Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

NVIDIA/TEGRA: Linux? Não, obrigado. Queremos Windows CE

Por em 22 de junho de 2009

Em uma decisão que vai deixar muita gente irritada entre os quase 1% de usuários Linux, a Nvidia decidiu adotar o Windows CE como sistema operacional de seus netbooks Tegra.

A Tegra é uma solução de único chip englobando CPU, GPU, memória, barramentos, etc. É baseada no processador ARM, feita para ter baixo consumo e alta performance, uma das características é suportar no mínimo execução de vídeo HD 720p.

O Zune HD, que vem por aí é baseado no Tegra, e os netbooks virão a reboque.

A decisão de usar o CE não foi capricho. A Nvidia chegou a produzir um port do Android para a plataforma, mas considerou que o sistema tem muitas limitações, ainda não está pronto para o Netbook. Outras soluções como Linux até possuem port para ARM, mas versão 7, sem otimização para o ARM11, base do Tegra.

O GRANDE calcanhar de aquiles do Windows CE é a parte de navegação. O Internet Explorer Mobile é o responsável único pelo traço de IBOPE que é a presença da Microsoft na Web Mobile. Não desejo o Explorer Mobile nem para o Stallman. Eu prefiro usar o HURD do que o Explorer Mobile.

Felizmente a Nvidia fez um acordo com a Opera para produzirem uma versão otimizada de seu excelente navegador que muita gente usa (no mundo mobile) e para não ficarem presos a uma única solução, apresentaram uma versão do Firefox 3.5 compilada para a plataforma.

A Nvidia está apostando muito, mas as exigências dos consumidores apontam justamente para essa direção. Muita performance na área de multimídia. O ponto questionável, a plataforma ser Windows CE e não Windows Windows PODE se tornar fonte de frustração. Há uma alternativa, entretanto: Seguir os passos da Apple, criar uma loja online concentrando aplicações, gratuitas ou não.

A diferença é que o consumidor de netbooks quer programas iguais ou semelhantes aos que utiliza no desktop. 400 aplicações de flatulência, como no iPhone, não são atraentes.

Irão conseguir? Bem, em termos de eye candy, a solução Microsoft tem tudo para dar certo. Perceberam, depois de séculos que a interface do Windows Mobile é… chata. Feia. Lembra Windows 95, com muita boa vontade. Portanto vão desconsiderá-la e usar uma interface baseada em Silverlight. Vantagem? Integração com o SO, performance, gráfica muito decente e grande posibilidade de customização.

Mesmo assim, é melhor que esperemos o Zune HD. O cemitério está cheio de produtos tecnologicamente avançados, mortos antes de sua hora por marketing ruim, falta de aplicativos ou mesmo por falta de entendimento do público.

Fonte: Ars Technica

emHardware Indústria Mobile Opinião

QuickOffice 6 digrátis para Nokias Série E. Corr-digo, atualizem

Por em 21 de junho de 2009

Desde os tempos em que a Palm era relevante o QuickOffice já era uma das suites de aplicativos mais populares em dispositivos mobile. A ponto da Nokia disponibilizá-lo em algumas linhas de smartphones.

No meu E71 veio a versão 4.1.35, que já atendia perfeitamente, mas a versão 6.0 está matadora. Vejam o que traz de novidades:

  • Contador de palavras
  • Suporte a arquivos XML no formato MS Word 2007
  • Suporte a PNG transparente
  • Preserva completamente a formatação original dos arquivos (chupa, OpenOffice)
  • Corretor ortográfico (não em português, chupa, Nokia)
  • Suporte a arquivos XML no formato Excel 2007
  • +130 funções e fórmulas
  • Suporte a arquivos ZIP
  • Integração com Adobe Reader LE

E mais um monte de outras funções. Quanto isso vai custar? Poderia ser US$39,00.Mas calma, por 24 horas esse maravilhoso programa pode ser seu por US$19,00.

Não está bom o bastante? Então pegue seu Nokia serie E, abra o QuickOffice, chame a opção “Updates&Upgrades” e procure pela versão nova. Ela estará lá, só para você, totalmente de graça. Isso mesmo, é só baixar.

