Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Belos gráficos, quatro caçadores e um dragão

Por em 6 de março de 2012

Eu tenho quase certeza que deve existir alguma dimensão paralela onde os jogos promissores sempre acabam se mostrando ótimas produções, nunca decepcionando os jogadores e se isso for verdade, no dia 22 de maio o pessoal de lá que estiver apostando suas fichas no Dragon’s Dogma poderão jogar um excelente título, afinal, como poderia dar errado algo que pode ser considerado uma mistura do Monster Hunter, Dark Souls e Skyrim?

Eu sei, quando a produção da Capcom finalmente chegar ao mercado pode ser que ela não se mostre tudo isso (sim Lost Planet 2, estou falando de você!), mas por enquanto deixem-me assistir o vídeo abaixo e sonhar com a diversão que poderemos encontrar ao enfrentar um enorme dragão, com direito a fogo para todos os lados, poderosas magias e até mesmo um breve passeio a algumas dezenas de metros de altura.

O que não deverá deixar muita gente feliz é a ausência de um modo cooperativo, com os outros três personagens que o ajudarão nas missões sendo controlados pelo computador, algo que segundo os desenvolvedores acontecerá porque desde o início o Dragon’s Dogma foi pensando como um jogo single-player.

Seja como for, por favor Capcom, não nos decepcione dessa vez. Você tem um ótimo conceito nas mãos, uma engine que já mostrou ser capaz de gerar games muito bonitos e dragões… Oras, ninguém pode errar ao utilizar dragões em seus jogos (agora é com você, Factor 5 e o seu Lair!).

continue lendo

emComputadores Sony Vídeos

Segundo análises, Mass Effect 3 beira a perfeição

Por em 6 de março de 2012

dori_me3_06.03.12

Nos Estados Unidos o Mass Effect 3 já está sendo vendido e com o término do embargo em relação as análises, começam a pipocar pela internet a opinião dos principais sites. Quem jogou os dois primeiros capítulos da saga esperavam que o desfecho da trilogia estivesse a altura e pelas notas que estão sendo dadas, o trabalho da equipe responsável pelo game foi muito bem feito.

Entre os que deram uma pontuação perfeita, podemos destacar o Eurogamer, o GameInformer e o The Guardian e quem também parece ter gostado muito do jogo foi o pessoal do Gamespot (nota 9.0), do CVG (9.4) e do IGN (9.5), sendo que quase todos rasgaram elogios ao enredo, ao design das fases que proporcionam batalhas muito interessantes e a maneira como as decisões tomadas nos jogos anteriores alteram o desenrolar da trama.

Se mesmo sem ainda ter iniciado o Mass Effect 2 eu já estava ansioso pelo terceiro, agora minha vontade de jogá-los só aumentou e é muito bom ver que a BioWare acertou novamente, mostrando ser um dos mais competentes estúdios da atualidade.

Porém, nem tudo funciona como deveria, especialmente na versão para o Xbox 360. Acontece que aqueles possuem o save do segundo jogo armazenado na nuvem não estão conseguindo aproveitá-lo para iniciar o ME3. Isso até não seria um grande um problema, bastando copiar o save para o HD do console, mas se você fizer isso em um aparelho diferente de onde o arquivo foi gerado, ele não funcionará no novo jogo. A EA já reconheceu o erro, mas até o momento nenhuma solução parece ter sido encontrada.

[via VG247]

emComputadores Microsoft Sony

Counter-Strike: Global Offensive não terá cross-platform

Por em 6 de março de 2012

dori_csgo_05.03.12

A possibilidade de jogar com pessoas que estejam em outra plataforma é algo que sempre desejei que se tornasse padrão, mas que não aconteceu e embora nunca tenha gostado do Counter-Strike fiquei contente ao saber que o próximo jogo da franquia teria tal característica, mas infelizmente o sonho não durou muito tempo.

Alegando que isso permitirá que as atualizações para os computadores tornem-se frequentes, Chet Faliszek, o roteirista Chet Faliszek afirmou que quem estiver no PC ou Mac não poderá jogar com aqueles que adquirirem o jogo para o Playstation 3.

