Digital Drops Blog de Brinquedo

Piloto ou Gamer?

Por em 7 de outubro de 2009

Fly By Wire não é novidade, qualquer um com um Pálio mais moderno usa a mesma tecnologia, no acelerador. A grande mudança foi eliminar os grandes manches dos aviões de carreira e trocá-los por controles como os de caças (ou consoles).

No vídeo abaixo vemos o uso do joystick por um piloto de um A330-300, pousando em JFK (NY) durante um dia de ventos fortes. A velocidade com que ele faz correções é impressionante.

Fonte: NYCAviation

emHardware

Para a Mozilla o inimigo do meu inimigo é meu amigo mesmo sendo a Microsoft

Por em 30 de setembro de 2009

Embora no nível dos desenvolvedores haja amizade, lá no alto, no nível dos Carecas do Mal o bicho costuma pegar, na Guerra dos Browsers. Por muito tempo a Microsoft sequer tomou conhecimento da existência do Firefox, mas como ao contrário do Linux o negócio dela é dinheiro e não religião, hoje a raposa de fogo tem prioridade em Redmond, tudo 2.0 da Microsoft sai garantido com versão pro FF.

Já o resto, bem… digamos que Steve Ballmer chamou o Chrome e o Safari de “margem de erro”, e dadas suas proporções linuxianas nas estatísticas de acesso, pode até ser verdade.

Agora para complicar o Google soltou um plugin do Internet Explorer que cria uma aberração, monstruosidade do Internet Explorer com as entranhas do Chrome. O “Chrome Frame” foi duramente atacado. Em uma declaração a Microsoft disse:

“Dados os problemas de segurança com plugins em geral e com o Google Chrome em particular, o Chrome Frame rodando como plugin duplicou a área de ataque para malware e scripts maliciosos. Não é um risco que recomendamos a nossos amigos e familiares.”

Antes que alguém chame de FUD (se bem que o Register já chamou) entra mais um na história:

Mike Shaver, VP de desenvolvimento da Mozilla metralha, dizendo que isso só complica o modelo de segurança. Proteções embutidas no Internet Explorer deixarão de funcionar, gerenciamentos de riscos e controles de passwords por exemplo, quem assume? Estamos usando o Explorer OU o Chrome?

Esse tipo de modelo é o Pior de Dois Mundos, como achar uma sereia na banheira, onde a metade de baixo é peixe e a de cima também.

A postura do Firefox é a mais correta. Navegadores devem vencer por seus próprios méritos, como o Internet Explorer venceu, no seu tempo (chupa netscape) e o Firefox vem vencendo atualmente (chup-digo, morra, IE6) e o Opera vence na Europa (chupa competição, qualidade e mérito próprio).

Enfiar um plugin no Explorer para rodar o Chrome por baixo dos panos é algo bem próximo da má-fé. E não, não considero a extensão IETab do Firefox a mesma coisa.

Fonte: The Register

emInternet

MeioBit no II EWCLiPo

Por em 25 de setembro de 2009

Depois de um concurso mundial para escolher a pior sigla possível, foi criado o Encontro de Weblogs Científicos em Língua Portuguesa, que chega a sua segunda edição, neste final de semana em Arraial do Cabo, RJ.

O MeioBit sempre prestigiou a Ciência (o que é óbvio, todo blog Capricórnio com ascendente em Aquário tem essas tendências) e não deixará de estar por lá cobrindo tudo.

Na verdade iremos além. Eu fui convidado para fazer uma apresentação sobre profissionalização dos blogs, o que é uma honra.

Se possível farei cobertura aqui, no Flickr e via nosso Twitter Oficial.

emMiscelâneas

Novo Alvo da Democracia Chinesa: Twitpic

Por em 25 de setembro de 2009

Já diz o ditado, quem tem bambu tem medo, pergunte ao Sílvio Santos. Nos bons e velhos tempos da Guerra Fria até Stalin temia o Exército Chinês. Hoje o maior medo do chamado Perigo Amarelo é econômico. Embora a China possa em teoria bombardear seus inimigos, pode também comprá-los. Ou pior, parar de vender para eles.

