Digital Drops Blog de Brinquedo

V Mostra CINESOUND de Áudio HI-END – Londrina 2012

Por em 23 de julho de 2012

Neste último fim de semana (21 e 22 de julho) aconteceu em Londrina-PR a V Mostra Cinesound de Áudio Hi-End juntamente com o IX Encontro HT Forum. Ano passado já tinha participado como mero expectador do evento e garanto que é o tipo do lugar que você, que gosta de música de qualidade, entra feliz e sai deprimido. Mas, é um deprimido positivo, pois o contato com tecnologias e marcas que levam a qualidade sonora a sério é muito bacana. Quando digo qualidade sonora, estou falando de extremos mesmo, onde você precisa gastar muita grana para atingir um patamar de qualidade aceitável.

Antes de falar do evento propriamente, deixem-me falar um pouco de minha pequena experiência nessa área. Não sou audiófilo como a maioria dos membros do HT Forum. Sou apenas um grande curioso e garanto que não entendo metade do que os engenheiros eletrônicos conversavam nas salas, mas mesmo assim gostaria de trazer para vocês a minha visão sobre esse mundo. O que aprendi nesse pouco tempo de estrada é que o áudio perfeito é a junção de vários fatores. Estou falando da formação de um conjunto composto por amplificador, pré-amplificador, caixas de som, reprodutor de CD e toca disco (vinil). São equipamentos de altíssima qualidade feitos com materiais nobres e que possuem o objetivo de produzir o mais puro som com um equilíbrio entre os graves, agudos e médios. E esse equilíbrio meus amigos, é a paradinha mais difícil de se conseguir.

Mas, não é só isso. Não adianta investir toda a grana da caderneta de poupança se você não comprar um CD que foi gravado levando em conta esses mesmos padrões de qualidade. Então, mesmo investindo uma grana lascada, aquele seu CD do Gustavo Lima não vai ficar uma maravilha. E por último, mas não menos importante, você tem que levar em conta a sala onde você vai ouvir a música. Ela não pode ser muito grande, nem muito pequena, nem muito alta, senão a acústica vai destruir a sua pretensão de perder algumas horas em um mundo de qualidade sonora. Depois que a parte pesada é comprada, resta os pequenos detalhes. Estou falando dos cabos conectores, cabos de energia, tomadas e filtros de energia. Eu só passei a acreditar quando vi uma demonstração prática, mas a qualidade do cabo de energia do aparelho influencia na qualidade da música. Por isso que os aparelhos de alta qualidade possuem cabos que podem ser removidos e você pode escolher a marca que melhor lhe agrada (geralmente feita de metais nobres). Outro fator surpreendente é constatar que a energia elétrica produzida no Brasil é muito “suja” e que aparelhos que fazem a filtragem da energia podem dar um ganho significativo na qualidade sonora.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia

Wedding Brasil 2012 – Veja a programação

Por em 17 de abril de 2012

 

O Wedding Brasil está chegando. O maior Congresso da América Latina sobre Fotografia de Casamento vai começar no próximo fim de semana e a Editora Photos, organizadora do evento, nos passou a informação que todos os 1600 passaportes do evento foram vendidos. E isso é muita gente. Como no ano passado, o evento vai se realizar no Memorial da América Latina, um local que acho muito confortável e de fácil acesso por estar do lado da estação Barra Funda do Metrô.

Olhando a programação do Congresso nesse ano tive um pequeno estranhamento. Se compararmos com o último ano o número de palestras diminuiu muito. São apenas três por dia e uma mesa redonda no primeiro dia com novos talentos. Mas, ao analisar melhor a coisa ví que o espectador sai ganhando, pois existe a possibilidade de participar de muitas das apresentações do Núcleo de Tecnologia. Para quem nunca participou, o Núcleo de Tecnologia são pequenas palestras secundárias, mas com muita gente legal, que acontece no saguão do auditório e abordam os mais variados temas. Espero que a organização esteja preparada para receber quase todos os participantes do evento no saguão de entrada, melhorando principalmente o som das palestras, um dos pontos fracos no último evento.

Veja abaixo a programação principal e o Núcleo de Tecnologia

Terça-Feira, 24 de Abril

Congresso
10:00h – Rotina x Inspiração: Construindo possibilidades nessa cruel realidade – Márcia Charnizon
14:00h – Novos talentos da fotografia em debate
15:30h – Aspirante ou fotógrafo bem sucedido: em qual categoria você se encaixa? – Anna Quast
17:30h – Criatividade ao alcance de todos: Encontre o seu caminho – Vinicius Matos

Núcleo de Tecnologia
12:00h – A busca da luz perfeita – Lauro Maeda
13:00h – Arte garantida – Lucas Lermen e Ale Ruaro
14:00h – Os desafios da fotografia de família – Erika Verginelli
15:00h – Ensaio com o casal: Por que é tão importante? – Marco Costa
16:00h – Explore o mundo dos reflexos – Jocemar Kovacs
17:00h – Fluxo de trabalho do fotógrafo de casamento – Henrique Ribas

Quarta-Feira, 25 de Abril

Congresso
09:00h – Transformando erros em oportunidades – David Beckstead
14:00h – Venda muito enquanto seu concorrente queima os preços – Dane Sanders
16:30h – Fashion Wedding: Um novo estilo como ferramenta de diferenciação - Yervant

Núcleo de Tecnologia
12:00h – Os fundamentos do Flash e-TTL da Canon – Daud Pacha
13:00h – Como fotografar recém nascidos – Fernanda Sanches
14:00h – DSLR: um novo conceito de vídeo – Daniel Torraca
15:00h – O poder do Lightroom integrado ao Photoshop – Clício Barroso
16:00h – E-session – Sua importância e como interfere positivamente no resultado final – Alexandre Araújo

Quinta-Feira – 26 de Abril

Congresso
09:00h – O domínio da luz: Qualidade x quantidade - Cliff Mautner
14:00h – Imagens extraordinárias: A transformação para a conquista de novos clientes – Daniel Aguilar
16:00h – Por que ninguém me contou isso antes? Descobertas de 15 anos de carreira – Fábio Laub

Núcleo de Tecnologia
12:00h – Como definir o valor do seu trabalho? – Kaká Rodrigues
13:00h – Fotógrafo autor: Direção, estilo e Envolvimento – Robison Kunz
14:00h – Quebrando paradigmas na fotografia de casamento - Nelson Alves e Ricardo Jayme
15:00h – Trabalho documental na fotografia de casamento – Gustavo Gaiote
16:00h – Some Day Edit – a nova chave para o sucesso no vídeo de casamento – Bello Rodrigues

Como podemos ver é uma programação muito interessante e, me atrevo a dizer, que algumas das palestras do Núcleo de Tecnologia serão mais bacanas que as principais. Para quem vai participar desde grande evento nos encontraremos na próxima Terça-Feira no Memorial da América Latina. Pode esperar uma cobertura completa em nosso Twitter e aqui nas páginas do Meio Bit Fotografia.

emNotícias

Novo iPad, Retina Display: É ou não é? R: É e não é.

Por em 8 de março de 2012

Quase 3 anos atrás escrevi este artigo onde explicava como a Retina Display do iPhone 4 era uma tecnologia maravilhosa mas era improvável que chegasse tão cedo ao iPad.

Gerações depois (3 anos em informática é tempo pacas) minha previsão se concretizou. Tanto se você entender que ela continua valendo, por não existir ainda Retina Display no iPad, como se você achar que sim, ele tem Retina Display, mas levou mesmo um bom tempo.

Como assim, Bial? Tem ou não tem?

continue lendo

emApple e Mac

Google Play é a nova plataforma de conteúdo do Google

Por em 6 de março de 2012

dori_play_06.03.12-3

O Google anunciou hoje algo que já deveria ter acontecido há muito tempo, a unificação dos seus serviços de distribuição de entretenimento e agora quando quisermos adquirir jogos, filmes, música e livros, teremos que acessar apenas o Google Play.

Além da centralização do conteúdo, outra característica que deverá agradar aos consumidores é o armazenamento de todo o conteúdo na nuvem. Desta forma quando comprarmos uma música, por exemplo, poderemos acessá-la através do nosso celular ou ouví-la no computador, bastando acessar nossa conta. O serviço possui ainda uma opção para recomendarmos aos nossos amigos aquele filme do qual gostamos e como os diversos dispositivos como celulares e tablets estarão interligados, adquirir cópias digitais dos produtos será algo bastante simples (desde que estivermos conectados, é claro).

Quem adquiriu algum item antes dessa mudança não precisa se preocupar, já que como eles estão atrelados à sua conta, serão mantidos, mas o grande problema é que aqui no Brasil ainda não teremos acesso as mais de 8 milhões de músicas, mais de 4 milhões de eBooks e centenas de filmes, nos restando apenas os aplicativos e jogos vendidos na loja, que vale mencionar, passam de 400 mil.

continue lendo

emCelulares Computadores Google Planeta Sem Fio Portáteis

Valve estaria desenvolvendo um console

Por em 5 de março de 2012

dori_val_05.03.12

Quando Gabe Newell falou recentemente sobre a possibilidade da Valve um dia lançar um console, muitos acharam que tudo podia não passar de palavras jogadas ao vento, mas de acordo com o The Verge, isso pode realmente acontecer. O site garante ter ouvido de algumas fontes que a empresa estaria trabalhando em um dispositivo que já vendo chamado de SteamBox e que seria equipado com um processador Core i7, 8GB of RAM e uma GPU da nVidia.

O rumor fala ainda que reuniões com investidores já foram realizadas durante a CES passada, onde o projeto teria sido apresentado e que o Alienware X51 pode ter sido desenvolvido já tendo essa máquina como modelo. Para tentar conquistar os desenvolvedores, a Valve permitiria que outros sistemas de distribuição como o Origin rodassem na sua “caixa”, oferecendo um ciclo de vida para que o sistema fosse compatível com todos os jogos lançados, sendo atualizado a cada três ou quatro anos e não seria necessário um kit de desenvolvimento específico ou taxa de licenciamento para lançar um jogo para a plataforma.

A coisa fica ainda mais interessante quando sabemos que além de um sistema de sensor biométrico e da compatibilidade com uma enorme quantidade de periféricos USB o console teria um controle proprietário que permitira a troca de componentes, podendo ser adaptado para funcionar melhor com um gênero ou outro, algo que por sinal a Valve já pediu a patente.

Talvez a empresa esteja esperando a chegada da E3 para fazer o bombástico anúncio, mas o fato é que se a Valve resolver mesmo levar o Steam para a sala das pessoas, o mundo dos consoles deverá mudar radicalmente e inevitavelmente Sony, Microsoft e Nintendo acusarão o golpe. Porém, não podemos esquecer que Philips, Panasonic e a até mesmo a Apple não tiverem boas experiências neste mercado e por isso não como questionar se o melhor não seria eles tentarem uma parceria para oferecer o Steam nos consoles da próxima geração.

O melhor por enquanto é esperar mais informações, mas se o rumor for confirmado, o potencial é tão grande que não há como não nos empolgarmos.

emComputadores Rumores

Instalando os jogos do Steam em 2 HDs

Por em 26 de dezembro de 2011

dori_ste_26.12.11

Com as inúmeras promoções realizadas pelo Steam se tornou mais fácil comprarmos uma grande quantidade de jogos, mas isso pode nos trazer um problema sério, a falta de espaço no HD para instalá-los. Na última vez que formatei o PC deixei um disco com 400GB só para os títulos comprados no sistema de distribuição digital, com outro para instalar os jogos físicos e adquiridos em outras lojas (que possuo numa quantidade bem menor), mas isso não foi o suficiente, o espaço acabou e eu precisava encontrar uma solução para poder comprar mais games.

Remover alguns jogos que não deverei jogar tão cedo era uma opção, mas que gostaria de usar só em último caso e após procurar um pouco, encontrei uma solução que pode ajudar algumas pessoas que passam por situação semelhante.

continue lendo

emComputadores Games Tutorial

As leis humanitárias deveriam ser respeitadas nos games?

Por em 6 de dezembro de 2011

Homefront

Misturar situações do mundo real com videogames costuma ser algo que causa uma imensa polêmica, invariavelmente colocando os gamers contra aqueles que não gostam dos jogos eletrônicos e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha está propondo algo que deve dar muito o que falar.

Em uma conferência realizada em Genebra esta semana, foi discutida a influência dos jogos na percepção das pessoas em relação a crimes de guerra e os organizadores defendem a ideia de que as desenvolvedoras devem respeitar as leis humanitárias nos games.

Enquanto o Movimento trabalha vigorosamente para promover a lei humanitária em todo o mundo, existe uma audiência de aproximadamente 600 milhões de jogadores que podem estar violando-a virtualmente,” dizia a descrição do evento, onde ainda podia ser lido: “Exatamente como os videogames influenciam os indivíduos é um tópico debatido calorosamente, mas pela primeira vez os parceiros do Movimento discutem nosso papel e responsabilidade em tomar ações contra as violações da IHL nos videogames. Em um evento paralelo, os participantes são questionados: ‘O que podemos fazer e qual o método mais efetivo?’

continue lendo

emCultura Gamer Games

Jogos no Brasil estão mais próximos de se tornarem (bem!) mais baratos

Por em 1 de dezembro de 2011

dori_bra_01.11.12

Comemorem jogadores, porque foi aprovado na noite de ontem (30/11) pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados a proposta que visa enquadrar os jogos de videogame na mesma lei que reduz os impostos sobre os produtos de informática. Dessa forma, o IPI será reduzido para as empresas situadas no Brasil que investem em desenvolvimento e pesquisa, além de eliminar completamente a cobrança de PIS e Cofins para os jogos importados.

O texto de autoria do deputado Hugo Motta (PMDB-PB) é um substitutivo ao Projeto de Lei 514/11, de autoria do também deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP) e aos Projetos de Lei 943/11 e 899/11, dos deputados Sandro Alex (PPS-PR) e Mauro Mariani (PMDB-SC), respectivamente. De acordo com Motta, isso servirá para incentivar a indústria brasileira de games, reduzido o preço dos jogos e combatendo a pirataria.

Os investimentos para o desenvolvimento desses títulos atingem centenas de milhões de dólares para gerar superproduções digitais que rivalizam com estúdios cinematográficos em público e faturamento,” declarou o deputado.

Por tramitar em caráter conclusivo, a proposta não precisa passar pelo plenário, bastando apenas uma análise por parte das comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, tornando o nosso antigo sonho mais próximo de se concretizar.

PS: Será que agora vai?

PS2: O que vai ter de gente (e organizações) por aí tentando levar o mérito pela façanha…

[via IDG Now!]

emGames Indústria

Nikon SB910 agora é oficial

Por em 30 de novembro de 2011

Assim como os rumores estavam apontando como certo, a Nikon anunciou oficialmente o lançamento do seu novo flash top de linha, o SB910. Em comparação com seu antecessor algumas novidades são bem vindas. A primeira é o design do equipamento. Eu nunca gostei muito do desenho dos flashes da Nikon, mas o SB900, e agora o SB910, estão muito bonitos. O novo flash teve algumas mudanças nos comandos da parte de trás e o menu foi simplificado para ficar mais amigável para os usuários. A principal mudança é a existência de um botão escrito Menu para acessar as funcionalidades do flash. Aliás, estava na hora de pensarem nisso. Um iniciante que pega um flash destes na mão, e estou falando dos equipamentos da Canon também, não tem idéia do que fazer com os botões básicos. Também chama a atenção o enorme visor LCD encontrado no equipamento.

Agora, o que todos estavam esperando mesmo, é o novo sistema de proteção contra o super-aquecimento. O modelo SB900 simplesmente desligava quando o flash aquecia. Está é uma forma de proteger o equipamento e aumentar a sua vida útil, mas é muito complicado quando isso acontece com o fotógrafo profissional no meio de um serviço. Por conta disso várias críticas inundaram a internet contra esta característica do flash da Nikon. Agora o sistema simplesmente atrasa a reciclagem da carga para amenizar o aquecimento. Em vez de termos um flash desligado teremos um flash mais lento. Outra funcionalidade são filtros que vão ajudar no ajuste do balanço de branco para lâmpadas de tungstênio e fluorescentes. O flash avisará a câmera automaticamente quando estiver usando os filtros e toda a operação será regulada pelo balanço de branco do equipamento também. Gostei disso.

Fechando o pacote, o SB910 se adaptou ao mundo DX e FX da Nikon e traz medidas diferentes para o zoom da cabeça. O número guia do flash é de 34 em ISO 100 e 48 em ISO 200. O zoom da cabeça fica compreendido entre 17-200mm para o sistema FX e 12-200mm para o sistema DX. Assim como os filtros, o flash se adapta automaticamente aos sistemas assim que é colocado na câmera.

O novo SB910 deverá estar disponível já em dezembro e o preço estimado é de US$ 550,00.

emAcessórios Áudio Vídeo Fotografia

Halo: Combat Evolved Anniversary – Análise

Por em 28 de novembro de 2011

dori_hal_28.11

Numa época em que muitas desenvolvedoras descobriram que lançar coletâneas com versões remasterizadas de alguns de seus títulos pode ser uma ótima oportunidade de lucrar um pouco mais com franquias famosas, Halo: Combat Evolved Anniversary surgiu como mais um remake que poderia não trazer nada mais do que gráficos menos borrados, mas depois de terminá-lo pude comprovar que ele possui muito mais do que isso.

continue lendo

emAnálises Games Microsoft

Livro Fotografia de Nu Artístico – A Arte e o Talento

Por em 23 de novembro de 2011

Alguns meses atrás ministrei um curso de nu artístico aqui  na cidade de Presidente Prudente. O motivo foi a falta deste tipo de capacitação por aqui. Senti isso na pele, pois todo meu aprendizado teve que ser feito sozinho. Quando comecei não havia internet e tive que errar e acertar sozinho. Muito raramente encontrava alguma revista ou livro sobre o assunto aqui no sertão sorocabano. Aliás, até hoje não se encontra muita informação na internet. O assunto é pouco debatido ou discutido e tutoriais são quase impossíveis de serem encontrados. Existem muitas fotos e portfólios de grandes fotógrafos, mas não encontramos textos teóricos que nos ensinem os detalhes de como produzir um ensaio de nu artístico com qualidade. Estes eram os pormenores que gostaria de passar para meus alunos no curso que estava montando.

Comecei minha busca homérica por livros que me levassem a criar uma base teórica satisfatória e pudessem ser indicados como bibliografia básica. A minha surpresa é que não encontrei quase nada em português e muito pouco em inglês. Será que estamos carecendo de bons livros neste assunto? Ou estão todos escondidos. Porém, minhas buscas por livros em minha língua materna sempre me levaram à obra Fotografia de Nu Artístico – A Arte e o Talento do fotógrafo Pascal Baetens que foi lançado em território nacional pela Alta Books Editora. Fiquei meio receoso, pois não conhecia a obra e o livro não era barato. Depois de muito pensar comprei um exemplar através do Submarino (utilizando minha conta de afiliados para ganhar uns trocos), o local mais barato que encontrei naquele momento, e digo para vocês que não me arrependi. A obra vem em uma encadernação luxuosa e com papel de alta qualidade. Vendo ele em mãos, e observando que o peso da obra faz dele uma arma em potencial, chego à conclusão que o valor está até baixo.

O livro é voltado para quem quer produzir ensaios de nu artístico puro. Não encontramos nenhuma menção ou exemplos de fotografia sensual, apenas o artístico o que é uma vantagem, pois nosso olhar se encontra muito condicionado pelo o que está sendo produzido nas revistas masculinas e sites pela internet. Ótimo ter a possibilidade de olhar o corpo humano sem malícia, apenas pela beleza plástica do mesmo. O livro é dividido em 5 capítulos bem extensos. O primeiro fala sobre a história da fotografia de nu artístico. Muito bacana encontrar algo sobre este tema tão pouco tratado em textos da internet, por exemplo. O segundo capítulo é dedicado a estilos e abordagens. São mais de 30 páginas falando sobre as mais diferentes possibilidades dentro deste tipo de fotografia. Quem se interessa pelo assunto pode perder anos para explorar todas as dicas deste capítulo.

O próximo capítulo, o mais profundo do livro é exclusivamente dedicado à técnica. Temos aqui assuntos básicos como a fotometria e a profundidade de campo e outros mais complexos como as diferentes maneiras de iluminar um corpo nu. Também temos neste capítulo uma longa lista de possíveis locações e as características de cada uma delas. Uma mão na roda para quem está procurando por novas ideias e também para quem não teve uma formação técnica completa dentro da fotografia. Ninguém nasce sabendo tudo e conhecimento adquirido nunca fez mau a ninguém. O quarto capítulo é dedicado à pós-produção. Apenas dicas de correções básicas como contraste, saturação, conversão para preto e branco, uso de filtros e alguns retoques criativos. Aqui é uma indicação bem básica. O autor parte do pressuposto que o leitor tenha conhecimento de Photoshop ou outro programa de edição de imagem.

O quinto e último capítulo é um presente para quem realmente quer aprender. O autor escolheu 10 fotógrafos famosos do mundo do nu artístico e cada um produziu uma foto para o livro. Porém, cada foto é explicada desde a captura até a pós produção. Uma grande aula de fotografia até mesmo para quem tem experiência na área. Aqui conseguimos ver que apertar o botão da câmera é uma parte muito pequena da fotografia. A pré e a pós produção da imagem é muito importante para a construção do olhar artístico do fotógrafo.

Embora possa parecer um investimento um pouco alto (eu pensei assim no começo) o livro é um grande tesouro. Um grande ponto positivo da obra é tratar o nu masculino e o feminino de forma igual. Quando a maioria das pessoa pensam em fotografia de nu já imaginam a figura feminina, mas o masculino também tem muita força na área artística. Recomendo sua compra para quem quer aprender. Todas as lições são ilustradas com uma grande quantidade de fotografias de alta qualidade. O livro pode ser encontrado na maior parte das livrarias on-line do Brasil e eu recomendo o investimento.

emResenhas

Deus Ex: Human Revolution – Análise

Por em 16 de novembro de 2011

dori_deus_16.11.11-3

Estamos no ano de 2027, quando algumas empresas ganharam uma influência mais evidente sobre os governos e a tecnologia avançou consideravelmente, principalmente em se tratando de implantes em humanos, que agora se dividem entre aqueles que tiveram seus corpos “melhorados” e os que abominam a prática.

Adam Jensen, ex-comandante da polícia de Detroit agora é o responsável pela segurança da Sarif Industries, empresa especializada em biotecnologia e próteses que visam conceder certas habilidades aos usuários, como locomover-se com mais velocidade, tornar-se mais fortes ou enxergar através das paredes. Durante uma operação de rotina, Jensen presencia o ataque de um grupo fortemente armado que além de destruir a sede da companhia e matar sua ex-namorada, praticamente lhe tira a vida, culminando em um cirurgia que acaba o transformando em um super-soldado, mesmo contra sua vontade. Começa então sua busca por vingança.

continue lendo

emAnálises Computadores Games Microsoft Sony

Rockstar revela primeiro trailer do Grand Theft Auto V

Por em 2 de novembro de 2011

E não é que a Rockstar resolveu atender aos pedidos e nos levará novamente à costa oeste dos Estados Unidos, situando o GTA V na fictícia cidade de San Andreas? A informação foi dada através de um curto, mas belo trailer do título, que mostra imagens ingame e diversos locais que poderão ser visitados quando jogarmos.

Infelizmente nada foi dito sobre a data do lançamento e com exceção de nos dizer que dessa vez controlaremos um sujeito de meia idade que tentou se aposentar da criminalidade constituindo uma família, maiores detalhes sobre o game não foram revelados, mas acredito que nas próximas horas várias referências, homenagens e dicas serão descobertas por jogadores curiosos que devem estar assistindo o vídeo em loop desde que ele foi publicado.

Como um grande fã do GTA: San Andreas, que ainda considero o ápice da série, espero que a Rockstar consiga eliminar ou pelo menos tornar menos obrigatória, se é que podemos chamar assim, algumas tarefas secundárias dos últimos jogos, como arrumar namoradas e amigos, comer e fazer exercícios, algo que podia ser bastante chato, porém, o que eu gostaria realmente de ver é um mapa imenso, que nos fizesse gastar alguns minutos na estrada para irmos de uma cidade para outra, mas não sei se a atual tecnologia permitiria isso.

Seja como for, gostei do que vi nesse primeiro trailer, a cidade parece bastante detalhada e viva, cheia de pessoas e com ambientes bastante distintos, o que me levou a ter certeza de uma coisa, comprarei o Grand Theft Auto V na pré-venda, assim como fiz com o GTA IV.

continue lendo

emGames Microsoft Sony Vídeos

Para David Jaffe, jogabilidade é mais importante que narrativa

Por em 28 de outubro de 2011

dori_gow_26.10.11

A aproximação dos games ao cinema tem ficado cada vez mais evidente ultimamente e não me refiro a criação de filmes baseados em franquia famosas dos jogos eletrônicos, mas na maneia como os games tem ficado mais parecidos com filmes de ação, repletos de pirotecnias e situações que nos deixam grudados na cadeira.

Particularmente gosto muito desta abordagem, mas David Jaffe, criador do primeiro God of War mostrou um ponto de vista interessante sobre o assunto.

Várias pessoas me perguntam se voltarei a fazer outro God of War (assumindo que essa oportunidade me seja dada) e eu sempre digo a mesma coisa: se fosse um God of War misturado com algo como a fórmula do Zelda, então sim (como um Darksiders, certo?).

Mas se for um God of War usando a fórmula atual, eu não faria. Para mim – e isso é minha opinião pessoal (respeito que nem todos compartilhem o mesmo raciocínio) – dirigir o God of War me fez perceber como um game designer (e certamente como diretor), que quero que nossos jogos sirvam ao deus da JOGABILIDADE em primeiro lugar.

Esse comentário só reforçou uma ideia que venho alimentando há algum tempo, de que a série GoW está perdendo a graça e que ficar espancando botões durante algumas horas não é mais tão legal quanto foi no primeiro jogo. Um God of War com mais liberdade e parecido com um The Legend of Zelda? Sim, eu quero isso e só de pensar na possibilidade já perdi a vontade de jogar o quarto capítulo, que provavelmente não passará por tamanha mudança, afinal sabe como é, se vende bem da maneira como está, porque mudar?

