Nãotícia do dia: a polêmica da bateria do iPad

Mr--Fusion

Semana passada um sujeito resolveu espetar um medidor e acompanhar o consumo de energia do carregador do iPad, enquanto a bateria era recarregada. Por algum mistério ele se espantou ao perceber que o iPad reportava 100% de carga, mas mesmo assim continuava a chupar energia com força total. Ficou mais um tempão, só então caiu a níveis bem mais baixos.

Feito isso ele descobriu que o iPad ganhou mais autonomia, em torno de 1h extra.

Estava pronta a polêmica: mimimi a Apple mente, mimimimi a Apple reporta 100% de carga quando não terminou de carregar a bateria, bla bla bla.

Claro, ninguém questionou a lógica de tirar uma hora de autonomia de um tablet.

A explicação é mais simples do que parece, embora também seja extremamente complexa.

Primeiro, não é a Apple que faz isso. TODOS os aparelhos eletrônicos modernos reportam “errado” a carga da bateria. Não é um bug, é uma feature.


Explicando o Explicável:

Nós temos impressão de que as baterias não evoluíram nada, nossos gadgets modernos duram minutos enquanto os antigos duraram uma eternidade. Meu Palm Professional funcionava quase um mês com duas pilhas-palito. Um iPhone 4S depois de 9 h tocando vídeos, morre.

Só que o Palm tinha um processador de 16 MHz enquanto o iPhone roda um dual-core de 800 MHz, sem falar na tela, Wi-Fi, GPS, rádios de telefonia, etc, etc. Meus primeiros celulares duraram semanas mas também mal falavam.

As baterias hoje guardam uma quantidade imensa de energia, e isso não é fácil de medir, reações eletroquímicas não são algo matemático.  Estamos lidando com nanotecnologia, para você ter idéia da complexidade.

bateria

Degradação normal da bateria de um notebook

Pode reparar: Seu celular carrega bem rápido até 70% ou 80% da bateria, mas daí em diante, demora. Usando uma analogia bem simplificada que roubei por aí, imagine a bateria como um balão. Você começa a encher, é fácil. Depois de um certo ponto a pressão dentro do balão aumenta, e você tem que forçar mais ar, pois a diferença de potencial se torna desfavorável.

Se seus pulmões são fracos, você acaba aspirando o ar do balão. Você tem que parar, soprar forte e se recuperar. Quando não der mais para soprar ou demorar tanto que se torna inviável encher mais, você decide que o balão está cheio.

Agora imagine que a borracha do balão se danifique quando você o enche. Imagine que ele perde elasticidade e não comporta tanto ar. Aos poucos ele enche menos, mesmo você mantendo o esforço. Você sopra por 1h mas não coloca tanto ar.

Se você encher MENOS o balão o dano é menor, você poderá enchê-lo mais vezes com mais ar, mas mesmo assim ele vai se danificar com o tempo. Um dia seu balão deixará de encher, por mais que você sopre.

Qual o melhor? Encher mais o balão e ter mais ar, um balão maior, ou encher menos e ter o balão menor mais vezes?

É isso que acontece com as baterias modernas, Li-Ion, Li-Po. Elas degradam com o tempo, de um jeito ou de outro. Carregar a bateria até 100% reais vai fazer com que ela degrade mais rápido, mas você ganha mais autonomia. Carregar só até 80%, (ou 100% segundo o mostrador) faz com que ela tenha mais ciclos de carga, mas menos autonomia.

Como a autonomia dos aparelhos já está dentro do aceitável, os fabricantes entendem 80% de carga como 100%, e reportam assim. SE você deixar o aparelho na tomada, ele vai carregar, de forma bem mais lenta até os 100% real, e então iniciar um ciclo de descarga/carga, mantendo a bateria num nível ideal de energia.

Não é a Apple. TODO MUNDO faz isso.

Primeiro, para aumentar a vida da bateria, mesmo comendo 1h de autonomia. Segundo, para evitar que você leve 4 ou 6h carregando o aparelho. Quando ele atinge 80, 85% (ou 100% no mostrador) atinge em 2h. O tempo extra espetado na tomada não vale a pena.

