Nightfall in Middle-Earth — 20 anos depois

Quem diria, e lá se foram 20 anos. Em abril de 1998 a banda alemã Blind Guardian lançou um dos mais icônicos discos do Heavy Metal mundial. Nightfall in Middle-Earth chegou surpreendendo a todos e lançou a banda, que já era bem conhecida, ao estrelato mundial. O Blind Guardian começou sua jornada na estrada do Heavy Metal em 1988 com o lançamento do disco Battalions of Fear. O que tínhamos no disco era o típico power metal rápido e com um vocal esganiçado. Porém, ao longo dos próximos 5 discos a banca evoluiu absurdamente e já em 1995, com o disco Imaginations from the Other Side, encontramos um grupo maduro, extremamente técnico e executando um metal melódico com pitadas progressivas, alguns instrumentos medievais inusitados, fúria indescritível na bateria (cortesia de Thomas “Thomen” Stauch) e um vocalista (Hansi Kürsch) que investiu em estudos e agora era um dos melhores da cena pesada.

Porém, nada havia nos preparado para o lançamento de Nightfall in Middle-Earth. Duas coisas eram notórias com o vocalista Hansi Kürsch: o seu apreço pela banda Queen e seu amor pela história de O Senhor dos Anéis. E podemos encontrar as duas coisas nesse disco, pois várias levadas de vocais e fraseados de guitarra nos lembram a banda de Freddie Mercury. Mas,  O Senhor dos Anéis já era tema frequente em discos anteriores. Tivemos a majestosa The Lord of the Rings no disco Tales from the Twilight World (1990), e a clássica The Bard’s Song – In The Forest (sobre o livro O Hobbit) no disco Somewhere Far Beyond (1992). Porém, a banda decidiu ir além. Nightfall é um disco conceitual baseado no livro O Silmarillion de JRR Tolkien e nos leva pelo mundo da primeira idade da Terra Média e contando sobre a Guerra das Jóias.

O disco é composto por 22 faixas onde metade são músicas e as outras faixas são narrativas que complementam a história. O disco começa com War of Wrath, onde temos um diálogo entre Sauron e seu mestre Morgoth no fim da Guerra da Ira. Sauron aconselha seu mestre a fugir, mas Morgoth apenas o manda embora e começa a refletir como as coisas chegaram até aquele ponto. E é assim que começa a história no disco seguindo com a música Into The Storm que fala sobre Morgoth e Ungoliant, que fogem de Valinor depois de terem destruído as Duas Árvores e sua luta pela posse das Silmarils. Na sequência temos pedradas como Nightfall, Mirror Mirror, Time Stands Still (At the Iron Hill), When Sorrow Sang e The Dark Passage. E também faixas mais lentas e melodiosas como Noldor (Dead Winter Reigns), Thorn e The Eldar. A versão remasterizada lançada em 2007 trás uma música bônus chamada “Harvest of Sorrow, uma balada emocionante contando a história da lamentação de Túrin pela perda de sua irmã Niënor.

Na época do lançamento do disco foi muito difícil classificá-lo. As composições e o instrumental eram completamente diferentes de tudo o que a banda já havia feito e muito longe do que outras bandas estavam executando. Os próprios membros da banda falaram na época do lançamento que tiveram que reavaliar seu estilo e criar um novo caminho ao ver as letras escritas por Hansi Kürsch. O vocalista foi responsável por todas as letras do disco e as melodias foram criadas pelo vocalista em parceria com o guitarrista André Olbrich. O que esses dois tiraram da cartola foi o melhor disco da banda até hoje e um dos melhores discos de Metal de todos os tempos. No memento estou ouvindo a bolachinha no aparelho de som e não parece que tantos anos se passaram. Se você não conhece o disco é só dar uma olhada no Spotify ou comprar uma cópia da versão remasterizada de 2007 disponível no Mercado Livre. Destaque final para a linda arte da capa onde temos a representação da dança de Lúthien na frente de Morgoth.


lapjo666 — Blind Guardian- Mirror Mirror

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Gilson Lorenti

Geógrafo de formação e fotógrafo de coração, comecei a fotografar com 18 anos de idade (antes disso nunca tinha pegado uma câmera na mão). Depois de muito estudo veio a carreira profissional que passou por várias modalidades da fotografia até realmente descobrir o que gosto de fazer. Hoje me dedico ao ensino de fotografia, fotografia Fine Art e Books Fotográficos (gestante, moda, sensual). Tomando emprestado as famosas palavras de Ansel Adams "Quando as fotografias não forem mais suficientes, me contentarei com o silêncio".

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples