Tethering entre a sua câmera e o iPad

Alguns lançamentos atraem toda um horda de haters e não consigo pensar em um dos mais recentes que não seja o iPad.

Mas como dizia minha avó, inteligência e curiosidade geram conhecimento — e conhecimento nunca será o bastante. Para quem é afim de explorar novas maneiras de usar as mesmas coisas, o pessoal do FStoppers.com publicou um material bastante interessante envolvendo a sua câmera e o iPad.

Posso dizer sem susto que o FStoppers é um site que sigo praticamente todo dia. Trata-se de um grupo liderado por Lee Morris que reúne publicações autorais sobre o back-stage do mundo mais profissional de fotografia. Então, fica aqui a dica para um cliquezinho por lá se o assunto tiver algum apelo para você.

O tema: transmitir informações da sua câmera direto para o seu iPad, sem fio, na hora. Como?

Vou apenas listar abaixo a sequência recomendada de passos e os equipamentos; o resto deixo para você concluir a partir do vídeo no final do post.

1) iPad e uma câmera decente
Sem eles, sem nada.

2) Cartão de Memória WiFi
Não é qualquer cartão, mas você tem duas escolhas. A primeira é comprar um Eye-Fi Connect X2 por mais ou menos US$ 45 (R$ 77) ou se você estiver podendo esbanjar um pouco, a versão Pro X2 por US$ 130 (R$ 222). No caso desse último, você não precisa nem fazer o Jailbreak do seu iPad. Como ambos têm o formato SDHC, se a sua câmera só aceita cartões CF você pode então comprar um adaptador como esse até que a Eye-Fi e as outras marcas comecem a fabricar cartões WiFi em outro formato. Se eu fosse você, esperaria isso sentado ou compraria logo de uma vez o adaptador…

3) Jailbreak
Nem vou entrar na peleja de debater o assunto sob qualquer ponto de vista. Para o objeto da matéria, se o iPad não tiver Jailbreak, esqueça. Você já vai entender porque. E ponto.

Dentro do Cydia você deve comprar um app chamado My Wi (já mencionado por leitores aqui que o utilizam para iPhones e iPads). O que ele faz é converter o seu mobile em seu próprio roteador. No caso do iPad/iPhone, um roteador 3G com inúmeras possibilidades. Esse app custa US$ 20 (R$ 35). Vá fazendo somando às contas…

Já dentro da Apple Store mesmo, você vai debitar mais US$ 8 do seu cartão de crédito por uma outra app chamada ShutterSnitch. É ela que vai receber e mostrar as imagens (quase que em tempo real) provenientes da sua câmera direto na tela do iPad quando este hack estiver concluído.

O resto são os passos intuitivamente simples descritos no vídeo. Como podem perceber, não é algo que você junta uns trocadinhos e sai para testar. Essa seria uma informação muito mais direcionada ao uso profissional, de quem dispõe do equipamento ideal e tenha uma real necessidade a ser preenchida pelo investimento.

Dentro deste ponto de vista (pro), tudo aquilo que envolver settings de trabalho em locações (como estúdio, casamentos, eventos, etc) ou então simplesmente a bossa de oferecer ao seu cliente acompanhar o desenvolvimento dos trabalhos e provas em tempo real (e livrar-se de tê-lo olhando por sobre o seu ombro enquanto você trabalha), fotojornalismo e coberturas. Enfim, muita coisa bacana pode derivar da possibilidade de “tetherizar” sua câmera e seu iPad com zero de fios e ali, na hora mesmo. O espaço está aberto para as idéias mais simples e malucas. Normalmente, são as melhores…

Abaixo, Lee Norris e a mutreta toda:

Aqui está o post completo no FStoppers.com.

Relacionados: , , ,

Autor: San Picciarelli

Compartilhar
  • Wallacy

    As vezes acho que tem pessoas que passam na frente da câmera de propósito!

    E bem, quem faz a mágica mesmo é o Eye-Fi, desde que conheci sempre quis comprar um, porém ainda não tenho nenhuma câmera fotográfica boa o suficiente para colocar um cartão desse calibre. É como enfiar um banco de couro em uma carroça.

    A versão pró realmente é surpreendente, cria até uma rede ad-hoc!

    De qualquer forma não seria mais fácil só instalar o aplicativo do Eye-Fi que já está disponível na app store? Ou ainda não saiu para o iPad?

  • http://lorenti.org Gilson Lorenti

    bacana, mas garanto que ele não inventou o fogo e nem descobriu a roda. já trabalhamos ha muito tempo no Brasil com transferência automáticas de arquivos direto para o notebook, tanto via wi-fi quanto por cabo. a vantagem do notebook é que posso salvar essas fotos direto no lightroom, o que já é uma mão na roda na hora de corrigir o balanço de branco. Já usei os cartões Eye Fi em uma igreja durante um casamento e não é essa maravilha toda. Ao lado do iPad como ele estava a coisa é simples. Mas, ao aumentar a distância entre a câmera e a unidade que está recebendo a imagem, a transferência do arquivo demora uma eternidade. Se algo entrar no caminho entre a câmera e o notebook (até mesmo uma pessoa) a transferência pode até travar. Pense agora essa dificuldade transferindo os vários arquivos de 15MB da cobertura de um evento. Porém, em ambiente controlado, como um estúdio, isso é muito bacana. Mas, no meu caso, uma TV de 40 polegadas é muito mais indicada para visualização.

    • hideki

      @Gilson Lorenti, Valeu a dica, já estava procurando no eBay o Eye-Fi para comprar, pois o preços no Mercado Livre estão muito altos, cerca de 400 lulas.

  • Max Power

    Quer dizer que o iPad precisou ser usado em conjunto com outro equipamento para ter utilidade? Sozinho nem pensar, né?
    .
    Poderiam fazer isso com um tablet Android, um notebook ou um celular.
    .
    Bregunta: Porque o rótulo odioso de hater, aqui, só é usado quando se fala mal de um produto da Apple? Quando se fala da Adobe ninguém é hater. Ah, mas ela merece! Merece mas é odiada, pelos “odiadores”.
    Pesposta: Hater é o equivalente polido a chamar alguém de filho da p*** porque não gostou do que leu ou ouviu.

  • gilbras

    Uma facilidade e tanto para fotografos profissionais em ambiente de trabalho!