[Análise] Nokia E7

Nokia E7

Nokia E7. (Clique para ampliar)

O que faz um bom smartphone? Hardware? Recursos? Software? Ou a combinação de todos esses, mais um bom ecossistema por trás da parte que o usuário vê?

Quem usa e abusa do seu marcará “todas as alternativas” sem pestanejar. Porque é assim que as coisas funcionam hoje. Não basta um hardware impecável, ou um software matador; se a peteca cai num determinando ponto, toda a experiência de usuário é comprometida.

Lançado em fevereiro de 2011, o Nokia E7, ou Nokia E7-00 como também é chamado, chegou num momento crítico. Não bastasse o Symbian amargando críticas negativas a despeito dos seus (tímidos) avanços e a incerteza acerca do MeeGo, dali a alguns meses a Nokia anunciou a parceria com a Microsoft que visa colocar o Windows Phone nos seus aparelhos high-end.

Vendido como o Nokia corporativo definitivo, ele empresta dos lançamentos recentes da fabricante finlandesa, como o N8, características de fazer suspirar, como o corpo de alumínio anodizado e a tela de AMOLED grande e brilhante. Dos seus antepassados, como o unânime E71, vem o perfil corporativo e o teclado, agora retrátil, confortabilíssimo. Em comum a todos, o Symbian, com pequenos ajustes na versão ^3.

Qual o resultado dessa mistura de campeões do passado? Confira na nossa análise completa!

Hardware: tela e teclado impressionam, câmera nem tanto

Boa empunhadura, apesar de um pouco grande.

Boa empunhadura, apesar de um pouco grande. (Clique para ampliar)

Uma coisa é fato: o Nokia E7 chama a atenção. Ele é grande sem ser muito grande, dá para colocá-lo no bolso sem parecer suspeito. Por outro lado, é um pouco pesado com seus 176 gramas. Essas medidas avantajadas têm razão de ser: conferir ao usuário conforto na hora do uso efetivo.

Num corpo que lembra bastante o do N8, subvertendo a lógica esse equipamento, que tem como destinatários executivos e homens de negócio, traz uma tela maior (4″ contra 3,5″) e mais bonita ainda que a do seu irmão para o mercado doméstico. De AMOLED, com Gorilla Glass e marcando a estreia da tecnologia ClearBlack, que realça o preto e melhora a visibilidade de baixo do Sol, ela é brilhante, sexy e até disfarça a não tão alta resolução, a tal da nHD (como a Nokia chama) de 360×640. Ah sim: capacitiva e multitouch, com reposta excelente e um quase violento feedback tátil — cheguei a pensar que a unidade de testes estivesse com problema nos primeiros toques.

Além da tela, o outro ponto alto da parte externa do E7 é o teclado físico. Confortabilíssimo, com quatro linhas de teclas, sendo essas espaçadas, grandes e com ótimo retorno tátil, é de longe um dos melhores que já usei. O mecanismo de abertura é o mesmo do N97, o layout é conservador e as teclas retroiluminadas. Nada a reclamar, mesmo.

Teclado físico do E7: muito confortável.

Teclado físico do E7: muito confortável. (Clique para ampliar)

Tudo isso envolto numa peça única de alumínio anodizado, que confere boa empunhadura e um ar elegante ao aparelho. Há poucos botões, na realidade dois tradicionais, o de travar/destravar a tela e os de volume, foram substituídos por sliders. Botões, mesmo, só o de ligar/desligar (topo), câmera (lateral esquerda) e home (parte frontal).

No topo, aliás, ficam todas as conexões. Estão lá a saída mini HDMI, de áudio (3,5 mm) e micro USB, essa servindo também para conectar equipamentos, como teclados convencionais (!). Na caixa vêm adaptadores para HDMI e USB, além de cabo de dados, carregador de parede e fone de ouvido in-ear.

Conexões no topo do E7.

Conexões no topo do E7. (Clique para ampliar)

Ainda sobre o corpo, é curioso notar que, por ser feito a partir de uma peça única, não há tampas ou outras coisas do gênero. A bateria é interna e não pode ser trocada pelo usuário. Também não há slot de expansão de memória, de modo que o usuário precisa conviver eternamente com os generosos 16 GB de memória interna. Outros elementos que em geral ficam protegidos pela tampa foram movidos para outros lugares. O slot do SIM card se encontra num compartimento na lateral esquerda e as inscrições da Anatel e outras informações do tipo na parte inferior, junto com o microfone.

