Ciência
Ciência
Digital Drops Blog de Brinquedo

Bactéria KPC – Sintomas, prevenção e tratamento

Por em 28 de outubro de 2010
emCiência Meio Bit relacionados   
Mais textos de:

Site
  • marcoscs

    quer ficar longe da kpc?
    Não entre em um hospital :)
    Esse é o Meiobit atendendo a todos os públicos, até aos hipocondríacos.

    • tiagodami

      @marcoscs,
      Os Hipocondríacos e aqueles que imaginam que esta bacteria pode ser combatida com nano-robôs.
      AOIuhsaoihdoiuhsaoidhsaoi

      • Catalina_yaneth

        bueno da diarrea jaja dolor de cabeza etc…

  • portugassis

    Geralmente quando entro no Meiobit espero ver posts sobre tecnologia, games e coisas do genêro… mas uma bactéria? AFF…

    • dorivaltn

      @portugassis, O MeioBit passou a englobar Ciência no portfolio de assuntos: http://meiobit.com/35811/meiobit-agora-tambem-cobrindo-cienccia/

    • http://meiobit.com/author/Max_Laguna/ Emanuel Laguna

      @portugassis, ciência também é um assunto abordado no Meio Bit. ;-)

    • breno.caldeira

      @portugassis, eu muito pelo contrário… quando eu comecei a ler o título: “bactéria…” já fui pensando. Que rox! deve ser um novo tipo de bateria, deve ser um novo tipo de lente (n sei pq mas pensei nisso tb) ai completei o título e n era o q pensei =/
      Btw, curti a informação e sei lá, meiobit tb é cultura =)
      Apoio pra este posts bem informativos… não curtiu o título: aperta “B” e pula pro próximo post, muito simples.

    • http://www.dicaswp.com.br Yeltsin Lima

      @portugassis, na verdade, o meio bit é um blog de tecnologia, games, fotografia e ciência: http://meiobit.com/arquivo/meio-bit/ciencia/ :)

      • http://tresvezesf.blogspot.com/ lets2rock

        @Yeltsin Lima, Eu acho que isso beira a ‘trollagem’, ou é, e nem merecia uma resposta sua. Sério, mesmo se fosse um site de qualquer outra coisa, uma ‘notícia’ assim, não seria problema nenhum.

      • adrianajunkes

        @Yeltsin Lima, na verdade essa bactéria é bem mais antiga, meus filhos são gêmeos e prematuros, quando nasceram pegaram infecção por esta bactéria em 1995 em um hospital de Campinas, quando a Unicamp estava fechada para desinfecção tb por infecção hospitalar e eles sofrem consequências até hoje, pois só um único antibiótico faz efeito em outras infecções, realmente é um problema.

  • gouvermxt

    WTF?

  • suematsu01

    Faz até sentido uma notícia dessas no Meio Bit, já que teclados, mouses e outros acessórios que a gente pega na mão (sem malícia) são reduto de bactérias, fungos e outros seres microscópicos nojentos. O que o Lima quis dizer é: lavem bem as mãozinhas antes e depois de usar o computador, seus sujismundos!

    Quem diria que o computador além de vírus, trojans e outras ameaças digitais agora é um reduto potencial para bactérias e vírus letais… Se venderem essa idéia pra algum terrorista, será o fim do mundo (pelo menos da subespécie Homo nerdis).

    • http://www.rodrigoghedin.com.br Rodrigo Ghedin

      @suematsu01, sou neurótico quanto a isso. Após sair da frente do PC, tenho que lavar a mão senão me sinto como se tivesse mexido com terra/areia, com as mãos imundas :-P

      []’s!

      • suematsu01

        @Rodrigo Ghedin, isso sem contar a “massinha” nojenta, mistura de suor, poeira e sujeira das mãos que inevitavelmente junta nas teclas e botões do mouse. Minhas mãos suam pra caramba, e sempre tenho que secar as teclas pra evitar o acúmulo de sujeira.

        Dá nojo usar mouses em teclados de lan houses e laboratórios de computadores, justamente porque a gente vê a sujeira, e ninguém se dá ao trabalho de limpar.

        • http://www.rodrigoghedin.com.br Rodrigo Ghedin

          @suematsu01, sou usuário fiel (e, acho, único) do álcool em gel que a universidade oferece nos corredores do campus. Sério, não toco em nada meu antes de usar o álcool depois de usar os PCs dos laboratórios — e olha que são bem cuidados, nunca vi essas “massinhas” por lá…

          []’s!