E não, baterias modernas NÃO tem efeito-memória, e NÃO, não é “bom” desligar o iPad da tomada depois que ele carrega 100%. O ato da bateria descarregar por si só também é danoso pra ela.

Relacionados: , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Explicação simplesmente perfeita

  • Eu ja tinha ciência desse processo de carga que não enche 100%. Mas não entendi essa parte.

    “…, e NÃO, não é “bom” desligar o iPad da tomada depois que ele carrega 100%. O ato da bateria descarregar por si só também é danoso pra ela.”

    É pra deixar o iPad na tomada mesmo que tenha informado 100%, pra ele não descaregar por si só e também prejudicar a bateria?

    Outro problema recorrente com baterias ocorre nas baterias de Notebooks. As pessoas deixam o aparelho com a bateria ligado na energia O TEMPO TODO. Mesmo que não tenham pretensão de tirar o Notebook ligado da mesa. Isso faz com que a bateria seja forçada até o máximo de carga e depois entre num ciclo de carga e descarga minimo (Como o informado no texto) que compromete a vida útil da bateria. É muito comum encontrar Notebooks com menos de 2 anos de uso em que a bateria não dura nem 10 min.

    Eu não entendo por que não se cria um controlador pra interromper a carga até a bateria descarregar até uns (valor aléatório chutado) 30% e só aí retomar a recarga.

    Ou, melhor ainda! Depois que a bateria chegar a “100%” (Os 80-85% de preservação da bateria) interromper o carregamento da bateria e passar a alimentação exclusiva da fonte, acionando a bateria somente se houver uma queda de energia (como um Nobreak).

    • Pois é, ou deixa ligado na tomada e carrega os 100% real e danifica a bateria, ou desliga quando atingir os 100% e também danifica a bateria.

      Eta bateria fresca…

      • barones design

        No caso não danifica pois o sistema de carregamento nunca chega aos 100% reais. Ele é feito de forma a que, quando chegar ao limite ideal, ele descarregue um pouco e volte a carregar. Isso cria um fluxo de corrente que é melhor para o equipamento do que apenas tirar da tomada.

    • Rafael Vieira

      Faço isso e sempre falo pros meus clientes / amigos: se estiver em casa e for usar o laptop, tire a bateria e use-o conectado direto na tomada. Quando for sair, coloque a bateria e terás carga total”.

    • Também não entendi essa parte.

      “…, e NÃO, não é “bom” desligar o iPad da tomada depois que ele carrega 100%. O ato da bateria descarregar por si só também é danoso pra ela.”

      • Pierre Lehnen

        O que ele quis dizer é que muita gente aconselha retirar o iPad da tomada depois de carregar 100%, mas na verdade isso não faz diferença nenhuma.

        O efeito-memória, também conhecido como “vício” da bateria, existe apenas em baterias de Ni-MH. Carregar a bateria do seu notebook, tablet ou celular sem ter descarregado totalmente ou carregar até a metade não fará a bateria durar menos tempo, como muita gente acredita.

        Já encontrei algumas pessoas que tiram a bateria do notebook para usar ele na tomada, perdendo a melhor vantagem de um notebook que é não precisar se preocupar com a energia. É triste.

        • Ni-MH também quase não sofrem efeito memória.
          As que sofriam eram as Ni-Cd (Niquel Cadmio).

    • Cara, não sou especialista, mas uso direto na tomada todos os meus notebooks até hoje e nunca houve problema com a carga. Mesmo com dois ou três anos só usando na tomada (uso em casa), não há problemas com a bateria. Não sei se tive sorte, realmente, mas a minha experiência indica que deixar direto na tomada com a bateria não faz mal algum.

      • barones design

        A Apple soltou um comunicado informando que quando vc deixa seu gadget ou notebook na tomada após atingir os “100%” de bateria… o sistema da bateria automaticamente descarrega um pouco desta energia e carrega novamente… completando e descompletando… justamente para não ter que chegar aos 100% reais que seriam consideravelmente danosos ao equipamento. Este movimento contínuo da carga é benéfico à bateria e permite que ela tenha uma vida útil maior.

