos esses NUNCA houve qualquer tipo de discriminação, como a famigerada Ala dos Blogueiros, na 1a Campus Party.

Elas sabem que nosso estilo entusiasmado funciona para o bem e para o mal, mas preferem acreditar (corretamente) que quando falamos mal não é por implicância. Nem com o Linux implicamos a sério, e ai de quem falar mal dele em servidores!

Claro, somos apenas um blogueenho, no Grande Esquema das Coisas nossa operação é tão insignificante para essas empresas como a colônia mineradora de Bespin era para o Império. Mesmo assim é bom ver que sabem de nossa existência.

Aliás, é ótimo. Por isso ficamos muito felizes quando chegou isto aqui pelo correio:

Yes, é uma caixa personalizada, enviada pela Microsoft para o MeioBit. Na lombada há inclusive nosso nome. Dentro…

Uma edição Windows 7 Ultimate Darth Ballmer Edition e um textinho de agradecimento.

Essa, lamento informar, é para consumo interno. Depois de profundas deliberações ficou decidido que a caixa irá direto para São Francisco, para a coleção de troféus do Leo Faoro, nosso estimado fundador e quem menos ganha coisas por aqui. Como o Leo é Macfag usuário de sistemas operacionais alternativos, Dori Prata ganhará a cópia do Windows. É um bom prêmio, vai animá-lo depois que descobriu que o Dreamcast que comprou de um tal de Leonam veio com defeito.

E antes que alguém estranhe todo esse desprendimento de minha parte, abrindo mão da caixa e do Windows em benefício do Próximo, fiquem tranqüilos. Não é caridade cristã, é que também ganhei a minha.

emBlog Miscelâneas

Nokia vs Apple: Thunderdome! Thunderdome! Thunderdome!

Por em 29 de outubro de 2009

Fora o fato de virar um Decepticon ou outro a Nokia sempre foi “boazinha”, não se metia nas brigas e deixava os holofotes para a Microsoft, responsável por espetar a Apple, e para a HTC, que chegou comendo pelas beiradas. Agora, depois de uma perda de fração significativa do mercado de Smartphones, a empresa percebeu que não dá mais para brincar de monopólio virtual.

É hora de tirar as armas pesadas do arsenal, e botar as tropas na rua. No More Mr Nice Gaius, como dizia Baltar. Eu até compreendo. A Nokia por anos foi sinônimo de telefone celular. Agora está se reinventando como uma provedora de serviços, mas nem por isso quer ser escurraçada do palco. Então, nas palavras do sobrinho preferido da Tia Petunia, TÁ NA HORA DO PAU!

É, a briga e feia. A Nokia entrou com um processo onde acusa a Apple de violar nada menos que DEZ patentes, com o iPhone, iPhone 3G e o iPhone 3GS.

As patentes englobam comunicação de dados, 3G, GSM, WCDMA, UTMS, encriptação, etc. E a empresa mais japonesa da Finlândia não mede palavras. Ilkka Rahnasto, VP de Propriedade Intelectual da Nokia solta o verbo: “A Apple está tentando pegar carona nas nossas inovações tecnológicas”.

A Apple já tem folha corrida, embora seja toda cool em seus anúncios e o Campo de Distorção da Realidade nos faça acreditar que Steve Jobs entrega os produtos completos, do alto de sua nuvem, em 2006 a empresa morreu em US$100 milhões, acordo com a Creative após ficar mais que evidente que a interface do iPod foi kibada do Zen Player.

A Nokia insiste que não quer tirar os produtos do mercado, quer apenas ser compensada pelas patentes, na forma de royalties. Isso ficaria entre 1% e 2%, no caso dos iPhones o valor por unidade variaria de US$6,00 a US$12,00.

Mais de 40 empresas já concordaram com o pagamento dos royalties, mas a Apple disse que vai combater vigorosamente a ação.

Analistas estimam que o valor em jogo já esteja em torno de US$1 bilhão, o que já dá pra fazer uma graça.

Fonte: InternetNews, aqui e aqui

emApple e Mac Celular Mercado Mobile

Promoção Windows 7 – Todos os Vencedores

Por em 27 de outubro de 2009

Primeiro de tudo peço desculpas pelo atraso, mas foram 330 participações, em um concurso subjetivo, onde cada um precisava ser lido, vistou ou escutado com calma. Prefiro respeitar os leitores que trabalharam e usaram sua criatividade, atrasando o resultado para examinar DIREITOseu trabalho, do que respeitar os leitores que ficam cobrando resultado, inclusive xingando, como se a função primordial do MeioBit fosse dar Windows de graça pra gente mal-educada.

Dito isso, vamos ao esperado resultado:

1 – Overlord
Muita gente tentou me comover usando imagens de crianças fofinhas. HELLO! Sou devoto de São Herodes, não tenho nada de Michael Jackson e acho o Polanski um sujeito doente. Como alguém pode fazer o que ele fez? Digo, barbarizar é fácil complicado é passar horas conversando com uma guria de 13 anos.

Por isso o Overlord levou o Windows 7. Foi absolutamente obstinado, para ganhar não teve dúvidas e partiu para o trabalho infantil, explorando a sobrinha em benefício próprio. Admiro isso.

2 – 3T3RN4L
Um monte de gente explorou os clichês japinhas / Luciana Vendramini. Clichê é eliminação, exceto quando deixa de ser clichê. Para isso é preciso criatividade ou… sorte. O 3T3RN4L mostrou que era possível interligar o tema orientais com Windows 7, encontrando um fórum em um site de Windows 7 com… fotos da maaaaaravilhosa Hwang Mi Hee.

3 – garmonbozia
A sugestão de pagar um mico pelo Windows foi ouvida. E cantada. Pois é, uma música, botando a cara, ou pelo menos  a garganta a tapa. Eu não faria isso, mas reconheço o esforço. OUVÃO ELA!

4 – Leo_Koester
Eu não costumo me comover com histórias tristes, mas a saga do iPhone do Leo é bem conhecida. Ele foi esperto de lembrá-la neste comentário. Fiquei com pena, e isso não é comum.

5 – serathiuk
OK, apelou. Ganhou.

emAnúncios

É UMA VERGONHA! 4130 telefones confiscados nas prisões este ano

Por em 19 de outubro de 2009

Assim não dá, assim não pode. Já não basta a violência que virou tema recorrente dos filmes e programas de TV, agora mesmo quando os bandidos são presos, continuam com regalias?

De dentro das prisões os bandidos usam celulares para planejar fugas, violar ordens judiciais e contactarem suas vítimas, usam e obtém cartões de crédito roubados, coordenam contrabando nas prisões e muito mais.

O número é alarmante. Foram 4130 aparelhos apreendidos em 2009. Somente em uma penitenciária foram apreendidos 100 celulares. Os números globais assustam mais ao sabermos que só em 2009 as autoridades confiscaram mais celulares do que nos últimos 3 anos, combinados.

As “otoridades” não se entendem. Querem punir quem lega os celulares para as prisões, instituir revistas rigorosas, o de sempre. Enquanto isso imaginamos quantos aparelhos não foram apreendidos.

Achou a história absurda? Então sente e chore. Os números acima são dos Estados Unidos.

Portanto, você tem duas linhas a seguir: 1 – não estamos tão ruins assim ou 2 – se nos EUA está assim, imagine no Brasil.

Fonte: LA Times

emCelular Mundo Estranho

Mini-Helicóptero Autônomo – Run Sarah Run

Por em 19 de outubro de 2009

Equipamentos de vôo autônomo usando GPS e outros sistemas de navegação assistida não são novidade. Toda vez que entra em um avião você está confiando sua vida em um desses. Complicado é navegar de forma autônoma em um ambiente desconhecido, sem GPS ou tecnologia similar.

O protótipo abaixo usa câmeras estéreo e lasers para identificar passagens, calcular trajetória e mapear em 3D um ambiente.

Há inclusive um modo onde ele percorre todos os espaços acessíveis, montando uma planta que pode ser repassada para unidades de resgate, por exemplo.

Desenvolvido pelo Robust Robotics Group do MIT, embora seja apenas um protótipo de testes, já ganhou competições de aeronaves robóticas autônomas.

Além de caçar mães de futuros líderes da Resistência, esse tipo de tecnologia pode ter usos bem mais benignos, como manobrar em segurança uma aeronave com o piloto incapacitado. 

Fonte: Slashdot

emHardware

DNA no Seu iPhone?

Por em 19 de outubro de 2009

Eu sei, eu sei. Como bo internauta da velha guarda você lembrou imediatamente da história do pobre Leonan e seu Dreamcast. Foi um caso traumático, reza a lenda que o coitado chegou a mudar o nome para Dori, tentando se distanciar da história, mas o DNA deste post tem origem bem mais família.

É uma empresa francesa que oferece um serviço tão inédito quanto inútil: Por módicos 99 Euros a Helys enviará para sua casa um kit de coleta de células; de posse de seu tecido epitelial buco-bochechal, eles prometem sequenciar parte de seu DNA e criar imagens para usar como fundo de tela do iPhone.

