Digital Drops Blog de Brinquedo

Testardum Quenumcam–Sony lançará leitor de eBooks com a saga de Harry Potter

Por em 17 de agosto de 2011 - 14 Comentários

mioneA saga de Tim Hunter Harry Potter rendeu bilhões de dólares, uma penca de filmes e conseguiu o raro feito de envelhecer (no bom sentido) personagens e leitores lado-a-lado.  Mesmo assim todas as coisas boas um dia chegam ao fim, e Harry Potter jogou o Anel de Voldemort no Monte Doom, ou algo assim.

Embora não seja mais hypada como antes, ainda é uma propriedade valiosíssima, ainda mais estando fora dos formatos eletrônicos.

Google está em negociações, Amazon está em negociações mas quem conseguiu sair na frente foi a… Sony.

Em Novembro lançarão a versão nova de seu leitor de ebooks, em um pacote especial pré-carregado com os sete livros da saga do pai do Albus Severus (spoiler alert).

Em Dezembro lançarão o mesmo pacote, acrescido de uma carta da J.K. Rowling, assinatura do Pottermore, o site esquisito da série, e uma bolsa temática.

A expectativa é que os fãs inveterados comprem DOIS leitores? Não duvido nada.

Há relatos de que os livros saiam em formato digital ainda em Outubro. Ainda não se sabe como isso afetará o planejamento da Sony, mas não acho que estejam preocupados, pois se em Hogwarts não se pode usar magia para criar dinheiro, aqui no mundo dos trouxas isso é o que o nome Harry Potter mais faz.

[atualização] A imagem é meramente ilustrativa, uma montagem com um leitor de ebooks da Sony -modelo atual, não o novo- e a edificante Mione. Não se sabe ainda como será o modelo novo.

Fonte: The Register

emComputação móvel

KinectFusion – O Futuro da Realidade Aumentada

Por em 17 de agosto de 2011 - 38 Comentários

Realidade aumentada é um brinquedo legal mas ainda não disse a que veio. É MUITO complicado deduzir geometrias bidimensionais quando você só tem um “olho” (a Leela que o diga). Uma paisagem e uma foto de uma paisagem para uma câmera são a mesma coisa. Daí a dificuldade de mapear gráficos sobre objetos reais complexos.

O Kinect é bem mais que uma câmera, e sua tecnologia de mapeamento volumétrico, giroscópios e acelerômetros pode ser usada para montar um modelo do mundo a sua volta. E mais: Em tempo real.

O vídeo acima é de um grupo da Microsoft Research. Eles começam mostrando como um Kinect pode ser usado para reconstruir um cenário, com precisão milimétrica. Aos poucos o vídeo vai se tornando mais sofisticado, ao ponto de partículas virtuais interagirem com os objetos “reais” e mapeamento em tempo real mudar cor e textura de objetos, enquanto manipulados por um cidadão.

Aplique isso a um daqueles óculos-monitores, dotando-os de giroscópios e acelerômetros e você tem pratiacamente um holodeck, podendo projetar avatares que interagirão com o ambiente físico, vistos em 1a pessoa, acabando com aquele efeito chato de “jogar na 3a pessoa” das aplicações em realidade aumentada de hoje.

Não me surpreenderei se o XBox 720 vier com uma solução dessas, as possibilidades são infinitas.

emGames Hardware Microsoft

Produto Mal-Pensado do Dia

Por em 16 de agosto de 2011 - 11 Comentários

LightWedge2_Alt1_Graphite_L

O nome desse negócio é LightWedge.  A princípio é uma idéia ótima: Uma placa de vidro ligada a um conjunto de LEDs. Os LEDs iluminam a placa, ela reflete a luz e ilumina uma página de um livro. Sem vazamentos, seu incomodar quem está do seu lado dormindo enquanto você lê.