O beta provou que queremos atualizar frequentemente não apenas o beta, mas o jogo propriamente dito após o seu lançamento no PC. Para fazer isso precisamos separar as plataformas, então nenhuma delas irá paralisar a outra. Então, para ter isso removemos a ideia de partidas cross-platform – essencialmente tornando todos as plataformas mais fortes não as misturando.

Se essa decisão realmente significar que o jogo receberá o mesmo tratamento em todas as plataformas, especialmente no PS3 e Xbox 360, então nem acho tão ruim, mas se a Valve optou por fazer isso devido a burocracia imposta pelas fabricantes em relação as atualziações, o que acabará fazendo com que as versões para computadores estejam sempre um passo a frente, então quem for jogar nos consoles será muito prejudicado.

[via Joystiq]

emComputadores Sony

Valve estaria desenvolvendo um console

Por em 5 de março de 2012

dori_val_05.03.12

Quando Gabe Newell falou recentemente sobre a possibilidade da Valve um dia lançar um console, muitos acharam que tudo podia não passar de palavras jogadas ao vento, mas de acordo com o The Verge, isso pode realmente acontecer. O site garante ter ouvido de algumas fontes que a empresa estaria trabalhando em um dispositivo que já vendo chamado de SteamBox e que seria equipado com um processador Core i7, 8GB of RAM e uma GPU da nVidia.

O rumor fala ainda que reuniões com investidores já foram realizadas durante a CES passada, onde o projeto teria sido apresentado e que o Alienware X51 pode ter sido desenvolvido já tendo essa máquina como modelo. Para tentar conquistar os desenvolvedores, a Valve permitiria que outros sistemas de distribuição como o Origin rodassem na sua “caixa”, oferecendo um ciclo de vida para que o sistema fosse compatível com todos os jogos lançados, sendo atualizado a cada três ou quatro anos e não seria necessário um kit de desenvolvimento específico ou taxa de licenciamento para lançar um jogo para a plataforma.

A coisa fica ainda mais interessante quando sabemos que além de um sistema de sensor biométrico e da compatibilidade com uma enorme quantidade de periféricos USB o console teria um controle proprietário que permitira a troca de componentes, podendo ser adaptado para funcionar melhor com um gênero ou outro, algo que por sinal a Valve já pediu a patente.

Talvez a empresa esteja esperando a chegada da E3 para fazer o bombástico anúncio, mas o fato é que se a Valve resolver mesmo levar o Steam para a sala das pessoas, o mundo dos consoles deverá mudar radicalmente e inevitavelmente Sony, Microsoft e Nintendo acusarão o golpe. Porém, não podemos esquecer que Philips, Panasonic e a até mesmo a Apple não tiverem boas experiências neste mercado e por isso não como questionar se o melhor não seria eles tentarem uma parceria para oferecer o Steam nos consoles da próxima geração.

O melhor por enquanto é esperar mais informações, mas se o rumor for confirmado, o potencial é tão grande que não há como não nos empolgarmos.

emComputadores Rumores

BioWare quer seu padrão de qualidade no enredo do C&C: Generals 2

Por em 2 de março de 2012

dori_C&C_27.02.12

No final do ano passado muitos de nós fomos surpreendidos com a confirmação de que a BioWare seria a responsável pela produção do Command & Conquer: Generals 2, já que o gênero de estratégia em tempo real não é uma de suas especialidade e se a utilização da poderosa engine Frostbite 2 poderá trazer novos ares à série, Ray Muzyka acredita que a habilidade do estúdio poderá ajudar a tornar seu enredo melhor.

Queremos trazer a qualidade da BioWare. Queremos trazer uma história convincente para uma experiência de RTS e esta é uma oportunidade realmente interessante de adicionar mais história a esse espaço. Vemos isso como uma oportunidade de inovar e dar mais às pessoas, porém, de uma maneira apropriada para o gênero.

Queremos fazer uma experiência mais convincente e imersiva para os fãs de estratégia em tempo real.

Será que com isso o fundador da BioWare quer dizer que a equipe colocará o seu famoso gerador de clichês novamente para trabalhar? Brincadeiras a parte, será mesmo muito bom ver um enredo mais elaborado em um jogo de estratégia, mas o que gostaria mesmo é que a engine do game permitisse cenários destrutíveis e que isso tivesse uma grande influência na jogabilidade.

