Se o Leoni e o Leo Jaime ainda quiserem encontrar a fórmula do amor, é bom que não procurem em site de namoro

antilife

Desde sempre –e isso não é nenhum comentário moralista- a publicidade atrelada à pornografia usa –e bem- a insegurança do público-alvo como gancho. Notem: NENHUM dos anúncios “Enlarge Your Penis” fala do que seria um tamanho ideal. TODOS assumem que o sujeito é inseguro, está insatisfeito e acha que precisa de mais.

Essa carência é real, vide os milhões de dólares que spammers ganham vendendo Viagra Genérico, ou até o hilariamente batizado “Viagra Professional”.  Eu prefiro o Viagra Ultimate, mas se for pegar uma novinha, o Home & Student tá de bom tamanho…

Investir em necessidades emocionais básicas sempre é um bom negócio, e não há negócio melhor que site de namoro. Aqui no Brasil há uma tonelada, lá fora temos OK Cupid, Match, Plenty of Fish e outros milhares. Os números são absurdos, um deles, o eHarmony anuncia que diariamente há 271 casamentos de pessoas que se conheceram no site. É uma indústria de US$2 bilhões. Dá pra brincar.

Só há um pequeno problema: Os sites não funcionam!

“bla bla mentira minha prima arrumou namorado lá bla bla”

Eu sei, eu também conheço gente que arrumou namorado nesses sites, mas também conheço gente que arrumou marido em cama de hospital, em chat de BBS e em porta de banheiro de boate.

Agora um grupo de pesquisa da Associação para Ciências psicológicas dos EUA mostrou que não há nenhum algoritmo funcional que identifique se dois perfis online são compatíveis.

Atração é algo muito mais complexo e sutil do que comparar interesses em comum. Há casais que vivem bem com pouco ou nada em comum, e gente que adora as mesmas coisas e se detesta. Estatisticamente gostar das mesmas coisas NÃO vai aumentar as chances de “rolar um clima”.

Personalidade também não conta, somos péssimos em descrever nós mesmos, pintamos sempre um quadro pra lá de positivo, sem nem mesmo entendermos que há um espectro imenso de possibilidades entre “tímido” e “extrovertido”.

El Finkel, Professor da Northwestern University e autor do relatório, foi categórico:

“Oitenta anos de estudos da ciência dos relacionamentos mostraram de forma confiável que você não pode prever se um relacionamento dará certo baseado em informações sobre pessoas que ainda não se conhecem”

Ah, mas como esses sites funcionam?

Funcionam apenas porque as pessoas acham que eles funcionam, em um caso clássico de dissonância cognitiva esquecem dos resultados falhos e só computam os acertos. Esquecem que não evoluímos diante de uma tela de computador, nossos cérebros precisam de informação sensorial muito além de palavras, que aliás são um acréscimo recente.

Você pode colocar pessoas com 100% de interesses comuns lado a lado e não rolar NADA, já se uma desconhecida passa, agita o cabelo, expõe o pescoço e expele os feromônios corretos, ferrou. Mais um idiota de 4 atrás de um rabo de saia. E a amiga nerd ali chupando dedo.

Professor Finkel conclui:

“Não há forma melhor de descobrir se você é compatível com alguém do que saindo para uma conversa,  tomando um café ou uma cerveja”

Portanto, amigolino (tm Fabi) pare de pagar mensalidade nesses sites e olhe o mundo à sua volta. Você tem muito mais chances com quem convive todo dia do que com a LouraRica234 que curte Clarice Lispector, Caio Fernando Abreu, é meio bipolar, irônica e carinhosa.

Fonte: MS

Relacionados: , , ,
  • Rafael Vieira

    Uma coisa é certa: para a maioria dos mortais, o Viagra Starter é mais que suficiente.

  • Edivaldo Brito

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Demais esse post. principalmente a nomeclatura dos viagras.

  • http://twitter.com/ProtoMorphos Anderson Assumpção

    Ótimo artigo.

  • João Henrique Priesnitz

    …gostei do toque pra Fabi…

  • http://twitter.com/jrventurim José Robson Venturim

    Clap clap clap … Excelente.
    O pior é quando criam um universo, dentro de mundo de fantasia, como os “sites de namoro para evangélicos” ou “retiros e acampamentos para evangélicos” ou católicos … Qual a idéia por trás disto: Forçar a ocorrência “natural” de romances entre pessoas da mesma religião para diminuir a chance da pessoa sair da mesma após se envolver com uma pessoa de outra religião ou sem religião.

