Digital Drops Blog de Brinquedo

A Morte da Indústria Fonográfica ao vivo e a cores

Por em 6 de julho de 2009

Um dos usos mais nobres e menos esperados do Twitter está sendo a divulgação de bandas. Não pelo velho spam, e nem pelo exemplo fracassado do MySpace, que no Brasil arregimentou 180.000 bandas, nenhuma aproveitável. O truque usado pelos novos e velhos músicos é simplesmente conviver com os outros usuários. Acaba-se com a obrigação de fã, cria-se uma relação pessoal e muita gente vai ouvir a música do cara não por ser o cara da banda, mas por ser o amigo do Twitter.

Sentiram a relação? Notaram a ausência de um elemento? Exato, não há gravadora aqui. O próprio músico pode fazer um pocket-pocket show via JustinTV como o Leo Jaime, subir vídeos pro YouTube por conta própria como o Ritchie, apenas bater papo e de vez em quando avisar sobre shows como a Mariana Belém, ou mesmo marcar saraus como o Tico Santa Cruz, dos Detonautas.

Aliás, é hoje, 6/7/09, 22h30min, Tico e Jorge Aragão no Justin TV. Se ele não for preso antes.

Motivo? Autopirataria. Em uma tentativa de quebrar o ainda existente esquemão do jabá, e dar acesso a seu material para as rádios pequenas, de interior, ele disponibiliza músicas do grupo para download, via twitter. Hoje mesmo liberou o download de “O Inferno São Os Outros”. O gesto gerou reação imediata:

Em meio a toda a revolta dos usuários contra a gravadora, surgiu uma voz dissonante mas esclarecedora, o sempre pertinente Maestro Billy. Em uma mensagem lembrou que embora Os Detonautas sejam detentores do direito autoral, a gravadora detém os direitos sobre a gravação, por ter arcado com os custos de produção. Mas ao mesmo tempo “Muita banda famosa por aí já disponibiliza pelo menos uma música gratuita pra galera baixar e ouvir antes”.

É justo. Eu não gostaria de investir US$300 milhões em um filme para ver o ator principal ir na TV e dizer “podem baixar”. So que não é o caso. Não foi liberado um CD inteiro. Foi liberada uma música de trabalho, que seria enviada de qualquer jeito pelas gravadoras para as rádios, programas, críticos, etc.

As mesmas rádios, programas, críticos e etc que podem ter acesso “em primeira mão”, independente de contatos, chantagens e favores, bastando apenas acompanhar o Tico no Twitter.

Perceberam onde entra o desespero da gravadora? Ela está sendo colocada de lado. De uma tacada não entra mais na distribuição e na divulgação. A venda final ainda não é amplamente eletrônica como nos EUA justamente por barreiras impostas pelas gravadoras moribundas.

Estamos vendo executivos arcaicos do alto de seus cabelos brancos atropelados por um mundo que não conhecem mas acham, em sua arrogância que conseguem deter. Teria sido a chance da indústria fonográfica se livrar de seus maus hábitos, se adaptar e prosperar, mas eles perderam esse bonde faz tempo, e Darwin é implacável.

Principalmente quando morde a própria mão que a alimenta, impedindo que uma banda divulgue o próprio trabalho, divulgação essa que inevitavelmente resulta em venda de discos.

O que acontecerá? Quem viver, verá. Exceto se você for um executivo de gravadora. No seu estado atual meu único conselho é “caminhe para a luz”.

emÁudio Vídeo Fotografia Internet Web 2.0

Um Windows que até Linuxeiro queria botar a mão

Por em 5 de julho de 2009

Não, não estou falando do WinBuntu, o Ubuntu da Microsoft na mente do estagiário da Microsoft do post anterior. Falo deste cosplay. Para quem não conhece, cosplay é uma bizarrice japonesa que como quase todas seria uma atividade recreativa normal e saudável, mas por lá é levada às raias da obsessão.

Em teoria cosplay seria fantasiar-se de um personagem de anime, tv, mangá, mas perderam a mão. Há idéias de cosplays tão bizarras que espantam até outros praticantes.Ou então idéias como essa da japinha Ayaka, que resolveu fantasiar-se de…Windows 2000.

Lembre-se, há toda uma série de desenhos com temática erotico-tecnológica onde japinhas seminuas têm partes do corpo substituídas por maquinário da Segunda Guerra, uma espécie de Transformers encontra Soldado Ryan encontra os Borgs. Então fantasiar-se de um sistema operacional nem é difícil. E até bem… Edificante.