Dá para não gostar da Nokia?

emCelular Mobile Software Software

Resenha: Netbook Asus EeePC 1000HA

Por em 20 de junho de 2009

Se algo de bom surgiu do projeto do OLPC foi a percepção de que havia um mercado para computadores de baixo custo, baixa performance e alta portabilidade. Infelizmente o Mercado às vezes é implacável, destruindo e adaptando conceitos. O mesmo público que propiciou a criação de netbooks como o primeiro Eee PC começou a rejeitar máquinas limitadas, e a exigir se não performance, pelo menos uma ambientação idêntica ao computador que tinham em casa.

O Asus EeePC 1000HA deste artigo é fruto disso tudo. A performance é de um notebook de baixa potência, mas os recursos são melhores do que o desktop de muita gente. O tamanho mesmo ainda é minúsculo, mas bem menos minúsculo do que as primeiras versões. A própria tela de 10 polegadas não dá a impressão de ser pequena. O que não impede de existirem netbooks com tela de 11, 12 e até gente prometendo 13 polegadas.

eee1

 

Tirando da Caixa

O Asus 1000HA vem em uma caixa bem melhor do que a maioria dos notebooks.Minha irmã comprou um Dell e parecia que tinha encomendado bacalhau. Uma caixa de papelão, sem alma. O Eee não é nem de longe um Apple, mas a embalagem é bem mais “comercial”:

eee2

Dentro da caixa, temos:

  • 343 manuais e folhetos
  • CD com drivers
  • O Eee
  • Capa de proteção
  • Bateria
  • Fonte

Só isso. Parece pouco mas ainda assim é muita tralha:

eee3

A bateria é um trambolho de 6 células que promete teóricas 7 horas de autonomia. A Asus conseguiu transformar essa granada de mão em algo útil;a bateria ajuda a elevar a traseira do Eee, colocando-o em um suave ângulo, que facilita a digitação.

A fonte é igualmente pequena. Não faz feio nem diante da fonte do Macbook, e humilha a maioria dos notebooks de verdade. Vejamos uma comparação do tamanho do Eee PC 1000 HA:

eee4

Como podemos ver ele desaparece diante de um maço de cigarros ou um HD normal. Mas e a tela?

eee5

A resolução de 1024×600 é bem mais confortável do que eu imaginava. Sim, fazemos mais scroll, mas não é nenhum horror. A largura acomoda a maioria dos layouts. Há botões de hardware que mudam a resolução para  800×600, 1024×768, 1024×768 comprimida (sem scroll) e os 1024×600 nativos.

O teclado:

eee6

Não é melhor teclado de netbook que já mexi. Essa posição é do insuperável teclado do HP Mini. Mas também não é o pior. Eu tenho ossos largos, então minhas patas de Shrek não se dão bem com teclados pequenos. O do 1000HA está no limite.

Em compensação as funções extras estão muito bem definidas, é possível desativar WIFI, chamar o Task Manager, selecionar monitores e até mudar as características de performance da máquina, só com as funções do teclado.

A acentuação também não é esotérica.US International, como Jeová queria que fosse.

Na parte de conexões, há poucas surpresas. Vamos a uma geral:

eee7 

Na traseira, nada. Não tem jogo. É quase toda tomada pela bateria. A ação terá que ser toda de ladinho:

eee8

No lado esquerdo, temos uma porta de cadeado, uma conexão RJ45 de rede, uma porta USB 2.0 e entradas de microfone/fone de ouvido.

eee9

No lado direito, um leitor de cartão SD(HC), duas portas USB, uma VGA e a conexão de força.

No painel frontal, a webcam de 1,3Megapixels e um array de 2 microfones, para videoconferências.

eee10

Na parte de baixo apenas dois parafusos separam o usuário do HD e da memória. Um chimpanzé treinado trocaria a memória em menos de 1 minuto. Pelo visto a Asus tinha facilidade de acesso em mente. Chupa, Apple, e seus macbooks novos onde até a bateria é interna agora.

O Eee na mão, no colo, na mochila, é muito, muito pequeno. Parece o Laptop da Barbie. Já comparado friamente, não parece pequeno assim. Na espessura, por exemplo, ele perde feio para o Macbook:

eee11

A culpa é da bunda. Sem essa traseira inconveniente, ele seria o fino que satisfaz. Se bem que se ele fosse mais leve e fino, correria o risco de ser levado pelo vento. E não, não estou exagerando.

