Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

The Android for the rest of us…

Por em 30 de dezembro de 2010
emComputação móvel Mercado relacionados  
Mais textos de:

  • http://c2games.wordpress.com marcoc2

    Possivelmente com uma tela resistiva

    • Marcellus Pereira

      @marcoc2, muito possivelmente.

  • ericksonleon

    Hoje quando a gente pega um destes “similares”, o simples toque revela um produto inferior, rústico, que em nada se compara a um aparelho normal – sei disto porque minha chefe tem um. Ao escolher um celular de fabricantes renomadas, além do aparelho, escolhemos certa segurança, suporte, isto é, confiabilidade; o que certamente não nos inspiram as cópias. Porém, isto pode aos poucos modificar-se, e, ao produzir um equipamento de menor custo, venham smartphones genéricos a se tornarem competitivos frente às grandes empresas. Não sou eu quem vai pagar por este desenvolvimento, pois sou um tanto rigoroso na escolha de meus gadgets, mas não descarto a importância destes produtos haja vista que nesta faixa de preço apenas são oferecidos pelas marcas tradicionais os dumbphones, e um aparelho que incorpore maior versatilidade encontrará certamente uma demanda inexplorada.

  • Edu Lacerda

    Receita: Tela resistiva ou capacitiva não tão boa + processador e GPU de uma ou duas gerações passadas + outros componentes de qualidade duvidosa.

  • 1berto

    Não vejo dificuldade, se você não levar tanto em conta a qualidade em termos de hardware estes xingues atuais já são bem ‘parrudos’, os principais gargalos vao ser processador e memória… Mas nenhum absurdo não… Ai a coisa pode ficar interessante, pode ser um Openmoko pirata ao invés de livre…

  • The Pretender

    Bom.
    .
    Tenho um Kaiomy AEGIS 1183 aqui comigo. Windows Mobile 6.1, processador de 460MHz AMR, 128MB de memória e por ai vai. Paguei 260 reais nele com cartão de 8GB no PY.
    Um ótimo aparelho, inclusive fiz um pequeno Review dele que esta no Guia do Hardware.NET (quem quiser conferir, de uma busca, é fácil achar).
    .
    A qualidade do aparelho não é tão ruim. O meu já caiu no chão umas 3 vezes. E adivinhem, está inteiro. Devido ao tipo de carenágem plástica, ele não está arranhado, a tela é resistiva mas funciona razoavelmente bem, da para usar numa boa, e o desempenho geral do sistema é bom, consigo assistir muitos tipos de vídeo SEM CONVERSÃO direto no aparelho. A bateria dura até 8 dias com pouco uso, e em média 1 dia de uso intensivo (utilizando transmissor de dados).
    .
    Comparando diretamente com outros aparelhos, a 1 ano atrás quando comprei ele, eu não acharia um Smartphone por menos de 799 reais (Nokia E71, na época). Pelo preço que paguei, somente telefones comuns mesmo. E por sinal, um amigo meu já levou o Nokia ExpressMusic dele umas 4 vezes na assistência técnica no último ano devido a defeitos por queda..
    .
    Realmente, tem muito XingPhone ruim pra burro (e ruim mesmo), 95% é lixo. Mas você consegue achar algo decente se procurar bem, e com preços bem competitivos. Este Kaiomy era um que podia, na época, vir com Android 1.5/1.6, ele tem processamento suficiente pra isso.

    • The Pretender

      @The Pretender, maldita falta do editar… Processador ARM, e não AMR hehehehe

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=1380331787 William Yamakawa

    Eu acho que um celular que tenha teclado (físico ou virtual) que seja fácil de digitar já supre as exigências da maioria dos consumidores de celulares xing-ling. O que a maioria quer mesmo é mandar torpedo e acessar redes sociais.

    Mesmo porque conheço várias pessoas com smartphones (Android e Symbian) que nunca instalaram aplicativos pelas lojas.

  • Dreadful

    Que venham os droids safados, desbloqueados e atualizáveis que ajudarão a baratear o mercado e forçarão os fabricantes malvados a atualizar seus telefones decentemente.

  • Saint-Clair Stockler

    Meu irmão diz que os chineses só não produzem aparelhos tão bons quanto os da Nokia, Samsung, SonyEricsson, etc., porque não querem. A questão não é mais de know how, pois são eles que fabricam os aparelhos topos de linha que todos nós amamos e/ou queremos, das grandes marcas mundiais. A questão, atualmente, claro, é meramente financeira e um tantinho “filosófica”. Se eles entenderem que se passassem a fazer bons aparelhos (não deixando os porcarias de lado, claro, rsrsrs) conquistariam um outro imenso mercado, muita empresa grande por aí tremeria nas bases…

  • 1berto

    A diferença de preço geralmente é relacionada a detalhes de acabamento, adequação a legislação, impostos, etc.
    Além de usarem componentes que não passaram em controle de qualidade tão exigente.

    • artszer

      @1berto, E provavelmente você vai ter um smartphone com no máximo edge, nada de 3G. :)

  • Max Power

    Eles já fazem tablets que rodam Android (1.6) porque não celulares?