Por isso temos tantos discursos em prol de Liberdade de Expressão na Internet mas oficialmente nenhum governo se manifesta em relação a China, mesmo sendo uma ditadura marketista-leninista que se mantém no poder usando e abusando do controle dos meios de informação.

São 1,3 bilhões de pessoas que ao contrário de você não podem acessar:

  • blogger.com
  • wordpress.com
  • Flickr (voltou recentemente)
  • Picasa
  • Facebook
  • YouTube
  • Twitter

A rigor a China se mantém ao largo de toda e qualquer grande ferramenta de comunicação online. Pior, funciona. Muita gente por lá nunca ouviu falar do massacre da Praça Tianamen, motivo aliás do último Grande Bloqueio, que junto aos 50 anos da Invasão do Tibet tornaram as Internets um tanto sensíveis, por aquelas áreas.

Dia 7 de Julho foi O Dia Que O Twitter Morreu na China. Culpa das revoltas em Xinjiang. Não só ele, aliás. O Governo Comunista descobriu os microblogs e tratou de bloquear não só o passarinho mas também o Fanfou, o JinWai e TaoTa, três serviços semelhantes locais. A maioria dos serviços de proxy também está bloqueada.

Agora, por causa de fotos relacionadas com o mesmo conflito, o Twitpic foi bloqueado também. Obviamente para não dar uma CARA aos “muçulmanos revoltosos”, evitando que vejamos apenas… gente, como neste e neste post de uma viagem que a Paula, nossa correspondente informal fez ao local dos conflitos.

Quando isso vai parar? Nunca. Os EUA precisam da China, a Europa precisa da China, EU preciso da DealExtreme. Não vou ser hipócrita propondo um boicote OU inocente supondo que com os bloqueios sendo contornados pela ala mais geek da juventude chinesa, a Revolução da Revolução está a caminho. A ausência de liberdade em escala global é um incômodo, mas a bebida e as baladas estão liberadas.

Não vai sair revolução enquanto tiver Funk Fever no Club ObiWan. Sim, a origem do nome é a que você está pensando.

Só vejo UMA alternativa a longo prazo: Seria países polticamente “corretos” como o Brasil investirem em tecnologia, otimização de processos, treinamento de mão-de-obra e oferecerem produtos comparáveis em qualidade E preço. Quando Made In Brazil for tão barato e bom quanto Made In China, SEM as violações de direitos humanos, adivinhe de onde o Presidente Gore comprará suas quinquilharias?

Fonte: Twitter da Corujinha

emArtigo Internet

Alguém tem o telefone do John Connor?

Por em 21 de setembro de 2009

Domingo, 13 de Setembro pode ser a data que marcou o início do fim da Humanidade nas mãos de nossas criações robóticas. O Apocalipse metálico, tantas vezes previsto na ficção se aproxima.

Desta vez tivemos sorte, mas não será sempre assim. Segundo a Força Aérea dos EUA o pior pesadelo dos defensores do uso de robôs nas forças armadas: Um MQ-9 Reaper, avião-robô não-tripulado, do tamanho de um pequeno jato executivo e armado até os dentes parou de responder aos comandos dos operadores.

Como o robô não possui dispositivos de auto-destruição, foi necessário mobilizar um caça, que fez o abate, eliminando a ameaça.

Não há relatos de que o Reaper tenha atacado alvos em terra durante seu período fora de controle, mas conhecendo computadores nada impedia que isso pudesse acontecer.

Hoje esses drones são peça essencial das forças armadas de diversos países. Os mais avançados, como o Reaper e o GlobalHawk falam direto com satélites militares, e podem ser operados do outro lado do mundo. Na verdade a maioria é. O sujeito pode trabalhar em horário comercial em Nevada, atacando alvos no Afeganistão.

