Digital Drops Blog de Brinquedo

“Ubuntu não é uma democracia”

Por em 21 de março de 2010

Na última semana um mimimi correu a Comunidade. Uma mudança no Ubuntu trouxe os botões da barra de título das janelas do lado direito para o lado esquerdo. Foi o suficiente para uma reação desproporcional, polêmica, dedo na cara, etc. Colocando o Gazumba* na mesa Mark Shuttleworth cortou o papo explicando por A+B a diferença entre comunidade e democratite.

*eu falo suahili

O texto é um primor, dá para ver que ele sabe realmente como tocar um projeto colaborativo desse tamanho, mantendo o foco na EMPRESA e no PRODUTO. A postura é a mesmo adotada por Linus Torvalds para o Kernel: Não é democracia, é meritocracia. Quer ser ouvido, não adianta piar, tem que mostrar primeiro que canta bonito.

 

mimimi12

Abaixo o texto onde Shuttleworth responde a um dos indignados manifestantes:

 

> Seria bem legal se este comentário tivesse sido feito algum tempo atrás,
>junto com uma profunda explicação das mudanças concretas que estão
>sendo pensadas. Deveríamos ser uma comunidade, todos usamos Ubuntu
>e contribuímos para ele, e merecemos algum respeito quanto a esse tipo
>de decisão. Todos fazemos o Ubuntu juntos, ou isso é uma grande mentira?

Todos fazemos o Ubuntu, mas nem todos fazemos todo ele. Em outras palavras, delegamos bem. Temos um time de kernel, e eles tomam decisões relativas ao kernel. Você não toma decisões sobre o kernel a menos que esteja no time do kernel.  Você pode reportar bugs e comentar, e participar, mas você não tem que ficar questionando as decisões deles. Nós temos um time de segurança. Eles tomam as decisões quanto a segurança. Você não vê um monte de coisas que eles vêem, a menos que faça parte do time. Nós temos processos que nos ajudam a garantir que estamos fazendo um bom trabalho delegando, mas ser uma comunidade aberta não é o mesmo que dizer que todo mundo tem voz em tudo.

Essa é a diferença entre Ubuntu e outras distros comunitárias. Pode parecer menos democrática mas é mais meritocrática, e o mais importante, significa que a: Devemos ter as melhores pessoas tomando cada decisão e b: É válido investir seu tempo para se tornar a melhor pessoa para tomar certas decisões, porque você deve ter essa competência reconhecida e recompensada, com a liberdade de tomar decisões difíceis sem ser questionado e interpelado o tempo todo.

É justo comentar que essa [os botões] foi uma grande mudança e chegou sem aviso. Não havia nenhuma boa razão para isso, mas também é verdade que nenhum aviso antecipado iria produzir consenso em uma decisão como essa.

 

>Se você quer nos dizer que somos parte [do Ubuntu], nós queremos
>informação, e queremos que nossa opinião seja decisiva.

 

Não. Isto não é uma democracia. Bom feedback, bons dados são bem-vindos, mas não vamos votar em decisões de design.

Mark

A postura mostra que a Canonical está no caminho certo,e Shuttleworth está assumindo o papel de LÍDER, não de mero chefe ou representante eleito. Será interessante ver o crescimento da empresa nos próximos anos, algo me diz que ele tem tudo para se tornar um dos grandes rostos à frente de empresas, como Gates, Jobs, Ellison e outros.

 

Fonte: Download Squad

emLinux Open-Source

Usando o corpo para transmitir dados, quase como os ThunderSmurfs

Por em 21 de março de 2010

A idéia de usar a capacidade do corpo humano para transmitir sinais elétricos não é nova. O Media Lab do MIT já tinha protótipos nessa área, mas eram voltados a aplicações específicas de baixa velocidade e poucos dados.

