Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Comércio de jogos ofensivos poderá ser crime

Por em 1 de dezembro de 2009
emCultura Gamer Destaque
Mais textos de:

Site | Twitter
  • http://www.wiireview.com.br brunojuliao

    Na moral… Só da pra dizer uma coisa: “VERGONHA DE SER BRASILEIRO”

    Pq eu digo isso? Pq nós colocamos esses merdas lá! Somos vítimas de nossa ignorância, falta de bom senso e discernimento… Sem dúvida o pior do Brasil é o brasileiro (nesse contexto político)

    Se vc tem amigos semi-analfabetos, saiba que é culpa desse governo que quer exatamente isso, que sejamos analfabetos, idiotas, fechados e sem opiniões sobre política… Somos uma desgraça como povo por termos permitido a capital se mudar pro cú do Brasil, culpados pelas “revoluções” que ocorreram só terem ocorrido por interesses de terceiros… O povo tem o governante que merece, pena q a minoria informada não consegue mudar o mundo…

  • zio

    Esse cara provavelmente só tomava sacode nos fliperamanas na infância, só pode…..

    • prk_83

      Esses caras são dinossauros. Nunca jogaram fliperama ou videogame na vida e fazem um projeto sem-vergonha desse.

  • Delta

    Lamentavel

  • Rguimaraes

    Que há uma ideologia por volta de alguns grandes lançamentos, eu não tenho dúvida. Mas, rotular e excluir (ainda mais) os gamers brasileiros. É muita sacanagem.

  • Rhob

    Dori, não fosse o “veja lá o que vai dizer”, acho q eu descontaria aqui minha mágoa com os políticos brasileiros.

     

    Assim como você, também não consigo entender como e/ou quem vai fiscalizar isso.

    Do mesmo jeito quando proibiram o Counter-Strike? Pq o Steam tava vendendo normalmente,…

     

    E se eu comprar um jogo e depois ele for “proibido”, eu tenho que destruir a mídia e deletar o jogo? Quem vai me reembolsar?

    São essas ações que limitam a liberdade dos cidadãos que me fazem ter vergonha do nosso país. Pra que existem sistemas de controle etário? Pra que existe educação? OPA, educação no nosso país não é levada a sério como é proibir jogos… ¬¬ 

     

    A propósito, excelente imagem para ilustrar o post. Aliás, é o único tipo de imagem que podemos usar para nos referirmos aos políticos…

    • robson_franca

      [quote=Rhob]

      E se eu comprar um jogo e depois ele for “proibido”, eu tenho que destruir a mídia e deletar o jogo? Quem vai me reembolsar?

      [/quote]

      Pois é. Tenho uma confissão a fazer: eu comprei Duke Nukem 3D no lançamento aqui. Depois que aquele imbecil saiu atirando no cinema, o jogo foi proibido. Mesmo assim continuo com o jogo. E agora? Vou preso? Serei processado? Um jogo criado há 13 anos ainda dá toda essa confusão?

      [quote=Rhob]

      São essas ações que limitam a liberdade dos cidadãos que me fazem ter vergonha do nosso país. Pra que existem sistemas de controle etário? Pra que existe educação? OPA, educação no nosso país não é levada a sério como é proibir jogos… ¬¬ 

       

      A propósito, excelente imagem para ilustrar o post. Aliás, é o único tipo de imagem que podemos usar para nos referirmos aos políticos…

      [/quote]

      Infelizmente…. A questão é: “Cui prodest?”

      Abraços

  • http://nada-aqui.blogspot.com Marcio Neves

    Aí me pergunto: que jogo (ou jogos) desencadeou essa decisão? Só falta me dizer que a culpa é do Counter Strike, por conta daquele mapa CS_Rio, alegando que ali dá a entender que no Brasil só existe favela. Ou será que foram motivados pelo Modern Warfare 2? Sem noção

  • Serra

    Certamente devem existir jogos suficientemente ofensivos para tal decisão, mas quem serão os responsáveis por classificá-los? Espero que jogos como Modern Warfare 2 ou GTA IV não saiam prejudicados.

    Nossa representação polítca surpreende tanto pela incapacidade da maioria eleitora quanto pela da maioria eleita. Não digo que é patético porque já é quase clichê.