Slot do SIM card.

Slot do SIM card. (Clique para ampliar)

Na traseira, a câmera foi sacrificada para permitir a inclusão do teclado físico sem tornar o E7 um tijolo. Sai de cena a maravilhosa câmera do N8, entra uma bem mediana, com 8 MP, flash dual LED e ausência de foco automático. Qualquer coisa fotografada a menos de ~60 cm fica próximo do imprestável, o que é uma pena, principalmente num equipamento desse porte (e com esse preço).

Embora datada, a interface da câmera oferece diversos controles manuais, como exposição, balanço de branco etc. Junto à geolocalização, recurso já antigo nas fotografias de smartphones, o E7 também traz detecção de rostos. E depois de fotografadas, é possível editar imagens e vídeos direto no aparelho, graças aos programas de edição nativos que a Nokia incluiu.

Algumas imagens tiradas com o E7 (clique para nas miniaturas ampliá-las):

Na filmagem, o E7 se recupera um pouco. Sua câmera faz vídeos em alta definição (720p) a 25 fps, com estabilização de imagem — não muito potente, acho eu. Em condições favoráveis os vídeos ficam muito bons para uma câmera de celular, embora as imagens sofram do problema de parecerem meio “lavadas”, como as fotografias. Isso pode ser corrigido com uma boa pós-produção, ou ainda aventurando-se nos controles manuais, mas é muito melhor e mais conveniente quando a própria câmera entrega tudo de pronto, automaticamente.

Confira um exemplo de vídeo feito com o E7:

De resto, o E7 se apresenta com todos os predicados comuns a qualquer smartphone topo de linha. Wi-Fi b/g/n, acelerômetro, bússola digital, microfone dedicado para cancelamento ativo de ruídos, Bluetooth 3.0 com A2DP, GPS e conectividade GSM quadriband (850/900/1800/1900) e HSDPA pentaband (!) (850/900/1700/1900/2100). Na frente, ainda conta com sensor de proximidade e câmera frontal.

No software, o velho Symbian…

O E7 é movido pelo Symbian^3, uma versão melhorada e ampliada do S60 5th Edition do N97 e tantos outros smartphones Nokia com touchscreen que o precederam.

Há avanços visíveis, mas não o suficiente para tirar aquela sensação de que estamos lidando com um aparelho… datado. O problema do Symbian é que ele engessa a experiência de uso com menus redundantes e/ou escondidos, opções em excesso e soluções de interface que, na melhor das hipóteses, não fazem muito sentido — T9 no modo retrato!?

Em modo retrato, teclado touchscreen do E7 é T9.

Em modo retrato, teclado touchscreen do E7 é T9. (Clique para ampliar)

Alguns aplicativos nativos, em especial a interface da câmera e o navegador padrão, parecem ter sido feitos para mostrar como NÃO construir uma interface móvel. O sistema de telas iniciais também não se mostra flexível, com disposição de widgets e ícones baseada em fileiras.

A Ovi Store funciona e, no E7, vem pré-instalada, mas a oferta de (bons) aplicativos é ínfima perto das lojas do iOS e Android. Aliás, não farei mais comparações do tipo porque tornaria o texto muito repetitivo. Em suma, basta dizer que em termos de usabilidade o Symbian ainda não chegou lá.

O (horrível) navegador padrão do Symbian^3.

O (horrível) navegador padrão do Symbian^3. (Clique para ampliar)

Com o Opera Mobile instalado e sem depender tanto de outros aplicativos, porém, ele dá conta do recado. Com o perfil corporativo que tem, o E7 vem pronto para conversar com servidores comuns em empresas, como Exchange e Share Point (sem contar em serviços populares, como Hotmail e Gmail), traz leitor de arquivos PDF e uma licença completa do QuickOffice, para visualizar e editar arquivos do Word, Excel e PowerPoint. O leque de aplicativos pré-instalados ainda inclui o F-Secure (um antivírus), cliente de redes sociais (Twitter e Facebook), o sempre ótimo Ovi Mapas, além dos já citados editores de vídeo e imagem.

