A Vida Imita a Arte: Fuzileiros dos EUA usando robôs para treinamento de tiro

A cena acima é da série Caprica, que infelizmente teve vida curta. Nela vemos o início da raça cilônia, surgida de um projeto militar de robôs de combate. Em um momento clássico o protótipo é demonstrado em um campo de tiro dizimando robôs-alvo.

A idéia é excelente, uma área onde o treinamento de tiro é sempre deficiente é quando lidamos com situações envolvendo pessoas em movimento. Acertar alvos parados é fácil, quando eles se movem tudo complica, ainda mais se houver uma boa distância envolvida. Stands virtuais com armas simuladas são usados, bem como alvos em trilhos, mas até agora não havia uma solução que imitasse movimentação de pessoas. Até agora.

A Marathon Targets, da Austrália desenvolveu este brinquedo:

target1

Sem necessidade de trilhos, pode ser programado para seguir qualquer trajetória, e quando o tiro acerta, ele cessa o movimento e cai, indicando ao atirador que o disparo foi bem-sucedido.

Veja o bicho em ação, durante um teste com os fuzileiros em Junho:

Os instrutores podem programar os robôs para “morrerem” após um ou mais tiros, e para fugir or se organizar em posição de contra-ataque. Os robôs não atiram de volta mas os fuzileiros estão satisfeitos com esse nível de realismo.

O USMC já encomendou um lote, que deve ser entregue até o final do ano. Não duvido que um monte de stands de tiro esteja pesquisando, interessados em comprar alguns.

Fonte: Defensetech

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Junior Predador

    Ta ai uma diversão de tiro em movimento bem melhor e mais saudável do que caçar animais.

  • José Luis Junior Segatto

    De péssimo gosto o rosto dado ao boneco. Acho que tinha que ser loiro, do olho azul.

    • Alemanha não é mais nazista… que pena. hahahaha

  • porque todos eles se parecem com árabes? kkkkkkkkk

  • porque todos eles se parecem com árabes? kkkkkkkkk

  • meu deus, aquilo é 1 mulher com 1 burca uasfdhufadshufadsuhfds

  • Pelo o que sei, talvez não sejam robôs no futuro mas hologramas com rifles de brinquedo. G.I. Joe: Rise of Cobra anyone?

  • Jonas Klinger

    Se cada soldado fosse alvo de tiros reais, isso sim seria interessante. Em pouco tempo acabariam não apenas com os militares como com os civis também. Uma tecnologia inovadora, parabéns Cardoso pelo artigo, que liquidaria com o país inteiro.

  • Joao Silva

    Seria mais interessante ligar uma câmera em um robô desses e seus movimentos pelo controle do Xbox 360, queria ver neguinho me acertar eheh

  • Isso vai dar polêmica: todos os robôs fantasiados de árabes e até mulheres com Burqa. Esperem para logo as acusações de racismo e bla, bla, bla

    • Arabe não é raça, e os inimigos atuais dos EUA são o terrorismo islâmico. Isso se chama dissuasão.

  • Victor Campos

    Comentando uma coisa meio off, a verdade é que Caprica jamais deveria sequer ter saído do papel.

  • Anônimo

    Alvos em movimento? Está brincando!

    Está mais para FPS em modo easy.

  • Anônimo

    Fosse eu um árabe nunca mais andaria de segway nos estados unidos.