 

win2000cosplay

No post original no Sankaku Complex há muitas, muitas outras fotos, algumas NSFW, então se estiver no trabalho, não clique. De resto, devo dizer que sem sombra de dúvida a japinha do Windows superou de longe a Diabinha do BSD.

emMiscelâneas

Estagiário da Dell anuncia o Microsoft Ubuntu

Por em 4 de julho de 2009

Existe um conceito jornalístico que é a CGTCR – Central Globo de Tirar o Fiofó da Reta. Você não deve nunca afirmar nada com certeza, mesmo que esteja justificado por fatos. Um bom texto jornalístico seria “Adolf Hitler, acusado de genocídio” e nunca “baixinho fiodazunha”.

Por isso não podemos assumir que esta página da Dell Inglesa, do netbook Dell Mini É um erro, somos obrigados a considerar hipóteses, como a desta descrição do Inspiron Mini 10v ser verdadeira:

Infelizmente nossos contatos na Microsoft estão todos fora, avisaram antecipadamente que no final de semana iriam participar de algo chamado VIDA. Não tenho muitos detalhes, parece ser sigla de algum evento, como TED, sei lá.

Enquanto isso, é sentar e ver os freetards se degladiarem acusando a Microsoft de roubar o Linux, bla bla bla.

via Twitter da Queroul

emLinux

Stallman alerta contra os perigos do C# no Debian

Por em 2 de julho de 2009

Se juntar Kim Jon Ill, Hugo Chavez, Evo Morales e Ahmadinejah em um liquidificador da Blendtec, filtrar a relevância e deixar secar o que sobrar, com certeza teremos Richard Stallman. A maioria dos sites publica suas declarações apenas pelo valor humorístico, como a brilhante “Liberdade não é liberdade de escolha“.

Agora o novo alvo do maior antipropagandista do Software Livre desde o GnuBabySealKiller 1.0 é o Mono, mais precisamente o C#.

A decisão do Ubuntu em manter o Mono, implementação Open Source do .Net, e do Debian, de incluir suporte a Mono e aplicações rodando no framework em sua versão 5.0, codinome “Lenny” caiu foi um banho de água fria no Fundador da Free Software Foundation.

Stallman acredita que o Mono é parte de um plano maligno da Microsoft, Fonte de Todo o Mal para destruir o Linux acrescentando-lhe funcionalidades.

Diz ele que o problema não são as aplicacões em si, mas o medo de que a Microsoft um dia exerça seus direitos de patentes sobre o C#.

Se a Microsoft fosse a única detentora de patentes do planeta, eu entenderia. Se o Mono não fosse Software Livre, reconhecido por TODOS os envolvidos sérios do Movimento, inclusive pelo pessoal do Debian, notórios “chatos”, eu entenderia.

Só não entendo a necessidade do Stallman de falar besteira, sem antes pesquisar 5 minutos em seu navegador web via email e descobrir que C# é um Padrão ISO / ECMA, e se é para ter medo da Microsoft por causa de patentes de um padrão ISO, temamos então o ODF também.

Fonte: Desktop Linux

emIndústria Linux Open-Source

Histeria do Dia: Apple promove pornografia infantil

Por em 2 de julho de 2009

Existe uma velha técnica de redação onde uma notícia sofre reducionismo E generalização até se tornar interessante. Exemplo: Um estudo mostrou que ouvir música muito alta com headphones é prejudicial. Como torná-la interessante? “Ipods Causam Surdez”. Lembro que quando vi isso, o texto SEQUER mencionava iPods.

O caso em questão neste artigo é semelhante. O Download Squad fala de pornografia infantil em aplicações aprovadas pela Apple, o Krapps.com fala de garotinhas de 15 anos nuas na App Store, a impressão que temos é que Steve Jobs deixou a Apple a cargo de uma comissão composta de Vladmir Nabokov, Roman Polansky e Jerry Lee Lewis.

O que aconteceu afinal: Alguém teve a brilhante idéia (leia de qualquer jeito, funciona com ou sem sarcasmo) de criar uma aplicação onde meninas subiriam fotos de si mesmas, outros usuários votariam e todos compartilhariam imagens bonitas, inocentes e Legais, tudo na Santa Paz do Senhor.

A quanto tempo você está na Internet? Entrou agora? Então conte comigo: 1… 2… 3… 4… pronto.. Você já tem tempo de casa suficiente para saber que NÃO DÁ CERTO.

Imediatamente o Beauty Meter começou a ser usado da forma planejada, exceto: não levaram em conta que garotinhas de 15 anos (ao menos as de hoje em dia, maldição) são exibicionistas, não têm qualquer problema em mostrar o corpo, e adoram elogios. Não é preciso um proverbial tarado seduzindo as pobres menininhas, fazendo-se de fã dos Jonas Brothers. Elas mostram sozinhas.

Assim, obviamente, no raiar do programa já acharam uma foto de uma menina de 15 anos, pelada no espelho, visão completa, mostrando de onde tudo começa até onde tudo se resolve.

Isso despertou a ira do pessoal que acha que a culpa é do aparelho, na lógica do corno que acha a mulher com o melhor amigo se agarrando no sofá, e vende o sofá. Curioso é não irem atrás das máquinas fotográficas digitais, afinal é com elas que surge a maior parte do material questionável online.

