Digital Drops Blog de Brinquedo

Microsoft e Linux Foundation, unidas?

Por em 20 de maio de 2009

A necessidade faz estranhos companheiros de cama,  assim como a tequila, mas nem toda a cachaça do mundo faria alguém imaginar algo como a imagem abaixo:

Isso mesmo: Uma carta conjunta (cuidado, PDF) da Microsoft e da Linux Foundation, ambas protestando contra o American Law Institute.

O motivo de tal união é que o instituto divulgou novas diretrizes instruindo seus membros sobre como interpretar contratos e licenças de software, sendo que tais diretrizes são, na opinião da Microsoft E da Linux Foundation, extremamente prejudiciais, tanto para o software comercial com licença fechada, quanto para o Open Source em geral.
Segundo a interpretação do ALI, o software vendido vem com a garantia implícita de que não há nenhuma falha, bug ou vicio, de conhecimento do fabricante. Também há uma exceção, software disponibilizado sem custo não possui tal garantia.
Isso geraria por exemplo responsabilidades completamente diferentes para um Ubuntu baixado e um Ubuntu comprado via CD da Canonical.

Principalmente, todo software comercial que use componentes open source teria parte coberta, parte não coberta pela garantia.

As partes consideram a interpretação “Vaga, excessiva e em desacordo com a Lei Vigente”.  A criação desse tipo de garantia implícita resultaria em enorme quantidade de processos, afetando não só as produtoras de software fechado como as Open Source.

As licenças existem, são várias.  Se um software não funciona, ele não vende. Simples assim. Quanto aos bugs, faz parte do jogo. Qualquer um que programou algo mais complexo do que bubble sort em Pascal na faculdade sabe que programas SÃO falhos.  Estamos constantemente atualizando e consertando, e matematicamente é impossível um programa complexo não ter bugs.

O processo do American Law Institute é uma das coisas mais fechadas que já vi, o próprio Jim Zemlin, Diretor-Executivo da Linux Foundation comentou isso em seu blog.  Daí a carta-aberta junto com a Microsoft.

Funcionará?

Pelo bem do Mercado, espero que sim.

Fonte: Ars Technica

emIndústria Linux Open-Source

E o GPS está indo pro brejo

Por em 20 de maio de 2009

Em 1978 foi lançado o primeiro satélite da rede de GPS – Global Positioning Satellite, da Força Aérea Americana. A idéia é manter em órbita uma constelação de 24 a 32 satélites, transmitindo continuamente sua posição. Através de geometria relativamente simples um receptor em terra, em contato com pelo menos dois satélites consegue determinar com precisão sua posição no Globo Terrestre.

Até 1983 o serviço era restrito aos militares, mas depois que os soviéticos derrubaram o vôo 007 da Korea Airlines, acusando-o de ser um vôo espião (com esse número, era óbvio) e invadir o espaço aéreo deles, o Presidente Ronald Reagan (isso mesmo, o ator) liberou o GPS para uso civil.

gps de pobre

Mesmo com uma degradação na precisão, hoje sabemos nossa posição com acurácia. No caso do Nokia E71, que nem é um aparelho dedicado de alto custo, consigo 5m de acurácia. Isso é mais que suficiente para acertar o Cafofo do Osama.

A parte ruim é que custa muito caro manter a estrutura dos satélites, o próximo upgrade, que já está atrasado, foi orçado em US$2 bilhões. O mundo inteiro que usa GPS, o mundo inteiro que teve sua vida modificada por essa tecnologia, não paga um centavo para usá-la. Não há licença, royalties, nada.

Já foram lançados 57 satélites, desde o início do programa. Hoje a constelação se resume a 31, com mais dois, obsoletos, de reserva. Os lançamentos programados para 2010-2011, 10 satélites, estão atrasados por falta de verba.

O bloco principal de satélites em órbita, o IIA foi lançado entre 1990 e 1997. São dezenove satélites, sendo que treze ainda funcionam. 12 anos é idade avançada não só para os gostos do Pedobear, mas para satélites também.