[via VG247]

emComputadores

PCGamingWiki quer facilitar a vida dos jogadores de PC

Por em 1 de março de 2012

dori_tit_01.03.12

Quem nunca teve algum tipo de problema ao tentar jogar algum game no PC? Embora a plataforma tenha a vantagem de conseguir rodar jogos com gráficos mais bonitos que nos consoles e conte com a dupla teclado + mouse  para tornar a experiência em alguns gêneros mais agradável, não há como negar que a praticidade não é o forte dos computadores e foi para tentar tornar nossa jogatina menos traumática que nasceu o PCGamingWiki.

O site foi idealizado por Andrew Tsai após este ter adquirido o Titan Quest pelo Steam e se dado conta de que passou mais tempo procurando em inúmeros sites maneiras de deixar o jogo melhor, instalando patches e modificações.

Minha esperança é que o site resolva o maior problema do PC como plataforma de jogos – ser intimidador e confuso. Meu objetivo é que ele seja uma única página sobre todos os jogos para PC que existem ou existirão e liste as coisas que todos nós queremos saber, sobre como arrumá-las e faça aquilo que queremos: Onde estão os saves? Quais as diferenças entre as versões do GOG, Origin e Steam? O que exatamente o Steam Cloud sincroniza? Como consertar o campo de visão?

Meu desejo é que quando alguém tiver um problema com um jogo ou pense em arrumá-lo, que vá até o PCGamingWiki, em vez dos fóruns.

A tarefa parece difícil de ser alcançada, porém, como o site usa o estilo da Wikipedia, onde todos podem colaborar, as informações podem ser adicionadas aos poucos e a comunidade parece ter adotado a ideia, pois com apenas três semanas o serviço já conta com mais de 1000 artigos que devem ficar muito melhores e com mais informações com o passar do tempo e que não falam apenas sobre os games em si, abordando também a parte de hardware ou programas que podem melhorar os jogos.

Vale a pena manter este nos favoritos, um dia você vai precisar.

[via Kotaku]

emComputadores

Próximo Amnesia fará você borrar as calças

Por em 1 de março de 2012

dori_amn_29.02.12

Quando o assunto são jogos de terror, poucas pessoas que encararam o Amnesia: The Dark Descent discordam que a criação da Frictional Games seja o título que melhor conseguiu passar a sensação de medo. Então o estúdio independente anunciou uma continuação e o seu subtítulo, A Machine for Pigs, virou motivo para que alguns duvidassem da capacidade dos criadores de repetir a dose e ao receber um email questionando sobre isso, Thomas Grip, chefe da desenvolvedora, deu esta singela resposta:

Nossa querida colaborada, a Chinese Room, conseguiu invocar um dos mais perturbadores e repulsivos subtítulo já feito para um jogo. Não há nada de amigável, fofinho ou acolhedor em máquinas para porcos. Os homens não fazem máquinas para brincar com porcos ou cantar músicas bonitinhas para eles. Não, há apenas implicações horríveis e aterrorizantes para este tipo de maquinas.

Por favor, continue com a convicção de que o A Machine for Pigs será uma experiência agradável e branda. Quando ele estiver disponível numa noite escura e chuvosa no próximo outono, deixe sua guarda abaixada. Pense que você iniciará o jogo e que nada acontecerá. Desligue todas as luzes e jogue-o em seu porão úmido e sombrio, longe de qualquer tipo de conforto, convencido de que está em uma viagem relaxante. Você então estará despreparado para o que o atingirá e talvez nunca mais ouse ligar seu computador novamente, temendo chegar perto daquela máquina.

Os seus sonhos serão preenchidos por máquinas rangendo, o desesperador grito dos porcos, o chacoalhar das correntes e a terrível sensação de que algo indescritível o observa do além. Será quando se arrependerá de ter pensado que A Machine for Pigs não seria uma experiência muito assustadora.

Ou em resumo, preparem as fraldas, porque se os caras conseguem nos fazer tremer apenas respondendo um email, pode ter certeza que o jogo fará com que muitos desistam no meio da aventura, assim como aconteceu no antecessor.

PS.: Ao ver a descrição da máquina presente no jogo, por um momento passou pela minha cabeça a tradução literal do nome do livro/filme The Silence of the Lambs, o que deixou tudo ainda mais assustador.

[via Eurogamer]

emComputadores