    • Anônimo

      Isso é o que eu chamo de “religiougenia”…

    • Marcelo Eiras

      Isso faz sentido, só um evangélico aguenta outro evangélico.

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001714583984 Christiano Nascimento Amorim

    Eu me casei com uma mulher que conheci no badoo. Ficamos casados por 6 anos. Divorciamos ano passado.

    • http://twitter.com/mazeguitar maze

      O badoo é antigo assim?

    • Antonio Azevedo

      Apesar de concordar

  • http://twitter.com/onilira Vinicius Lira

    “E a amiga nerd ali chupando dedo.”
    I saw what you did here…

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100000354926065 Evaldo Reis

    Ok, vamos concordar então que os resultados dos tais sites são superestimados, e que a propaganda é do tipo “se-colar-colou”, mas não se pode negar que é um modo mais salutar de se conhecer alguém do que, digamos, em porta de banheiro de boate. Dizer de forma categórica que não funciona porque não é resultado da evolução é ser implicante. Se somos evoluídos a ponto de conceber a comunicação a longa distância de variadas formas, então por que não usar desta facilidade para continuar o processo evolutivo?
    Mas, no fim, você está certo. Ter que pagar pra usar esses sites é mesmo o fundo do poço. E pagar pra usar algo que é claramente alicerçado em falsas premissas… é um equívoco e uma tristeza.

  • Daniel Almeida

    Lembrei do professor Frink dos Simpsons, perguntado pelo jovem universitário Apu se os computadores serviriam para arrumar relacionamentos e ele responde que esses relacionamentos seriam muito perfeitos.

  • Junior Predador

    Já já vai rolar relacionamento em comentários do meiobit ai dá pra começar a cobrar mensalidade. A única utilidade que eu vejo nesse tipo de site(que não uso) é afastar pessoas com interesses contrários demais ou encontrar pessoas próximas, nada que ter um circulo de “descente” amizade não possa fazer.

  • http://twitter.com/thyagocl Thyago Lopes

    Não acho que o objetivo certo seja procurar um relacionamento que “dê certo”. Nesse ponto, concordo com você que nenhum site vai acertar e, estatisticamente, nem mesmo as nossas vidas têm acertado. Ou estamos casados e felizes para sempre? No entanto, acho que em alguns casos pode ser uma forma interessante de se conhecer pessoas.
    Você citou o OkCupid, o único que eu conheço, e além dele não ser pago, a abordagem ao menos é criativa, ele não se baseia unicamente em comparar o seu perfil com o de outra pessoa, mas também leva em consideração o que você diz gostar ou aceitar nas outras pessoas.
    Vai garantir um relacionamento duradouro (ou mesmo um mínimo de atração)? Provavelmente não, mas uma conversa interessante, talvez.

  • angelo kidamvs28@yahoo.com.br

    Gostei também das nomenclaturas dos Viagras. O Cardoso nunca deixou de ser irônico.

  • http://twitter.com/Rodrigogmail Rodrigo

    Deixa de ser exagerado Cardoso.

    Cara vc sabe q é apenas mais uma ferramenta como tantas. WTF problem

    Eu usei esses sites por uns 5 anos , e cara vou te falar economizei uma grana ferrada de motel e saidinhas para bares(e na epoca podia dirigir bêbado de 2002 a 2007). Era tanta mulher q tinha q fazer cadastro no exel com caracteristicas onde morava perfil etc…MSN eram centenas (deletadas até descobrir q a foto era de quando era magra), e quando saia pra noite já era certo (do tipo essa eu como), pq depois de tantas horas em chats e telefonemas (conversa fiada mesmo, mulher adora vc sabe), não era possivel q ao vivo não rolaria nada, e cara, rolava coisa pra kralho, não tenho oq reclamar , e eu sou chato com isso, mulher feia e gorda, e q não liga, nem de amiga.

    Em fim, eu só saia na certa, não ficava q nem esses otarios de boate gastando rios de dinheiro com piriguete para não comer ninguem, e ainda sair na porrada com o primeiro q ver na frente por tanta frustraçao

    Final da historia conheci uma mulher quase perfeita, linda, q ainda passa, lava, cozinha e ainda divide as contas comigo. Quase perfeita pq todo mundo sabe q nao existe mulher perfeita.

    Não desanime !