Digital Drops Blog de Brinquedo

Ocenaudio: um editor de arquivos de áudio gratuito, rápido, simplificado e feito no Brasil

Por em 2 de agosto de 2014

Captura de Tela 2014-08-02 às 9.19.01 PM

Se você está procurando um editor de áudio leve, rápido, que funcione no Windows, no Mac ou até mesmo no Linux, e tá cansado da interface estranha do Audacity, eu te apresento o ocenaudio.

Não é Ocean Audio. Não é Ocê Naldo. É ocenaudio. E ele foi feito no Brasil.

continue lendo

emAnálise Áudio Vídeo Fotografia Destaques Software

Esperando tempo demais em um restaurante? A culpa pode ser sua!

Por em 24 de julho de 2014

Will_Elder_Resstaurant

Calma, eu não estou acusando ninguém e nem dizendo que você é culpado por todas as vezes pelas quais você já teve que esperar para ser atendido em um estabelecimento assim, mas você pode estar contribuindo para eventuais atrasos. E explico.

Um restaurante de Nova Iorque, funcionando há mais de 10 anos, estava recebendo várias reclamações em sites de avaliações à respeito da demora no atendimento e do tempo necessário para se conseguir uma mesa.

Mesmo com mais pessoas na equipe e mesmo com um número médio de clientes estável há anos, tudo parecia mais lento no serviço, portanto algo estava muito estranho nessa equação.

continue lendo

emAnálise Computação móvel Destaque Destaques Planeta Sem Fio

X-Men: Dias de um Futuro Esquecido será lembrado por muito tempo

Por em 22 de maio de 2014
x-men-days-of-future-past-official-trailer-2-01

O “X” da questão em Dias de um Futuro Esquecido é a “escolha”.

Cinema de quadrinhos no longínquo ano 2000 era para os fortes, foi então que X-Men: O Filme ressuscitou o gênero e nos devolveu a empolgação. Hoje os efeitos especiais ficaram datados, denunciando o baixo orçamento, mas sem dúvida foi um excelente início. Três anos depois, X-Men 2 nos trazia uma excelente história e foi sucesso de público e críticas.

Então X-Men 3: O Confronto Final quase colocou tudo a perder, sem Bryan Singer (talvez isso explique muita coisa) que resolveu dirigir o chatinho Superman Returns, por causa de uma FOX ansiosa por encher os bolsos: ela produziu um filme feito às pressas, com um resultado lastimável. Não me peçam para falar sobre os dois filmes solo do Wolverine. A esperança voltou em 2011 com X-Men: Primeira Classe. A grata surpresa veio com o objetivo de mostrar a primeira equipe formada por Charles Xavier (James McAvoy) e sua parceria com Erik Lehnsherr (Michael Fassbender), o Magneto, na década de 1960.

Então chegamos ao dia de hoje no que talvez seja o melhor filme baseado em quadrinhos já feito NA HISTÓRIA DO CINEMA. Desde que a Marvel Studios conseguiu colocar seus personagens no mesmo Universo (bom, quase todos) tentando respeitar as cronologias individuais de todos os filmes, passou a ser difícil relevar alguns detalhes e ignorar eventos anteriores, apesar de sermos obrigados a fazer isso quando acompanhamos HQs por muito tempo (sim, eu sei).

Com uma ideia arriscada e uma missão difícil, a FOX tentou unir o elenco da trilogia inicial “clássica” dos X-Men com o de Primeira Classe em um único filme, trazendo uma das histórias mais importantes dos quadrinhos para o cinema: Dias de um Futuro Esquecido. Embora haja muito esforço nesse filme para tentar unir todos os anteriores, é cansativo e frustante tentar conectar todos os pontos, pois ainda há incongruências, mas pode-se dizer que o trabalho foi bem feito.

Aviso: o texto a seguir contém leves spoilers e são apenas da famosa HQ e dos filmes anteriores.
continue lendo

emAnálise Áudio Vídeo Fotografia Destaques Entretenimento

China abre mercado de videogames e faz a Nintendo valer mais que a Sony

Por em 9 de janeiro de 2014

Laguna_Nintendo_making_Money

Nesta terça-feira, o governo chinês suspendeu o banimento dos videogames estrangeiros, medida adotada há 14 anos para evitar que os jovens chineses desperdiçassem suas vidas jogando. Uma medida aparentemente em vão pois o mercado cinza continuou abastecendo a China com o contrabando dos consoles da Sony, Microsoft e Nintendo.

