Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Criador do Braid diz que não vale a pena ter próximo jogo nos consoles

Por em 30 de setembro de 2011
emComputadores Microsoft Portáteis Sony relacionados   
Mais textos de:

Site | Twitter
  • Anônimo

    Putz, surpreendente o comentário mesmo, roda Crysis mas não o “sucessor” do Braid?

    • http://twitter.com/regames Re: Games

      Não é que não roda. O problema é o trabalho extra para otimizar o jogo para rodar em um aparelho com menos memória.

      A Crytek, com dezenas de pessoas e muito mais dinheiro, demorou três anos para fazer uma versão de Crysis que rodasse nos consoles atuais. Imagina uma equipe de meia-dúzia de profissionais independentes… Ia levar anos, e provavelmente o retorno financeiro não compensaria.

      O que foi estranho à primeira vista é o fato de rodar em iPad. Mas ao mesmo tempo, hoje temos celulares com a mesma quantidade de memória RAM dos consoles (Xperia Play = 512 MB, PS3 = 256 sistema + 256 vídeo, Xbox 360 = 512), então não é inconcebível vir um iPad 3 com 1 GB de RAM. E como o sujeito citou especificamente memória…

      • http://twitter.com/Cyber_Ramses Ronaldo Gogoni

        Foi essa mesma atitude de Blow que impediu Braid de ser lançado para portáteis: ele não quis ter trabalho extra.

        Mas o iPad ter uma versão em detrimento dos consoles de mesa é um tapa na cara da Sony, Microsoft e possivelmente Nintendo também, caso não saia para Wii U, o que é bem provável (ele não é tão mais poderoso do que o PS3 ou o 360). E pior: pode abrir precedentes para outros desenvolvedores indies ou mesmo grandes, a EA já pensa assim.

        • Bruno Pedrassani

          Eu já acho um papinho grosso de desenvolvedor porco. Por mais que Braid tenha sido bom, o que eu vejo cada vez mais é gerações de desenvolvedores acostumados com Java comendo memória a torto e direito simplesmente não otimizarem o código.

          Agora, realmente, ele fala do 360 e do PS3 mas lança pra iPad? iPad nem plataforma dedicada a jogo é(ou seja, muito menos recursos do que um PS3 ou 360 teria).

          É um direito dele escolher onde lançar, mas é decepcionante saber que por preguiça ele vai deixar uma fatia do mercado descoberta.

        • Bruno Pedrassani

          Eu já acho um papinho grosso de desenvolvedor porco. Por mais que Braid tenha sido bom, o que eu vejo cada vez mais é gerações de desenvolvedores acostumados com Java comendo memória a torto e direito simplesmente não otimizarem o código.

          Agora, realmente, ele fala do 360 e do PS3 mas lança pra iPad? iPad nem plataforma dedicada a jogo é(ou seja, muito menos recursos do que um PS3 ou 360 teria).

          É um direito dele escolher onde lançar, mas é decepcionante saber que por preguiça ele vai deixar uma fatia do mercado descoberta.

        • Bruno Pedrassani

          Eu já acho um papinho grosso de desenvolvedor porco. Por mais que Braid tenha sido bom, o que eu vejo cada vez mais é gerações de desenvolvedores acostumados com Java comendo memória a torto e direito simplesmente não otimizarem o código.

          Agora, realmente, ele fala do 360 e do PS3 mas lança pra iPad? iPad nem plataforma dedicada a jogo é(ou seja, muito menos recursos do que um PS3 ou 360 teria).

          É um direito dele escolher onde lançar, mas é decepcionante saber que por preguiça ele vai deixar uma fatia do mercado descoberta.

        • Bruno Pedrassani

          Eu já acho um papinho grosso de desenvolvedor porco. Por mais que Braid tenha sido bom, o que eu vejo cada vez mais é gerações de desenvolvedores acostumados com Java comendo memória a torto e direito simplesmente não otimizarem o código.

          Agora, realmente, ele fala do 360 e do PS3 mas lança pra iPad? iPad nem plataforma dedicada a jogo é(ou seja, muito menos recursos do que um PS3 ou 360 teria).

          É um direito dele escolher onde lançar, mas é decepcionante saber que por preguiça ele vai deixar uma fatia do mercado descoberta.