[via Eurogamer]

emMiscelâneas

Cientista diz que games podem causar demência em crianças

Por em 18 de outubro de 2011

dori_cri_18.10.11

Os jogos já foram acusados de fazer com que os mais jovens deixassem os estudos de lado (o que convenhamos, não é lá um grande absurdo), de incentivar a violência e de treinar terrorista, mas dessa vez uma cientista britânica joga mais uma imensa responsabilidade em cima dos games, a de que eles estão causando uma demência temporária nas crianças.

De acordo com a neurocientista Susan “Baroness” Greenfield, a molecada deveria desligar seus computadores e videogames e irem brincar , já que em apenas um ano elas podem gastar mais de 2000 horas diante de uma tela.

As tecnologia das telas causam uma grande estimulação ao sistema cerebral ligado ao vício. Isso resulta na atração por mais atividades relacionadas as telas,” disse Baroness, que afirmou ainda que as conexões do cérebro “podem ser temporariamente desligadas por atividades com um forte conteúdo sensorial – ‘explodindo a mente’, ou elas podem ficar permanentemente inativas pela degeneração – ou seja, demência.

Por fim, a cientista ainda alertou sobre o aumento dos jovens que “trollam” os outros pela web e a tendência que eles adotaram de viver suas vidas através do Facebook.

Particularmente não me sinto na posição de refutar as palavras de alguém com tanto conhecimento da área e acredito que faltem dados para que uma afirmação desse tipo seja feita. Mesmo assim, concordo com ela quando diz que muitas crianças passam tempo demais diante da TV e que elas precisam brincar com outras coisas.

[via VG247]

emGames Miscelâneas

Gears of War 3 – Análise

Por em 13 de outubro de 2011

Poucas franquias nessa geração despertaram tanto a ansiedade dos fãs quanto a Gears of War,  uma dessas belas surpresas que vieram para mudar o conceito de todo um gênero de jogos.

Depois de 5 anos, chega ao fim a trilogia do desenvolvida pela Epic Games e, passadas 3 semanas do lançamento, já me sinto confortável o suficiente para falar deste jogo sensacional do Xbox 360. Para saber as impressões sobre esse jogo, leia a sinopse e acompanhe mais este review do Meio Bit.

continue lendo

emAnálises Microsoft

Cientistas detectam neutrinos mais rápidos que a velocidade da luz

Por em 22 de setembro de 2011

s_hyperspace_falcon

Neutrinos são partículas atômicas teorizadas por Pauli em 1930 mas só detectadas diretamente em 1956. A dificuldade é explicada. São minúsculos, mesmo para uma escala onde tamanho não tem muito significado. Não possuem carga elétrica, não reagem a eletromagnetismo. Também são muito rápidos. A maioria dos cálculos E experimentos coloca neutrinos viajando praticamente na velocidade da luz.

Só que isso seria impossível para qualquer partícula com massa, e neutrinos, segundo os modelos atuais, têm massa. Não muita, e por reagirem com matéria somente através da Força Nuclear Fraca, o Universo é praticamente transparente para eles. Um neutrino mediano conseguiria atravessar mil anos-luz de chumbo antes de bater em alguma coisa.

Como conseguimos detectá-los? Estatística. levante o indicador, coloque em direção ao Sol, tampando. Neste momento 65 bilhões de neutrinos estão atravessando a ponta de seu dedo, seu olho e — sentiu a coceirinha na nuca? — seu crânio. Dada a quantidade, ALGUNS são detectados, em equipamentos como o MINOS.

Um detector de neutrinos construído no começo dos anos 80,  achou exemplares dessa partícula a 1,000051(29)c. Como táquions não existem fora do campo de partículas imaginárias, e a única coisa mais rápida que a Luz são más notícias, havia algo muito errado.
continue lendo

emEnergia Espaço Produtividade

Nikon V1 e J1 – novas mirrorless no mercado

Por em 22 de setembro de 2011

E a Nikon finalmente colocou de forma oficial as suas duas câmeras mirrorless no mercado. E qual a primeira impressão? Elas são muito feias. Parecem câmeras de brinquedo, mas isso não pode ser levado em consideração quando falamos de qualidade de imagem. É apenas uma pequena observação. Tanto a Nikon V1 quanto a J1 estão equipadas com o mesmo sensor CMOS de 10 megapixels, porém a primeira é um pouco mais avançada. Entre outras características ela possui um visor eletrônico, enquanto que com a J1 é necessário fotografar utilizando o visor LCD.

Como já havia sido noticiado a câmera possui um fator de corte de 2,7x (muita gente achou isso estranho) e a categoria será nomeada como CX (a Nikon já possuía a FX e a DX). Os equipamentos podem fazer fotos em JPEG e RAW com 12 bits, além de filmes em alta definição Full HD com 1920×1080 pontos. Porém, os dois fatos que chamam muito a atenção são a quantidade de pontos de autofocus para comparação de fases (73) e a velocidade do modo continuo que chega a 60 fotos por segundo com foco fixo e 10 fotos por segundo com autofocus nas primeiras 30 fotos (V1) e 12 fotos (J1). Ambas as câmera possuem LCD de 3 polegadas e velocidade ISO nativo de 100 a 3200 e ISO estendido até 6400.

Ambas as câmeras estarão disponíveis juntamente com a lente Nikkor 10-30mm f3.5-5.6 VR e devem custar US$ 650,00 (J1)  e US$900,00 (V1). A diferença de preço entre as duas câmeras se justifica apenas pela V1 possuir visor eletrônico, conexão para flash externo e a estrutura interna feita de liga de magnésio, o que deve tornar o corpo da câmera muito mais resistente.

A Nikon mandou um press release para os órgãos de imprensa se vangloriando de estar fazendo história, que sua câmera é única e que vai criar novas tendências. Muitas empresas possuem o péssimo hábito de se esquecer o que já foi feito e dizer que seu produto é revolucionário. E acho que nesse caso temos um empate. A câmera vem para suprir a necessidade do mercado de câmeras mirrorless, uma coisa que não foi inventada pela Nikon e que já está no mercado há muito tempo. Porém, temos que dar crédito aos números dos pontos de autofocus, a incrível velocidade do modo contínuo, a capacidade de gravação de vídeo em super câmera lenta com 400 quadros por segundo em VGA e, principalmente, ao processador Expeed 3 que torna o processamento interno da câmera no mais rápido do mundo. Ela ganha até da Nikon D3X. E por fim cabe lembrar que, quebrando uma longa tradição, o sensor da nova linha de câmeras da Nikon não foi produzido pela Sony. Ele foi completamente desenhado e fabricado pela própria Nikon.

Várias amostras em alta definição da câmera já estão à disposição do público. O que notamos até agora é que as câmeras possuem ótima qualidade de imagem e um desempenho de processamento de dados muito alto. Talvez, apenas talvez, estejamos vendo uma nova revolução. Talvez, o mundo das câmeras compactas tenha achado a sua evolução natural. Mas, para isso, o preço ainda tem que cair muito.

emÁudio Vídeo Fotografia Equipamentos

Rare, dos grandes títulos aos jogos para Kinect

Por em 21 de setembro de 2011

dori_batt_19.09.11

Battletoads, Donkey Kong Country, GoldenEye 007, Banjo-Kazooie, Perfect Dark, Conker’s Bad Fur Day… Com jogos desse calibre, é muito fácil perceber a relevância da Rare e entender porque ela era idolatrada por tantas pessoas. Veio então a aquisição por parte de uma companhia gigantesca e o que poderia significar títulos ainda melhores graças a injeção de milhões de dólares, acabou causando a ira de muita gente, talvez por puro fanatismo ao vê-la deixando a sua antiga parceira Nintendo, talvez tenha sido por causa da qualidade anterior nunca mais atingida.

No Xbox 360 eu gostei do Kameo: Elements of Power e do Kinect Sports e joguei alguns poucos minutos do Viva Piñata e do Banjo-Kazooie: Nuts & Bolts que também me agradaram, provavelmente não se trata de jogos tão geniais como os citados no início do texto, mas longe de serem horríveis. Contudo, não deixa de ser triste a justificava dada por Scott Henson, gerente da companhia, ao responder se a Rare ainda é tão importante quanto antigamente.

continue lendo

emMicrosoft Museu

O melhor Time-Lapse que você jamais será capaz de produzir

Por em 20 de setembro de 2011

A internet está cheia de vídeos interessantes feitos com uso da técnica de Time-Lapse.

O vídeo abaixo vem de da Estação Espacial Internacional e, como ele, nunca foi feito ou visto antes.

Esse recorte contendo imagens incríveis foi feito durante uma parte da órbita da estação ao redor da Terra, no lado em que ela ainda está de noite.

É muito interessante poder visualizar de tão privilegiada perspectiva as explosões de raios em nuvens carregadas sobre o Pacífico. Não tão bacanas assim, são as pesadas nuvens de poluição que aparecem aqui e ali na peça.

Um espetáculo para os olhos.

[cardoso] faça um favor a si mesmo e veja em FullHD, é lindo!

emFotografia Meio Bit

Sony revela duração da bateria do PS Vita (+ jogos confirmados)

Por em 14 de setembro de 2011

dori_vita_14.09.11

Tokyo Game Show rolando e mais algumas informações interessantes sobre o Playstation Vita (acho que só eu gostou do nome, né?) foram reveladas na madrugada passada. Aquela que provavelmente mais desagradará os jogadores estava nos detalhes técnicos do portátil e falava sobre a duração da bateria.

Já era de se imaginar que um videogame capaz de gerar gráficos parecidos com o do Playstation 3 consumiria muita energia e se você é um dos que sempre acharam a autonomia da bateria do PSP muito pequena, saiba que no Vita não será muito diferente. Quando estivermos jogando ela durará entre 3 e 5 horas (e sem a rede ligada!), exigindo mais 2h40 para ser recarregada, portanto, é bom levar um livro quando for fazer alguma viagem mais longa, pois o bichinho não dará conta do recado.

A fabricante também divulgou uma lista com mais alguns jogos que estão confirmados para o aparelho e embora não tenha nenhuma grande surpresa, não deixa de ser interessante sabermos que vários títulos que aparecerão no PS3 também terão uma versão para o Vita, como o Zone of the Enders HD Edition, o Metal Gear Solid HD Edition e o Ultimate Marvel Vs. Capcom 3 (previsto já para o lançamento, que acontecerá no Japão no dia 17 de novembro).

Eu definitivamente não sou um jogador de portáteis, tendo um PSP e um DS e jogado pouquíssimo neles, mas mesmo assim e apesar das constantes previsões de que ele irá fracassar, estou com uma enorme vontade de comprar esse PS Vita.

continue lendo

emPortáteis Sony

Win8: Interface, Experiência do Usuário, Cloud e Virtualização [BUILD 2011]

Por em 13 de setembro de 2011

Build

Às 13h, Steven Sinofsky, presidente da divisão do Windows Live, conduziu o BUILD, conferência de escopo mundial que aconteceu hoje em Anahein/Califórnia (EUA), e fez uma ampla e entusiasmante apresentação do novo sistema operacional da Microsoft, o Windows 8.

Com o seu típico estilo trocentas-palavras-por-segundo durante toda a apresentação, Sinofsky falou a respeito da miríade de inovações que o novo sistema traz, falando rápido, mas falando muito. Mas isso só depois do começo da apresentação, que foi paradoxalmente compassado, onde ele anunciava como seria o dia: “O que vamos lançar hoje é uma oportunidade para desenvolvedores”.

Quem assistiu o streaming, nem que apenas uma parte, facilmente concorda que o Win8 e todo o kit de modificações e possibilidades é precisamente isso: uma enorme (e MUITO bem feita) porta para o bom e velho desenvolvimento de aplicativos. E a Microsoft deixou claro que está faminta por desenvolvedores.

Poderíamos comentar por horas a fio cada novo detalhe apresentado, e foram muitos, portanto resolvemos dividir alguns assuntos com colunistas. No meu caso, vou comentar brevemente o trabalho incrível que penso ter feito a Microsoft com a integração/virtualização de máquinas com um Cloud Computing (ao meu ver) incomparável e o enlace disso tudo com a nova plataforma criada no Windows Live, para o Windows Live.

Para começar, não há como ignorar que a Microsoft investiu muito seriamente na melhoria da interface de usuário. A plataforma Metro Style não é – nem de longe – mera perfumaria e é simplesmente um colírio para os olhos. Mas melhor ainda, é perceber todo o trabalho no backend do Win8, onde a empresa basicamente re-assina tudo à base de Javascript e HTML5 em uma das maiores “faxinas” de código que eu já vi em um sistema operacional. Ficou visível isso.

Win82

continue lendo

emMeio Bit

Segundo analógico para o 3DS é anunciado

Por em 13 de setembro de 2011

Pronto pessoal, agora não há mais dúvidas. A Nintendo confirmou que lançará mesmo um acessório (prefiro chamar de gambiarra) que permitirá ao 3DS ter um segundo analógico. O anúncio não ocorreu durante a apresentação da companhia na Tokyo Game Show, mas já é possível vê-lo no site da BigN.

Com previsão de chegar às lojas japonesas no dia 10 de dezembro custando ¥1500, ou cerca de US$ 20, o Slide Pad (um nome bacana para um acessório horrível) ao contrário do que algumas pessoas especulavam não será exclusivo para o Monster Hunter Tri G e sim poderá ser utilizado em vários outros títulos, como o Resident Evil: Revelations, Ace Combat 3D: Cross Rumble, Metal Gear Solid: Snake Eater 3D, Kingdom Hearts 3D: Dream Drop Distance e o Dynasty Warriors VS.

Outro detalhe revelado pela Nintendo é que ele usará uma pilha palito para funcionar, acabando assim com a expectativa de muita gente de que o trambolho poderia aumentar a autonomia da bateria do portátil.

Conversando com alguns jogadores que tinham interesse em adquirir um 3DS, todos me disseram que o simples rumor levantando há alguns dias já teria sido o suficiente para que adiassem a compra e o motivo para isso é que há uma grande chance da Nintendo lançar em breve uma nova versão do portátil, com esse segundo analógico já integrado e que sem dúvida valeria muito mais a pena, porque sinceramente, que coisa ridícula! Parece aqueles acessórios xing-ling que vendiam para o Game Boy que serviam com uma lente de aumento e que jogava luz na tela.

dori_slid_13.09.11

continue lendo

emGames Nintendo Portáteis

Adobe atualiza o Flash Media Server para versão 4.5: Streaming de Flash para iOS e todo mundo.

Por em 10 de setembro de 2011

 

A longa e tenebrosa queda de braço entre a Adobe e a Apple pode ter chegado ao fim. Ou quase, mas as prospecções são das melhores.

A Adobe anunciou hoje a versão 4.5 do Flash Media Server, solução oferecida à conglomerados de mídia que fazem distribuição de vídeos no formato pela internet.

Isso quer dizer que os websites poderão oferecer finalmente um conteúdo efectivamente compatível com inúmeros novos dispositivos – incluindo o iOS – através de streaming de dados, ao invés de compatibilidade casada via a instalação de software de suporte dentro dos aparelhos.

A boa notícia é que em um curto período de tempo, resolve-se um problema (e também cria-se outro) em relação ao Flash, onde a principal ocorrência é a não-necessidade de se instalar aplicativos famintos demais para aparelhos de menos.

Digo cria-se outro porque muitos já antecipam um renascimento em massa do banner mutante de propaganda em flash. Mas, vamos deixar a coisa se desenrolar primeiro antes de carregar o pente. Afinal, a notícia não é nada ruim.

Com a atualização, a Adobe chama para si resolver o problema e é o FMS que se vira para descobrir qual é a plataforma que o usuário utiliza e qual codec deve enviar embutido no streaming, na hora, para tocar a mídia.

No mesmo release, a Adobe também anuncia uma nova versão do Adobe Flash Access, uma solução de proteção de conteúdo para a plataforma Android; e também o Adobe Pass, uma solução de autenticação para o sistema de TV Anywhere, utilizada por centenas de provedores de conteúdo de vídeo na interweb.

Discretamente, o release também dá conta da compra da IRIDAS, uma fabricante de ferramentas para graduação de cor e aprimoramento digital de filme digital e vídeo, expadindo o ecosistema de parcerias da empresa. continue lendo

emInternet Meio Bit Mobile

Fabricado no Brasil, Xbox 360 sofre grande redução de preço

Por em 8 de setembro de 2011

dori_xbo_08.09.11Há algumas semanas surgiu um rumor de que a Microsoft começaria a fabricar o Xbox 360 no Brasil e depois de terem confirmado que os jogos passariam por tal processo, tudo indica que o console seguirá o mesmo caminho. A novidade foi revelada pela Incomp, distribuidora oficial do aparelho por aqui e com isso o modelo mais simples do videogame terá o seu valor reduzido para R$ 699 (!) ainda no mês de setembro.

Além disso, também começarão a ser vendidos no país pacotes para ambas as versões (4GB e 250GB) com o Kinect, já que anteriormente o acessório só podia ser adquirido separadamente, porém, a Microsoft não confirma a possibilidade, limitando-se a dizer que não comenta rumores, mas com tais evidências, é provável que seja apenas uma questão de tempo até que um comunicado oficial seja emitido.

Abaixo está a lista com todos os modelos e preços do Xbox 360 (supostamente) brasileiro.

continue lendo

emGames Games Microsoft Rumores

DVD Diagramação de Album de Casamento 2

Por em 1 de setembro de 2011

E estou aqui com o segundo volume do DVD Diagramação de Álbum de Casamento dos fotógrafos Fernanda Marques e Reinaldo Martins. O primeiro volume, que infelizmente não foi resenhado aqui no Meio Bit, trazia uma grande introdução de como montar o seu álbum de casamento utilizando do Photoshop. Aqui cabe uma pequena observação. Álbuns de casamento não são mais feitos como nos tempos de nossa avó. Antes, as fotos eram ampliadas inteiras e colocadas nas folhas de plástico para a montagem do álbum. Hoje em dia, com os modernos softwares de edição e as diferentes possibilidades de impressão, a montagem do álbum se tornou uma importante peça do trabalho artístico do fotógrafo. Ouso dizer que a edição e design do álbum podem até salvar o trabalho de um fotógrafo medíocre. Mas, vamos ao que interessa.

O DVD se mostra uma excelente continuação do primeiro volume. Os passos mostrados anteriormente não são mais abordados, mas temos uma importante introdução à assuntos que muitas vezes não são tratados ou que não nos atentamos na hora de sentar e começar a editar um álbum de casamento (ou de outro evento social que tenhamos fotografado). Por exemplo, um dos capítulos do DVD se dedica a estudar as cores e o que cada uma delas representa e como são interpretadas pelo nosso cérebro. Muito bom isso, pois já vi álbum de casamento que parecia um carnaval de tão colorido que ficou. Mais sobriedade é sempre bem vinda. Outro capítulo de grande importância é o que trata da utilização das fontes. São mostrados os diferentes tipos de fontes e o principal uso. Claro que essas são preocupações que todo mundo que trabalho com design possuí. Conheço gente que tem coleções gigantescas de fontes, mas muitos fotógrafos, principalmente os mais velhos como eu, não são muito familiarizados com esses assuntos. Outros pontos pertinentes à diagramação e que são tratados no DVD são os fundos fotográficos, os tipos de álbuns, tendências, composição e plug-ins mais utilizados.

Dois pontos (capítulos) eu acho que são diferenciados por tratar de maneira bem legal de assuntos que são importantes. O primeiro deles trata da questão dos fornecedores. A escolha de quem vai imprimir os seus álbuns é muito importante e envolve a análise de vários pontos. O primeiro deles é a qualidade do produto do seu fornecedor, a maneira que ele te atende, se ele fornece perfil de cor para calibração do seu monitor e a variedade de álbuns disponíveis para impressão. Não podemos simplesmente escolher a primeira encadernadora que encontramos. Precisamos comparar os serviços. O segundo ponto interessante é o capítulo chamado Álbum Comentado, onde os fotógrafos mostram um álbum produzido por eles para ser utilizado como portfólio. São explicados os motivos que levaram à construção do álbum daquela maneira e a importância de cada foto que se encontra no trabalho.

Uma das novidades desse trabalho é a existência de um segundo DVD cheio de novidades. Segundo a apresentação dos fotógrafos, o público pediu e eles atenderam. No disco extra encontramos 200 templates para você utilizar nas duas diagramações de álbuns. Todos bem simples e sóbrios, coisa que está se tornando um padrão na diagramação de álbuns nas capitais. Na verdade, são 600 templates, já que temos os 200 em três formatos: retrato, quadrado e paisagem. Também encontramos uma pasta com texturas para serem utilizadas de fundos fotográficos, uma pasta com florais vetorizados que podem ser editados sem a perda de qualidade e dois actions para Photoshop que são bem simples, mas quebram um galhão. Também encontramos no DVD a versão trial do programa Super Album, um assistente que roda dentro do Photoshop e que faz algumas tarefas de maneira automatizada. Uma mão na roda na hora de editar um álbum.  Só a existência do segundo DVD e dos capítulos que ensinam a utilizar esse material já valem a compra do produto.

As imagens do DVD se encontram nítidas e o áudio está muito bom, possibilitando um ótimo entendimento da aula.O único ponto negativo que encontrei é que não está marcado nos DVDs qual é o volume 1 e qual é o volume 2, embora eles estejam colocados na ordem certa dentro da caixinha. Apenas a observação de um consumidor chato.

O DVD Diagramação de Álbum de Casamento – Volume 2 de Fernanda Marques e Reinaldo Martins já está a venda no site da iPhoto Editora e o valor do investimento é de R$ 99,00.

emResenhas

O Meio Bit leva você de graça ao Nu Photo Conference

Por em 6 de julho de 2011

Como já noticiado por aqui, a iPhoto Editora esta capitaneando um congresso de fotografia com tema inédito na América Latina e talvez no mundo inteiro. O 1º Nu Photo Conference vai acontecer em São Paulo nos dias 19, 20 e 21 de setembro, no Teatro das Artes | Shopping Eldorado. A fotografia de nu artístico ou fotografia sensual (existem algumas diferenças entre os dois tipos) é a que mais fascina o ser humano, uma das mais praticadas por revistas e editoriais de moda e, ao mesmo tempo, uma das mais inacessíveis para quem está começando na fotografia (por razões obvias).

Quem está querendo entrar nessa área de atuação fotográfica para tentar a sorte com grandes revistas ou vender books sensuais para os consumidores (em sua maioria mulheres) só existe o caminho dos workshops particulares ou tentar aprender sozinho com material encontrado na internet. Agora temos mais uma opção. O Nu Photo Conference vai ser um grande congresso onde teremos 12 palestras com grandes nomes da fotografia de nu e sensual (aguardem um futuro texto com apresentação dos palestrantes). O importante no evento é que teremos tanto a parte teórica quanto apresentações práticas no palco. Quem já participou de eventos desse porte sabe a importância do conhecimento adquirido.

Levando a cabo uma parceria que já existe há muito tempo entre a iPhoto Editora e o Meio Bit Fotografia, temos aqui um passaporte completo para os três dias do evento para ser sorteado entre nossos leitores. Mas, como sorteio é uma coisa muito fácil, e às vezes injusta, nada melhor do que merecer essa oportunidade de participação no evento. Para isso vamos realizar um pequeno concurso de fotografia. Vejam abaixo o regulamento:

Concurso Fotográfico Meio Bit Fotografia/iPhoto EditoraNu Photo Conference

Tema do concurso – O meu olhar sobre a sensualidade

Regras

– O concurso fotográfico intitulado O Meu Olhar sobre a Sensualidade é voltado para os leitores do Meio Bit Fotografia;

– Cada leitor, para participar, deve enviar uma foto que contemple o tema.

– A foto deve estar no formato JPEG e possuir, no máximo, 1024 pixels em sua aresta maior, e no mínimo 800 pixels;

– O participante deve declarar ser o autor da imagem e ter autorização de divulgação das imagens de qualquer pessoa que nela apareça (a autorização só será exigida em caso de reclamações de direito de imagem);

– O vencedor deverá enviar a foto original para a comissão do concurso para constatação da autoria;

– Não é permitido alterações drásticas na imagem via software. Conversão para preto e branco e ajustes básicos como contraste, brilho, níveis e saturação serão aceitos;

– A foto deve ser enviada para o e-mail fotografia.meiobit@gmail.com constando no assunto do e-mail “Nu Photo Conference“;

– o concurso terá como período de inscrição do dia 11 de julho até o dia 26 de agosto;

– O vencedor será anunciado no dia 29 de agosto;

– O prêmio para o vencedor é um passaporte completo para os 3 dias do Nu Photo Conference.

– Nenhuma das imagens será utilizada para qualquer tipo de divulgação ou banco de imagem;

– O participante deve citar no ato da inscrição se autoriza a exposição da foto em nosso álbum do Picasa

É isso ai gente. Agora é só clicar e participar.

emConcursos

[Hands-on] Google Facebook, digo, Google+

Por em 30 de junho de 2011

Quem esperava lucrar com o mercado negro de convites para o Google+, a nova rede social da Google, teve uma baixa considerável ontem à noite. Perto das 22h, a Google abriu as porteiras e liberou uma generosa nova rodada de convites para o serviço. EU ESTAVA LÁ!!1

Uma coisa que me chamou a atenção logo de cara foi uma checkbox na tela onde se define o nome de usuário. Diz ela:

“A Google poderá utilizar as minhas informações para personalizar conteúdos e anúncios em Web sites não pertencentes à Google.”

continue lendo

emGoogle Internet Meio Bit

[Análise] Nokia E7

Por em 22 de junho de 2011
Nokia E7

Nokia E7. (Clique para ampliar)

O que faz um bom smartphone? Hardware? Recursos? Software? Ou a combinação de todos esses, mais um bom ecossistema por trás da parte que o usuário vê?

Quem usa e abusa do seu marcará “todas as alternativas” sem pestanejar. Porque é assim que as coisas funcionam hoje. Não basta um hardware impecável, ou um software matador; se a peteca cai num determinando ponto, toda a experiência de usuário é comprometida.

Lançado em fevereiro de 2011, o Nokia E7, ou Nokia E7-00 como também é chamado, chegou num momento crítico. Não bastasse o Symbian amargando críticas negativas a despeito dos seus (tímidos) avanços e a incerteza acerca do MeeGo, dali a alguns meses a Nokia anunciou a parceria com a Microsoft que visa colocar o Windows Phone nos seus aparelhos high-end.

Vendido como o Nokia corporativo definitivo, ele empresta dos lançamentos recentes da fabricante finlandesa, como o N8, características de fazer suspirar, como o corpo de alumínio anodizado e a tela de AMOLED grande e brilhante. Dos seus antepassados, como o unânime E71, vem o perfil corporativo e o teclado, agora retrátil, confortabilíssimo. Em comum a todos, o Symbian, com pequenos ajustes na versão ^3.

Qual o resultado dessa mistura de campeões do passado? Confira na nossa análise completa!

continue lendo

emAnálise Celular Especial Meio Bit Mobile

Filmes que poderiam ter sido inspirados em jogos

Por em 16 de junho de 2011

dor_movii_13.06.11

A adaptação de games para filmes (e vice-versa) sempre foi tida para a maioria como nada mais do que um enorme fracasso. Embora, na minha opinião, hajam alguns (poucos, é verdade) bons longa-metragens que foram inspirados em franquias famosas do mundo dos jogos eletrônicos, como o Silent Hill e o Mortal Kombat, é inegável que a maioria sejam meros caça-níqueis que nunca deveriam ter saído da mente daqueles que tiveram a coragem de levar os projetos até seu final.

Mas se os profissionais que consegue obter os direitos de alguns games não são capazes de criar bons filmes usando seus universos, para a alegria dos jogadores há algumas produções que nos lembram bastante certos jogos e que poderiam muito bem ser versões até melhores que as adaptações que carregam o nome de algumas franquias e neste post eu gostaria de recomendar algumas delas. Depois, os comentários estarão aí para você indicar outras películas que se pareçam com jogos.

continue lendo

emCultura Gamer

Windows Intune: solução Microsoft para ambientes Microsoft. E Microsoft.

Por em 13 de junho de 2011

Parece que tem Microsoft demais no título? É assim mesmo, você entenderá.

O Windows intune é um produto com potencial. A idéia é atingir um mercado de pequenas e médias empresas que precisem de uma ferramenta de gerenciamento de desktops mas que não tenham grana ou know-how para comprar/desenvolver/customizar ferramentas próprias.

O Intune (me policiando HORRORES pra não digitar iTunes) simplifica todo o processo de gerenciamento de máquinas, oferecendo uma ferramenta na nuvem.

continue lendo

emIndústria Internet Meio Bit Produtividade Software

E3 2011 • Nintendo

Por em 7 de junho de 2011

dori_e3_nin_06.06.11

Uma apresentação breve, com menos de uma hora e vinte minutos e sem muitas firulas. Foi assim que a Nintendo passou pelo palco da E3 e recaía sobre ela a responsabilidade de apresentar grandes novidades, coisa que Sony e Microsoft praticamente não fizeram ontem. É claro que todas as atenções estavam voltadas para o seu novo console e ao contrário do que a empresa japonesa fez, vamos começar falando justamente dele.

continue lendo

emGames Nintendo Portáteis

E3 2011 • Sony

Por em 7 de junho de 2011

dori_e3_son_06.06.11

Uma conferência com vários bons jogos, mas sem nenhuma grande surpresa. Assim pode ser descrita a apresentação da Sony na E3 deste ano. Durante a maior parte do tempo a companhia esteve preocupada em mostrar os títulos exclusivos que a família Playstation receberá nos próximos meses e verdade seja dita, a linha para o console é muito boa.

continue lendo

emGames Portáteis Sony

E3 2011 • Microsoft

Por em 6 de junho de 2011

dori_e3_micr_06.06.11

O fato de a Microsoft não ter deixado escapar muitas informações sobre o que pretendia mostrar durante a edição deste ano da E3 serviu para que uma certa expectativa fosse gerada em torno da companhia, já que alguns apostavam que ela poderia ter algumas cartas escondidas na manga, mas após o término da sua apresentação em Los Angeles, não foi bem isso que os jogadores viram.

continue lendo

emGames Microsoft

Entrevista Exclusiva: Rodrigo Becerra–Brasilgov 2.0

Por em 30 de maio de 2011

Rodrigo Becerra se define como um apaixonado por governo e políticas públicas e como a tecnologia pode ser usada como catalisador para melhorar nossas vidas. Ele é ex-Chefe de Staff do Ministro das Finanças do México e hoje é Diretor de “World Wide Goverment Industry” da Microsoft. Um título impressionante para uma tarefa quase utópica: organizar o Governo Mundial Secreto através da Maçonaria, dos Illuminati, do Grupo Bilderberg e dos Otakus promover o conceito de Governo 2.0.

rodrigobecerra

Em vários lugares do mundo, mesmo no Brasil, os governos estão cada vez mais aceitando a realidade de que precisam ser transparentes e prestar contas de seus gastos e suas ações. A iniciativa Governo 2.0 vai além, é um projeto onde as redes sociais são usadas de forma organizada, pela sociedade civil E pelos governos, interagindo em busca de soluções para problemas, fiscalização de bens e gastos públicos e agilização da universalmente lenta burocracia estatal.

Alguns chamariam de Sofativismo de Resultados, mas sofativismo não dá resultado nenhum, já e-government, mesmo em sua fase 1.0 funciona, vide a Nota Fiscal Eletrônica.

A iniciativa tem braços no mundo inteiro, inclusive no Brasil, onde ocorrerá o primeiro Seminário, dia 8 de junho.

A conversa com Rodrigo foi bem informal, mas creio ter coberto a maior parte das dúvidas e desconfianças de uma geração que viu Arquivo X demais:

continue lendo

emEntrevista Indústria Internet Meio Bit

Livro Retratos de Luiz Garrido

Por em 29 de maio de 2011

Na Photo Image Brazil do ano passado o estande da iPhoto Editora estava uma verdadeira badalação. Muita gente legal ministrando palestras, responde a dúvidas e divulgando os materiais que estavam a venda. Um deles foi o Luiz Garrido que estava lá para falar do futuro lançamento do seu livro e de algumas histórias sobre os personagens que já havia fotografado. Essa pequena prévia foi suficiente para contagiar os presentes e muitos compraram a obra em seu pré-lançamento. Agora, depois de longos meses de espera, tenho em minhas mãos o livro Retratos – Técnica, Composição e Direção.

Existem duas maneiras de encarar esse livro. A primeira é como uma coletânea de memórias de Luiz Garrido e sua relação com a fotografia e os personagens que ele retratou. Acho muito proveitoso para os jovens fotógrafos que estão iniciando na profissão saber como um dos grandes retratistas do Brasil começou a fotografar. As motivações, as dificuldades a relação com a arte fotográfica. Temos tudo isso logo em um capítulo introdutório chamado simplesmente de “A história da minha história” onde através de uma leitura simples e envolvente nos preparamos para o que vamos encontrar no resto do livro. Óbvio que a parte principal do livro é quando o autor fala de seus personagens. São 24 personagens escolhidos e cada um ocupa um capítulo do livro. Dentro desses capítulos Luiz Garrido mostra as dificuldades e soluções que levaram a composição daquele retrato. Lembrando que o sucesso do fotógrafo como um retratista se deve ao fato de conseguir transmitir para a foto um pouco da personalidade do personagem retratado.

Muito justo que o livro comece com a Rogéria, não apenas por conta do teor artístico, mas também porque foi uma foto que causou polêmica alguns anos atrás quando a imagem foi proibida de participar de uma exposição no Congresso Nacional por conta da alegada desculpa da moral e dos bons costumes. Outra história que vale a pena de ver é sobre a foto da Isadora Ribeiro onde vemos quando os problemas podem vir a atrapalhar uma boa sessão de fotos e como é necessário que o fotógrafo tenha um bom jogo de cintura. Outra história engraçada é sobre a foto de Ziraldo, o pai do Menino Maluquinho. Aliás, uma constante em todas as histórias é a questão do fotógrafo perante a pessoa a ser retratada. Como chegar a uma celebridade e levar ela a posar da maneira que você a vê? Sim, é complicado. Por isso que parte do serviço do fotógrafo de retrato é ser comunicativo e saber explicar a pessoa a sua visão e como você o quer representar. Também encontramos no livro as histórias dos retratos de Jô Soares, Lula, Ferreira Gullar, ACM, Maitê Proença e muitos outros.

A segunda maneira de encararmos o livro é como um grande manual de como fazer fotografias de retrato. Ao longo de todo o livro temos a indicação do que o fotógrafo usa como equipamento e como fontes de luz. Incrível notar como tudo aqui é muito simples. Claro que alguns dos retratos foram feitos com filme e câmeras mecânicas, mas o próprio Garrido nos afirma que usa constantemente um jogo de apenas três lentes e uma fonte de luz para a maioria dos retratos. Uma boa indicação para quem acha que é necessário uma tonelada de equipamentos. Na segunda parte do livro temos os capítulos práticos, sendo que um deles é dedicado a confecção de retratos de beleza. Temos modelos e esquemas de luz nessa parte, além de mostrar a importância da equipe para a realização do trabalho (fotógrafo, maquiador e produtor). O próximo capitulo trata da Edição de Retratos e fechamos o pacote com um capitulo sobre equipamentos.

Para minha surpresa o livro acompanha um DVD onde temos uma representação visual dos capítulos técnicos do livro. Temos uma entrevista, onde Garrido conta um pouco de sua trajetória e como começou na fotografia e temos a montagem completa dos ensaios descritos no livro. Tanto equipamentos quanto esquemas de luz são mostrados na prática para o espectador. Ver um grande fotógrafo trabalhando na prática, mesmo que por apenas 40 minutos, é suficiente para enriquecer os seus conhecimentos e colocar novas idéias e possibilidades em sua cabeça.

O livro é magnífico e a qualidade de impressão é muito legal. Papel de qualidade e capa dura. As fotos são em preto e branco, demonstrando o estilo do fotógrafo. Além de todo conteúdo escrito por ele ainda temos uma incrível introdução Milton Guran sobre a importância do retrato na história e na arte. Muito propício e válido para engrandecer ainda mais a obra.

O livro Retratos – Técnica, Composição e Direção de Luiz Garrido está a venda no site da iPhoto Editora e o valor do investimento é de R$ 129,00.

emÁudio Vídeo Fotografia Resenhas

[Análise] Samsung Galaxy 5

Por em 25 de maio de 2011
Samsung Galaxy 5.

Samsung Galaxy 5. (Clique para ampliar)

O Windows Phone 7 surge como o “terceiro cavalo” no páreo dos sistemas móveis, mas ainda é uma realidade distante para nós, brasileiros. Hoje, quem busca um smartphone moderno tem à disposição iOS e Android.

O iOS aparece como uma opção (bem) premium na figura do iPhone. O sistema da Google tem outra abordagem, por ser aberto qualquer empresa pode instalá-lo num aparelho e lançá-lo no mercado. Isso tem alguns contratempos, como a maciça fragmentação da base e o descaso de fabricantes na hora de atualizar o sistema, mas por outro lado essa liberdade permite que a “janela” de preços dos modelos equipados com o sistema seja bem flexível.

No topo da tabela (de preços) temos Atrix, Xperia Arc e outros parrudos chegando próximo dos R$ 2 mil. E na de baixo? Brigam hoje pelo posto de Android mais barato do Brasil o ZTE X850 e o Samsung Galaxy 5. Adquiri esse último recentemente, para uso pessoal, por pouco mais de R$ 300 e, após quase duas semanas com ele, chegou a hora do veredito: o Galaxy 5 vale a pena?

Confira a resposta na análise que segue!

continue lendo

emAnálise Celular Especial Meio Bit Mobile

[Análise] Microsoft Arc Touch Mouse

Por em 6 de maio de 2011

Muitos reclamam dele, atribuem ao seu manejo diversos problemas de saúde modernos, como a LER/DORT, mas no fim das contas ainda não inventaram dispositivo de entrada mais prático e preciso para se usar em computadores.

O mouse.

Tem quem negligencie esse item de suma importância em qualquer desktop, tirando do orçamento R$ 10 de “um xing-ling qualquer”. Mas sendo o mouse um dos dispositivos de entrada mais importantes, vale a pena investir num modelo bom, ergonômico e durável. Sua saúde, física e mental, agradece.

Mesmo sendo uma empresa de software, a Microsoft é reconhecida, inclusive entre muitos Mac-users, como uma excelente fabricante de “mouses”. A fama não é à toa; essa linha da empresa realmente esbanja qualidade, que aliada à garantia padrão de três anos, passa muita confiança para potenciais consumidores.

Mesmo bons e duráveis, os “mouses” da Microsoft continuam evoluindo. A empresa tem um mix de pesquisa interessante: foca tanto em partes fundamentais da coisa, como a nem tão recente e ótima tecnologia BlueTrack, quanto em novos formatos e cores bonitinhas para agradar a todos os públicos.

O Arc Touch é, hoje, o ápice da linha de “mouses” da Microsoft. O posto terá um novo ocupante em breve, quando o vindouro Microsoft Touch Mouse for lançado, mas por ora cabe ao Arc Touch, anunciado em setembro de 2010 e lançado no Brasil no começo de abril, a tarefa de mostrar ao mundo o que a Microsoft tem de melhor em termos de mouse. Será que consegue? Vejamos em nossa análise!

continue lendo

emAnálise Hardware Meio Bit

Sony anuncia os seus primeiros tablets, S1 e S2, ambos com Honeycomb

Por em 26 de abril de 2011

Na guerra dos tablets, pouco a pouco todas as tradicionais fabricantes de nichos próximos, como notebooks e smartphones, entram no páreo. Faltava a Sony. Faltava.

Num evento que está rolando hoje em Tóquio, no Japão, a dona do PlayStation e dos notebooks Vaio mostrou os seus dois primeiros tablets, conhecidos no momento pelos codinomes (ainda bem!) S1 e S2. Ah, e nada de “Ericsson”; diferente da linha de celulares, os tablets são assinados apenas como “Sony”.

O Sony S1 é um tablet para entretenimento. Vem com o kit básico de tablets Android: tela de 9,4″, SoC NVIDIA Tegra 2, Android 3.0 “Honeycomb” e câmeras frontal e traseira. De diferente, o formato, que lembra uma revista dobrada na horizontal, com a parte superior mais saliente e arrendondada, interface personalizada “Quick and Smooth” que inclui o navegador “Swift” e ainda pode servir de controle remoto para outros aparelhos Sony, como as TVs da linha Bravia.

continue lendo

emComputação móvel Hardware Meio Bit

[Hands-on] Um show de processamento com o Core i5 2500

Por em 25 de abril de 2011
Core i5 2500.

Core i5 2500. (Clique para ampliar)

Hardware nunca foi muito a minha praia. Costumo acompanhar lançamentos, até escrever sobre alguns, mas meu conhecimento técnico sobre o assunto está mais para nomenclaturas, arquiteturas e comparativos/benchmarks do que “por a mão na massa”.

Tinha a crença de que, para jogos, o que mandava no desempenho era a placa de vídeo, tanto que desde de 2006, quando comprei o meu primeiro PC gamer, sempre tomei a VGA como norte, negligenciando outros componentes, em especial o processador.

Em 2009, fiz uma atualização no meu equipamento. Troquei processador e placa de vídeo. Na ocasião, havia pego uma ATI Radeon HD 4850 e, por limitação da placa-mãe, que só dali a alguns meses ganharia suporte via atualização da BIOS para a primeira geração dos Phenom, um esquentado Athlon X2 6000+.

O desempenho ficou aquém do esperado, e mesmo longe de ser top já na época da aquisição, não suspeitava que o processador impactasse tanto assim. Essa noção só surgiu quando, na semana passada, devido a alguns imprevistos, chutei o pau da barraca e troquei placa-mãe, processador e memória. Quanta diferença!

continue lendo

emHardware Meio Bit

Livro Imagens em Aventuras de Fábio Elias

Por em 24 de abril de 2011

Você, caro amigo leitor, já invejou a profissão de alguém não por conta do dinheiro, mas sim porque ela é muito bacana? Se a resposta é sim então se juntem a mim para invejar mais um cidadão, mas no bom sentido é claro. É com muito prazer que chega a minhas mãos o livro Imagens em Aventuras: guia prático para Fotógrafos do Fabio Elias. O autor, especialista em fotografia de viagens e documental, trabalha no registro dos lugares mais distantes e exóticos do mundo e também como guia de fotógrafos que querem visitar esses lugares. Olhem só, viajar fotografando o mundo e ainda ganhar para isso? Perfeito. Claro que não é somente pegar sua câmera e sua mochila e colocar o pé na estrada. É preciso muito estudo, no caso de Fabio estamos falando da School of Visual Arts e do International Center of Photography (ambos em Nova Iorque) e do curso de Fotojornalismo da Bloch Editores, e também de uma ótima preparação.

Lendo o livro notamos que a obra se propõe justamente a isso. Ser um guia prático para os fotógrafos que querem entrar nesse tipo de atividade. A obra é de responsabilidade da Editora Photos e apresenta um encadernamento de ótima qualidade assim como papel de boa gramatura e muitas fotos dos diversos locais registrados pelo autor. Só diria que as imagens ficaram com um tom um pouco puxado para o magenta, mas nada que tire o impacto das paisagens e figuras humanas registradas. O livro está dividido em 12 capítulos, além de uma introdução e das palavras finais.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Resenhas

Você anda na linha?

Por em 17 de abril de 2011

Há um crescente movimento de saúde que se originou primeiro nos EUA e se espalha rápido pelo mundo e envolve os seus pés e um novo paradigma.

Embora tenhamos pelo menos 40 anos de uma sofisticada engenharia para a fabricação daquilo que vestimos e calçamos, segundo Christopher McDougall ela ainda não é totalmente capaz de vencer quase dez mil anos de uma lógica simples para uma pergunta complexa.

Há alguns anos ele decidiu responder duas perguntas. A primeira era “como eu faço para conhecer essa tribo famosa por indivíduos capazes de percorrer maiores distâncias que qualquer outro ser humano… a pé?” e uma outra, um pouco mais pessoal “por que os meus pés doem tanto?”

continue lendo

emMeio Bit Miscelâneas

Percepção: Quando 0% de sucesso é suficiente para evitar uma guerra nuclear

Por em 16 de abril de 2011

missile_command

Em 1988 terminava, após oito anos um dos conflitos mais sangrentos do Oriente Médio, a guerra Irã-Iraque, ou mais precisamente Iraque-Irã, pois foi Saddam Husseim quem começou. A paz na região não durou, pois todo tirano sabe que é preciso um inimigo externo para manter o povo a seu lado. A saída foi, no dia 2 de Agosto de 1990 invadir o minúsculo Kuwait, um país pacífico, quieto, na dele.

Os soldados kuaitianos lutaram bravamente mas dez anos de militarismo tornaram o Iraque uma potência, e as tropas inimigas foram dizimadas. A idéia de Saddam era iniciar um projeto expansionista,dominando a maior parte do petróleo da região.

continue lendo

emHardware

Motorola anuncia Xoom e Atrix latinos

Por em 12 de abril de 2011

Hoje, em um evento em São Paulo, a Motorola anunciou o lançamento do tablet Xoom e do smartphone Atrix na América Latina.

O evento contou com a presença do CEO da Motorola Mobility, Sanjay Jha, que fez questão de mostrar o interesse da empresa pelo mercado latino americano.

continue lendo

emCelular Computação móvel Meio Bit Mobile

MessageParty lança plataforma de ‘geoblogging’

Por em 7 de abril de 2011

partyFico cabreiro antes de escrever sobre algo que está ainda despontando lá fora e que poderá até mesmo não dar certo e, consequentemente, nem chegar por aqui. Vou abrir uma exceção para o MessageParty porque pretendo analisar conceito, mais do que o serviço em si.

O MessageParty havia surgido originalmente como uma plataforma de chat baseada em geoposicionamento, lançada no segundo semestre de 2010. A ideia era colocar numa sala de bate-papo pessoas que estivessem num mesmo bar, numa mesma festa ou onde quer que se fizesse oportuno bater papo com outros usuários nos arredores. Talvez fosse uma boa ferramenta de socialização para os patologicamente tímidos, a resposta para todos os problemas dessas pessoas. Mas não deu certo. Parece que os patologicamente tímidos preferiram ficar em casa twittando e o MessageParty foi por água abaixo.

continue lendo

emCelular Computação móvel Meio Bit Mercado Mobile Opinião

#NokiaTalk: Novos smartphones, Angry Birds e redes sociais

Por em 21 de março de 2011

Nokia Talk

Conectar pessoas, esse foi o objetivo de mais uma edição do evento anual da Nokia, ou #NokiaTalk. A cidade escolhida nesse ano foi Austin, para aproveitar alguns dias do SXSW 2011, um evento de grande porte que une interatividade, música e filme (sempre em março) e que acontece desde 1987. Vocês podem ver mais sobre o evento no site oficial.

Antes que alguém pergunte: não, ninguém informou quando sairão os primeiros celulares com a parceria Nokia+Microsoft. Tivemos acesso aos dois novos celulares lançados pela Nokia: o E7 e do C6. Ambos estarão disponíveis no Brasil em Abril. O E7 faz jus ao nome que carrega e é voltado para o público mais empresarial, contando com a integração com sistemas da Microsoft, como o Exchange e o Office Communicator Mobile.

continue lendo

emInternet Meio Bit Mobile Planeta Sem Fio

Gmail e GTalk removidos dos Galaxy S comercializados pela Claro

Por em 19 de março de 2011

Gmail na Claro? Nananinanão...

Queixa comum entre os usuários mais críticos da plataforma Android: excesso de liberdade dada aos fabricantes de aparelhos e até mesmo às operadoras de telefonia móvel para que alterem, às vezes profundamente, o sistema operacional.

Pode ser apenas um launcher feio, lento e instável, ou uma customização mais invasiva que chega a atrapalhar a sincronização de contas, como o MOTOBLUR. Enfim, em maior ou menor grau, com exceção dos Nexus, todo sistema Android entregue ao consumidor final acaba trazendo certos inconvenientes dessa natureza.

continue lendo

emCelular Indústria Meio Bit Mercado Mobile

Fony doa 30 mil rádios sodas pras vítimas do Tsunami

Por em 18 de março de 2011

fonyehsoda

Entre os geeks há um grande desprezo com tecnologias arcaicas como o rádio, eu mesmo já pensei bastante assim. Na realidade ainda é a tecnologia mais pervasiva e abrangente para disseminar informação, principalmente em situações de desastre.

Por isso é muito bem-vinda a notícia de que a Sony doou, além de US$4 milhões, 30 mil rádios de emergência ICF-B02 para as vítimas do Tsunami de 2011.

O aparelho, com custo unitário na faixa de US$40,00 vale cada centavo.

Alimentado com 2 pilhas-palito, tem 40 horas de autonomia. Ele vem com duas fontes de luz, uma difusa na parte superior e uma dupla de leds na frente.

Não é à prova d´água, mas é resistente a respingos, as pilhas são protegidas.

Além disso ele tem um carregador via manivela pra bateria interna. É, aquilo que o OLPC sempre vendeu que iria ter. Um dia.

Na correia do rádio, vem um apito. Típica idéia que salva vidas.

Na frente do rádio há uma porta que, conectada com os adaptadores que vêm com ele, permitem que você utilize a manivela para carregar a bateria de um celular.

Aqui um vídeo detalhando os recursos do rádio:

O mais legal é que a moça do vídeo comprou o rádio tem alguns dias, a resenha foi subida dia 4 de Março! Vai ser precavida assim no Japão! É o tipo de equipamento que todo mundo deve ter em seu kit-apocalipse (vide Sheldon).

Recomendo a todo mundo que more em áreas com probabilidade de grandes desastres naturais. Quais áreas são essas? Qualquer ponto da superfície da Terra. Pergunte aos dinossauros.

emHardware

Trash the Dress e outras coisas

Por em 14 de março de 2011

Pronto, aconteceu, o tal do Trash the Dress chegou ao interior paulista. Agora temos um monte de gente que nunca fez nada parecido dentro da área tentar imitar o que os fotógrafos da capital, ou de outros locais mais civilizados, estão fazendo. A novidade surgiu na Europa e nos Estados Unidos e a prática é muito simples. Levar a noiva e o noivo para locais não habituais onde o vestido de noiva será, literalmente, judiado. Isso mesmo, vamos levar a noiva para nadar em um rio, escalar uma montanha, brincar no barro, limpar uma cocheira, andar de bicicleta em uma trilha, mas tudo isso com muita descontração e emoção. Pode parecer fácil, mas não é.

O principal problema aqui é a própria construção das imagens. A maioria dos apertadores de botões automáticos que se aventuram a fotografar casamentos fazem as imagens dentro de uma receitinha de bolo muito específica. Fugir desse planejamento é algo que inevitavelmente fica abaixo da média, para não falarmos algo pior. O Trash the Dress tem que ser encarado como um ensaio. Dessa forma, ele precisa ter uma unidade formal e uma unidade temática. É mais ou menos como fazer o retrato perfeito onde a cena tem que expressar a personalidade das pessoas retratadas. Ou seja, cada ensaio é único e específico e depende da criatividade do fotógrafo. Aqui é que a porca torce o rabo, para utilizar um ditado aqui do interior.

Uma prática que é quase obrigatória aqui na região, e creio que em muitas outras, é fazer fotos dos noivos de maneira “descontraída” e em locais fora do comum no tempo compreendido entre a cerimônia e a recepção. Isso é horrível, pois temos pouco tempo para criar e os noivos estão muito ansiosos para irem receber os convidados na festa. Sem falar dos lugares que são levados para serem fotografados. Convenhamos gente, posto de gasolina e conveniência são locais muito bregas para uma ocasião tão especial. Por isso tentamos vender o Trash the Drass como um álbum separado do álbum principal do casamento. Um ensaio que vai ser realizado antes ou depois do casamento, em momento calmo, onde todos podem se divertir. Além de garantir uma qualidade fotográfica mais elevada, você também pode agregar um pouco mais de valor a sua cobertura fotográfica.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Tutoriais

Sim, o OnLive funciona no Brasil!