A Apple, como não quer muita confusão e essa coisa de mulher pelada nunca foi o forte da empresa anyway, removeu a aplicação. Curiosamente outras do mesmo estilo como a Pretty Shuffle, continuam no ar.

Conter pornografia na Internet sempre foi uma tarefa ingrata, mas agora na época do conteúdo gerado pelo usuário, eu diria que é impossível, mesmo com Leis tão draconianas como nos EUA, onde uma adolescente pode ser classificada como Criminosa Sexual e condenada por Pornografia Infantil por postar fotos de si mesma.

Por outro lado, quem acessa a aplicação com fins legítimos (é legítimo procurar fotos de garotinhas de 17 anos online?) corre risco de ser preso, pelos mesmos crimes do parágrafo anterior. Por mais que eu dê todo o apoio a adolescentes que queiram se desnudar para outros adolescentes, EU não tenho nada a ver com isso.

A criminalização da mídia, entretanto, não é a saída. O P2P já foi MUITO vilipendiado pela mídia, eMule hoje é considerado underground, ninguém sério distribúi conteúdo por lá. Exceto os seriamente pervertidos, claro. Mesmo Bit Torrent já sofre, não é toda empresa que disponibiliza conteúdo através dele.

O caso não é mais repressão; é impossível. É conscientização. Explicar para a menina que dali a uns 20 anos, quando ela for uma Juíza Promissora, ou candidata a alguma coisa, essas fotos VÃO aparecer. Não dá para retirar nada da Internet, da mesma forma que a remoção a Laser não fez ninguém esquecer que a Carolina Magalhães andava por aí com o nome do Marcos Mion tatuado.

Este post tem o

emApple e Mac Internet

O Ano do Bing vem aí?

Por em 2 de julho de 2009

A experiência da Microsoft em serviços de busca está longe de ser o sucesso absoluto que foi a campanha #forasarney no Twitter (ao menos segundo a Wikipedia). Na verdade podemos dizer que se dependesse de seu serviço de busca, a Microsoft estaria perdida. Haha.

Por outro lado a Microsoft não é brasileira mas também não desiste nunca, e como derrotar o Google é a ordem do dia (O Ano do Linux é só YEAR(NOW())+1, dá para esperar) continuam insistindo, quebrando a cara, aprendendo, melhorando. O resultado é o ainda assim inesperado crescimento do Bing, sua nova tentativa no reino dos Buscadores Que Não São Google.

O Bing é o que eu chamaria do Ubuntu dos buscadores. Tem personalidade, cara própria, é competente, e só não é mais usado por falta de hábito, mas substitui de forma decente, embora não 100% o concorrente.

Confesso, eu continuo usando o Google, principalmente por força do hábito, o que se torna até improdutivo, no caso de busca de imagens, onde o Bling é superior.

Talvez por isso o buscador da Microsoft, que em Abril teve média de 7,21% do marketshare em Junho subiu para 8,23%, com picos de 9,21%. Na última semana do mês a média era de 8,45%.

Três meses, quase 10% de marketshare? OK, o Bing não mudou a Internet como a conhecemos, da forma como o Opera Unite mudou (não mudou? Opera Unite, usa o Google, você descobre) mas parece que desta vez saíram do atoleiro, com uma base crescente de usuários, já logo dos curiosos que entraram para ver qual é e nunca mais voltaram.

Bem diferente da última tentativa, onde a Microsoft descobriu que nem pagando conseguiu gente para usar o Live Search.

Será que vem aí o Ano do Bing? Ou estará entre o Ano do Linux e o Ano do Hurd?

Fonte: Ars Technica

emInternet

Samsung lança celular com visão noturna

Por em 2 de julho de 2009

O SCH-W760, da Samsung, é um celular basicão para os padrões coreanos: MicroSD de até 8GB, tela de 2,8 polegadas AMOLED, sintonizador de TV, resolução WQVGA, 4 horas de conversação 360h de stand-by, câmera de 3MP, 3G HSDPA de 7,2Mbps, japinha not included.

O diferencial é que ele vem com uma câmera com capacidades de infravermelho/visão noturna.

Imagino (não vi mas conheço a cara-de-pau) que o racional do marketing (bom nome para um grupo de pagode) seja que o dispositivo funcione para videoconferências e transmissões em condições de baixa iluminação, ou documentação de eventos e flagrantes a qualquer hora do dia ou da noite, bla bla bla. Não interessa. O que interessa é que o recurso é muito bem-vindo, e espero que seja tornado padrão em todos os celulares.

Motivo? Sejamos realistas, visão noturna em celular serve para uma única e exclusiva coisa:

E o mundo é um lugar melhor com mais sextapes.

Fonte: Akihabara News

emCelular Mobile Resenha