Digital Drops Blog de Brinquedo

Corre que dá, miga! Mulheres e tecnologia, no Google amanhã 30/10

Por em 29 de outubro de 2014
AABarbComputerEng

Conte-me mais sobre a terrível influência da Barbie…

Muito tempo atrás, quando era moda crianças fazerem trocentos cursos além da escola, eu cismei (sim, fui eu, não vou gastar uma baba em analista pra sair culpando meus pais) de fazer artes marciais. Como foi antes do Karate Kid, entrei no judô. Algumas aulas depois o professor colocou os novatos para lutar com com veteranos. Minha adversária era uma guria de uns 16 anos, magra, altona.

“Mulher? Tranquilo, vou dar um yppon nela”, pensou o futuro Daniel LaRusso. Quando abri os olhos de novo eu já estava no chão, o joelho dela no meu peito e meu braço em uma posição anatomicamente incompatível com um vertebrado.

Nesse dia percebi que competência independe de sexo, e por mais piadas de loura e mulher dirigindo que eu faça, a Sabine Schmitz vai continuar chutando bundas fazendo Nurburgring em 10:08. Em uma van.
continue lendo

emGoogle

Drones, uniciclos e uma coreografia de orgulhar Bob Fosse

Por em 29 de outubro de 2014

aquamusical

Hoje a imagem que a gente faz dos musicais clássicos de Hollywood, com seus números de dança elaborados são de algo conservador. Convenhamos, coreógrafos não são sinônimo de tecnologia de ponta, certo? Errado. Em Cantando na Chuva de 1952 Gene Kelly monta uma cena para Debbie Reynolds, transformando um estúdio vazio em um cenário de um entardecer, com direito a névoa e vento. Cinema mostrando como se faz cinema.

Em Marujos de Amor, de 1945 de novo Gene Kelly tem um número onde dança e interage com Jerry, no melhor estilo Roger Rabbit, com direito a sombra e tudo. 1945, nessa época o mundo era em preto-e-branco e até os eletrodomésticos eram a vapor. Esse número mais tarde foi adaptado brilhantemente em um episódio de Family Guy.
continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia

Honda, estraga-prazeres, cria sistema de detecção de pedestres

Por em 29 de outubro de 2014

WxThyBB

Antigamente eletrônica embarcada em automóvel se resumia ao acendedor de cigarros e ao rádio AM/OC1/OC2. Hoje em dia um carro topo de linha como uma Mercedes SLR tem mais linhas de programação embarcada do que um caça F22, e cumpre tarefas bem mais complexas. Essas tarefas, graças a sensores cada vez mais sofisticados estão se expandindo além do carro em si, e um dos novos players que entrou com tudo é a Honda.

Nos modelos do Legend que começarão a ser vendidos no final do ano estará integrado o sistema Honda Sensing, É um daqueles parangolés tecnológicos que os japoneses trouxeram do futuro ou do planeta deles, dependendo de qual teoria você defenda. Para quem está acostumado com carros que só têm banco, volante e motor porque o DETRAN obriga, o Sensing tem:
continue lendo

emHardware Robótica

Ciência, Lasers e visão digna do Superman

Por em 29 de outubro de 2014

tumblr_mn40jk8qR71raxt8lo1_500

Uma das poucas partes chatas de viver no futuro é se decepcionar com lasers. Todo mundo cresceu com filmes e seriados de ficção científica cheios de raios da morte, mas a parte prática do LASER, mesmo baseada em teorias de Einstein publicadas em 1917, a engenharia só seria resolvida quase na década de 1960. Em verdade o próprio termo LASER só surgiu em 1959. Foi uma invenção tão importante que rendeu a seus criadores o Nobel de Física de 1966 e mudou o mundo.

Hoje nossa civilização depende de lasers, seja pra ouvir música, seja para eliminar tumores, seja para gerar os pulsos de luz transmitidos nos cabos de fibra óptica no fundo dos oceanos. Se você está vendo esta página, em algum momento a informação nela foi convertida em pulsos de luz.
continue lendo

emEnergia Hardware

SpaceX vai tentar o primeiro pouso controlado do Falcon 9

Por em 28 de outubro de 2014

destination-moon-silver-rocket

Uma das deliciosas ironias da vida é que um grupo tão criticado, os ilustradores e designers de capas e filmes de ficção científica dos Anos 50, estão rindo por último. Quase sempre seus desenhos mostravam foguetes pousando na vertical, para desespero de todo mundo que sabia que foguetes tinham vários estágios, eram incapazes de efetuar manobras de retorno controlado e muito menos pousar suavemente em algum lugar.

Agora a SpaceX está fazendo exatamente isso. Primeiro com o foguete de testes Grasshopper, depois com o 1º estágio do Falcon 9, que fez vários pousos de teste na água.
continue lendo

emDestaques Espaço Indústria

Pela Procter & Gamble a Duracell não vai durar muito…

Por em 28 de outubro de 2014

Matrix_102Pyxurz

Em 1860 um grupo de visionários criou o que seria chamado hoje me dia de uma Start-Up. A Pony Express era uma empresa com uma idéia revolucionária que todo mundo achava impossível: transportar correspondência costa-a-costa nos EUA em menos de 10 dias. Lembre-se, era uma época onde boa parte do país era habitada por índios, havia assaltantes de diligências, nenhuma estrada asfaltada, e Wi-Fi e 3G praticamente inexistentes.

O conceito do Pony Express era empregar jovens mensageiros (preferencialmente órfãos) que correriam com seus cavalos até começarem a cansar (os cavalos, os mensageiros que se danem). Chegando a uma estação de troca, pegariam cavalos novos e seguiriam por mais 16 km, trocariam de novo, e por aí vai.

Foi um sucesso, ao menos durante 18 meses. Em 1861 a Pony Express fechou, ao mesmo tempo em que começava a Guerra Civil E as primeiras linhas de telégrafo eram instaladas.

Hoje a Procter & Gamble está fazendo algo parecido, abandonando um negócio de US$ 2 bilhões, onde é líder incontestável de mercado: pilhas.
continue lendo

emDestaques Energia Hardware

Não tá fácil pra ninguém: internet afetando a mais antiga das profissões

Por em 28 de outubro de 2014
hollydaye-main

Como uma dama que troca favores por dinheiro da Nova Zelândia se parece.

Chamada de mais antiga das profissões, a prostituição existe desde sempre. Sequer é exclusividade humana. Pinguins e macacos também a praticam. Nos velhos tempos teve status de prática sagrada, com templos dedicados, sacerdotisas bem-pagas e legislação protegendo o direito das mulheres envolvidas, mas na média é uma atividade disseminada em todas as culturas humanas, mas sempre mal-vista, ao menos publicamente. Nem mesmo o movimento feminista é como um todo amigável, há alas que atacam a prostituição com furor digno de um pastor conservador, enquanto outras toleram e outras aceitam que liberdade sobre o próprio corpo inclui fazer coisas que outros não aprovem.

Não que isso tenha afetado a clientela, os mesmos hipócritas que atacam a prostituição no palanque ou no púlpito de noite estão no Bataclan confraternizando com as meninas. A ameaça agora é outra, e nem tem a ver com o surto de moralismo que o mundo vive. A culpa é da… internet.

Mais precisamente dos apps de encontros.
continue lendo

emDestaques Internet Mundo Estranho Software Web 2.0