        Na verdade… quando vc precisa deixar um equipamento desse parado por muito… muito tempo… é aconselhável deixar a carga da bateria em 50% que é considerado pela indústria o limíte perfeito aonde a degradação dela é a menor possível.

        • O meu note da Lenovo veio com software de gerenciamento de bateria que dá essa opção. Quando se deixa na opção de otimização de vida útil da bateria, ele mantém a bateria carregada em 50%. Eu deixo ele carregando até os 100% mesmo. Nunca sei quando vou precisar usar o notebook na bateria, e se eu deixar nesta opção, vou ficar pra sempre com uma merda de durabilidade.

          Quero uma bateria com boa durabilidade por uns 2, 3 anos ou uma bateria com baixa durabilidade por 5 (valores chutados, claro)?

          Dá pra mudar e deixar ele carregando em 100% quando se sabe que irá passar bastante tempo longe de alguma tomada, mas pro meu caso, não é suficiente.

          • Pois é, qual a fucking vantagem em ter um notebook se, quando for usar na tomada, ter que tirar a bateria ou deixar a bateria em 50%, ah, tomar banho também né. O meu já tem 3 anos, agora que estão começando a aparecer os problemas da bateria, aparentemente, quando chega a 100% o notebook continua tentando carregá-la, a bateria esquenta pra cacete e aparecem as luzes de problema temporário na bateria da dell, mas a carga dela ainda dura 1h30, esticando ao máximo, 2h (no início chegava a 3h). Agora sim quando uso na tomada retiro a bateria (vou no hot swap mesmo, nem ligo).

            3 anos pra mim tá de bom tamanho, quando ela pifar de vez compro outra, vale a pena o custo do que comprar outro notebook.

    • luisbrudna

      Já detonei as baterias de dois notebooks meus deixando ligado direto na tomada e com a bateria dentro (usando por meses assim). Não sei se foi esse o motivo. Achava que os notes eram um pouco mais sensatos e poderiam administrar isso sem causar danos para a bateria. Não sei o que é que acontece. Da p´roxima vez vou tirar a bateria e só usar quando for necessário.
      Neste momento estou em um notebook ligado na tomada quenão tem nem um minuto de bateria. 🙂

    • Xultz

      Esse processo se chama flutuação de bateria, um método super manjado.
      O problema é o seguinte: imagine que o flutuador flutue 30% da carga. E imagine que quando ela estiver com 71% da carga (mais um pouquinho e ela já ia recomeçar a carregar) você tira da tomada e vai todo lépido prá algum lugar achando que tem 100% da bateria. Vai ficar chateado, né? Na hora do projeto do carregador, essas coisas são complicadas (e já fiz alguns produtos e mexer com carga de bateria sempre foi um pé no saco).

  • Rafael Vieira

    Sei que é redundância mas… : “Ótimo artigo, Cardoso.”

  • ninguem

    Primeiro você diz que danifica a bateria carregar de mais, por isso os fabricantes dão o sinal de “carregado” antes do tempo. Depois você diz que não precisa tirar o carregador da domada quando ela dá esse sinal. Não faz sentido.

    • Pq usar a bateria de 80% pra baixo TAMBÉM danifica. E aí você tem uma bateria MENOS danificada mas com MENOS autonomia.

    • Baterias novas trabalham com o conceito de ciclos de recarga, uma espécie de cronômetro da vida útil das mesmas. Portanto sempre que ela descarrega ela está queimando parte deste cronômetro. Para otimizar a vida útil dela sempre que possível deixe seu dispositivo plugado a rede elétrica. Mesmo com carga total (100%). É menos pior.

  • Lembrei bastante de circuitos RC (eu sei, Física Básica, bem básica, mas serve), que a carga do capacitor com o tempo é proporcional a 1-A*exp(-b*tempo) — ou seja, boa parte da carga “enche” rapidamente, mas o restante demora bem mais.

