Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Um jogo onde nos reuniremos para contar histórias

Por em 15 de abril de 2014

storium

A ideia do game designer Stephen Hood parecia bastante simples e talvez até pouco interessante: criar um jogo que permitisse que as pessoas se reunissem para contar histórias. Enxergando potencial no conceito, o rapaz decidiu iniciar uma campanha para financiar o projeto e para surpresa de muita gente, em menos de 24 horas ele conseguiu o valor que precisava.

No Storium teremos à nossa disposição uma série de cenários pré-definidos e que funcionarão como pano de fundo para as histórias que quisermos contar. Após optar por ambientações como drama médico(!), cyberpunk, fantasia clássica ou terror, daremos aos outros jogadores cartas com desafios que eles tentarão superar, dando continuidade à história.

continue lendo

emGames Miscelâneas Web Games

Labirinto do filme O Iluminado vira jogo em primeira pessoa

Por em 18 de março de 2014

o-iluminado

Podem me chamar de chato, mas eu nunca gostei muito da adaptação de Stanley Kubrick para o excelente livro O Iluminado. Mesmo assim, existem muitas cosias fantásticas no filme, com destaque para a atuação de Jack Nicholson, mas outro ponto alto do longa-metragem é a parte em que o seu personagem entra no jardim em forma de labirinto do Overlook Hotel.

Devido a sua complexidade – e claro, a tudo o que acontece no assombrado lugar – acho que ninguém gostaria de ser ver preso ali, mas o game designer independente James Houston assumiu a missão de nos colocar naqueles corredores e acredite, sair de lá não será nada fácil.

Conforme explicou em seu blog, a ideia surgiu para que o desenvolvedor pudesse estudar a engine Unity3D e para que o jogo ficasse o mais fiel possível a aquilo que vimos no filme, Houston utilizou uma imagem que mostra uma visão aérea do labirinto, nos colocando no centro dele e tendo apenas uma saída.

Podendo ser jogado diretamente através do browser, ShiningMaze não possui gráficos de ponta, não tem inimigos e nem todo o esplendor de grandes produções, mas se você sempre quis ter a sensação de estar perdido em um labirinto feito de plantas, esta talvez seja sua melhor oportunidade, com a vantagem de que poderá desistir da brincadeira na hora que quiser.

emEntretenimento Web Games

Mega ataque hacker derruba servidores de WoW, League of Legends, DoTA 2 e World of Tanks

Por em 31 de dezembro de 2013

league-of-legends

Dois anos após o Anonymous derrubar a PSN e o LulzSec organizar um mega ataque coordenado eque vitimou inúmeros games online e outros sites, mais um grupo resolve aprontar das suas e atazanar a vida de quem só quer curtir uma partida pela rede, ainda mais no fim do ano.

Um grupo hacker chamado DERP resolveu aprontar uma última em 2013 usando o mesmo método de ataques DDoS, mas decidiu fazê-lo de uma forma diferente. Os ataques começaram de forma típica, mas foram intensos e sequenciados. Os primeiros a caírem foram os servidores de League of Legends. Na sequência foi a vez da Battle.net. Foi aí que o grupo resolveu que pegaria um jogador em específico para Cristo.

continue lendo

emComputadores Web Games

Breath of Fire 6: um novo RPG para novos tempos, para o bem e para o mal

Por em 30 de dezembro de 2013

Breath of Fire 6

Quando a Capcom anunciou Breath of Fire 6: Guardians of the White Dragon para o ano que vem, muita gente que é fã da série de JRPGs da Capcom comemorou. Seria uma forma de esquecer o passoerrado com BoF V: Dragon Quarter, o quinto título que não vendeu muito bem por se distanciar demais do estilo já consagrado da série. Porém ao descobrirem que se trata de um game mobile para smartphones, tablets e navegadores, além de ser declarado como um jogo “fácil” pela desenvolvedora a chiadeira foi geral.

Apesar das reclamações a Capcom tem certas razão ao tentar refazer a série de modo a atrair mais fãs, já que o último título oficial desagradou o público e os últimos quatro games, todos spin-offs mobile de BoF IV atraíram o público. Mas agora que a empresa atualizou o site com novas informações, algumas coisas preocupantes e outras interessantes vieram à tona.

continue lendo

emCelulares Computadores Web Games

Agora você pode jogar games antigos no Internet Archive

Por em 28 de dezembro de 2013

river-raid-cover

Embora todos nós viciados nessa parada de joguinhos adoram0s ver os lançamentos e as possibilidades que cada nova geração de consoles proporciona, para jogadores com mais de 25 anos nas costas é sempre muito legal parar um pouco, tirar aquele velho videogame de 16 ou mesmo 8 bits do armário e relembrar clássicos de uma época em que as coisas eram mais simples; multiplayer era sinônimo de reunir a galera da escola no fim de semana em casa para se entupir de salgadinhos e Tubaína, você não precisava atualizar o jogo ou o console toda vez que queria se divertir e assoprar a fita resolvia todos os problemas.

Para quem passou dos trinta como eu, muito provavelmente a lembrança de videogames mais antiga é a do Atari 2600. Para essas pessoas o site Internet Archive, considerado a memória vida não só da rede como da tecnologia em geral lançou nesta semana o Console Living Room, uma ENORME coleção de jogos vintage acessíveis pelo navegador, completamente de graça.

O Atari 2600 é o console com o maior número de jogos disponibilizados, sendo mais de 500. Entre os títulos estão clássicos absolutos como Enduro, River Raid, Pitfall, Adventure, Frogger, Space Invaders e Pac-Man, e até mesmo o famigerado jogo adulto Custer’s Revenge foi incluído. Em menor quantidade há jogos de outros quatro consoles, sendo eles ColecoVision, Magnavox Odyssey² (lançado aqui pela Philips como Odyssey já que o primeiro console da história, aquele desenvolvido por Ralph Baer nunca veio para cá oficialmente) e Astrocade, além do Atari 7800, que já era um console de terceira geração. No caso do Odyssey vale a curiosidade de descobrir o game original que foi renomeado aqui como Didi na Mina Encantada, além de entender que Munchkin (que foi chamado no Brasil de Come-Come) não é a bolota amarela da Namco.

Jason Scott, porta-voz da biblioteca virtual disse que o acervo vai se expandir bastante nos próximos meses, além de em breve corrigir o problema em que todos os games não possuem som. Em todo caso é uma excelente pedida para conhecer jogos antigos de forma rápida e o que melhor, de forma totalmente legal.

Fonte: Internet Archive via Mashable.

emCultura Gamer Museu Web Games

SEGA, Chaos Heroes Online e uma parceria curiosa no mundo dos MOBAs

Por em 25 de dezembro de 2013

dizzy-guilty-gear-chaos-heroes-online

Depois que a Valve e a Riot Games conseguiram faturar milhões e milhões de dólares em todo mundo com seus respectivos games DotA 2 e League of Legends, todo mundo resolveu tirar casquinha do gênero MOBA, e hoje em dia é difícil passar mais de duas semanas sem ver algum novo jogo do tipo. Até mesmo a Blizzard, conhecida pela excelência de seus jogos e por não correr para desenvolver novos títulos aderiu a febre, assim como a Zynga.

Uma desses inúmeros estúdios menores tentando a sorte é o coreano (tinha que ser) Neoact, responsável por Chaos Online. O jogo está fazendo um sucesso relativo tanto na Coreia mais bonita quanto na China, entretanto ele resolveu tentar a sorte no Japão, que resiste bravamente à moda; mesmo o cenário de LoL não é tão forte lá, muito provavelmente pela resistência do consumidor nipônico a games não-japoneses. Como proceder então?

continue lendo

emComputadores Miscelâneas Web Games

Facebook divulga os melhores jogos do ano na plataforma

Por em 11 de dezembro de 2013

criminal-case

Quando falamos em jogos para o Facebook, a primeira coisa que vem à cabeça da maioria das pessoas é o FarmVille, mas há muito mais a ser aproveitado na rede social e para promover esses games eles divulgaram uma lista com vários títulos que se destacaram este ano.

Segundo os organizadores da premiação, os jogos foram escolhidos levando-se em consideração a avaliação dos usuários, a implementação, o crescimento e a qualidade geral, sendo que alguns detalhes chamam a atenção, como o fato de que 10 dos escolhidos foram criados por estúdios localizados na Europa ou no Oriente Médio, 8 também estão disponíveis em outras plataformas e o mesmo número são criações de desenvolvedoras independentes.

Mas e quanto ao grande vencedor? Bom, o título ficou com o Criminal Case, dos franceses da Pretty Simple. Trata-se de um jogo onde devemos encontrar objetos escondidos numa imagem e para o pessoal do Facebook, foram as belas ilustrações do jogo que conquistaram as pessoas, além de atualizações constantes que fizeram com que elas voltassem ao game.

Confesso que nunca tinha ouvido falar nesse jogo e até fiquei com vontade de testá-lo, mas algo que realmente chamou minha atenção foi a revelação de que os chamados jogos hardcore tem conquistado cada vez mais pessoas no Facebook e mesmo não vendo a plataforma como algo muito interessante para quem joga nos consoles ou computadores há muitos anos, isso mostra que a plataforma está ganhando diversidade.

emWeb Games