O produto inclusive já está sendo vendido, custa US$49,99. Isso muito me assusta, pois é evidente que nenhum dos envolvidos tem qualquer intimidade com o hábito da leitura. Vejamos os principais problemas:

– O negócio pesa 200 gramas, é feito de VIDRO e não tem qualquer trava prendendo-o ao livro. Você estará segurando pela borda uma placa de vidro. Cuidado. E nem pense em deixar um pedaço pra fora e deitar em cima do livro.

– Quem projetou isso deve ler com velocidade de neandertal, qualquer leitor normal achará um porre ficar virando páginas E virando de posição a lanterninha.

– Por falar em posição, pense em livros grossos, perto do final. Você segurará uma placa de vidro e 20 páginas.

– Livros não são padronizados. Um negócio desses servirá para um subconjunto de seus livros, para outros ficará sobrando ou faltando. Ao contrário de uma lâmpada de leitura tradicional essa não ilumina de forma geral.

Fica complicado acreditar em um mundo que produz esse negócio e nega financiamento pra máquina de desentortar bananas.

Fonte: Techfresh

emHardware

Microsoft diz que não considera mais Linux uma ameaça. Linux responde: “é apenas um arranhão!”

Por em 16 de agosto de 2011 - 207 Comentários

HolyGrail020

Em um relatório oficial divulgado esta semana a Microsoft alterou uma parte estratégica de sua avaliação do Mercado e dos competidores. Manteve Apple e Google como concorrentes mas removeu o Linux da lista. Apesar de todo o hype, o Ano do Linux deixou até de ser YEAR(NOW())+1, e foi adiado indefinidamente.

Os dois grandes culpados foram o Windows XP e o Windows 7, duas versões que caíram no gosto popular e mesmo ensanduichando o Vista não perderam mercado para os Ubuntus da vida. Que o diga o gráfico do StatCounter:

Snap201

Do 3o Trimestre de 2008 até hoje o Linux conseguiu sair de 0,79% para 0,77% de participação no mercado desktop. Notem que com a migração natural para máquinas melhores a participação do Vista foi crescendo em 2009, até ser atropelado pelo Windows 7, que teve ascensão meteórica, se meteoros ascendessem. Nunca entendi essa expressão.

A notícia não agradou em nada os Linuxeiros, que começaram seu mimimi clássico dizendo que o Linux reina supremo nos supercomputadores, que a maior parte dos servidores Web são Linux, que Android é Linux, que roteadores rodam Linux, que a Mega Fox roda Linux, que o mercado desktop não é relevante, que o PC morreu, bla bla bla.

Tudo absolutamente verdade (exceto pela Megan Fox, acho), mas fica a pergunta: Se o Desktop é TÃO irrelevante assim, como a descrição do bug NÚMERO 1 do Ubuntu, e fonte de piadas e tapinhas nas costas da “cumunidade” é:

“Microsoft has a majority market share in the new desktop PC marketplace.
This is a bug, which Ubuntu is designed to fix.”

Pior, esse bug existe desde 2004. Sete anos e não consertaram? Parece até coisa da Microsoft…

emAndroid e Linux Microsoft Open-Source

Microsoft desiste de seu formato de eBook

Por em 16 de agosto de 2011 - 12 Comentários

microsoftebookDizem que não há nada mais frustrante do que ser o primeiro de seus amigos a comprar um videofone, mas pensando bem ser o sujeito que projeta o videofone é pior ainda. Tecnologias dependem também de fatores externos para dar certo, é preciso hora e lugar.

Quando a Microsoft lançou seu formato de eBook Microsoft Reader, no longínquo Ano 2000 não haviam Kindles, e-ink, iPads. Ebooks eram raros, caros chatos feios e bobos. Você lia essencialmente no computador (em seu monitor CRT, claro) ou em um notebook pesado. Se fosse rico, em um tablet da HP, daqueles com tela dobrada e tela sensível usando uma stylus.

Foi para essa realidade que o formato .lit foi pensado. Era facílimo marcar textos, acrescentar anotações, rabiscar desenhos. A qualidade da imagem também era excelente, com suporte a ClearType mesmo em equipamentos limitados como um Axim x51v ou um HTC Touch.

