Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

App do Dia: Um jogo doente para gente doente. Eu adorei.

Por em 13 de setembro de 2010

IMG_0124 Existem alguns diagnósticos que são simples e rápidos. Qualquer um que ler os gibis do Garth Ennis dirá: “ele é doente”. Assim como são os criadores da maioria dos jogos bons.Pessoas normais (e chatas) não passam o dia pensando em monstros de tentáculos e almôndegas demoníacas.

Os criadores do Stair Dismount, por exemplo, são claramente psicopatas.

O jogo (por favor não o entenda como simulador) consiste em personagens usando a tecnologia de boneco de pano, que em teoria permite modelagem de movimentos realistas com baixo penalty de CPU mas na prática gera ridículas cenas de personagens explodidos no ar, em FPSs.

O seu único objetivo no jogo (não na vida, espero) é derrubar o sujeito de uma escadaria causando o máximo de dados possível.

O ambiente é todo 3D, com movimentação livre, você pode ver sua obra em qualquer ângulo. Dá para determinar posição, direção e intensidade da força, podemos golpear na nuca, na perna, onde quiser. O personagem reage de acordo com as Leis (simplificadas) da física.

A queda é acompanhada de efeitos sonoros e gráficos indicando o tipo de lesão, no final temos uma pontuação geral com tudo que você causou ao infeliz.

Como catarse, ainda é possível escolher o rosto de uma foto no iPhone ou no Facebook e aplicar ao personagem. Assim quem sempre desejou empurrar a ex ou o cunhado (ou melhor ainda, o ex-cunhado) escada abaixo, pode fazê-lo sem medo de maiores consequências, exceto o comentário (correto) “você é doente…”.

O  jogo tem até recurso para salvar uma imagem de sua “obra”.

O Stair Dismount estava disponível di grátis na App Store do iPhone.

continue lendo

emCelular Celulares Games Games Software

TechEd — Cobertura Especial

Por em 13 de setembro de 2010

ScreenShot004 

Hoje começa o TechEd, mega-evento da Microsoft para desenvolvedores e profissionais de TI. A parte que é até frustrante é que são muitas apresentações boas em muito pouco tempo, assim como no redYouTube somos obrigados a abrir mão de um conteúdo em prol de outro.

Este ano são 180 sessões divididas em 18 trilhas técnicas, que é uma forma bonita de dizer “não dá pra ver tudo”.

A sessão de abertura será transmitida ao vivo, hoje 09:00. Menos a demonstração do Kinect. Isso só quem estiver lá verá.

É possível acompanhar o TechEd pelo Twitter oficial do evento e,claro, pela cobertura do MeioBit.

emEvento Indústria Internet

História de Uma Vida Mobile

Por em 11 de setembro de 2010

It’s been a long road. Getting from there to here“, já dizia a canção na abertura de Star Trek – Enterprise. É verdade. E como toda boa viagem, o percurso é tão ou mais importante do que o Destino. Foi o que descobri ao escrever este texto, relembrando todos os celulares que já tive.

Não é uma comparação crua sobre quem é melhor ou pior. Não é uma competição. Todos tiveram seu tempo, todos trouxeram alegrias e tristezas, todos valeram como experiência.

Vou me ater a celulares, sem listar PDAs, pagers, agendinhas eletrônicas e equipamentos genéricos. É um apanhado de telefones que me acompanharam em mais anos do que estou disposto a contar. Alguns eu ganhei, a maioria comprei. Cada um tem sua história.

Os aparelhos estão listados em ordem mais ou menos cronológica, alguns com certeza estão trocados e sempre que possível omiti datas, é complicado lembrar o quê fiz ontem à noite (mentira, o mesmo que faço todas as noites), que dirá quando comprei tal celular.

As especificações técnicas estão na Internet, a função deste texto é basicamente relembrar os velhos tempos. Sem saudosismo, sem aquela hipocrisia de “antigamente era melhor”.  Pelo contrário, a evolução desses celulares inteligentemente projetados é evidente. Assustador é pensar que tão pouco tempo se passou.

Portanto, se quiser entrar no Bonde da Memória, clique em continuar lendo e divirta-se…

continue lendo

emArtigo Artigo Celular Destaque Especial

Demonstração mega-geek do Google Instant

Por em 9 de setembro de 2010

O Google Instant é aquela variação da ferramenta de busca retornando resultados instantaneamente, que na teoria funciona que é uma beleza mas na prática demanda muito mais banda do que EU tenho, por exemplo.

Claro, na civilização deve ser maravilhoso. Ao menos é o que demonstra o vídeo abaixo, uma brilhante versão da clássica música de Tom Lehrer, The Elements. Assista, é danado de legal:

Fonte: Geeks Are Sexy

emGoogle

LaCie MosKeyto — obrigado mas não obrigado

Por em 9 de setembro de 2010

A LaCie está anunciando um pendrive minúsculo, o supercriativamente batizado MosKeyto. Com capacidade de 4, 8 e, em breve, 16 GB, começa em caros US$ 17,99.

É uma tendência que deve ser pensada antes de adotada. Todo mundo acha legal um micro-pen drive, todo mundo se admira pelo minúsculo tamanho, mas é bom pensar nas implicações. Tenho um Memory Stick Pro extra pra câmera fotográfica, e já dá dor de cabeça, sem tirar do lugar é algo que perco 3 vezes por semana. Pen drives, mesmo comuns tentem a desaparecer nos buracos negros que crescem no fundo de mochilas.

continue lendo

emComputação móvel Hardware Meio Bit

Perfeito: Agora robôs se adaptam a danos e falhas

Por em 9 de setembro de 2010

Há uma cena icônica no Exterminador do Futuro: após perder as pernas, o robô assassino começa a se arrastar em direção à pobre Sarah Connor. No segundo filme da série vemos algo parecido, mas “de dentro”. O T1000 crava um vergalhão nas costas do Arnoldinho sopa-de-letra, que desliga. Alguns segundos depois ele reboota, identifica a área afetada e redireciona o processamento para circuitos auxiliares.

Máquinas hoje em dia ainda são muito burras para isso, mas logo tudo mudará. Uma pesquisa patrocinada pela DARPA está desenvolvendo técnicas de programação para que aviões autônomos sejam capazes de manter o controle mesmo quando atingidos por fogo inimigo. Dado o custo dos equipamentos e a possibilidade de caírem em mãos erradas, a pesquisa é bem válida e já trouxe resultados promissores.

continue lendo

emHardware Meio Bit

Ciência revela: Roberto Carlos não é Jedi

Por em 9 de setembro de 2010

Depois de muita pesquisa os resultados não permitem outra conclusão: apesar de todas as evidências e uma anormal contagem de Midichlorians no sangue, o jogador Roberto Carlos não é versado na Força. A confusão surgiu com a incrível cobrança de falta em um Brasil x França, em 1997, onde no melhor estilo Ayrton Senna o craque aparentemente demonstrou total e completo desrespeito para com as Leis da Física, alterando a trajetória da bola durante seu vôo. Veja:

continue lendo

emCiência Meio Bit