        • Bruno Pedrassani

          Eu já acho um papinho grosso de desenvolvedor porco. Por mais que Braid tenha sido bom, o que eu vejo cada vez mais é gerações de desenvolvedores acostumados com Java comendo memória a torto e direito simplesmente não otimizarem o código.

          Agora, realmente, ele fala do 360 e do PS3 mas lança pra iPad? iPad nem plataforma dedicada a jogo é(ou seja, muito menos recursos do que um PS3 ou 360 teria).

          É um direito dele escolher onde lançar, mas é decepcionante saber que por preguiça ele vai deixar uma fatia do mercado descoberta.

        • Bruno Pedrassani

          Eu já acho um papinho grosso de desenvolvedor porco. Por mais que Braid tenha sido bom, o que eu vejo cada vez mais é gerações de desenvolvedores acostumados com Java comendo memória a torto e direito simplesmente não otimizarem o código.

          Agora, realmente, ele fala do 360 e do PS3 mas lança pra iPad? iPad nem plataforma dedicada a jogo é(ou seja, muito menos recursos do que um PS3 ou 360 teria).

          É um direito dele escolher onde lançar, mas é decepcionante saber que por preguiça ele vai deixar uma fatia do mercado descoberta.

        • Bruno Pedrassani

          Eu já acho um papinho grosso de desenvolvedor porco. Por mais que Braid tenha sido bom, o que eu vejo cada vez mais é gerações de desenvolvedores acostumados com Java comendo memória a torto e direito simplesmente não otimizarem o código.

          Agora, realmente, ele fala do 360 e do PS3 mas lança pra iPad? iPad nem plataforma dedicada a jogo é(ou seja, muito menos recursos do que um PS3 ou 360 teria).

          É um direito dele escolher onde lançar, mas é decepcionante saber que por preguiça ele vai deixar uma fatia do mercado descoberta.

        • Bruno Pedrassani

          Eu já acho um papinho grosso de desenvolvedor porco. Por mais que Braid tenha sido bom, o que eu vejo cada vez mais é gerações de desenvolvedores acostumados com Java comendo memória a torto e direito simplesmente não otimizarem o código.

          Agora, realmente, ele fala do 360 e do PS3 mas lança pra iPad? iPad nem plataforma dedicada a jogo é(ou seja, muito menos recursos do que um PS3 ou 360 teria).

          É um direito dele escolher onde lançar, mas é decepcionante saber que por preguiça ele vai deixar uma fatia do mercado descoberta.

        • Bruno Pedrassani

          Eu já acho um papinho grosso de desenvolvedor porco. Por mais que Braid tenha sido bom, o que eu vejo cada vez mais é gerações de desenvolvedores acostumados com Java comendo memória a torto e direito simplesmente não otimizarem o código.

          Agora, realmente, ele fala do 360 e do PS3 mas lança pra iPad? iPad nem plataforma dedicada a jogo é(ou seja, muito menos recursos do que um PS3 ou 360 teria).

          É um direito dele escolher onde lançar, mas é decepcionante saber que por preguiça ele vai deixar uma fatia do mercado descoberta.

  • http://twitter.com/DanielTwist Twist

    É só lançar no Steam, que eu e outras milhares de pessoas irão comprar no lançamento.

  • http://twitter.com/DanielTwist Twist

    É só lançar no Steam, que eu e outras milhares de pessoas irão comprar no lançamento.

  • http://www.facebook.com/vniciusfs Vinícius Figueiredo

    Em resumo: Como eu não quero me esforçar pra otimizar um jogo é melhor que saiam novos consoles ainda mais potentes, assim não me preocupo com a má qualidade do meu código.

  • Cristiano Dias

    Se não roda no PS3, certamente não vai rodar no meu PC também porque ele também tem 5 anos. Próximo…

  • Rodrigo Lopes

    Teremos que ver pra crer, mas acredito que se o jogo gerar lucro para os desenvolvedores no PC e no ipad (!) não duvido nada que os caras lancem, posteriormente, a versão do game para os consoles. Esse tipo de coisa vive acontecendo.
    É mais uma questão de escolher o que vai lucrar mais rápido.