A estrutura humana é boa condutora, com muitos radicais livres, elétrons de bobeira e sais, mas nem de longe chega perto de um bom pedaço de Cobre. Mesmo assim com modulação correta e eletrodos sensíveis cientistas da Universidade da Coréia, em Seul conseguiram transmitir sinais no braço de um voluntário a uma velocidade de 10 Megabits e uma distância de 30cm.

eletrodos

O consumo de energia foi muito menor do que o utilizado em uma transmissão Bluetooth.

O segredo está nos eletrodos. Com espessura de 3 fios de cabelo e cobertos por um polímero de silício, não causam irritação na pele, ao contrário dos modelos antigos.

Agora os cientistas estão de olho em aplicações como monitores de glicose e batimentos cardíacos, pacientes podem ser equipados com diversos sensores, todos transmitindo via pele para uma unidade concentradora dedicada. Ela sim faria a conexão wireless com um servidor. A economia de energia é estimada em 90%, se comparada com sensores sensoreando e transmitindo wireless ao mesmo tempo.

Todo fã de ficção científica já imagina as aplicações, como o famigerado Tradutor Universal de Star Trek, que ninguém sabia onde enfiavam (não pergunte), mas os pesquisadores não estão vendo muito uso nessa área. Os dispositivos como celulares já utilizam o Bluetooth e similares, não há nenhum grande ganho real e um sistema desses não conseguiria se comunicar com seu celular na mochila.

 

Fonte: New Scientist

emCiência

Google para China: Game Over

Por em 19 de março de 2010

Acaba de sair no Twitter a informação, publicada pelo Economic Times: Google irá fechar seus negócios na China no dia 10 de Abril. A fonte é uma agência de publicidade chinesa.

Não se sabe se fecharão tudo ou apenas parte parte das operações. Porta-vozes da empresa não comentaram o assunto. Se a saída se concretizar infelizmente os maiores prejudicados serão os cidadãos chineses, que mal ou bem ainda tinha um Google para acessar.

De resto, não falaram nada se a saída em protesto contra as atitudes de censura e desrespeito às Leis por parte do Governo de Beijing incluem o cancelamento dos contratos com a HTC, fabricante do Nexus One.

 

byebyegoogle

emGoogle

Windows Phone 7 devidamente hackeado (no bom sentido)

Por em 19 de março de 2010

O emulador do Windows Phone 7, disponível no kit de desenvolvimento (gratuito) é restrito à aplicação que está sendo debugada, mas como na verdade é uma versão do WP7 rodando em uma máquina virtual, o mais provável é que o mínimo possível tenha sido mexido, até para garantir a estabilidade do software em condições reais.

Sabendo disso meio-mundo caiu em cima, e como bem disse o artigo no I Started Something, não era questão de SE, era questão de QUANDO.

wp7jailbreak

O quanto foi hoje. Um sujeito chamado Dan Ardelean modificou uma ROM do emulador,  com ela dá para acessar todas as áreas do sistema e fuçar no que já foi feito. Mas lembre-se, é uma versão pré-pré-pré-alfa do Windows Phone, não saia metralhando a Microsoft se tudo não estiver funcionando maravilhosamente bem.

PS: Será que a ROM acima dura até o nascer do Sol ou os advogados de Redmond abandonaram sua busca por brraaaaiiins e partiram para cima do blog distribuindo o arquivo questionável?

emCelular Mobile Software Software

Registro da marca Nexus One: NEGADO!

Por em 19 de março de 2010

Antigamente as empresas criavam os produtos, registravam os nomes, conseguiam os direitos e então lançavam tudo. Hoje não há mais tempo hábil NEM é viável registrar uma marca muito antes do lançamento, as informações são públicas. Se todo mundo soubesse que a Apple havia registrado iPhone, o impacto da 1a aparição pública seria muito reduzido.