Por em 2 de fevereiro de 2011

Quando o Onlive foi anunciado virou motivo de chacota entre os jogadores. Poder jogar títulos topo de linha, sem a necessidade de instalação dos games e em computadores mais modesto era algo inconcebível, até que os norte-americanos tiveram acesso ao serviço, que mostrou-se surpreendentemente… funcional. No entanto, havia um grande problema para a maioria dos leitores do Meio Bit Games, ele depende muito da latência e como os servidores da empresa estão nos Estados Unidos, jogar daqui do Brasil seria praticamente impossível, mas agora posso lhes dizer que não é.

continue lendo

emAnálises Computadores Games Meio Bit

Sony anuncia oficialmente o NGP (ou PSP2)

Por em 27 de janeiro de 2011

dori_psp2_27.01.11

Acabou o mistério. Em evento realizado no Japão durante essa madrugada a Sony revelou ao mundo o sucessor do seu videogame portátil, que ainda não recebeu um nome oficial e por enquanto é conhecido como NGP (Next Generation Portable), mas pode chamar de PSP2.

Com previsão de lançamento para o final de 2011, o aparelho terá um design parecido com o do antigo PSP, o que considero ótimo e virá com uma tela OLED multi-touch de 5 polegadas, com a parte de trás do videogame também sendo sensível ao toque. Seu coração será um processador ARM Cortex-A9 com quatro núcleos e a GPU fabricada pela Power VR foi capaz de rodar o Metal Gear Solid 4 exibindo 20 quadros por segundos. A Sony também aproveitou para incluir nele quase todas as funções desejadas pelos jogados, como câmeras na parte da frente e de trás, dois analógicos e três sensores de movimentos (giroscópio, acelerômetro e bússola eletrônica). O NGP ainda terá suporte a troféus, abandonará o UMD para usar jogos em cartões com memória flash, terá conexão Wi-fi e 3G (com direito a GPS) e rodará jogos do PSP, PSOne e os Minis. Ufa!

O pessoal da fabricante sabe que de nada adianta um videogame tão poderoso e com tantas características impressionantes se ele não tiver bons jogos e por isso já adiantaram que franquias de peso aparecerão no aparelho, como o Uncharted, Killzone e Call of Duty. Abaixo você confere todos os títulos já confirmados para o NGP – Ah! Que NGP o que, é PSP 2 mesmo – e a Nintendo que me desculpe, mas se eu já não estava muito interessado no 3DS, depois dessa… Só tenho medo de saber o preço que custará.

continue lendo

emGames Portáteis Sony

Fotômetro Sekonic L-308S – Mini Review

Por em 20 de janeiro de 2011

Situação complicada. O indivíduo monta um estúdio fotográfico, encontra um lugar bacana, chora sangue para comprar os equipamentos de iluminação, pesquisa um monte de informação para poder escolher um fundo infinito, encontra uma modelo que se dispõe a ser a primeira vítima, faz uma maquiagem ótima e realiza uma divertida sessão fotográfica. Depois de tudo isso, descarrega as fotos no Lightroom e descobre que todas estão com problemas de exposição. O bom é que todas ficaram um pouco sub-expostas, um defeito que pode ser revertido bem mais fácil em arquivos RAW do que uma super exposição. O que acontece é que nos estúdio não podemos nos valer do sistema TTL para medição da potência do flash. Tudo tem que ser feito no olhômetro. Fotografar e olhar o resultado no LCD da câmera pode ser uma grande armadilha, mesmo confiando no histograma da câmera. Por essa razão é que precisamos de um fotômetro/Flashmate de mão.

Mas, o que é esse equipamento? Como o nome já diz, é um aparelho que faz a leitura de quantidade de luz da cena e nos oferece a indicação da regulagem da câmera. A diferença entre o fotômetro de mão e o fotômetro da câmera é a forma como ele faz a medição da luz. O fotômetro da câmera calcula a luz que é refletida pelo objeto. É uma boa forma de medição de luz, mas a câmera pode se enganar, principalmente em cenas com diferentes intensidades de luz. O fotômetro de mão mede a luz incidente, podendo executar uma leitura mais localizada do ponto que vai ser o objeto principal de sua imagem.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Tutoriais

5 dicas para usar melhor o Facebook

Por em 12 de janeiro de 2011

Comentar as virtudes e impressionantes marcas do Facebook já é lugar comum. A rede social criada por Mark Zuckerberg é a maior do mundo, se aproxima dos 600 milhões de membros, e não para de crescer e ser aperfeiçoada. Novos recursos são criados e disponibilizados com boa frequência, o que mantém o sistema adaptado às mudanças da Web e os usuários, interessados e usando a ferramenta.

Aliás, é a grande quantidade de ferramentas que, em parte, afasta algumas ovelhas negras do Facebook. Comparado com a simplicidade do orkut, muita gente que ainda está na rede da Google levanta a bandeira da dificuldade para justificar sua decisão. Mas… Será que é tão complicado assim?

O Facebook “fala” português há um bom tempo, mas mesmo no idioma nativo, é difícil perceber alguns nuances, recursos que fazem a diferença no dia-a-dia. O que propomos, aqui, não é um “guia definitivo do Facebook”; longe disso, é apenas uma coletânea de dicas não tão evidentes quanto subir uma foto ou atualizar seu status para marinheiros de primeira viagem. Espero que seja útil!

continue lendo

emDicas Meio Bit Web 2.0

Histeria + Oportunismo = Lucro, até no mundo Android

Por em 11 de janeiro de 2011

elixirSnake Oil é uma expressão em inglês que se referencia aos vendedores de Óleo de Cobra do Velho Oeste. Viajantes mascates, paravam de cidade em cidade, fazia uma demonstração com um comparsa infiltrado no meio da plateia e “curavam” o infeliz de alguma doença inexistente. Esses elixires prometiam curar de tudo, o que era interessante, já que todo mundo sofria de tudo, naquele tempo.

Feita a venda, algumas pessoas consumiam o negócio ali mesmo, e graças ao efeito placebo ficavam animadas e “mais saudáveis”. Claro, outras compravam pelo impulso. O vendedor sumia da cidade no mesmo dia e seguia sua rota, voltando só quando tivessem esquecido.

Essa prática existe até hoje, vide a quantidade de cogumelo do sol, cartilagem de tubarão e outras porcarias que são vendidas livremente. Curiosamente atraem muito mais seguidores do que medicina de verdade, afinal esta falha. Alegações exageradas e fantasiosas? Sem problema, errado é quem questiona o funcionamento dos remédios milagrosos.

continue lendo

emArtigo Celular Ciência Destaque

XVII Bienal Brasileira de Arte Fotográfica em Cores

Por em 6 de janeiro de 2011

É chegado o momento de mais um grande momento no calendário fotográfico brasileiro. Estou falando da XVII Bienal Brasileira de Arte Fotográfica em Cores que vai se realizar no dia 21 de Maio em Londrina-Paraná. Como é de costume, um fotoclube está cuidando da organização do evento em nome da Confederação Brasileira de Fotografia. Cabe lembrar que todos os anos a Confederação organiza uma Bienal, sendo que em um ano é de fotografia em cores e no outro de fotografia em preto e branco. Ano passado tivemos a XXVI Bienal de Arte Fotográfica em Preto e Branco na cidade de Caxias do Sul-SC e cujos vencedores também foram mostrados aqui no Meio Bit. Como em todos os anos, a Bienal é composta por um concurso seguido de uma grande exposição.

Para poder participar do concurso é necessário estar filiado a um dos mais de 70 clubes fotográficos que estão, por sua vez, filiados a Confederação Brasileira de Fotografia. Cada autor pode enviar no máximo quatro fotos para a competição e cada fotoclube pode participar com quantos autores quiser. As imagens podem ser enviadas até o dia 19 de abril de 2011. Serão premiados os três primeiros lugares e 17 menções honrosas.

O três primeiros colocados receberão medalhas da Confederação Brasileira de Fotografia e do 4º ao 20º teremos diplomas de menção honrosa. Também existem premiações para os fotoclubes que ficarem nos três primeiros lugares pela soma da pontuação de seus membros. O primeiro lugar leva o Troféu Eduardo Salvatore (fundador da Confederação Brasileira de Fotografia), o segundo lugar fica com o Troféu Hercules Florence e o terceiro lugar com o Troféu Abade Louis Compte. Como sempre, não existe premiação em dinheiro, mas o prestígio de estar entre os premiados não tem preço.

O regulamento e instruções para envio das fotos podem ser encontrados na própria página da Confederação. A exposição e indicação dos vencedores ocorrerá às 20:00h do dia 21 de maio no Museu Histórico de Londrina. A novidade esse ano é que o Meio Bit estará presente para fazer a cobertura do evento.

Se você se interessou, mas nunca soube sobre fotoclubes ou sobre a Confederação Brasileira de Fotografia, está na hora de dar uma olhadinha na lista de clubes filiados e encontrar um perto da sua casa. Garanto que vale muito a pena.

bienal2011

emÁudio Vídeo Fotografia Concursos

Os melhores de 2010 – Resultado Final

Por em 5 de janeiro de 2011

Chegou a hora de revelarmos o resultado de mais uma eleição dos melhores jogos do ano aqui do Meio Bit Games e acho que posso dizer que para mim, nenhuma das anteriores (2008 e 2009) teve tantas surpresas quanto a de 2010. A maioria dos jogos que eu mais gostei não saíram vencedores e você perceberá que os fãs de um certo personagem nervosinho fizeram valer seus votos.

Depois do break você descobrirá quem fez bonito (e feio também) no ano que passou e caso não tenha jogado algum dos indicados, lembre-se que terá 2011 inteiro para aproveitar, mas não se esqueça que os lançamentos não param e em dezembro faremos outra eleição para escolher os melhores dessa temporada.

continue lendo

emGames Miscelâneas

Começa o fim de ano no Steam!

Por em 20 de dezembro de 2010

dori_ste_20.12.10

Pode comemorar gamer, porque chegou a época do ano que os todos nós adoramos (com exceção de nossas esposas, é claro). O Steam deu início às promoções de fim de ano e poucas vezes na história desse planeta vimos o serviço de distribuição da Valve sendo tão generoso.

Se não acredita nas minha palavras, basta ver um jogo como o recém-lançado Super Meat Boy que ganhou 75% de desconto, sendo vendido por US$ 3,75, o pacote da série Deus EX que não nem chega a US$ 3, o F1 2010 que está saindo pela metade do preço, ou toda a série Oddworld, incluindo o antes exclusivo do Xbox Stranger’s Wrath, pela metade do preço, ou seja, apenas US$ 12,49. Quer mais? Então pegue o excelente Battlefield: Bad Company 2 por US$ 10,19 ou cada título da série Prince of Persia por no máximo US$ 5. Isso sem falar nos pacotes com jogos independentes e naqueles destinados as produtoras, como o da Square, da THQ e da 2K Games (só pra citar alguns poucos).

Ah! E tem mais um detalhe. Esse é apenas o primeiro dia das promoções e como de costume, as 16h (horário de Brasília) de todos os dias até 2 de janeiro o catálogo de descontos será renovado, trazendo mais uma boa quantidade de títulos para nos deixar mais pobres. Então caros amigos, só tenho uma coisa a dizer: STEAM, EU TE AMO!

emComputadores

O mapa-múndi, segundo o Facebook

Por em 14 de dezembro de 2010
Mapa-múndi, segundo o Facebook.

Mapa-múndi, segundo o Facebook. (Clique para ampliar)

Ter 500 milhões de membros é privilégio de poucos serviços na Internet, e um deles é o Facebook. Essa base de usuários dá à rede social muito poder e material de pesquisa, e foi ela que o estagiário Paul Butler, do time de engenharia do site, usou para plotar o mapa-múndi acima (clique na imagem para vê-la em alta resolução [3,8 MB]).

Cada ponto branco é uma cidade, e as linhas azuis representam as relações de amizades entre os membros. Destacam-se algumas coisas, como a hegemonia do Facebook nos EUA e Europa, a concentração de membros brasileiros nas regiões sul e sudeste do país e o sumiço da China e Rússia (com exceção de Moscou).

emInternet Meio Bit Web 2.0

Google revela mais detalhes do Chrome OS e promete notebooks com o sistema para 2011

Por em 8 de dezembro de 2010

Ontem a Google reuniu a imprensa americana em San Francisco para mostrar bastante do aguardado Chrome OS, seu sistema operacional baseado em Linux mas que roda totalmente na Internet — e fora dela, graças à capacidade de trabalhar offline do HTML5.

O Chrome OS é, numa explicação simplória, o navegador Chrome que todos conhecemos desde 2008 transformado em sistema operacional. Tudo acontece nele, os aplicativos, ou Web apps, rodam nele, e diversas tecnologias da Google e de terceiros suprem as lacunas que esse modelo ainda tem.

Bastante seguro e rápido, a autenticação no sistema operacional se dá através de uma Google Account, logo, ao entrar, todos os seus dados tornam-se disponíveis, e o acesso a serviços da Google ocorre automaticamente, sem a necessidade de inserir novamente a senha.

continue lendo

emComputação móvel Google Hardware Internet Meio Bit

Adobe Photoshop para Fotógrafos, Designers e Operadores Digitais

Por em 30 de novembro de 2010

É com grande prazer que tenho em minhas mãos o novo livro de Altair Hoppe que deve, sem sombra de dúvidas, se transformar na nova Bíblia de quem se utiliza do programa de edição da Adobe. Acho que apresentar o autor desse livro é chover no molhado. Em vez disso é muito mais interessante notar a quantidade de informação que encontramos em suas páginas. A novidade dessa edição (que já é o volume 4) é que ele vem acompanhado de um DVD onde o próprio Altair Hoppe ministra algumas das aulas que encontramos no livro. Aliás, ultimamente temos encontrados várias video-aulas em DVD no mercado. Mas, em minha humilde opinião, não consigo dispensar o bom e velho livro. Acho que ambos possuem suas vantagens e desvantagens.

A importância da obra se mostra principalmente em nosso mundo onde o tratamento da imagem via software se tornou indispensável tanto para trabalhos caseiros quanto profissionais. Também vale a pena destacar que a obra é a primeira a tratar de forma completa sobre a versão CS5 do Photoshop. O livro é dividido em cinco capítulos que tratam de temas específicos. O primeiro capítulo se chama Tratamento de Imagem e é desenvolvido em 96 páginas. Como o próprio nome do capítulo nos revela, aqui temos os truques e comandos mais usados por quem trabalha com edição de imagem. Nesse capítulo aprendemos a remover ruído, ajustar a luz, tratamento no estilo Lomo, efeito de alto contraste e até a criar um pseudo HDR. Coisas muito bacanas que até quem está na estrada há muito tempo pode não conhecer.

O segundo capitulo, chamado de Retoques e Efeitos Especiais já é bem mais específico e mostra como usar as ferramentas mais avançadas do Photoshop CS5. Com as informações desse capitulo podemos redimensionar fotos sem perder qualidade, fazer retoque de pele, executar correção automática de distorção, remoção personalizada e automática de pessoas e objetos e alterar a pose de modelos. Todo mundo viu os diversos vídeos que a Adobe lançou no Youtube sobre as ferramentas quase mágicas da nova versão do Photoshop. Muitos não acreditaram nessas funcionalidades, mas podemos ver aqui que elas existem e podem ser utilizadas por qualquer pessoa. O terceiro capítulo é voltado para a criação de efeitos, e não necessariamente para o tratamento de uma imagem (do jeito que nós fotógrafos entendemos). Aqui podemos aprender a fazer um splash, como produzir um jato de água, mesclar textos e fotos, textos em 3D e um mosaico de fotos.

O quarto capítulo é dedicado completamente ao tratamento em HDR, uma nova tendência para o tratamento de imagens. Aqui a coisa entra em uma zona meio nefrálgica, pois o HDR não é uma unanimidade dentro do mundo da fotografia. Existem pessoas que amam e pessoas que odeiam e a  proporção desses dois grupos é equivalente. Nesse capítulo temos uma explicação muito bacana sobre o que é HDR e como criar uma imagem dentro dessa categoria. Também é discutido como simular um HDR usando apenas uma imagem e quais os melhores softwares para edição. Se você não sabe nada sobre HDR e sempre quis entrar nessa onda, essa é sua oportunidade de aprender. O quinto capítulo é bem pequeno e trata de plug-ins indispensáveis como o Exposure e o Portrait Professional Studio.

O DVD que acompanha o livro é um grande presente para quem quer realmente aprender. Embora tudo que esteja nele também é tratado no livro, você ver a forma como tudo se desenrola dentro do Phtotoshop de uma maneira dinâmica é muito mais agradável. São duas horas de muita informação, mas nem todas as lições do livro são mostradas no DVD. Precisaria pelo menos um DVD triplo para colocar toda a informação contida na versão impressa. No vídeo encontramos os capítulos de filtro graduado, redução de ruído, Mascaras e Ajustes, Content Aware Fill, Remoção personalizada de Objetos, Content Aware Scale, HDR toning, Pele Falsa, Alto Contraste e muito mais.

O livro é muito bom. Altamente recomendado para quem possui o Photoshop como ferramenta de trabalho. Mas, também é recomendado para quem está começando agora e procura uma fonte de informação, afinal de contas, um tratamento mal feito pode destruir totalmente a qualidade de sua imagem, mesmo que a composição esteja bem feita. O DVD, que foi a primeira coisa que olhei quando o livro chegou, também vai quebrar o seu galho em momentos específicos do processo de tratamento. O único ponto negativo é que o áudio do vídeo não está 100% perfeito, mas nada que vá estragar a sua experiência de aprendizagem. Legal destacar os retratos de dezenas de fotógrafos que ilustram as duas páginas iniciais e as duas páginas finais do livro. Essa foi uma campanha do Altair Hoppe e da iPhoto Editora pelo Twitter onde eles pediram fotos dos leitores para ilustrar o livro. Uma forma de homenagem muito legal.

O livro Adobe Photoshop para fotógrafos, designers e operadores digitais de Altair Hoppe está a venda pela iPhoto Editora e o valor do investimento é de R$ 149,00.

photoshop - altair hoppe

emÁudio Vídeo Fotografia Notícias

Atek 200 Master – Começando o seu estúdio

Por em 24 de novembro de 2010

Chega uma hora na vida de todo fotógrafo que ele quer evoluir. Você começa com uma compacta, depois passa para uma compacta avançada, que é seguida por uma DSLR de entrada e assim vai até chagar a uma full frame (não estou lá ainda). Porém, várias outras coisas vão aparecendo pelo caminho e você se vê gastando o dinheiro do aluguel em tripés, lentes, flash, filtros e uma infinidade de outros cacarecos que te fazem muito feliz. Um belo dia, quando começar a pensar em ganhar uma graninha com fotografia, você vai querer montar um estúdio. É nesse momento que a coisa fica complicada.

Eu tive um professor que sempre dizia que montar um estúdio fotográfico ficava mais barato do que montar um carrinho de cachorro quente. Concordo com ele, mas existem estúdios de diferentes tamanhos e estilos. O estúdio ideal para mim, montado com equipamentos de primeira linha, não custaria menos que R$ 60.000,00, mas é nessa hora que eu caio da cama e o sonho acaba. Faz alguns anos que penso em montar um estúdio para mim. Fui empurrando com a barriga, mas decidi que a coisa deveria começar a acontecer. A primeira parte que pensei foi na iluminação (antes mesmo de alugar o local) e que teria pouca grana para investir na empreitada nesse primeiro momento.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Tutoriais

Cartões de visita virtuais: sua identidade na Web

Por em 24 de novembro de 2010

Cartões de visita são uma forma fácil e acessível de se fazer lembrar para potenciais clientes, parceiros e colegas. Um pedaço de papel (ou plástico, ou metal, se você for Steve Wozniak) com algumas informações pessoais e para contato. Não é preciso muito malabarismo ou invencionices para ter um — embora os que se aventurem pelos caminhos fora do óbvio geralmente consigam resultados incríveis.

E na Web? Existem diversos serviços que prometem recriar no ambiente virtual a essência dos cartões virtuais, ou seja, um resumo do seu trabalho e meios de contato para interessados. Listamos, abaixo, cinco opções de cartões de visita virtuais. Sigam-me os bons!

About.me

Caçula da turma, aproveita-se de um domínio muito bacana para ter um diferencial. Mas não só. O About.me, por ora acessível apenas mediante convite (nem adianta pedir, são os desenvolvedores que mandam), permite adicionar perfis em redes sociais, foto, mini-biografia, além de personalizar a página, mudando a imagem de fundo, cores e tipografia.

continue lendo

emInternet Meio Bit Web 2.0

Programas para fazer animações Stop Motion no Mac OS X, Windows e Linux

Por em 18 de novembro de 2010

Stop Motion. O apelo ideal para quem adora animação, tem talento para encarar todo o processo e criatividade para surpreender.

Existem algumas excelentes opções para se desenvolver filmes em stopmotion, tanto para OS X, Windows e Linux.

Se você acha que consegue fazer algo tão bacana quanto os argentinos dooka-criativos do BluBlu (topo, uma viagem!) ou a rapaziada sensacional do Broken Fingaz (rodapé, que não deixa barato), a gente indica algumas das opções mais populares para apoiar sua criação: continue lendo

emAndroid e Linux Apple e Mac Meio Bit

O computador da Apollo: uma história de True Hackers

Por em 5 de novembro de 2010

Faz muito tempo que problemas de computação passaram a ser resolvidos com força bruta. Otimização de código é considerado algo desnecessário, quando basta adicionar poder computacional no pool e tudo se resolve (exceto Ruby, que não escala).

Nem sempre foi assim. Houve uma época em que o auge da tecnologia de computação não permitia essas saídas fáceis. Era uma época onde o Talento ainda imperava, onde desenvolvedores dotados de poderes mágicos conjuravam programas impossivelmente eficientes, bons o suficiente para colocar um Homem na Lua.

A tarefa não era fácil. O computador de navegação das naves Apollo era tão fundamental que dois meses depois de John Kennedy proferir seu famoso discurso a NASA já estava fechando o contrato de desenvolvimento do sistema, antes sequer de saber como seria o foguete que ele controlaria.

Para surpresa do Complexo Industrial Americano, o contrato foi para as mãos do MIT, mais precisamente do laboratório de Instrumentação, liderado por um sujeito chamado Stark. Certo, era Charles Stark Draper, mas poderia muito bem ter sido Howard Stark, dado seu currículo.
continue lendo

emArtigo Espaço Hardware

[Review] Notebook Lenovo IdeaPad U350

Por em 25 de outubro de 2010

Algumas semanas atrás, minha irmã me pediu para encontrar um notebook para ela. As seguintes instruções me foram passadas:

  • “Leve e pequeno, mas não tanto quanto um netbook” (miopia das bravas);
  • “Rápido” (existe característica mais vaga que essa?);
  • “Bonito”.

Fica claro que ela não é exatamente especialista no assunto, o que aumentou minha responsabilidade. Após muita pesquisa, cheguei ao Lenovo IdeaPad U350. É um modelo relativamente novo da marca chinesa, que desde que comprou a divisão de notebooks ThinkPad, da IBM, ganhou muita notoriedade no ocidente. O modelo testado conta com acabamento belíssimo, tamanho e peso reduzidos, mas não tanto quanto um netbook e que, para o dia-a-dia, é rápido o suficiente para tarefas triviais, como uso do pacote Office e Internet.

Lenovo IdeaPad U350.

Lenovo IdeaPad U350. (Clique para ampliar)

Faz uma semana que estou com o notebook, e já deu para sentir qual é a proposta dele, encontrar os pontos fracos e também onde ele brilha muito. Sigam-me os bons!

Características externas e acessórios

O Lenovo IdeaPad U350 tem tela de 13,3″ e pesa apenas 1,6 kg. É a última fronteira antes dos lentos netbooks, o que lhe garante algumas vantagens desses pequeninos, bem como o livra de alguns problemas crônicos dos mesmos, como tela diminuta e baixo poder de processamento.

continue lendo

emAnálise Hardware Meio Bit

Back to the Mac: Apple mostra novo MacBook Air, aplicativos e OS X Lion

Por em 20 de outubro de 2010

De tempos em tempos, a Apple convoca jornalistas e o pessoal do mundo tecnológico quando precisa fazer anúncios importantes e apresentar produtos. Nesta quarta-feira, foi realizado em Cupertino o evento “Back to the Mac”, às 10h da manhã no horário local, 15h no horário de Brasília. Em um evento simples, Steve Jobs e seus amiguinhos subiram no palco para falar de lançamentos em hardware e software da empresa da maçã, e ainda dar uma palhinha do que vem por aí.

Um desses lançamentos, para o qual foi dedicado bastante tempo, foi o iLife, a suite de aplicativos multimídia caseiros da Apple. As novas versões do iPhoto, iMovie e GarageBand trazem uma série de inovações, recursos para impressionar visitas e suprir as necessidades de pelo menos 90% dos usuários que não trabalham profissionalmente com foto, áudio e vídeo. Dois grandes destaques do iMovie, por exemplo, foi o maior controle na edição de efeitos sonoros e a ferramenta de criação de trailers. O GarageBand, por sua vez, ganhou mais aulas básicas de música e ferramentas para acertar ritmo e compasso.

continue lendo

emApple e Mac Computação móvel Hardware Indústria Meio Bit Software

O Linux morreu

Por em 19 de outubro de 2010

Isso não é nenhuma novidade, é? Afinal de contas, quantas vezes a maioria de nós já foi chamada para “colocar o Windows” em um notebook novinho em folha, comprado nas Casas Bahia? Ou naquele “super-maxi-hyper-double-power” desktop “comprado especialmente para jogar, mas não quer rodar o UOU”?