          • Max Power

            @Rodrigo Ghedin, eu levo o meu mouse sem fio e estou pensando em comprar um daqueles teclados de borracha. Principalmente depois de ver que muitas pessoas frequentam o banheiro e não lavam as mãos…
            .
            Ultimamente ando com nojo até de dar aperto de mão.

  • fazedordesite

    embora seja um artigo interessante e bem escrito, ficou meio estranho mesmo, mesmo se enquadrando em ciência, ainda sim ficou esquisito ler sobre o assunto aqui.

    • http://www.dicaswp.com.br Yeltsin Lima

      @fazedordesite, foi meio “utilidade pública”. Está saindo muita notícia sobre ela ultimamente e resolvi unir as informações em um só artigo, para evitar boatos e informações falsas sobre a mesma. :)

      • fazedordesite

        @Yeltsin Lima, sim, não disse que sou contra a matéria, apenas estranhei =D

      • Jhonatas

        @Yeltsin Lima, e fez muito bem, obrigado.

  • http://twitter.com/ricardo_mello Ricardo Mello

    Protocolo Bluehand [mode on]

    • http://tresvezesf.blogspot.com/ lets2rock

      @Ricardo Mello, hehehehehe, quase lá!

  • http://www.zergovermind.co.cc Decapattack

    Foi mal, galera. Mas bactéria nova resistente a medicamentos sempre vai existir. Essa KFC não é a primeira nem vai ser a última.

    Para mim é mais uma tentativa de criar pânico transformando um resfriado em pandemia.

    • fazedordesite

      @Decapattack, KFC? http://www.kfc.com/

    • marcoscs

      @Decapattack, KFC é uma droga mesmo….
      Prefiro Mister Pizza.

      • Rodrigo Coimbra

        @marcoscs, KFC nem é tão ruim…

        Mas prefiro o frango à passarinho de mamãe! =D

  • mail.metroid

    Bom ver este tipo de materia no MeioBit, esclarecendo enganos publicados pela midia mainstream

  • http://chantinon.blogspot.com chantinon

    O maior problema é que a mídia é tão bem informada quanto um sapo. Se a KPC é conhecida desde 2008, é bom saber que existem outra muito piores que são conhecidas desde os anos 90. A mais federal de todas essas bactérias fez 30% dos funcionários de um hospital na Inglaterra pedirem pra sair. Como a KPC essa monstra aparece em hospitais, mas na época culparam uma mosca pela transmissão. A vitima tem sua carne devorada de 24 a 48 horas, e nenhum remédio deu jeito. Todos que foram vítimas morreram.
    Causas? Que tal… Superpopulação, hospitais lotados de doentes (isso cria cepas de doenças mais e mais resistentes), remédios que geram excelentes resultados mas agem modificando o DNA – O cara fica sem espinhas na cara mas colabora para a criação de um godzila no bucho. E por ai vai…

  • shiroyashabr

    Fico feliz em ver essa notícia no MeioBit. Aliás, eu estava bem mal informado a respeito da bactéria. Já estava pensando em construir meu abrigo nuclear, achando que a contaminação era como a da gripe, pelo ar. O modo de contaminação dessa bactéria faz com que os estragos não sejam tão grandes. Agora eu vi que é mais fácil evitar a contaminação por essa bactéria do que a gripe. A mídia deveria explicar melhor as coisas, pois assim como eu, muita gente deve estar achando que isso vai se espalhar pelo ar.

  • Diniz

    Apesar das informações desencontradas que a mídia dá e esse caso dessa superbactéria não ser nem novo nem surpreendente ( mas estudar esse mecanismo é lindo) uma coisa me agradou nessa coisa toda.

    Vão, finalmente, colocar alguma regulamentação no uso de antibióticos no Brasil.

    É uma loucura o que se faz aqui!!! Vende-se antibiótico como quem vende anti-ácido! Seguem-se “receitas” de balcão de farmácia dada por um cara que não terminou nem o 2º Grau que passa remédios fortes para combater GRIPES E RESFRIADOS!!! Antibiótico para vírus!!!

    Como dizem, tudo tem dois lados. E por mim essa “superbacteria” poderia ter aparecido antes, beeem antes.

    • http://www.dicaswp.com.br Yeltsin Lima

      @Diniz, isso reduziria mas, não iria acabar com a venda de antibióticos. Pelo simples fato de que, a maioria das farmácias simplesmente não solicita receitas.

      Meu colírio, por exemplo, Xalatan (glaucoma…) é vendido aqui sem receita. Agora, tenta comprar o mesmo colírio nos EUA. Lá beira a frescura (e até agora não sei como vai ser, passar 1 mês sem colírio ou ir para um médico e solicitar uma receita?). :P

  • http://www.rgsolucoes.com gustavocdesouza

    Ótimo post. mesmo tendo gente achando estranho o artigo no MeioBit é sempre válido ler ciencia.