Performance

eee12        

Sejamos realistas: Um netbook não foi feito para rodar Crysis. A gente só chama o chipset dele de 3D para não magoar a Intel, e os processadores Atom foram projetados pensando em consumo, não em performance. Não dá pra querer performance de um Alienware com preço de banana.

Eu conseguir rodar,com performance jogável, Battlefield 1942 e suas variantes, mas nem me animei a instalar qualquer coisa mais potente. Seria decepcionante E injusto, pois nunca foi essa a finalidade do netbook.

Já no que não exige processador Top e placas de vídeo parrudas, o bichinho funciona muito bem. Navegação, execução de vídeos em Tela Cheia, mesmo acessados via WIFI. O Windows Live Writer também funciona muito bem, e o único gargalo detectado foi o Firefox, rodando aplicações javascript pesadas, como Google Reader. Uma mudança para o Chrome resolveu completamente o problema.

Software

O Eee PC 1000HA vem com uma instalação do Windows XP Home, sem nenhuma grande otimização para netbooks, pronta para usar.O bloatware é reduzido, constando basicamente de uma instalação de testes do Office 2007 e algumas coisas da Norton, devidamente removidas. No pacote vem o Microsoft Works, uma mini-suite Office tão limitada e desatualizada que a interface é idêntica ao OpenOffice.

Também ganha-se um ano grátis do Eee Storage, um serviço online de armazenamento de arquivos, que a Asus tem a cara-de-pau de incluir como capacidade do Netbook, que passa de 160GB de HD para 170GB de armazenamento: 160 no HD, 10 online.

Autonomia

Assim como Steve Jobs tem um campo de distorção da realidade, marketeiros de tecnologia também dispõe de um. Por isso chegam ao cúmulo de colar um adesivo na máquina, dizendo que esta tem até 7 horas de autonomia, em um conceito fictício chamado de All Day Computing. Isso significa que se você não usar WIFI, não acessar rede, não fizer nada que faça o HD girar, colocar o brilho no mínimo, nem sonhar em passar filmes e tentar ao máximo não tocar no teclado, em teoria o computador funcionará por 7 horas seguidas.

Na prática essas 7 horas/marketing se transformam em 4 horas reais, ou mexendo nas configurações de performance, umas 5 horas.

Alguma coisa a Asus aprendeu com a Apple.

Utilidade

Eu estava atrás de um netbook faz tempo. Infelizmente a condição de blogueiro exige que usemos máquinas mais potentes, precisamos editar fotos, montar posts, fazer edição de vídeos, transmissões ao vivo via streaming, e um netbook básico não atende. Nem rodando o Opera, o Chuck Norris dos navegadores, que dizem fazer tudo isso.

Como 1000HA ganhei em autonomia, portabilidade e posso andar mais tranquilo, sem ter que andar pelas ruas com um Macbook na mochila. Até agora o único “problema” detectado é a falta de costume com o teclado, mas como este texto atesta, já está sendo superado, visto que o escrevi todo no netbook.

Conclusão

O Asus Eee PC 1000HA não é um notebook. Nunca tentou ser. Ele é um computador para necessidades específicas, focando em portabilidade. Não é para se tornar seu computador principal, mas para substituí-lo em viagens, ou no sofá. O som é bomo suficiente para encher uma sala, e é muito gostoso ver filmes com ele no peito, ainda mais no inverno,é quentinho. O acabamento é bom, melhor do que qualquer coisa xing-ling que estamos acostumados, embora fique claro que os designers da Asus não arrumariam emprego na Apple.

O 1000HA foi feito para ser pé-de-boi, não tem pretensões de design,não quer ganhar concursos de beleza. Tudo bem, eu também não. Valeu o investimento? Com certeza, encaixou-se certinho entre a minha necessidade e meu orçamento.

 

Dados Técnicos

Modelo: Asus EeePC 1000HA

  • Sistema Operacional: Windows XP Home
  • Memória: 1GB (expandido para 2GB)
  • HD: 160GB
  • Processador: Intel Atom N270
  • Clock:1,6GHz
  • Slot SD(HC)
  • 3 USBs 2.0
  • 1 VGA
  • WIFI 802.11b/g
  • Ethernet 10/100
  • Webcam 1.3Megapixels
  • Bateria de 6 células, 6600mAh, 7 horas/marketing
  • Peso: 1,3Kg
  • Dimensões: 26,67cm x 19,05cm x 3,81cm
  • Preço: US$339,99 ou R$1250,00 no Brasil
emDestaque Hardware

E na bunada, Prefeito Kukulski?