  • mig_akira

    Isso é projeto de político que não sabe como resolver um problema e procura um bode expiatório pra botar a culpa e fingir que está fazendo serviço. Hitler usou mais ou menos essa tática ao culpar judeus pela decadência da Alemanha.

    Duvido que o senador consiga listar 3 jogos violentos nos quais ele estava pensando ao “elaborar” o “projeto”.

  • prk_83

    [quote]Fico me perguntando quem decidirá se o jogo que importei, por exemplo, é ofensivo (e a quem?)[/quote]Fiquei com a mesma dúvida. Essa avaliação é totalmente subjetiva.

  • JayShaman

    Claro, como todo brinquedo de criança não faz sentido existirem jogos violentos  :)

    Os políticos e todos os não-gamers que ficam sabendo da notícia vão achar análogo àquela campanha de destruir armas de brinquedo, vão aplaudir e votar no cidadão nas próximas eleições. Nós, por outro lado, vamos continuar jogando o que quisermos porque, hey, é o Brasil, fiscalização não é o nosso forte  :D

  • vandell

    Enquanto muitos países tentam empurrar o mercado de jogos pra cima, e principalmente, o desenvolvimento dos mesmos, temos o Brasil fazendo mais um retrocesso nesta área tão pobre por aqui.
     
    Embora esta medida não vá ter sentido prático, demonstra que estamos muito longe de ser uma potência em games. Sem o apoio do governo dificilmente o segmento conseguirá se desenvolver. O pior, caso alguém venha fiscalizar quem vai sair perdendo são as pessoas que compram original, mais um incentivo à pirataria. 

    Estou revoltado com isso. Imagina lá fora como vão ver esta situação… Fora o desrespeito com o gamer em geral, “… Alguns passam de brincadeira…” como se o game fosse uma simples brincadeira pra todo mundo. Por que esta mídia tem que ser vista como pior do que as outras? 

    Agora uma dúvida, este projeto já passou pela câmara? Ou já está pronto pra começar a valer?

     

  • duke66

    Colocar dinheiro de propina na meia e na cueca continua permitido né?  :sick:

     

     

  • Krash Destrutor

    Vamos fazer o seguinte, então: vou processar cada político que fizer algo que eu acho ofensivo.

    Ah, espera… Não teria espaço suficiente nas cadeias pra isso…

  • thE Masterkey Blaster

    Realmente… eu acho esse tema bem complexo… Quem define “o quê é” e “pra quem é” é A pergunta.

    Mas daí a ser totalmente contra… sei lá… tenho lá minhas dúvidas

  • http://naotenho AlbertoMyra

    Se a gente pudesse cassar o mandato de cada político que fosse pego em um ato “ofensivo” boa parte dos nossos problemas estaria resolvido.

    E esses caras acham que me representam….

  • Mr.Darkness

    Agora sim vão conseguir proibir muitos e muitos jogos de uma vez só!

  • vandell

    Galera, peço que mostrem o que pensam sobre assunto pro nosso digníssimo. O email é este aqui valdir.raupp@senador.gov.br. Eu já mandei o meu texto de indignação. 
    Eles tem que saber que não pode, com mil desculpas pelo termo, sair cagando em tudo não. Tem gente que se importa com o que eles fazem SIM!

  • dirceudr

    Duvido que o político que criou isto saiba o nome de algum console, duvido até que saiba o que é um console, são uns dinossauros, que se deixam levar pela mídia para fazer nome na carreira política, pregando que estão fazendo o melhor para o país, e o povo que não esta infomado a respeito acaba acreditando e dando credito um voto para tal politico.

  • robson_franca

    Olá pessoal, beleza?

    Vcs. não estão entendendo. Devemos nos questionar “Cui prodest?” (Quem ganha?). Quem se beneficia com uma atitude dessas?

    Vou começar citando um grupo com grande interesse nesse tipo de atitude: as emissoras de TV. Se uma pessoa joga um Wii Sports, um Metal Gear ou um Gears of War ela é uma pessoa a menos que é manipulada seduzida pelas “maravilhas” da televisão. A internet mesmo gera uma concorrência que os grandes centros de mídia não conseguem entender.