O lado ruim é que podem ocorrer confitos, como iPhone, que era marca registrada da Cisco, e foi alegremente licenciada APÓS o lançamento do telefone da Apple, por uma quantia extorsiva.

notyoursTambém podem ocorrer casos como o Nexus One, do Google. Sò agora o processo de registro da marca chegou a seu fim, e para desespero da empresa de Mountain View, Nexus era uma marca registrada pela Integra Telecom, e no entendimento do Escritório de Patentes dos EUA haveria espaço para confusão por parte dos consumidores.

Pra piorar ainda estão sendo processado pelos herdeiros de Philip K. Dick,  um dos papas da Ficção Científica e autor do livro que foi adaptado para os cinemas com o título de Blade Runner.

A família não gostou de ver o Google ganhando dinheiro com um negócio chamando Android rodando em um troço chamado Nexus One.

Embora defenda o direito autoral e propriedade intelectual, não posso deixar de achar que os parentes do Philip K. Dick fumaram cigarrinho de artista. A menção mais antiga ao termo “Android” é de 1270, em 1863 já era usado com sentido de robôs mecânicos imitando humanos. (fonte: Wiki de verdade)

 

Será uma tentativa de faturar uns pacovás, como a LucasArts faturou da Motorola, ao licenciar o termo “Droid”?

Agora o Google tem um problema. Se mantiverem o nome, nada impede que a Integra Telecom processe. Se não processar, nada impede que alguma fábrica xing-ling lance seu próprio Nexus One, ou até um Nexus Two.

De quem é a culpa? De todo mundo. Nós consumidores não temos mais paciência, queremos tudo pra ontem e produtos seguem ciclos loucos de lançamento. Ninguém quer esperar 3 anos por um celular novo ou um Netbook realmente otimizado.

Em software ainda dá para se livrar colocando “Beta”, mas quem compraria um celular nas mesmas condições?

Fonte: Oregon Live

emCelular Mercado Mobile

Placa de vídeo para Supervilões

Por em 19 de março de 2010

Todo supervilão que se preza tem em seu quartel-general secreto, além de uma arma nuclear e uma masmorra tem uma sala de controle com uma parede cheia de monitores. Isso para nós, aspirantes a Senhores do Mal é complicado, dados os custos envolvidos. Mas calma, não se desespere ainda. Seus problemas acabaram!

A Radeon HD 5770 HD5770 Eyefinity 5 é uma placa de vídeo com DirectX 11, 1.2GHz de clock de memória, 4,8Gbps de “truputi”, 850MHz de clock de processador e 5 mini-display ports, capaz de gerar imagens Full HD em todas elas ao mesmo tempo.

Mais ainda, a belezinha funciona com a tecnologia CrossFire da ATI, então dependendo da sua placa-mãe pode ligar 2 em paralelo, comandando DEZ monitores simultaneamente.

Não há ainda informações de preço, mas que coça a mão, coça.

pradadomal

Fonte: Akihabara News

emComputadores Hardware

Servidor de Mídia WIFI e muito mais

Por em 19 de março de 2010

O nome do brinquedo é AirStash,está sendo vendido pelos sites como um drive USB wireless, mas a proposta é bem diferente. O que ele é na verdade é um servidor de mídia WIFI 802.11b/g, pensado para ser usado por iPhones, iPads e na prática qualquer dispositivo que tenha WIFI, um navegador Web e reproduza mídia.

A bateria tem autonomia de 5 horas (não sabemos se horas reais ou horas-Jobs) de streaming, ele é usado via USB para carga de energia e de dados. Os mesmos ficam em um cartão SDHC de até 32GB.

O funcionamento é extremamente simples, você aperta o botão, ele abre um Access Point, você se conecta, abre o navegador, escolhe o seu arquivo e pode visualizá-lo.

O custo é US$99,99, e é bem em conta, ainda mais se você lembrar que com um smartphone ou PC não consegue fazer a mesma coisa com tanta facilidade.

PS: Sim, muito provavelmente roda Linux.

 

 

Fonte: TechFresh

emHardware