Como o Symbian não é só desvantagem, ele é leve e bastante otimizado para o hardware do E7. Com um processador ARM 11 de 680 MHz, uma aceleradora gráfica Broadcom BCM2727 e 256 MB de memória, fosse o Android o sistema a movê-lo teríamos sérios problemas de desempenho. Porém, com o Symbian^3 tudo corre de forma bastante fluída e rápida. Mesmo jogos, como os Angry Birds, rodam suave aqui. A única ressalva é que, pela baixa disponibilidade de RAM, com muitos aplicativos abertos há algumas travadas. Nada drástico e, mesmo assim, só perceptível quando o usuário de fato quer judiar do equipamento, abrindo trocentos aplicativos simultaneamente.

Sendo econômico em processamento e com muito preto na sua interface, a autonomia da bateria (1200 mAh) não é tão generosa quanto a dos antigos Nseries com S60 3rd Edition, mas faz bonito frente a qualquer smartphone moderno. Com navegação e fotografia moderadas e algumas ligações rápidas esporádicas, aguenta sem sustos até quatro dias longe da tomada. E por falar em ligação (apesar de tudo, ainda é um telefone), a qualidade do áudio é o que se espera de um Nokia topo de linha: muito boa.

Conclusão

Antes, nossa já tradicional análise em vídeo:

Dá um aperto no peito ver um hardware soberbo como o do E7 ser ofuscado por um sistema operacional fraco como o Symbian^3. A Nokia pode ter se esforçado para melhorar o sistema, mas não deu. Em termos absolutos, as especificações do E7 não deixam a desejar em praticamente nenhum aspecto. Ele é bonito, bem construído e conta inclusive com recursos difíceis de serem vistos por aí, como a entrada USB que aceita acessórios.

Entretanto, é como comentamos no início do texto: hoje, não é só o hardware, ou só o software, que faz o sucesso de um smartphone. Outras empresas nos “acostumaram mal”, de modo que além de hardware e software em sintonia, esperamos um ecossistema por trás que suporte toda uma gama de atividades e recursos. E desses três pilares o E7, infelizmente, só se mostra no mesmo nível de outros smartphones de ponta no hardware. O Symbian é fraco e a Ovi… melhor nem comentar.

Detalhe no mecanismo de abertura do teclado físico.

Detalhe no mecanismo de abertura do teclado físico. (Clique para ampliar)

Por essas e outras, e coloque uma ênfase enorme na parceria Nokia-Microsoft e a vinda do Windows Phone para o catálogo da Nokia, o E7 é um aparelho para um público bem restrito, sem muitas expectativas. O preço sugerido, R$ 1.599 no Brasil, também não ajudará na popularização do modelo. Aquele que preza, acima de tudo, por excelência em hardware, não liga para aplicativos e está acostumado com o jeitão espartano do Symbian, gente que até hoje não se desfez do E71, poderá se dar bem com o E7. Com a farta variedade de concorrentes que temos nos últimos anos, esse perfil, todavia, tende a ser cada vez mais raro de ser encontrado…

Pontos fortes: acabamento de primeira; Tela grande, bonita e responsiva; Teclado QWERTY super confortável; aplicativos úteis (QuickOffice, Ovi Mapas) pré-instalados.

Pontos fracos: Symbian^3 cheio de incongruências e problemas de usabilidade; Câmera sem foco automático; peso um pouco incômodo.

Nota final: 7,0.

Relacionados: , , , , , ,

Autor: Rodrigo Ghedin

Blogger, bacharel em Direito e acadêmico de Sistemas de Informação.

Compartilhar
  • http://www.bolsaebolsasfemininas.com.br fabianopisilva

    Gosto muito deste celular.
    abs.
    http://www.bolsasebolsasfemininas.com.br/

  • Nilson Morais

    Ótimo hardware!

    Ah se fosse Android….

  • peksalvo

    “Por outro lado, é um pouco pesado com *suas* 176 gramas. ”

    muda esse “suas” pro masculino ae, você tá falando de peso, não de mato

    • luan176

      @peksalvo, Matando Português no grito!

    • The Pretender

      @peksalvo, rsrsrr, então, se é pra corrigir, lembremos que grama é MASSA. Peso mesmo, é Newton (força peso), e não grama.