Há o medo que comecem a falhar em cascata, seguidos do outro bloco, o IIIR, lançado de 1997 a 2004, ainda com os 12 satélites funcionando.
A única proposta que não foi feita é que a sociedade civil, que utiliza o tempo todos os serviços, contribua para mantê-lo. Claro, nos EUA isso não faz sentido, mas o resto do mundo não paga Imposto de Renda pro Obama.

E aí? Valeria pagar um dólar por ano, para manter o GPS funcionando?

Para uma SENHORA aula sobre GPS, inclusive com toda a matemática envolvida, visite o artigo da Wikipedia original. Parar constatar o quanto a wikipedia em português é patética, visite o artigo correspondente na wiki-pt.

Fonte: PCWorld

emHardware

Onde nenhum merchandising jamais esteve

Por em 19 de maio de 2009

Em Star Trek, filme onde JJ Abrams ressucitou a falecida franquia temos algo muito raro e difícil de fazer em filmes de Ficção Científica: Product Placement, ou em português, merchandising. Filmes passados no futuro, na antiguidade ou em planetas alienígenas dificilmente permitem que alguém apareça comendo um pacote de Doritos. Uma rara exceção foi Inimigo Meu, onde latas futuristas de Pepsi apareceram no lixo.

Para enfiar um merchã em Star Trek só mesmo sendo a Nokia, que se especializou em cavar espaço em filmes da moda. Em Batman, Bruce Wayne tirava onda com seu 5800 (acho). Em Transformers não só um Nokia vira um Decepticon como ainda brincam com a idéia popular de que são japoneses.

No filme atual o Jovem James Kirk atende uma ligação durante uma corrida desenfreada com uma Corvette 66, usando um celular/iPhone/Tablet/whatever Nokia, touch screen tela total que um monte de gente está achando que é protótipo:

O toque é uma versão modernizada do toque clássico da Nokia, chamado de “Star Trek Nokia Futurize”. O melhor de tudo: Está disponível para download, no hotsite da Nokia para o filme:

O site mobile da Nokia? http://nokia.mobi. Mas calma, não clique ainda. Por causa de um maldito redirect, somos mandados para o site brasileiro, que claro, não tem nada, enquanto o Internacional está cheio de material do filme, animações, trailers pra baixar, o ringtone, etc.

Felizmente eles podem até achar que nós vivemos na selva e não temos meios de acessar esses sites, mas alguns de nós encostamos no Monolito, ficamos mais espertos. De seu celular visite: http://startrek.12dld.mobi

Pronto. Na parte de Services, na 2a página você encontrará o link para download do toque. Ou então peque aqui deste link mesmo.

Fonte: Symbian Smashpop

emCelular Mobile

Netbook Dell Mini 9 por R$2,20. Tentáculos grátis

Por em 18 de maio de 2009

O preço parece absurdamente baixo? Pois saiba que com a competição acirrada entre as operadoras de telefonia no Japão há netbooks não por 100¥ como o Dell, mas até por 1¥. Isso mesmo, um netbook por UM YEN, ou R$0,022. Se quiser um iPhone 8GB, também consegue por esse preço.

Qual o pulo do gato? Você tem que assinar um contrato de fidelização com as operadoras. No caso do Dell Mini como o da imagem abaixo:

As terríveis operadoras nipônicas, especificamente a Emobile irá vender esse Dell para você por 100 Yens exigindo em a assinatura de um plano de dados de 6000 Yens. Isso dá mais ou menos R$133,00 por mês.

O que você ganha? Tráfego ilimitado e velocidade de 7,2Mbits.

Com uma fidelização dessas eu caso de papel passado. Mesmo se aquela LINDA raposa do Firefox* não fizer parte do pacote.

Adoraria dizer “quando será que chegaremos a essas condições de competitividade aqui?” mas sendo realista, a resposta é “nunca”.

Fonte: Kirainet

*EU SEI, foxtards, que é um panda vermelho, mas o panda vermelho NÃO parece um panda, bicho por bicho lembra mais ou pedobear, então deixem a raposa em paz.

emIndústria Mercado

Confirmado: Celular virou bagunça

Por em 18 de maio de 2009

Usuários chatos de celulares possuem milhares de desculpas para não colocar os malditos em modo vibratório ou apenas desligá-los quando em cinemas, teatros, maternidades, salas de cirurgia e salas de desarmamento de bombas.

