Digital Drops Blog de Brinquedo

Made In Japan: Scanner de Supermercado sem código de barras

Por em 10 de março de 2012
emHardware relacionados   
Mais textos de:

Site | Twitter
  • http://www.facebook.com/gustavogvaldez Gustavo Valdez

    Na Alemanha eles já resolveram esse problema, os engradados de refrigerante são iguais aos de cerveja (inclusive com cascos reutilizáveis)

    • http://twitter.com/Darkus Darkus

      Isso sim seria um retrocesso!
      Prefiro apostar em PET retornável.

  • Rafael Vieira

    Nossa, essa nova tecnologia é boa mesmo. Já reconhece até vibradores extra grandes, vide 2m24s.
    Ahhhhh Japão.

  • Unfear

    Prefiro um futuro utopico que o simples fato de você colocar o produto no carrinho ele já soma o preço e exibe para você no seu iPad e ai é só preciso confirmar o pagamento na saida.

    • Roni Wolf

      Prefiro um futuro utopico que o meu armario de cozinha, ao terminar o inventário semanal, já envie o pedido de compras para o supermercado automaticamente.

  • http://www.facebook.com/bruno.lrck Bruno Lrck

    Eu compro de 3 a 5 garrafas de 3,5L. Nem ligo. Adoro CocaínaCola.

    Lembrei de um artigo bem antigo, sobre um óculos israelense policial, que conseguia fazer uma varredura eletrônica de mais de 400 rostos por segundo, procurando bandidos no banco de dados da polícia. Um programa capaz de fazer o mesmo com fotos de produtos, não tem um princípio realmente novo, mas é bem mais antigo.

  • http://www.facebook.com/dirriba Bino Vanessa

    Na verdade

  • http://twitter.com/dirriba Dirriba Master’s

    Na verdade o sistema ele ainda não resolve todos os problemas, pois vc ainda tem o trabalho de coletar o material, retirar do carrinho colocar na esteira e depois recolocar no carrinho para saída. Se considerarmos situações como São Paulo, onde o uso de sacolas plásticas foram abolidas, o processo ainda é parcialmente eficiente. Agora qdo chegarmos ao momento da leitura de toda a compra dentro do carrinho e na saída vc pagar, como já existem estudos com o uso das etiquetas de RFID que propõem isto. Porém seu custo de U$$2,00 por etiqueta ainda impede sua adoção massiva.

  • http://twitter.com/Darkus Darkus

    Já deveriam ter trocado estes malditos códigos de barras por qrcode.

  • http://sinapseslivres.com.br Guilherme Macedo

    Quero ver diferenciar um pimentão verde que está vermelho de um vermelho legítimo, que é trocentas vezes mais caro =P

  • http://profiles.google.com/1bertorc Humberto Ramos Costa

    No Japão nem precisa disso bastaria perguntar ao cliente quanto ficou o carrinho. Tem mal intencionado também e mais gente ainda que erraria a menor (embora os erros a maior compensassem) mas no geral o custo seria menor do que essa nova tecnologia.

    • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

      Seria LINDO, mas péssimo na prática, pois joga a logística de reposição de estoque no lixo

      • http://profiles.google.com/1bertorc Humberto Ramos Costa

        Marcio, realmente não tinha pensado nesse aspecto, obrigado.

  • HoneyPot FP

    dai é só fazer um robo que consiga andar, com uma mão semelhante a nossa e pronto, não preciso mais ir as compras deixo um robo comprar por mim.. contanto que ele não pegue frutas estragadas (vai ter um identificador disso também?)