  • Saint-Clair Stockler

    Esse hardware todo com Windows Phone 7 ia ficar supimpa! 😀

    • Saint-Clair Stockler

      (Não, não ia: acabei de me lembrar que o WP7 precisa de um processador com 1GHz pra rodar…)

  • http://www.google.com/profiles/adailtonba2 adailtonba2

    É realmente um sonho. Bem mais que o N8 por causa do teclado.
    Mas ainda acho o preço alto demais…

  • diego.diego

    Ninguém supera a Nokia a nível de hardware, depois de se acostumar ao qwerty você digita tão rapido como num teclado de computador, mas é o único ponto positivo de um que devia oferecer mais, eu tenho o n97 mini e sei que nao vou me adaptar a digitar diretamente na tela em relação ao Galaxy S que planejo comprar, por outro lado quando olhar para a experiencia de usuário no trio fluidez,facilidade e aplicativos logo esqueço desse “detalhe”.

    Por outro lado, ainda é minoria as pessoas que prestam atenção no todo ao comprar um smartphone, e a Nokia ainda tem nome, meu padrasto me vive perguntando quando chega o N8 na loja onde trabalho e provavelmente vai comprar para fazer exatamente o mesmo no e n73 que tem, fazer chamadas e usar o despertador.

    • RodKenobi

      @diego.diego, “depois de se acostumar ao qwerty você digita tão rapido como num teclado de computador”

      Só se você for bem lento no teclado de computador =P Jamais um teclado de celular vai ser equivalente a um que você pode usar potencialmente todos os dedos.

    • peksalvo

      @diego.diego, fiz +- o que você pretende migrando de um N900 pra um Atrix, e acho que se você usar o swype você vai conseguir escrever rápido nele também.

      BTW excelente teclado desse celular, eu dei uma mexidinha nele na nokia store do Eldorado e foi o melhor que eu já tive a oportunidade de mexer mesmo.

  • http://leobetosouza.com/ leobetosouza

    É… quando a Nokia tiver fazendo smartphones com WP7 os Androids vão tremer…

  • Marcelo13

    É como montar uma super maquina e instalar o Windows 3.1

    • Saint-Clair Stockler

      @Marcelo13, boa analogia! 😀

  • http://www.csrenan.com Renan the Geek

    Eu não teria problemas com um modo de uso em formato retrato, e acho que 16 gb é pouco (espaço é que nem dinheiro, quanto mais você tem, mais quer). De resto, acho que minhas impressões seriam as mesmas, com um aparelho desses nas mãos. Excelente resenha, e uma pena que tanto desenvolvimento em hardware não atinja seu brilho máximo por causa do software.

  • lucas.cavalheiro

    Eu só discordo de uma afirmação do texto:

    “Como o Symbian não é só desvantagem, ele é leve e bastante otimizado para o hardware do E7. Com um processador ARM 11 de 680 MHz, uma aceleradora gráfica Broadcom BCM2727 e 256 MB de memória, fosse o Android o sistema a movê-lo teríamos sérios problemas de desempenho.”

    Essa configuração é melhor do que a de um Galaxy 5, que roda – e bastante bem – Android.

    No mais, eu me pergunto:

    o que levaria uma pessoa a comprar um smartphone com symbian? (pergunta séria, não é deboche)

    • http://anakinpendragon.wordpress.com anakinpendragon

      @lucas.cavalheiro, a empresa aposta naqueles usuarios totalmente leigos sobre sistema operacional de smart phones, e aposta em vendedores espertos que sabem um pouco de hardware e com boa labia. Mas infelizmente para eles o boca a boca esta muito forte hoje em dia, e depois de mim, pelo menos 4 pessoas compraram celular com Android por minha indicação. Iphone é legal, mas eu não recomendo pra ninguém, pois meus amigos não tem tanto dinheiro assim.

      Agora é esperar pra ver se os celulares com Windows phone vão ter preço alto igual ao Iphone, se for, já nasceram mortos pra mim, pois se tiverem esse preço todo, sem o sistema de distorção da realidade do stevie jobs, vão ser igual ao zune, podia fazer a mesma coisa, mas ninguém comprava.

      Uma coisa que as pessoas não estavam acostumadas no seu celular, mas é a maior vantagem dos smart phones modernos é a loja de aplicativos, e pra mim o Android ainda vai ser a melhor escolha pra muita gente pela quantidade enorme de bons aplicativos gratuitos. O symbian, quase morrendo não vai ter melhora na sua loja de aplicativos, o Windows mobile vai demorar um pouco pra ter uma loja tão grande quanto do Iphone, a não ser que se torne compativel com java , igual fez o Android, oque acho que não é sua estrategia, já que eles querem empurrar o .net mobile.