  • http://www.facebook.com/Suelio Suelio Caio

    Esse tipo de doença sempre me assusta. Essa na verdade me assusta mais que a H1N1.

  • diogovivaldini

    Achei muito legal a iniciativa de vocês de fazerem um post a respeito dessa bacteria, mesmo com muita gente achando que não tem nada a ver com o site.

  • gilbras

    capotei esse fds, e o medo de ser a tal bacteria… hehe

  • Max Power

    Muito bom artigo! Vá em frente meu jovem!

  • Bond

    O autor do post, que deve ser um profundo conhecedor de infecções, afirmou: “discordo que a bactéria esteja sob controle”. Parabéns pela análise. O país vai, afinal, ganhar um Nobel!

  • http://nestespequenosmomentos.blogspot.com/ jrventurim

    Primeiramente, parabéns por abordar assuntos científicos relacionados à área médica. Gosto do MeioBit, mas como minha formação não é em TI, me sinto às vezes fora de contexto.

    Vamos lá, sei que chato isso mas … Alguns “errinhos” no texto que são dignos de nota e algumas informações a mais:

    O que é a KPC?
    Klebsiella pneumoniae é o nome (gênero/espécie) de uma bactéria do grupo das enterobactérias, que são Gram-Negativas (ou seja, não se coram pelo método de Gram).

    Carbapenemase é a enzima produzida por algumas Klebsiellas pneumoniae, que acabam sendo selecionadas por pressão seletiva. As bactérias, ao contrário dos vírus, normalmente não se tornam resistentes (embora isto possa ocorrer), são selecionadas os indivíduos resistentes(chamamos de cepas). Esta enzima é capaz de degradar antibióticos da classe dos Carbapenens (Imipenem, Meropenem, Ertapenem).

    Como esta seleção ocorre?
    Os antimicrobianos utilizados “matam” as cepas susceptíveis, no entanto, cepas resistentes tendem a se sobressair com o tempo e a maior pressão seletiva (seleção natural darwiniana, ou neste caso, seleção induzida) tende a fazer com que uma determinada população, desta espécie bacteriana, seja preponderante em um determinado ambiente (hospital, por exemplo).
    Ao lado de ORSA ou MRSA (Staphylococcus aureus ressistentes à Oxacilina ou Meticilina, dependendo do país) e VRE (Enterococcus resistentes à Vancomicina) são as bactérias multi-resistentes de maior relevância mundial e sim, são conhecidas há bastante tempo e não, não há mecanismo de controle exatamente eficaz contra estas bactérias, além dos de praxe: Monitorar as infecções com exames laboratoriais de cultura e teste de sensibilidade aos antimicrobianos; Testes de Biologia Molecular em busca de marcadores genéticos de resistência; Medidas de profilaxia de transmissão de infecções em geral, principalmente em ambiente hospitalar.

    Por que estas bactérias surgem em ambientes hospitalares? Por que sempre infecção hospitalar?
    Por que na verdade não são (só) os antibióticos que “matam” as bactérias. Alguns nem matam as bactérias, apenas impedem sua multiplicação (são bacteriostáticos). É o sistema imunológico o responsável por esta tarefa, os antibióticos agem desequilibrando esta “guerra” em favor do sistema imune, impedindo o surgimento de novos soldados invasores ou diminuindo o número deles.
    Como em hospitais temos muitas pessoas já doentes, muitos com comprometimento imunológico, as doenças tendem a se espelahar com mais facilidade. Além disso, em hospitais o uso de medicamentos antimicrobiano é grande (alguns antibióticos são de uso restrito em ambiente hospitalar) e isto tende a aumentar a pressão seletiva sobre as bactérias.

    São superbactérias?
    Não, não têm superpoderes (ou seja, não apresentam mais virulência ou mais fatores de virulência que outras), apenas possuem a capacidade de transcrever e traduzir uma enzima que lhes confere a capacidades de resistir à ação dos Carbapenens (Imipenem, Meropenem, Ertapenem).

    Como o artigo acima disse, medidas de higiene e de controle de infecção hospitalar (rígida atuação das CCIHs) são mais do que recomendadas em todos os hospitais. Neste aspecto sobressaem-se, principalmente, isolamento dos casos identificados, lavagem das mãos, higienização com álcool a 70º GL, cuidado com roupas, jalecos, aventais e outras indumentárias médicas e hospitalares, pois são importantes vetores de transmissão . O tratamento se basseia no uso de outros antimicrobianos em associações (o problema é que os carbapenens já são parte do chamado arsenal de reserva, que é usado quanto outros antibióticos já são ineficazes por resistência bacteriana).