    Um outro grupo interessado no “buzz” provocado por esse tipo de medida são os que trabalham com jogos ilegais, como videobingo e videopoker. Enquanto lutamos por uma coleta justa de impostos (e não a extorsão cometida atualmente), pela entrada de empresas de jogos por aqui e agora por ter o direito de obter jogos com a temática que quisermos, os grandes “empresários” do setor dos jogos eletrônicos de azar continuam comprando policiais corruptos, instalando suas máquinas ilegalmente em diversos estabelecimentos e financiando outras atividades ilícitas, como o tráfico de drogas e a pirataria.

    De repente, não mais que de repente, começamos a fechar portas que nem começaram a abrir direito por aqui, como a vinda da Ubisoft ao Brasil. E os jogos eletrônicos, que poderiam movimentar uma indústria e uma possibilidade de pesquisas tecnológicas importantes para o desenvolvimento do país, se transformam em instrumento de lavagem de dinheiro por criminosos, e assunto das páginas policiais dos jornais. Os mesmos jornais controlados pelos grupos de mídia que buscam a todo custo impedir o florescimento do mercado de jogos no país.

    Abraços

    • vandell

      Sobre a Ubisoft, foi quase de imediato o meu pensamento sobre isso. Quando vem um estúdio bom pra cá acontece isso. Certamente novos estúdios que estavam com os dias marcados pra vir agora vão pensar 10 vezes mais.

      E sobre a mídia televisiva, é lamentável. Mas acho que como eles mesmos sabem, estão perdendo o “tempo de TV” para o “tempo de internet” e estão começando a se desesperar já. Quem garante que realmente não é um golpe deles este tipo de medida?

      Mas, felizmente, desta vez eu n fico de braços cruzados. Vou a luta! Vlw!

  • Odair_Junior

    Mais um, para definir o que é bom para minha moral e o meu bom (ou mal) costume?

    Vai tentando.

  • duke66

    Acho que eles devem voltar com o Dops e os fiscais da censura dizer o que cada brasileiro pode jogar, ver e ouvir…

     

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Departamento_de_Ordem_Política_e_Social 

  • virgilio

    Oras, não foi você mesmo que considerou o joguinho de simulação de estupro como algo “ofensivo”?

    É tudo questão de ponto de vista.

     

    E viva a hipocrisia.

    • vandell

      Tem razão.

    • http://www.vidadegamer.com.br Dori Prata

      Exatamente e por isso eu optei por não comprá-lo, mas não porque um político ordenou ou seja, acho que consigo decidir o que é ofensivo ou não para a minha pessoa, não preciso da ajuda de um cidadão que fica sentado atrás de uma mesa desferindo canetadas a torto e a direito.

      Quanto a hipocrisia, desculpe mas não estou aqui para agradar a um ou outro e dizer que sou contra um jogo que considero de extremo mau gosto não me impossibilita de criticar uma lei que poderá se tornar totalmente arbitrária. Se você pensa o contrário, então infelizmente muitos dos meus textos o incomodarão.

    • Heishiromitsurugi

         Tudo depende do ponto de vista, como o próprio Dori falou, quem deve definir o que é ofensivo ou não para você é você mesmo, e ninguém tem o direito de intervir nisto, a classificação etária serve apenas para amenisar isto, pois na verdade quem decide é quem adquiri o jogo.

         Eu acho super ofensivo um simulador de estupros, por isto nem vídeo do jogo eu assisti, também acho ofensivo um jogo como Carmageddon, mas de maneira nenhuma  acho ofensivo um Street Fighter da vida, mas para outras pessoas pode ser, então não vou forçá-las a jogarem ou deixarem de jogar.

      “E viva a hipocrisia”

           E por favor pare de usar está palavra, já dá nos nervos e virou clichê de argumentos inválidos aqui no Meiobit, você critica um estuprador e um cara vem e diz que você é hipócrita porque você comprou um CD pirata. :sick:

  • http://keaton.wordpress.com/ Keaton

    Coitada da rockstar games, banida do br.

  • http://magno-naval.blogspot.com magno

    Não há sentido numa lei tão subjetiva quanto esta. Tudo pode ser ofensivo a alguém.

    Os mapas de Deus Ex 2 ofendem a minha inteligência. Um cristão pode se sentir ofendido com jogos sobre templários, um ex-morador de Jerusalém pode se sentir ofendido com Assassin’s Creed pois ele “incita as pessoas a cometer assassinatos na cidade” (quero ver alguém conseguir convencer um político/pastor do contrário) e até um jogo bem inocente pode ofender um árabe porquê o guarda mostra a mão esquerda para ele no jogo.