Ah! E antes de que me batam, atirem pedras ou iniciem um ataque DoS ao site, essa não é apenas a minha opinião. É também a do Cardoso e dos outros 99% de usuários “desktop” que não são Lusers (Linux users).

sos

Para melhorar (ou piorar, dependendo de que lado você esteja), ainda há o reforço de Robert Strohmeyer, da PC World. Em seu artigo, ele corrobora várias das opiniões mundialmente compartilhadas, algumas das quais discutidas aqui mesmo no Meio Bit, como, por exemplo, a de que a comunidade perdeu uma enorme (talvez a maior) chance de “converter” usuários ao deixar “passar batido” o fiasco do Windows Vista. continue lendo

emAndroid e Linux Indústria Open-Source

ZOMF: sincronia entre Symbian e PC via WiFi

Por em 15 de outubro de 2010

Seria o Symbian um sistema injustiçado? Não quero entrar no mérito, apenas faço um pequeno relato pessoal: abandonei um Android novo em prol de um Symbian idoso. E, nesse retorno, aproveitei o embalo da “destroca” para me aventurar na Ovi Store, que continua limitadíssima no que toca à oferta de aplicativos, continua sem oferecer os pagos em solo brasileiro, e continua pouco amigável. Ah sim: também continua guardando algumas surpresas agradáveis.

É raro encontrar aplicativos com cinco estrelas, por isso, enquanto passeava pelas páginas da loja, me chamou a atenção o ZOMF, um desses raros exemplares perfeitos, segundo quem testou. Não chega a tanto, mas surpreende: ele permite sincronizar arquivos com um PC via rede sem fio!

Já vi (e uso) no Zune HD, o que, por tabela, nos faz pensar que o mesmo recurso estará disponível para o Windows Phone 7. O ZOMF é multiplataforma, conversa com smartphones Symbian, BlackBerry, Android e até Windows Mobile. Em desktops, só Windows. continue lendo

emCelular Dicas Meio Bit Mobile Planeta Sem Fio Software

Xbox Live oficialmente no Brasil em novembro

Por em 13 de outubro de 2010

dori_live_13.10

Agora é oficial, caro dono de um Xbox 360, a Microsoft comunicou que a partir do dia 10 de novembro a rede online do seu videogame chegará oficialmente ao Brasil. Depois de uma enorme espera e sucessivos adiamentos, poderemos finalmente comprar jogos completos, jogar online, adquirir MS Points e fazer a assinatura do serviço pagando em reais, mesmo sendo provável que tudo isso não esterá disponível já no início.

Na verdade, poucos detalhes foram mencionados, como por exemplo o valor da anuidade, que acredito deva ficar entre R$ 89 e R$ 99, mas ao menos já sabemos que será possível migrar as contas de outras regiões, mantendo nosso perfil, conquistas, MS Points e o tempo relativo ao restante da antiga assinatura Gold. Mesmo assim, é muito importante dizer que o processo de migração é, a princípio, irreversível e se mudarmos para a Live nacional, perderemos acesso ao conteúdo que não estiver disponível para o país, então é aconselhável que os jogadores façam o download de tudo o que já foi comprado.

Apesar da demora, há de se elogiar a Microsoft por ter cumprido o prometido e só espero que os jogos Arcade e principalmente os Games on Demand não demorem muito a serem disponibilizados, afinal, isso baratearia muito o custo dos jogos por aqui, apesar da troca do HD do Xbox 360 não ser tão fácil/barato quanto muitos gostariam.

emMicrosoft

Perca peso agora, pergunte-me como. Como? Com software

Por em 11 de outubro de 2010

Nos primórdios da Internet um dos sites mais divertidos era uma paródia, o Perca Peso Mentindo. Hoje isso se tornou uma realidade, graças a esforços de cientistas expandindo as fronteiras da manipulação de imagens.

“Ah, mas é Photoshop, qual a novidade?”

A novidade, meu caro chato, é que não estamos falando de manipulação de imagem 2D. O trabalho acima é de um grupo de pesquisadores das Universidades de Hong Kong, TelAviv e Zhejiang, e o buraco é muito mais embaixo. (mas pode ser movido através de manipulação de parâmetros)

O projeto mapeia a pessoa na imagem em um modelo 3D do corpo humano. Com isso o software trata o corpo como um objeto (roam-se feministas) e o distorce, segundo informações (no exemplo) de peso e altura. Os dados visuais são arranjados e redistribuídos, sem depender de chutes por parte do operador. continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Software

Os melhores programas (gratuitos) para Android

Por em 11 de outubro de 2010

E não, não estou contando com a pirataria.

Acontece que depois de (muitos) anos com o bom e velho V3i, dei um salto quântico para o Milestone. E, claro, não há muitas arestas no aparelho que já foi considerado o “gadget do ano (passado)”. Talvez o conector “mini-USB-que-não-é-mini-USB”, mas nada é perfeito.

Enfim… Android na mão e uma idéia na cabeça: conseguir ferramentas para trabalho e, por que não, jogos! Sem mais delongas, aí vai a minha melhor lista dos melhores programas disponíveis pelo melhor preço para o melhor sistema operacional para celulares (sim, eu fui assimilado):

Para começar, o sempre útil “Scanner de código QR”, em sua encarnação 3.5, baseado na biblioteca ZXing. Baixe direto do MercadinhoANDROID-ICON ou visite: http://code.google.com/p/zxing. No final do arquivo estão todos os “QR Codes” para as aplicações, para facilitar a vida de quem já tem o programa instalado.

A maioria dos programas abaixo tem versões pagas (a preços muito, muito baixos), que retiram a publicidade (que incomoda pouco) e acrescentam pequenas funcionalidades. Geralmente, vale pagar.

10 – DCSwitch 1.1

Se você não tem um plano de dados, pode ter uma surpresa no final do mês. Especialmente no final do primeiro mês de uso do telefone… ao se desconectar da rede Wi-Fi e esquecer de desabilitar a sincronização, os dados (RSS, emails, atualização de mapas, propagandas subliminares…) trafegarão pela rede celular. E serão cobrados como tal…

A solução é o DCSwitchANDROID-ICON , que desabilita “na unha” a comunicação de dados via rede celular. Infelizmente, nesta versão gratuita, ao se conectar a fonte de alimentação o programa é desabilitado e você terá que iniciá-lo novamente.

9 – ES File Explorer

Acessar seus arquivos na rede Windows nunca foi tão fácil! O EStrongs File ExploreANDROID-ICON r tem uma interface muito bonita e funcional, além de conseguir lidar com servidores FTP, dispositivos Bluetooth e, claro, com os arquivos do próprio aparelho.

Visualiza arquivos, descompacta, seleciona múltiplos arquivos, mostra miniaturas, assobia e chupa cana ao mesmo tempo.

estrongs file explorer

continue lendo

emCelular Computação móvel Download Meio Bit Mobile Software

Canon 430EX II e 580EX II

Por em 4 de outubro de 2010

Como vocês devem se lembrar, algum tempo atrás eu comprei um flash da Sigma para substituir um Canon Speedlite 580EX que havia queimado. A escolha do flash Sigma se deu justamente por seu preço mais camarada e por minha capacidade de investimento estar um pouco baixa no momento. Mas, aquele velho ditado “o barato sai caro” é uma das grandes verdades do universo. Infelizmente não consegui me adaptar ao equipamento da Sigma. O tempo de recarga era um pouco lento e a quantidade de erros de exposição no modo TTL estava me tirando do sério. Então, depois de uma reunião com o gerente do meu banco (ai), consegui o capital para renovação dessa parte do equipamento. Já que o crédito estava liberado, decidi comprar um Speedlite 430EX II e um 580EX II.

A diferença entre os equipamentos da Canon e da Sigma já se percebe na boa construção do corpo do flash. Plástico industrial muito bem moldado e com uma aparência mais agradável. A tampa do compartimento das pilhas também é um pouco mais resistente, mas em minha opinião poderia ser mais ainda. Os dois equipamentos são mais pesados que o da Sigma, além de apresentar um painel de controle e visor LCD com informações mais completas. Uma grande melhoria, em relação aos modelos anteriores, é a alavanca de encaixe na sapata da câmera. Muito mais prático do que o anel giratório que encontrávamos antes.

continue lendo

emAcessórios Áudio Vídeo Fotografia

Pirataria no Android atinge níveis alarmantes

Por em 1 de outubro de 2010

Alguns meses atrás os usuários de Android tiveram a arrogância de usar FATOS para atacar a Apple, mostrando o resultado de uma pesquisa onde as aplicações do Android Market eram bem mais baratas que as da App Store. Claro, não tiveram argumento para retrucar a legítima resposta dos Apple Users: “mas.. mas… mas…”

Agora a equação se complica, em uma daquelas situações estilo Oriente Médio, onde nada é bom pra ninguém envolvido. A pirataria, que é um problema no iPhone está solta e descontrolada no Android.

Em alguns casos 90% das cópias instaladas de uma aplicação são piratas. Pior, a prática está disseminada pelo mundo.

Não há desculpa. Vejam a maioria das razões alegadas pelos piratas e como não se aplicam:

1 – mimimi é caro

Não é. Aplicações de $0,99 são pirateadas. O Android é reconhecidamente o ambiente com aplicações mais baratas. Não importa, mesmo as que saem quase de graça são roubadas e repassadas nos Rapidshares da vida

2 – mimimi que usem publicidade

Mentira. Aplicações gratuitas que se apóiam no modelo de publicidade são pirateadas e o código dos anúncios removido. Não basta nem mais ser de graça, tem que ser sem propaganda, afinal o desenvolvedor tem que se sentir feliz ao dedicar seu tempo e expertise produzindo conteúdo para nerds

3 – mimimi quero experimentar antes de pagar

Mentira. O Android tem um até polêmico modelo de pagamentos onde você pode devolver uma aplicação, dentro de um prazo. A velha desculpa não cola, e mesmo que fosse o caso, onde entram sites, resenhas, amigos, etc? NADA no mundo funciona assim, software deveria ser diferente?

4 – mimimi pirateio pq sou pobre

Como assim? O sujeito tem dinheiro pra um smartphone, tem dinheiro pra plano de dados, tem dinheiro pra um computador com Internet mas não tem US$0,99 pra comprar um programa?

5 – mimimi pirateio por não ter alternativa gratuita

Mentira. Mesmo no iPhone, que não é exatamente o paraíso do FOSS, dá pra ser absolutamente feliz só com as aplicações gratuitas. O Android tem muito, muito mais coisas em termo de aplicações versáteis e gratuitas.

6 – mimimi odeio a Microsoft

Android é do Google, amigo do Open Source, dos pandas e dos unicórnios. Mais um motivo para não sacanear os desenvolvedores, mordendo a mão que alimenta o Open Source.

Se a situação continuar corre-se o risco de uma revoada de desenvolvedores para outras plataformas mais lucrativas, onde usuários tenham uma cultura de respeito ao programador e seu trabalho. Quais? De cara, iPhone e Windows Phone.

A culpa disso é da “cumunidade”, pois não adianta querer um ecossistema viável quando a maior parte dos usuários é composta de geeks fuçadores que entendem como ofensa pessoal um desenvolvedor ousar cobrar por seu trabalho, e se orgulham de mostrar aos amigos como são radicais e intensos ao passar 3 horas até piratear um programa de US$0,99.

Cadê o Google nisso? Brigando com a pirataria, mas como todo mundo, perdendo.

Fonte: Slashdot

emCelular Computação móvel Google Mercado

Google Street View dá as caras no Brasil

Por em 1 de outubro de 2010

Depois de mais de um ano fotografando as mais diversas ruas num icônico Fiat Stilo vermelho, finalmente podemos ver o resultado do começo da jornada do Google Street View pelo nosso país. Por enquanto apenas as cidades de São Paulo, do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte tiveram quase 100% de ruas varridas por fotografias em 360° (horizontais, já que na vertical “só” 290° são praticáveis). Parte das regiões metropolitanas dessas cidades também estão visíveis, bem como a surpresa do mapeamento de cidades históricas de Minas Gerais, como Mariana e Ouro Preto. Ao todo, 51 municípios já tiveram pelo menos uma foto tirada pelo veículo.

Mesmo não morando nos locais privilegiados pela novidade, vale a pena ver como anda o serviço até agora e aproveitar para, claro, ter uma prévia da qualidade mostrada até agora já que, vale lembrar, a intenção da Google é mapear ruas de cerca de 90% do Brasil em 2 anos. continue lendo

emGoogle Internet

Halo: Reach, uma experiência memorável

Por em 22 de setembro de 2010

dori_reac_09.10

Qualquer exército que se preze possui um grupo de soldados que são considerados a elite da elite. Esses homens costumam ser tratados como lendas por serem enviados a missões de onde raramente voltam com vida e seus feitos ficam marcados na história porque geralmente mudam o destino de uma guerra. Em 2552, quando a humanidade via-se diante de uma terrível ameaça alienígena, a UNSC formou um esquadrão conhecido como Noble e o enviou ao planeta Reach, o último ponto de resistência antes da Terra. Nascia ali uma história de amizade, dedicação e sacrifício.

continue lendo

emAnálises Microsoft

IE9 Beta chegou!

Por em 16 de setembro de 2010

DSC04959

Osvaldo Barbosa, MC MS Brasil apresenta o Internet Explorer 9

Muitos anos atrás a Internet era do Netscape. O navegador tinha virtuais 100% de Mercado. O Internet Explorer era um arremedo de browser que ninguém nem sabia que existia.

Aí entrou em campo a arrogância. O Netscape parou de evoluir, tentou concentrar seus esforços em servidores, que era onde achavam que estava o dinheiro. Com isso o Explorer veio comendo pelas beiradas, lançou sua primeira versão decente, a 4, e passou a distribuí-la com o Windows. Isso facilitou a vida dos usuários, pois quem não tinha, instalava. No lugar do Netscape, que basicamente morreu. O Explorer chegou ao mesmo domínio de praticamente 100% do Mercado. O navegador cresceu um pouco, melhorou cada vez menos, empacou na versão 6 e dela nunca mais saiu.

Sem concorrência o Explorer parou de evoluir.

O Explorer se tornou um navegador odiado por webdevelopers, heavy users, blogueiros e qualquer um que não tenha entrado na Internet por cota de inclusão digital. O Firefox, surgido das cinzas do Netscape logo virou “A”alternativa, pegando desprevinida uma Microsoft que ainda engatinhava no mundo online. Era inconcebível para a empresa de Redmond que um produto que detinha 90% do Mercado NÃO ditasse os padrões, mas no mundo Web é assim.

continue lendo

emInternet Software

Agências de Viagem vs Internet: Turista economiza até 50% em viagem ao exterior

Por em 8 de setembro de 2010
Bay of Kotor, Perast, Montenegro

Baía de Kotor em Perast, Montenegro

Steven Levitt, autor do livro Freakanomics e Super Freakanomics, menciona no primeiro livro que a Internet tirou a vantagem de quem ganha com desinformação. Um exemplo disso são as Agências de Turismo. As comissões e lucros deles estão atreladas ao turista não ter ideia alguma do custo real dos serviços.

Com a Internet,  pode-se pesquisar e reservar hotéis, comprar passagens de trem, ônibus, reservar  carros e programar passeios turísticos com pequenas agências no destino. As vantagens são maior independência e economia suficiente para fazer uma segunda viagem.

Para desespero das  agências de turismo, os turistas conectados crescem a cada ano e são mais difíceis de cair em arapucas como as das passagens de trem pela Europa.

Dica 1: Compre suas passagens de trem
continue lendo

emArtigo Destaque Dicas Internet Meio Bit

Visual Studio LightSwitch: Comece a desenvolver agora!!

Por em 8 de setembro de 2010

A Microsoft sempre construiu ótimas ferramentas para desenvolvedores, o Visual Studio evolui a passos largos a cada versão lançada, e não foi diferente com a versão 2010, lançada esse ano. Há alguns dias foi lançado mais um produto, o Visual Studio LightSwitch, que veio para simplificar o desenvolvimento de aplicações.

Para quem já fez algo com o Access, pode pegar a simplicidade do Access e misturar com o poder do Visual Studio. Esse é o LightSwitch.

“Mas espera um pouco Márcio, então agora temos mais um produto do tipo, next, next e finish e um programa está pronto? Isso não é ruim para o mercado?”

Esse questionamento foi feito várias vezes desde quando o LightSwitch foi anunciado, muitos desenvolvedores — estou na lista :) . No começo surgiram alguns nomes do tipo Visual Studio Starter Edition ou Visual Studio Noob Edition, afinal, enquanto todo mundo pensa nos padrões do GOF e no SOLID do Uncle Bob, vem a Microsoft e lança algo que vai contra tudo isso, onde eu informo uma tabela e tenho um cadastro pronto.

Mas vamos com calma. Reparei que várias pessoas ficaram com medo do LightSwitch. Quem trabalha com desenvolvimento para Web sabe como é difícil concorrer com sites vendidos a R$ 300 em 3x sem juros, ou seja, quando tentamos fazer um trabalho sério, tem uma concorrência desleal do outro lado. Só que mesmo com concorrência desleal, o mercado continuou existindo para todos, e foi esse medo que identifiquei na maioria dos críticos do LightSwitch.

continue lendo

emIndústria Meio Bit Software

Estatística de navegadores do MB

Por em 7 de setembro de 2010

Aproveitando o pedido do nosso leitor Pedro Calumbi, uma rápida comparação para fechar com chave de ouro o feriadão (e lembrar que amanhã cedo a vida continua).

Em julho de 2008, a grande maioria dos nossos leitores usava o Fx, com o Internet Explorer em segundo lugar.

image_2_1[1]

Vejamos como a coisa está, hoje em dia:

image

Apesar do Fx continuar a ser o navegador preferido,  é inegável que o Chrome ganhou espaço, tirando usuários tanto do daquele, quanto do IE.

Vale lembrar, como sempre, que o Meio Bit é um site “atípico”, onde os leitores são mais familiarizados com Informática, com conhecimento de causa para escolher seu navegador predileto, ao contrário da maioria dos usuários, que ainda prefere o bom(?) e velho Internet Explorer.

emIndústria Miscelâneas

Flash Sigma EF-530 DG Super – Review

Por em 1 de setembro de 2010

O dia que todo fotógrafo odeia finalmente chegou para mim. Esse dia é quando um equipamento caro passa dessa para a melhor. No meu caso, foi o flash Canon Speedlight 580EX. O pequeno guerreiro durou muito, mas não quer dizer que eu estava preparado para o seu falecimento. Como nesse semestre estou passando por uma onda de investimentos pesados na fotografia (leiam isso como a montagem de um estúdio), o capital necessário para repor o equipamento perdido estava muito limitado. Depois de muito pensar, decidi investir em uma marca genérica até que meu caixa volte a ficar volumoso.

Ao procurar por lojas nos Estados Unidos e na Europa, acabei descobrindo várias marcas de flash ttl compatíveis com todas as câmeras fabricadas no planeta. Mas, o fato de nunca ter ouvido falar nelas (nem positiva e nem negativamente), me fizeram escolher pela Sigma. Três motivos me levaram a essa decisão. O primeiro é que já tive um flash Sigma, na época que fotografava com filmes, que foi revendido para um amigo e até hoje está funcionando perfeitamente. O segundo motivo é que a Sigma já transcendeu a classificação de marca genérica e oferece uma linha de produtos de boa qualidade. E a terceira foi o preço, que está muito bom.

EF-530 DG Super_1

continue lendo

emAcessórios Áudio Vídeo Fotografia

O futuro da Internet está nos nossos olhos

Por em 17 de agosto de 2010

Ler o artigo The Future of the Internet, escrito por Dan Redding e publicado na Smashing Magazine, é o mesmo que fazer uma viagem para o futuro na tentativa de prever os caminhos que a Internet tomará daqui para frente. Algo impossível de se fazer com precisão, mas ainda assim um divertido e instigante exercício.

O artigo passeia por vários pontos importantes, uns mais, outros menos, alguns realmente futuristas, como a possível relação entre a Rede e viagens temporais (essas, de verdade, não como as do exercício mental que o próprio artigo é). Entre todos esses tópicos, dois me chamaram a atenção pela aplicabilidade que teriam, caso fossem reais — e, ao que tudo indica, em pouco tempo eles serão tecnicamente viáveis.

Olho.

Olho (mais em Photography Served).

O primeiro refere-se à “Web of Things”, ou, mantendo o padrão, “Web das Coisas”. Em termos simples, esse conceito leva à Internet informações sobre tudo via dispositivos de rastreamento, permitindo aos usuários saber o que acontece com essas coisas em tempo real e, inclusive, interagir entre elas. Adeus cachorrinhos sumidos, carros roubados e outras mazelas hoje tão comuns. Combinado com uma interface 3D a la SecondLife, seria mais ou menos uma recriação virtual extremamente realista do nosso mundo real, com tudo acontecendo igualzinho nos dois “universos”, em tempo real. Há muito a ser discutido em relação a isso, especialmente quando a palavra “privacidade” vem à tona, mas algumas empresas, como a AT&T, já pesquisam o tema.

continue lendo

emInternet Meio Bit Miscelâneas

Oracle processa Google por causa de Android e Java

Por em 13 de agosto de 2010

Em um daqueles documentos assustadores cheios de nomes de advogados a Oracle acionou o Google, acusando-o de violação de patentes relacionadas ao Java.

O texto vai além, aponta que os fabricantes e usuários também estão violando as tais patentes, e que o Android compete com o Java como sistema operacional para dispositivos móveis.

Além das patentes há a questão do Copyright, que é a base por trás das licenças de software, e a Quitanda do Tio Larry não faz por menos:

“Sem consentimento, autorização, aprovação ou licença, o Google conscientemente, propositalmente e ilegalmente copiou, preparou, publicou e distribuiu material com copyright da oracle America, partes e trabalhos derivados. O Android da Google infiringe o Copyright do Java da Oracle America e a Google não está licenciada para isso.”

A impressão é que a Oracle não gostou do Android ser todo focado no Java e não estarem ganhando nada em cima disso, mas a Sun também não foi exatamente feliz nessa área. Provavelmente por arrogânciase recusavam a aprender com quem sabe ganhar dinheiro com linguagens, não aprenderam as lições da Borland e da Microsoft e deixaram na mão da “cumunidade” o que seria o grande ganha-pão do pacote, a responsabilidade de criar um workframe matador.

Essa ação é um tiro que atinge o Java como um todo -afinal qualquer um que use a linguagem está vulnerável- e ainda resvala para o Open Source, afinal de contas de que adianta ser licenciado sob GPL, bla bla bla se você pode ser vulnerável por usar uma LINGUAGEM disponibilizada sob a mesma licença? continue lendo

emIndústria

PS3 oficialmente no Brasil, mas custando caro

Por em 11 de agosto de 2010

dori_ps3_11.08.10

Sabe aquela história de que devemos ter cuidado com o que desejamos? Pois bem, por muito tempo os jogadores brasileiros pediram pelo lançamento do Playstation 3 por aqui, o que diga-se de passagem é totalmente válido, agora finalmente poderemos nos orgulhar de ter o console da Sony oficialmente por aqui, mas será que há motivos para comemorações?

Acontece que em evento realizado hoje em São Paulo para alguns poucos convidados, o gerente geral da Divisão PlayStation no Brasil, Anderson Gracias, revelou que o aparelho começará a ser vendido ainda hoje, 11 de agosto, na Sony Style e o preço, que segunda a empresa deveria ser maior, já que ela subsidiará uma parte, será de salgados R$ 1.999 pelo modelo compacto com HD de 120GB. Quanto a PSN, ela deverá ser implementada em três etapas, mas por enquanto ainda não estará ativa.

O valor certamente está longe do que gostaríamos e mostra que o Xbox 360 com um HD de mesmo tamanho e dois jogos, vendidos por aqui por R$ 1.599 não era assim tão absurdo. Aceitem amigos jogadores, nosso impostos estão nos matando.

[via Gamer.br]

emGames Meio Bit Sony

Facebook vs. orkut

Por em 30 de julho de 2010

Presenciamos, já faz algum tempo, o nascimento de uma rixa entre a maior rede social do mundo e a mais popular no Brasil, Facebook e orkut, respectivamente. Num post publicado no Google Discovery, uma pequena flamewar desecadeou-se quando um comentarista (ou troll, ainda não consegui identificar) incitou ser o orkut inferior.  Escreveu ele:

De que adianta o orkut ser relevante no Brasil e IRRELEVANTE para o resto do mundo. ´Brasileiro adora lixo. kkkkkk

Off-topic, mas importante: sempre desconfie de quem ri “kkkkk” na Internet.

Questionamento: o fato do orkut ser relevante apenas no Brasil implica malefícios aos seus usuários?

Pergunta fundamental: o orkut é, de fato, inferior ao Facebook?

Facebook vs. orkut.À última pergunta, e aqui vale frisar que trata-se de uma opinião, minha resposta é sim. Há tempos venho ensaiando um post que ilustre onde e por que o Facebook se sobressai, principalmente no fator social. É um assunto espinhoso e meus argumentos estão longe de serem definitivos, mas acredito que possam ser o pontapé inicial de mais uma saudável discussão nos comentários.

continue lendo

emInternet Meio Bit

Jolicloud 1.0 com auto-update e mais…

Por em 30 de julho de 2010

As boas novas…

O Jolicloud é um OS originalmente criado para netbooks e mistura web-apps a Linux ware, baseado no Ubuntu e utilizando o Chrome como framework. A boa é que acaba de ser liberada a versão 1.0 (final) e são muitos os gracejos para os usuários do sistema.

Eu mesmo, que trabalho primariamente com OS X, produzo quase tudo fora do escritório com um laptop Intel sacaníssimo de capaz e rodando o Jolicloud desde o primeiro beta. O OS é tão bacaninha que dá até gosto ver o seu nome como um ‘Founding Member’ na tela inicial (topo). Como aqueles projetos que você sente um certo orgulho em apoiar do jeito que puder, de tão redondo e bem feito que é. continue lendo

emAndroid e Linux Meio Bit Open-Source

Promoção DVD Lighroom 3 para Fotógrafos de Casamento

Por em 22 de julho de 2010

Adquiriu o Lightroom 3 e ainda não sabe muito bem o que fazer com ele? Está procurando uma maneira de aplicar um tratamento mais artístico às suas imagens? Quer entrar no mercado de fotografia de casamento e ainda não sabe muito bem como organizar os seus arquivos? Os seus problemas acabaram, pois está chegando ao mercado o DVD Lightroom 3 para Fotógrafos de Casamento de Fernanda Marques e Reinaldo Martins e que está sendo lançado no mercado nacional pela iPhoto Editora.