    Enfim, um sério problema. Na área de sáude já há um consenso se formando, em pesquisa ou em achados clínicos, de que o atual arsenal de antimicrobianos não será mais eficaz em cerca de 10 anos. O grande problema é que os novos anticrobianos que estão em estudo e surgindo são só mais do mesmo, novas versões moleculares dos mesmos grupos de antimicrobianos. Nenhuma nova classe de anticrobiano está em estudo atualmente. Podemos ter, em cerca de 10, talvez 15 anos, um retorno ao mundo pré-penicilina. O que em termos de evolução biológica (do ponto de vista das bactérias, onde gerações duram horas) corresponde a uma era. Nós apenas fomos, para elas, um motivo de E.L.E. em massa por um grande número de gerações.

    Quanto ao controle, na verdade não é possível muito controle sobre estas bactérias. O que pode, e deve, ser feito é um monitoramente rigoroso.

    Um abraço e obrigado, novamente, por abordar este tipo de tema.

  • Adricarvalho_net

    SOU AUXILIAR DE ENFERMAGEM E TIVE CONTATO COM PACIENTE ,QUE ESTAR COM ESSA BACTERIA,PROCUREI E FUI ORIENTADA A TOMAR OS DEVIDOS CUIDADOS ,EXISTE TEMPO DE INCUBAÇÃO ?

  • Marcia-jaques

    muito bom .obrigada

  • Débora Henrique Simões

    EU ESTOU FAZENDO PESQUISA DE CIÊNCIA ESTAVA PESQUISANDO E ENCONTREI TUDO QUE ESTAVA PROCURANDO AGORA VOU GANHA 5,0 PONTOS E PODEREI PASSA DE ANO MUITO OBRIGADO PELA AJUDA NESSE SAITE

  • Viniciustomaz

    ,l l,b,mg,gkg,g

  • Luciana

    quem trabalha na area da saude como recepcionista existe algum risco de contagio uma vez que o paciente ainda não esteja certo da contaminação? o virus fica alojado em superficie? a higiene das mãos com sabão e agua é eficaz?

  • http://www.facebook.com/people/Anaa-Luizaa/100002132849143 Anaa Luizaa

    meu vô morreu com essa bacteria ontem para vizita lo no hospital quando ele ainda era vivo foi necessario colocar luvas e roupas especiais.
    hj em dia vem vez dos proficionais fazerem remedios bom acabam modificando bacterias fazendo os microorganismos sofrerem mutações
    antigamente não existia tantas doenças como agora com hn1 kps a nova doença que é transmitida sexualmente ate quando isso ate quando vão brinca com a gente que nen bricam com ratinhos de laboratoorio sera que não se tocam que são pessoas que são prejudicada com isso .

  • http://www.facebook.com/people/Lusiana-Cardoso/100000442071077 Lusiana Cardoso

    O cuidado com a lavagem das maos é sempre importante

  • Olivares Rocha

    O micróbio não é nada, o terreno é tudo- Louis Pasteur (1822-1895):basta estimular a imunidade e prescindiremos d tantos antibióticos e remédios.Mas ai “alguém” vai deixar de ver $. E justamente É quem mais ganha com nossas doenças.Uma das técnicas p/ estimular a imunidade é a AUTO-HEMOTERAPIA. USO HÁ 5 ANOS E NEM GRIPE PEGO, PROCURE ENTRE CONHECIDOS QUEM USA E APOSTO Q RELATARÁ ESTA SAÚDE Q FALO. SECULAR E MUNDIAL, Ñ CONSTA 1 QUEIXA. E É USADA EM VETERINÁRIA há século

    USAR OZONIZADOR POR 1 HORA NOS AMBIENTES HOSPITALARES (SEM PRECISAR ISOLAR DURANTE A APLICAÇÃO): 100% DE ESTERILIZAÇÃO!
    REPORTAG EM: Pesquisadores da USP provaram a eficácia do ozônio no combate ao KPC – no youtube
    APLICAR AUTO-HEM OTERAPIA COMO PREVENTIVO E COMO TERAPÊUTICA CUMULATIVA,CONCOMITANTE: 0% DE INFECÇÕES HOSPITALARES – Dr. Ricardo Veronesi – Professor emérito da Faculdade de Medicina da USP
    O “problema” destas terapias: ñ se gasta $$$, e mesmo salvando vidas, são proscritas ao -no Brasil

  • gabriela braga

    achei muito legal me ajudou muito hoje e espero que ajude as outras pessoas tb como min ajudou