    Se não tiver chacina, jogos que se passam no congresso nacional me ofendem. Pronto, falei.

  • http://www.wallck.com.br/ wallck

    Eu já falei. Taca 51% dos brasileiros VOTANDO NULO e pronto! É lei! TROCA TODOS ESSES CANDIDADOS QUE SE TORNAM POLÍTICOS DE MERDA.

    • http://www.vidadegamer.com.br Dori Prata

      Agora você se complicou. Certa vez disse que voto nulo e faltou me pregarem na cruz. Prepare-se.

      • http://fsjunior.com.br Bullshico

        Votar nulo é só uma atitude paliativa e ineficaz.

        Você, Dori, que tem um grande público no meiobit poderia organizar uma associação ou whatever para ganhar força política e lutar contra isso. Por que não faz? Imagine a quantidade de menininhas gamers que quererão dar para você…

        • http://twitter.com/max_laguna Max_Laguna

          OFF:

          [quote=“Bullshico”]

          Imagine a quantidade de menininhas gamers que quererão dar para você…

          [/quote]

          Rapaz, se a esposa do tio Dori ler isso, sobrará até para ti! :) :D

          Mas eu aceito as gurias numa boa, sem maiores problemas, a não ser que a minha garota descubra os planos.

          }:)

    • http://fsjunior.com.br Bullshico

      Isso é mentira.

      http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=8195

       

      O problema não é em quem você vota, mas o fato de você, em vez de se informar sobre as leis e os processos democráticos e tentar fazer alguma diferença, ficar sentado em frente o seu computador, esperando que alguém faça algo por você. :)

      Por algum motivo, brasileiro acha que a única parte da democracia é ir na urna e “depositar” seu voto. Se as coisas tão pdres assim, não é por quem está lá, mas é porque a sociedade não tem organização política suficiente.

    • Geovani

      Se 51% dos brasileiros votarem nulo, os eleitos serão os escolhidos pelos 49% restantes, conforme a interpretação correta da lei.

  • zedopovo

    Infelizmente no Brasil  maioria das pessoas, não só os políticos menosprezam o video game e seus derivados. Já tenho maioridade absoluta, porém, adoro meus jogos eletrônicos e minha mãe, pai e minha ex-namorada achavam infantil e falavam que eu estava perdendo meu tempo ao jogar video game. Cara, eu jogava umas 10 horas semanais e já me enchiam o saco. É por isso que eu penso que vem um político assim que não tem o que fazer e (como ja mencionaram mais acima) tenta ganhar nome banindo algo que pra ele não é nada interessante e não afetará sua vida. 

    Nosso país tem tanto a melhorar em aspectos muito mais importantes e ainda sim surge agora essa idéia de nos censurar dos video games. Será que eles pensam que quem joga video game é alienado, errôneo, ignóbil e sem nada na cabeça? Assim como todos os políticos, nós jogadores também temos senso crítico, somo instruídos, temos bom senso, só o racicínio mesmo que garanto que nós gamers temos de sobra ao contrário deles. 

    Um país que trata os cidadãos dessa forma injusta de fato não merece crescer. Não estamos roubando nem matando, estamos somente jogando! Somos brasileiros, somos instruídos e sabemos o que é certo e o que é errado, e somo acima de tudo seres humanos.

    • http://magno-naval.blogspot.com magno

      [quote]Será que eles pensam que quem joga video game é alienado, errôneo, ignóbil e sem nada na cabeça?[/quote]

      Provavelmente sim. Político também carece de educação e cultura também.

      Imagine um político falando que a criação de uma linha férrea vai tirar emprego dos caminhoneiros. Ou que a energia eólica/solar vai tirar emprego dos mineiros de carvão.