      O negocio e aguardar os proximos capitulos dessa novela e ver se o meego vai morrer na praia também, graças ao Ceo da Nokia ser um ex funcionario da Microsoft e entusiasta dos seus produtos ( resumindo, acho que ele esta ganhando uma por fora, depois de ver oque o meego pode fazer)

      • Saint-Clair Stockler

        @anakinpendragon, você falou tudo! Acho engraçado que o povo fala em “iPhone” como se estivesse falando de um troço que vende a 3 mirréis na esquina. O iPhone está MUITO distante da realidade da esmagadora maioria dos brasileiros (eu incluído), mas pelo jeito os aficcionados de tecnologia estão montados na grana (menos eu). Poucos dos meus amigos teriam condições de ter um iPhone. Meus alunos todos têm, mas é que eles são da elite carioca… Enfim, outro papo. Mas, de modo algum, o iPhone é algo que é “comum” à nossa realidade terceiro(i)mundista.

        Aliás, parece que até mesmo a Apple já percebeu isso, uma vez que rumores dão conta de que ela está projetando um iPhone mais “simples” para ser comercializado em países emergentes.

        Sinceramente? O Android pode ainda ter seus defeitos e precisar de algumas aparadas de arestas, mas atualmente, ao meu ver, é o mais indicado para a maior parte das pessoas no Brasil que querem um smartphone.

        O Windows Phone 7, se a gente pensar em suas configurações mínimas, pelo jeito não vai sair assim tão “em conta” como estamos esperando, não… A não ser, claro, que a Nokia, com toda a sua expertise, produza um milagre – o que acho até possível. Boto fé na Nokia! Os próximos meses vão ser interessantes, temos de ficar acompanhando o desenrolar dessa história toda. A batalha dos sistemas operacionais para smartphones está apenas começando… 😀

      • Saint-Clair Stockler

        @anakinpendragon, e por falar no WP7 da Nokia, olha ele aí:

        http://www.gizmodo.com.br/conteudo/este-e-o-primeiro-windows-phone-da-nokia

        😀

        P.s.: Pelas configurações, já sei que vai ser uns 1500 reais. Por baixo! O_o’

    • http://www.rodrigoghedin.com.br Rodrigo Ghedin

      @lucas.cavalheiro, você tira que o Symbian é mais amigo do processador pelo Angry Birds. No Galaxy 5, mesmo com resolução da tela bem menor, o jogo é recheado de travadinhas. Já no E7 roda liso, liso.

      []’s!

    • marcosalex

      @lucas.cavalheiro, bom, eu vou contra a maré e gosto muito do Symbian. De vantagem, ele é o mais leve e rápido de todos os SOs, a bateria com ele dura muito mais e o Ovi Maps pra mim é imbatível.

      Como não curto muito joguinhos e uso poucos aplicativos no celular, as limitações do Symbian não chegaram a me atingir até agora. O Symbian^3 seria um bom concorrente do Android 1.0 ou do primeiro iOS (na época chamava iPhone OS), mas se compara-lo ao Symbian “clássico”, foi um salto muito grande sem perder a compatibilidade.

      Só não comprei o N8 porque a Nokia continua lenta pra desenvolver seu SO, as melhorias que já fez no Symbian^3 não foram disponibilizadas no modelo antigo, ele está fadado a morrer e só está esquentando o mercado até a MS conseguir finalizar os novos aparelhos.

      • Jos-El

        @marcosalex, Engano das pessoas pensarem que só usuários que não entendem nada dos sistemas operacionais de celular compram Symbian. Ainda gosto do sistema e meu atual aparelho é um Symbian. Tenho noção de que ele tem pontos fracos (como todos os sistemas), mas ele me atende muito bem.

        A única coisa que me impediria de adquirir um Symbian hoje é a morte anunciada do sistema e as recentes cagadas da Nokia. Como que com um MeeGo tão redondinho no forno eles me enfiam WP7 nos aparelhos? Meu aparelho atual ainda vai me servir pelo menos até o ano que vem. Até lá vejo o que eu faço, mas dificilmente irei de IOS. Android só se eu puder pegar um Nexus, de resto só me resta WP7 mesmo…

        • lucas.cavalheiro

          @Jos-El,

          Pois justamente por isso eu fiz a pergunta de “por que se compra symbian?”.

          Porque se compra iPhones: porque é bom.
          Porque se compra Androids: porque é bom e mais barato.