Ainda dá para escolher qual padrão de cores falsas você prefere, tudo em um arquivo 320×480, prontinho para seu iPhone. Não são legais?

Claro, a menos que você tenha acesso a sequenciadoras, saiba fazer gels e esteja familiarizado com PCR a ponto de cantar sobre isso, não há chance de conferir se a sequência exibida no arquivo de imagem é sua ou não. Pensando bem nem seus amigos saberão, a menos que sejam PNC* o suficiente para conseguir uma amostra de seu DNA, sequenciá-la, identificar a região equivalente ao arquivo original e então compará-la.

* Pesquisadores, Naturalistas, Cientistas – Pensou que fosse o quê, a sigla?

A idéia dos caras é excelente, e dada a semelhança genética entre as formas de vida da Terra, podem perfeitamente colocar uma amostra retirada de uma salsinha e ninguém perceberá. Se bem que se o sujeito gastar 99 Euros nisso, se usarem DNA de jumento ficará indistinguível da mesma forma.

Fonte: Textually

emApple e Mac Ciência

Segurança é problema de BIOS

Por em 14 de outubro de 2009

Durante um tempo fui guardião informal de uma rede de 13 máquinas. Todo dia aparecia algum problema. Acabei tirando um sábado, fui para o trabalho e testei tudo, sem ninguém por perto. A rede funcionava maravilhosamente bem, comprovando minha teoria de que o problema era os usuários, eliminando-os tudo funcionava.

A maior parte das invasões se dá por burrice ou arrogância. Já vi servidores Windows sem updates por mais de 1 ano, com a justificativa “o firewall nos protege”. Também já passei por uma ótima: O cidadão insistia que Linux era maravilhoso perfeito e completamente a prova de invasões.

Tentei explicar que não existe sistema perfeito, que mesmo o BSD tem falhas, etc, etc, o cara não aceitou. Apontou pra máquina e disse: “Invade aí”.

Era uma instalação Linux antiga, com LILO. Na minha frente. Resetei, quando apareceu a solicitação do sistema a carregar, bastou digitar “Linux single”. Pronto, entra-se no modo de emergência, logado como root, sem senha. Mudei a password e fiz o sujeito implorar pelo acesso de volta a máquina.

Essa arrogância de “não serei invadido, sou espertão” de forma alguma é exclusiva dos freetards. Vejam a lista de passwords mais populares do MySpace, segundo uma pesquisa envolvendo 34.000 senhas, feita em 2006:

password1
abc123
myspace1
password

Só esqueceram a minha favorita, “*******” (só asteriscos) – sério, há gente “esperta” que usa isso.

Em tempos onde o passatempo de desocupados é invadir contas alheias, todo cuidado é pouco. Senhas curtas não funcionam mais, qualquer ataque de força bruta as derruba. A melhor lição que posso passar adiante é tirada direto de Jack Bauer: use uma senha tão complicada que nem você sabe.

Existem excelentes programas para gerenciamento de senhas, como KeePass, do Portable Apps ou o 1Password, para Macs. Eles se integram com seu navegador, que em geral também tem um bom sistema de armazenamento de senhas. Com isso você não precisa usar mais combinações de username/senha fáceis de lembrar como “brokeback”, a senha-padrão do Morróida.

Costumo usar senhas geradas pelo PCTools, que tem um excelente aplicativo online, dá inclusive a senha em versão fonética:

Password: 36duheS8a587A8UbucegUdUp3d&thUx2MAXuyUSwuP7-XaqedRE$EX9
Phonetics: Three –
Six – delta – uniform – hotel – echo – SIERRA – Eight – alpha – Five –
Eight – Seven – ALPHA – Eight – UNIFORM – bravo – uniform – charlie –
echo – golf – UNIFORM – delta – UNIFORM – papa – Three – delta –
Ampersand – tango – hotel – UNIFORM – x-ray – Two – MIKE – ALPHA –
X-RAY – uniform – yankee – UNIFORM – SIERRA – whiskey – uniform – PAPA
– Seven – Dash – X-RAY – alpha – quebec – echo – delta – ROMEO – ECHO –
Dollar – ECHO – X-RAY – Nine

Usando um gerenciador de senhas você só precisa se lembrar de UMA, e aí dá para ser algo muito, muito grande e difícil.

É prático? Não, mas enquanto não tivermos equipamentos de biometria realmente confiáveis e integrados aos nossos computadores celulares e quaquer outra coisa que acesse internet, ainda dependeremos de coisas arcaicas como senhas.

Paranóia? Talvez, mas Kissinger já dizia que mesmo os paranóicos têm inimigos.

Fonte: Ars Technica

emSegurança