    Obrigado pelo artigo, bem esclarecedor. E eu tenho o mesmo costume de deixar o carregador ligado direto com meus NDS’s…

    • Mas a carga da bateria não pode ser dessa forma.
      A corrente tem que ser controlada. No começo a bateria aceita mais corrente, mas conforme aumenta a temperatura deve-se diminuir a corrente. É necessário um circuito eletrônico que controle a corrente, e nas baterias de Lítio é necessário controlar a temperatura também.
      No caso do capacitor é bem diferente. O resistor limita a corrente, e como o capacitor carrega aumenta a tensão em seus terminais, diminuindoa diferença de tensão, diminuindo a corrente com o tempo.
      O capacitor pode ser carregado ou descarregador bem rápido, ao contrário da bateria.

      • Mas eu não disse que a bateria carrega como um capacitor… 😉 só que parece que a carga da bateria, com o tempo, comporta-se de forma parecida com a carga do capacitor num circuito RC.

        Mas há outros fatores envolvidos, claro. E obrigado pelo comentário complementar.

  • Thiago Araújo

    Não tem uma forma de impedir que a bateria “passe dos 100%”? Deveriam simplesmente cortar a energia quando passa do ponto ideal, senão fica extremamente falho.

    • Mas já é dessa forma.
      Aliás, sempre foi.
      Apenas alguns poucos carregadores de pilhas de baixa qualidade que não param de carregar nunca.

  • Pra uma coisa serviu essa polêmica:entendo um pouco mais como funcionam as baterias. Valeu, Cardoso.

  • BroncoBom

    Simples: qualquer equipamento que “reporta 100% de carga, mas mesmo assim continuava a chupar energia com força total.” DEFEITO

    Equipamento da Apple que”reporta 100% de carga, mas mesmo assim continuava a chupar energia com força total.” FEATURE

    NÃO precisava de um post tão cheio de firulas para explicar o òbvio. pfffff.

    • Se tivesse lido o artigo entenderia a ironia, e descobriria que TODOS os aparelhos de TODOS os fabricantes fazem o mesmo.

      • BroncoBom

        Se tivesse lido com atenção veria que quando isso acontece com um produto da apple isto não se chama mais defeito e passar a ser chamado de Feature

  • Alguns notebooks tem a opção de não deixar a carga da bateria passar de 80% (nas opções de BIOS ou pelo Windows mesmo, não lembro). Tive um note por 5 anos e usava essa função. Nunca tive problemas com a bateria.

  • Roman Grishanov

    Todo mundo faz isso NÂO! Tenho note Samsung serie 9, ele permite vc optar por sempre encher até 80% e dizer que está cheio (pra prolongar a vida da bateria) ou encher normalmente até os 100% mesmo, pra dar autonomia. Isso é opção de bios (mas pode ser alterada no windows tb). Eu pessoalmente quando não vou levar o note pra rua, desplugo a carga quando tiver uns 90% pra economizar bateria, mas eu sei que isso são exatamente 90% e nao 75. A Apple novamente pensa por você, decide por você, como ela sempre faz.

  • Nailed. A analogia mais perfeita que já vi sobre a carga de baterias.

  • Isto não é verdade, a bateria é blindada e não tem como o eletrodo perder matéria, assim como não tem como vazar o sal da capsula, também não há transformação de matéria, na verdade a explicação está na voltagem, componentes eletrônicos são usados para manter a voltagem estável porem a medida que a bateria descarrega ela libera uma voltagem menor, quando ela é carregada a voltagem liberada aumenta, quando ela libera a voltagem certa o telefone acha que esta carregada mas na verdade essas baterias continuam carregando e liberam uma voltagem estável devido ao circuito interno que não permite a liberação de uma voltagem maior para não danificar o aparelho. Mais essa do balão provavelmente foi feita por algum professor do ensino médio com preguiça de pesquisar melhor ou de explicar xD.

  • De acordo com a Samsung os maiores consumidores da bateria são o Wifi, o Bluetooth e app ativos. Recomendam desligar tudo pelo gerenciador, entrar no modo avião e só então desligar (hibernar). E não é que dá certo, pelo menos no Galaxy Tab?

  • Tenho um notebook Dell Inspiron há + – 3,5 anos, fica ligado direto na tomada e está com 90% da vida da bateria.

  • Meu ipad quarta geração, em comparação com o ipad 2 descarrega a bateria muito rapidamente. Será posso usar o ipad, quando estou no iBooks, por exemplo, enquanto recarrega?