Uma pequena lembrança do peso sobre nossas cabeças

Em uma cena clássica de Futurama a nave Expresso Planeta é arrastada para o fundo do mar. Fry, preocupado pergunta ao Professor Farnsworth quantas atmosferas de pressão ela foi projetada para suportar.

O Professor responde: “Bem, como é uma nave espacial, entre 0 e 1”.

Pode parecer pouco, mas UMA atmosfera é coisa pra caramba. Nós não sentimos, afinal nascemos e evoluímos nesse ambiente. Nosso corpo está em equilíbrio hidrostático com o resto da atmosfera, então a pressão interna é igual à pressão externa. Se não fosse, saberíamos da pior maneira. Na média a pressão exercida sobre uma área de 1 metro quadrado, ao nível do mar é de 10.300Kg. Uma mesa não é esmagada pois embaixo dela (na verdade em toda volta) também tem 10.300Kg contrabalançando o peso de cima.

Mas… e quando não há essa contra-força?

Carros-tanque e vagões industriais têm válvulas anti-vácuo justamente para evitar essas situações, mas algumas raras vezes ou elas falham ou são desligadas para fins de demonstração. Veja aqui um vagão-tanque esvaziado de todo o ar. Temos apenas a estrutura de aço resistindo a uma pressão de mais de 10 toneladas por metro quadrado:

Essa é a pressão de UMA atmosfera. Agora imagine que a cúpula de quartzo do submarino do post anterior resiste a MIL VEZES ISSO.

Nada mal em termos de tecnologia.

Relacionados: , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Ciência básica, eu lembro de algum livro do Monteiro Lobato onde isso também é comentado, de que para cada 1cm² de superfície corporal (numa vista superior de nosso corpo) há uma coluna de mais de 30Km de ar, exercendo um peso de mais de 1Kg (dando aí as aproximadas 10 toneladas por metro quadrado) 🙂

    São coisas assim que as pessoas comuns não conhecem e não sentem, como o fato de estarmos girando a uma velocidade de mais de 1600Km/h (na linha do Equador, como já mencionado em outro post seu) e que a distância do chão até o espaço é menor que a distâncias entre os centros de muitas cidades vizinhas (120Km)

  • Isso é o que aconteceria com nós, se retirássemos nosso capacete de astronauta na Lua?

    • Não, o corpo humano consegue resistir bem à diferenças de mais de 1 ATM, seja de fora para dentro (como alguns mergulhadores de apnéia podem comprovar), seja de dentro para fora. A pele e os órgãos aguentam bem. O MAIOR problema que você teria aí não seria nem o frio, (pois falta o “meio” frio ao seu redor para lhe tirar o calor do corpo) e sim a descompressão pulmonar: todo o ar do seus pulmões seria ejetado para o espaço, e você ficaria sem oxigênio e desmaiaria rapidinho.

    • Seria o contrário… Na Lua o vácuo estaria fora de você, não dentro. De resto seria como o Marcio Neves falou.

      Agora, isso aconteceria com você sim, se você estivesse num submarino como o do post que o Cardoso referenciou, a mais de 4 mil metros de profundidade, e a redoma do submarino quebrasse.

  • Pedro Morini Mietto

    oh shit, isso eh o q acontece qdo se deixa o Magneto nervoso!

  • Wallacy

    Nossa, como sou forte! Levanto todos os dias 10.300Kg! Sabia que não precisava de academia!

  • Paulo Brito

    Na verdade este vídeo está ao contrário e isto é uma demonstração de como os vagões são inflados. De fábrica eles vêem compactados pra economizar embalagem.

  • Luiz Felipe

    Não sabia que transportavam vacuo tambem utilizando trens.

  • ninguem

    Alguém poderia me explicar como consigo encher um balão de festa tão facilmente?

  • O que seria um peido no vácuo?