Quem conferiu a resenha publicada no início da semana pode agora ganhar a cópia do DVD que foi enviada para a redação do Meio Bit. E para ganhar é muito fácil. O DVD será sorteado no dia 31 de julho (sábado) entre os seguidores do novo Twitter do Meio Bit Fotografia. Mais fácil do que isso só injeção na testa. Você tem pouco mais de uma semana para concorrer a esse vídeo tutorial de grande importância para quem quer agilizar o seu fluxo de trabalho.

dvdlightroom3parafotgrafosdecasamento

emÁudio Vídeo Fotografia Concursos

Review Motorola Flipout: O Andróide nanico

Por em 21 de julho de 2010

O Motorola Flipout é um aparelho bastante interessante – não só por seu tamanho minúsculo, mas também por suas especificações: processador Cortex A8 de 600 MHz, 3,5G, WiFi, 512MB de RAM e já vem com o Android 2.1. Tudo isso por menos de mil Reais.

Então será o Flipout a compra certa de quem quer um smartphone barato?

continue lendo

emCelular Meio Bit Mobile Resenha

Análise: OnLive – Serviço de jogos pela nuvem

Por em 19 de julho de 2010

DU-VI-DO.
Pelo que eu entendi:
Fabio liga o OnLive na casa dele.
O OnLive começa a funcionar, e carrega o jogo no servidores deles.
Em uma resposta minha de qualquer comando, o sinal é enviado pro servidor deles, que renderiza, cria um frame (aliás, pelo menos 30 deles em um segundo), compacta, e envia por TCP-IP pra minha casa.
Bom… considerações:
Um vídeo em 720P com compressão tem uma qualidade muito menor do que jogar e renderizar na minha própria casa.
Um ping de 1ms constante, com o uso do serviço intensivo, é fisicamente impossível. E isso é absolutamente crucial para a viabilidade do serviço; qualquer lag a experiência fica impraticável.
O que que eles usam para renderizar Crysis no Very High a 30 fps para 1000 jogadores ao mesmo tempo? E pra 10000? E pra 100000?
Eu não boto fé. Vai ser um desastre.

Esse comentário foi feito pelo Fabio Cardoso há mais de um ano, quando o Meio Bit Games reportou pela primeira vez o serviço, na época, recém anunciado OnLive. Eu nem havia comentado, pois minha opinião batia exatamente com a do Fabio: mesmo com meus poucos conhecimentos na área de engenharia de redes, não faz sentido até hoje para mim.

Para quem ainda não ouviu falar, o comentário acima explica como o OnLive quer se tornar um concorrente de peso dos consoles. É um serviço de distribuição de jogos pela “nuvem”, onde não existe o processamento local. Todos seus comandos são enviados para os servidores da Onlive, que processam o jogo e lhe enviam de volta a imagem, com um tempo de resposta próximo ao que fosse de um processamento local, não havendo assim nenhum atraso. Isto não é magia, é tecnologia!

Desde o dia 17 do mês passado o Onlive se tornou aberto a assinantes e eu, como um bom devoto de São Tomé,  já estava na fila pra ser o primeiro a tripudiar o serviço. Infelizmente, devido a uma mudança, meu novo apartamento tinha uma frágil conexão de 1.5 Mbps, de um provedor obscuro. Isto frustrou meus planos de testar o serviço logo que foi liberado. O plugin do Onlive já cortava meu barato de saída.
Meu sinal verde só acendeu no último sábado, após finalmente instalar meu novo provedor de internet com mais que suficientes 20 Mbps para me divertir.

Logo de inicio, vou passar minha modesta configuração. Meu laptop é um senhor de 3 anos de idade com um processador Pentium Dual Core T2310 1.47 GHz, 1GB de RAM. Nota 3 no Windows Experience Index. A nota mais baixa vem exatamente do quesito “gaming graphics”. É, meu laptop é miguxo, amigos.

continue lendo

emAnálises Computadores Games Games Meio Bit

Games mais baratos? Conheça o projeto Jogo Justo

Por em 15 de julho de 2010

Quem acompanha o Meio Bit Games deve saber o quanto critico os absurdos impostos que os games recebem quando chegam ao Brasil e por isso preciso fazer uma mea culpa aqui por nunca ter comentado sobre a louvável iniciativa de Moacyr Alves Jr., o Jogo Justo. Moacyr é bastante conhecido por ter uma enorme coleção de games e ontem realizou uma coletiva para apresentar o projeto oficialmente à imprensa.

Contando com o apoio do deputado Luiz Carlos Busato (PTB/RS), da rede de lojas UZ Games e da NC Games, distribuidora de games no Brasil e uma infinidade de sites, blogs e portais, o projeto pretende reduzir consideravelmente os imposto praticados no país, que hoje chegam a 80%. A intenção a princípio é convencer a Receita Federal de que com menores valores, o mercado poderia arrecadar mais para o governo, já que as vendas teriam um grande aumento. Caso a tentativa não dê certo, o deputado elaboraria um projeto de lei, o que poderia se estender por longos anos.

Seria realmente muito bom ver o preço dos jogos caírem drasticamente no Brasil, trazendo para o país novas empresas, o que abriria portas para profissionais locais e claro, facilitaria a vida de todos que gostam de manter seus videogames com jogos originais. Para ter uma ideia a estimativa é de que um jogo que hoje é vendido por R$ 250 poderia passar a custar R$ 130, portanto, ajude a divulgar o projeto e torça para que ele seja bem sucedido, se não for pelo crescimento da nossa indústria de games, que seja pelo seu bolso.

continue lendo

emGames Indústria

Os mais bonitos em Cel-Shading

Por em 14 de julho de 2010

dori_pop_06.10-2

O Cel-Shading é uma técnica aplicada a gráficos 3D que tem como objetivo fazer com que eles pareçam terem sido desenhados a mão e que é conhecido como Non-photorealistic rendering (NPR), ou seja uma imagem não fotorealista. Tendo se tornado relativamente comum nos videogames, muitos acham que seu bom uso está unicamente relacionado a jogos infantis, mas já vimos quase todos os gêneros utilizarem o Cel-Shading, como jogos de corrida, de ação e até mesmo os voltados para um público mais adulto, como No More Heroes e Fear Effect.

Mesmo não conseguindo me lembrar da primeira vez que vi um jogo usando este estilo de imagem, tenho certeza que foi amor a primeira vista e por isso criei uma lista com os cinco jogos mais bonitos criados em Cel-Shading e que já joguei. Como a técnica permite que os gráficos envelheçam bem, acho que é possível comprar um jogo lançado há vários anos com um mais atual, já que aqui o que conta mesmo é o talento da equipe responsável, principalmente em relação a direção artística. Portanto, aqui vão os meus escolhidos:

continue lendo

emMiscelâneas

N900 no Brasil, ô pá!

Por em 5 de julho de 2010

Um dos produtos mais irracionalmente desejados por geeks é a linha N8XX da Nokia. São algo entre um tablet, um pad, um axé, sei lá. São lindinhos, não caem em nenhuma classificação específica exceto que não são celulares. Mesmo assim todo mundo que mexe em um precisa racionalizar muito para não comprar, dado o grau de desejabilidade que geram.

Com o N900, a Nokia aparentemente havia acertado em cheio, transformando um N8XX em um celular e acabando com o último argumento contra uma eventual compra. Vejamos o que tem o bicho:

  • Processador de 600 MHz
  • 256MB de memória DDR, 768 MB de swap e 1 GB virtual
  • 32 GB de Flash
  • Tela de 3,5″ (800×480)
  • Câmera 5 MP Carl Zeiss
  • Bluetooth 2.1, WIFI, AGPS, FM (transmissor/receptor), Infravermelho
  • MiniUSB
  • MicroSD de até 16 GB
  • USB host
  • TV Out
  • Teclado Qwerty
  • Quadriband

Essa é só uma listinha parcial. O N900 vem com o Maemo (e não o obsoleto Symbian) e é o único smartphone do momento que roda Firefox.

Agora essa beleza vem pro Brasil, ao preço full não tão assustador de R$ 1.990,00 e disponível na segunda quinzena de agosto. continue lendo

emCelular Meio Bit Mercado Mobile

Meio Bit no Flickr – Fotos da Semana

Por em 4 de julho de 2010

Estamos aqui novamente para visualizar a foto da semana no Meio Bit Fotografia. Lembrando que agora temos 4 imagens muito bacanas e que não existe grau de importância entre as fotos. Todas as quatro estão no mesmo patamar. Um toque para você que está começando na fotografia e quer mostrar seu trabalho para o mundo através do flickr. É muito positivo você dar um nome para a foto em vez de deixar o nome do aquivo que a câmera gera. Outro fato que ajuda na interpretação do observador é uma pequena descrição sobre a foto mostrada. Pequenas coisas que separam as fotos mais comentadas do resto.

Só lembrando que a Foto da Semana é escolhida entre as imagens postadas em nosso grupo no Flickr. Já temos 950 participantes e um total de 13.216 itens compartilhados.

ATENÇÃO: pessoas que não permitem o compartilhamento de imagens no flickr podem mandar suas imagens para nosso grupo sem problema, mas ficam impossibilitadas de participar da escolha semanal de fotos. Estatístícas do grupo do Flickr do Meio Bit:

Cinco maiores colaboradores

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Foto da Semana

GPU Wars, Episódio 1: “ATi e a Irmandade do fotograma bidimensional”

Por em 3 de julho de 2010
Laguna_ATiLogoSecXX_28jun2010

Logotipo da ATi no século XX.

Há aproximadamente 23 anos, em julho de 1987, uma pequena companhia canadense de hardware, a ATi, lançava a primeira linha de placas de vídeo no varejo, com sua própria marca, após 2 anos desenvolvendo chips de exibição de vídeo para grandes montadores de PCs à época, como IBM e Commodore, sob o regime OEM.

Era a linha Wonder, em versões EGA e VGA, esta lançada pouco menos de um ano depois, com preços na faixa dos 400 dólares.

Essas duas placas ISA (8 bits) tinham, respectivamente, 256 KiB e 1 MiB de memória DRAM (cuja interface também era 8 bits).

O detalhe interessante da versão EGA era oferecer uma resolução proprietária de 800×600 / 4 bits, além da padrão 640×350 / 6 bits. A versão VGA, de 1988, além de substituir o conector DE-9 pelo homônimo azul de 15 pinos que sobrevive até hoje, também teve um modelo mais barato, com 512 KiB de memória ‘burra’ de vídeo.

Sim, até o final dos anos oitenta, as primeiras placas de vídeo eram consideradas “dispositivos burros”, pois o rudimentar chip gráfico apenas recebia a imagem gerada pela CPU, ao atualizar a imagem armazenada na memória de vídeo (framebuffer) com relação à imagem visualizada propriamente dita.

A situação começou a ficar mais ‘inteligente’ quando a ATi lançou no mercado, em 1991, o Mach 8, um modesto processador gráfico cujas funções e API eram plenamente compatíveis com a IBM 8514, uma plataforma de placas de vídeo que suportava aceleração, via hardware, de algumas funções fixas na renderização e manipulação de gráficos bidimensionais no DOS.

continue lendo

emAnálise Artigo Computadores Hardware Indústria Museu

O triste estado da OVI Store

Por em 28 de junho de 2010

clica que amplia (espero)

A missão era simples: Escrever um post bobinho sobre uma aplicação bobinha, o Desguiator, um programinha que responde ao acelerômetro, você dá uns tapinhas espera uns segundos e o telefone toca. Útil, muito útil para se livrar de chatos.

Os problemas começaram quando fui me logar na Epic Fail Store da Nokia. CINCO tentativas antes que ela decidisse abrir a janela de login. OK, entrei. Primeiro problema: TODA MALDITA VEZ a loja abre em português de portugal. Se é para chutar, ao menos usem direito o GeoIP. Já não basta os comerciais em espanhol que temos que aturar na TV por assinatura?

Logado percebi que a opção de download da aplicação desapareceu. Na verdade a aplicação inteira sumiu, provavelmente não era compatível com o N97. OK, plano B. Cliquei no link direto. Vou usar a opção “enviar para um amigo”. Coloco meu próprio número, recebo o link, baixo. Muitos programas “não compatíveis” até funcionam, vale testar, certo?

ERRADO! continue lendo

emCelular Meio Bit Mercado Mobile Opinião Software

A TV Interativa chegou, mas pra que ela serve mesmo?

Por em 27 de junho de 2010

Há algumas semanas, a Sony liberou uma atualização habilitando o Ginga (ou seja, o Middleware usado para interatividade na TV Digital brasileira) nas suas TVs da “linha 2010″. Como tenho uma dessas TVs, logo atualizei para ver como é a tal TV Interativa.

No exterior, ela é considerada um fiasco, mas será que por aqui a história se repete?

continue lendo

emAnálise Áudio Vídeo Fotografia Meio Bit

Nokia Talk, um evento sobre a força das mídias sociais na América Latina

Por em 25 de junho de 2010

O Nokia Talk foi um evento muito interessante, que reuniu alguns dos principais autores de blogs do Brasil e da América Latina, com o objetivo de discutir a força e o impacto das mídias sociais no continente. O evento aconteceu no final do mês passado em Miami, e além de milhares de posts e citações no Twitter, também gerou um documento muito útil para qualquer empresa ou profissional que esteja lidando com este novo mercado, as “10 regras de ouro das mídias sociais” (confira no meu outro blog uma tradução feita pela @verdevelma do Trilha Para).

Participar deste encontro foi um grande privilégio, e eu não estou falando apenas das apresentações, que foram escolhidas com muito critério, com palestrantes que demonstraram um grande interesse em compartilhar ideias com todos, mas como o próprio nome do evento já indicava, o mais importante foram todas as conversas paralelas que aconteceram durante o #NokiaTalk, já que o público presente tinha muita experiência sobre o assunto em pauta.

continue lendo

emArtigo Blog Destaque Meio Bit

TechEd 2010 – Evento para Desenvolvedores e profissionais de TI

Por em 18 de junho de 2010

TechEd 2010.De 13 a 15 de Setembro, será realizada a edição 2010 do TechEd, um evento organizado pela Microsoft. O evento é destinado a profissionais de TI e desenvolvedores. Com conteúdo técnico de alta qualidade, o evento é parada obrigatória para qualquer profissional de tecnologia.

Nesse ano o TechEd será realizado no Expo Center Norte em São Paulo. Nos 3 dias de evento, serão apresentadas mais de 180 sessões técnicas.  Além das sessões, no final do segundo dia de evento, tem o Ask The Experts, onde especialistas de várias áreas ficam a disposição para conversar e tirar dúvidas diretamente com o público.

Até o dia 20 de Junho o valor da inscrição está com um desconto de R$ 300,00, saindo por R$ 799,00. Esse valor da direito aos 3 dias de evento, Ask The Experts, coffe breaks e almoço para cada dia do evento, e kit do evento.

Abaixo uma tabela completa com valores, e  os respectivos descontos por data: continue lendo

emIndústria Internet Meio Bit Software

Finalmente, células de combustível portáteis

Por em 16 de junho de 2010

A tecnologia não é nova. As naves Apollo já utilizavam células de combustível, oxidando hidrogênio e gerando eletricidade.

Ao contrário de baterias a célula de combustível não armazena energia, depende da reação de um oxidante, um combustível e um eletrólito. Na maioria dos casos o oxidante é oxigênio.

As células de combustível são muito mais eficientes, podem ser reabastecidas na hora, ao contrário das longas horas de recarga das baterias. Também são menos danosas ao ambiente. No caso das que utilizam hidrogênio, o dejeto gerado por elas é… água.

Já foram criados vários protótipos de células de combustível para uso doméstico, mas a maioria utilizava Metanol, o que não é muito saudável, ou Hidrogênio gasoso, o que a História já ensinou ser perigoso mas pelo visto o pessoal de São Paulo ignorou, provavelmente querem ver o William Bonner dizendo  “Oh the Humanity!”

continue lendo

emCiência Hardware Indústria Meio Bit

E3 2010 • Sony

Por em 15 de junho de 2010

Extenuante. Acho que essa seria a melhor palavra para definir a conferência da Sony. Ao longo de quase duas intermináveis horas, a empresa japonesa realizou uma apresentação tecnicamente perfeita, mas que na minha opinião falhou em algo crucial: cativar os jogadores. Mesclando apresentações muito longas de alguns jogos, como o Tiger Wood 11 e o Sorcery (com um personagem parecido com o Harry Potter), ambos com suporte ao Move, e clipes mostrando poucos segundos de jogabilidade, foram raras as vezes em que o espectador conseguiu se empolgar.

continue lendo

emGames Portáteis Sony

E3 2010 • Nintendo

Por em 15 de junho de 2010

Querendo mostrar que não estava para brincadeira, a Nintendo começou a sua conferência na E3 apresentando logo um dos jogos mais aguardados por seus fãs, o The Legend of Zelda: Skyward Sword para o Wii. Fazendo uso do Wiimote Plus para proporcionar uma melhor precisão no uso da espada e do escudo, o tiro acabou saindo pela culatra. Enquanto Shigeru Miyamoto tentava jogar um pouco do game, a resposta do controle sofria um terrível atraso e a impressão deixada não foi nada boa. Perto do final da exibição, o game designer pediu desculpas e disse algo estava atrapalhando a conexão Wi-fi e acredito mesmo que a versão final não terá uma jogabilidade tão ruim quanto a que foi mostrada. Também achei a resolução das textura bem baixas, o que poderá ser melhorado até o seu lançamento.

continue lendo

emGames Nintendo Portáteis

E3 2010 • Microsoft

Por em 14 de junho de 2010

Depois da impactante apresentação realizada em 2009, a Microsoft tinha a dura missão de manter o nível neste ano, mas isso não aconteceu. A empresa abriu sua conferência com o Call of Duty: Black Ops, que se mostrou muito mais bonito e promissor do que eu esperava, com o personagem usando um helicóptero para fugir de uma vila vietnamita e destruindo tudo em seu caminho, revelando belos efeitos de fogo e fumaça. Todos os DLCs do jogo serão lançados primeiro para o Xbox 360.

continue lendo

emGames Microsoft

Canon EF 70-200mm f/4 L IS USM – eu quero uma

Por em 12 de junho de 2010

Como alguns sabem, semana passada estava fotografando a VI Mostra de Teatro aqui em Presidente Prudente. O último espetáculo (A Serpente de Nelson Rodrigues) era composto por uma iluminação de palco muito fraca. Como minha tele da Sigma é muito escura, preferi pegar emprestada de um amigo a Canon EF 70-200mm f/4 L IS USM. Embora não seja uma lente muito clara, o f/4 já é superior ao f/5,6 da Sigma. Fora isso, temos uma nitidez melhor e o estabilizador de imagem que garante o uso de velocidades mais baixas de obturador.

Canon EF 70-200mm f4 L IS USM

Quem é usuário de Canon sabe que as lentes brancas da série L possuem algo de místico. Não existe um canonzeiro que não olhe essas gracinhas com reverência. Façam um teste. Tire uma dessas da bolsa no meio de um grupo de fotógrafos. Até quem usa outras marcas se interessa em ver, tocar e testar. Embora essa em específico não seja uma f/2,8 (muito mais cara) o rendimento da qualidade de imagem tende a superar esse pequeno ponto. Principalmente se você não possui outras lentes da linha profissional.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Lentes

Soluto, um “anti-frustração” para o Windows

Por em 11 de junho de 2010

O tempo de boot é sempre a “primeira impressão” do desempenho de um computador. Numa dessas belezas novas e modernas, tudo depende de sistema operacional e máquina coesos. Mas é aí que entra o “fator humano”, quando programas bom e ruins são instalados e, principalmente hoje em dia, a tralha trazida do PC anterior é realocada.

Tal acúmulo se torna infernal, até para os usuários mais veteranos, e a maioria dos SOs atuais já ajuda em grande parte quando é preciso reorganizar tudo (desfragmentação do disco, atalhos perdidos dekstop afora e por aí vai). No entanto, na parte que toca o tal boot, alguns sistemas ainda se complicam pra ajudar o usuário na resolução desse problema. E é aí que entra Soluto, com um nome sugestivo, e uma proposta aparentemente decente de solucionar essa zona na incialização.

Para Windows (lá vem você dizer “só podia ser!”), o foco do programa é acertado: o usuário casual. Do design a toda as suas funcionalidades, o programa é bem conciso, sem enrolação. Assim que você o instala, ele sugere o reinício do sistema. Daí, ele começa a verificar tudo que se inicia com o sistema, contando o tempo logo que a tela de BIOS some. Assim que ele chega na área de trabalho, ele continua contando, e só para o relógio quando todos os serviços e programas terminam seu carregamento.

continue lendo

emMeio Bit Software

Copa do Mundo: preparativos virtuais!

Por em 10 de junho de 2010

Copa do Mundo 2010.

A maior festa do esporte mais amado do mundo está prestes a começar! A Copa do Mundo, que acontece a cada quatro anos, em 2010 desembarca no continente africano pela primeira vez em sua história. A 19ª edição do evento será sediada na África do Sul, onde centenas de atletas do mundo todo já estão concentrados, aguardando as estreias de suas respectivas seleções.

Adorado no Brasil (embora, acho eu, por poucos leitores do Meio Bit :mrgreen: ), um evento de tamanha proporção não passa batido pela Internet. Essa será a primeira Copa dom Twitter, streaming de vídeo popularizado, e outras novidades mais. Para situá-lo no clima da competição, preparamos esse especial, um verdadeiro guia com (quase) tudo que a Internet oferece em se tratando da Copa do Mundo 2010.

Streaming dos jogos

Comecemos pelo ponto mais importante: streaming. Seja pela falta de uma TV, ou só para não ouvir a narração do Galvão Bueno, é sempre bom ter um “plano B” para os jogos mais importantes do torneio.

No Brasil, o GloboEsporte.com garantiu a exibição dos 64 jogos da competição, na íntegra e com narração, direto de seu site. Não escaparemos do Galvão, mas pelo menos tem-se a certeza de que, pelo menos num local virtual brasileiro, os jogos serão exibidos.

HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAJA CORAÇÃO!

HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAJA CORAÇÃO!

Lá fora, o site Univision Futbol, em espanhol, promete passar todas as partidas ao vivo também. Pelo que pudemos apurar, diferentemente da ESPN americana, neste não haverá restrições geográficas e/ou baseadas nas operadoras de Internet, então, fica como mais uma opção.

Lembrando que, na TV, os direitos de transmissão foram adquiridos por Globo e Band (canais abertos), além de SporTV, BandSports e ESPN Brasil (pagos). Agora fica a dúvida: aguentamos a narração do Galvão, ou as pérolas de sabedoria do craque Neto? :lol: continue lendo

emArtigo Destaque

iPhone 4 – veja galeria oficial de imagens

Por em 9 de junho de 2010

Olha, só. Agora o iPhone parece ter realmente uma câmera decente. Mas, vamos ser justos. Já há alguns anos que conhecemos alguns celulares que se destacam no ato de fazer fotos. A tecnologia já existia, mas alguns smartphones ainda são equipados com sensores ruins e processamento de imagem muito pobre. O novo iPhone 4, anunciado nessa semana, mostra algumas melhorias muito significativas em relação ao modelo anterior.

Além do processamento de imagem ter melhorado de maneira visível, o que mudou também foi o sensor utilizado. Agora, o pequeno aparelho da Apple está equipado com um pequeno censor CMOS Retroiluminado de 5 megapixels com capacidade de capturar vídeos em alta definição, a presença de 5x de zoom digital e a adição de flash e luz de vídeo. Mas, não é só isso. Na parte frontal do aparelho existe uma segunda câmera com qualidade VGA que permite fazer auto-retratos com qualidade e bom enquadramento (o Orkut agrade isso). Também gostei muito da opção de fazer o foco através do toque no visor do telefone e da possibilidade de já fazer o upload automático das imagens para um serviço de armazenagem (outra funcionalidade que está se tornando muito comum).

Tudo muito bacana. No site da Apple já existe uma galeria oficial com 6 imagens feitas com o iPhone 4 e com disponibilidade de download em definição máxima. Assim como outros colegas pela internet, também notei que o processamento interno do aparelho entrega fotos com grande saturação e aplicação de nitidez bem elevada também. Coisas simples para alegrar o consumidor doméstico. Gostei bastante do resultado e espero que os outros celulares de valor elevado passem a dar importância para essa característica.

iphone4_1

iphone4_2

iphone4_3

emEquipamentos

Retina Display no iPad? Esqueça!

Por em 8 de junho de 2010

Uma das reclamações dos Haters é que a Apple tem mania de renomear para si recursos e produtos externos. É verdade, WIFI virou Airport, Videochamada virou Facetime, Sagan virou Astrônomo Bundão e Alta Resolução virou Retina Display, mas depois que se vê a diferença que uma tela de 329 ppi faz, e como o iPhone 4 saltou deixando a concorrência para trás, percebe-se que ela tem esse direito.

Duvida? Clique aqui e veja. Sério, abra esta foto da tela do iPhone 4 do lado de um iPhone Velho.

Convencido, herege?

A mudança foi drástica, ao dobrar a resolução nas duas dimensões a Apple multiplicou por 4 o número de pixels. De 153 mil o novo iPhone tem que gerenciar 614 mil. Pense bem, não estamos falando de um Palm mostrando bloco de notas e agendas, mas de jogos 3D e exibição de filmes.

O que diferencia o aparelho é a densidade dos gráficos. Mais pontos por polegada, melhor definição, dentro dos limites da visão humana. Por isso não adianta comprar uma TV Full HD de 22 polegadas e assisti-la de 5m de distância. Seu olho não consegue diferenciar detalhes tão pequenos. Já se for uma Full HD de 72 polegadas, a imagem ficará nitidamente melhor do que uma TV com resolução convencional.

Mesmo assim há limitações de ordem prática pra que essa tecnologia maravilhosa permeie nossa vida de forma mágica, como gosta a Apple. continue lendo

emApple e Mac Artigo

Um ótimo shmup (e gratuito)

Por em 5 de junho de 2010

dori_hyd_05.06.10

Dando mais uma mostra de que as desenvolvedoras independentes foram uma das melhores adições ao mundo dos games nos últimos anos, a espanhola Locomalito, mesma que lançou o decente 8bit Killer, disponibilizou a versão final do jogo de navinha Hydorah.

