Digital Drops Blog de Brinquedo

Google vs Microsoft – Agora é Pessoal

Por em 15 de junho de 2010

Existem poucas comunidades mais unidas do que a de Segurança. Todos tem seus pontos de vista, seus empregadores mas quando bicho pega, sabem guardar segredos. Informações de alto nível circulam entre rivais, pois o consumidor, o usuário na ponto do processo, o alvo da falha de segurança é um só, por mais que seja cliente de várias empresas.

Por isso a comunidade fica em pé-de-guerra quando surge um herege como Tavis Ormandy. Ele é engenheiro do Google na Suíça, descobriu uma falha de segurança no Windows XP.

Ele fez o correto, avisou da existência da falha e comunicou a Microsoft.

Também fez o errado. Cinco dias depois publicou todas as informações e código-fonte do bug em uma mailing list de segurança. Segundo ele por causa da severidade do bug E porque a Microsoft iria “ignorar sua análise”.

Os poderes premonitórios de Tavis não o alertaram do feedback negativo. A Microsoft ficou MUITO irritada com a chantagem/facada, pois cinco dias é MUITO pouco tempo para a análise de um bug sério, muito menos para prover uma solução que seja testada e homologada nas N plataformas rodando XP existentes no mercado.

PIOR: O cidadão disponibilizou um hotfix temporário que NÃO FUNCIONA.

Como diz o Arnaldo, a Regra é Clara: Não se divulga problema sem a solução estar disponível. É entregar ouro a bandido. O bug poderia ser desconhecido, o cenário mais provável é que apenas Tavis o conhecesse. No momento em que ele se torna público, TODO script kid do planeta tem acesso a ele.

Se a moda pega empresas colocarão equipes para procurar bugs nos produtos concorrentes e divulgar imediatamente. Isso gerará uma onda de invasões e uma sensação de insegurança que não será bom para ninguém.

Fonte: Computer World

emGoogle Segurança

Linux cresce entre desenvolvedores Eclipse

Por em 14 de junho de 2010

Uma pesquisa da Fundação Eclipse mostra que entre 2007 e 2010 o Linux cresceu de 20% para 32,7% entre os sistemas operacionais utilizados pelos desenvolvedores. Ainda está longe dos 58,3% do Windows, mas já não é o banho de 73,8% que era em 2007.

Um dos culpados é provavelmente o Ubuntu, usando por mais de 18% dos desenvolvedores.

Outro crescimento interessante é o do Mac OSX, nesses três anos ele mais que dobrou. Será que o Eclipse já é uma alternativa viável de IDE na maçã? Ousaremos nós macusers trair o XCode?

A pesquisa Open Source Developer Report traz mais dados, como os SOs alvo das aplicações desenvolvidas. Nessa o Linux ganha:

Pela discrepância entre SOs de desenvolvimento/produção percebe-se que o mundo é bem mais multiplataforma do que imagina-se.

Fonte: Desktop Linux

emAndroid e Linux Meio Bit Open-Source Software

Lobista pede pena de morte pra piratas

Por em 14 de junho de 2010

Um dos motivos de termos Juízes no mundo de hoje é para que as Leis não sejam aplicadas de forma draconiana, para que haja uma interpretação e que atenuantes ou agravantes sejam levados em conta. Por isso um mesmo delito pode ter várias gradações, uma velhinha que baixa uma música através de uma busca do Google não pode ser tratada como o camelô que vende Tropa de Elite 5 ou Avatar uma semana antes do filme chegar no ar.

Mesmo o camelô entretanto está cometendo um crime contra propriedade, que nas mais materialistas e consumistas sociedades do planeta AINDA é um crime menor do que crimes contra a Vida.

Exceto na cabeça de Lobistas, como o ridículo Fran Nevrkla, Chairman e CEO daPhonographic Performance Ltd, uma associação de gravadoras no Reino Unido. Durante um discurso essa cavalgadura se saiu com a seguinte pérola:

“(…) Obrigado, David, obrigado por colocar alguns desses piratas atrás das grades. Eu sei que infelizmente pena capital foi abolida neste país uns 50 anos atrás, é triste, mas alguns anos atrás das grades provavelmente serão OK…”

A pirataria é um problema sério, mas não será resolvido com atitudes idiotas. Infelizmente os dois lados parecem preferir esse tipo de ação. Tenho nenhuma simpatia por gente que pirateia aplicações de US$0,99 do App Store, ou empresas que descaradamente desprezam alternativas Open Source em prol de versões pirateadas, por pura mesquinharia. Da mesma forma não aceito atitudes como a da indústria fonográfica, com sua histeria, ou a mídia impressa, chegando às raias do absurdo de querer proibir o Google de indexar seus sites ou mesmo semi-bloquear o CTRL+C, como faz O Globo Online.

Você vence um adversário se mostrando mais forte ou mais inteligente. Mais forte que a Internet eles não são. Mais inteligentes também não estão convencendo exatamente…

Fonte: BoingBoing

emFotografia Internet

Monitor USB. E só USB.

Por em 14 de junho de 2010

Já são razoavelmente comuns (e caros) adaptadores USB 2.0 para monitores. É uma tecnologia interessante, permite que você monte um painel de telas digno de um super-vilão sem investir numas daquelas ATIs com 12 saídas HDMI que custam todo o dinheiro do mundo.