Só que não vingou. Nem o .lit nem nenhum outro formato. eBook era um conceito para o qual a tecnologia E o Mercado ainda não estavam prontos.

continue lendo

emComputação móvel Microsoft

Orfeu Chinês, mais macabro que o original

Por em 16 de agosto de 2011 - 10 Comentários

Segundo a tradição religiosa grega arcaica Orfeu era filho de Apolo e Calíope, e o maior dos músicos e poetas. Sua voz era irresistível, sua música hipnótica. As canções de Orfeus encantavam homens e animais, faziam árvores e pedras dançarem, mudavam o curso de rios. Quando Jasão e seus Argonautas enfrentaram as sereias, que quase acabaram com Ulisses, Orfeus cantou, mais belo e mais alto, enfeitiçando as feiticeiras do mar.

Depois de ir ao Submundo atrás de sua amada esposa falecida, e falhando no último momento Orfeus viveu triste e solitário até ser estraçalhado pelas Bacantes. Uns dizem que por tê-las feito chorar com sua música. Mas isso não lhe garantiu descanso. Orfeus havia ofendido Plutão, Senhor do Submundo. Foi-lhe negado o direito de morrer. Assim a cabeça de Orfeus vagou pelo Mediterrâneo indo parar na Ilha de Lesbos, onde foi enterrada mas continua cantando seu amor perdido.

A idéia de uma cabeça arrancada cantando por si só é sinistra, mas Orfeus ainda tem a desculpa de ter sido atacado por deusas. Esse pessoal da China não pode dizer o mesmo.

A tecnologia deles em si é muito legal: Um conjunto de webcam e software de ultima geração escaneiam uma partitura. Um sintetizador entende a notação musical, e toca a música exibida –o que já é legal- ao mesmo tempo em que um software de OCR isola a letra da música. Essa informação é passada para um sintetizador de voz e o resultado é um computador que recebe uma partitura e entrega uma música tocada e cantada, no tom e ritmo corretos.

Aí eu pergunto: Algo tão legal, um avanço visível na longa estrada em busca da inteligência artificial, uma capacidade além das habilidades de 99% dos humanos…

Precisavam ter colocado essa cabeça HORRENDA?

Fonte: Geekologie

emCiência Hardware

Caneta-McGyver

Por em 16 de agosto de 2011 - 14 Comentários

Quando era criança ganhei –não lembro de quem- uma caneta com um estilete. Era meu maior segredo. Só os amigos mais próximos no colégio sabiam de sua existência. O negócio era afiado pra caramba, super-pontudo e hoje vejo que era mal-intencionado, mas eu tinha noção da encrenca e nunca o desembainhei em combate.

Sempre fui fascinado por canetas multi-uso. Antes do Palm e canetas com stylus já colecionava canetas com lapiseiras, canetas de 2, às vezes 4 cores e invejava quem tinha pais que viajavam pra fora e traziam canetas com 6, 8 e 10 cores.

Por isso comprei uma daquelas “canetas-espiãs” da DealExtreme –e nunca usei, nem pra resenhar- e fiquei desejando este brinquedo aqui:

canetageek

Como você pode ver não é nada demais, apenas uma caneta com um nível, uma régua e uma chave de fenda / philips. Só que é o tipo de recurso que salva vidas (ou pelo menos resolve problemas). Daria um bom presente pra um monte de gente que conheço, inclusive eu mesmo.

Quem gosta de desmontar os brinquedos para aprender como funcionam descobre logo que faca de cozinha não é bom substituto para uma chave de fenda, ainda mais os parafusos menores. Um bom ferramental é essencial para o fuçador moderno.

Opções de canetas, claro, não faltam. Também há canetas-microscópio, canetas com detector de WIFI, Caneta com MP3 e gravador de voz e até caneta pendrive. Na minha coleção tenho uma caneta-lanterna, com laser. Tudo fica melhor com lasers!

A caneta-chave de fenda ainda está cara, custa US$14,95, mas é só esperar e aparecerá por quase nada nos melhores camelôs do ramo.

emHardware