O trabalho, claro, não é isso tudo, explodir terroristas é MUITO mais divertido em um XBox do que em um console de controle de um drone desses, que manda imagens monocromáticas, de baixa definição, poucos polígonos e quase nenhuma aceleração 3D. Os headshots ficam completamente sem-graça.

Com o aumento na sofisticação dos drones, dificilmente os abates serão tão simples. Embora não estejam sujeitos às 3 Leis da Robótica, os robôs de combate precisam necessariamente ser programados para autopreservação.

Um robô sem contato com a base automaticamente entraria em um modo de segurança, onde tentaria se proteger até retomar a conexão. informações vindas de transponders ou mesmo reconhecimento visual podem ser falsificadas, então o robô não poderia utilizá-las para reconhecer um alvo “amigo” sem ajuda externa.

Um avião travando no robô um radar de tiro seria sinal de intenção hostil (no caso, correta). O robô faria o básico, se defenderia.

Como robôs suportam manobras muito mais radicais que humanos, ele teria vantagem sobre o piloto que tentasse abatê-lo. A saída seria mandar um robô para exterminar o robô rebelde.

E todos sabemos onde isso vai parar.

Fonte: PopSci

emHardware

Harry Potter comprará a Microsoft

Por em 16 de setembro de 2009

O bruxinho camarada, amigo da bruxinha que era boa mas de menor e a gente não podia dizer está preparando uma aquisição que balançará o mercado mundial, comprando por um valor ainda não determinado calculado ou sequer chutado a Microsoft, gigante com braços espalhados nas mais variadas áreas, de ERP a entretenimento.

A aquisição trará profundas consequências para Hogwarts, que terá sua coleção de livros digitalizada e disponibilizada em Tablets mágicos rodando Windows. (onde está a magia? Ora, eles funcionam).

Foto da Hermione, porque
afinal quem liga pro Harry Potter?

Lorde Voldemort já foi comunicado de seu afastamento, Steve Ballmer já cumpre muito bem a função de criatura maligna poderosa e assustadora.

Quer dizer, essa é a versão que faz sentido da manchete HP comprará Microsoft, que saiu no Decision Report.

Se Donald Feinberg, chairman do Gartner Group e autor da afirmação estapafúrdia acima está certo, vamos ver a Hewlett-Packard comprando a Microsoft, o que fica complicado, levando-se em conta estes números de 2008:

Como alguém que tem:

HP:
Receita Total:
118 bilhões de dólares
Custo Operacional: 89 bilhões de dólares
Lucro Bruto: 28 bilhões de dólares

Compra alguém assim?

Microsoft:
Receital Total: 60 bilhões de dólares
Custo Operacional: 11 bilhões de dólares
Lucro Bruto: 49 bilhões de dólares

Só por mágica, diria eu, então minha previsão de qual HP comprará a Microsoft está certa.

emIndústria

Developers, Developers, Developers developando pro Zune HD

Por em 16 de setembro de 2009

ONTEM a Microsoft liberou o pacote XNA Game Studio 3.1 Zune Extensions. HOJE já começaram a pipocar as primeiras aplicações. Abaixo um teste feito por um usuário, uma aplicação de desenho com multitouch de pelo menos 4 pontos, uso do acelerômetro para apagar a imagem e cores.

Se há UM motivo para o sucesso do iPhone é o ecossistema de aplicações. Não adianta ser fácil de usar se não há o que usar. Pelo visto isso não será motivo de preocupação para o Zune HD, visto que a Microsoft vem por décadas mimando seus desenvolvedores, desde que Bill Gates descobriu que “pergunta no IRC” não é tão eficiente quanto “busca na MSDN”.

Apesar da idéia de ter um fígado 0Km muito me agradar, hoje é um daqueles dias que eu não gostaria de ser Steve Jobs.

Fonte: Inside the Circle

emÁudio Vídeo Fotografia Computação móvel