  • davidsantana

    Segue o e-mail que mandei para o senador (ficou grande mas acho que demonstra minha indignação):

    Para: valdir.raupp@senador.gov.br


    Caro senador Valdir Raupp,

        Sou e acadêmico de Direito e devo dizer que me sinto envergonhado ao ver projetos como este de sua autoria. Seu projeto de lei trás nada mais que um retrocesso em nossa legislação, propondo simplesmente uma forma censura na área de entretenimento eletrônico. Se um jogo que é reconhecido internacionalmente como uma forma de arte, pode como o senhor diz “ofender a alguém”, então deveremos nós brasileiros proibir toda e qualquer forma de arte promovendo a censura a todos os níveis conforme feito na conhecida época da ditadura.
        Desta maneira censuremos as novelas que são exibidas em nossos canais de televisão, afinal de contas não são poucas as vezes que vemos imagens sensuais ou a demonstração de cultos religosos que ofende a uma parcela de nossa população, ou então que censuremos os filmes, afinal em sua grande maioria há a projeção de assassinatos, sexo, uso de drogas, derespeitos a crenças religiosas, etc. Mas peço para irmos além, que cortemos o mal pela raíz, retirando aquilo que a população de bem, aquela que teve acesso a educação e paga seus impostos em dia julgam a melhora solução para nosso país, acabemos com a imunidade parlamentar, façamos leis que punam com a morte políticos que roubem os cofres públicos, que coloquem parentes em cargos de confiança, que usem o cargo em apenas para benefício próprio e que façam propostas de leis desconhecendo totalmente o assunto abordado, desta maneira teremos um Brasil justo e livre de maus políticos.
         Estamos observando o trabalho dos senhores, afinal de contas somos seus chefes e assim como em uma empresa privada funcionários despreparados são demitidos, com certeza nos lembraremos de demitir nossos maus funcionários nas próximas eleições.
    Att,

    David Santana

     

    • zedopovo

      Eu acho que vc falou muito bem, mas foi meio radical.  Acho que nosso foco é tentar mostrar a ele porque o video game é inocente e não atacar todos os podres que existem na sociedade. De qualquer forma é um bom começo eu acho. Valeu! 

    • Heishiromitsurugi

        Excelente, bem escrito e bem transparente. Gostei da sua atitude. :)

    • guto pesset

      Ótima atitude sua!!

       

      Convoco a todos aqui do meiobit que se importam com nosso país e querem fazer a diferença que enviem um e-mail de protesto a esse projeto de lei ao referido autor.

       

      Estou enviando um nesse momento.

      • guto pesset

        E-mail enviado, abaixo:

         

        Prezado Senador,

        Tenho 27 anos, sou engenheiro e casado e tenho uma boa formação educacional. Escrevo este e-mail para mostrar meu descontentamento quando vi a noticía sobre o projeto de lei supracitado de sua autoria sobre a proibição de “jogos de videogames ofensivos aos costumes, às tradições dos povos, aos seus cultos, credos, religiões e símbolos.”

        Interessente sua preocupação, mas daí eu lhe pergunto: quais costumes? quais tradições? quais cultos, credos, religiões e simbolos? E mais: Quem vai dizer o que é e o que não é ofensivo? Com que imparcialidade?

        Que tal alem de incluir além dos jogos de video games neste projeto, incluir também as novelas, os filmes, as peças de teatro, os livros e todas as outras formas de arte existentes hoje?

        Afinal todas elas são ofensivas em algum grau aos costumes, tradições, cultos, religiões e tudo mais.

        Vamos proibir os museus de nosso país. Vamos proibir toda e qualquer exposição onde manifeste arte. Vamos proibir também todo conteudo ofensivo em todo tipo de mídia existente. Vamos seguir o exemplo da China e vamos voltar a ditadura, sim aquela que voce viveu anos atras, o senhor lembra não lembra? Vamos regredir, voltar ao terceiro mundo e afundar nele.

        OBS: Eu solicito resposta das perguntas acima.

        Cordialmente,

        Carlos

        • davidsantana

          Perfeito cara, vamos ver se ele terá coragem para nos responder.

  • zedopovo

    Eu pensei em fazer camisas, fiz um esboço aqui no Corel rapidão. Se houver um interesse geral a gente pode mudar o texto ou o desenho. Movimentos pacíficos!

     

    http://h.imagehost.org/0400/video2.jpg

    Ta bem fudida ainda, mas podemos fazer uma camisa legal pra nós! ;)

    • Heishiromitsurugi

        Gostei da idéia, está simples ainda, como você mesmo disese fez rápido, mas acho que com o  toque de um design ficará muito legal.