Tendo levado três anos para ser desenvolvido, além da trilha sonora original, o shmup conta um visual e jogabilidade típica dos games da geração do Nintendinho, com a possibilidade de salvarmos o progresso três vezes ao longo da aventura. Ao todo são 16 estágios, muitas armas e segredos para serem descobertos, mas se tudo isso não parece o bastante para dar uma chance o game, saiba que ele ainda pode ser baixado gratuitamente, assim como alguns pôsteres, o manual e a capa.

Os próprios criadores afirmam que a influência para a criação do Hydorah veio de jogos antigos, como o R-Type, Hellfire, Turrican e Gradius, sendo que este último parece ter sido o principal deles, o que pode ser visto inclusive no visual da nave que controlamos, muito parecida com a Vic Viper. A lamentar, apenas o fato de que dificilmente verei ele ser lançado para o PSP, mesmo que fosse pago e os cenários, que acho que poderiam ser mais detalhados.

O jogo funcionou bem com o meu controle do Xbox 360 e como os shoot ‘em ups não são muito comuns hoje, principalmente no PC, nem preciso dizer que o download é obrigatório, não é mesmo?

continue lendo

emComputadores

Insomniac agora também no XBox 360

Por em 25 de maio de 2010

dori_ins_25.05.10

A Insomniac Games soltou uma pequena bomba hoje em seu blog. Depois de produzir por mais de 13 anos exclusivamente para videogames da Sony, a produtora americana revelou ter feito uma parceria com a Electronic Arts e que está desenvolvendo uma nova franquia que será lançada tanto para o PlayStation 3 quanto para o XBox 360. De acordo com o comunicado, o objetivo é “alcançar o maior número possível de jogadores”, ou seja, vender mais cópias.

No texto, o CEO e presidente da empresa, Ted Price, diz ainda que a relação deles com a Sony continua muito boa e continuarão produzindo títulos exclusivos para suas plataformas e que a partir de agora os jogos criados por eles terão um período de produção maior, visando a manutenção da alta qualidade presente em suas criações, portanto, os donos de um 360 ainda terão que esperar um pouco para por as mãos em um jogo deles.

A Insomniac é na minha opinião uma daqueles produtoras cujos jogos já sabemos que será bom mesmo antes de conhecermos seus detalhes. Houve uma época em que eu não aguentava mais ver um jogo de plataforma pela frente, provavelmente por causa da overdose do gênero que aconteceu na geração 16 bits e só consegui voltar a me divertir com um jogo do estilo graças a eles e a sua excelente série Ratchet & Clank. Para quem possui um PS3 a mudança não deverá ser sentida, mas para quem optou por um XBox 360, se trata de uma belíssima notícia.

emIndústria Microsoft Sony

Conheça o shmup brasileiro Razor2: Hidden Skies

Por em 24 de maio de 2010

dori_raz_31.05.10-4

Tive a oportunidade de conversar com o pessoal da Invent4 Entertainment, uma produtora brasileira com sede no Rio Grande do Sul e que está prestes a lançar o Razor2: Hidden Skies, um shoot ‘em up muito promissor e que deverá agradar a todos aqueles que gostam do gênero. O bate-papo foi muito legal e serviu para conhecer um pouco mais do game, falar sobre fazer mais sucesso no exterior do que no seu país e saber das dificuldades em se produzir jogos no Brasil.

Além de terem sido muito atenciosos, o pessoal do estúdio ainda nos deu 3 registros para o jogo Bad Rats que é vendido através do Steam e para participar, basta twittar a mensagem “Quero ganhar o jogo Bad Rats da Invent4 que o @MeioBitGames está sorteando http://migre.me/HTa5” até às 14h do dia 28 de maio e torcer para ser um dos vencedores.

Agora fique com a entrevista e espero que gostem.

continue lendo

emEntrevista

Destravamento dos consoles, um direito ou ato ilegal?

Por em 10 de maio de 2010

Falar sobre a pirataria é algo um tanto complicado. Enquanto muitos preferem manter seus videogames apenas com jogos originais, incentivando a indústria e não sucumbindo aos games por um preço irrisório ou de graça, outros não se sentem incomodados e acabam caindo na tentação. Mas e quanto ao destravamento dos consoles? Embora a prática esteja atrelada ao uso de cópias ilegais de jogos, ela pode ser usada para utilizarmos algumas funções não planejada pelos fabricantes, mas quem destrava um videogame com sem a intenção de rodar jogos piratas estaria cometendo uma infração tão grande quanto fazer uso da pirataria?

Peguemos como exemplo um recente post onde reclamei sobre a impossibilidade de podermos jogar games do primeiro Playstation no PSP. Alguns poderão afirmar que estou reclamando sem motivos, já que são plataformas diferentes, com mídias diferentes, mas como o portátil capaz de rodar os títulos do antigo aparelho, acho o pedido válido. Além disso, todos sabem que a Sony vende para o PSP alguns jogos do PSOne digitalmente em sua loja online e pior, quando destravado, o videogame portátil é capaz de rodar os jogos do console sem maiores dificuldades.

continue lendo

emIndústria Miscelâneas

StarCraft II no Brasil com mensalidade (ou quase isso)

Por em 7 de maio de 2010

dori_sc2_07.05.10

Através de um comunicado oficial à imprensa, a Blizzard revelou o preço que será cobrado pelo StarCraft II no Brasil e acredito a notícia não agradará muita gente. Além de confirmar a tradução para o português, o jogo será vendido por aqui por R$ 49,90, metade do que geralmente custa um lançamento para computadores, mas os motivos para comemoração terminam por aí.

O problema é que este valor só dá direito ao jogador aproveitar seis meses do jogo, tanto online quanto no modo para uma pessoa e após esse período será necessário renovar a assinatura por um oi dois meses, por valores que ainda não foram definidos. Essa prática será repetida no México, Argentina, Chile, Ásia e Rússia. Mas se você não gostou da ideia, saiba que algum tempo depois do lançamento físico do jogo, será possível comprar através da loja online da produtora uma versão digital definitiva, que não obrigará o pagamento de nenhuma mensalidade e que provavelmente custará o equivalente a US$59,99.

Com previsão de lançamento nos Estados unidos para o dia 27 de julho, ainda não sabemos quando o games estará disponível em território nacional e posso dizer que não aprovo a iniciativa. Se eles venderem a versão com caixinha e manual sem “prazo de validade” eu volto atrás, mas esse é um jogo que queria ter na minha prateleira e não estou propenso a pagar uma mensalidade para ter essa versão.

emComputadores Indústria

E a melhor editora de 2009 foi a…

Por em 6 de maio de 2010

dori_ea_07.05.10

Quem diria, depois de ser duramente criticada por boa parte dos jogadores devido a sua falta de inovação e por, supostamente, apenas lançar títulos requentados ano após ano, a Electronic Arts foi “eleita” a melhor editora de jogos de 2009, pelo menos de acordo com um levantamento feito pelo site CVG.

Levando em consideração os jogos lançados no ano passado para o DS, PC, PS2, PS3, PSP, Xbox 360 e Wii, eles resolveram listar todos que obtiveram média superior a 80 no Metacritcs, popular website que reúne as notas dadas em análises feitas por especialista ou pelo próprio público e o resultado apontou a empresa americana como aquela que possui o maior número de indicados, 20 no total.

A segunda posição ficou com a Nintendo, que contou com o apoio de grandes lançamentos como Punch Out!, New Super Mario Bros e Metroid Prime Trilogy. A Sony também teve um bom desempenho, com as sequências de vários de seus exclusivos aparecendo entre os 16 encontrados, como o Patapon 2, Uncharted 2 e Killzone 2. Já a Microsoft e a principal concorrente da EA, a Activision, acabaram não tendo muitos representantes, 6 e 4 respectivamente.

É verdade que os números frios das análises não podem (nem devem) garantir que gostaremos ou não de um determinado jogo, porém, não deixa de ser um belo marketing para uma empresa possuir mais jogos melhores avaliados do que suas adversárias.

continue lendo

emIndústria Microsoft Nintendo Sony

Pague quanto quiser num pacote de games e ajude instituições

Por em 5 de maio de 2010

dori_ind_05.05.10-2

Muitas pessoas usam os games para se divertir, algumas para aprender e outras até para culpá-los por idiotices que cometem, mas existem pessoas que preferem usá-los para ajudar o próximo. É o caso de um grupo de desenvolvedores independentes que se uniu e criou o The Humble Indie Bundle.

A ideia era juntar vários jogos conceituados, Lugaru, Gish, World of Goo, Penumbra: Overture e Aquaria e dividir o dinheiro arrecadado com a venda entre os desenvolvedores e duas instituições de caridade, a Electronic Frontier Foundation e a Child’s Play, o que por si só já seria uma bela iniciativa. Mas para chamar ainda mais a atenção dos jogadores, eles decidiram que o valor pago pelo pacote seria escolhido pelo consumidor e dividido em partes iguais entre os sete participantes (cinco desenvolvedoras e duas instituições), embora seja possível definir quanto cada um deles devam receber.

A promoção parece estar fazendo sucesso, tendo arrecadado até o momento mais de 205 mil dólares, com “doações” individuais chegando a US$ 500. Se fôssemos comprar esses games separadamente, gastaríamos algo em torno de US$ 80 e aqui ainda estamos ajudando várias pessoas. Então, lembre-se disso quando for fazer sua compra e do fato dos games não possuírem DRM e rodarem no Windows, Linux e Mac e não vá pagar US$ 0,01 do pacote, ok? Faça sua parte e seja generoso, além de ajudar muita gente, quem sabe assim mais iniciativas como essa apareçam e um dia vejamos grandes produtoras fazendo o mesmo.

continue lendo

emComputadores

PSP ganhará novo God of War

Por em 4 de maio de 2010

Você achava que Sony já havia sugado tudo o que podia da série God of War? Pois então saiba que, até certo ponto, de forma surpreendente a empresa revelou que o Playstation Portable receberá mais uma nova aventura estrelada por Kratos. GoW: Ghost of Sparta acontecerá exatamente onde o primeiro jogo parou e mostrará a ascensão do personagem ao poder ao se tornar o deus da guerra, mostrando finalmente a origem de sua tatuagem vermelha e de algumas cicatrizes.

O game está sendo desenvolvido pelo Ready At Dawn, mesmos responsáveis pelo ótimo Chains of Olympus, também para o PSP e contando com a ajuda da Sony Santa Monica. A produtora garante que o novo jogo do Fantasma de Esparta levará o portátil ao máximo, mostrando cenários com alta resolução e em maior escala, além de ter aumentar a duração da aventura em cerca de 25%.

Quem já jogou o God of War do PSP provavelmente concordará que é difícil imaginar um game ainda mais bonito do que ele no portátil e por isso a expectativa pelo Ghost of Sparta já nasce enorme e se o GoW III serviu para vender alguns Playstation 3, acho que esse fará o mesmo, só que para o PSP. O melhor de tudo é que não precisaremos esperar muito para por as mãos no game, já que o seu lançamento está previsto para acontecer ainda em 2010.

dori_gow_04.05.10-2 dori_gow_04.05.10 dori_gow_04.05.10-3

[via Playstation Blog]

emPortáteis Sony

Análise – Mario & Sonic At The Olympic Winter Games

Por em 30 de abril de 2010

alex_s&m_30.04

Após o grande sucesso do primeiro jogo esportivo estrelado pelas mascotes da Nintendo e da Sega, que foram até Pequim para participar dos Jogos Olímpicos de 2008, Mario e Sonic partem para as olimpíadas de Inverno em Vancouver, 2010.

O jogo segue a mesma mecânica do anterior, mas com algumas novidades. Foi lançado para Nintendo Wii e DS. A versão analisada aqui será a de Nintendo DS.

continue lendo

emAnálises Nintendo Portáteis

Activision, debandada, processos e parceria com a Bungie

Por em 29 de abril de 2010

dori_act_29.04.10

Quando a Activision demitiu duas das principais figuras da Infinity Ward, Vince Zampella e Jason West, talvez não esperasse que as consequências fossem tão grandes quanto tem se mostrado. Depois de fundarem a Respawn Entertainment, que prontamente fez uma parceria com a EA, uma das principais concorrentes da Act, eles contrataram várias pessoas que trabalhavam com eles na criadora da série Call of Duty, 38 para ser mais exato.

E o simples fato de ver o surgimento de uma concorrente de peso já não fosse o suficiente para causar preocupação à Activision, os ex-funcionários entraram com uma ação na justiça que poderá tirar de seus cofres até 500 milhões de dólares. A situação por lá anda tão complicada que alguns analistas acreditam que o fim da Infinity Ward está muito próximo de ser decretado, o que faria com que os futuros jogos da franquia Modern Warfare sejam desenvolvidos por outros estúdios.

Mas como estamos falando de uma mega companhia onde o dinheiro está mais perto de ser uma solução do que um problema, a Activision não tardou em realizar seu contra-ataque e revelou há pouco uma parceria de 10 anos com a Bungie. Dessa forma a empresa que iniciou suas atividades na era do Atari ficará encarregada pela distribuição, enquanto que a criadora da série Halo será a dona da propriedade intelectual dos jogos que vier a produzir.

Embora o próximo episódio da série Halo, o Reach continuará exclusivo do Xbox 360, já que a marca pertence à Microsoft, tudo leva a crer que o próximo projeto da empresa realmente será lançado para várias plataformas.

[via G4tv, GamerCenterOnline e Joystiq]

emIndústria

Você quer mesmo jogos insanamente difíceis?

Por em 28 de abril de 2010

dori_gg_27.05.10

Assim como Billy Thompson, diretor criativo do Crackdown 2, ainda hoje sonho, ou melhor, tenho pesadelos com alguns jogos mais antigos onde era necessário ter uma paciência do tamanho do mundo e bastante habilidade para conseguirmos ver seus finais. Terminar games como Ninja Gaiden, Ghouls ‘n Ghosts e Yo! Noid era motivo de orgulho e tais façanhas eram capazes de transformar os jogadores em semideuses em alguns grupinhos da escola.

Para o funcionário da Ruffian Game, os jogos atuais estão muito fáceis e isso acontece porque criar um jogo praticamente impossível de ser concluído diminuiria o número de vendas.

Tenho que dizer que me preocupo por estarmos começando a fazer jogos potencialmente muito fáceis para terminar. Ainda olho com carinho para os dias do início do Spectrum em que os jogos as vezes eram insanamente difíceis de se chegar ao final.

Sei que nós nunca faremos games que tenham esse nível de dificuldade novamente. Estamos mirando em um público maior e comercialmente isso seria um suicídio…

Sou obrigado a admitir que hoje em dia não tenho nem tempo nem paciência para me dedicar a jogo assim, mas não quero dizer com isso que gosto de games que praticamente dispensam o papel do jogador, nos guiando durante toda a aventura sem impor desafios. É bom sentir que tal trecho só será vencido por aqueles que se sacrificarem, mas sinceramente, não sei se tenho mais “estômago” para algo no nível de um Battletoads.

[via VG247]

emIndústria Museu

Estaria o iPhone mudando os games?

Por em 26 de abril de 2010

dori_iph_26.04.10

Há pouco recebi do meu camarada Rodrigo Ghedin a indicação de um artigo publicado no Mashable onde o autor explica porque o iPhone/iPod Touch/iPad está mudando a maneira como conhecemos os jogos eletrônicos e para isso Samuel Axon cita quatro fatores que explicam o porque dos aparelhos da Apple serem a melhor plataforma de jogos desde o início da década de 90.

O problema, na minha opinião, é que as três primeiras virtudes do iPhone podem também serem vistas como desvantagens. É verdade que o baixo custo de produção permite que os desenvolvedores experimentem novas mecânicas e consiga levar ao jogador novas maneiras de se divertir e que jogos que custem pouco são o sonho de qualquer pessoa, motivo pelo qual a App Store pareça o paraíso, contudo, esses dois aspectos praticamente inviabilizam a plataforma como um lugar ideal para grandes produções e não é difícil entender porque não exista, ou pelo menos não em grande número, um “God of War” ou um “Crysis” para esses dispositivos.

continue lendo

emCelulares Indústria Jogos Portáteis

Jetyo HDV-T900 – Câmera de vídeo ecologicamente equilibrada

Por em 26 de abril de 2010

jetyo HDV-T900

Hoje a temática ambiental pode ser usada para vender qualquer coisa. A promessa de equipamentos que sejam fabricados de maneira que respeitem o meio ambiente ou que gastem pouca energia são a grande jogada das indústrias nesse começo de século.

Por conta disso, não podemos deixar de destacar a HDV-T900, a primeira câmera de vídeo do mundo a se utilizar de energia solar para carregar suas baterias. Antes que todos fiquem maravilhados com a notícia, cabem aqui alguns esclarecimentos. A câmera é fabricada pela Jetyo (empresa chinesa de quinquilharias) e ao ver as especificações do equipamento, temos a impressão de ser algo que seria comercializado pela Tecnomania aqui no Brasil.

A câmera grava vídeos em alta definição com 1280×720 pixels com 30 fotogramas por segundo. Além disso, ela também pode fazer fotos com 5 megapixels, sendo que existe a possibilidade de interpolação até 12 megapixels. Só de usar a palavra interpolação eu já fico arrepiado. A câmera é equipada com um sensor CMOS de 1/2,5 polegadas, possui memória interna de 32MB (porém com capacidade para até 32GB com cartões SD), grava os vídeos com o formato *.MOV, e, por incrível que pareça, é alimentada por quatro pilhas AAA recarregáveis. A característica mais curiosa é que a forma de carregamento das baterias é através de um painel solar que se encontra instalado acima do monitor LCD de 3 polegadas. Para aumentar um pouco a desconfiança sobre o equipamento, ele não possui zoom ótico, apenas zoom digital de 8x.

Poderia ser uma característica revolucionária, se não fosse tão estranho. Ainda mais que o site não informa quanto tempo as baterias proporcionam de funcionamento à câmera ou quanto tempo leva o carregamento das baterias pelo painel solar.  Procurando pela net, encontrei um texto no Engadget fazendo pequenos cálculos matemáticos sobre as necessidades energéticas do equipamento. Como a empresa afirma que a corrente do painel solar é de 120mA, então uma pilha de 2500mA levaria 25 horas para ser carregada. E isso falando de apenas uma pilha. Dessa maneira, é bom você ter outra forma de carregar suas baterias ou não ligar por deixar sua câmera vários dias ao sol.

Posso estar senso ranzinza em minha análise, mas acho que o equipamento tem grandes possibilidades de ser uma tremenda bomba.

emEquipamentos

Os jogos que melhor envelheceram

Por em 26 de abril de 2010

dori_bes_26.04.10

Goste ou não, os videogames continuam sendo uma experiência essencialmente visual e esse é provavelmente o motivo pelo qual muitos de nós damos tanta valor aos gráficos. Vocês devem saber que eu gosto de alguns joguinhos mais antigos e embora não me considere um jogador que só joga se os gráficos forem bonitos, tenho pensando muito em como boa parte dos jogos dos consoles que popularizam os games em três dimensões envelheceram mal.

Arriscar-se em alguns dos títulos do Playstation/Saturn/Nintendo 64 hoje em dia é uma tarefa árdua e basta dar uma olhada num Tomb Raider, num Resident Evil ou mesmo no conceituado Ocarina of Time para ver como esses jogos pareciam muito melhores na época de seus respectivos lançamentos. Acho que boa parte da culpa desse fenômeno é a simplicidade que aqueles gráficos possuíam, seja pela baixa quantidade de polígonos, seja pelas texturas em baixíssimas resoluções e uma prova de que os pixels parecem resistir melhor ao passar dos anos pode ser vista em um interessante artigo publicado pelo site 1UP.

Nele, após uma pesquisa listou 12 jogos que resistiram firmemente a ação do tempo, mantendo-se divertidos mesmo tantos anos após o seus lançamentos e adivinhe só, todos eles são jogos feitos em 2D. É claro que como qualquer outra lista, essa não se trata de uma verdade absoluta e poderá ser contestada, porém, eu não conseguiria dizer que qualquer um dos games presentes nela deixaram de ser divertidos simplesmente porque atingimos nos gráficos algo próximo ao fotorrealismo.

Segundo o 1UP, os 12 games que envelhecerem melhor são:

12 – Castlevania: Symphony of the Night
11 – Yoshi’s Island: Super Mario World 2
10 – EarthBound
9 – Final Fantasy VI
8 – Super Mario Bros.
7 – Super Mario World
6 – Legend of Zelda: A Link to the Past
5 – Mega Man 2
4 – Chrono Trigger
3 – Super Mario Bros. 3
2 – Super Metroid
1 – Tetris

emMuseu

Reality Mining a caminho, via Google

Por em 23 de abril de 2010

Sai fora olho gordoEm um post no The Register, parece que o Google está expandindo seu Google Street View com mais do que imagens. Aparentemente estão coletando os nomes das redes wi-fi (associando-os à localização, claro) e ainda por cima endereços MAC dos dispositivos wi-fi. A distribuição de redes wi-fi pode ser usada, por exemplo, para auxiliar na localização de usuários, como feito com o iPhone, através da tecnologia SkyHook. Nada de errado até ai. continue lendo

emSegurança

Introdução ao Photoshop CS5 com Altair Hoppe

Por em 23 de abril de 2010

Todo mundo que tem a fotografia digital como profissão ou hobby deve estar ligado no lançamento do Creative Suite 5 da Adobe. O software começou a ser vendido oficialmente nesse mês de abril. Porém, o mundo já tinha sido balançado com a disponibilização de vídeos demonstrativos que apresentavam as novas ferramentas de edição do Photoshop CS5.

Muitos encararam como pura mágica, outros aproveitaram para fazer uma brincadeira inocente que alguns acreditaram ser verdade (olha o ser humano rompendo limites). Mas, para tirar quase todas as duvidas sobre o novo software da Adobe, nos dirigimos com algumas perguntas debaixo do braço até um dos profissionais mais reconhecidos na área de edição de imagens.

Altair Hoppe (se você assiste o Fantástico então já conhece o rapaz) é autor da série de livros best-seller Adobe Photoshop para Fotógrafos, Designers e Operadores Digitais, membro da NAPP – National Association of Photoshop   Professional – USA,  e colunista da revista Fotografe Melhor. Ele teve teve acesso a uma das versões de teste do Photoshop CS5 e nos conta um pouquinho de suas impressões sobre o novo programa e afirma que o que foi mostrado nos vídeos de demonstração não é mera ilusão. Veja abaixo como foi esse pequeno bate-papo. continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Entrevistas

Saraiva Digital, a missão

Por em 23 de abril de 2010

Fiquei muito decepcionado com o Saraiva Digital, serviço de distribuição de filmes e seriados sob demanda da Saraiva, na primeira vez que o testei. Quem leu minhas impressões sobre deve ter chegado à mesma conclusão. Alguns dias depois da publicação do post, a Saraiva entrou em contato conosco, e explicou que a baixa qualidade d’O Senhor das Armas é culpa da distribuidora, e que não podiam fazer nada para melhorar. Para provar, nos enviaram dois cupons-desconto para baixar outros títulos e ver como o serviço funciona pra valer.

Embora não a isente da culpa de vender um filme com qualidade visual podre, digna do YouTube  em 2007, achei bacana e corajosa a atitude deles. Afinal, botaram a cara a tapa, e caso o resultado fosse tão desastroso quanto da primeira vez, seria… bem, seria um desastre elevado ao quadrado. continue lendo

emAnálise Áudio Vídeo Fotografia Meio Bit

Blizzard no Brasil e StarCraft II em português

Por em 23 de abril de 2010

Demorou, mas parece que agora os fãs da Blizzard finalmente verão a empresa chegar ao território nacional. Ao montar seu escritório em São Paulo, eles esperam aproximar-se dos consumidores brasileiros, já que segundo Steve Huot, diretor da divisão que cuida da América Latina “o Brasil é um dos maiores mercados para a Blizzard, tanto pela grande população quanto por ser o 5º mercado de PCs do mundo“.

Com a vinda confirmada, a expectativa era que o popular World of Warcraft fosse lançado oficialmente no país, com servidores por aqui e cobrança facilitada, mas como a produtora prefere ainda não falar sobre o assunto, os jogadores terão que se contentar com o primeiro título que será comercializado no país, o StarCraft II e as novidades são as melhores possíveis.

Além da pretensão de ter um lançamento simultâneo com o dos Estado Unidos, ou mais próximo possível, o game de estratégia em tempo real será localizado para nosso idioma e não pense que que será um trabalho feito de qualquer maneira. O SCII brasileiro terá dublagem, sincronia labial e todos os textos em português, incluindo gráficos que apareçam ao longo da aventura, como placas encontradas nos cenários. A empresa garantiu ainda que as teclas de atalho seguirão o modelo adotado pela versão americana, algo que não ocorreu na primeira edição do jogo.

Apesar da notícia num primeiro momento não atingir os jogadores do MMO da companhia, ela é muito boa pois indica que eles estão acreditando no nosso mercado. A tradução do StarCraft II tem tudo para se tornar um marco no ramo e se o número de vendas for bom – o que é quase certo – podemos esperar um trabalho semelhante para quando o Diablo III chegar as prateleiras. Nesse meio tempo, quem sabe eles não se empolgam e fazem algo semelhante com o World of Warcraft?

dori_bli_23.04.10

[via Uol Jogos]

emComputadores Indústria MMO

As edições especiais do Halo: Reach

Por em 22 de abril de 2010

Poucos jogos podem se orgulhar de ser um estrondoso sucesso mesmo antes de seu lançamento e o Halo: Reach certamente está nesta categoria. Uma amostra disso foi dada por Brian Jarrard, o líder de comunidade da Bungie.net. Ao conversar com um repórter do Seattle Times sobre o beta que deverá ser lançado nos próximos dias, ele disse que a expectativa modesta da empresa é de que mais de 3 milhões de pessoas participem do período de testes, o que seria algo sem precedentes na história dos consoles.