Só que essas soluções, até pelos 480Mbits do USB 2.0 não apresentam grande performance. ATÉ AGORA!

Seus problemas acabaram! A 3M apresentou a tecnologia DisplayLink, usando USB 3.0 que com 5Gbits de banda é mais que suficiente para exibir o jogo mais fominha, e por falar em alimentação, a tecnologia utiliza a própria porta USB como fonte de energia.

Isso mesmo, o monitor não tem cabo de força, apenas dois conectores USB 3.0.

“Ah mas usa DUAS portas” Já ouviu falar de hub com alimentação?

Óbvio que o USB 3.0 não faz mágica, a 3M não entrou em detalhes sobre o chipset, mas dificilmente será algo topo de linha, até pelo limite da alimentação. Consome 8W, mas com certeza será suficiente para exibição de filmes HD e gráficos razoáveis.

Lembrando que o sonho de um mundo sem fio se esfacelou no dia em que inventaram o carregador, quanto menos fios melhor.

Fonte: Pocket Lint

emHardware Meio Bit

Adobe lança Air 2 – A Missão

Por em 13 de junho de 2010

Apesar da briga com a Apple e do péssimo estado do Flash enquanto plataforma a Adobe está longe de ser empresa de um produto só. O PDF (apesar de ser FDP ao contrário) é um padrão de facto, todo designer que se preza só usa o Illustrador e dizem até que o Gimp Killer deles vem bem na última versão.

Um produto onde era esperado bem menos qualidade é o Adobe Air, mas vem surpreendendo positivamente. É um runtime que em teoria funciona como uma sandbox multiplataforma, permitindo que aplicações rodem de forma consistente em vários sistemas operacionais, sem necessidade de reescrever código. Mais ou menos como o Java prometia, mas 10x mais bonito.

A performance não é nada estelar, mas ninguém está falando de Modern Warfare 3 em Adobe Air. As aplicações por sua vez são bem respeitáveis. Digo e repito que o melhor cliente desktop para Twitter é o Tweetdeck, feito em Air.

Agora a Adobe lançou a atualização para o Adobe Air 2, com promessa de mais versatilidade, robustez, velocidade, menos consumo de CPU e até menos 30% de consumo de RAM.

Será verdade ou eles tem um campo de distorção da realidade também? Vejamos, com o Tweetdeck rodando nas duas versões:

Adobe Air 1:

Adobe Air 2:

Senhoras e Senhores, ISTO É INCRÍVEL mas bate certinho, 30% a menos de consumo de memória!  Hoje é um dia especial no mundo da tecnologia, vimos uma afirmação de performance efetivamente comprovada!

O download do novo Adobe Air pode ser feito deste link aqui! Há versões para Mac, Windows e QUATRO para Linux, afinal você já é livre, ainda quer ser descomplicado?

emAndroid e Linux Apple e Mac Software

Amazon e o protocolo DPLDPC

Por em 13 de junho de 2010

Imagine a cena: você tem 1TB de dados para replicar em um datacenter em São Paulo. Sua empresa fica no Rio. Comofas\?

Se você for lentinho, digo, especial abrirá uma conexão FTP e subirá os dados para o servidor. Claro,  se sua empresa tiver um link de 10Mbits levará 13 dias para terminar o serviço, com consumo médio de 80% da banda.

A alternativa é copiar tudo em um HD, enfiar em um SEDEX e no dia seguinte pela manhã estará nas mãos capazes do pessoal do lado de lá. Qual o truputi?  1000GB (usando matemática de fabricante de HD) / 24 = 41GB/h Não há nada em termos de link comercial a preços razoáveis que dê esse tipo de velocidade. Ponto.

Mesmo dentro de empresas um HD portátil com porta eSata é ordens de magnitude mais rápido que uma rede local de 100Mbits, mas tendemos a desconsiderar essas soluções óbvias. Tanto que a maioria acha caro o preço que a Amazon cobra para transporte e importação de dados via dispositivos externos.

Os datacenters S3, o serviço Amazon de armazenamento de dados e servidores de alta performance já tem todo o processo otimizado. Usando a calculadora do site, um HD de 2TB do Brasil seria importado em 26h, com custo de $80 por HD, $64 pela transferência e $56 pelo frete de volta, totalizando US$201, pode parecer muito (não é) mas se você subir via link de 10Mbits levará 26 dias, e o custo da transferência ficará em $204, pela Amazon.

Portanto por mais estranho que pareça enfiar um sujeito num avião com um HD na mochila pode ser muito mais em conta em termos de agilidade, throughput e custo do que simplesmente transmitir os dados via link.

Mas vá explicar isso pro seu chefe…

emHardware Internet Telecom

A História de um iDiota, um iPad e muita iConha

Por em 13 de junho de 2010

Tudo começou quando um sujeito de 20 anos chapadão chamado Jacob Walker viu os comerciais da Apple, acreditando que o iPad era mágico como os cogumelos que costumava consumir.

Só que como todo emaconhado nosso amigo não era lá muito bem-sucedido, carecendo da grana necesária para adquirir o magnífico dispositivo. Após fumar um cigarrinho de artista para relaxar, Jacob pesou suas opções. Como trabalhar estava fora de cogitação, e ele já era loser demais até pra ser bandido, qual a alternativa? continue lendo

emApple e Mac