É uma briga perdida, que só consegue ser redimida raramente, com atitudes como a de Jô Soares, que puxou o celular da mão de um chato, no teatro, e começou a conversar com o sujeito do outro lado, falando o quanto o chato era, bem… chato.

Agora nem na Ala Oeste da Casa Branca, nem o centro de poder do hemisfério ocidental as regras de boa educação são mais respeitadas. Vejam o vídeo abaixo; o Secretário de Imprensa, Robert Gibs (não é um dos BeeGees) está falando, quando o celular de um dos jornalistas toca.

Ele reclama, pois não é a primeira nem a segunda, é a terceira vez. No final ele recolhe o celular do sujeito, como se fosse um professor primário dando aula para uma turma de alunos lentinhos.

Minutos depois, outro celular toca, e o sujeito levanta, preferindo atender a prestar atenção ao Secretário de Imprensa dos EUA. Isso só é admissível em duas situações: Se quem estava ligando era Barack Obama, ou a Megan Fox.

emCelular Planeta Sem Fio

Apple: A empresa mais altruísta do mundo

Por em 15 de maio de 2009

Neste momento Steve Jobs está a caminho de Estocolmo para receber o primeiro Prêmio Nobel da Paz antecipado. A justificativa da Academia de Ciências Sueca é que dadas as atitudes humanitárias e altruístas da Apple, o prêmio é inevitável.

Em um mundo competitivo e predador como o nosso, o que dizer de uma empresa que usa seus desenvolvedores, sua expertise para ajudar a concorrência? Duvidam? Vejam a manchete deste post da Info:

Viram? Isso se chama altruísmo. Ajude seus vizinhos. É lindo, e uma lágrima escorre por minha face neste momento.

Informações dizem que depois de consertar o Windows a Apple irá promover a paz no Oriente Médio, salvar todos os gatinhos abandonados e descobrir a cura do câncer, mas orientações da alta direção talvez alterem a ordem de prioridade dessas tarefas.

A explicação mundana do Carlos Machado é que ele estava escrevendo duas notas ao mesmo tempo e se confundiu. Improvável, eu faço isso o tempo todo e nunca me distrá-hummm… rosquinhas.

Nenhum dano feito, exceto a imagem do Windows 7, que agora passa a ser um sistema operacional que -pasmem- pode ter bugs. Quem quiser se divertir, pode ver os neuróticos dando piti nos comentários do artigo original, mas veja rápido, todos morrerão explodindo um aneuristma antes dos 16 anos de idade, se levarem a vida a sério assim.

Agradecimentos ao FantasmaAzul por ter postado essa pérola no Forum do MeioBit.

emApple e Mac

Por em 15 de maio de 2009

Neste momento Steve Jobs está a caminho de Estocolmo para receber o primeiro Prêmio Nobel da Paz antecipado. A justificativa da Academia de Ciências Sueca é que dadas as atitudes humanitárias e altruístas da Apple, o prêmio é inevitável.

Em um mundo competitivo e predador como o nosso, o que dizer de uma empresa que usa seus desenvolvedores, sua expertise para ajudar a concorrência? Duvidam? Vejam a manchete deste post da Info:

Viram? Isso se chama altruísmo. Ajude seus vizinhos. É lindo, e uma lágrima escorre por minha face neste momento.

Informações dizem que depois de consertar o Windows a Apple irá promover a paz no Oriente Médio, salvar todos os gatinhos abandonados e descobrir a cura do câncer, mas orientações da alta direção talvez alterem a ordem de prioridade dessas tarefas.

A explicação mundana do Carlos Machado é que ele estava escrevendo duas notas ao mesmo tempo e se confundiu. Improvável, eu faço isso o tempo todo e nunca me distrá-hummm… rosquinhas.

Nenhum dano feito, exceto a imagem do Windows 7, que agora passa a ser um sistema operacional que -pasmem- pode ter bugs. Quem quiser se divertir, pode ver os neuróticos dando piti nos comentários do artigo original, mas veja rápido, todos morrerão explodindo um aneuristma antes dos 16 anos de idade, se levarem a vida a sério assim.

Agradecimentos ao FantasmaAzul por ter postado essa pérola no Forum do MeioBit.

emApple e Mac