Já sobre a versão final do game, a produtora revelou detalhes sobre as três versões que serão vendidas. Além da tradicional, que custará 59,99 e virá apenas com o jogo e o manual, por US$ 79,99 você levará a Limited Edition, essa caixa aí de baixo, com uma armadura para ser usada no modo multiplayer e uma bolsa com vários documentos e o diário da Dra. Halsey, adicionais que complementam a história da série.

dori_hal_22.04.10Mas se o dinheiro não for problema, o ideal é investir US$ 149,99 na Legendary Edition. Ela acompanhará um diorama de 10 polegadas de altura criado pela McFarlane Toys e mostrando os soldados do Noble Team, um capacete em chamas também para ser usado no multiplayer e claro, todo os outros itens encontrado na edição intermediária. Não chega a ser tão bacana quanto o capacete da edição lendária do Halo 3, mas não deixe de ser uma ótima aquisição para os fãs da franquia.

dori_hal_22.04.10-2

[via Joystiq (1 e 2)]

emMicrosoft

Miyamoto não pensa em deixar de fazer jogos

Por em 22 de abril de 2010

Pelo jeito a aposentadoria foi a palavra da vez nos últimas dias da indústria japonesa de jogos. Depois de Hideo Kojima afirmar que se aposentaria caso seu próximo jogo não dê certo, foi a vez do mestre Shigeru Miyamoto falar sobre o dia em que deixará de criar os jogos que tantas pessoas adoram (e tantas outras fingem não gostar :) ).

Ao conceder uma entrevista à revista games, o game designer foi questionado se já pensa em aposentadoria e a resposta foi a seguinte:

Bem, sou um funcionário da companhia e ela irá me aposentar em algum momento então, dessa perspectiva, sim eu irei me afastar da Nintendo algum dia. Mas quando eu olho em volta e vejo como os velhos cartunistas continuam trabalhando em seus mangás e como os diretores de cinema continuam criando novos filmes a todo tempo, entendo que eles nunca irão se aposentar e pelo mesmo motivo acho que de alguma maneira ainda continuarei criando jogos. A única questão é se os jovens continuarão dispostos a trabalhar comigo num futuro tão distante.

É verdade que atualmente Miyamoto não faz o “trabalho sujo” como fazia há vinte ou trinta anos, mas é evidente que suas ideias continuam fortalecendo as estruturas da BigN e para alguém que cresceu jogando e admirando os games criados por ele, é um tanto surreal pensar na indústria sem a sua presença, mas quando esse dia chegar, desconfio que sua influência no setor ecoará por muito e muitos anos.

Certa vez vi alguém comparar o game designer japonês com o Walt Disney e tal qual o criador do Mickey, acredito que a influência de seu trabalho ecoará por muitos e muitos anos.

dori_miy_21.04.10

[via IndustryGamers]

emNintendo

AMD Fusion: amostras da APU Llano são enviadas para parceiros OEM

Por em 21 de abril de 2010

Um dos motivos pelos quais a AMD comprou a ATi foi para obter, rapidamente, um espaço no mercado de GPUs dedicadas e chipsets, afinal a ATi, além de vice-líder com os excelentes processadores gráficos dedicados Radeon/FireGL, era a terceira maior (logo após a Intel e nVidia) designer de chipsets (north & southbridge) para desktops e laptops.

Além disso, a AMD buscava o conhecimento técnico suficiente para desenvolver um System-on-a-Chip (SoC) x86 que superasse o custo-benefício do ‘lendário’ AMD Geode em dispositivos móveis, àquela época (2006).

Laguna_AMDGeodeLX80_21abr2010

AMD Geode, o legado da Cyrix e National Semiconductor.

Só para termos uma idéia do vigor deste clássico SoC x86 da AMD, a GPU integrada na mesma pastilha do Geode era bastante simplória, não permitindo qualquer aceleração gráfica tridimensional renderizada via hardware, deixando TODO o processamento gráfico tridimensional de qualquer aplicação (a incluir jogos) a cargo da também fraca, mas econômica CPU x86 que, correndo à plena carga e por volta dos 500MHz, tinha que ter um pouco menos de 1W de TDP dissipado pelo conjunto de arrefecimento do aparelho.

A tal aquisição da AMD também foi incentivada pela concorrência econômica contra a Intel, além de ser simplesmente “mais barato” comprar a minha querida ATi do que a toda-poderosa nVidia, esta no alto do sucesso de sua primeira geração Tesla de processadores gráficos dedicados ao GPGPU e DirectX 10 (G80 / GeForce 8). continue lendo

emAnálise Computação móvel Especial Hardware Indústria Meio Bit

O Caso iPhone 4 – Vale Tudo vs Ética

Por em 21 de abril de 2010

Muito tem sido escrito sobre o tal protótipo de iPhone que foi encontrado em um bar (ou talvez alguma teoria alternativa), mas o que mais me incomodou neste caso todo foi a maneira que levou à publicação dos posts.

Vários erros foram cometidos, tanto pelo rapaz que achou o iPhone e não somente não devolveu à Apple como tentou (e conseguiu) vendê-lo a um blog famoso. O tal blog famoso também cometeu erros. Apesar de (possivelmente) legal, o blog pagou pelo equipamento, e depois publicou o nome e fotos do rapaz que o perdeu. E é justamente esta útima parte que me deixou  chateado.

Eu próprio me senti como uma dona de casa que compra um tablóide qualquer para ler sobre a última “notícia” sobre a Paris Hilton. Trata-se de nada menos do que publicar buscando unica e exclusivamente pageviews (ou qual seja a métrica da moda), sem o mínimo respeito pela carreira do funcionário da Apple, cujo nome vai estar associado a isso por muito, muito tempo em qualquer busca online.

Perdem os leitores: apesar do “ganho” a curto prazo de conhecer os detalhes do tal iPhone, este episódio abre precedentes importantes. Vale tudo para conseguir a notícia exclusiva. No momento em que temos este tipo de conduta, o que podemos esperar para o futuro ? Paparazzi e detetives seguindo executivos e empregados-chave dia e noite ?

Perde a Apple também, direta e indiretamente. São possivelmente 2 meses de vendas do modelo atual do iPhone, já que agora todos sabem o que vem por aí. Indiretamente, todos os concorrentes tem 2 meses para desenvolverem seus próprios modelos com câmeras na frente e telas de altíssima resolução, entre outros detalhes que foram divulgados. Apesar de ser interessante conhecer o que vem por aí, este tipo de segredo industrial é uma arma importantíssima da Apple, que acaba trazendo mais inovações para a indústria, uma vez que a competição é mais acirrada.

Não estou iludido que o Meio Bit terá a capacidade de se envolver em um caso desta magnitude. Não há pretensão alguma de nos posicionar como concorrente direto de um blog destes, gerenciado por empresas bem capitalizadas com uma estrutura enorme. Também não nego que o conhecimento sobre o próximo iPhone seja uma notícia válida e importante (tanto que postamos a respeito). O John Gruber, que cobre Apple há muitos anos, é o blogueiro que traz as opiniões mais sensatas sobre o ocorrido. Um blog bem menos conhecido postou um texto ontem à noite que me fez pensar também. Um erro não justifica outro. O caso todo ocorreu somente com múltiplas pessoas tomando decisões questionáveis em sequência.

PS: Já notaram como todo blogueiro é advogado em um momento como este ?

emBlog Indústria

É DO _____, É DO _____! _____ CAMPEÃO DE CENSURA NO GOOGLE! CHUPA ARGENTINA!

Por em 20 de abril de 2010

Boa tarde, amigos da Globo do meioBit. É com prazer que comunicamos essa nova conquisa do escrete canarinho. Nós, que adoramos apontar o dedo para China, Cuba, Venezuela, finalmente mostramos serviço, bola no pé, talento no coração e uma ordem judicial na mão.

Não tem Cidade do Cabo, o Brasil é campeão aqui e agora! entre Julho e Dezembro de 2009 demos um verdadeiro baile nos adversários, mostrando que em termos de censura, intervenção judicial e tapetão ninguém nos alcança. continue lendo

emGoogle Internet

Amiga: De Volta Para o Futuro… de novo?

Por em 20 de abril de 2010

Se é verdade que o desconhecimento da História nos condena a repetí-la, também parece ser verdade, especialmente na área de Informática, que ela é cíclica. De tempos em tempos vemos a “reinvenção” do mouse, da Internet, do celular… vejam, não estou dizendo que não haja novos lançamentos, novas idéias. Apenas que muitas coisas se reciclam.

commodore_amiga_1000

Um ótimo exemplo é o computador Amiga. Talvez os mais jovens, como a Fabiane, não tenham tido nenhum contato com a segunda linha mais fantástica de micros que já rodou sobre a Terra (obviamente, os MSX são, digo, foram a primeira), mas há muito material para pesquisa disponível na Internet, não vou me extender. E, acreditem, vale a leitura.

Entre as várias peculiaridades daqueles micros, talvez a que mais se destaque seja a devoção que a ativa comunidade mantém firme. Se vocês acham os “Seguidores do Pomar” fanáticos, é porque nunca cruzaram com um “Viúvo de Jay Miner”. Entre os “dogmas” mais sagrados, está o de nunca, nunca, nunca, jamais usar um processador x86 em uma nova placa Amiga (os primeiros usavam processadores Motorola 68000 e depois vieram seus sucessores 68010, 68020, 68030, 68040, 68060 e, quando estes se tornaram obsoletos, PowerPCs foram utilizados). continue lendo

emHardware Indústria Meio Bit

A Luz Perfeita – Guia de Iluminação para Fotógrafos

Por em 16 de abril de 2010

Capa

 

Sempre vejo em sites e blogs voltados para a fotografia digital uma grande preocupação em discutir a qualidade dos equipamentos, seus recursos tecnológicos e qual câmera seria necessária para determinada atividade profissional. Porém, vejo pouca discussão sobre um fator fundamental na fotografia:  a Luz. Sempre digo para meus alunos que o que estamos registrando não são objetos e pessoas e sim a luz que reflete desses objetos e pessoas. É possível fotografar até sem ver o objeto, mas sem a luz não existe maneira de registrá-lo.

É por conta disso que fico muito feliz em ter em minhas mãos o livro A Luz Perfeita – Guia de Iluminação para fotógrafos, escrito pelo fotógrafo Bill Hurter e publicado no Brasil pela Editora Photos. Uma rápida procura pela internet sobre o tema luz para fotografia ou fotometria, vai retornar alguns resultados interessantes e muita informação superficial. Por esse motivo vejo que esse livro se torna necessário para quem está começando na fotografia e também para quem já está há muitos anos na estrada.

Uma análise geral do material mostra um livro impresso em papel de boa qualidade e com um bom encadernamento. Odeio livro que as páginas começam a se soltar com o tempo, pois uma obra dessas é feita para ser consultada constantemente, então nada mais justo que seja resistente. Na parte de dentro encontramos muita informação colocada de forma clara e objetiva. Nada de enrolação aqui. Um bom manual de como fazer a coisa certa. O livro é dividido em cinco partes principais.

A primeira delas é voltada para uma introdução do conceito de luz, inclusive tratando dos conceitos de reflexão, dispersão e absorção, e um pequeno capítulo sobre o básico de iluminação, tratando da diferenciação das fontes de luz e de seu tamanho, e um ponto que para muitos fotógrafos vai parecer quase uma ciência mística, a determinação das proporções da iluminação. Já vi uma palestra prática sobre o tema com Danilo Russo e sei que a coisa pode dar um nó na cabeça de quem está começando. Depois temos quatro grandes capítulos que são denominados de Iluminação de Estúdio, Iluminação Básica de Retratos, Iluminação Interna e Iluminação Externa.

Na parte de estúdio o livro mostra uma extensa lista de acessórios, seus usos e intensidades de iluminação. Muito útil para quem está começando agora na prática do estúdio. A parte de iluminação para retratos é um show a parte. Muitas dicas bacanas de como produzir a sua iluminação, inclusive usando efeitos específicos para cada estilo de retrato. Com a iluminação interna aprendemos a como utilizar as diferentes fontes de luz a nossa disposição, entrando nessa lista a luz de janelas, do flash da câmera e uma pequena passada pelo paint lighting. Por fim, temos o capítulo da Iluminação Externa, onde aprendemos todos os macetes de como dominar e utilizar a iluminação natural a nosso favor na fotografia. Enganam-se aqueles que pensam que fotografar ao ar livre é mais fácil do que em estúdio. Em situações internas temos o total domínio do comportamento da luz. Isso já não acontece em ambientes externos.

O livro inteiro é bem escrito, tem qualidade de impressão superior ao que vemos atualmente no mercado e é ricamente ilustrado com fotos de vários grandes fotógrafos para exemplificar as lições e exercícios de iluminação. Alguns problemas na tradução de frases podem ser notados em pontos do texto, mas não é nada que comprometa a qualidade geral da obra.

Está pensando em comprar livros de fotografia? Esse é a sua primeira aquisição básica. O livro A Luz Perfeita – Guia de Iluminação para Fotógrafos, pode ser adquirido no site da Editora Photos e o valor do investimento fica em R$ 89,00.

guia de iluminação para fotógrafos (1) guia de iluminação para fotógrafos (2) guia de iluminação para fotógrafos (3)

emÁudio Vídeo Fotografia Fotografia

Final da temporada de House foi filmada com uma Canon 5D Mark II

Por em 13 de abril de 2010

canon 5D mark ii

Olha só que bacana. Alguma coisa já tinha aparecido pela net, mas nada de oficial havia sido anunciado. Hoje ficamos sabendo, pelo próprio diretor Greg Yaitanes, que o último episódio da atual temporada de House foi filmado inteiramente com uma Canon 5D mark II. Dessa forma, a câmera da Canon se tornou a primeira DSLR com capacidade de gravação de vídeo a ser utilizada para a produção de uma das grandes séries americanas.

Segundo as informações liberadas, o episódio foi filmado em alta definição com 24 quadros por segundo e foram utilizadas apenas lentes prime, além de uma 24-70mm e de uma 70-200mm. O Peta Pixel fez uma pequena entrevista com o diretor através do Twitter e o mesmo revelou que estava muito satisfeito com o resultado obtido. O episódio vai ao ar no dia 17 de maio e deve estar provocando sorrisos gigantescos nos executivos da Canon desde já.

Como já disse aqui em outras ocasiões, já vi documentários filmados com a 5D Mark II e posso atestar a qualidade do produto entregue. Conversando com um amigo e diretor de cinema, fiquei sabendo que quase todos envolvidos nesse mercado estão animados com as novas possibilidades que as DSLR que filmam estão apresentando. Além da qualidade em alta definição, a qualidade das lentes e o vasto controle de profundidade de campo é outro fator apontado como sendo positivo.

Fonte: Petapixel

emEquipamentos

Microsoft lança KIN, o Twilight Phone

Por em 13 de abril de 2010

Durante muito tempo uma febre tomou conta da juventude nos EUA, e não foi a volta do Sarampo, graças à Jenny McCarthy e o pessoal anti-vacina. A culpa foi do Sidekick, um celular criado para um público específico, com teclado qwerty e uma finalidade específica: Ser uma excelente ferramenta para envio e recepção de SMS, evoluindo posteriormente para uma plataforma voltada para Instant Messengers em geral.

Em 2008 a Microsoft adquiriu a empresa, acumulando know-how no processo, mas ninguém sabia o que ela faria com o produto. Lançar um telefone próprio seria fora de questão, mas então vazaram informações sobre o Projeto Pink, um “Celular da Microsoft”

A Microsoft aprendeu, desde o tempo da caixa do iPod

Ontem a empresa apresentou o KIN, e devo dizer que conseguiram o melhor de dois mundos: Lançaram um telefone próprio SEM melindrar os parceiros de hardware.

O KIN por incrível que pareça não é o primeiro celular com Windows Phone 7, embora a interface seja bem parecida. De qualquer jeito, você vai odiar. Eu vou odiar, o leitor médio do MeioBit vai odiar. Motivo? Não somos o target.

KIN 2 – A Missão

O alvo é o público jovem, abaixo dos 25 anos, que não acha a menor graça no iPhone e considera o Blackberry coisa de velho. É o pessoal que, como dito na apresentação, vai a shows com milhares de pessoas ou a festas e se não puder postar no Facebook, se considera “isolado dos amigos”.

Não são geeks, não querem ser geeks, são os legítimos usuários das redes sociais, muito mais preocupados em mandar as fotos da balada (em português carioca “balada” é conhecido como “night”) e conversar com os amigos do que ficar instalando Apps Flatulentas da *Store.


Os dois aparelhos apresentam uma tela dinâmica com as últimas atualizações de seus contatos, independente da rede social. O conceito é integrar pessoas com pessoas, não pessoas com redes sociais. Por isso o foco de compartilhamento é entre contatos.

Tudo é feito através de arrastar e soltar, o botão verde central é o ponto de compartilhamento. Ali você solta o conteúdo, em seguida arrasta as pessoas (ou as redes) para as quais deseja mandar o conteúdo, e o telefone faz o resto.

Ambos trazem câmeras com flashs de LED, prometido como 9 vezes mais potente que o melhor do mercado, pensado para o uso em discotecas, boates ou seja lá onde os jovens vão. O KIN 1 traz uma câmera de 5 megapixels e filma e SD, já o KIN 2 traz uma câmera de 8 Megapixels e filma em HD, 720p. O primeiro tem 4GB de memória, contra 8GB do segundo.

Não há aplicações específicas para cada rede social, você as configura nas preferências, depois é só usar a interface unificada.

As fotos são enviadas com informação de geolocalização para o Facebook, MySpace ou Flickr, e é possível visualizá-las num Bing Maps. Não dá pra subir fotos para o Twitter. Não que dê normalmente, sem usar serviços de terceiros.

A filosofia de Cloud Computing se faz presente na figura do KIN Studio, um website que guarda tudo que você faz com o telefone. Todas as mensagens trocadas, fotos, contatos, vídeos, tudo. A visualização é feita via uma timeline, e esse arquivo faz com que um KIN perdido (curiosamente nunca usam o termo “roubado”nas apresentações) seja facilmente substituído e o novo repovoado com conteúdo.

O KIN Studio em ação

Também vem incluído um cliente de email, um navegador web (que permite compartilhar sites ou trechos de páginas) e a parte de multimídia, que assim como o resto do mundo Windows Phone 7, utiliza o Zune. Yes, Virginia, o KIN ainda por cima é um Zune. Mas não se decepcione com os 4GB ou 8GB, o KIN faz streaming WIFI e 3G de conteúdo do Zune Marketplace, se você tem um Zune Pass tem acesso a literalmente TUDO que há lá.

A Interface é fluida, muito semelhante à apresentada no lançamento do Windows Phone 7, e rodando em cima de plataforma Tegra, dá pra entender a fuidez:

Já há um considerável número de críticas se acumulando (afinal foi lançamento da Microsoft) entre elas a de que ele não permite visualizar vídeos do YouTube (o que realmente é problemático), mas também há discussões sobre a ausência de uma aplicação de mapas e uma de agenda de compromissos, e sem perceber caimos no velho problema de reinventar o smartphone.

Não é um smartphone, não tem calendário pois adolescentes não agendam seus compromissos no computador. Também não tem (estranho terem deixado essa de fora) aplicações do Office, pois somente pedagogas delirantes achariam que os usuários fariam dever de casa no celular.

O Gizmodo estima que o modelo mais caro custará menos de US$150,00, bem dentro da faixa ideal para o público-alvo.

A atitude mais ousada e questionável é a ausência de instant messengers. Será que as redes sociais “mataram” os IMs, como “mataram” o email? Não tenho dados.

Dará certo? Não sei, o conceito é bom mas a quantidade de “defeitos” nubla as projeções, é como analisar Crepúsculo depois de ter lido Bram Stoker e Neil Gaiman. Racionalmente não se sustenta mas não quer dizer que não tenha uma legião enorme de fãs.

O tempo dirá se a Microsoft acertou mais uma vez ou lançou o primeiro mico em muito tempo.

emArtigo Celular Computação móvel Meio Bit Mobile Opinião Resenha Telecom

PSP está perdendo a luta contra o iPhone

Por em 12 de abril de 2010

Mesmo sendo um ótimo portátil, com uma bela e grande tela, um bom poder de processamento e vários títulos de qualidade, não podemos dizer que o PSP teve uma vida fácil. Desde o seu lançamento ele enfrenta a dura concorrência do DS, luta contra a pirataria e tenta chamar a atenção das produtoras. Depois que o iPhone foi lançado, a situação só piorou e agora o portátil da Sony ainda tem que o celular lhe roubar vários games.

Na última semana tivemos a confirmação da Cave de que o EspGaluda II, shmups de nome e dificuldade igualmente ridículos, será lançado para o iPhone/Ipod Touch. Tendo aparecido primeiro no Xbox 360, o jogo está custando temporariamente US$ 5 e seria uma ótima opção caso tivesse aparecido como um PSP Mini. Mas as perdas não se limitam apenas a um jogo de navinha sem muita expressão.

Para a próxima edição do jogo de futebol americano universitário, o NCAA Football, a EA confirmou que o Playstation Portable está fora da lista de plataformas que receberão o jogo e adivinhem, o iPhone já tem sua versão garantida. Tudo bem que em 2010 o PSP vendeu muito menos unidades que o Xbox 360 (170 mil contra 870 mil), porém, não deixa de ser surpreendente mais uma produtora “virar as costas” para quem investiu no portátil.

Na minha opinião, esses exemplos mostram a força que o aparelho da Apple ganhou e que mais do nunca deve ser considerado uma plataforma de jogos e uma que merece ser respeitadas.

dori_psp_12.04.10

[via Joystiq e Kotaku]

emCelulares Indústria Jogos Portáteis

Resenha: A Entrevista — sério que esse filme fez tanto barulho?

Por em 26 de dezembro de 2014
Laguna_The_Interview_cartaz

Cartaz brasileiro do filme “The Interview” (Crédito: Adoro Cinema)

A imagem que as pessoas têm de super-heróis e ditadores é a de seres inatingíveis, perfeitos. No caso dos super-heróis nas adaptações, agradeçam à magia dos efeitos especiais de Hollywood. Ditadores, por outro lado, têm de recorrer à velha tecnologia da manipulação dos meios de comunicação para esconder do povo os defeitos de seus governos totalitários.

Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”: um ditador não pode fraquejar ou os mocinhos poderão fazer aquele desagradável golpe de Estado e impor uma odiosa democracia. Só que todo ser humano que existe em uma pessoa inatingível tem seu ponto fraco. No caso de um ditador, pode ser a vaidade.

Ser apenas um chefe de Estado na Ásia não é o bastante se você é fã das amadas celebridades do ocidente e deseja ser uma. Celebridade que se preze deseja participar do talk show favorito e fazer bonito n’A Entrevista.
continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Entretenimento

Kodak abraça um novo mercado: o Android

Por em 26 de dezembro de 2014

kodak

A Kodak, outrora referência no mundo da fotografia amargou um triste fim por não saber se reinventar. O perder o bonde da fotografia digital (é irônico, visto que foi ela quem apresentou o primeiro modelo) a empresa foi atropelada pelos seus concorrentes, e aos poucos foi deixando de fabricar câmeras, filmes e teve suas patentes negociadas a troco de pinga, de modo que seria impossível cobrir suas dívidas. Ela ao menos conseguiu sair da falência, mas os custos foram severos e cruéis.

Agora a companhia busca ao menos tentar se reinventar, entrando num mercado que já tem concorrentes o suficiente: o Android.

continue lendo

emComputação móvel Hardware Mercado Notícias Planeta Sem Fio

Veja como serão as chamadas de voz do WhatsApp

Por em 26 de dezembro de 2014

whatsapp

A gente reconhece que o WhatsApp conseguiu atrair uma quantidade de usuários impressionante, se tornando o Instant Messenger mais popular em pouquíssimo tempo. Apesar de outros como o Viber contarem desde sempre com chamadas de voz, essa deficiência não foi o suficiente para impedir a adesão massiva dos usuários.

O tempo passou, o Facebook pagou mais de US$ 20 bilhões por ele e desde então circulam informações de que o recurso de chamadas de voz não demorará a aparecer. Agora, um blog holandês conseguiu imagens que mostram como ele vai funcionar.

continue lendo

emComputação móvel Internet Planeta Sem Fio Software Web 2.0

Amazon oferece 40 apps gratuitos e vários descontos generosos

Por em 26 de dezembro de 2014

amazon-apps

A Amazon também está bancando o Papai Noel neste Natal, trazendo no saco uma porção de presentes para usuários Android: 40 apps gratuitos e descontos pra lá de interessantes em outros.

continue lendo

emComputação móvel Mercado Planeta Sem Fio Software

Ataque hacker massivo deixa PSN e Xbox Live fora do ar [UPDATE]

Por em 25 de dezembro de 2014

grinch-psn

Então é Natal, e muita gente que gostaria de passar o feriado jogando não está conseguindo porque assim como Grinch, algumas pessoas se alegram estragando a diversão dos outros. Tanto a PSN quanto a Xbox Live enfrentam instabilidades que estão impedindo os gamers de se conectar, e um grupo hacker assumiu a autoria dos ataques que estão afetando ambas as redes.

continue lendo

emDestaques Games Internet Microsoft Miscelâneas Miscelâneas Sony Web 2.0

Resident Evil HD terá cross-buy PS3/PS4 durante pré-venda

Por em 25 de dezembro de 2014

resident-evil-remake-hd

A Capcom se prepara para lançar o remake HD de Resident Evil para diversas plataformas, mas os donos de consoles da Sony ganharam um presentão e tanto neste Natal: graças a um acordo com a Sony, quem adquirir o game durante a pré-venda levará ambas as versões de PS3 e PS4.

continue lendo

emSony

The Interview está enfim disponível online, mas…

Por em 25 de dezembro de 2014

the-interview

A Sony Pictures passou por poucas e boas nas últimas semanas por conta de The Interview, o filme de Seth Rogen que despertou a ira da Melhor Coreia e seus simpatizantes. Depois de terem seus PCs hackeados e um sem número de dados vazados, ameaças a funcionários e tudo o mais (leia aqui para um breve resumo), ter cedido à chantagem e cancelado a estreia do filme pegou muito mal, por abrir precedentes perigosos. Obama criticou duramente a decisão, dizendo que “ditadores não devem nos censurar”.

Percebendo a burrada o estúdio voltou atrás e resolveu lançar The Interview em algumas salas de cinema, bem como disponibilizá-lo para streaming online. Só que neste último caso a Sony Pictures prova que de fato não entende a internet, ou não teria bloqueado geograficamente o filme.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Download Entretenimento Internet Planeta Sem Fio Web 2.0