          Não sei o preço desse e7, mas há opções melhores e mais baratas no mercado. Não tenho dúvidas disso.

  • csrocha

    Resolução 640×360, câmera foco fixo… ah, saudades do N900, que vendi recentemente. Android, nem pensar: é muita atualização em tão pouco tempo pro meu gosto.

    Estou pensando no N9, mas tudo indica que vou comprar outro N900 mesmo, pois definitivamente não me adapto a teclado virtual.

  • http://www.yoomp.com rodrigofante

    Eu gostei bastante do hardware, muito bem acabado, nisso a Nokia é matadora, o software embora ultrapassado é aceitável, mas o preço não é compatível com a experiência oferecida, sério, uma smart desse por mais de 1k é um roubo.

  • danny_pingo

    640 x 360, volte depois !
    1.599, volte depois !

    Existem aparelhos mais indicados com outros OS com preço em torno de 1000 reais.

    Danny.

  • luan176

    Pergunta: Porque todo mundo critica o Symbian? Porque ele é um atraso de vida assim?

    • http://www.rodrigoghedin.com.br Rodrigo Ghedin

      @luan176, porque é fraquíssimo comparado ao Android/iOS/Windows Phone. Interface pouco intuitiva, usabilidade fraca, pouca disponibilidade de aplicativos.

      []’s!

  • http://wallysou.com/ wallysou

    olá, Ghedin, blz?
    olha, estou babando pra ver um “hands-on” teu do E6 a ser lançado (que seria o E72 turbinado, com o S Belle) e o novíssimo N9… quero ver o comportamento e desempenho do Meego, como consumo de bateria, pois os atuais são vorazes consumidores – literalmente – de bateria.
    abs, e parabéns pelos posts de qualidade que vc tem publicado.
    wally.

    • http://www.rodrigoghedin.com.br Rodrigo Ghedin

      @wallysou, valeu! :-)

      Estou em contato com a assessoria da Nokia para testar outros smartphones da empresa. E quando o N9 sair, certamente “entrarei na fila” para brincar alguns dias com um, hehe!

      []’s!

      • Saint-Clair Stockler

        @Ghedin, como sugestão, você podia entrar em contato também com a Samsung pra testar os novos aparelhos dela, né? (E com as demais marcas, too). Seus reviews são ótimos!

      • http://wallysou.com/ wallysou

        @Rodrigo Ghedin,
        opa,
        olha, além da qualidade dos posts, destaco e admiro sua humildade, continue assim q vc vai longe, quer dizer: ainda mais longe!

        =o)

        abs,

  • http://www.dirriba.tk dirriba

    Já comentei o fato a meus seguidores no twitter e volto a dizer aqui depois que fui a uma loja de uma grande operadora de celular, que tem algo ligado a luz (dica ;), – pois não to $$$ pra propaganda e já tenho várias críticas a mesma pra ficar divulgando sua marca). Loja esta que destaco era própria para ver modelos de Smarts para aposentar o meu N85.

    Passei o que desejava para o “analista” vendedor e deixei claro que queria pelo menos os recursos que já tinha embarcado no meu N85 (que pode não ser uma brastemp, mas cumpre bem o serviço) tais como GPS, Quadriband, 3g… o vendedor após ouvir minhas necessidades e o que buscava foi em busca das opções que poderia me oferecer.

    Estava lá diversos marcas com o SO embarcado android, o iphone etc…mas notei uma ausência (relevante) e perguntei ué vc não vai me mostrar nenhum Nokia?
    O “analista” vendedor disse categoricamente vc quer um celular que tem um SO symbiam sem tantos apps e que o @Cardoso (!!!) não aprova?

    Fiquei impressionado com o fato do “analista” vendedor saber quem é o Cardoso e suas opiniões sobre os SOs embarcados nos celulares, e usar como argumento de venda (afinal ele não sabia que eu tinha ciência de quem é o Cardoso e suas opiniões ehhe).

  • Irvapoa

    Rodrigo, preciso deum smart que comporte caneta, edite word e seja touch e a bateria seja duravel. Quero que tenha o aplicativo ”notes” que reconheça a es crita com a caneta. Logico que tem que ter 3g, gps e nao custe mais de 1.000. oque vc recomenda?