  • Rafael Vasconcelos

    Meu Deus do céu!!! Leiam o parecer do senado e inundem o e-mail desse senador por favor!!!! :sick:

    • guto pesset
    • http://nada-aqui.blogspot.com Marcio Neves

      [quote]Embora sejam classificados pelo Ministério da Justiça, alguns jogos
      de videogame desprezam, notadamente, o comportamento correto das crianças,
      ensinando palavrões. Em outros, os “gays” são mortos e as religiões, tais como o
      satanismo, budismo, hinduísmo, judaísmo e o cristianismo, são ofendidas.
      Sobre o cristianismo, vê-se em alguns jogos alguém bater em anjos,
      enquanto se escuta um coral católico. É comum um superbandido bater asas pelo
      inferno antes da batalha final, ou até derrotar Jesus e seus doze apóstolos,
      embora tenham nomes engraçados[/quote]

       

      Ou seja, bane-se boa parte dos Final Fantasies e RPGs, inclusive aí o WoW :P

    • eyesonly

      Que argumentos ruins, ele fala de um jeito que todos os jogos tem o mesmo objetivo.

      É tão comum encontrar jogos em que se tem lutar contra Jesus e seus apóstolos que ainda não conheço um.

      Para que diabos serve a classificação etária? Um adulto já deveria saber diferenciar a realidade de jogos.

      E como citado por que direcionar somente para jogos e não para todas as formas de arte e entretenimento?

       

    • http://fsjunior.com.br Bullshico

      Tadinhos dos cristãos, sofrem tanto com o preconceito da sociedade…

  • guto pesset

    Sugiro que além de mandarem email ao Senador. Mandar email tambem as produtoras, distribuidoras e toda e qualquer empresa de games que atue no país para que eles mostrem o descontentamento ao Senador Federal com essa medida erronea e regressiva que estão tomando.

     

    Eu so sei algumas:

    Sinergex

    Microsoft,

    Eletronic Arts

     

    Alguem sabe de mais? Eles tem que nos ajudar nessa. Para o bem deles, e nosso.

     

  • http://www.arapaduradura.blogspot.com Igorqueiroz

    Saiu na globo.com

    http://g1.globo.com/Noticias/Games/0,,MUL1400477-9666,00.html

     

    ¬¬

  • Trufelli

    Acho que Diablo3 aqui no “Brasilzão” nunca vai chegar…

    O foda é que carnaval, aonde tem sexo explicito nenhum politico fala algo referente a moral ou a desrespeito…

    • Heishiromitsurugi

      “O foda é que carnaval, aonde tem sexo explicito nenhum politico fala algo “

        Claro que não, porque sempre tem político pulando e curtindo o carnaval, afinal um Templario lutando contra um Monge budista é muito mais desrespeitoso para a cultura do Brasil, do que mulher mostrando calcinha (ou mostrando a falta dela) ao lado de um político. 

         Já que a Cultura que os nossos políticos tanto estão prezando para o nosso país, eles não podem reclamar de comentários como o do Robin Williams.

  • ovtbqr

    Só digo que essa lei é coisa de judeu.

  • robson_andre
  • Purin

    hahahahaha
    só essa que faltava
    boa, fudeu geral pra galera que ta começando na area de game designer que nem eu né!?
    vamos te que produzir jogos sobre não jogar lixo no chão =D
    foda, políticos e a mídia sempre estão ali pra fude com alguem e sai ganhando
    não vou poder expor minhas idéias no jogo, passar menssagens criticas e tals
    hahahahha pq num fazem isso com a musica, o tanto de criança por ai cantando akeles funks nojentos cheio de palavrões e mensagens sobre usar drogas e essas crianças nem ao menos sabem o q é isso, se bem q eles ja devem até saber demais sobre os assuntos, né não? 
    e do jeito q ta daki a poco vão domina a internet
    e proibir até acesso google imagens euaheuaheuaheauea

  • felipeprov

    O que mais assusta é que um sujeito como esse deve decidir sobre projetos de saúde, saneamento, impostos, segurança….

    Uma decisão como essa chama a nossa atenção pois é algo que está proximo de nós. Imaginem a quantidade de projetos de lei absurdos que devem existir sobre questões técnicas ainda mais delicadas e complexas…

    Deviam exigir prova  de conhecimento sobre o tema antes de aceitarem mesmo como um projeto de lei.

     

    Tenho é medo

    • http://www.xboxplus.net marcos.zy

      [quote=felipeprov]

      O que mais assusta é que um sujeito como esse deve decidir sobre projetos de saúde, saneamento, impostos, segurança….