Muito provavelmente graças à tal banimento, dois terços do mercado chinês de jogos (avaliado por volta dos US$ 13 bilhões) foram dominados pelos PCs e, muito provavelmente, a outra boa parte do terço oficial restante foi dominada pelos smartphones e tablets Xing-Ling.

O governo chinês permitirá que empresas estrangeiras fabriquem consoles na zona franca de Xangai e os vendam no país após passar pela inspeção do órgão estatal, que seria equivalente ao nosso Ministério da Cultura: os jogos vendidos não podem ter conteúdo subversivo tipo “libertem o Tibet” ou menção à praça Tiananmen‎.

Lembrando que os jogos mais populares na China são no modelo free-to-play (aka freemium) e a renda mensal de 70% da população é menor que 4.000 yuan (US$ 660), o tio Laguna fica a imaginar o desafio que será para as principais hardwarehouses tentarem convencer pelo marketing toda uma geração de jogadores que cresceram sem pagar 50, 60 dólares por um jogo de PlayStation, XBox ou Wii. E isso tudo supondo que os potenciais gamers chineses não farão uso de consoles modificados para rodar jogos piratas, prática que é absolutamente normal no Brasil.
continue lendo

emAnálise Nintendo Sony

O dia em que investidores norte-americanos kibaram hackers brasileiros

Por em 5 de outubro de 2013

scully-facepalm

Não que tenha ofuscado o pessoal na rua com máscara de Guy Fawkes, mas um dos grandes momentos Vergonha Alheia da juventude brasileira em 2013 foi quando hackers script kiddies, defendendo o nerd fofoqueiro Edward Snowden invadiram a NASA, deixando uma mensagem de protesto. Seria válido, se a agência do governo responsável pela espionagem não fosse a NSA.

Agora nossos amigos imperialistas ianques capitalistas mostram que conseguem nos superar até em antices como essa dos tais hackers brasileiros. O Twitter, como você sabe, abriu o capital, começará a vender ações na bolsa de valores. Investidores estão se estapeando, pois embora a empresa esteja no vermelho e tenha uma receita pífia. US$ 316,9 M em 2012, está avaliada em mais de US$ 1 bi, é o futuro, bla bla bla, e renderá uma boa grana.

Quando começarem a ser vendidas, as ações do Twitter usarão o símbolo TWTR. Isso ainda não aconteceu, há toda uma burocracia envolvida, o que não impediu gente burra metida a esperta de sair comprando papéis da empresa.

Só que da empresa errada. No caso, a TWEETER.

continue lendo

emAnálise Destaques Internet Web 2.0

Agents of S.H.I.E.L.D. – primeiras impressões

Por em 27 de setembro de 2013

agents-of-shield-coulson-lives

Na última terça-feira a ABC finalmente exibiu o episódio piloto de Agents of S.H.I.E.L.D. nos Estados Unidos, e como o canal Sony o exibiu na TV brasileira ontem, é hora de discorrer um pouco sobre as primeiras impressões sobre a série que é a maior estreia da ABC em anos.

Aviso: este post contém SPOILERS PESADOS sobre o episódio piloto, portanto leia por conta e risco. O conselho vale também para quem não assistiu Os Vingadores (alguém ainda não viu?) e Homem de Ferro 3, correndo o risco de ficar boiando.

continue lendo

emAnálise Artigo Áudio Vídeo Fotografia Entretenimento

Montar seu smartphone como Lego? Não vai acontecer…

Por em 17 de setembro de 2013

img02

A essa altura do campeonato você já deve ter assistido o vídeo da campanha promocional do Phoneblok, um design modular para construir smartphones, criado pelo holandês Dave Hakkens, na pegada de encaixar peças Lego. A ideia é que você possa customizar sua experiência, com mais ou menos recursos, trocar a tela caso um novo display apareça no mercado, novo processador, novo módulo Wi-Fi, memória e assim por diante, evitando que você jogue fora um aparelho inteiro quando precisar trocar uma ou outra peça.

continue lendo

emAnálise Destaque Geral Opinião