Por em 20 de junho de 2009

Com um nome desses dá para entender de onde a administração municipal da cidade de Bozeman, Montana, tira suas idéias.

Ninguém em são consciência defende que a Internet é Terra de Ninguém, sua presença online pode e VAI afetar sua vida no mundo físico. Uma sextape com a Megan Fox com certeza faria com que surgissem muitas ofertas de emprego, programas de TV, Etc. Da mesma forma participar de comunidades “Odeio nordestino/negros/judeus/gays” e não querer ser julgado por isso não faz sentido.

Entretanto, há um limite. Privacidade AINDA é privacidade, exceto em Bozeman.

Nesse fim de mundo a Administração Municipal disponibilizou um formulário online para quem quiser se candidatar a vagas:

No texto completo, o candidato assina uma autorização para não só realizarem uma busca online de antecedentes (o que é válido) como é obrigado a entregar todas as senhas/usernames dos sites que frequenta.

Como assim, Bial?

Imagine a situação: Você vai fazer uma entrevista de emprego, o sujeito do RH pede seu notebook e começa a fuçar. Isso é MENOS inadmissível do que entregar toda sua vida online PRIVADA para um burocrata anônimo via um formulário.

Dizem que o Poder corrompe, mas pelo visto o Poder Burocrático emburrece.

Via Consumerist

emInternet

Dell distribúi 50.000 downloads de música. Corrão!

Por em 19 de junho de 2009

A boa notícia é que não tem Créu. A má notícia é que CLARO não funciona no Firefox, por pura preguiça, já que não há nenhuma magia ou sortilégio, é um simples download.

A excelente notícia é que apesar dos termos de uso assustadores, anunciando coisas como “a iMusica inclua componentes de segurança para proteger as informações disponíveis em nosso portal.”, nada é instalado e o Download é um MP3, sem DRM, do jeito que o diabo e 98% da população do planeta exceto o Stallman gostam.

As músicas disponíveis:

Eu ia baixar o Hino do Ballmer, mas preferi o Zeca Pagodinho mesmo. Se interessar, é simples: Visite este link, preencha os dados, coloque um email válido e clique no link que receberá em sua caixa-postal. Rápido, são só 50.000.

emÁudio Vídeo Fotografia Internet

Se a Microsoft é Malvada a Sun é o quê?

Por em 19 de junho de 2009

Todo ano alguém redescobre que uma atualização do .Net da Microsoft instala uma extensão do Firefox sem consentimento ou conhecimento do usuário. A chiadeira é geral, um monte de sites fazem denúncias, xingam Bill Gates de tudo que é nome, bla bla bla. Aí no ano seguinte o ciclo se repete.

Qual o termo técnico para instalar uma extensão sem aviso explícito? Sacanagem. Qual o termo técnico para instalar uma extensão sem aviso explícito e SEM opção de desintalação? Não posso dizer, a Fabiane é dimenor.

Então o que é uma empresa que faz algo assim? Eu diria que é a mesma coisa que a Sun. Reparem no que apareceu no meu Firefox:

Essa desgraça se chama Java Quick Starter e funciona como um vírus, ocupando memória inutilmente, periodicamente carregando em memória até 20MB de arquivos inúteis do java, na esperança de que eu porventura entre em alguma página obsoleta que ainda use applets. Aí aqueles 20MB que seriam melhor utilizados pelo sistema, e estavam alocados para o Java, tornariam, em teoria, a carga da Applet mais rápida.

Da mesma forma que a extensão da Microsoft, essa Java Quick Starter não pode ser desinstalada pelo painel do Firefox.

De quem é a culpa? Do Firefox, é claro. Se você deixa suas crianças sozinhas em casa com um kit de carimbos e tinta guache, não quer voltar e encontrar até o cachorro pintado? Programadores irão usar e abusar dos recursos disponíveis. A possibilidade de um programa que não pode ser (facilmente) desinstalado é tentadora demais.

O modelo de extensão do Firefox é furado. Não há uma sandbox real, extensões brigam entre si e afetam umas às outras. Provavelmente o discurso neurótico de “liberdade” tenha afetado decisões gerenciais a princípio antipáticas, mas que são a base de um sistema ESTÁVEL.