      Uma decisão como essa chama a nossa atenção pois é algo que está proximo de nós. Imaginem a quantidade de projetos de lei absurdos que devem existir sobre questões técnicas ainda mais delicadas e complexas…

      Deviam exigir prova  de conhecimento sobre o tema antes de aceitarem mesmo como um projeto de lei.

       

      Tenho é medo

      [/quote]

      Mas esse é um dos problemas. Nada deste tipo é exigido dos parlamentares. Temos de todos os tipos e para todos os gostos.

      De repente um parlamentar que antes era sanfoneiro em sua terra natal e se elegeu sabe-se lá como, pode se meter a apresentar projetos sobre saúde pública. Um cara que era dono de boteco, sequer se preocupou uma vez na vida em enviar os filhos pra escola e conseguiu sua vaguinha lá em Brasília pode meter o bedelho em educação, e por aí vai.

      E é útil, a eles, esse tipo de coisa. Basta nos lembrarmos daquele absurdo (nem sei como anda aquilo, sinceramente, de tão desgostoso que fiquei) que era o tal projeto de lei do Azeredo, que pretendia implantar um modelo de internet totalmente vigiada no Brasil.

      Infelizmente, a maioria sequer nota esse tipo de coisa. Aliás, nota: quando a coisa aperta, quando tudo já foi pro “beleléu”. E no nosso caso, ref. o assunto que estamos aqui discutindo, percebemos logo pois estamos praticamente diariamente envolvidos com a coisa.

      Sei lá, a cada diz que passa, me sinto mais desanimado com esse país.

      • http://magno-naval.blogspot.com magno

        [quote]Infelizmente, a maioria sequer nota esse tipo de coisa. Aliás, nota: quando a coisa aperta, quando tudo já foi pro “beleléu”. E no nosso caso, ref. o assunto que estamos aqui discutindo, percebemos logo pois estamos praticamente diariamente envolvidos com a coisa.[/quote]

        Isso me lembra de Winston Smith (1984), que viu o partido nascer desde o fim da segunda guerra mundial e só 40 anos depois que percebe a m*rda que a vida dele se tornou, quando já não havia mais volta.

  • Franz Bonaparta

    Eu fico pensando quando é que o governo brasileiro vai elaborar idéias construtivas que realmente surtam efeitos positivos dignos de respeito.

    Quando vão de fato se preocuparem com a alfabetização, com a saúde, com a segurança. De fato isso já virou utopia. Certamente a saúde pública é uma merda para que as pessoas morram mesmo e evitem a superpopulação no país, e lógico, é menos gente pra ganhar o bolsa família.

    E os analfabetos são necessários para reelegerem eles de novo em algum futuro próximo após terem sido afastados do cargo por algum escândalo, e lógico, quanto menos pessoas informadas, memos são as chances de tirá-los do poder.

    Eu amo esse país.:sick:

    • vandell

      Isto também é ruim pra eles. Para pra pensar, se esses politicos tomassem medidas públicas favoráveis ao desenvolvimento do povo, em algum tempo o nosso país seria um país de “primeiro mundo”. e é natural acreditar que eles gostariam de morar em um país melhor.

      Eu não consigo entender a lógica que eles usam para ter que manter o povo cheio de idiotas. Se as pessoas ficarem mais inteligentes (cultas), eles vão continuar trabalhando, se elegendo, talvez tenham que trabalhar um pouco mais para o tal, acho que vale a pena pra eles sim. Existe uma cultura de achar que tem que ser pilantra pra conseguir as coisas.

      A Europa já esteve em situação muito similar à nossa, se não me engano. Lembro muito dos professores de história falando sobre isso.

      Não precisamos elaborar ideias novas, basta espelharmos-nos com as que deram certo. Pode ser por pura ingenuidade mas eu ainda acredito que um dias eles se tocam.

  • virgilio

    Deixa eu ver se entendi, você acha que meu argumento é inválido porque eu utilizo um termo que você odeia (sabe-se lá por qual maldita razão…)?

    O ponto é: ele acha um absurdo o cidadão criticar o jogo X como ofensivo. Mas faz o mesmo. Isso é hipocrisia pura e somente, se você conhece outro termo para isso, pode me apresentar. =)