Digital Drops Blog de Brinquedo

Vazam especificações de hardware do Nintendo Revolution

Por em 31 de março de 2006
emArtigo Games Hardware Indústria
Mais textos de:

  • http://[email protected] Anônimo

    O Revolution vai ser o console mais barato, o Iwata – presidente da Nintendo – já disse que os jogos não custarão mais do que $50. Com o preço baixo eles esperam que o Revolution seja o segundo console dos jogadores mais hardcore, e também que consiga atrair jogadores casuais.

    O Xbox 360 e PS3 darão para os jogadores o que eles vem recebendo desde 96, mais do mesmo. São hardwares muito mais potentes do que os antecessores mas não inovam em mais nada. A Nintendo pretende com o Revolution mudar o jeito que se jogam video-games.

    Particularmente sou fã da Nintendo, ele sabem como fazer video-games e já mostraram com o DS que quebrar o padrão das coisas com boas idéias dá certo. Torço pra que o Revolution seja um sucesso e que a Nintendo mude mais uma vez a história dos video-games como fez ao lançar o Famicom/NES.

  • http://[email protected] Anônimo

    Ah, e o Revolution não trará HD mas dará suporte a dispositivos de armazenamento externo através das portas USB.

  • http://[email protected] Anônimo

    Só um detalhe, o Emotion Engine do PS2 é SONY/Toshiba e GPU é Toshiba.

    No PS3, o CELL está especificado como 3,2GHz, a não ser que ocorra uma alteração até o lançamento, será esse o “clock” do processador.

  • http://[email protected] Anônimo

    O cenário será assim:

    - Sony e Microsoft – Grandes jogos com gráficos magníficos, som e imagem de cinema, projetos demorados e com custo estimado em 25 milhões de dólares, jogos vendidos a 60 dólares.
    - Nintendo – Aposta na experiência de jogo através do controle, agregando maior diversão e interatividade aos jogos, projetos rápidos e que devem ser inovadores, custo de um projeto na casa dos 5 milhões, preço dos jogos 50 dólares.

    Gráficos não ganham batalhas, é só ver o DS contra o PSP, mas será que o REV vai conseguir provar isso novamente?

  • http://[email protected] Anônimo

    Gosto muito da Nintendo, mas fico com medo dessa revolução. Afinal de contas, porque não unir as duas coisas, um hardware potente com jogos interessantes? Assim ela poderia lançar jogos que agradariam a todos os gostos. Aumentando ainda mais a sua participação no mercado.

  • http://[email protected] Anônimo

    “Em 2004 o então presidente da Nintendo, Hiroshi Yamauchi, disse que a empresa não achava que uma nova geração de consoles era necessária. Para a Big N os consoles existentes na época (Game Cube, PS 2 e XBox) tinham um hardware rápido o bastante para a jogabilidade exigida pelo mercado. Como prova a Nintendo citava o Resident Evil 4, um dos jogos mais estonteantes de sua geração e que foi desenvolvido do zero para o Game Cube e portado para as outras máquinas depois.”
    Creio que a citação acima seja muito pertinente e possa re repetir nesse geração de consoles.

  • http://[email protected] Anônimo

    É uma estratégia arriscada mas que pode dar certo, já houvi comentários que é dificil pra C* programar jogos para o PS3, e que o kit de desemvolvimento nem tinha chegado para as fabricantes de jogos, eu joguei muito super nintendo, era o melhor da época. Aliás num pais como o Brasil a estratégica pode vingar mais ainda.. já que o povo daqui tem menor poder aquisitivo.

  • http://[email protected] Anônimo

    Se for pra mim comrpar um video game nextgen será o revolution
    pois eu sinto muitas saudades dos jogos simples e divertidos

  • http://[email protected] Anônimo

    Duas pequenas correções:

    1) As especificações podem não ser as reais… ok, ok, a IGN que publicou, mas pode ser de um protótipo do Revo ou algo assim…
    2) O Revo terá 512MB de memória flash pra guardar saves e ROMs dos emuladores.

    Mesmo que essas sejam as especificações finais, eu entendo a Nintendo – ela se preocupou muito mais em revolucionar o modo de jogar do que com o poder do console – e levando em conta que o Revo deve custar uns U$$199/249 é bem interessante.

    O problema é com os jogos multiplataforma… as produtoras vão penar pra fazer eles rodam no Revo (Ou vão fazer versões adaptadas – como no DS)

  • http://[email protected] Anônimo

    O Resident Evil 4 só foiportado para o PS2, nenhum outro.

    Mas o que preocupa nessa próxima geração é que a diferença é grande demais desta vez. Pelos specs divulgados, parece só um Gamecube um pouco evoluído.

    Bom, por isso que digo que provavelmente vai vender bem comoo segundo console de alguém que já tenha um 360 ou PS3… Não acho que os saudosos por jogos mais simples sejam maioria – e mesmo assim a Sony já atacou no segmento. Jogos como Viewtiful Joe, Ape Escape 3, We Love Katamari e até o Shadow of The Colossus são mais simples de controlar que muitos jogos de Super NES. Até God of War é fácil, é um esquema de controle parecido com Castlevania do Super NES, e não te deixar perdido que nem muito jogo 3d por aí.

  • http://[email protected] Anônimo

    A revolution vai bombar o mercado com o seu sistema revulucionário mas tenho medo que o pessoal opte p’las “potentes” pois deverão recear o seu fracasso ou sucesso

  • http://[email protected] Anônimo

    …as pessoas parecem ratos de laboratórios nas mãos de grandes empresas…
    Nintendo VS Sony
    AMD VS Intel
    Nvidia VS ATI…
    …que tosco…

  • http://[email protected] Anônimo

    Falando sério amigos o que importa são excelentes jogos graficos ficam em segundo plano e pra que um aparelho que roda tudo dvd blue ray um monte de coisas e se quebrar vc fica sem nada o revolution tem tudo para agradar o publico brasileiro popis custa pouco e inova no modo de jogar espero se o governo cortar os impostos tenho certeza que vai ser lançado aki eu compraria um rev.
    playstation e xbox360 só para quem tem poder aquisitivo alto

  • http://[email protected] Anônimo

    Penso que criatividade é a grande questão. Considero que potência de hardware é importante, mas se a Nintendo souber trabalhar com o que possui – com certeza obterá sucesso. E, concordo com Bill Gates, no que diz respeito a faixa etária de jogos: A Nintendo só peca no exagero de títulos lançados para crianças e adolescentes, esquecendo-se do público adulto.

  • http://[email protected] Anônimo

    Infelizmente potencia dita a regra e a imaginação dos programadores que farão os jogos. Não tem geito que tiver mais potencia tera mais recursos para fazer jogos e por consequencia a qualidade sera melhor, sendo assim, neste quesito 10 a 0 para sony.

  • http://[email protected] Anônimo

    Ele é D+