  • Irvapoa

    Rodrigo, preciso deum smart que comporte caneta, edite word e seja touch e a bateria seja duravel. Quero que tenha o aplicativo ”notes” que reconheça a es crita com a caneta. Logico que tem que ter 3g, gps e nao custe mais de 1.000. oque vc recomenda?

  • http://www.facebook.com/people/Freddy-Frann/100002518264309 Freddy Frann

    Por enquanto fikarei com meu maravilhoso Nokia N95 8GB q nunca me deixo na mao… Pra fikar perfect, so falto a nokia disponibilizar o Ovi Maps gratuito para ele, e dar uma pekena atualizada no SO. De resto, meu N95 com Symbian nunca me deixo na mao.

  • http://www.facebook.com/people/Willer-Vieira/100001338753954 Willer Vieira

    o maior problema e a baixa memoria. eu tnho um n900 a q ta dando problemas, acho q vou acabar comprando outro igual, pois nao encontro um melhor.

  • http://pulse.yahoo.com/_PAXELWLC3KSIWVIURUHDYZKB3Y Alberto Carlos Pimenta

    TANTA DISCUSSOES A RESPEITO DO SYMBIAM,ENTAO CHEGO A CONCLUSAO QUE MEU ANDROID ESTA NO TOPO NE!! MEU SANSUMG S2 TELA AMOLED PLUS DUO CORE E IMBATIVEL…!!!!

  • http://www.facebook.com/mateus.espontaneo Mateus Vasconcellos

    os jogos são o mesmo do android? tem abduction? tem agry birds?

  • carlos vanin

    Quase todo mundo odiava o Macintosh, não tinha muitos jogos nem aplicativos, hoje acontece o mesmo com a Nokia e seu sistema Symbian, porem hoje se junta a Microsoft como fez a Apple. No futuro ainda podemos ver Symbian em PC’s e o Android se multiplicando sem controle como Gentoodroid, Licorysdroid, Debiandroid, RedHatdroid, Kurumindroid, etc…

  • http://www.facebook.com/people/Rogério-Alberto-de-Sousa/100002330814040 Rogério Alberto de Sousa

    Bom, só lamento muito pelo Meego. Como estão dizendo nas outras postagens, o Symbian sempre foi mais amigo do hardware do que o Android, e a Nokia conseguiu fazer o mesmo com o Meego, utilizando a mesma base do Android que é o Linux. Analisando as demostrações do N9 posso dizer que o que o Meego faz com que um hardware praticamente igual ao Motorola Defy (o n9 tem mesmo processador e GPU que esse motorola) seja tão rápido quanto o celular mais top utilizando Android (Galaxy SII e Atrix).

    O N9 roda Galaxy on Fire 2 (um dos, ou o mais pesado dos jogos de celular atual) tão liso quanto num celular com chipset Tegra 2 (Dual Core, a Atrix).

    Uma pena mesmo um sistema tão redondo e bom ter uma morte tão prematura. Se ele pegasse iria matar o Android com certeza.

  • http://www.facebook.com/people/Péricles-Mikhael-Portes-Teixeira/100002798391937 Péricles Mikhael Portes Teixei

    realmente é uma pena ter de ter saudade de umç produto faz um ano que foi lançado, sou aficcionado pelos nokia serie N,e também este modelo E7….. estes apps, em sua maioria são de uma imbecilidade,e inutilidade impressionantes….. foi o boca boca maledicente, que destruiu a reputação do simbiam,,,,,,A nokia criava produtos para ADULTOS, agora fabricará para crianças e adolescentes…. ps o pouco que jogo é numa tela led de 47″ e não em uma de 3.5″…. faz diferença…

  • Karoline barbero da silva

    bom mes que vem eu vou ganhar uma nokia e7 mais eu queria saber se ele tem mesmo word,o excel etc
    é verdade que ele tambem da para ter uma internet no celular que da para passar essa internet para o computador ?

  • http://www.facebook.com/thiagojuliana.luchiari Thiago Juliana Luchiari

    TENHO O E7… SEM PROBLEMAS, USO A MAIORIA DOS RECURSOS. ESTOU USANDO O SOFTWARE BELLE, BEM MELHOR DO Q VEM NELE!

  • Yan Bauer

    Meu E7 acabou de chegar da Alemanha, cheirinho de novo.
    Porém no menu não achei o idioma português BR tão pouco o PT… minha dúvida agora é como faço pra mudar o idioma?! Já dei uma olhada de relance no site da NOKIA e não encontrei nada sobre o assunto…