Não vemos esse tipo de situação em Addons e Plugins do Opera ou do Internet Explorer, e dificilmente veremos no Chrome.

Está na hora do Firefox dar uma limpa, bater pé firme e definir limites claros para o que uma extensão pode ou não pode fazer, e principalmente conter os abusos. Uma extensão que propositalmente quebre a interface e bloqueie a própria desinstalação deveria ser banida. Seja da Microsoft, da Sun ou até mesmo do Mário. (vai, pergunta!)

emInternet

Nokia Mobile Web Server

Por em 18 de junho de 2009

Quando a Opera Software lançou seu produto revolucionário que iria mudar a Web (não mudou) fiquei com uma impressão de “mais do mesmo”. Não só por ser uma solução em busca de um problema, mas por já ter visto idéias semelhantes melhor implementadas. Em alguns casos, implementações bem mais ousadas, como o Nokia Mobile Web Server.

A idéia é a mesma do Unite, embora já exista a um bom tempo. (não que isso impeça os Operatards de dizerem que a Nokia utilizou uma anomalia espaço-temporal para copiar o Opera. TUDO foi criado pelo Opera).

 

Screenshot0114

É um webserver rodando no seu celular Symbian. Melhor ainda: é um webserver rodando no seu celular Symbian com direito a Python (chupa, Opera) e um set completo de aplicações, integrando com os dados do celular.

Picture 13 É possível definir usuários, níveis de acesso, regular quais informações serão disponibilizadas, qual o tipo de conexão a utilizar, limite de tráfego, limite de bateria, acessar a agenda, etc, etc e mais etc.

Picture 15

Na opção de Galeria de Imagens, acessamos os arquivos direto do telefone. Você pode criar galerias, definir que somente as da memória principal serão disponibilizadas, ou as do cartão.

Vejamos as principais ferramentas que o Nokia Web Server disponibiliza, direto de seu celular:

  • Blog
  • Acesso a câmera
  • Galeria de Imagens
  • Guestbook
  • Ferramenta de contato
  • Presença (infos de bateria, GPS, etc)
  • Web chat
  • Calendário
  • Mensagens (SMS/MMS)
  • Log de ligações
  • Agenda de contatos

O blog é fraquinho e limitado, você vai se sentir no Vírgula ou no Blig, se bem que ele disponibiliza RSS. OK, é melhor que o Vírgula.

Picture 14

O acesso a câmera pode ser liberado, se você tiver credenciais, ou pode ser mediante solicitação. Visitantes podem pedir “manda uma foto aí”, mas o mais divertido é usar o botão “Take snapshot” e fotografar o que o celular estiver vendo. Na prática, 90% de chances de pegar o interior do bolso de alguém.

Picture 17O formulário de contato permite que você seja incomodado por Instant Message OU mensagem de texto, que entra como SMS. A Instant Message aparece assim:

Screenshot0112 

O Webchat é uma excelente forma de explodir seu pobre celular, com diversas pessoas na mesma sala, conversando.

Picture 18 O calendário não só te dá acesso aos compromissos como permite a inclusão de novos eventos. Se você for um megablogueiro, celebridade do Twitter e ultra-solicitado como eu, pode disponibilizar o acesso público ao calendário, somente para leitura, assim sua enorme legião de fãs saberá onde você estará em uma semana altamente movimentada:

Picture 16É possível configurar a imagem de abertura, o servidor aceita temas, e todo o serviço existe em 6 idiomas diferentes.Não, português não tem. No cabeçalho há até informações de tipo de conexão que o celular está utilizando e a carga da bateria.

No celular você tem uma série de informações de logs de acesso, usuários conectados, dados transferidos e acesso a folders. O programa roda em background, afinal o Symbian tem (chupa, Apple) multitarefa, e decente.

Até algum tempo atrás imaginava que um programa assim não passasse de curiosidade, mas em situações como a do Irã, é extremamente estratégico ter uma solução completa de presença online rodando no celular. Pense bem, nenhum PC em casa, mobilidade total, todos os dados comprometedores em um cartão de memória. Isso é o pesadelo dos regimes totalitários.

Para quem quiser experimentar, o site do Nokia Mobile Web Server traz tudo que você precisa, do link de download até tutoriais e o cadastro, onde poderá criar sua URL pessoal. A minha, que nunca está no ar, é nokiacc.mymobilesite.net

emCelular Computação móvel Internet Resenha Software